Arquivo mensal: abril \22\UTC 2013

 

O afghan hound

Compartilhar por e-mail

Af

O afghan hound  hoje em dia é mais  conhecido pela sua estonteante beleza, esta magnífica raça fez seu nome pela sua incrível visão e velocidade na caça.  em terrenos irregulares ou nas planícies, o “Galgo de Cabul”, assim chamado no Afeganistão, abatia suas presas com destreza antes de levar ao dono.

Sua  origem é considerada uma das mais belas e exóticas entre todas as raças, é muito antiga e perde-se no tempo. Por isso mesmo, sobram lendas a respeito da raça, que teria sido, segundo relatos, o representante da espécie canina na Arca de Noé.

Segundo a Bíblia, Noé teria escolhido o Afghan Hound para perpetuar a espécie canina no mundo,sendo o representante dos cães na arca. E segundo estudiosos dessa “lenda”, tem fundamentos científicos, afinal a arca de Noé navegou em regiões de onde são a origem desta raça e Noé teria escolhido por ser um exemplar que levava a “marca divina”, ou seja, uma marca branca na cabeça. Hoje em dia os Afghans que possuem essa mancha branca na cabeça são muito valorizados na Ásia

Alguns historiadores baseiam-se em um manuscrito chinês para provar que o Afghan, conhecido como Tazi em seu país de origem, seria o descendente direto dos primeiros canídeos que habitavam as estepes asiáticas 100 mil anos antes da era cristã.

A palavra Tazi, utilizada pelos afegãos para o nome da raça também significa ‘rápido’ ou ‘branco’ e também seria o nome de uma cidade entre Ghazni e Kandahar, que o sultão Muhmud de Ghazni havia dedicado aos Afghans que teriam ajudado a conter uma invasão hindu.

Todas essas hipóteses na verdade dificilmente serão passíveis de comprovação, mas dão uma boa idéia do fascínio que estes cães despertam.

O primeiro Afghan ‘real’ chegou à Inglaterra em 1907, levado pelo capitão John Barff e exposto no Crystal Palace em outubro daquele mesmo ano. Sua exportação era proibida em seus países de origem, portanto essa raça chegou à Europa já totalmente desenvolvida, e por contrabando.

Na sua terra natal, os Afghans foram utilizados como cão de caça à lobos, gazelas e à lebres, e até mesmo como cão de defesa de propriedades. Apesar das tarefas distintas, todas tinham em comum o fato de que o Afghan é um cão anatomicamente desenhado para desenvolver grande velocidade, o que lhe rendeu ainda a tarefa de cão de corrida

Essas características fizeram com que ele fosse utilizado por muito tempo como cão de correio na região, uma vez que por ser um cão muito rápido, conseguia levar mensagens em alta velocidade mesmo em regiões de difícil acesso. Atualmente, os Afghan Hound são muito apreciados especialmente nos EUA por participarem com grande sucesso das corridas de cães que se realizam por todo país..

Até em função de suas atividades originais, que obrigavam que ele mesmo tomasse suas decisões, não é um cão de atitudes submissas e devotadas. Isso não quer dizer que ele não se apegue aos donos, mas sim que só vai obedecer se quiser.

Para aqueles que esperam um cão que siga o dono pela casa, o Afghan é totalmente contra-indicado. No entanto para aqueles que desejam um cão mais independente, que não fique pedindo carinho e solicitando atenção, pode ser uma boa pedida. Alguns criadores sintetizam esse traço de comportamento afirmando que o Afghan tem um comportamento muito mais ‘felino’ do que canino.

Sua tranqüilidade é tanta que pode até viver em pequenos espaços, mas precisa fazer exercícios regulares para se manter saudável e em forma, uma vez que sua estrutura física foi moldada para esta finalidade. Com sua elegante aparência e porte altivo e aristocrata o Afghan tem conquistado muita gente e é tido por muitos como “O REI DOS CÃES”.

Não costuma latir em excesso. O relacionamento do Afghan com crianças é controverso e normalmente os criadores afirmam que a disposição de brincar e respeitar crianças varia muito de acordo com cada exemplar, o mesmo valendo para o convívio com outros cães e gatos… Alguns podem conviver relativamente bem e outros não. Agora… com certeza é melhor evitar a presença de roedores na mesma casa, uma vez que em sua origem o Afghan era, antes de mais nada, um caçador e são grandes as chances de acontecer um ‘acidente’.

Na classificação do pesquisador Stanley Coren, em seu livro ‘A Inteligência dos Cães’, o Afghan é o último colocado. Isso não quer dizer que a raça seja ‘burra’, mas que simplesmente que eles não fazem a menor questão de obedecer a comandos.

Outra característica marcante na raça é a expressão original e o olhar distante, como se tivesse recordando os tempos passados. Daí vem a frase que todo criador da raça conhece : “UM AFGHAN NUNCA OLHA PARA VOCÊ, , E SIM ATRAVÉS DE VOCÊ.”

O filhote passa por uma transformação total até chegar aos dois anos. Logo que nasce não lembra nem de longe a elegância de um adulto. Tem a cara chata, focinho curto e poucos pêlos.

Aos poucos, começa a ‘parecer’ um Afghan e a partir dos 3 meses fica mais fácil de identificar as características da raça.

Um dos principais cuidados que se deve ter com o filhote é proporcionar bastante atividade física, mas nunca se deve soltar um afghan (mesmo depois de adulto), num espaço sem proteção de grades, caso contrário o cão pode facilmente escapar e será muito improvável que o proprietário consiga alcança-lo correndo.

Uma das principais características da raça é sua pelagem longa e exuberante. No entanto essa mesma pelagem é uma das principais dificuldades da manutenção da raça. Ela  precisa de escovações regulares, um processo que, num cão adulto pode levar mais de 2 horas.

O banho deve ser dado semanalmente e o pelo deve ser desembaraçado ANTES, caso contrário, a formação de nós é inevitável. A secagem deve ser feita com muito cuidado, para que o pelo não quebre e evitando o surgimento de fungos e outros problemas relacionados à pele.

Alguns Afghans possuem uma espécie de barbicha, chamada de mandarim, que confere ao cão um aspecto ainda mais exótico e aristocrático.

No link abaixo temos o padrão da raça:

http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo10/afghan.pdf

O Pastor Alemão, a raça mais popular do mundo.

Compartilhar por e-mail

pastor alemão

O pastor alemão é, com certeza, a raça mais popular e estudada do mundo, até mesmo quem não é criador de cães conhece-o bem e sabe perfeitamente identifica-lo, qualidades não faltam, leal, forte, inteligente, paciente com crianças e multi tarefas, afinal é usado para guarda, guia de cegos, procurar drogas, vitimas soterradas,  esporte, e muito mais.

 As primeiras notícias concretas da raça remontam do século X, quando monges escoceses fundaram uma abadia no Vale de Münter, na Alemanha. Para lá foi levado um tipo de cão que se misturou aos lobos existentes na região, e deste cruzamento surgiu um cão rústico que foi usado pelos camponeses para pastoreio. Em 1891 houve o primeiro movimento real para separar este cão dos demais cães de trabalho.

O idealizador e criador da raça, foi Max von Stephanitz, ele cruzou animais que eram oriundos daquelas regiões conseguindo uma mescla heterogênea destas espécies, sendo o resultado um Pastor Alemão bem adaptado as funções para as quais se destinava. Ele queria um cão que servisse ao homem em múltiplas utilidades.

 Nas Guerras Mundiais é que o exército realmente percebeu o quão útil o Pastor Alemão poderia ser, servindo como cães mensageiros, auxiliando na busca de linhas telefônicas soterradas, encontrando e indicando soldados feridos, trabalhando como sentinelas e avisando a presença de inimigos durante as patrulhas..

O Pastor Alemão é uma das raças mais completas que existe. Altamente inteligente, obediente, corajoso e responsável, este cão desempenha  com eficiência as mais variadas tarefas: desde pastor de  rebanhos, a cão de guarda, de salvamento, de companhia, exposição, polícia, estrela de cinema, mensageiro, e o que você pensar.

É altamente treinável, mas o seu apurado instinto de proteção pode torná-lo perigoso se interpretar mal alguma situação. Convém sempre que seja educado por pessoas experientes desde pequeno, para tornar-se  um adulto controlado.

Com a  família,  revela-se um amigo extraordinário, pois apesar do seu temperamento calmo, são sensíveis ao seu dono e sempre se mostram presentes. Ele gosta de crianças e preferem ser o único animal na casa, mas se tiver que dividir, eles toleram.

Sua movimentação é de um trotador. Com facilidade, conseguem passadas de grande amplitude, rentes ao solo, sem, aparentemente, revelar esforço algum .

A cor da pelagem varia desde o preto, com marcas marrom avermelhado, marron ou amarela, até o cinza claro. Preto ou cinza unicolor sendo, o cinza, encarvoado (sombreado). Máscara e manto, pretos. Pequenas e discretas marcas brancas no antepeito ou uma coloração muito clara na face interna dos membros são toleradas, mas não desejadas, a cor do subpêlo deve ser cinza claro, o branco não é admitido.

 São cães fortes e bem rústicos, os machos tem 60 a 65 cm com peso entre 35 de 45 quilos, já as fêmeas 55 a 60 cm, com peso variando entre 30 e  40 quilos.

Quando filhote dão bastante trabalho, assim como a maioria  dos cães, adoram destruir as coisas e você vai precisar de paciência para ensinar a ele o que ele pode e não pode abocanhar! Mas é ai que começa a sua liderança, mostre os limites, de forma clara, a  raça adora aprender,  você vai se surpreender com  sua disposição.

Criar pastor alemão não é tarefa fácil, é a raça, com certeza, mais exigente, existe todo um protocolo a ser seguido.

No link  abaixo você tem todo o Regulamento de Criação e Registro. 

http://www.clubepastoralemao.com.br/portal/pdf/reg_criacao_cbpa.pdf

Mas só para exemplificar ,  os cães só podem  reproduzir se passarem por uma prova de trabalho, onde um juiz, vai avaliar todas as qualidades  do exemplar, inclusive com prova de tiro.

Por conta de tantas exigências, somente quem ama a raça realmente se dedica a sua criação, quando você comprar um filhote com pedigree, pode ter certeza, que todos seus ancestrais são cães de qualidade.

Vive, em média,  14 anos. Infelizmente, existe alguma propensão para o desenvolvimento de displasia coxo-femural, dermatites, torção gástrica e epilepsia.

 A pelagem deve ser escovada diariamente para  eliminar o pêlo morto, evitando assim as  dermatites, banho só quando necessário, até porque elimina a oleosidade natural da pele. Exercício físico diariamente (aproximadamente duas horas) de forma criativa e desafiante, já que estes cães necessitam de ser estimulados intelectualmente.  Se isso for feito, podem até viver dentro de casa ou até mesmo em um apartamento..

Aqui no Ceará a pelagem é menos densa, e em alguns casos, o subpelo quase que desaparece, mas se adapta bem as nossas condições.

Caso algum dia você visite uma instituição militar, vai encontrar as mais diversas raças, mas uma coisa é certa, em todas elas, o pastor alemão vai estar presente.

Padrão da raça:

http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo1/pastoralemao.pdf