24 de agosto de 2017 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

24 de agosto de 2017

Quem poderá nos salvar? Não vale Chapolin Colorado.

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO, SEGURANÇA

24 de agosto de 2017

Que a situação de insegurança em Fortaleza preocupa, a gente já está cansado de saber. Que apesar dos esforços do governo, não temos conseguido freiar a escalada da violência, é uma realidade. Que as execuções de jovens são indícios da situação de descaso da família, isso também é verdade. Mas o episódio ocorrido, ontem, no coração da Universidade Federal do Ceará, revela a que ponto chegamos em termos de insegurança.

Nesta quarta-feira, por volta das 11h, alunos e professores do curso de Odontologia da UFC realizavam aula de campo em uma horta comunitária nas dependências do Centro de Desenvolvimento da Família, que fica no campus do Pici, quando um jovem entrou na unidade, perseguido por vários homens armados com pedaços de madeira e ferro. Ameaçavam linchá-lo. Professores tentaram impedir e foram ameaçados também. Depois de muita discussão, evitou-se o pior; mas fica no ar a certeza de que a violência avança por espaços vitais, como os dedicados a formação profissional da universidade. Ao tomar conhecimento do caso, o reitor Henry Campos mandou fechar o centro até que se tenha condições de funcionar.

Na verdade, é lamentável o estágio a que a violência chegou. Estamos desnorteados com tudo isso. Quem poderá nos salvar, seria a deixa para o Chapolin Colorado. No nosso caso, porém, precisamos de heróis de carne e osso e não heróis de ficção.

leia tudo sobre

Publicidade

Quem poderá nos salvar? Não vale Chapolin Colorado.

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO, SEGURANÇA

24 de agosto de 2017

Que a situação de insegurança em Fortaleza preocupa, a gente já está cansado de saber. Que apesar dos esforços do governo, não temos conseguido freiar a escalada da violência, é uma realidade. Que as execuções de jovens são indícios da situação de descaso da família, isso também é verdade. Mas o episódio ocorrido, ontem, no coração da Universidade Federal do Ceará, revela a que ponto chegamos em termos de insegurança.

Nesta quarta-feira, por volta das 11h, alunos e professores do curso de Odontologia da UFC realizavam aula de campo em uma horta comunitária nas dependências do Centro de Desenvolvimento da Família, que fica no campus do Pici, quando um jovem entrou na unidade, perseguido por vários homens armados com pedaços de madeira e ferro. Ameaçavam linchá-lo. Professores tentaram impedir e foram ameaçados também. Depois de muita discussão, evitou-se o pior; mas fica no ar a certeza de que a violência avança por espaços vitais, como os dedicados a formação profissional da universidade. Ao tomar conhecimento do caso, o reitor Henry Campos mandou fechar o centro até que se tenha condições de funcionar.

Na verdade, é lamentável o estágio a que a violência chegou. Estamos desnorteados com tudo isso. Quem poderá nos salvar, seria a deixa para o Chapolin Colorado. No nosso caso, porém, precisamos de heróis de carne e osso e não heróis de ficção.