Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Theatro José de Alencar

TJA recebe programação musical para todos os públicos e seminários que debatem a cidade e o patrimônio cultural, nesta semana

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

18 de setembro de 2017

O Theatro José de Alencar (TJA), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe nesta semana, de 18 a 24/9, diversos shows e dois grandes seminários para debater a cidade e o patrimônio cultural. Entre os destaques da música estão os shows da cantora carioca Monique Kessous, do compositor cearense Daniel Medina e de vários artistas locais como Marcos Lessa, Nonato Luiz, Marcus Caffé e Aparecida Silvino, que se reúnem no show “Um Canto de Paz”. A programação completa do TJA está disponível no site da Secult: www.secult.ce.gov.br.

Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver
 
De segunda a quarta-feira, o Theatro José de Alencar recebe o Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver, sempre começando às 9h. O evento tem como objetivo dialogar com a sociedade brasileira promovendo o amplo debate junto a arquitetos, urbanistas, engenheiros, geógrafos, historiadores, gestores públicos, estudantes e interessados de áreas afins, estabelecendo assim, um ambiente que proporcione o pensamento crítico, através de explanações, diálogos e debates de como as pessoas se relacionam com o uso da cidade e o modo de viver. Entre os convidados para debater o tema estão diversos nomes da arquitetura e urbanismo como Fausto Nilo, Custódio Santos, Ciro Pirondi, entre outros. Mais informações e inscrições podem ser acessadas na página oficial do Seminário: seminariocidade.blogspot.com.br.


Seminário “A importância do Patrimônio Cultural no desenvolvimento de Fortaleza como um destino turístico”

Outro seminário está programado para acontece de sexta-feira, 22/9, a sábado, 23/9, sempre às 15h. Promovido pelo Theatro José de Alencar, o Seminário “A importância do Patrimônio Cultural no desenvolvimento de Fortaleza como um destino turístico” tem o objetivo de sensibilizar o poder público, as instituições, entidades e comércio de Fortaleza da importância de desenvolver melhoria na infraestrutura urbana do centro e ações nos segmentos da arte e cultura, que humanize e aproxime o centro da cidade de Fortaleza de sua população.
 
Apresentações musicais

Uma verdadeira maratona musical acontecerá no Theatro José de Alencar nesta semana. Começando na quinta-feira, 21/9. às 19h30, a Orquestra Filarmônica do Ceará sobe ao palco principal para apresentar temas de filmes clássicos. Ingressos à venda ao preço de R$40 e R$20 (meia), na bilheteria.

A sexta-feira,22/9, começa com muito rock, com as bandas Lavage, Matakabra (Natal) e Gleydson Frota e Banda (Sobral). Os shows têm início às 18h, com entrada franca, na Praça Pedro Boca Rica, Anexo do TJA, como parte do projeto Sexta Rock concebido pela Associação Cultural Cearense do Rock (ACR).

Também na sexta, às 20h, o compositor e ator Daniel Medina apresenta as canções do seu primeiro álbum intitulado “Evoé!”, no palco principal. Na companhia dos músicos Saulo Duarte, Igor Caracas, João Leão e Bruno Rafael e com participações especiais de Vitor Colares e Juruviara, Medina passeia por entre músicas inéditas de sua autoria e canções conhecidas pelo público fortalezense. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

Já no sábado, 23/9, às 20h, a cantora e compositora carioca Monique Kessous sobre ao palco do TJA para apresentar o show “S.ÓS”. Baseado em repertório inédito de uma nova safra autoral folk-pop, o show é parte da trilogia existencial que começou com o disco Dentro de mim cabe o mundo (2016). Músicas como S.Ó.S. (que dá nome ao show), “Calmante Anti Sentimenta” e “Normal, aham” abordam a dura realidade do mundo com leveza e humor. Kessous mais uma vez reafirma a grandiosidade de sua obra e se coloca definitivamente como uma artista que reflete seu tempo e tem muito o que dizer sobre o que vê. Os ingressos para o show custam R$40 e R$20 (meia).

Encerrando a semana musical, o TJA recebe no domingo, o show “Um Canto de Paz”, com Marcos Lessa, Davi Duarte, Nonato Luiz, Marcus Caffé, Aparecida Silvino, Tailândia Montenegro, Edu Asaf, Martônio Holanda e o grupo Fulô da Aurora. Os artistas se reúnem para um show em favor da Paz e do Meio Ambiente. A abertura das apresentações fica por conta do grupo da Escola de Dança da Vila das Artes e da performance “Tato Amarelo” de Ítalo Roveri por Reginaldo Figueiredo, poetas do grupo Templo da Poesia. Os ingressos para o show custam R$30,00 e R$15,00 (meia) – ou R$20,00 e R$10,00 (meia), se antecipados – à venda na bilheteria do TJA, com renda convertida para o projeto de formação “Escola Acústica da Natureza”, apoiado pela ONG Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, que se propõe a construir uma orquestra de instrumentos acústicos com o público-alvo na cidade de Maranguape. Antes do show, dialogando com a temática da paz, diversas ONGs estarão no jardim do TJA, fazendo a Feira da Paz e da Ecologia.O momento será proveitoso também para o público infantil, que poderá conferir uma programação de contação de histórias, no mesmo horário e local, com a Escola de Narradores do Theatro José de Alencar.
Artes cênicas
Sábado, 23/9 também é dia de conferir espetáculos de artes cênicas no TJA. Na sala Nadir Papi Sabóia, às 18h30, a Academia do Riso promove promove a terceira temporada de sua mostra de conclusão de curso com o Cabaret da Academia, estrelando seus palhaços e palhaças iniciados na arte na besteira e da bobagem. O projeto foi premiado pelos Editais de Protagonismo Juvenil da Prefeitura de Fortaleza (2016) e atingiu com louvor a meta de formar uma nova geração de artistas para a cidade. Ingressos: R$10 e R$5 (meia). Classificação Indicativa: Livre.

