Publicidade

Le Chef Coxinha

por Ariane Cajazeiras

doce

Testamos o cardápio novo do Havanna Café

Por Ariane Cajazeiras em Café, Experiências Gastronômicas

17 de agosto de 2018

Não é a primeira vez que somos convidados a experimentar novidades no Café Havanna Fortaleza. Uma coisa legal que enxergo na gestão da franquia é essa vontade de sempre trazer algo novo e o entusiasmo pela marca Havanna. Fomos mais uma vez ao restaurante do Riomar Fortaleza, acompanhar as mudanças do cardápio e, claro, provar algumas das  novidades. Devo dizer que tem muita coisa nova, incluindo também mudanças nos tamanhos das bebidas, que agora também estão disponíveis em versões menores.

Os clássicos alfajores, cafés e empanadas permanecem no cardápio, é claro, mas agora há um toque inclusive de regionalização, com tapiocas e até carne seca (não é carne de sol ainda, mas quem sabe, né?) e queijo coalho. Outra coisa que quero provar são as medialunas, uma espécie de croissant argentino, que vem no cardápio em sabores doces ou salgados. As novidades já chegaram em todas as lojas do Brasil.

Tapiocas:

Não provamos as tapiocas, mas não é difícil saber que a tapioca já é paixão nacional e aqui no Ceará é meio que indispensável em uma cafeteria! Assim como o pão na chapa, outro item básico, as novidades já estão nos cardápios para os cearenses-raiz. Os recheios vão da manteiga ao doce de leite Havanna.

Sanduíches:

Vou apresentar os que eu provei!

Nordestino (R$21,90): Pão italiano, carne seca, queijo coalho, tomates assados e cebola com ervas. O sabor é bem suave, nada de sal demais. O pão vem crocante e quentinho no topo, embora um pouco molinho na base. Os sanduíches vêm prontos do fornecedor da marca e são assados em forno especial.

Nordestino (Foto: Ariane Cajazeiras)

Puerto Madero (R$21,90): Pão de mandioquinha, frango com ervas, queijo prato, creme de mostarda dijon e tomate assado com ervas. Eu adoro mostarda e achei que o sabor dela se perde. Alô, Havanna, carrega mais nessa mostarda, faz favor! Apesar disso, o sanduíche é saboroso.

Puerto Madero (Foto: Ariane Cajazeiras)

Recoleta (R$21,90): Com selinho vegetariano, essa sanduíche não leva carne (claro hahaha). Pão rústico, cream cheese com molho pesto e tomate assado com ervas. Eu acho fundamental ter um cardápio inclusivo.

Recoleta (Foto: Ariane Cajazeiras)

Bebidas:

Achei ótimo a novidade de muitas das bebidas doces agora virem em dois tamanhos: 200 e 380 ml. Dá para comer sanduíche, bebida e sobremesa de boa agora. Tem Havanna Shake (leite expresso, doce de leite e cappuccino – R$11 ou R$19) e o delicioso Frappé de Avelã (creme de avelã, sorvete de creme, espresso e leite – R$11 ou R$19). Permanecem as bebidas clássicas, como o Capuccino Havanna, com borda de doce de leite. Uma novidade legal é que entre as bebidas, agora existem sucos naturais e chás gelados.

Dividindo o mini Frappé com as amigas (Foto: Daniel Herculano)

Tortas:

Pra finalizar, experimentamos os bolos e tortas. Confesso que amo doces, mas sempre que vou na Havanna, acabo comendo o crepe com doce de leite, que é meu preferido. Masquem vai com aquele fome de doce, pode optar pela torta La Chocolina (R$ 12,90), com camadas de biscoito de chocolate e doce de leite, atende as formigas de plantão. A campeã de pedidos é a Torta Havanna (R$ 17,50), que ganhou agora uma versão com creme de chocolate,
intercalando camadas de massa folheada e cobertura de marshmallow de chocolate. Menos doce que a tradicional, vale experimentar!

Camadaaaas <3 (Foto: Ariane Cajazeiras)

Formigas curtiram isso <3 (Foto: Ariane Cajazeiras)

E aí? Hora de dar uma passadinha na Argentina do Café Havanna? As lojas estão no shopping Iguatemi e Riomar Fortaleza.

