12 de Abril de 2019 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

12 de Abril de 2019

A agressão a religiosos fomentada pela Teologia da Prosperidade

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

12 de Abril de 2019

Uma agressão a um religioso dentro de uma igreja no Dias Macedo, só vem revelar um dado curioso ligado não apenas aos distúrbios psicóticos que têm aumentado nos últimos tempos, mas principalmente, aos casos de intolerância.

As querelas ligadas à religião têm se intensificado muito, a partir de um discurso extremista por parte de sectários de doutrinas inspiradas pela chamada teologia da prosperidade.

Essa teologia busca a interpretação de uma série de textos bíblicos para fazer com que os fiéis entendam que Deus tem saúde e bênçãos materiais para distribuir ao seu povo. Esquece-se praticamente dos valores morais apregoados pelo mestre do cristianismo.

Com isso, criou-se uma enorme expectativa de fiéis, mais interessados em ganhar a Terra do que especular com a possibilidade do Reino dos céus.
E a pregação discriminatória contra outras religiões, deu margem a que se quebrassem imagens; agredissem adeptos e a intolerância de uns que não se respeitam nem mesmo como irmãos por parte de Adão e Eva, como se dizia.

Enquanto esse tipo de discórdia perdurar, enquanto não houver a compreensão de que religião nenhuma salva, mas as obras como cita polida e corretamente o evangelista Paulo, estaremos sempre acompanhando episódios de falta de respeito de fiéis para fiéis, de religiões com as outras denominações. É preciso não perder de vista que 90 por cento de todas as guerras no mundo foram motivadas por questiúnculas religiosas. E elas só prosseguem porque a maioria daqueles que se dizem adeptos, defende apenas a sua causa. E não a de Deus que se pauta nas regras do amor somente.

leia tudo sobre

Publicidade

A agressão a religiosos fomentada pela Teologia da Prosperidade

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

12 de Abril de 2019

Uma agressão a um religioso dentro de uma igreja no Dias Macedo, só vem revelar um dado curioso ligado não apenas aos distúrbios psicóticos que têm aumentado nos últimos tempos, mas principalmente, aos casos de intolerância.

As querelas ligadas à religião têm se intensificado muito, a partir de um discurso extremista por parte de sectários de doutrinas inspiradas pela chamada teologia da prosperidade.

Essa teologia busca a interpretação de uma série de textos bíblicos para fazer com que os fiéis entendam que Deus tem saúde e bênçãos materiais para distribuir ao seu povo. Esquece-se praticamente dos valores morais apregoados pelo mestre do cristianismo.

Com isso, criou-se uma enorme expectativa de fiéis, mais interessados em ganhar a Terra do que especular com a possibilidade do Reino dos céus.
E a pregação discriminatória contra outras religiões, deu margem a que se quebrassem imagens; agredissem adeptos e a intolerância de uns que não se respeitam nem mesmo como irmãos por parte de Adão e Eva, como se dizia.

Enquanto esse tipo de discórdia perdurar, enquanto não houver a compreensão de que religião nenhuma salva, mas as obras como cita polida e corretamente o evangelista Paulo, estaremos sempre acompanhando episódios de falta de respeito de fiéis para fiéis, de religiões com as outras denominações. É preciso não perder de vista que 90 por cento de todas as guerras no mundo foram motivadas por questiúnculas religiosas. E elas só prosseguem porque a maioria daqueles que se dizem adeptos, defende apenas a sua causa. E não a de Deus que se pauta nas regras do amor somente.