O grupo UM coletivo SÓ, formado por alunos de Dança e Teatro da Universidade Federal do Ceará, apresenta temporada do projeto Do que não foi feito pra durar no Teatro Morro do Ouro, anexo do Theatro José de Alencar. O espetáculo, com classificação indicativa de 16 anos, está em cartaz durante os sábados do mês de setembro, sempre às 19h. Ingressos: R$10 e R$5 (meia).

Publicidade

Seminário “Cidade, Memória e Modos de Viver” discute futuro das metrópoles, de 18 a 20 de setembro 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

14 de setembro de 2017

Evento ocorrerá no Theatro José de Alencar e está com inscrições abertas 

O desenvolvimento urbano nem sempre ocorre de forma coordenada com os anseios da população. O inchaço das metrópoles acarreta consequências visíveis para todos aqueles que delas precisam, como engarrafamento, desordenamento e conflitos. Ao mesmo tempo, esses desafios motivam gestores públicos, entidades de classe e a sociedade civil organizada a propor e executar soluções. Esse é o mote para a realização do Seminário “Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver”, que ocorrerá no Theatro José de Alencar, em Fortaleza, de 18 a 20 de setembro. O evento é uma iniciativa do Arquiteto e Urbanista Jefferson John em parceria com a graduanda em Arquitetura e Urbanismo e fomentadora cultural Izabela Lima, a correalização é da Prottec Arquitetura.  As inscrições já estão abertas e podem ser feitas por meio do site: http://seminariocidade.blogspot.com.br.

A abertura do evento será, no dia 18, com palestra de Camilo Santana, governador do Ceará, e do arquiteto Carlos Murdoch Fernandes. Mestre em Sustentabilidade Aplicada à Arquitetura pelo PROARQ/UFRJ, Carlos Murdoch Fernandes possui diversas premiações do IAB Carioca como arquiteto e orientador de trabalhos acadêmicos. Atua ainda como promotor de diversos eventos relacionados à aplicação do pensamento verde nas cidades, notavelmente as exposições “Arquitetura Bioclimática no Rio de Janeiro” (2004) e “2030?” (2007).

Além deles, o seminário terá participação de Ciro Pirondi (arquiteto, diretor da Escola da Cidade de São Paulo), Campelo Costa (ex-presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB), Fausto Nilo (coordenador do eixo urbanístico do Plano Mestre Fortaleza 2040), Francisco Cunha (coordenador do Plano Recife 500 anos), Roberto Cláudio (prefeito de Fortaleza), além dos presidentes do IAB/CE, CAU/CE e CAU/BR, dentre outros.  Na mesa de encerramento, dia 20 de setembro, haverá presença de dois outros grandes nomes: Frederico de Holanda e Nabil Bonduki.

Frederico de Holanda é doutor em arquitetura (Universidade de Londres, 1997) e professor Titular, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília. Autor de diversas obras de renome, como Oscar Niemeyer: de vidro e concreto / of glass and concrete (primeiro pela editora que fundou – FRBH, 2011), sua produção acadêmica investiga relações entre configuração edilícia e urbana, uso dos espaços abertos públicos, e segregação socioespacial.

Já Nabil Bonduki possui doutorado (1995) em Estruturas Ambientais Urbanas pela Universidade de São Paulo. Atualmente é Professor Titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Habitação, Planejamento Urbano e Regional, História Urbana e Meio Ambiente. Exerceu ainda o cargo de vereador em São Paulo (de 2001 a 2004 e entre 2013 e 2014) e ocupou cargos públicos de destaque, como superintendente de Habitação Popular do município de São Paulo (1989-92), na coordenação da consultoria para a elaboração do Plano Nacional de Habitação (2007/9). Foi Secretario de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (2011-2012) e secretário Municipal de Cultura de São Paulo na gestão do ex-Pref. Fernando Haddad.

Seminário “Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver” tem como público-alvo todos os interessados em discutir o futuro das metrópoles e soluções para as crescentes demandas. “O debate sobre a construção de cidades mais democráticas pertence a toda a sociedade. Com esse evento, queremos proporcionar ao público a oportunidade de conhecer e ouvir sobre o que vem sendo executado no Brasil”, destacam Jefferson John e Izabela Lima, organizadores do evento.

O evento foi contemplado pelo Edital “Chamada de Ocupação Artística – Cultural do Theatro José de Alencar – 2017” e conta com o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, Theatro José de Alencar, Instituto Dragão do Mar, Secretaria de Cultura de Fortaleza, Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento do Ceará (IAB-CE), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (CREA-CE) e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Ceará (CAU-CE), CAGECE e Secretaria das Cidades.

Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver

Data: de 18 a 20 de setembro de 2017

Horário: Das 9h às 12h / Das 14h às 22h

Local: Theatro José de Alencar – Rua Liberato Barroso, 525 – Centro, Fortaleza – CE

Realização: Jefferson John e Izabela Lima

Co-realização: Prottec Arquitetura

Informações e inscrições: www.seminariocidade.blogspot.com.br

E-mail: seminariocmdmv@gmail.com 

Redes Sociais: facebook.com/seminariocidade  e instagram.com/seminariocidade

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

TJA traz uma semana de Filmes, Danças, Teatro, Rock e Literatura

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de setembro de 2017

Um dos destaques é a comemoração dos 60 anos da Comédia Cearense e, ainda, o domingo inteiro de atividades gratuitas

