Publicidade

Le Chef Coxinha

por Ariane Cajazeiras, Caetano Neto e Iury Costa

Habemus alfajor argentino: Cafeteria Havanna inaugura em Fortaleza

Por Ariane Cajazeiras em Café, Chocolate, Restaurantes

18 de julho de 2017

É na próxima sexta-feira, 21 de julho, que a cafeteria da marca de alfajores argentina mais famosa, a Havanna, finca bandeira em Fortaleza. Pra gente que gosta de gastronomia, doce, café e novidade, a notícia causou impacto. A expectativa é grande, já que os produtos que conhecemos da Havanna, os seus maravilhosos alfajores, além do doce de leite argentino, agradam e confortam nosso coraçãozinho glutão. Como não temos loja da marca por aqui, a alternativa era comprar em viagens (tem algumas dezenas de quiosques e cafés em alguns shoppings e aeroportos do Brasil, como no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador). Agora, teremos a oportunidade não só de comprar os produtos aqui na cidade, mas também de aproveitar o ambiente e as comidas de uma cafeteria.

O tradicional alfajor argentino (Foto: Divulgação)

A franquia que chega à capital cearense instala o primeiro ponto de venda na região. O café se instala no Shopping Iguatemi Fortaleza e vai comercializa, além de produtos de cafeterias e os tradicionais doces da marca, também sanduíches, tortas, drinks e salgados. A ideia da nova unidade é trazer também “um conceito de espaço aconchegante e acolhedor, com novo design e nova comunicação visual, pensada especialmente para o espaço do shopping”, diz o material de divulgação.

Hamburguer do Menu (Imagem: Divulgação)

A marca se expande através de franquias desde 2014 e planeja abrir mais 25 cafeterias até o final do ano em todo o país. A Havanna, que tem quase 70 anos de tradição, chegou ao Brasil em 2006 e desde então é sinônimo de legítimo alfajor argentino para a maioria dos brasileiros. Se você não conhece, recomendo começar pelo alfajor tradicional e o também tradicional pote do brilhoso doce de leite.

A loja vai oferecer um Blend de café exclusivo Havanna, 100% arábica, que possui notas achocolatadas para harmonizar com o Doce de Leite argentino. E minha curiosidade total está também nos doces oferecidos: é que a chef Pâtissier Carole Crema (conhecida também por ser uma das juradas do programa Que Seja Doce, na GNT – já perceberam que sou fã do reality, né?) passa a ser a fornecedora dos doces para todos os cafés Havanna, com produtos aprovados e chancelados pela Havanna Argentina. A Carole é a jurada mais fofa do reality, além de, claro, falar sempre com muita propriedade das sobremesas e bolos apresentados. Não tive a oportunidade de provar as receitas dela ainda, então fiquei  empolgada.

Carole Crema (Imagem: internet)

Acho ótima essa expansão de cafeterias especializadas em shoppings. No Iguatemi, por exemplo, temos a ótima Grão Espresso e a minha preferida, a 3 Corações. A gente espera que a Havanna venha agradar a todos nós, amantes de doces e cafés <3

PS.: estou de dieta, socorro.

Serviço:

Café Quiosque Havanna
Inauguração aberta ao público: sexta-feira (21) 

Localização: Piso Térreo – Quiosque 1796

Endereço: Av. Washington Soares, 85 – Edson Queiroz, Fortaleza – CE, 60811-340

Horário de Funcionamento: Segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos das 14h às 20h

Publicidade

Chef Lucas Corazza em Fortaleza

Por Ariane Cajazeiras em Chefs do mundo

10 de julho de 2017

O chef confeiteiro Lucas Corazza está em Fortaleza até quarta-feira para ministrar 3 aulas temáticas sobre bolos, doces e chocolates. Eu acompanho o trabalho do Lucas há uns 4 anos, pelo menos. Desde que ele começou a vender seus doces lindos na Ferinha Gastronômica em São Paulo. Eu e minha irmã babávamos na técnica dele, que resultava em doces, chocolates e bolos únicos, belos, criativos e muito saborosos. Tive o prazer de conhecê-lo em entrevista na Tribuna Band News FM, no programa que apresento com Nonato Albuquerque de segunda a sexta depois das 9h até 11h.

Um dos jurados do programa “Que Seja Doce”, no canal GNT, falou com a gente sobre sua carreira, seu entusiasmo pelos produtos genuinamente brasileiros, os melhores chocolates do mundo, sua conexão com as redes sociais e ainda o machismo e preconceito dentro do mundo da gastronomia… A entrevista foi interessantíssima, confiram nesse link aqui o papo na íntegra!

