Publicidade

Le Chef Coxinha

por Ariane Cajazeiras

sanduíche

Testamos o cardápio novo do Havanna Café

Por Ariane Cajazeiras em Café, Experiências Gastronômicas

17 de agosto de 2018

Não é a primeira vez que somos convidados a experimentar novidades no Café Havanna Fortaleza. Uma coisa legal que enxergo na gestão da franquia é essa vontade de sempre trazer algo novo e o entusiasmo pela marca Havanna. Fomos mais uma vez ao restaurante do Riomar Fortaleza, acompanhar as mudanças do cardápio e, claro, provar algumas das  novidades. Devo dizer que tem muita coisa nova, incluindo também mudanças nos tamanhos das bebidas, que agora também estão disponíveis em versões menores.

Os clássicos alfajores, cafés e empanadas permanecem no cardápio, é claro, mas agora há um toque inclusive de regionalização, com tapiocas e até carne seca (não é carne de sol ainda, mas quem sabe, né?) e queijo coalho. Outra coisa que quero provar são as medialunas, uma espécie de croissant argentino, que vem no cardápio em sabores doces ou salgados. As novidades já chegaram em todas as lojas do Brasil.

Tapiocas:

Não provamos as tapiocas, mas não é difícil saber que a tapioca já é paixão nacional e aqui no Ceará é meio que indispensável em uma cafeteria! Assim como o pão na chapa, outro item básico, as novidades já estão nos cardápios para os cearenses-raiz. Os recheios vão da manteiga ao doce de leite Havanna.

Sanduíches:

Vou apresentar os que eu provei!

Nordestino (R$21,90): Pão italiano, carne seca, queijo coalho, tomates assados e cebola com ervas. O sabor é bem suave, nada de sal demais. O pão vem crocante e quentinho no topo, embora um pouco molinho na base. Os sanduíches vêm prontos do fornecedor da marca e são assados em forno especial.

Nordestino (Foto: Ariane Cajazeiras)

Puerto Madero (R$21,90): Pão de mandioquinha, frango com ervas, queijo prato, creme de mostarda dijon e tomate assado com ervas. Eu adoro mostarda e achei que o sabor dela se perde. Alô, Havanna, carrega mais nessa mostarda, faz favor! Apesar disso, o sanduíche é saboroso.

Puerto Madero (Foto: Ariane Cajazeiras)

Recoleta (R$21,90): Com selinho vegetariano, essa sanduíche não leva carne (claro hahaha). Pão rústico, cream cheese com molho pesto e tomate assado com ervas. Eu acho fundamental ter um cardápio inclusivo.

Recoleta (Foto: Ariane Cajazeiras)

Bebidas:

Achei ótimo a novidade de muitas das bebidas doces agora virem em dois tamanhos: 200 e 380 ml. Dá para comer sanduíche, bebida e sobremesa de boa agora. Tem Havanna Shake (leite expresso, doce de leite e cappuccino – R$11 ou R$19) e o delicioso Frappé de Avelã (creme de avelã, sorvete de creme, espresso e leite – R$11 ou R$19). Permanecem as bebidas clássicas, como o Capuccino Havanna, com borda de doce de leite. Uma novidade legal é que entre as bebidas, agora existem sucos naturais e chás gelados.

Dividindo o mini Frappé com as amigas (Foto: Daniel Herculano)

Tortas:

Pra finalizar, experimentamos os bolos e tortas. Confesso que amo doces, mas sempre que vou na Havanna, acabo comendo o crepe com doce de leite, que é meu preferido. Masquem vai com aquele fome de doce, pode optar pela torta La Chocolina (R$ 12,90), com camadas de biscoito de chocolate e doce de leite, atende as formigas de plantão. A campeã de pedidos é a Torta Havanna (R$ 17,50), que ganhou agora uma versão com creme de chocolate,
intercalando camadas de massa folheada e cobertura de marshmallow de chocolate. Menos doce que a tradicional, vale experimentar!

Camadaaaas <3 (Foto: Ariane Cajazeiras)

Formigas curtiram isso <3 (Foto: Ariane Cajazeiras)

E aí? Hora de dar uma passadinha na Argentina do Café Havanna? As lojas estão no shopping Iguatemi e Riomar Fortaleza.

 

Publicidade

Metais, fast food, internet e outras intolerâncias

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas Fail

03 de Abril de 2017

Oi, eu sou Ariane e achei um metal estranho dentro do meu sanduíche do Mc Donald’s no último dia 28 de março de 2017. Aconteceu assim: semana passada, depois de um péssimo dia, comprei um combo Original Mex da loja que fica no shopping Riomar Kennedy, a mais nova de Fortaleza, inclusive. O sanduíche é o mais novo lançado pela linha Signature, aquela linha de sanduíches vendida como mais “gourmet”, com ingredientes selecionados. A linha é uma das mais caras do restaurante: o combo simples com batata média e refrigerante médio custa R$29,90.