Filmes, Danças, Teatro, Rock, Literatura, Comemoração dos 60 anos da Comédia Cearense e, ainda, um domingo de atividades gratuitas. É o que promete o nesta semana de 14 a 17/9. As atividades iniciam com a exibição do Filme “Janela Lateral”, da jornalista Natércia Rocha, no Cine Morro do Ouro. O filme aborda a solidão das grandes cidades, através de registros feitos do 9º (nono) andar do Edifício Paraguaçu, localizado no cruzamento entre as ruas Pedro I e Sólon Pinheiro, no centro de Fortaleza. O documentário de quinze minutos é dividido em três dias e duas noites, onde estão condensados fragmentos do dia a dia e suas contradições. O evento integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Também na quinta-feira, 13/9, às 19h30, estreia o espetáculo “O Morro do Ouro”, montado em comemoração aos 60 anos do Comédia Cearense. De autoria de Eduardo Campos, é um marco do teatro cearense, e foi encenado pela primeira vez em 1963. A peça busca expor o cotidiano da comunidade do Morro do Ouro, uma das primeiras favelas de Fortaleza. A peça tem como protagonista a prostituta Madalena e seu amante, o traficante do morro, Zé Valentão. É assim que ela é conhecida na zona. É uma mulher que veio do interior e, por não ter nenhuma qualificação, só encontrou um caminho para viver: prostituindo-se. A montagem é uma comemoração aos 60 anos da Comédia Cearense. Os ingressos estão à venda ao preço de R$ 30 e R$ 15 (meia)Classificação Indicativa: 14 anos. A temporada de “O Morro do Ouro” segue de 14 a 17/9.

A sexta-feira, dia 15/9, chega com o PONTO.CE no TJA, trazendo às 18h, na Praça Bora Rica, as Bandas Sincope, Broken Toy Army e Gabrielle Gomes. Os ingressos para a Sexta de Música estão à venda na Bilheteria do TJA ao preço de R$ 10 e R$ 5 (Meia). O Ponto.CE no TJA é mais um dos inúmeros projetos que o Festival Ponto.CE desenvolve durante todo o ano, com o objetivo de movimentar e fomentar a cena musical e cultural da cidade. Participam desta edição as bandas Sincope, Broken Toy Army e Gabrielle Gomes. Esta programação integra a Chamada de Ocupação do TJA.

Também no dia 15/9, às 18h30, o TJA recebe o Lançamento de Livro comemorativo aos 30 anos do Prêmio Teatro Carlos Câmara – Celebração e Aplausos, de Antônio Marcelo. O livro registra os grandes nomes da Cena Cearense que foram agraciados com o TROFÉU CARLOS CÂMARA e contemplados com o Prêmio Destaques do Ano. Atividade gratuita.

Final de Semana começa com Sarau e segue com música, dança e comemoração dos 107 anos do TJA


Sarau das Novas Coisas Antigas, da jovem cantora e compositora, Bárbara Sena, traz no sábado 16/9, às 17h, o Elogio ao Tempo, projeto aprovado no Edital de Ocupação do Theatro José de Alencar de 2017, que mistura música e literatura. A atividade é gratuita e conta com a presença de veteranos artistas cearense, ocorrendo no Foyer do TJA.

Também no sábado, dia 16/9, às 19h, o Morro do Ouro apresenta o espetáculo “Antes só”, do Um coletivo Só de dança e teatro, núcleo artístico de jovens artistas da Dança contemporânea e do Teatro de Fortaleza, criado em 2015. Na ocasião, o coletivo traz para o Theatro José de Alencar os espetáculos “Antes Só” e “Do Que Não Foi Feito Pra Durar”, repertórios do coletivo. O espetáculo integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA.

Domingo é dia do Theatro de Portas Abertas com atividades inteiramente gratuitas

Quem estiver por Fortaleza neste domingo, 17/9, das 14h às 19h30, poderá conferir a programação comemorativa aos 107 anos do TJA, que ocorre sempre no dia 17 de cada mês. Serão mais de cinco horas com atividades gratuitas que incluem as visitas guiadas, a apresentação do Ensaio Aberto: A Ilha, com Katiana Monteiro, às 16h, na Sala Sidney Souto, seguida da encenação de “A viagem de Felipe”, no Teatro Morro do Ouro. Às 17h, o Foyer recebe a apresentação da Orquestra Villa Lobos. Outro espaço do TJA que recebe atividades é a Galeria Ramos Cotoco, que sediará a abertura da Exposição “Rock Vive”. Às 18h, a Orquestra Villa Lobos realiza no saguão do TJA a apresentação da Hora do Ângelus.

A criançada também tem um horário garantido para brincadeiras, trata-se da Contação de Histórias realizadas às 18h10, nos Jardim de Burle Marx. No Teatro Morro do Ouro ocorre ainda a exibição de Bocas Sujas de Carmin, às 18h20, na Sala Sidney Souto, e às 19h, na Sala de Teatro Nadir Sabóia ocorre o espetáculo “As bondosas”. Finalizando as comemorações deste domingo, 17/9, às 19h30, o Comédia Cearense encerra a temporada de “O Morro do Ouro”, no Palco Principal.

A programação completa do TJA está disponível no site da Secult:www.secult.ce.gov.br 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Show em homenagem à Clara Nunes no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

29 de agosto de 2017

A cantora Clara Nunes deixou seu nome marcado na história da Música Popular Brasileira como uma das melhores intérpretes da nossa música principalmente por sua ligação com o samba. Sua voz imortalizou sucessos como “Morena D’Angola”, “Tristeza Pé no Chão”, “Canto das Três Raças” e tantos outros. Estes e outros sucessos de Clara Nunes serão relembrados no show “Homenagem à Clara Nunes” da cantora e compositora cearense Odeth Menescal, nesta sexta-feira, 01 de setembro, às 20h, no Teatro Morro do Outro, anexo do Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Fã e conhecedora de todo trabalho de Clara Nunes, Odeth Menescal vem apresentando este espetáculo bastante aplaudido nos principais espaços culturais, como Sesc e Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, e casas de show de Fortaleza. O show também representa um resgate à obra de Clara Nunes que não apenas cantava mas empreendia pesquisa em torno da música brasileira e do folclore. No palco, músicos de grande destaque na cena musical de Fortaleza: Giltácio   Santos (sopro), Marcos Cortez (surdo), Chico do Cavaco (violão), Lauro Viana (cavaco), Igor Ribeiro (pandeiro)  recriarão junto com Odeth Menescal os sambas e demais ritmos inesquecíveis de Clara Nunes.