Chef Lucas Corazza (Foto: Ariane Cajazeiras)

Tietando! (Foto: Ariane Cajazeiras)

E deixando o serviço pra vocês: nos dias 10, 11 e 12 de julho, o chef vai ministrar os seguintes cursos:

10.07 – Doces para Animar a Festa com receitas de Eclair Crocante com recheio de creme de caramelo e banana, coberta com chocolate ao leite e decorada com chantilly de camaru; Tortas de pistache, chocolate, chantilly de pistache e frutas vermelhas; e Mini Tortas de limão, gianduia e merengue.

11.07 – Bolos de Chocolate de Cair o Queixo com Bolo sem glúten de chocolate recheado com ganache de tangerina e decorado com chocolate; Bolo de chocolate e pistache com recheio de frutas vermelhas; e Mini bolo de amêndoas e chocolate com mel e laranja.

12.07 – As Mais Modernas Técnicas para fazer Bombons Pintados de Chocolate usando pistola para pulverizar, esponjas e fitas. As receitas escolhidas para o curso foram Bombom de banana e café; Bombom de gianduia e caramelo; e Bombom de torta de limão.

As aulas acontecem das 13h30 às 17h30 e tem o valor de R$ 180 por dia.

Informações pelo telefone: (85)3023-4567 ou (85)99661-9595

Sobre o Lucas Corazza

Com mais de 12 anos de profissão, Lucas passou por cozinhas de grandes chefs como Bel Coelho, Mara Mello, Alex Atala e Henri Schaeffer, a quem deve toda sua paixão e sua base de confeitaria francesa. Estudou Hotelaria pelo SENAC e se especializou em confeitaria na França, nas renomadas Écoles Nationale Supérieure de Pâtisserie, em Yssingeaux, e na Ecole Gastronomique Bellouet Conseil, em Paris. Apaixonado pela estética francesa adora viajar para conhecer diferentes sabores, mas é no Brasil que mora seu coração – e seu estômago. Ministrando aulas de confeitaria pelo Brasil, tem a oportunidade de conhecer intimamente os produtos regionais e frutos do país. Participa de grandes eventos como a Virada Cultural, Lollapalooza e Aniversário da cidade de SP. Atualmente está na televisão como um dos três jurados do programa Que Seja Doce, da GNT.

Publicidade

Curso de Cervejas Artesanais Brasileiras

Por Caetano Neto em Eventos

28 de junho de 2017

Curso de Cervejas Artesanais Brasileiras

A D´Vinos Wine Store promove um novo Curso de Cervejas. Dessa vez o foco são as cervejas artesanais brasileiras. O curso ocorrerá no dia 4 de julho 2017, terça-feira, e será ministrado pelo beer sommelier João Filho. A degustação será guiada com os seguintes rótulos de cerveja:

Tokai Witbier – 300 ml
Invicta Conan – 500 ml
Roleta Russa Indian Red Ale – 500 ml
Invicta Treze Brazilian Wood – 310 ml

As cervejas serão harmonizadas com seleção especial de queijos da marca Quatá. No dia do curso, os participantes ainda terão descontos exclusivos para compras na loja e participação em um sorteio especial!

Perfil do palestrante:

Curso de Cervejas Artesanais Brasileiras

João Filho@joaofilhosommelier
Publicitário, Especialista em Marketing pela Unifor; Sommelier de cerveja desde 2013; Desde então atua na área de treinamento e consultoria e educação cervejeira; Editor do Blog Cervas Clube; Ex-Sócio-proprietário do bar de cervejas especiais Eitabier; Professor da disciplina de cultura cervejeira na pós graduação de gastronomia da FANOR. Um dos Idealizadores e professor do curso de Beer Sommelier do SENAC CE.

Serviço
Curso de Cervejas Artesanais Brasileiras
Dia: 4 de julho 2017
Horário: 19h30
Investimento: R$ 90,00 – VAGAS LIMITADAS.

D’VINOS Wine Store
Avenida Senador Virgílio Távora, 665 – Loja 01
(85) 3055-7272 – WhatsApp: (85) 99404-5962
vendas@dvinos.com.br

Publicidade

Chef cearense apresenta seu “leruaite” em Londres

Por Ariane Cajazeiras em Eventos

28 de junho de 2017

A culinária do Ceará será um dos destaques do festival de gastronomia – Brazilian Taste Gastro Show, nos dias 14, 15 e 16 de julho, em Londres, Inglaterra. O Chef Clóvis Lima, Embaixador da Gastronomia do Ceará, vai mostrar em oficinas diárias receitas de pratos genuinamente cearenses, inclusive nos nomes: Leruaite, Baião Estribado e Padim Cicço. O Leruaite é um mungunzá que leva tomilho. O baião Estribado, prato inicial do jantar, é um típico baião de dois, mas com o diferencial de levar maxixe, carne do sol, quejio coalho e nata. O padim Ciço, um Bobó de camarão com picles de maxixe com flores e hortelã.

Olha só o cardápio dele:

Menu Fine Dinning 2017

***

Primeira estação

Entrada fria: Baião de dois estribado – o tradicional baião de dois com a releitura do povo rico cearense. Feijão, arroz, carne seca ou do sol, queijo coalho e nata.

