Publicidade

Le Chef Coxinha

por Ariane Cajazeiras

restaurante

Restaurante Madero chega a Fortaleza

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas, Hamburguer

13 de setembro de 2018

O restaurante paranaense é famoso pelo cheeseburger, que pode chegar a 59 reais! Será que vale a pena? 

Começa a funcionar nesta quinta-feira um restaurante aguardadíssimo por muitos cearenses. Até porque nós AMAMOS novidade, né? Quando abre qualquer coisa nova, haja fila e disposição porque todo mundo quer conhecer, é o nosso jeitinho hahaha! Para você que nunca ouviu falar do Madero, o restaurante foi fundado em 2005, pelo chef Junior Durski. O primeiro Madero Prime Steak House funciona ainda no centro histórico de Curitiba. Mas hoje, o restaurante já está presente em 15 estados, incluindo o Ceará, cuja loja abre as portas a partir das 18h deste dia 13 de setembro.

No Nordeste são duas unidades em Salvador, duas em Recife, essa de Fortaleza e em breve em Aracaju, Sergipe. O Madero trabalha com dois modelos de negócio: steak house (como no Riomar Fortaleza) e container, que tem um cardápio mais reduzido. Aqui teremos o cardápio completo que é oferecido em todo o Brasil. A nova loja tem 549 metros e capacidade para comportar até 166 clientes.

E qual é, afinal, o diferencial do produto do Madero?

Algumas pessoas já me disseram ter sido o melhor hambúrguer que já provaram. Os cheeseburgers da casa, que tem um cardápio de saladas, sanduíches fit, entradas, carta de vinhos, bebidas alcoólicas e não alcoólicas, são realmente o carro-chefe, aqueles que dão nome ao restaurante.

Segundo o restaurante, o diferencial está no “pão crocante assado na hora, alface e tomate frescos, cebola assada, queijo cheddar, maionese artesanal, carne pura e grelhada em fogo forte e batatas fritas crocantes por fora e macias por dentro“. Todos os ingredientes são artesanais e a maior parte do que é servido nos restaurantes da rede vem da Fábrica Central em Ponta Grossa (cidade próxima de Curitiba), que tem capacidade para produzir 2 milhões de hambúrgueres por mês.

O Madero já teve até a pretensão de se autointitular “o melhor hambúrguer do mundo”, mas mudou o slogan para “o hamburger do Madero faz o mundo melhor”. Eu estive em um pré-lançamento a convite do restaurante, no último dia 11 de setembro, e experimentei alguns dos produtos do cardápio. Devo dizer que gostei bastante do que comi, mas tenho algumas considerações  a fazer.

A experiência valeu a pena?

A comida estava muito boa, realmente. Pedi como entrada o Schnitzel (R$26), uma carne de porco que se come muito na Alemanha, bem fininha e empanada. Deliciosa, quentinha, crocante, com toque de limão. A porção serve 2 pessoas.

Schnitzel (Foto: Ariane Cajazeiras)

O meu sanduíche foi o Madero Bacon (R$44): Pão crocante, 180 gramas de carne com um tempero delicioso, fatias de bacon crocante e cheddar especial.  Gosto de frisar o cheddar porque é um queijo super caro e a maior parte das hamburguerias da cidade usa creme de cheddar, queijo processado (muitas vezes bem ruinzinho). No Madero o cheddar é do bom (mas também reforço que o preço é alto, então eles têm o dever mesmo de entregar o melhor produto).

Madero Bacon (Foto: Ariane Cajazeiras)

O hambúrguer é realmente muito bom, suculento, não inunda o pão de água, tempero no ponto certo. Mas foi o melhor que já provei? Acho que não. Preciso repetir pra avaliar, mas não guardei esse sabor tão marcante que algumas pessoas me disseram. Vale a pena provar? Na minha opinião, sim. É importante dizer que a casa tem outros tipos de sanduíche, mas especificamente os cheeseburgers não têm muita variação de ingredientes: o pão é sempre o mesmo (tipo carioquinha, mas artesanal) e varia só o tamanho (número de carnes e fatias de bacon).

O cardápio também tem costelinha, carnes, sanduíches vegetarianos, veganos, saladas e outros sanduíches quentes. Provei o Choripán (R$36), que é na verdade um sanduíche típico argentino, com linguiça artesanal enroladinha, com sabor pronunciado, mas não apimentado, vinagrete e maionese espacial. Gostoso.