Sobre Odeth Menescal

Cearense nascida em Fortaleza, Odeth Menescal é artista de características ímpares quando o assunto é música popular brasileira. Admiradora do gênero desde sua infância ingressou na área da música por meio da influência de seu pai. Descobriu o fascínio pela música quando iniciou os estudos de canto no colégio que estudava, em Brasília.

Passou grande parte de sua vida participando de corais e grupos vocais, nos quais chegou a fazer alguns trabalhos cantando em missas, assim como em bares e eventos fechados na cidade. Motivo pelo qual buscou aperfeiçoamento e gravou seu primeiro trabalho, “A ordem é samba”, em 2009, com composições de autoria de seu irmão, Alexandre Menescal.

Serviço
Show Odeth Menescal – “Uma Homenagem à Clara Nunes”
Theatro José de Alencar – Anexo Teatro Morro do Ouro
Dia: 01 de setembro
Horário: 20h
Ingressos: R$ 20 – inteira e R$ 10 – meia
Informações: (85) 3101-2562

* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Novo clipe do single “Disfarçando a dois”, da cantora Mel Mattos, apresenta textura vintage

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

15 de agosto de 2017

 

Gravado no foyer do luxuoso Theatro José de Alencar, no clipe do  single “Disfarçando a dois” do álbum Démodé?!, a cantora Mel Mattos traz todo o requinte de uma composição assinada por Kleber Pereira, contando a história de um romance que tenta superar os obstáculos do cotidiano.

 

A atuação da cantora mostra o drama de uma diva da música na Era de Ouro do Rádio que, mesmo com seu status, não estava livre da ilusão de um relacionamento sufocado pelos conflitos, mas que ainda não perdera a esperança de ser mágico como todo começo, parafraseando a própria letra da música, que “propõe fantasias”. Por isso, na tentativa de superar o caos do dia a dia, a personagem coloca em cheque a atitude disfarçar a dois, para salvar um grande amor.

 

Apresentado elementos em cena que vão desde o figurino da cantora até a banda que lhe acompanha, incluído o charme do baixo acústico, as imagens foram captadas em P&B com uma textura que nos leva à década de 40.

 

O clipe tem direção, roteiro e produção de Dado Fernandes e já está disponível em todas as plataformas digitais como Spotfy, Deezer,  iTunes e Youtube.

 

Mais:

Dentro da proposta do título do álbum (“Démodé?!”), a cantora Mel Mattos aborda nos clipes dos singles a temporalidade, sempre trazendo referências de época, a exemplo de “Pensando Só” que se passa na década de 60.

 

O clipe ganhou repercussão nacional em um dos maiores canais especializados em indústria musical, o Billboard Brasil, também conhecido como “A Bíblia da Música”.

 

  II Ecléticos Livre FestivalMel Mattos sobe ao palco do II Ecléticos Livre Festival no dia 27 (domingo), cantando as músicas do álbum Démodé?!. A cantora também convida Daniel Groove (CE), cantor e compositor que teve seu álbum Giramundo eleito o melhor de MPB no Prêmio Dynamite 2014. As Canções e as referências de Groove, assim como as de Mel Mattos, são um mosaico de várias vertentes da música brasileira e passeia pelo rock, pelo brega e pela MPB.  Esse encontro musical será também uma maneira de reverenciar a nova MPB ‘made in ceara’.   

Sobre o Ecléticos Livre Festival:

 

A segunda edição do Projeto Ecléticos Livre Festival vai acontecer nos dias 26 e 27/08 (sábado e domingo), de 15h às 21h, no Parque do Cocó, em Fortaleza. O evento plural e eclético, como o nome mesmo sugere, conta com a parceria da Enel, apoio institucional da  Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Ceará, apoio da Cagace, coprodução da lluca Design de Ideias, realização da WM Cultural e apoio cultural do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Cultura. Com acesso gratuito, o festival tem como temática este ano a “Música, Criatividade e Cultura Digital”, apresentando estéticas musicais para os mais variados gostos.

 

O “Ecléticos” tem como proposta, a renovação e  ressignificação da relação com o espaço urbano, com a cidadania, com a formação de novas plateias e com a valorização da cultura cearense, tendo como diferencial o diálogo com temas transversais como meio ambiente, ações de consciência ambiental e atividades voltadas à sustentabilidade, acessibilidade e mobilidade urbana.

 

O Projeto Ecléticos Livre Festival já conquistou seu público cativo. Prova disso é o expressivo número de oito mil participantes da primeira edição e a adesão e empatia da população e da mídia local. Segundo o organizador, William Mendonça,o festival tem como objetivo consolidar, na medida em que dá início à integração desses vários equipamentos culturais e sociais, a criação e ocupação de forma plural e eclética. “A meta é trabalhar a acessibilidade, mobilidade e sustentabilidade na cidade, atraindo público para reflexão e para a atitude de  responsabilidade social, tendo como  proposta um  grande encontro de artistas e plateias de diferentes estéticas da música brasileira”, declara.

  Serviço:

II Ecléticos Livre Festival – Música l Criatividade l Cultura Digital

Quando: 26 e 27 de agosto de 2017

Local: Parque do Cocó

Horário: 17h às 21h

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Agosto para todos os gostos no TJA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

03 de agosto de 2017

Theatro  José de Alencar recebe o mês com música de qualidade e artes cênicas

O Theatro José Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, inicia a programação “Agosto para todos Gostos” com uma semana repleta de atrações para os diversos públicos, opções de programação para toda a família, ocupando a cidade. São apresentações musicais, de artes cênicas. Além das novidades, o Theatro promove as já tradicionais visitas guiadas às 9h, 10h, 11h, 12h, 14h, 15h, 16h e 17h. Confira a programação completa no site: www.secultce.gov.br

Tributo a Elvis Presley
Na quinta-feira, dia 3 de agosto, às 19h30, o TJA recebe o som e o ritmo, com o tributo a Elvis Presley feito pela Orquestra Filarmônica do Ceará, no Palco Principal. Os ingressos para apresentação custam R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia) e classificação indicativa livre. Uma bela homenagem a um dos mais representativos precursores do rock’n’roll. A regência é do maestro Gladson Carvalho.

Sexta Rock e Broadway Way Of Live
Na sexta-feira, dia 4 de agosto, às 18h, o Theatro José de Alencar recebe a já tradicional Sexta Rock. O evento acontece na Praça Pedro Boca Rica, com acesso gratuito e classificação indicativa livre.  Idealizado em 1999, no extinto Casarão Cultural, o Projeto Sexta Rock, da Associação Cearense do Rock (ACR), vem acontecendo desde de 2016 na Praça Pedro Boca Rica anexo do TJA. A intenção é proporcionar mais um espaço para a divulgação do trabalho de bandas independentes, apostando na mistura de estilos.Os shows são abertos ao público e conta sempre com a participação de três bandas por edição. Nesta edição o Sexta de Rock recebe Black Witch, Cocaine Cobras e Lei do Som.

Também na sexta-feira, é dia de musical com o Concerto Broadway Way Of Life, às 19h, no Foyer do TJA, com ingressos à R$20,00 e R$10,00 e classificação indicativa livre. A segunda edição do show “Broadway Way of Life” propõe um concerto íntimo de celebradas canções de musicais da Broadway, interpretadas por Carol Arruda, com a presença da sua irmã, Gisele Arruda, participante do primeiro The Voice Kids Brasil, o acompanhamento instrumental de piano. Variando entre estilos que passam pelo lírico, o belting e o pop, o concerto explora o universo do teatro musical de forma refinada e jovem.

108 anos de Burle Marx
O sábado, dia 5 de agosto, chega cheio de atrações. Às 15h, é realizada a celebração de “108 anos de Burle Marx”, no Jardim, com ingresso gratuito e classificação indicativa livre. O Theatro José de Alencar e o Laboratório da Paisagem da Universidade de Fortaleza promovem programação de aniversário de 108 anos do paisagista Burle Marx (04/08/ 1909), responsável pela criação do projeto jardim do TJA. Na programação, visita guiada especial, entre outras atividades.

No mesmo dia, às 17h, tem música com a Orquestra Spalla Brass apresentando clássicos da bossa nova. A atividade acontece no Foyer, com ingresso distribuído a partir da doação de 1kg de alimento não perecível e classificação indicativa livre. Fundada em outubro de 2015 por Carlos Montanha (Kaka), a Spallas Brass vem conquistando seu espaço e cada vez mais admiradores. O grupo é formado por músicos conceituados no cenário musical cearense e que já participaram como músicos em shows de Ivan Lins, Fagner, Marcos Lessa e participam atualmente de projetos como Big Band Unifor e Orquestra Filarmônica do Ceará.

Às 18h, tem teatro com “Pauta Aberta Cena”, com o espetáculo “Crendice de quem me disse”, no Teatro Morro do Ouro. Ingressos ao preço de R$6,00 R$3,00  e classificação Indicativa livre. “Crendice de Quem me Disse” do Grupo Base de Cascavel, é um espetáculo que apresenta através de situações musicais a trajetória de cinco contadores de histórias, peregrinos, que de tudo ouvem e de tudo contam. O espetáculo integra a programação da Chamada de Ocupação do TJA 2017.

Mancha roxa – Grupo Imagens
Também no sábado, às 19h, tem mais artes cênicas com a “Mancha roxa – Grupo Imagens”, na Sala de Teatro Nadir Sabóia, com ingressos de R$ 20,00 e R$ 10,00 e classificação indicativa de 18 anos. O espetáculo traz como pano de fundo a problemática do cárcere feminino nos presídios brasileiros. A montagem nasceu a partir de uma pesquisa etnográfica com detentas no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri de Moura Costa e em Parceria com Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (SEJUS). O texto é de Plínio Marcos e a direção de Edson Cândido.

A programação cênica segue com mais um espetáculo, no sábado, às 19h30, Filho do Mar, na Sala Sidney Souto, com ingresso de R$ 10,00 e R$ 5,00 e classificação indicativa de 12 anos. O grupo de teatro As Valkírias empenha-se na busca de novos paradigmas para a arte teatral e o reconhecimento dos valores socioculturais que constroem a história de um povo. Em seu projeto “Filho do Mar” resgata a memória histórica e cultural do Ceará, tendo como inspiração um personagem emblemático desse estado: Francisco do Nascimento, o Dragão do Mar. A peça é fruto de pesquisa nas áreas de cultura popular, teatro ritual, tendo a música como elemento formador da cena. Também abrange o cordel e danças afro-brasileiras, por um viés ritualístico e crítico, transmitindo ao público a força e os valores da cultura negra na história do Ceará.

O domingo continua com programação de qualidade. No dia 6 de agosto, às 16h, tem Pauta Aberta Infantil com “Uirapuru” – Grupo Garajal, no Teatro Morro do Ouro, com ingresso a R$ 10,00 e R$ 5,00 e  classificação indicativa livre. A peça dá continuidade à pesquisa sobre cultura popular desenvolvida pelo grupo e traz para o encantamento infantil a lenda do pássaro Uirapuru. Em mais uma de suas idas à floresta, uma garota que adora caçar e enjaular animais acaba capturando o pássaro uirapuru. Sem saber, a jovem cai na armadilha da cobra caninana e acaba entrando no plano maléfico da cobra de prender todas as lendas e destruir a natureza.O espetáculo integra a programação da Chamada de Ocupação do TJA 2017.

No domingo, às 16h30, tem “Agulha Fina”, com Palco Principal, com ingresso de R$ 6,00 e R$ 3,00, com classificação indicativa livre. Agulha Fina é uma montagem de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro/CPBT, Turma Manhã 2016. Com direção de Juliana Veras, dramaturgia, encenação e música se desenvolvem em colaborativo, inspiradas na urgência do grupo em questionar a formação da identidade de cada um.

Publicidade

TJA traz Programação Especial de aniversário, no dia 17, com o Theatro de Portas Abertas

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

15 de julho de 2017

Theatro José de Alencar comemora 107 anos com atividades gratuitas

O já tradicional dia 17 chega com programação especial, com o Theatro de Portas Abertas. A programação tem início às 16h e segue até as 19h, com espetáculos de dança, teatro, música e muito mais. A primeira atração do dia ocorre às 16h, com a Abertura da Exposição Pequeno Mapa da Cena, realizada na Galeria Ramos Cotoco, pela Cia. Teatral Acontece. A exposição é um pequeno recorte do festival que a Cia. promove há mais de uma década, trazendo cenas curtas que querem mostrar a cidade ao teatro e o teatro a cidade. A atividade tem a curadoria Almeida Júnior.

Às 17h, será apresentado no Pátio Nobre do TJA o espetáculo Mundo das Cores (Arte de Viver); às 17h30, a programação segue com “O Laço e o Abraço (Arte de Viver)”; às 18h, vem a Hora do Ângelus na calçada. As atividades têm continuidade, às 18h15, no turno da noite, com o espetáculo “Se os hinos falassem”, realizado no Foyer. Outra parte da programação cultural do Theatro de Portas Abertas, ocorre no Teatro Morro do Ouro, Anexo do TJA, às 18h40, onde será apresentado um exercício de montagem do Espetáculo “Geração Trianon”. Quem encerra a agenda do dia, às 19h, é o espetáculo Camille Claudel, realizado pelo Stúdio de Danaça Katiana Pena, no Palco Principal. Todos os espetáculos e atividades do dia 17/7 são gratuitos.

PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DE ANIVERSÁRIO COM O THEATRO DE PORTAS ABERTAS

SEGUNDA – 17/07

Visita Guiada

09h 10h 11h 12h 14h 15h 16h 17h

16h

ABERTURA DA EXPOSIÇÃO PEQUENO MAPA DA CENA – CIA TEATRAL ACONTECE

Galeria Ramos Cotoco

17h

MUNDO DAS CORES – ARTE DE VIVER

Pátio Nobre

17h30

O LAÇO E O ABRAÇO – ARTE DE VIVER

18h

Hora do Ângelus

Calçada

18h15

Se os hinos falassem

Foyer

18h40

Exercício de montagem do espetáculo Geração Trianon

Morro do Ouro

19h

Camille Claudel (Studio de Dança Katiana Pena)

Palco Principal

:: SERVIÇO:

Theatro de Portas Abertas – 107 anos do TJA

das 16h às 19h

Gratuito

Local: Theatro José de Alencar (R. Liberato Barroso, 525 – Centro)

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Danças e músicas dos indígenas Fulni-ô (PE) em cartaz domingo, 16/7, no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

14 de julho de 2017

Para celebrar os encantados, conhecer e se entregar aos rituais dos indígenas Fulni-ô (PE). O Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe no domingo, dia 16 de junho, Mostra de Danças e Músicas desse povo indígena tão cheio de cultura, memória e tradição, um incrível intercâmbio de saberes e arte.

O espetáculo acontece no Jardim, às 18h, com entrada gratuita e classificação livre.  A programação contará com oficina de pintura corporal, roda de conversa, apresentação dos rituais indígenas e vivências de jogos indígenas. Exposição e venda de artesanatos durante todo o evento.
Os índios Fulni-ô vivem no município de Águas Belas, em Pernambuco, numa aldeia de 11.500 hectares, localizada a 500 metros da sede da cidade. Sua população é de, aproximadamente, 6.000 índios. Eram conhecidos, antigamente, como Carijó ou Carnijó e não se conhece o tempo da sua existência. A origem do nome Fulni-ô é muito antiga. Significa “povo da beira do rio” e está relacionada com o rio Fulni-ô que corre ao longo da aldeia de Águas Belas.
:: SERVIÇO:
Danças e músicas dos indígenas Fulni-ô (PE)
Domingo (16/07), às 18h, no Jardim do Theatro José de Alencar
Gratuito.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Espetáculo “A Jangada que o Vento Esqueceu” encerra temporada unindo ícones da música cearense para gravação de CD na sexta (02/12) no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

29 de novembro de 2016

Foto 13
Depois de várias apresentações com casa cheia e apreciada por dezenas de fãs da música cearense, a dupla Edinho Vilas Boas e Angelo Santedicola promete trazer para o encerramento da temporada e gravação do CD do espetáculo, uma apresentação para saudar, celebrar e unir nomes consagrados da geração “Pessoal do Ceará”, no dia 02 de dezembro, no palco principal do Theatro José de Alencar, às 19 horas. Como convidados especiais, estarão Nonato Luiz, considerado o maior violonista da história do estado, Rodger Rogério, compositor cearense, músico e ator, e Cristiano Pinho, guitarrista e produtor musical.
Com o título do show tirado de um trecho da música de Fausto Nilo, os jovens compositores e intérpretes homenagearão os autores cearenses que fizeram parte de suas formações musicais com melodias e poesias que transmitem sentimento e leveza. A dupla de músicos, amantes da cultura musical do Ceará, se revezará entre piano, voz e violão, para reviver canções compostas por nomes como Belchior, Fagner, Rodger Rogério, Fausto Nilo, Petrúcio Maia, Ednardo, Ricardo Bezerra, Evaldo Gouveia, Calé Alencar e Patativa do Assaré, que muitas vezes foram esquecidas pela grande mídia.

 

Além do inexplorado repertório selecionado, um dos grandes momentos do show será a interpretação de sambas de compositores cearenses como Carlinhos Palhano, Humberto Teixeira e Lauro Maia, em alusão ao Dia Nacional do Samba, que cai no mesmo dia do espetáculo. “Queremos mostrar que no Ceará há samba de qualidade, também, e que temos compositores que fazem o samba de raiz com autenticidade e naturalidade”, ressalta Edinho.
Os dois músicos não se alinharam somente no estilo e nos instrumentos, mas no desejo de um show onde os verdadeiros apaixonados pela música da terra da luz possam cultuar a grandeza e singularidades das composições de seus mestres. “A música cearense, como um todo, é marcada por poesia e melodia singulares. É algo que envolve, que toca de verdade o coração da gente”, afirma Angelo.

 

Previsto pra ser lançado ano que vem, no primeiro semestre, o CD da dupla será gravado, mas a intenção dos músicos é de rodar o show por outras cidades do Brasil. “Vamos apresentar a outros públicos esta ligação entre o velho e o novo fazer musical, com a missão de levar às novas gerações o que muitas vezes ficou esquecido”, explica Edinho.

 

No repertório também algumas músicas próprias e as parcerias novíssimas com o compositor gaúcho Raul Maxwell, outro admirador dos compositores cearenses, com as quais já foram finalistas no Festival Nacional da Canção (FENAC), em Boa Esperança (MG), e no Festival da Meruoca (CE).

 

Sobre Angelo e Edinho

 

Aos 21 anos, Angelo Santedicola é baiano, mas veio para o Ceará ainda adolescente, justamente pela paixão pela música local. “Eu comecei ouvindo músicas de Chico Buarque, Caetano. Descobri a obra de Fagner, Belchior e Ednardo e fui me interessando, me apaixonando, procurando mais e mais”, conta. Ao conhecer Edinho em um evento religioso, firmaram sintonia com uma nova amizade, com os instrumentos e suas distintas vozes, formalizando o dueto. Santedicola já tem um CD recém-lançado na bagagem, Algo de um cais, onde apresenta suas composições, além de interpretar outros artistas cearenses. Edinho, aos 38 anos, já tem duas décadas de experiência na música. Além do trabalho concorrido como cantor na noite da capital cearense, também tem obra autoral apreciada em três CDs solo – Hoje à noite, Vida voz e violão (gravado ao vivo no Teatro Sesc Iracema) e Retumbante.

 

Sobre Edinho Vilas Boas

 

Cantor e compositor, natural de Fortaleza-CE, formado em música pelo Instituto Federal do Ceará e começou a cantar profissionalmente em 1996. Edinho foi premiado diversas vezes em festivais, a exemplo do Canta Ceará, em 2010, do festival Certame da Canção, em Tatuí-SP, 2012, o Festival de Inverno da Serra da Meruoca, em 2013 e o festival Bem Junino, em 2016. Participou do DVD Luar de Sol de Jorge Vercillo nas músicas Regressão e Quando eu Crescer. Em 2015 lançou o CD Retumbante, o terceiro de sua carreira. O primeiro, Hoje à Noite, contou com a participação de Dominguinhos e o segundo, Vida Voz e Violão, foi gravado ao vivo no Teatro Sesc de Fortaleza. Atualmente dedica-se a vários outros projetos, com destaque para o lançamento do CD e do DVD Forró Brasileiro, com participações de Chambinho do Acordeon, Flávio Leandro, Cristina Amaral, Waldonys, Adelson Viana, Marcos Lessa e Irah Caldeira.

 

Sobre Angelo Santedicola

 

Cantor e compositor, nasceu na cidade de Jaguaquara-BA, foi criado em São Paulo e atualmente mora em Fortaleza-CE. A sua primeira apresentação profissional ocorreu durante o Festival Nacional da Canção de 2013, onde foi finalista com a canção Te Procuro, feita em parceria com o cearense Edinho Vilas Boas e o gaúcho Raul Maxwell. Depois disso, foi finalista em mais alguns festivais, no Ceará e em Goiás. Gravou seu primeiro disco entre São Paulo e Fortaleza, de 2014 a 2015, contando com a produção de Thiago Marques Luiz e Cristiano Pinho, que participou dos arranjos e da direção musical, ao lado de Rovilson Pascoal. A cantora Célia fez uma participação especial na música Simulacro, composta por Angelo e pela gaúcha Magmah. Nathan Sousa, escritor piauiense e finalista do Jabuti 2015, também é parceiro em algumas canções do disco, inclusive na faixa título Algo de um Cais. Angelo Santedicola teve sua formação musical influenciada por grandes nomes da música popular brasileira, em especial da música cearense, quando, aos 14 anos, começou a colecionar LPs e CDs de nomes como Fagner, Ednardo e Belchior.

 

Serviço

Espetáculo “A Jangada que o vento esqueceu”
Quando: 02 de dezembro

Onde: Theatro José de Alencar

Horário: 19h

Preços: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Projeto Sexta Rock será realizado no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

21 de janeiro de 2016

Flyer - SExtaRock 2016 - Edição Janeiro

Idealizado em 1999, no extinto Casarão Cultural, o Projeto Sexta Rock, da Associação Cearense do Rock (ACR), está de casa nova em 2016. Através de uma parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), o projeto vai passar a ser realizado no Espaço Boca Rica, no Theatro José de Alencar (TJA).

A intenção é proporcionar mais um espaço para a divulgação do trabalho de bandas independentes, apostando na mistura de estilos.

Os shows serão abertos ao público e realizados na última sexta-feira de cada mês, com a participação de três bandas por edição, começando a partir de 18h.

A edição de reabertura do Sexta Rock será no próximo dia 29 de janeiro e irá contar com a participação das bandas Masmorra, Thrunda e Betrayal.

A apresentação marca a estreia do power trio Masmorra, que aposta na estética do thrash metal, assim como os veteranos da Betrayal, que devem lançar um novo álbum este ano.

E por falar em álbum novo, a Thrunda, banda de punk/hard core fundada em 2002, está em plena divulgação do mais recente disco, intitulado “15 Anos em 23 Minutos”.

 

 

Serviço

Projeto Sexta Rock

Data: 29 de janeiro

Local: Espaço Boca Rica – Theatro José de Alencar

Endereço: Rua Liberato Barroso, 525 – Centro.

Horário: 18h

Aberto ao público

Show com as bandas: Masmorra, Thrunda e Betrayal

Publicidade

TJA recebe programação musical para todos os públicos e seminários que debatem a cidade e o patrimônio cultural, nesta semana

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

18 de setembro de 2017

O Theatro José de Alencar (TJA), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe nesta semana, de 18 a 24/9, diversos shows e dois grandes seminários para debater a cidade e o patrimônio cultural. Entre os destaques da música estão os shows da cantora carioca Monique Kessous, do compositor cearense Daniel Medina e de vários artistas locais como Marcos Lessa, Nonato Luiz, Marcus Caffé e Aparecida Silvino, que se reúnem no show “Um Canto de Paz”. A programação completa do TJA está disponível no site da Secult: www.secult.ce.gov.br.

Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver
 
De segunda a quarta-feira, o Theatro José de Alencar recebe o Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver, sempre começando às 9h. O evento tem como objetivo dialogar com a sociedade brasileira promovendo o amplo debate junto a arquitetos, urbanistas, engenheiros, geógrafos, historiadores, gestores públicos, estudantes e interessados de áreas afins, estabelecendo assim, um ambiente que proporcione o pensamento crítico, através de explanações, diálogos e debates de como as pessoas se relacionam com o uso da cidade e o modo de viver. Entre os convidados para debater o tema estão diversos nomes da arquitetura e urbanismo como Fausto Nilo, Custódio Santos, Ciro Pirondi, entre outros. Mais informações e inscrições podem ser acessadas na página oficial do Seminário: seminariocidade.blogspot.com.br.


Seminário “A importância do Patrimônio Cultural no desenvolvimento de Fortaleza como um destino turístico”

Outro seminário está programado para acontece de sexta-feira, 22/9, a sábado, 23/9, sempre às 15h. Promovido pelo Theatro José de Alencar, o Seminário “A importância do Patrimônio Cultural no desenvolvimento de Fortaleza como um destino turístico” tem o objetivo de sensibilizar o poder público, as instituições, entidades e comércio de Fortaleza da importância de desenvolver melhoria na infraestrutura urbana do centro e ações nos segmentos da arte e cultura, que humanize e aproxime o centro da cidade de Fortaleza de sua população.
 
Apresentações musicais

Uma verdadeira maratona musical acontecerá no Theatro José de Alencar nesta semana. Começando na quinta-feira, 21/9. às 19h30, a Orquestra Filarmônica do Ceará sobe ao palco principal para apresentar temas de filmes clássicos. Ingressos à venda ao preço de R$40 e R$20 (meia), na bilheteria.

A sexta-feira,22/9, começa com muito rock, com as bandas Lavage, Matakabra (Natal) e Gleydson Frota e Banda (Sobral). Os shows têm início às 18h, com entrada franca, na Praça Pedro Boca Rica, Anexo do TJA, como parte do projeto Sexta Rock concebido pela Associação Cultural Cearense do Rock (ACR).

Também na sexta, às 20h, o compositor e ator Daniel Medina apresenta as canções do seu primeiro álbum intitulado “Evoé!”, no palco principal. Na companhia dos músicos Saulo Duarte, Igor Caracas, João Leão e Bruno Rafael e com participações especiais de Vitor Colares e Juruviara, Medina passeia por entre músicas inéditas de sua autoria e canções conhecidas pelo público fortalezense. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

Já no sábado, 23/9, às 20h, a cantora e compositora carioca Monique Kessous sobre ao palco do TJA para apresentar o show “S.ÓS”. Baseado em repertório inédito de uma nova safra autoral folk-pop, o show é parte da trilogia existencial que começou com o disco Dentro de mim cabe o mundo (2016). Músicas como S.Ó.S. (que dá nome ao show), “Calmante Anti Sentimenta” e “Normal, aham” abordam a dura realidade do mundo com leveza e humor. Kessous mais uma vez reafirma a grandiosidade de sua obra e se coloca definitivamente como uma artista que reflete seu tempo e tem muito o que dizer sobre o que vê. Os ingressos para o show custam R$40 e R$20 (meia).

Encerrando a semana musical, o TJA recebe no domingo, o show “Um Canto de Paz”, com Marcos Lessa, Davi Duarte, Nonato Luiz, Marcus Caffé, Aparecida Silvino, Tailândia Montenegro, Edu Asaf, Martônio Holanda e o grupo Fulô da Aurora. Os artistas se reúnem para um show em favor da Paz e do Meio Ambiente. A abertura das apresentações fica por conta do grupo da Escola de Dança da Vila das Artes e da performance “Tato Amarelo” de Ítalo Roveri por Reginaldo Figueiredo, poetas do grupo Templo da Poesia. Os ingressos para o show custam R$30,00 e R$15,00 (meia) – ou R$20,00 e R$10,00 (meia), se antecipados – à venda na bilheteria do TJA, com renda convertida para o projeto de formação “Escola Acústica da Natureza”, apoiado pela ONG Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, que se propõe a construir uma orquestra de instrumentos acústicos com o público-alvo na cidade de Maranguape. Antes do show, dialogando com a temática da paz, diversas ONGs estarão no jardim do TJA, fazendo a Feira da Paz e da Ecologia.O momento será proveitoso também para o público infantil, que poderá conferir uma programação de contação de histórias, no mesmo horário e local, com a Escola de Narradores do Theatro José de Alencar.
Artes cênicas
Sábado, 23/9 também é dia de conferir espetáculos de artes cênicas no TJA. Na sala Nadir Papi Sabóia, às 18h30, a Academia do Riso promove promove a terceira temporada de sua mostra de conclusão de curso com o Cabaret da Academia, estrelando seus palhaços e palhaças iniciados na arte na besteira e da bobagem. O projeto foi premiado pelos Editais de Protagonismo Juvenil da Prefeitura de Fortaleza (2016) e atingiu com louvor a meta de formar uma nova geração de artistas para a cidade. Ingressos: R$10 e R$5 (meia). Classificação Indicativa: Livre.

O grupo UM coletivo SÓ, formado por alunos de Dança e Teatro da Universidade Federal do Ceará, apresenta temporada do projeto Do que não foi feito pra durar no Teatro Morro do Ouro, anexo do Theatro José de Alencar. O espetáculo, com classificação indicativa de 16 anos, está em cartaz durante os sábados do mês de setembro, sempre às 19h. Ingressos: R$10 e R$5 (meia).