Publicidade

Le Chef Coxinha

por Ariane Cajazeiras, Caetano Neto e Iury Costa

mc donalds

Duelo de batatas na Black Friday

Por Ariane Cajazeiras em Promoções

22 de novembro de 2017

Nesta sexta-feira as redes de restaurantes estão aderindo à chamada Black Friday com descontos no cardápio. E quem é fã de batata frita pode comemorar um duelo maravilhoso: refil de batata frita do Mc Donalds X Baldão de Batata Frita com maionese do Burger King.  É isso mesmo, vai ser o dia de encher a barriga de batatinha! hahaha

De um lado o MC Donalds lançou a Black FRYday. Neste dia 24 de novembro, sexta-feira, o McDonald’s oferece refil de McFritas aos clientes. Para participar, o cliente que comprar uma McFritas média (avulsa ou no combo) receberá uma embalagem especial que pode ser trocada por mais uma McFritas média; é só um refil, não é batat frita à vontade, como acontece com os refris! A promoção é válida somente na sexta-feira, mas o refil da McFritas pode ser trocado até o sábado nos restaurantes participantes. Outra novidade é que a caixinha emblemática da batata mudará de cor!

Refil de batata (Foto: Divulgação)

X

Balde de batata (Foto: Divulgação)

Do outro lado, na Black Friday do Burger King, vai ser possível trocar a batata média pelo balde, que vem com aqueles maravilhosos sachês de maionese (serão 2 sachês apenas). A promoção é válida exclusivamente na compra dos combos que custam R$ 19,90. Tem no site também cupons para compra de dois sundaes por 6 reais e 2 milk shakes por 10 reais.

Podem brigar mais que tá pouco, Burger King e MC Donalds!

Publicidade

Dia Mundial sem Carro tem drive-thru sem… carro!

Por Ariane Cajazeiras em Eventos, Sem categoria

21 de setembro de 2017

Nesta sexta-feira é comemorado o Dia Mundial sem carro. Talvez a data não pegue muito aqui em Fortaleza como deveria, mas o mundo todo, inclusive empresas tentam se engajar na luta. Algumas por enxergarem a necessidade de diminuirmos o uso de combustíveis, outras pra aproveitar o marketing. Eu, pessoalmente, não vejo problema nisso desde que as campanhas em prol do bem tenham algum alcance. Quanto mais gente lutando por mudanças, melhor.

O McDonald’s avisou que vai liberar a pista para os clientes passarem pelo Drive-Thru com transportes que não poluem o meio ambiente especificamente nesse dia. Para incentivá-los, em todos os restaurantes da rede com Drive-Thru os clientes poderão levar um McFlurry de qualquer sabor ao comprarem uma McOferta de sua escolha com mais R$ 3,00 no Drive. As pessoas poderão passar da maneira que quiserem: de bike, skate, patins, veículos elétricos e o que mais a imaginação permitir. Vale até meios de transporte construídos em casa. Já quero ver a galera d eperna de pau pedindo big mac, hahaha

Quem nunca quis passar no Drive-Thru quando estava sem carro, né? Então vamos aproveitar a causa nobre ao meio ambiente para matar essa vontade.

Lembrei de uma outra ação que achei massa, aquela do drive thru móvel, rs. Não teve aqui em Fortaleza mas poderia. Se você não viu, fica a dica:

leia tudo sobre

Publicidade

Metais, fast food, internet e outras intolerâncias

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas Fail

03 de Abril de 2017

Oi, eu sou Ariane e achei um metal estranho dentro do meu sanduíche do Mc Donald’s no último dia 28 de março de 2017. Aconteceu assim: semana passada, depois de um péssimo dia, comprei um combo Original Mex da loja que fica no shopping Riomar Kennedy, a mais nova de Fortaleza, inclusive. O sanduíche é o mais novo lançado pela linha Signature, aquela linha de sanduíches vendida como mais “gourmet”, com ingredientes selecionados. A linha é uma das mais caras do restaurante: o combo simples com batata média e refrigerante médio custa R$29,90.

Original Mex (Foto: Ariane Cajazeiras)

A sequência de ações foi mais ou menos essa: comprei por volta das 20h30, 21h, levei para comer em casa, cheguei, abri, provei, gostei, mas achei pouca guacamole, minha irmã Alana duvidou da existência do ingrediente, abri para mostrar a guacamole, avistei um ponto prateado no meio do molho, puxei o ponto e era um pedaço metálico de cerca de 5 cm. No. Meio. Do. Molho. Com dentinhos perfurantes. Pelo design da peça parece alguma parte da máquina de colocar molho, mas não sei porque não conheço as máquinas. Levei um susto. Fotografei. Joguei o lanche no lixo. Postei a foto no Facebook e no Instagram, como qualquer pessoa indignada dos anos 2017 faria.

