11 de julho de 2017 - MOUSE OU MENOS 
Publicidade

MOUSE OU MENOS

por Nonato Albuquerque

11 de julho de 2017

Uma luta incansável, essa de combate às drogas

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

11 de julho de 2017

A luta contra as drogas é algo que exige esforço e continuidade. Por isso, necessita ser constante. É preciso tanto o empenho das autoridades que combatem o tráfico quanto o apoio da população.

A miséria associada a esse tipo de vício tem se revelado diariamente nas manchetes. Nos adolescentes que se vêem envolvidos na teia criminosa dos agentes do tráfico; no balanço policial dos mortos dessa guerra não declarada. Por isso, a apreensão de drogas em uma sorveteria já demonstra o quanto o tráfico se esforça para ganhar clientes, sem nenhum tipo de respeito ao universo que ele atrai: sempre jovens. Pessoas sem a devida formação de caráter e que, facilmente, entram para esse mundo por mera curiosidade ou desinformação.

Assim como existem grupos de trabalho contra o alcoolismo e as doenças nervosas, é preciso oportunizar o surgimento de mais voluntários em defesa do esclarecimento do que as drogas ilícitas causam. A partir do exemplo de ex-adictos, revelando suas experiências desagradáveis e o infortúnio que vivenciou junto à família e a sociedade, será possível reverter um drama social que, atualmente, responde pelo maior número de mortes numa capital como Fortaleza. Todos contra as drogas deve ser a convocação.

leia tudo sobre

Publicidade

Uma luta incansável, essa de combate às drogas

Por Nonato Albuquerque em ARTIGO

11 de julho de 2017

A luta contra as drogas é algo que exige esforço e continuidade. Por isso, necessita ser constante. É preciso tanto o empenho das autoridades que combatem o tráfico quanto o apoio da população.

A miséria associada a esse tipo de vício tem se revelado diariamente nas manchetes. Nos adolescentes que se vêem envolvidos na teia criminosa dos agentes do tráfico; no balanço policial dos mortos dessa guerra não declarada. Por isso, a apreensão de drogas em uma sorveteria já demonstra o quanto o tráfico se esforça para ganhar clientes, sem nenhum tipo de respeito ao universo que ele atrai: sempre jovens. Pessoas sem a devida formação de caráter e que, facilmente, entram para esse mundo por mera curiosidade ou desinformação.

Assim como existem grupos de trabalho contra o alcoolismo e as doenças nervosas, é preciso oportunizar o surgimento de mais voluntários em defesa do esclarecimento do que as drogas ilícitas causam. A partir do exemplo de ex-adictos, revelando suas experiências desagradáveis e o infortúnio que vivenciou junto à família e a sociedade, será possível reverter um drama social que, atualmente, responde pelo maior número de mortes numa capital como Fortaleza. Todos contra as drogas deve ser a convocação.