Os males e pecados de quem usa o trânsito - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

Os males e pecados de quem usa o trânsito

Por Nonato Albuquerque em artes

21 de dezembro de 2016

De que forma você tem se comportado no trânsito? Não é preciso responder a mim, não; mas a você mesmo. Se você faz parte de um grupo de pessoas que não tem a menor preocupação em obedecer às normas e leis do trânsito, certamente você é está entre os números divulgados ontem pela Prefeitura, numa pesquisa que aponta os males e os pecados de quem utiliza o tráfego em Fortaleza. O saldo não é animador; revela até mesmo uma tendência suicida de quem faz da máquina uma arma e circula por aí não temendo as consequências de suas imprudências.

O relatório da Fundação Filantrópica Bloomberg contabiliza que 315 morreram no trânsito no ano passado. 119 dessas vítimas eram pedestres, o que demonstra o pouco caso que se dá a quem anda a pé. Cento e dez dos que morreram andavam em motos, o que revela a necessidade de orientar sempre os motociclistas a zelarem pelo bem precioso que é a vida. São dados que vão servir para que a Prefeitura reoriente os cuidados em relação a questão da mobilidade urbana, mas que tem a parte responsável a cada um de nós.

Por isso, refaço a pergunta do começo desse nosso comentário: como é que você tem se comportado no trânsito? Se você primou pelo respeito. obediência e atenção – então, você pode comemorar não ter sido vítima da violência que impera nas ruas, avenidas e rodovias. Se você, infelizmente, cometeu imprudências, provavelmente, está se recuperando das consequências de seus atos. Ou o que é pior: seus amigos e família estão sentindo sua ausência nas ruas desse lado, porque você se passou para o outro lado – quando ainda não era o tempo devido.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Os males e pecados de quem usa o trânsito

Por Nonato Albuquerque em artes

21 de dezembro de 2016

De que forma você tem se comportado no trânsito? Não é preciso responder a mim, não; mas a você mesmo. Se você faz parte de um grupo de pessoas que não tem a menor preocupação em obedecer às normas e leis do trânsito, certamente você é está entre os números divulgados ontem pela Prefeitura, numa pesquisa que aponta os males e os pecados de quem utiliza o tráfego em Fortaleza. O saldo não é animador; revela até mesmo uma tendência suicida de quem faz da máquina uma arma e circula por aí não temendo as consequências de suas imprudências.

O relatório da Fundação Filantrópica Bloomberg contabiliza que 315 morreram no trânsito no ano passado. 119 dessas vítimas eram pedestres, o que demonstra o pouco caso que se dá a quem anda a pé. Cento e dez dos que morreram andavam em motos, o que revela a necessidade de orientar sempre os motociclistas a zelarem pelo bem precioso que é a vida. São dados que vão servir para que a Prefeitura reoriente os cuidados em relação a questão da mobilidade urbana, mas que tem a parte responsável a cada um de nós.

Por isso, refaço a pergunta do começo desse nosso comentário: como é que você tem se comportado no trânsito? Se você primou pelo respeito. obediência e atenção – então, você pode comemorar não ter sido vítima da violência que impera nas ruas, avenidas e rodovias. Se você, infelizmente, cometeu imprudências, provavelmente, está se recuperando das consequências de seus atos. Ou o que é pior: seus amigos e família estão sentindo sua ausência nas ruas desse lado, porque você se passou para o outro lado – quando ainda não era o tempo devido.