 

Publicidade

Chef Lucas Corazza em Fortaleza

Por Ariane Cajazeiras em Chefs do mundo

10 de julho de 2017

O chef confeiteiro Lucas Corazza está em Fortaleza até quarta-feira para ministrar 3 aulas temáticas sobre bolos, doces e chocolates. Eu acompanho o trabalho do Lucas há uns 4 anos, pelo menos. Desde que ele começou a vender seus doces lindos na Ferinha Gastronômica em São Paulo. Eu e minha irmã babávamos na técnica dele, que resultava em doces, chocolates e bolos únicos, belos, criativos e muito saborosos. Tive o prazer de conhecê-lo em entrevista na Tribuna Band News FM, no programa que apresento com Nonato Albuquerque de segunda a sexta depois das 9h até 11h.

Um dos jurados do programa “Que Seja Doce”, no canal GNT, falou com a gente sobre sua carreira, seu entusiasmo pelos produtos genuinamente brasileiros, os melhores chocolates do mundo, sua conexão com as redes sociais e ainda o machismo e preconceito dentro do mundo da gastronomia… A entrevista foi interessantíssima, confiram nesse link aqui o papo na íntegra!

Chef Lucas Corazza (Foto: Ariane Cajazeiras)

Tietando! (Foto: Ariane Cajazeiras)

E deixando o serviço pra vocês: nos dias 10, 11 e 12 de julho, o chef vai ministrar os seguintes cursos:

10.07 – Doces para Animar a Festa com receitas de Eclair Crocante com recheio de creme de caramelo e banana, coberta com chocolate ao leite e decorada com chantilly de camaru; Tortas de pistache, chocolate, chantilly de pistache e frutas vermelhas; e Mini Tortas de limão, gianduia e merengue.

11.07 – Bolos de Chocolate de Cair o Queixo com Bolo sem glúten de chocolate recheado com ganache de tangerina e decorado com chocolate; Bolo de chocolate e pistache com recheio de frutas vermelhas; e Mini bolo de amêndoas e chocolate com mel e laranja.

12.07 – As Mais Modernas Técnicas para fazer Bombons Pintados de Chocolate usando pistola para pulverizar, esponjas e fitas. As receitas escolhidas para o curso foram Bombom de banana e café; Bombom de gianduia e caramelo; e Bombom de torta de limão.

As aulas acontecem das 13h30 às 17h30 e tem o valor de R$ 180 por dia.

Informações pelo telefone: (85)3023-4567 ou (85)99661-9595

Sobre o Lucas Corazza

Com mais de 12 anos de profissão, Lucas passou por cozinhas de grandes chefs como Bel Coelho, Mara Mello, Alex Atala e Henri Schaeffer, a quem deve toda sua paixão e sua base de confeitaria francesa. Estudou Hotelaria pelo SENAC e se especializou em confeitaria na França, nas renomadas Écoles Nationale Supérieure de Pâtisserie, em Yssingeaux, e na Ecole Gastronomique Bellouet Conseil, em Paris. Apaixonado pela estética francesa adora viajar para conhecer diferentes sabores, mas é no Brasil que mora seu coração – e seu estômago. Ministrando aulas de confeitaria pelo Brasil, tem a oportunidade de conhecer intimamente os produtos regionais e frutos do país. Participa de grandes eventos como a Virada Cultural, Lollapalooza e Aniversário da cidade de SP. Atualmente está na televisão como um dos três jurados do programa Que Seja Doce, da GNT.

Publicidade

Páscoa do #compredequemfaz

Por Ariane Cajazeiras em Chocolate

12 de Abril de 2017

Não sei de onde surgiu essa hashtag #compredequemfaz, mas desde que abri um pequeno negócio informal inicialmente de bijouterias e hoje de artesanatos com minha mãe há quase 7 anos, o Ateliê Romantisch, passei a valorizar muito quem produz artesanalmente, tem marcas locais, etc. Não pelo fato de querer alavancar as vendas, não é isso. Mas porque entendi alguns fatos em relação aos produtos artesanais.