A batata é canoa, realmente veio crocante por fora e macia por dentro. Acho que se paga um valor a mais pela batatinha, mas não lembro bem quanto é.

De sobremesa, tomei o sorvete de Vanilla (baunilha, né) com frutas Vermelhas. Não repetiria. Sorvete é bem simples, sabor não é marcante. Preferi a panelinha de brigadeiro de colher da minha vizinha de mesa. Porém a panelinha custa R$19, ou seja, prefiro fazer lá em casa porque sou boa nisso hahaha. Mas o brigadeiro estava realmente caseiro, quentinho e delicioso. Se você não conta moedas como eu, vale comprar.

Sorvete de Vanilla e calda de frutas Vermelhas (Foto: Ariane Cajazeiras)

No mais, a casa está linda, decoração rústica e elegante, funcionários são dedicados e pareciam felizes em estarem ali. Conversei, por exemplo, com o garçom Joel e ele veio de Itapipoca, foi treinado em São Paulo e está tendo a primeira oportunidade de emprego no restaurante. Achei isso bem interessante!

O que assusta? O valor, né? Os cheeseburgers têm um valor beeem acima do que estamos acostumados a ver por aqui. De 33 a 59 reais. Se quiser visitar, prepare-se para pagar mais que o comum para uma hamburgueria.

Quer visitar? A loja abre as portas nesta quinta a partir das 18h (o horário da inauguração é diferenciado). Quero voltar um dia comum para avaliar serviço, sabor e rapidez e finalmente conseguir responder à pergunta: O Madero vale mesmo o valor que se cobra?

Serviço

Madero Riomar
Endereço: Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500, Papicu. Piso L3, perto da Pizza Ht.
Horário de funcionamento:
De segunda a quinta, das 11h45min às 23 horas.
Sexta e sábado, das 11h45min à 0 hora.
Domingo e feriado, das 11h45min às 22h30min

Publicidade

Mercearia ou Restaurante? Um lugar de encontros

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas

14 de agosto de 2018

No finzinho de Julho o Le Chef Coxinha foi convidado a conhecer o 2707 Mercearia & Encontro, um espaço para comer e interagir no bairro Dionísio Torres. Quem nos representou por lá foi o chef Gui Branco, gastrônomo com especialização na UniFanor Wyden.

Gui Branco (Foto: Arquivo Pessoal)

E você confere as impressões dele por aqui:

“O 2707 e o seu proprietário, Bernardo Gadelha, são uma entidade só. A começar pelo nome do local, que é a data do aniversário do Bernardo (e da reinauguração que fui cobrir), mas não só nisso. Tudo tem a sua impressão digital.
O local por si só não é definido como restaurante, sequer leva esse nome no título, é uma mercearia e ponto de encontro. Esse lado do acolhimento é que faz a maior diferença do local.

Na noite do dia 27.07.2018, todos fomos recepcionados pessoalmente pelo Bernardo e por taças de vinho rosé Alta Vista, harmonizando com o primeiro prato: arroz de coco, farofa de castanha e camarão.

Arroz de Coco (Foto: Gui Branco)

Na sequência, fomos puxados pra dentro pela voz (e presença) maravilhosa da cantora Nara Hope. Mais algumas taças de vinho e veio o segundo prato, um medalhão suíno de cocção perfeita acompanhado de tubérculos grelhados e beterraba glaceada, seguido por um delicioso risoto de funghi com lascas de mignon.

Porco com tubérculos (Foto: Gui Branco)

Risoto de funghi (Foto: Gui Branco)

Coroando um menu que já estava fantástico, veio um filet de peixe com arroz de pimenta de cheiro sensacional e de sobremesa um cheesecake de chocolate e laranja, acompanhado de um discurso emocionado do Bernardo, fechando uma noite repleta de boa comida, musica e risadas.

Filé de Peixe (Foto: Gui Branco)

Todos os pratos servidos fazem parte do menu fixo da casa”.

O Le Chef Coxinha agradece a colaboração do Chef Gui Branco e já aproveitamos para deixar uma dica. Nesta quinta-feira, 16 de agosto, o 2707 oferece o III Jantar Harmonizado BÖRN, conduzido pelo beer sommelier Alexandre Teixeira. Serão quatro rótulos da cervejaria Heilige, premiados com medalhas de ouro, prata e bronze em campeonatos nacionais e internacionais.

