8 de novembro de 2017 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

8 de novembro de 2017

Da mulher de César e a honestidade no serviço público

Por Nonato Albuquerque em DENÚNCIA

08 de novembro de 2017

Não existe perfeição na Terra. Por isso, não surpreende a ninguém o fato de alguém cometer um ato equivocado, como o desses quatro policiais cearenses que estão envolvidos em ações criminosas. A acusação é de que eles negociavam a soltura de traficantes. Fosse com qualquer um, já seria lamentável. Pior é quando se trata de servidores públicos, voltados para o combate ao crime.

A alma humana é corruptível. Embora seja clichê, mas funciona a afirmativa de que todo homem tem seu preço e aqueles indivíduos que não tem uma boa formação moral são capazes de vender a própria mãe para se darem bem. Não estou com isso tentando justificar o injustificável erro desses policiais. Eles, aliás, nem merecem ser tratados como tais, por desapontarem seus colegas, negarem os fundamentos do serviço público, onde como na Roma antiga, “à mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”.

Assim como temos o lado bom e o lado ruim, a luz e a sombra; o dia e a noite, vivemos em meio a essa dualidade do bem e do mal. Num tem gente que, num instante, é capaz de tomar atitudes angélicas e noutras de vivenciar atos infernais? É a nossa fragilidade humana, que só é curada através de vivências em busca de aperfeiçoamento. Só o exercício diário do bem, é capaz de alterar o lado sombra que ainda nos domina.

leia tudo sobre

Publicidade

Da mulher de César e a honestidade no serviço público

Por Nonato Albuquerque em DENÚNCIA

08 de novembro de 2017

Não existe perfeição na Terra. Por isso, não surpreende a ninguém o fato de alguém cometer um ato equivocado, como o desses quatro policiais cearenses que estão envolvidos em ações criminosas. A acusação é de que eles negociavam a soltura de traficantes. Fosse com qualquer um, já seria lamentável. Pior é quando se trata de servidores públicos, voltados para o combate ao crime.

A alma humana é corruptível. Embora seja clichê, mas funciona a afirmativa de que todo homem tem seu preço e aqueles indivíduos que não tem uma boa formação moral são capazes de vender a própria mãe para se darem bem. Não estou com isso tentando justificar o injustificável erro desses policiais. Eles, aliás, nem merecem ser tratados como tais, por desapontarem seus colegas, negarem os fundamentos do serviço público, onde como na Roma antiga, “à mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta”.

Assim como temos o lado bom e o lado ruim, a luz e a sombra; o dia e a noite, vivemos em meio a essa dualidade do bem e do mal. Num tem gente que, num instante, é capaz de tomar atitudes angélicas e noutras de vivenciar atos infernais? É a nossa fragilidade humana, que só é curada através de vivências em busca de aperfeiçoamento. Só o exercício diário do bem, é capaz de alterar o lado sombra que ainda nos domina.