O primeiro deles é que cada peça feita a mão é única. Por mais que você use a mesma matéria prima, mesmos moldes… uma peça nunca será igual a outra pois seres humanos não são máquinas. E, como você deve entender, tudo que é único tem valor inestimável. O segundo fato é que quando se compra algo feito por um pequeno produtor, você está movimentando a economia local. Ao invés de investir seu dinheiro em grandes empresas, porque não ser o patrocinador de pequenos (grandes) talentos? E por último, quando você fomenta a produção de um pequeno, você tem acesso à matéria prima, sabe de onde veio aquilo e pode pesquisar com mais facilidade a procedência do que está consumindo. E é por tudo isso que sou a rainha das feirinhas: compro com orgulho de quem faz, elogio, propago. E chega desse “ranço” provinciano de que as coisas que nós produzimos aqui são menores e piores do que as que vem de fora. Não!

E nessa onda resolvi esse ano que neste mês de abril não iria comprar ovos de Páscoa dos grandes produtores. Por mais que minha criança interior gritasse por um Surpresa Bichos Nestlé, os lindos e pesados ovos de colher foram meus escolhidos. Claro que ainda existem aqueles chocolates cheios de gordura com “gosto de sabão”, mas tem muita gente boa sabendo temperar um bom chocolate como ninguém! Por isso saí “fazendo a feira” em pequenas docerias caseiras de amigos, conhecidos e indicados por amigos. Fiz questão de pagar pelos ovos (senão nada de fomentar a economia, né?), dar o feedback e divulgo aqui sem filtros as fotos e pontos baixos e altos de cada “ovíneo” caseiro consumido. E vamos tirar o “caseiro” do hall das coisas pejorativas! Comida caseira é tudo de bom 🙂

1) Casa Costa Confeitaria – O número um das críticas positivas de  todos que me “ajudaram” (ê tarefa difícil, né, família?) a provar os chocolates aqui em casa. A Casa Costa é a marca do nosso companheiro de blog Iury Costa. O Iury já fazia bolos, bolos “afogadinhos”, tortas e cupcakes e nessa Páscoa começou a investir nos ovos. O chocolate utilizado é um blend de ao leite e meio amargo. Vem recheado de brigadeiro tradicional, beijinho, brigadeiro de farinha láctea, brigadeiro de Oreo, entre outros. Encomendei o de beijinho com oreo. Não gosto nem um pouco de beijinho com coco industrializado (aqueles adoçados, em flocos, que vem no saco), por isso tenho o maior preconceito em pedir doce de coco nos cantos, mas esse docinho me surpreendeu positivamente! O recheio de coco é o melhor de todos que já provei.

Preços: A partir de R$25

Ponto Alto: Chocolate de qualidade, apresentação linda e beijinho com gosto de infância.

Ponto Baixo: O biscoito Oreo fica mole quando está em contato com o ar, então não estava crocante (avalie isso se for encomendar esse sabor). A casquinha é mais fina na borda, ficando mais quebradiça no manuseio.

Contato: Instagram: @casacostaconfeitaria/ Whatsapp: (85) 98853.0261

Informações adicionais: Aceita encomendas até a Páscoa. Aceita Cartão de Crédito e Débito.

 

2) Dolcelita  – Amo os brigadeiros que a Tallyta Monique faz! Ela é uma colega aqui do Sistema Jangadeiro e eu já tinha tido a oportunidade comprar os docinhos finos dela em outras (muitas) ocasiões. Têm uma textura maravilhosa, aquelas bem “puxa”, do jeito que eu gosto. Além de sabores variados e diferenciados, como o de churros, Romeu e Julieta (amo), Meio Amargo. Nessa Páscoa, ela fez uns testes bem sucedidos com ovos de Páscoa e está comercializando entre amigos e conhecidos.

Preços: Variam entre 20 e 60 reais, sendo o mais barato o tradicional de 200g e o mais caro o trio do Coelho, com 3 ovos de colher de 200g. É possível acrescentar adicionais como leite ninho ou twix por mais 5 reais.

Ponto Alto: A casquinha foi a mais elogiada dos críticos aqui de casa. O sabor de meio amargo e a borda grossa e bem acabada. Adoramos. A apresentação também muito cuidadosa. Olha só esses brigadeiros, que perfeição!

Ponto Baixo: Não gosto muito das bolinhas crocantes (o que chamam de “chocoball” e afins) , porque de um modo geral o chocolate delas não é de qualidade. Atrapalha o sabor do brigadeiro, na minha opinião.