2707 Mercearia & Encontro
Endereço: R. Nunes Valente, 3035 – Dionísio Torres, Fortaleza – CE
Telefone: (85) 3077-2707
Instagram: @2707merceariaeencontro

 

Publicidade

Comida da vovó repaginada: Varanda do Frei

Por Iury Costa em Eventos, Experiências Gastronômicas

29 de dezembro de 2017

Fortaleza vem dando um up excepcional na área gastronômica. E com isso, novos empreendimentos surgem diariamente. E pela quantidade de ofertas e constante competição por clientes, qualidade do serviço e da comida são essenciais. E o Varanda do Frei chega com os mesmos (bons) atributos que o seu irmão, o Quintal da Varjota. O restaurante inaugurou no dia 28/12, e conta com serviço de self-service na hora do almoço, e menu à la carte.

Situado no quadrilátero Aldeota/Varjota, o Varanda do Frei traz a ideia do Comfort Food, com valorização de insumos tradicionais, do artesanal, e pratos que incentivam a formação de laços afetivos. A comida da vovó repaginada! Tem frango, churrasco, peixes e até comida vegana. Além disso, o espaço conta com 600 lugares, distribuídos em diversos ambientes, entre eles, uma enorme e ventilada varanda.

O Blog Le Chef Coxinha foi convidado para provar alguns pratos antes da inauguração oficial. Os pratos são assinados pela chef Camila Moura, que já faz um bom trabalho a frente do Quintal da Varjota. Percebemos alguns problemas pontuais de atendimento, mas nada que um período de adaptação não resolva.

Provamos o bolinho de arroz com compota de cebola roxa (R$ 22), que estavam um pouco massudos, mas bem fritos e, de qualquer forma, saborosos. Sem falar do sabor da compota, excepcional; o bolinho de jerimum recheado com lombo suíno defumado (R$ 32), pão com ragu de rabada (R$ 21), caldinho brazuca, com feijoada, couve e bacon (R$ 12) e o arroz de porco (R$ 72). Todos bem servidos e gostosos.

Outro destaque do espaço é a atenção à confeitaria, com pratos desenvolvidos cuidadosamente para complementar a experiência “comfort food”. Provamos o mil folhas da vovó (R$ 20), com massa folhada, creme de doce de abóbora e sorvete de creme; e o blondie (R$22), que é um brownie branco com sorvete de frutas vermelhas.

Serviço
Rua Frei Mansueto, 1560, Aldeota – (85) 3017.8300

Funcionamento? das 11h às 23h

Instagram: @varandadorei_ 

Facebook: @varandadofreice

 

varandadofrei-10
1/6

varandadofrei-10

Foto: Nero Pimentel

varandadofrei-5
2/6

varandadofrei-5

Foto: Nero Pimentel

varandadofrei-1
3/6

varandadofrei-1

Foto: Nero Pimentel

IMG_20171227_231851060
4/6

IMG_20171227_231851060

Foto: Iury Costa

IMG_20171227_220655782
5/6

IMG_20171227_220655782

Foto: Iury Costa

IMG_20171227_210538386
6/6

IMG_20171227_210538386

Foto: Iury Costa

 

Publicidade

Eusébio tem Complexo com café, almoço e comidinhas

Por Ariane Cajazeiras em Sem categoria

05 de outubro de 2017

Fomos convidados a conhecer o Estação Ville 040, complexo que reúne restaurante, local de caminhadas, galpão para crossfit, quadras de tênis e futebol e em breve uma loja de açaí. O local escolhido é estratégico: na entrada do Eusébio, na própria CE-040, que dá nome ao empreendimento. Bom para quem mora na parte sul de Fortaleza e também pra quem migrou para a cidade da região metropolitana.

O local foi inaugurado em setembro e tem administração familiar. Ideia dos sócios, Rafael Sampaio, administrador e Cláudio Roberto, engenheiro, genro e sogro, respectivamente. Talvez por isso a família seja o foco do local.

Localizado, na Rua Carmelita Rebouças, 02, na entrada do Eusébio, o empreendimento é composto por espaço gastronômico, dividido entre café, petiscaria e restaurante, pista de cooper, quatro campos de futebol, espaço kids (playground com vários brinquedos), quadras de beach tênis, crosffit, espaços para eventos e açaí.  O local também funciona em horário bem flexível: todos os dias das 6h às 1h e aos domingos das 6h às 15h. Importante lembrar que os espaços de cooper são abertos para a comunidade em geral.

