agosto 2017 - Página 2 de 2 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

agosto 2017

Bandido não pode tomar lugar de Polícia

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

02 de agosto de 2017

A descoberta de que policiais da PM cearense coordenavam uma organização criminosa, sequestrando e extorquindo traficantes, em busca de recompensa financeira, é algo deprimente e que envergonha, provavelmente, a parte boa e séria da polícia. Todos sabemos dos investimentos feitos pelo Governo para dotar o Estado de um aparelho policial à altura de suas necessidades. E o empenho dele no quadro funcional foi sempre uma constante. Ao ampliar o acesso de jovens à essa carreira, o Ceará abre chances de trabalho para muita gente, abrigando-a sob o teto de uma corporação centenária e que, ao longo do tempo, tem projetado figuras de renome servindo à cidadania.

Evidente que, a exemplo de toda instituição que depende do material humano, convive-se com a possibilidade de maus exemplos – afinal, a imperfeição humana é traço comum a todos os que jornadeiam experiência de vida na Terra. Ninguém é perfeito. Já diz o ditado que “a mulher de César não basta ser honesta; tem de parecer honesta”. Então, como querer que um policial corrupto cobre de quem erra uma postura correta, se age de forma criminosa unindo-se ao que há de pior na criminalidade?

Enquanto se tem tantos exemplos de dedicação entre os que integram os grupos de policiais, infelizmente convive-se com a má índole e a inferioridade que ainda se interpõem no caminho da elevação moral humana. Pois esse comportamento distorcido da filosofia aplicada pela Polícia, acaba por revelar aqueles que, ao invés de servirem, sintonizam-se com as forças do mal e passam a integrar a banda podre de qualquer órgão.

Descoberto o conluio desses sargentos com traficantes, necessário é que se puna; principalmente, afastando-os da corporação a fim de preservar o lado bom, que felizmente ainda é maioria na Polícia cearense. E que a detenção deles sirva de exemplo aos que tentam vestir a farda da Polícia para com isso tirar proveito para suas maquinações do mal. Não tem como ser conivente.

leia tudo sobre

Publicidade

Bandido não pode tomar lugar de Polícia

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

02 de agosto de 2017

A descoberta de que policiais da PM cearense coordenavam uma organização criminosa, sequestrando e extorquindo traficantes, em busca de recompensa financeira, é algo deprimente e que envergonha, provavelmente, a parte boa e séria da polícia. Todos sabemos dos investimentos feitos pelo Governo para dotar o Estado de um aparelho policial à altura de suas necessidades. E o empenho dele no quadro funcional foi sempre uma constante. Ao ampliar o acesso de jovens à essa carreira, o Ceará abre chances de trabalho para muita gente, abrigando-a sob o teto de uma corporação centenária e que, ao longo do tempo, tem projetado figuras de renome servindo à cidadania.

Evidente que, a exemplo de toda instituição que depende do material humano, convive-se com a possibilidade de maus exemplos – afinal, a imperfeição humana é traço comum a todos os que jornadeiam experiência de vida na Terra. Ninguém é perfeito. Já diz o ditado que “a mulher de César não basta ser honesta; tem de parecer honesta”. Então, como querer que um policial corrupto cobre de quem erra uma postura correta, se age de forma criminosa unindo-se ao que há de pior na criminalidade?

Enquanto se tem tantos exemplos de dedicação entre os que integram os grupos de policiais, infelizmente convive-se com a má índole e a inferioridade que ainda se interpõem no caminho da elevação moral humana. Pois esse comportamento distorcido da filosofia aplicada pela Polícia, acaba por revelar aqueles que, ao invés de servirem, sintonizam-se com as forças do mal e passam a integrar a banda podre de qualquer órgão.

Descoberto o conluio desses sargentos com traficantes, necessário é que se puna; principalmente, afastando-os da corporação a fim de preservar o lado bom, que felizmente ainda é maioria na Polícia cearense. E que a detenção deles sirva de exemplo aos que tentam vestir a farda da Polícia para com isso tirar proveito para suas maquinações do mal. Não tem como ser conivente.