27 de julho de 2017 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

27 de julho de 2017

A ociosidade que produz armadilhas

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

27 de julho de 2017

Mente vazia é mesmo uma oficina do capeta. O bordão é das antigas, mas o prazo de validade está bem atual. Vide a ação de presos lá de Maracanaú. Eles simplesmente bolaram um esquema de fuga, se fosse colocado em execução, poderia acarretar resultados perigosos para quem atua na área de segurança.

Os presos pegaram fios elétricos, ligaram numa tomada no interior da prisão e através dessa gambiarra fizeram uma ligação com a grade da cela, construíndo uma espécie de cerca elétrica – eletrificaram as grades da cadeia -, para evitar que os guardas pudessem prejudicar o trabalho de outros presos que escavavam um buraco. Se algum carcereiro tentasse se aproximar das grades, certamente, seria eletrocutado. Por sorte, um policial descobriu a armadilha a tempo de evitar uma tragédia desse tipo.

Isso tudo só vem confirmar que a ociosidade dos presos nessas casas de recolhimento, seja em delegacias distritais ou grandes penitenciárias, só estimula a cabeça de gente a fazer planos de fuga e a pensar em coisas que em nada ajudam a recuperação deles.

Enquanto cadeia servir apenas como depósito humano, sem um projeto que leve os internos a ocuparem o tempo com estudo e trabalho. nós iremos conviver sempre com essas iniciativas que depõem contra um sistema penitenciário totalmente falido e inconsequente. Até quando as autoridades vão tratar questões desse tipo com o descaso que tem provocado a falência do sistema penitenciário? Respostas para a autoridade que estiver de plantão no governo.

leia tudo sobre

Publicidade

A ociosidade que produz armadilhas

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

27 de julho de 2017

Mente vazia é mesmo uma oficina do capeta. O bordão é das antigas, mas o prazo de validade está bem atual. Vide a ação de presos lá de Maracanaú. Eles simplesmente bolaram um esquema de fuga, se fosse colocado em execução, poderia acarretar resultados perigosos para quem atua na área de segurança.

Os presos pegaram fios elétricos, ligaram numa tomada no interior da prisão e através dessa gambiarra fizeram uma ligação com a grade da cela, construíndo uma espécie de cerca elétrica – eletrificaram as grades da cadeia -, para evitar que os guardas pudessem prejudicar o trabalho de outros presos que escavavam um buraco. Se algum carcereiro tentasse se aproximar das grades, certamente, seria eletrocutado. Por sorte, um policial descobriu a armadilha a tempo de evitar uma tragédia desse tipo.

Isso tudo só vem confirmar que a ociosidade dos presos nessas casas de recolhimento, seja em delegacias distritais ou grandes penitenciárias, só estimula a cabeça de gente a fazer planos de fuga e a pensar em coisas que em nada ajudam a recuperação deles.

Enquanto cadeia servir apenas como depósito humano, sem um projeto que leve os internos a ocuparem o tempo com estudo e trabalho. nós iremos conviver sempre com essas iniciativas que depõem contra um sistema penitenciário totalmente falido e inconsequente. Até quando as autoridades vão tratar questões desse tipo com o descaso que tem provocado a falência do sistema penitenciário? Respostas para a autoridade que estiver de plantão no governo.