O nosso foco, claro, foi a alimentação. O chef responsável pelo menu diário de self-service é o Armando Diógenes, que preza por um cardápio mediterrâneo. Armando morou em Florença, na Itália, onde concluiu curso na Academia Nacional Italiana de Cozinha. Em conversa rápida, ele explicou que todos os tempeiros são caseiros. A ideia é usar quase nada industrializado e prezar pelos produtos mais frescos.

Foto: Divulgação

O café é padrão Santa Clara, com os drinks e shakes coonhecidos em outros espaços que levam, a marca, além dos lanches, tapiocas e cuscuzes. A petiscaria funciona tarde e noite traz menus para quem quer bater papo e tomar alguma bebida.

Foto: Divulgação

Estação Ville 040: Rua Carmelita Rebouças, 02, na entrada do Eusébio. (Fica bem em frente ao Farias Brito da CE-040. Se você for pelo Maps, ele vai te levar para outro local, mas é bem fácil achar, fica na própria CE-040).

leia tudo sobre

Publicidade

Bistrô parisiense no meio do hospital

Por Ariane Cajazeiras em Restaurantes

13 de Fevereiro de 2017

Le Pain Le Café abriu as portas há quase um mês no Hospital Regional da Unimed

Imagine estar em um hospital e poder se teletransportar para um ambiente aconchegante… quem sabe um bistrô francês, que tal? Parece um sonho: fugir um pouco, nem que seja por alguns minutos, da realidade a que geralmente um hospital está ligado, não é? Essa é a proposta da nova Le Pain Le Café que abriu as portas em janeiro no Hospital Regional da Unimed (HRU) em Fortaleza.

Le Pain Le Café Bistrô (Foto: Ariane Cajazeiras)

O local onde funcionava um outro restaurante estava desativado e foi todo reformado para dar lugar à nova proposta da cafeteria, que já funciona no bairro Meireles e também contava com um pequeno café no pátio da recepção do HRU.

O local foi inaugurado em janeiro deste ano (Foto: Ariane Cajazeiras)

A ideia dos sócios Gustavo e Eveline Espalter e Isabel e Alexandre Studart foi expandir também o cardápio da Le Pain Le Café, abrindo a versão Bistrô. Segundo Isabel, o novo projeto segue a filosofia da cafeteria: levar bem estar, conforto e boa gastronomia, mas agora também com pratos quentes e um menu desenvolvido especialmente para o espaço do hospital.

Caetano, Iury e eu no dia da inauguração (Foto: Elon Nepomuceno)

O cardápio é a la carte e tem tanto os sanduíches, bolos, cafés, chás e sucos, como também saladas, crepes, pratos quentes e sobremesas. Entre os sanduíches, muitas opções bem convidativas, como o tradicional croque monsieur (com presunto de parma, ricota e um toque de melão) e o Nordestão (com carne de sol crocante, queijo do reino, chutney de cebola e pasta no pão de caju). Já quero provar o Le Pain Le Café, que leva carne de cordeiro, chutney de morango, folhas e pasta de hortelã no croissant.

Degustação do Gratin de Camarões (Foto: Ariane Cajazeiras)

Já entre os pratos, destaque para o Gratin de camarões (que leva camarão, arroz com presunto, ervilha e molho branco, tudo gratinado e finalizado com batata palha) e as massas como os Romanitos (nhoques caseiros de abóbora, recheados com carne de sol e queijo coalho). Também tem pratos com frango, peixe grelhado, estrogonofe de filé e carne de sol.  As Saladas vêm em 3 opções: carne de sol, atum ou camarão. O melhor de tudo: os preços são bem acessíveis, com pratos variando entre R$18 e R$29,90. O cardápio conta ainda com crepes, tapiocas e sopas.

Degustação dos Romanitos (Foto: Ariane Cajazeiras)

Para adoçar o dia, são oferecidas 9 sobremesas, entre elas as fatias de bolo (adoro o de lavanda com laranja e o de limão com frutas cristalizadas, são sempre muito fresquinhos, fofos e saborosos), mil folhas de morango e cheesecake de manjericão com limão siciliano.