Segunda estação

Entrada fria: Arrumadinho cabra da peste (cuzcuztemperado com vatapá de peixe picante e caruru e um falso caviar feito com as sementes do quiabo). a

Terceira estação

Padim Ciço

Prawn steaw with picle , maxixe with mint and flowers .

Bobó de camarão com picles de maxixe com flores e hortelã.

Quarta estação

Conexão igreja do Bonfim e da Lapa

Moqueca poca arretada (de banana com macaxeira e batata doce).

Quinta estação

Risoto Quixeré – cidade onde minha mãe nasceu às margens do rio Jaguaribe – de jerimum com carne do sol

Sexta estação

Lobster and chips cabeça chata (lagosta, macaxeira e batata doce frita e emulsão de manteiga da terra com ervas), com rosas e sal negro.

Sétima estação

Menino malino

Sobremesa: Trio de Cocada( natural, chocolate e maracujá).

Oitava estação

Leruaite

Munguzá doce com milho branco servido numa taça de dry Martini com tomilho e um pau de canela e flor de girassol.

***

O festival atrai um público de estudantes e professores de gastronomia, profissionais de hotéis e restaurantes, além de formadores de opinião. Também participam como convidados Chefs de Cozinha de outros estados brasileiros. Em conversa comigo, o chef Clóvis Lima diz que gosta de valorizar os ingredientes da terra natal e que a receptividade no exterior é muito boa.

Chef Clóvis Lima (Foto: Internet)

A história do Clóvis Lima é interessante: começou a vida profissional como salva-vidas em uma escola de Fortaleza, mas vem de uma família cujo pai era pescador e tanto ele quanto a mãe gostavam muito de cozinhar frutos do mar. Um dia o Clóvis resolveu se especializar, saiu do Ceará em uma época que não tínhamos cursos específicos para formar gastrônomos e desde então trabalha com a gastronomia. Hoje trabalha como Personal Chef, consultor gastrônomo, restauranter e é Embaixador da Gastronomia no Ceará.

Se você quer saber mais do Brazilian Taste Gastro Show, pode acessar o site ou a página do facebook! E aí, bora pra Londres?

Publicidade

Pizza de coxinha: bizarrices que amamos

Por Ariane Cajazeiras em Coxinha

26 de junho de 2017

O brasileiro é criativo! E quando se trata de comida, aí é que os limites sempre são ultrapassados. Na última semana, rodou o Brasil uma imagem de uma pizza com borda de coxinha! A delícia nada leve foi criada por um pizzaiolo conhecido como Tilon, do restaurante Amalicia em Missão Velha, no Cariri. A história dele já foi bem contada aqui mesmo, no portal Tribuna do Ceará.

Tilon, com suas criações (Foto: Arquivo pessoal)

Mas aqui em Fortaleza, uma doceria no bairro Jóquei Clube, tradicional por oferecer comidas gigantes como a big coxa de um quilo, já adicionou a pizza de coxinha ao cardápio. Em menos de 2 dias, a procura gerou até fila de espera. Afinal, quem não gosta de uma exagero no fim de semana? A sócia do Empório das Comadres, Joelma Maia, diz que quando a imagem da pizza do Tilon estourou nas redes sociais, os clientes começaram a pedir uma versão fortalezense da delícia. Foi aí que os cozinheiros já criaram a versão pra cá.  A pizza tem oito pedaços e vem com oito coxinhas médias na borda. O cliente pode escolher até dois sabores de pizza e as coxinhas são tradicionais de frango. O valor é R$ 49,90.

Pizza com Borda de coxinha do Empório das Comadres (Foto: Divulgação)

A outra sócia da loja, Genny Cunha, diz que a maioria dos pratos exagerados é sugerida mesmo pelos próprios clientes. Além da coxinha de um quilo, elas tem naked cake de coxinha (!!!), taças avalanches doces (aquelas com doce na parte de fora da taça, sabe?) e taças avalanche salgadas, cobertas de bacon, purê, recheadas com camarão… enfim. Qualquer exagero é pouco para mensurar a criatividade para gordices.

E aí? Você encara uma pizza de coxinha, mesmo na segunda-feira, dia mundial dos inícios de dieta? O restaurante fica na Avenida Lineu Machado, 1117, no bairro Jóquei Clube.

(Eu entrevistei as meninas do Empório na Tribuna Band News FM no último sábado, dia 25.06.2017 e vocês podem ouvir o papo aqui.)

Publicidade

Truck bar estaciona em Fortaleza

Por Ariane Cajazeiras em Experiências Gastronômicas

23 de junho de 2017

Nestas sexta-feira e sábado (23 e 24.06) o Colosso Lake Lounge vai ser ponto de parada de um caminhão estilizado que oferece drinks de whisky. É o “Johnnie Walker On The Road”, truck que está viajando pelo Brasil com misturas que têm por base as bebidas da marca Johnnie Walker.

(Foto: Divulgação)

Isso quer dizer que quem passar pelo local vai poder degustar os drinks JOHNNIE RYE. De acordo com o material de divulgação, são oferecidas as seguintes bebidas: uma combinação entre o novo blend Johnnie Walker Red Rye Finish e refrigerante de limão; JOHNNIE CRANBERRY – combinação entre Johnnie Walker Red Label e suco de Cranberry; e JOHNNIE TONIC – Johnnie Walker Black Label com um toque de água tônica.

O caminhão, ou truck, tem um design inspirado no processo de produção do whisky e tem uma estrutura diferente dos trucks que estamos acostumados aqui em Fortaleza, já que as mesas são distribuídas dentro do veículo. A capacidade interna é para até 30 pessoas, então se você quiser garantir lugar, pode fazer reserva pelo telefone (85) 98160-0088.

Na decoração, além da inspiração na madeira e no cobre, há também uma instalação com mais de 300 garrafas vintage, retratando a hereditariedade da marca, que foi criada em 1825, na Escócia.

Johnnie Walker On The Road

Data: 23 e 24/06

Local: Colosso Lake Lounge (Rua Hermenegildo Sá Cavalcante, s/n – Edson Queiroz)

Informações e reservas: (85) 98160-0088

PS: Não preciso nem lembrar, né, porque todo mundo já sabe: quem vai beber pega táxi, Uber, vai de carona, mas não dirige.

 

leia tudo sobre

Publicidade

Você consegue comer um pastel de 1 metro e meio?

Por Ariane Cajazeiras em Eventos

21 de junho de 2017

Na onda dos lanches gigantes, um shopping de Fortaleza lança um desafio: no dia 23 de junho (sexta-feira) os corajosos e famintos vão competir para saber quem consegue comer o maior pastel do Brasil. Mas, calma, não precisa ir sozinho, não. Até porque para detonar um pastelão de um metro e meio de comprimento em até 5 minutos, precisa de uma equipe organizada.

1,5m de pastel (Foto: Divulgação)

Para se inscrever, é preciso montar uma equipe FAMINTA de até 10 pessoas. O regulamento está disponível no site. O pastel ganhou repercussão nacional, ano passado, quando as fotos ganharam a internet e foram postadas por páginas de gastronomia famosas, como a do canal do Youtube Ana Maria Brogui. O “lanchinho” tem 1,50 x 0,35 cm e é recheado de frango, ovos, calabresa, requeijão, presunto, bacon, milho e azeitona sem caroço. Apenas.

Pouco recheio… (Foto: RankBrasil)

A participação é gratuita e a competição tem início às 20h no Piso 2, em frente à loja Le Biscuit. O grupo vencedor leva um troféu e R$ 500 em espécie, e o segundo lugar ganha R$ 300 em espécie.

Festival Sabores

A ação faz parte do Festival de Sabores, que oferece ao público oficinas gratuitas de culinária e ocupa o shopping até 25 de junho. A grande atração do festival é o chef santista Dario Costa, participante do MasterChef Profissionais. O chef  integrou a edição brasileira do MasterChef Brasil, reality show de culinária exibido pela Rede Bandeirantes em 2016. Cozinheiro profissional há nove anos, Dário foi o terceiro colocado nessa edição e em breve lançará o seu mais novo restaurante em Santos (SP), o Madê Cozinha Autoral. Dário faz aulas show no dia 21 no North Shopping Jóquei (Praça de Alimentação – Piso 3), e no dia 22 no Via Sul Shopping, sempre às 19h.

Dario Costa (Foto: Internet)

As oficinas de culinária são realizadas diariamente pelo Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e ACADAA (Associação dos Cakes Designers e Artistas do Açúcar), com inscrições gratuitas. Para participar, basta chegar aos locais das oficinas no horário desejado. Além da competição de maior pastel do mundo, o evento ainda vai promover o concurso de maior boleira da região do Jóquei e de melhor prato típico. As competições têm inscrições gratuitas e são realizadas por meio do site.

Publicidade

Alimentando a Besta

Por Caetano Neto em Vejo comida em todo lugar

04 de maio de 2017

Feed the Beast

Pode parecer estranho gastar meu tempo (e o seu) pra comentar de uma série natimorta. Com apenas dez episódios de uma temporada mal sucedida, a série conta a história do sommelier, viúvo, alcóolatra, derrotado Tommy Moran (David Schwimmer, o eterno Ross Geller) e seu amigo chef, dependente químico, ex-presidiário Dion Patras (Jim Sturgess, o Jude de Across the Universe) tentando abrir um restaurante no Bronx chamado Thirio (Besta ou Fera em grego). Sonho da dupla com a falecida esposa de Tommy.

Com esse breve resumo já dá pra notar que a série entulhou os personagens com características de mais. E o pior isso não necessariamente significa profundidade. Os personagens principais normalmente agem como crianças de 12 anos. Inconsequentes, brigões. A gastronomia também não tem profundidade e as vezes parece até perder a relevãncia na série. Falta naturalidade dos atores com os temas.

Produzida pela AMC (a mesma de Walking Dead, Mad Men, Breaking Bad, entre vários outros) o argumento da série parece ter saído de estudos estatísticos do gosto dos usuários e batido no liquidificador. Breaking Bad fez sucesso, tempera essa série com máfia e drogas. Reality Show de gastronomia tá na modinha, bota uma dose. Tem gente com saudades de Friends, vamos trazer algum dos atores. Dexter foi bem sucedido? Vamos trazer Clyde Phillips, um dos produtores de lá. E no final o que ficou parecendo foi que não tiveram consultores suficiente em todas essas direções para realmente dar a profundidade necessária.

Jim Sturgess e David Schwimmer

Jim Sturgess e David Schwimmer

Provavelmente, essa falta de profundidade foi um dos principais ingredientes para o cancelamento já na primeira temporada. Mas o que eu gostaria de comentar é o total descaso com consequências na série. E para isso terei que comentar alguns fatos que podem estragar a série. Então se você não está com seus antiácidos em dia para spoilers, melhor não prosseguir.

O personagem do Jim Sturgess, Dion Patras, consegue consumir cocaína sem nenhum abalo nas suas percepções do mundo, sem que ninguém note que ele está drogado. Existe um dilema no final da série onde TJ, filho de Tommy (David Schwimmer) implanta evidência para incriminar um colega do colégio. Tommy gasta muito tempo da série filosofando sobre esse assunto, mas no final decide não entregar o filho. E um dos principais para os leitores interessados em comida. Um crítico gastronômico e chef vai ao restaurante experimentar a comida e usam de ingrediente uma torta que estava no lixo para montar uma sobremesa. oO. E o crítico não nota nada.

Ok. Como diria um amigo meu, tirando os defeitos a série tem só qualidades. 😀 Brincadeira. As qualidades são poucas, mas relevantes. O aspecto visual da série é primoroso. Fotografia, design de produção bem cuidados. E a parte que mais gostei foi aparecer o processo de se criar um restaurante. Da procura de investidor até a preocupação com licenças municipais. Para mim, foram as únicas coisas que me sustentaram nessa peleja de quase 10h de episódios. Não sei se você leitor teria a mesma paciência… 😀

Guardei só mais um item pra comentar no final. O apelido do vilão é Fada dos Dentes. Um mafioso conhecido como Fada dos Dentes….

leia tudo sobre

Publicidade

Um boteco para chamar de seu!

Por Iury Costa em Experiências Gastronômicas

18 de abril de 2017

Gente, está rolando em Fortaleza desde a sexta-feira, dia 14, a sétima edição do Comida di Buteco, que vai premiar as melhores comidas de raiz do Fortaleza, os petiscos mais originais, e, é claro, o melhor boteco da cidade, que também pode ser eleito o melhor do Brasil. São avaliados quesitos como tira-gosto, atendimento, temperatura das bebidas, e higiene do espaço. Por aqui, 16 estabelecimentos participam:

Alma Gêmea – Rua Dragão do Mar, 30 – Praia de Iracema

Concorre com o Camarão Sertanejo, camarão empanado em carne de sol desfiada e farinha de mandioca servido com couve, paçoca e molho tártaro.

Alpendre – Rua Torres Câmara, 181 lj 1. – Aldeota

Concorre com o Kibeer, um kibe feito com cevada, acompanhado com molho de iogurte caseiro, lúpulo e hortelã. Uma cerveja para mastigar!

Bar Chá da Égua – Avenida Gomes de Matos, 302 – Montese

Concorre com o Velas do Mucuripe, um filé de tilápia na crosta de aveia com molhos especiais da casa.

Bar do Helano – Rua Carlos Vasconcelos, 2310 – Joaquim Távora

Concorre com o Bolinho do Cazuza, feito de arroz e recheado com queijo muçarela.

Bar do Nem – Rua General Clarindo de Queiroz, 1745 – Mercado São Sebastião

Concorre com o elaborado A Esperança da Jeriquita e suas Cumades, são bolinhos feitos de purê de jerimum, batata doce, batata inglesa, macaxeira, leite de coco, manteiga da terra e queijo gorgonzola, maionese de barbecue, barbecue de tamarindo e molho de pimenta caseira.

Bar O Camocim – Rua Padre Mororó, 1012 – Centro

Concorre com o Mestre Lucas, um filé de peixe branco ao molho agridoce de maracujá.

Boozer’s – Rua Carlos Vasconcelos, 834 – Meireles

Concorre com o Pastel Celestino, feito com massa de farinha de quinoa, recheado com carne do sol, feijão verde e queijo coalho.

Boteco do Arlindo – Rua Carlos Gomes, 83 – José Bonifácio

Concorre com o Três meninas, que são três panquecas recheadas, uma de carne de sol, outra de creme de arraia e uma de frango caipira.

Canto do Baião –  Rua Capitão Uruguai, 56 – Aerolândia

Concorre com uma coxa com sobrecoxa desossada e grelhada no molho de laranja.

Carneiro do Tércio – Rua Gonçalves Ledo, 1123 – Aldeota

Concorre com a Coxinha de Frango da Tia, que é uma coxinha apimentada de frango, acompanhada de um molho especial

Espaço Casa da Sogra – Rua Vasco da Gama, 1072, Fundos – Montese

Concorre com a Sogra Alada, meio da asa levemente picante empanada, acompanhada de molho barbecue, geleia de pimenta e farofa crocante.

Kina do Feijão Verde – Rua João Cordeiro, 1697 – Aldeota

Concorre com o Cordeiro da Filhota, que é um cordeiro trinchado com cerveja

Outras Palavras – Rua Ana Bilhar, 1470 b – Varjota

Concorre com as Coxinhas Sem Massa, três coxinhas sem massa, servidas com molhos especiais da casa.

Picanha Iracema – Rua Joaquim Alves, 104 – Meireles

Concorre com o Camarão com ervas a Doritos, são camarões empanados com Doritos, e servidos com geleia de pimenta.

Teresa & Jorge – Rua João Cordeiro, 540 – Praia de Iracema

Concorre com o Joaquim Manoel, que é um Pastel com recheio de bacalhau cremoso e temperos especiais.

Varandão da Vila (Mariaaaaaaaana!) – Avenida Osório de Paiva, 1612 – Parangaba

Concorre com o Munguzá de Buteco, uma receita de munguzá salgado, e temperado com ingredientes regionais.

Esta é a sétima edição do Comida di Buteco em Fortaleza, mas o concurso também acontece em outras 19 cidades brasileiras desde 2000. A seleção do melhor boteco acontece no dia sete de maio. Daí, o estabelecimento escolhido passa a concorrer para se tornar o melhor do Brasil. Vale o voto do público, e de um júri especializado. Como começou na Sexta-feira da Paixão, o embalo começa a partir desta semana. O Blog Le Chef Coxinha vai tentar ir em todos. Os resultados vão aparecer por aqui.

 

Foto: reprodução internet

leia tudo sobre

Publicidade

Páscoa do #compredequemfaz

Por Ariane Cajazeiras em Chocolate

12 de abril de 2017

Não sei de onde surgiu essa hashtag #compredequemfaz, mas desde que abri um pequeno negócio informal inicialmente de bijouterias e hoje de artesanatos com minha mãe há quase 7 anos, o Ateliê Romantisch, passei a valorizar muito quem produz artesanalmente, tem marcas locais, etc. Não pelo fato de querer alavancar as vendas, não é isso. Mas porque entendi alguns fatos em relação aos produtos artesanais.

O primeiro deles é que cada peça feita a mão é única. Por mais que você use a mesma matéria prima, mesmos moldes… uma peça nunca será igual a outra pois seres humanos não são máquinas. E, como você deve entender, tudo que é único tem valor inestimável. O segundo fato é que quando se compra algo feito por um pequeno produtor, você está movimentando a economia local. Ao invés de investir seu dinheiro em grandes empresas, porque não ser o patrocinador de pequenos (grandes) talentos? E por último, quando você fomenta a produção de um pequeno, você tem acesso à matéria prima, sabe de onde veio aquilo e pode pesquisar com mais facilidade a procedência do que está consumindo. E é por tudo isso que sou a rainha das feirinhas: compro com orgulho de quem faz, elogio, propago. E chega desse “ranço” provinciano de que as coisas que nós produzimos aqui são menores e piores do que as que vem de fora. Não!

E nessa onda resolvi esse ano que neste mês de abril não iria comprar ovos de Páscoa dos grandes produtores. Por mais que minha criança interior gritasse por um Surpresa Bichos Nestlé, os lindos e pesados ovos de colher foram meus escolhidos. Claro que ainda existem aqueles chocolates cheios de gordura com “gosto de sabão”, mas tem muita gente boa sabendo temperar um bom chocolate como ninguém! Por isso saí “fazendo a feira” em pequenas docerias caseiras de amigos, conhecidos e indicados por amigos. Fiz questão de pagar pelos ovos (senão nada de fomentar a economia, né?), dar o feedback e divulgo aqui sem filtros as fotos e pontos baixos e altos de cada “ovíneo” caseiro consumido. E vamos tirar o “caseiro” do hall das coisas pejorativas! Comida caseira é tudo de bom 🙂

1) Casa Costa Confeitaria – O número um das críticas positivas de  todos que me “ajudaram” (ê tarefa difícil, né, família?) a provar os chocolates aqui em casa. A Casa Costa é a marca do nosso companheiro de blog Iury Costa. O Iury já fazia bolos, bolos “afogadinhos”, tortas e cupcakes e nessa Páscoa começou a investir nos ovos. O chocolate utilizado é um blend de ao leite e meio amargo. Vem recheado de brigadeiro tradicional, beijinho, brigadeiro de farinha láctea, brigadeiro de Oreo, entre outros. Encomendei o de beijinho com oreo. Não gosto nem um pouco de beijinho com coco industrializado (aqueles adoçados, em flocos, que vem no saco), por isso tenho o maior preconceito em pedir doce de coco nos cantos, mas esse docinho me surpreendeu positivamente! O recheio de coco é o melhor de todos que já provei.

Preços: A partir de R$25

Ponto Alto: Chocolate de qualidade, apresentação linda e beijinho com gosto de infância.

Ponto Baixo: O biscoito Oreo fica mole quando está em contato com o ar, então não estava crocante (avalie isso se for encomendar esse sabor). A casquinha é mais fina na borda, ficando mais quebradiça no manuseio.

Contato: Instagram: @casacostaconfeitaria/ Whatsapp: (85) 98853.0261

Informações adicionais: Aceita encomendas até a Páscoa. Aceita Cartão de Crédito e Débito.

 

2) Dolcelita  – Amo os brigadeiros que a Tallyta Monique faz! Ela é uma colega aqui do Sistema Jangadeiro e eu já tinha tido a oportunidade comprar os docinhos finos dela em outras (muitas) ocasiões. Têm uma textura maravilhosa, aquelas bem “puxa”, do jeito que eu gosto. Além de sabores variados e diferenciados, como o de churros, Romeu e Julieta (amo), Meio Amargo. Nessa Páscoa, ela fez uns testes bem sucedidos com ovos de Páscoa e está comercializando entre amigos e conhecidos.

Preços: Variam entre 20 e 60 reais, sendo o mais barato o tradicional de 200g e o mais caro o trio do Coelho, com 3 ovos de colher de 200g. É possível acrescentar adicionais como leite ninho ou twix por mais 5 reais.

Ponto Alto: A casquinha foi a mais elogiada dos críticos aqui de casa. O sabor de meio amargo e a borda grossa e bem acabada. Adoramos. A apresentação também muito cuidadosa. Olha só esses brigadeiros, que perfeição!

Ponto Baixo: Não gosto muito das bolinhas crocantes (o que chamam de “chocoball” e afins) , porque de um modo geral o chocolate delas não é de qualidade. Atrapalha o sabor do brigadeiro, na minha opinião.

Contato: Instagram: @tallytabruno / Whatsapp: (85) 98181.0491

Informações adicionais: Aceita encomendas até a Páscoa. Não tem cartão de crédito.

3) Açaí no Alvo Maracanaú – No quesito inovação, esse ovo superou os outros. Aproveitou a moda que invadiu a cidade, afinal os pontos de açaí pipocam nas ruas de Fortaleza e região metropolitana e são frequentados em todos os bairros. Fruta típica do norte do país, o açaí tem seu lugar aqui no estado. Mas o sabor divide muito opiniões: quem ama, ama, quem não gosta, insiste em dizer que nós, adoradores do açaí, estamos “comendo barro” (apenas parem). Não moro em Maracanaú, então foi através de um colega de trabalho que encomendei o Ovo de Páscoa trufado com açaí da franquia Açaí no Alvo. O recheio é um brigadeiro de açaí e a cobertura você escolhe. O meu veio com paçoquita (combinação perfeita S2), leite ninho, gotas de chocolate e castanha. Também é possível colocar frutas, jujuba e o que mais você preferir.

Preços: Fabricado em três diferentes tamanhos, 380g, 480g e 720g, o Ovo Trufado com Açaí custa entre R$ 20 e R$ 45.

Ponto Alto: O gosto do açaí é bem leve, mas ainda assim é possível identificar o sabor no brigadeiro. O recheio não é muito doce e por isso não enjoa! Também achei o preço bem em conta para o tamanho e a qualidade. É um ótimo e inusitado presente para os amantes do açaí.

Ponto Baixo: O chocolate da casca é de média qualidade (embora gostoso, mas não é tão fino) e a loja é meio longe para quem mora em Fortaleza.

Contato: Facebook:/acainoalvomaracanau/ Instagram: @acainoalvomaracanau

Informações adicionais: Aceita Cartão de Crédito e Débito.

4) Deborah Lage Doces – Não conhecia a Deborah, mas ficava babando nas fotos postadas na internet pelo irmão dela, meu colega de Sistema Jangadeiro. Ela faz doces, bolos lindos e sobremesas. Gosto muito da forma que ela decora os doces, ela trabalha super bem com o bico de confeiteiro. Nesta Páscoa, resolvi encomendar um ovo de chocolate branco recheado com brigadeiro de limão e farofa de biscoito passatempo, ovo que acabou sendo entitulado de tortinha de limão. Pedi para colocar biscoito na casca. A Deborah é muito caprichosa e ama cozinhar, dia desses li a história dela contada pelo irmão, que inclui a desistência de um ótimo emprego (financeiramente falando) para seguir fazendo algo que ela ama: cozinhar.

Preços: A partir de R$25

Ponto Alto: Brigadeiro delicioso e produtos de ótima qualidade. A farofinha de passatempo é realmente do biscoito, não é de biscoito similar. O brigadeiro não é azedo (como muitas sobremesas de limão) e é bem liso e gostoso.

Ponto Baixo: Pedi biscoito também na casca, mas ela colocou não pedaços, e sim o biscoito triturado, daí não deu pra sentir bem. O chocolate branco da casca é bem mais doce, então corre o risco de ficar enjoativo.

Contato: Instagram: @deborahlagedoces/Facebook: /Déborah-Lage-Doces Whatsapp: (85) 99905.2685

Informações adicionais: Aceita Cartão de crédito e Débito. Não aceita mais encomenda para essa Páscoa 🙁

 

Todos eles valem super a pena. E tem ainda uma coisa em comum entre as pessoas que fazem ovos de Páscoa artesanais: a simpatia, o carinho e o amor pelo que fazem. Isso torna a Páscoa mais especial e combina bem com o motivo religioso, não é mesmo? Sucesso para os pequenos empreendedores e boa Páscoa para todos vocês 🙂

 

Publicidade

Habemus alfajor argentino: Cafeteria Havanna inaugura em Fortaleza

Por Ariane Cajazeiras em Café, Chocolate, Restaurantes

18 de julho de 2017

É na próxima sexta-feira, 21 de julho, que a cafeteria da marca de alfajores argentina mais famosa, a Havanna, finca bandeira em Fortaleza. Pra gente que gosta de gastronomia, doce, café e novidade, a notícia causou impacto. A expectativa é grande, já que os produtos que conhecemos da Havanna, os seus maravilhosos alfajores, além do doce de leite argentino, agradam e confortam nosso coraçãozinho glutão. Como não temos loja da marca por aqui, a alternativa era comprar em viagens (tem algumas dezenas de quiosques e cafés em alguns shoppings e aeroportos do Brasil, como no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador). Agora, teremos a oportunidade não só de comprar os produtos aqui na cidade, mas também de aproveitar o ambiente e as comidas de uma cafeteria.

O tradicional alfajor argentino (Foto: Divulgação)

A franquia que chega à capital cearense instala o primeiro ponto de venda na região. O café se instala no Shopping Iguatemi Fortaleza e vai comercializa, além de produtos de cafeterias e os tradicionais doces da marca, também sanduíches, tortas, drinks e salgados. A ideia da nova unidade é trazer também “um conceito de espaço aconchegante e acolhedor, com novo design e nova comunicação visual, pensada especialmente para o espaço do shopping”, diz o material de divulgação.

Hamburguer do Menu (Imagem: Divulgação)

A marca se expande através de franquias desde 2014 e planeja abrir mais 25 cafeterias até o final do ano em todo o país. A Havanna, que tem quase 70 anos de tradição, chegou ao Brasil em 2006 e desde então é sinônimo de legítimo alfajor argentino para a maioria dos brasileiros. Se você não conhece, recomendo começar pelo alfajor tradicional e o também tradicional pote do brilhoso doce de leite.

A loja vai oferecer um Blend de café exclusivo Havanna, 100% arábica, que possui notas achocolatadas para harmonizar com o Doce de Leite argentino. E minha curiosidade total está também nos doces oferecidos: é que a chef Pâtissier Carole Crema (conhecida também por ser uma das juradas do programa Que Seja Doce, na GNT – já perceberam que sou fã do reality, né?) passa a ser a fornecedora dos doces para todos os cafés Havanna, com produtos aprovados e chancelados pela Havanna Argentina. A Carole é a jurada mais fofa do reality, além de, claro, falar sempre com muita propriedade das sobremesas e bolos apresentados. Não tive a oportunidade de provar as receitas dela ainda, então fiquei  empolgada.

Carole Crema (Imagem: internet)

Acho ótima essa expansão de cafeterias especializadas em shoppings. No Iguatemi, por exemplo, temos a ótima Grão Espresso e a minha preferida, a 3 Corações. A gente espera que a Havanna venha agradar a todos nós, amantes de doces e cafés <3

PS.: estou de dieta, socorro.

Serviço:

Café Quiosque Havanna
Inauguração aberta ao público: sexta-feira (21) 

Localização: Piso Térreo – Quiosque 1796

Endereço: Av. Washington Soares, 85 – Edson Queiroz, Fortaleza – CE, 60811-340

Horário de Funcionamento: Segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos das 14h às 20h