Contato: Instagram: @tallytabruno / Whatsapp: (85) 98181.0491

Informações adicionais: Aceita encomendas até a Páscoa. Não tem cartão de crédito.

3) Açaí no Alvo Maracanaú – No quesito inovação, esse ovo superou os outros. Aproveitou a moda que invadiu a cidade, afinal os pontos de açaí pipocam nas ruas de Fortaleza e região metropolitana e são frequentados em todos os bairros. Fruta típica do norte do país, o açaí tem seu lugar aqui no estado. Mas o sabor divide muito opiniões: quem ama, ama, quem não gosta, insiste em dizer que nós, adoradores do açaí, estamos “comendo barro” (apenas parem). Não moro em Maracanaú, então foi através de um colega de trabalho que encomendei o Ovo de Páscoa trufado com açaí da franquia Açaí no Alvo. O recheio é um brigadeiro de açaí e a cobertura você escolhe. O meu veio com paçoquita (combinação perfeita S2), leite ninho, gotas de chocolate e castanha. Também é possível colocar frutas, jujuba e o que mais você preferir.

Preços: Fabricado em três diferentes tamanhos, 380g, 480g e 720g, o Ovo Trufado com Açaí custa entre R$ 20 e R$ 45.

Ponto Alto: O gosto do açaí é bem leve, mas ainda assim é possível identificar o sabor no brigadeiro. O recheio não é muito doce e por isso não enjoa! Também achei o preço bem em conta para o tamanho e a qualidade. É um ótimo e inusitado presente para os amantes do açaí.

Ponto Baixo: O chocolate da casca é de média qualidade (embora gostoso, mas não é tão fino) e a loja é meio longe para quem mora em Fortaleza.

Contato: Facebook:/acainoalvomaracanau/ Instagram: @acainoalvomaracanau

Informações adicionais: Aceita Cartão de Crédito e Débito.

4) Deborah Lage Doces – Não conhecia a Deborah, mas ficava babando nas fotos postadas na internet pelo irmão dela, meu colega de Sistema Jangadeiro. Ela faz doces, bolos lindos e sobremesas. Gosto muito da forma que ela decora os doces, ela trabalha super bem com o bico de confeiteiro. Nesta Páscoa, resolvi encomendar um ovo de chocolate branco recheado com brigadeiro de limão e farofa de biscoito passatempo, ovo que acabou sendo entitulado de tortinha de limão. Pedi para colocar biscoito na casca. A Deborah é muito caprichosa e ama cozinhar, dia desses li a história dela contada pelo irmão, que inclui a desistência de um ótimo emprego (financeiramente falando) para seguir fazendo algo que ela ama: cozinhar.

Preços: A partir de R$25

Ponto Alto: Brigadeiro delicioso e produtos de ótima qualidade. A farofinha de passatempo é realmente do biscoito, não é de biscoito similar. O brigadeiro não é azedo (como muitas sobremesas de limão) e é bem liso e gostoso.

Ponto Baixo: Pedi biscoito também na casca, mas ela colocou não pedaços, e sim o biscoito triturado, daí não deu pra sentir bem. O chocolate branco da casca é bem mais doce, então corre o risco de ficar enjoativo.

Contato: Instagram: @deborahlagedoces/Facebook: /Déborah-Lage-Doces Whatsapp: (85) 99905.2685

Informações adicionais: Aceita Cartão de crédito e Débito. Não aceita mais encomenda para essa Páscoa 🙁

 

Todos eles valem super a pena. E tem ainda uma coisa em comum entre as pessoas que fazem ovos de Páscoa artesanais: a simpatia, o carinho e o amor pelo que fazem. Isso torna a Páscoa mais especial e combina bem com o motivo religioso, não é mesmo? Sucesso para os pequenos empreendedores e boa Páscoa para todos vocês 🙂

 

Publicidade

Bolim preto de chocolate

Por Ariane Cajazeiras em Receitas do lechef

06 de Março de 2017

Eu adoro bolo de todos os sabores e nada mais comfort food  para mim do que um bolinho fofo e bem pretinho de chocolate, ainda mais se tiver aquela caldinha fina por cima, deixando a casca do bolo açucarada. Bom demais, né? O conceito de comfort food (comida que traz conforto) é justamente esse: fazer/comer aquela receita que estimula as memórias boas, receitas que podem ser simples e, claro, gostosas. Esse tipo de bolo de chocolate era sempre feito pela minha avó e mãe. Resolvi buscar na internet, então, uma receita que me levasse para uma receita assim: bolo preto, fofo, leve, delicioso. Aproveitei e dei uma incrementada com o que tinha na geladeira: um potinho aberto de cerejas em calda (que eu amo) e meia barra de chocolate 85% cacau.