Original Mex (Foto: Ariane Cajazeiras)

A sequência de ações foi mais ou menos essa: comprei por volta das 20h30, 21h, levei para comer em casa, cheguei, abri, provei, gostei, mas achei pouca guacamole, minha irmã Alana duvidou da existência do ingrediente, abri para mostrar a guacamole, avistei um ponto prateado no meio do molho, puxei o ponto e era um pedaço metálico de cerca de 5 cm. No. Meio. Do. Molho. Com dentinhos perfurantes. Pelo design da peça parece alguma parte da máquina de colocar molho, mas não sei porque não conheço as máquinas. Levei um susto. Fotografei. Joguei o lanche no lixo. Postei a foto no Facebook e no Instagram, como qualquer pessoa indignada dos anos 2017 faria.

A pecinha ainda suja de molho (Foto: Alana Cajazeiras)

Aqui dá para ver o tamanho da peça (Foto: Alana Cajazeiras)

O plano era pegar a peça, levar junto com as fotos tiradas no celular, falar com a gerente da loja do Riomar (loja esta que eu conhecia, já havia comprado lá diversas vezes e não tinha do que reclamar), dessa vez reclamar de fato, pedir o dinheiro de volta, alertar para a falta de cuidado. Fim. Mas eu sou jornalista, tenho muitos jornalistas nos meus contatos do facebook. Então a Lyvia Rocha, desse mesmo portal do blog, o Tribuna do Ceará, pediu algumas informações e postou na manhã seguinte ao achado, uma reportagem que teve muitos likes e compartilhamentos. A partir daí uma moça do jornal O Globo (do RJ) me mandou inbox e pediu entrevista e acabou postando lá também (com um texto beeeeeem igualzinho ao da Lyvia) e mais tarde o pessoal do O Povo também me ligou e postou no portal deles. Enfim, foi pras redes de uma maneira mais ampla.

A pecinha depois de lavada (Foto: Ariane Cajazeiras)

A assessoria de imprensa do Mc Donald’s no Ceará ligou para o meu trabalho na manhã seguinte ao ocorrido, antes mesmo das reportagens serem publicadas, pediu desculpas, pediu meu número celular pessoal. De tarde, recebi a ligação amistosa do franqueado local do McDonald’s, Adolfo Bichucher Neto. Ele pediu desculpas, reconheceu o absurdo, explicou que a loja tinha controle de qualidade, pediu para eu visitar a cozinha da loja do Riomar com ele nas próximas semanas, perguntou se podia mandar naquele dia mesmo um novo combo para minha casa. E pediu a peça que eu achei para que eles entendessem que peça era e de onde ela tinha saído. Disse que estavam fazendo uma pesquisa minuciosa para saber o que tinha acontecido. A gerente veio aqui em casa, deixou o lanche, pediu desculpas mais uma vez, colocou-se à minha disposição e foi embora. Pronto, agora vocês já sabem todos os mínimos detalhes.

Já iria escrever no blog sobre o tema, mas fiquei mais estimulada após aprender que NUNCA, EM HIPÓTESE ALGUMA, devo gastar meu tempo lendo os comentários dos haters na internet. Porque o que teve de gente dizendo que: eu queria era ganhar dinheiro, eu queria aparecer (?), eu teria implantado a peça lá dentro… enfim. Bem: 1) eu não tenho uma coleção de pecinhas metálicas estranhas lá em casa, então ela apareceu lá mesmo. 2) Eu adoro comer, não desperdiçaria um lanche de R$29,90 colocando qualquer porcaria dentro. 3) Eu não processei e nem vou processar pela simples razão de que não quero ter estresse, ou seja, simples comodismo. Eu consideraria processar em duas situações: se dentro do sanduíche tivesse um inseto ou alguma nojeira ou se eu tivesse me machucado com a peça.  3) Para os amigos que sugeriram pedir um ano de MC Donald’s grátis, não tenho cara de pedir nada de graça pra ninguém, mas valeu a sugestão.

Para finalizar, o Mc Donald’s ainda não me ligou esclarecendo o porquê de a peça estar naquela terça-feira no meu sanduíche caro de guacamole. Ainda estou aguardando o resultado da análise minuciosa que me foi prometida. E sobre o sanduíche? Muito bom, obrigada. Peça com pimenta, use o limão. Só uma consideração: gostaria de sentir mais o gosto da guacamole. E, por favor, sem nada metálico para atrapalhar a hora sagrada do meu jantar.