A pecinha ainda suja de molho (Foto: Alana Cajazeiras)

Aqui dá para ver o tamanho da peça (Foto: Alana Cajazeiras)

O plano era pegar a peça, levar junto com as fotos tiradas no celular, falar com a gerente da loja do Riomar (loja esta que eu conhecia, já havia comprado lá diversas vezes e não tinha do que reclamar), dessa vez reclamar de fato, pedir o dinheiro de volta, alertar para a falta de cuidado. Fim. Mas eu sou jornalista, tenho muitos jornalistas nos meus contatos do facebook. Então a Lyvia Rocha, desse mesmo portal do blog, o Tribuna do Ceará, pediu algumas informações e postou na manhã seguinte ao achado, uma reportagem que teve muitos likes e compartilhamentos. A partir daí uma moça do jornal O Globo (do RJ) me mandou inbox e pediu entrevista e acabou postando lá também (com um texto beeeeeem igualzinho ao da Lyvia) e mais tarde o pessoal do O Povo também me ligou e postou no portal deles. Enfim, foi pras redes de uma maneira mais ampla.

A pecinha depois de lavada (Foto: Ariane Cajazeiras)

A assessoria de imprensa do Mc Donald’s no Ceará ligou para o meu trabalho na manhã seguinte ao ocorrido, antes mesmo das reportagens serem publicadas, pediu desculpas, pediu meu número celular pessoal. De tarde, recebi a ligação amistosa do franqueado local do McDonald’s, Adolfo Bichucher Neto. Ele pediu desculpas, reconheceu o absurdo, explicou que a loja tinha controle de qualidade, pediu para eu visitar a cozinha da loja do Riomar com ele nas próximas semanas, perguntou se podia mandar naquele dia mesmo um novo combo para minha casa. E pediu a peça que eu achei para que eles entendessem que peça era e de onde ela tinha saído. Disse que estavam fazendo uma pesquisa minuciosa para saber o que tinha acontecido. A gerente veio aqui em casa, deixou o lanche, pediu desculpas mais uma vez, colocou-se à minha disposição e foi embora. Pronto, agora vocês já sabem todos os mínimos detalhes.

Já iria escrever no blog sobre o tema, mas fiquei mais estimulada após aprender que NUNCA, EM HIPÓTESE ALGUMA, devo gastar meu tempo lendo os comentários dos haters na internet. Porque o que teve de gente dizendo que: eu queria era ganhar dinheiro, eu queria aparecer (?), eu teria implantado a peça lá dentro… enfim. Bem: 1) eu não tenho uma coleção de pecinhas metálicas estranhas lá em casa, então ela apareceu lá mesmo. 2) Eu adoro comer, não desperdiçaria um lanche de R$29,90 colocando qualquer porcaria dentro. 3) Eu não processei e nem vou processar pela simples razão de que não quero ter estresse, ou seja, simples comodismo. Eu consideraria processar em duas situações: se dentro do sanduíche tivesse um inseto ou alguma nojeira ou se eu tivesse me machucado com a peça.  3) Para os amigos que sugeriram pedir um ano de MC Donald’s grátis, não tenho cara de pedir nada de graça pra ninguém, mas valeu a sugestão.

Para finalizar, o Mc Donald’s ainda não me ligou esclarecendo o porquê de a peça estar naquela terça-feira no meu sanduíche caro de guacamole. Ainda estou aguardando o resultado da análise minuciosa que me foi prometida. E sobre o sanduíche? Muito bom, obrigada. Peça com pimenta, use o limão. Só uma consideração: gostaria de sentir mais o gosto da guacamole. E, por favor, sem nada metálico para atrapalhar a hora sagrada do meu jantar.

 

Publicidade

Metais, fast food, internet e outras intolerâncias

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas Fail

03 de Abril de 2017

Oi, eu sou Ariane e achei um metal estranho dentro do meu sanduíche do Mc Donald’s no último dia 28 de março de 2017. Aconteceu assim: semana passada, depois de um péssimo dia, comprei um combo Original Mex da loja que fica no shopping Riomar Kennedy, a mais nova de Fortaleza, inclusive. O sanduíche é o mais novo lançado pela linha Signature, aquela linha de sanduíches vendida como mais “gourmet”, com ingredientes selecionados. A linha é uma das mais caras do restaurante: o combo simples com batata média e refrigerante médio custa R$29,90.

Original Mex (Foto: Ariane Cajazeiras)

A sequência de ações foi mais ou menos essa: comprei por volta das 20h30, 21h, levei para comer em casa, cheguei, abri, provei, gostei, mas achei pouca guacamole, minha irmã Alana duvidou da existência do ingrediente, abri para mostrar a guacamole, avistei um ponto prateado no meio do molho, puxei o ponto e era um pedaço metálico de cerca de 5 cm. No. Meio. Do. Molho. Com dentinhos perfurantes. Pelo design da peça parece alguma parte da máquina de colocar molho, mas não sei porque não conheço as máquinas. Levei um susto. Fotografei. Joguei o lanche no lixo. Postei a foto no Facebook e no Instagram, como qualquer pessoa indignada dos anos 2017 faria.

A pecinha ainda suja de molho (Foto: Alana Cajazeiras)

Aqui dá para ver o tamanho da peça (Foto: Alana Cajazeiras)

O plano era pegar a peça, levar junto com as fotos tiradas no celular, falar com a gerente da loja do Riomar (loja esta que eu conhecia, já havia comprado lá diversas vezes e não tinha do que reclamar), dessa vez reclamar de fato, pedir o dinheiro de volta, alertar para a falta de cuidado. Fim. Mas eu sou jornalista, tenho muitos jornalistas nos meus contatos do facebook. Então a Lyvia Rocha, desse mesmo portal do blog, o Tribuna do Ceará, pediu algumas informações e postou na manhã seguinte ao achado, uma reportagem que teve muitos likes e compartilhamentos. A partir daí uma moça do jornal O Globo (do RJ) me mandou inbox e pediu entrevista e acabou postando lá também (com um texto beeeeeem igualzinho ao da Lyvia) e mais tarde o pessoal do O Povo também me ligou e postou no portal deles. Enfim, foi pras redes de uma maneira mais ampla.

A pecinha depois de lavada (Foto: Ariane Cajazeiras)

A assessoria de imprensa do Mc Donald’s no Ceará ligou para o meu trabalho na manhã seguinte ao ocorrido, antes mesmo das reportagens serem publicadas, pediu desculpas, pediu meu número celular pessoal. De tarde, recebi a ligação amistosa do franqueado local do McDonald’s, Adolfo Bichucher Neto. Ele pediu desculpas, reconheceu o absurdo, explicou que a loja tinha controle de qualidade, pediu para eu visitar a cozinha da loja do Riomar com ele nas próximas semanas, perguntou se podia mandar naquele dia mesmo um novo combo para minha casa. E pediu a peça que eu achei para que eles entendessem que peça era e de onde ela tinha saído. Disse que estavam fazendo uma pesquisa minuciosa para saber o que tinha acontecido. A gerente veio aqui em casa, deixou o lanche, pediu desculpas mais uma vez, colocou-se à minha disposição e foi embora. Pronto, agora vocês já sabem todos os mínimos detalhes.

Já iria escrever no blog sobre o tema, mas fiquei mais estimulada após aprender que NUNCA, EM HIPÓTESE ALGUMA, devo gastar meu tempo lendo os comentários dos haters na internet. Porque o que teve de gente dizendo que: eu queria era ganhar dinheiro, eu queria aparecer (?), eu teria implantado a peça lá dentro… enfim. Bem: 1) eu não tenho uma coleção de pecinhas metálicas estranhas lá em casa, então ela apareceu lá mesmo. 2) Eu adoro comer, não desperdiçaria um lanche de R$29,90 colocando qualquer porcaria dentro. 3) Eu não processei e nem vou processar pela simples razão de que não quero ter estresse, ou seja, simples comodismo. Eu consideraria processar em duas situações: se dentro do sanduíche tivesse um inseto ou alguma nojeira ou se eu tivesse me machucado com a peça.  3) Para os amigos que sugeriram pedir um ano de MC Donald’s grátis, não tenho cara de pedir nada de graça pra ninguém, mas valeu a sugestão.

Para finalizar, o Mc Donald’s ainda não me ligou esclarecendo o porquê de a peça estar naquela terça-feira no meu sanduíche caro de guacamole. Ainda estou aguardando o resultado da análise minuciosa que me foi prometida. E sobre o sanduíche? Muito bom, obrigada. Peça com pimenta, use o limão. Só uma consideração: gostaria de sentir mais o gosto da guacamole. E, por favor, sem nada metálico para atrapalhar a hora sagrada do meu jantar.