Bolo de chocolate do amor <3 (Foto: Jefferson Sant’ana)

Pesquei uma receita de um blog que amo, o Panelaterapia, que fez um concurso de melhor bolo de chocolate do mundo. Fiz umas modificações e lá vai a receita pra você se deliciar. É simples, rápido e fica uma delícia!

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 2 xícaras de chocolate ou cacau em pó (não use achocolatado, ele tem muito açúcar! Melhor usar os chocolates em pó de caixinha – aqueles de 200g – com maior teor de cacau)
  • 2 xícaras de açúcar
  • 3 ovos
  • 1 xícara de óleo (usei de girassol)
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 xícara de água fervendo

Cobertura: 

  • 4 colheres de sopa de leite
  • 1 colher de sopa de manteiga ou margarina
  • 4 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 2 colheres de sopa de açúcar ou 2 colheres de leite condensado (usei leite condensado, porque tinha sobrando na geladeira)

Modo de fazer:

Unte uma forma com margarina e polvilhe com chocolate em pó ( melhor que enfarinhar, porque a cor fica mais linda). Ligue o forno a 180 graus. Peneire a farinha, açúcar e chocolate em um recipiente. Junte os 3 ovos e a xícara de óleo e mexa bem com uma colher ou espátula. Vai ficar uma massa meio grossa, ok? Tentei usar o fouet, mas embolou tudo, é melhor uma colher grande ou espátula mesmo! Depois que estiver tudo bem misturado, acrescentar a xícara de água fervendo e mexer novamente com uma colher (se quiser usar o fouet, nesse estágio já dá!), até a massa ficar homogênea. Por último acrescentar o fermento em pó e mexer mais uma vez levemente, só para incorporá-lo.

A massa fica assim! (Foto: Ariane Cajazeiras)

Coloque a massa na forma untada e polvilhada com chocolate e leve para assar no forno pré-aquecido por cerca de 20 a 25 minutos.

Ele fica lindão assim <3 (Foto: Ariane Cajazeiras)

Enquanto o bolo esfria um pouco, você mistura todos os ingredientes da calda e leva ao fogo só para que os ingredientes se misturem. A graça é quando a calda fica bem fininha. Depois que esfriar você desenforma, fura o bolo com um garfo e joga essa calda por cima.

Você pode enfeitar como quiser! Eu coloquei por cima cerejas ao marasquino cortadinhas ao meio e 3 barrinhas pequenas de chocolate 85% cacau (aquele bem amargo) picadinhas. As marcas que usei: cerejas Hemmer (que não são de gelatina) e chocolate da cacau show (é o mais amargo da loja). O bolo ficou tão maravilhoso que acabou em menos de 2 dias. E olha que lá em casa bolo dura bem muito. A massa fica com um sabor forte de chocolate e o doce da cereja combina bem com o amargor do cacau.

Voilà! (Foto: Jefferson Sant’ana)

Ficou bonitão (Foto: Jefferson Sant’ana)

Façam e mandem a foto pra gente! Bolo é um negócio que une famílias, vai por mim! <3

Com amor e com fome,

Ariane

Publicidade

Mil sabores em mil folhas

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas

13 de novembro de 2016

Quem não gosta de açúcar em excesso (eu), certamente curte a misturinha doce+salgado dos mil folhas. O doce tem origem francesa e é feito com massa folhada e recheado geralmente com creme de confeiteiro. É comum encontrar em padarias, confeitarias e delicatessens e um dos meus preferidos é esse sabor aqui:

Mil folhas de morango com creme

Mil folhas de morango com creme (FOTO: Ariane Cajazeiras)

Adoradora de uma sobremesa que sou (não é a toa que meus gatos se chama Suspiro e Biscoito) já conhecia os bolos, sobremesas e salgados da Tortelê (que é detentora da receita da melhor coxinha de frango com polenguinho da cidade, na minha humilde opinião de glutona). Eles já tinham o mil folhas de morango no cardápio em uma versão bem maior, que para mim só rolava se eu repartisse com minha mãe, que curte a sobremesa tanto quanto eu. Geralmente pedimos a sobremesa após a coxinha, ou seja, não cabe tanta coisa ao mesmo tempo nesse estomagozinho, não, então tínhamos que dividir, sim.

Aí eis que continuando a leva de Festivais (a confeitaria já realizou o Festival do Morango esse ano), está sendo realizado até o dia 30 de novembro o 2º Festival Mil Folhas! Agora com versões mini dos nosso queridos mil folhas e com uma gama muito maior de sabores!

Alana em um relacionamento sério com o mil folhas de ninho com creme de avelã

Alana em um relacionamento sério com o mil folhas de ninho com creme de avelã (FOTO: Ariane Cajazeiras)

Ganhamos um voucher para saborear 3 sabores, mas pelo bem da humanidade foi necessário provar mais coisas. Levei minha irmã, Alana, e minha mãe, Regilane. Claro que compramos mais unidades com o único intuito de contar nossas impressões pra vocês, né? Não é porque a gente come muito, não.

O doce Mil Folhas, de acordo com a loja, é um dos produtos mais vendidos nas lojas Tortelê Aldeota e Sul. O tradicional é o de morangos frescos com creme Tortelê, mas com o festival, a cada semana é lançado um sabor novo no cardápio. Todos são criações da doceira Carolina Batista e a ideia é que eles só permaneçam no cardápio nesse mês de novembro. Mas, olha, eu já vou lançar a hashtag #ficacupuaçu. Foi o primeiro que provei:

Come come come come come

Come come come come come

Obrigada, Deus, por ter criado o cupuaçu. Obrigada, região norte brasileira, por ter a ideia de comer cupuaçu. Na versão “Tortelesca”, ele vem em forma de geleia e é misturado ao creme Tortelê, fazendo aquele mix salgado-doce-azedo que eu amo/sou. Pra finalizar, tem um pedaço de castanha-do-pará no topo, aquela maravilhosa castanha bem oleosa. Não senti muito a castanha dentro do doce, o sabor dela acaba não se sobressaindo tanto. Mas esse com certeza foi o meu mil folhas favorito, superou até o de morango.

Mil folhas de Cupuaçu <3

Mil folhas de Cupuaçu <3

Também provamos o Mil Folhas de Ninho com Creme de Avelã. O creme de Ninho é feito a partir do creme Tortelê que é como se fosse um creme de confeiteiro, sabe? Mais leve e fofo, não é textura de brigadeiro, não. Você pode até achar que a comunidade doceira está se aproveitando demais do leite ninho, porque agora tem sorvete, doce, docinho, bolo, recheio, sobremesa, trufa (deposite aqui sua versão) e VOCÊ ESTÁ CERTO! Não vou mentir, gosto muito de leite ninho, mas de uma maneira geral a galera CARREGA MUITO NO AÇÚCAR. Não façam isso, crianças. Não estraguem o leite ninho, ele é muito caro. O Mil folhas de Ninho foi escolha da minha irmã Alana, mas eu dei umas mordidas, porque a gente divide comida, não somos o Joey, de Friends.

Joey não divide comida (Reprodução Internet)

Joey não divide comida! (Reprodução Internet)

O sabor ninho com creme de avelã (Nutella hihihi) não é pesado nem doce demais. Alana achou “bem leve e gostoso e no tamanho ideal”. Vem com esse rolinho callebaut em cima pra ficar bonitim e um tiquim de cacau em pó por cima:

Ninho com creme de avelã

Ninho com creme de avelã

Talvez no tamanho grande ficasse um pouco doce demais para um só ser. Já mamãe não quis sair do tradicional e apostou no Morango com creme Tortelê, que já falei acima. Gosto da leveza do creme e do azedinho do morango (porque nunca comi um morango doce em Fortaleza, né, mores). Pra finalizar, açúcar de confeiteiro por cima, vejam:

Mil Folhas de Morango

Mil Folhas de Morango

Não pude deixar de provar a versão “mil folhas” salgada. É, na verdade, um salgado que eles já comercializam, mas em versão mini, o “Vol-au-vent”. O vol-au-vent é uma cestinha de massa folhada, como você pode ver na foto. Para o festival, foram desenvolvidos dois sabores: creme de salmão e mix de cogumelos. Não curto muito cogumelos (a versão deles é com creme de shitake e funghi), então optei pelo creme de salmão. Muito gostoso, temperadinho e com uma boa porção de recheio:

Vou-la-vent de salmão

Vou-la-vent de salmão

Mas… ficaria melhor bem quentinho, comemos em temperatura ambiente. O valor é um pouco acima dos doces, custa R$11,50, cada um. Os Mil Folhas versão mini custam  R$6,90! Não é barato, né, mas é um preço bem justo pela qualidade do produto.

Mil folhas de pistache

Mil folhas de pistache

No dia que fomos ainda tinha versão de Pistache (fiquei muito a fim, mas não cabia mais), mousse de doce de leite e maçã. Fiquei com vontade de provar (mas não tinha) a versão Romeu e Julieta (goiabadinha, amigos, quem curte?). Não sei em qual sequência são oferecidas, pois não estavam lá na vitrine, mas de acordo com a divulgação, existem 16 versões, entre elas: Baba de Moça com ameixa, Ninho com Oreo, Abacaxi com Coco e Brigadeiro com Morango. Os doces não estavam sendo recheados na hora, já estavam expostos, mas isso não comprometeu a crocância da massa. A Tortelê tem lojas na rua Vicente Leite, 1422 – Aldeota (funciona de segunda-feira a sábado, das 10h às 19h) e a Sul fica na Rua República da Armênia, 1170 – Água Fria (horário mais estendido, de Segunda a Domingo: 12:00 às 20:30).

Com amor e com fome,

Ariane

Publicidade

Mil sabores em mil folhas

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas

13 de novembro de 2016

Quem não gosta de açúcar em excesso (eu), certamente curte a misturinha doce+salgado dos mil folhas. O doce tem origem francesa e é feito com massa folhada e recheado geralmente com creme de confeiteiro. É comum encontrar em padarias, confeitarias e delicatessens e um dos meus preferidos é esse sabor aqui:

Mil folhas de morango com creme

Mil folhas de morango com creme (FOTO: Ariane Cajazeiras)

Adoradora de uma sobremesa que sou (não é a toa que meus gatos se chama Suspiro e Biscoito) já conhecia os bolos, sobremesas e salgados da Tortelê (que é detentora da receita da melhor coxinha de frango com polenguinho da cidade, na minha humilde opinião de glutona). Eles já tinham o mil folhas de morango no cardápio em uma versão bem maior, que para mim só rolava se eu repartisse com minha mãe, que curte a sobremesa tanto quanto eu. Geralmente pedimos a sobremesa após a coxinha, ou seja, não cabe tanta coisa ao mesmo tempo nesse estomagozinho, não, então tínhamos que dividir, sim.

Aí eis que continuando a leva de Festivais (a confeitaria já realizou o Festival do Morango esse ano), está sendo realizado até o dia 30 de novembro o 2º Festival Mil Folhas! Agora com versões mini dos nosso queridos mil folhas e com uma gama muito maior de sabores!

Alana em um relacionamento sério com o mil folhas de ninho com creme de avelã

Alana em um relacionamento sério com o mil folhas de ninho com creme de avelã (FOTO: Ariane Cajazeiras)

Ganhamos um voucher para saborear 3 sabores, mas pelo bem da humanidade foi necessário provar mais coisas. Levei minha irmã, Alana, e minha mãe, Regilane. Claro que compramos mais unidades com o único intuito de contar nossas impressões pra vocês, né? Não é porque a gente come muito, não.

O doce Mil Folhas, de acordo com a loja, é um dos produtos mais vendidos nas lojas Tortelê Aldeota e Sul. O tradicional é o de morangos frescos com creme Tortelê, mas com o festival, a cada semana é lançado um sabor novo no cardápio. Todos são criações da doceira Carolina Batista e a ideia é que eles só permaneçam no cardápio nesse mês de novembro. Mas, olha, eu já vou lançar a hashtag #ficacupuaçu. Foi o primeiro que provei:

Come come come come come

Come come come come come

Obrigada, Deus, por ter criado o cupuaçu. Obrigada, região norte brasileira, por ter a ideia de comer cupuaçu. Na versão “Tortelesca”, ele vem em forma de geleia e é misturado ao creme Tortelê, fazendo aquele mix salgado-doce-azedo que eu amo/sou. Pra finalizar, tem um pedaço de castanha-do-pará no topo, aquela maravilhosa castanha bem oleosa. Não senti muito a castanha dentro do doce, o sabor dela acaba não se sobressaindo tanto. Mas esse com certeza foi o meu mil folhas favorito, superou até o de morango.

Mil folhas de Cupuaçu <3

Mil folhas de Cupuaçu <3

Também provamos o Mil Folhas de Ninho com Creme de Avelã. O creme de Ninho é feito a partir do creme Tortelê que é como se fosse um creme de confeiteiro, sabe? Mais leve e fofo, não é textura de brigadeiro, não. Você pode até achar que a comunidade doceira está se aproveitando demais do leite ninho, porque agora tem sorvete, doce, docinho, bolo, recheio, sobremesa, trufa (deposite aqui sua versão) e VOCÊ ESTÁ CERTO! Não vou mentir, gosto muito de leite ninho, mas de uma maneira geral a galera CARREGA MUITO NO AÇÚCAR. Não façam isso, crianças. Não estraguem o leite ninho, ele é muito caro. O Mil folhas de Ninho foi escolha da minha irmã Alana, mas eu dei umas mordidas, porque a gente divide comida, não somos o Joey, de Friends.

Joey não divide comida (Reprodução Internet)

Joey não divide comida! (Reprodução Internet)

O sabor ninho com creme de avelã (Nutella hihihi) não é pesado nem doce demais. Alana achou “bem leve e gostoso e no tamanho ideal”. Vem com esse rolinho callebaut em cima pra ficar bonitim e um tiquim de cacau em pó por cima:

Ninho com creme de avelã

Ninho com creme de avelã

Talvez no tamanho grande ficasse um pouco doce demais para um só ser. Já mamãe não quis sair do tradicional e apostou no Morango com creme Tortelê, que já falei acima. Gosto da leveza do creme e do azedinho do morango (porque nunca comi um morango doce em Fortaleza, né, mores). Pra finalizar, açúcar de confeiteiro por cima, vejam:

Mil Folhas de Morango

Mil Folhas de Morango

Não pude deixar de provar a versão “mil folhas” salgada. É, na verdade, um salgado que eles já comercializam, mas em versão mini, o “Vol-au-vent”. O vol-au-vent é uma cestinha de massa folhada, como você pode ver na foto. Para o festival, foram desenvolvidos dois sabores: creme de salmão e mix de cogumelos. Não curto muito cogumelos (a versão deles é com creme de shitake e funghi), então optei pelo creme de salmão. Muito gostoso, temperadinho e com uma boa porção de recheio:

Vou-la-vent de salmão

Vou-la-vent de salmão

Mas… ficaria melhor bem quentinho, comemos em temperatura ambiente. O valor é um pouco acima dos doces, custa R$11,50, cada um. Os Mil Folhas versão mini custam  R$6,90! Não é barato, né, mas é um preço bem justo pela qualidade do produto.

Mil folhas de pistache

Mil folhas de pistache

No dia que fomos ainda tinha versão de Pistache (fiquei muito a fim, mas não cabia mais), mousse de doce de leite e maçã. Fiquei com vontade de provar (mas não tinha) a versão Romeu e Julieta (goiabadinha, amigos, quem curte?). Não sei em qual sequência são oferecidas, pois não estavam lá na vitrine, mas de acordo com a divulgação, existem 16 versões, entre elas: Baba de Moça com ameixa, Ninho com Oreo, Abacaxi com Coco e Brigadeiro com Morango. Os doces não estavam sendo recheados na hora, já estavam expostos, mas isso não comprometeu a crocância da massa. A Tortelê tem lojas na rua Vicente Leite, 1422 – Aldeota (funciona de segunda-feira a sábado, das 10h às 19h) e a Sul fica na Rua República da Armênia, 1170 – Água Fria (horário mais estendido, de Segunda a Domingo: 12:00 às 20:30).

Com amor e com fome,

Ariane