 

Publicidade

De food truck a restaurante: testamos o novo Hey Joe Food’N’Bar

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas

12 de Março de 2017

Sanduíches artesanais, comida vegetariana, petiscos, sucos, bebidas, arte, música… tudo isso em um só lugar. Essa é a proposta que a gente captou no novo espaço do Hey Joe Food’N’Bar. O restaurante já era conhecido nas feirinhas de food trucks  da cidade e há um mês ampliou cardápio e se fixou em um local que aos poucos ganha novos ares, a conhecida Vila Pita, na Aldeota.  O local já teve vida noturna agitada e vem se destacando novamente com a abertura de bares e restaurantes.

Fachada do Hey Joe, na rua Norvinda Pires (Foto: Ariane Cajazeiras)

A gente bateu um papo com o Fabiano Pedon, sócio-proprietário que assina os pratos da casa, e ele nos disse que a proposta continuava a mesma: apostar na “comida de verdade”, aquela feita com ingredientes frescos, feita a mão, com pouco ou nada de industrial.  O menu está bem amplo e criativo. Tem opções tradicionais e vegetarianas que vão de petiscos a entradas. Você pode levar uma turma variada que vai ter comida tanto para quem gosta de bacon e fritura, por exemplo, quanto para quem prefere comidas mais leves ou para vegetarianos e intolerantes a glúten ou lactose. É tudo muito plural!

Batata Rústica Nordestina, com queijo artesanal e bacon fritinho (Foto: Ariane Cajazeiras)

Falafel (bolinho de grão de bico) com vinagrete picante (Foto: Divulgação)

 

Petiscos variados

Os petiscos para dar aquela beliscada enquanto se espera o prato principal, incluem essas batatas rústicas com molho de queijo, iscas de frango, salsichas artesanais e filé, lasanha de berinjela, bruschettas, entre outros. O nosso destaque vai para o maravilhoso Ceviche Tropical com peixe branco e tempero especial (e olha que nem curto muito ceviche) com peixe branco, cebola roxa, manga, pimentão vermelho e limão… É uma delícia e a apresentação lindona, pena que não deu tempo fotografar.

Por falar em apresentação, os copinhos de tapioca vem numa apresentação diferente, pendurados em copinhos numa estrutura metálica. Eles podem vir recheados de palmito ou ragu de cordeiro. Provei os dois, mas prefiro sempre ragu :).  O recheio também inclui cream cheese e crispy de couve manteiga. Vale bem a pena, o tempero é leve e gostoso! Foge da mesmice dos famosos dadinhos de tapioca. As coxinhas podem ser de frango, palmito ou cordeiro. São crocantes, vem em duas unidades (tamanho médio) e tem um toque de gergelim na casquinha. As entradas variam entre 20 e 45 reais.

Copinhos de tapioca (foto: Divulgação)

Copinho de tapioca (foto: Ariane Cajazeiras)

Coxinha de Cordeiro (Foto: Ariane Cajazeiras)

Uma coisa interessante do cardápio é que cada prato vem com uma legenda que informa se aquele prato pode vir assado ao invés de frito, se é light, vegetariano, sem lactose ou sem glúten. Bacana, né?

Bebidas

Tem uma lista grande de drinks alcoólicos, cervejas, sucos e sodas italianas. Eu, que não bebeo nada com álcool, indico a soda italiana de maçã verde e a pink lemonade, como limão siciliano, limão tahiti e amora. Muito refrescante!

Pink lemonade (Foto: Ariane Cajazeiras)

Sanduíches

Além dos famosos hambúrgueres lights já conhecidos no food truck ( tem burger de frango, burger de salmão, burger vegetariano e ainda sanduba de camarão), o Hey Joe Food’N’Bar também apresenta os sanduíches tradicionais em sua versão artesanal, como o Cheeseburger clássico, filé mignon suíno e o Joe Burger, com cheddar, bacon e molho da casa. Os pães são artesanais e cada sanduíche tem sua versão, com australiano, baguete ou artesanal da casa, por exemplo.

Cheddar, bacon e carne pra quem quer aquele clássico (Foto: Divulgação)

Burger de quinoa, soja e temperos frescos, o veggie burger (Foto: Divulgação)

Espaço e arte

O espaço também está bem interessante. No térreo é fechado, com ar-condicionado e exposição de quadros. Subindo as escadas o local é bem aberto e informal, com sofás de pallets, mesas de carretel e intervenções artísticas lindas o artista plástico Narcélio Grud. Vale a visita!

(Foto: Ariane Cajazeiras)

Alana, eu e a intervenção do Narcélio Grud (Foto: selfie hahaha)

Térreo (Foto: Ariane Cajazeiras)

Hey Joe Food’N’Bar
Endereço: Rua Norvinda Pires, 32 – Aldeota
Horário de Funcionamento: terça a quinta e domingos: entre 18h e 23h/ sexta e sábado: entre 18h e meia noite.

Publicidade

De food truck a restaurante: testamos o novo Hey Joe Food’N’Bar

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas

12 de Março de 2017

Sanduíches artesanais, comida vegetariana, petiscos, sucos, bebidas, arte, música… tudo isso em um só lugar. Essa é a proposta que a gente captou no novo espaço do Hey Joe Food’N’Bar. O restaurante já era conhecido nas feirinhas de food trucks  da cidade e há um mês ampliou cardápio e se fixou em um local que aos poucos ganha novos ares, a conhecida Vila Pita, na Aldeota.  O local já teve vida noturna agitada e vem se destacando novamente com a abertura de bares e restaurantes.

Fachada do Hey Joe, na rua Norvinda Pires (Foto: Ariane Cajazeiras)

A gente bateu um papo com o Fabiano Pedon, sócio-proprietário que assina os pratos da casa, e ele nos disse que a proposta continuava a mesma: apostar na “comida de verdade”, aquela feita com ingredientes frescos, feita a mão, com pouco ou nada de industrial.  O menu está bem amplo e criativo. Tem opções tradicionais e vegetarianas que vão de petiscos a entradas. Você pode levar uma turma variada que vai ter comida tanto para quem gosta de bacon e fritura, por exemplo, quanto para quem prefere comidas mais leves ou para vegetarianos e intolerantes a glúten ou lactose. É tudo muito plural!

Batata Rústica Nordestina, com queijo artesanal e bacon fritinho (Foto: Ariane Cajazeiras)

Falafel (bolinho de grão de bico) com vinagrete picante (Foto: Divulgação)

 

Petiscos variados

Os petiscos para dar aquela beliscada enquanto se espera o prato principal, incluem essas batatas rústicas com molho de queijo, iscas de frango, salsichas artesanais e filé, lasanha de berinjela, bruschettas, entre outros. O nosso destaque vai para o maravilhoso Ceviche Tropical com peixe branco e tempero especial (e olha que nem curto muito ceviche) com peixe branco, cebola roxa, manga, pimentão vermelho e limão… É uma delícia e a apresentação lindona, pena que não deu tempo fotografar.

Por falar em apresentação, os copinhos de tapioca vem numa apresentação diferente, pendurados em copinhos numa estrutura metálica. Eles podem vir recheados de palmito ou ragu de cordeiro. Provei os dois, mas prefiro sempre ragu :).  O recheio também inclui cream cheese e crispy de couve manteiga. Vale bem a pena, o tempero é leve e gostoso! Foge da mesmice dos famosos dadinhos de tapioca. As coxinhas podem ser de frango, palmito ou cordeiro. São crocantes, vem em duas unidades (tamanho médio) e tem um toque de gergelim na casquinha. As entradas variam entre 20 e 45 reais.

Copinhos de tapioca (foto: Divulgação)

Copinho de tapioca (foto: Ariane Cajazeiras)

Coxinha de Cordeiro (Foto: Ariane Cajazeiras)

Uma coisa interessante do cardápio é que cada prato vem com uma legenda que informa se aquele prato pode vir assado ao invés de frito, se é light, vegetariano, sem lactose ou sem glúten. Bacana, né?

Bebidas

Tem uma lista grande de drinks alcoólicos, cervejas, sucos e sodas italianas. Eu, que não bebeo nada com álcool, indico a soda italiana de maçã verde e a pink lemonade, como limão siciliano, limão tahiti e amora. Muito refrescante!

Pink lemonade (Foto: Ariane Cajazeiras)

Sanduíches

Além dos famosos hambúrgueres lights já conhecidos no food truck ( tem burger de frango, burger de salmão, burger vegetariano e ainda sanduba de camarão), o Hey Joe Food’N’Bar também apresenta os sanduíches tradicionais em sua versão artesanal, como o Cheeseburger clássico, filé mignon suíno e o Joe Burger, com cheddar, bacon e molho da casa. Os pães são artesanais e cada sanduíche tem sua versão, com australiano, baguete ou artesanal da casa, por exemplo.

Cheddar, bacon e carne pra quem quer aquele clássico (Foto: Divulgação)

Burger de quinoa, soja e temperos frescos, o veggie burger (Foto: Divulgação)

Espaço e arte

O espaço também está bem interessante. No térreo é fechado, com ar-condicionado e exposição de quadros. Subindo as escadas o local é bem aberto e informal, com sofás de pallets, mesas de carretel e intervenções artísticas lindas o artista plástico Narcélio Grud. Vale a visita!

(Foto: Ariane Cajazeiras)

Alana, eu e a intervenção do Narcélio Grud (Foto: selfie hahaha)

Térreo (Foto: Ariane Cajazeiras)

Hey Joe Food’N’Bar
Endereço: Rua Norvinda Pires, 32 – Aldeota
Horário de Funcionamento: terça a quinta e domingos: entre 18h e 23h/ sexta e sábado: entre 18h e meia noite.