Chá Vermelho Intenso e bolo de Limão Siciliano com frutas cristalizadas (Foto: Divulgação)

O Bistrô é aberto ao público e funciona diariamente, entre oito horas da manhã e dez da noite, com serviço de café da manhã, almoço e jantar. O espaço acomoda até 65 pessoas e guarda o colorido e frescor da cafeteria original, que fica na Rua Professor Dias da Rocha.

Claro que ninguém quer precisar usar hospital, mas o espaço já era mais que esperado por quem precisa e pelos próprios profissionais do HRU. Eu precisei do espaço e como um local com comida boa fez falta! Veio em boa hora!

Ouça um trecho do bate papo que tive com a sócia do Le Pain Le Café, Isabel Studart:

Publicidade

Bistrô parisiense no meio do hospital

Por Ariane Cajazeiras em Restaurantes

13 de Fevereiro de 2017

Le Pain Le Café abriu as portas há quase um mês no Hospital Regional da Unimed

Imagine estar em um hospital e poder se teletransportar para um ambiente aconchegante… quem sabe um bistrô francês, que tal? Parece um sonho: fugir um pouco, nem que seja por alguns minutos, da realidade a que geralmente um hospital está ligado, não é? Essa é a proposta da nova Le Pain Le Café que abriu as portas em janeiro no Hospital Regional da Unimed (HRU) em Fortaleza.

Le Pain Le Café Bistrô (Foto: Ariane Cajazeiras)

O local onde funcionava um outro restaurante estava desativado e foi todo reformado para dar lugar à nova proposta da cafeteria, que já funciona no bairro Meireles e também contava com um pequeno café no pátio da recepção do HRU.

O local foi inaugurado em janeiro deste ano (Foto: Ariane Cajazeiras)

A ideia dos sócios Gustavo e Eveline Espalter e Isabel e Alexandre Studart foi expandir também o cardápio da Le Pain Le Café, abrindo a versão Bistrô. Segundo Isabel, o novo projeto segue a filosofia da cafeteria: levar bem estar, conforto e boa gastronomia, mas agora também com pratos quentes e um menu desenvolvido especialmente para o espaço do hospital.

Caetano, Iury e eu no dia da inauguração (Foto: Elon Nepomuceno)

O cardápio é a la carte e tem tanto os sanduíches, bolos, cafés, chás e sucos, como também saladas, crepes, pratos quentes e sobremesas. Entre os sanduíches, muitas opções bem convidativas, como o tradicional croque monsieur (com presunto de parma, ricota e um toque de melão) e o Nordestão (com carne de sol crocante, queijo do reino, chutney de cebola e pasta no pão de caju). Já quero provar o Le Pain Le Café, que leva carne de cordeiro, chutney de morango, folhas e pasta de hortelã no croissant.

Degustação do Gratin de Camarões (Foto: Ariane Cajazeiras)

Já entre os pratos, destaque para o Gratin de camarões (que leva camarão, arroz com presunto, ervilha e molho branco, tudo gratinado e finalizado com batata palha) e as massas como os Romanitos (nhoques caseiros de abóbora, recheados com carne de sol e queijo coalho). Também tem pratos com frango, peixe grelhado, estrogonofe de filé e carne de sol.  As Saladas vêm em 3 opções: carne de sol, atum ou camarão. O melhor de tudo: os preços são bem acessíveis, com pratos variando entre R$18 e R$29,90. O cardápio conta ainda com crepes, tapiocas e sopas.

Degustação dos Romanitos (Foto: Ariane Cajazeiras)

Para adoçar o dia, são oferecidas 9 sobremesas, entre elas as fatias de bolo (adoro o de lavanda com laranja e o de limão com frutas cristalizadas, são sempre muito fresquinhos, fofos e saborosos), mil folhas de morango e cheesecake de manjericão com limão siciliano.

Chá Vermelho Intenso e bolo de Limão Siciliano com frutas cristalizadas (Foto: Divulgação)

O Bistrô é aberto ao público e funciona diariamente, entre oito horas da manhã e dez da noite, com serviço de café da manhã, almoço e jantar. O espaço acomoda até 65 pessoas e guarda o colorido e frescor da cafeteria original, que fica na Rua Professor Dias da Rocha.

Claro que ninguém quer precisar usar hospital, mas o espaço já era mais que esperado por quem precisa e pelos próprios profissionais do HRU. Eu precisei do espaço e como um local com comida boa fez falta! Veio em boa hora!

Ouça um trecho do bate papo que tive com a sócia do Le Pain Le Café, Isabel Studart: