Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Theatro José de Alencar

Seminário “E Agora, José?” é destaque na programação do TJA esta semana

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

14 de novembro de 2017

Reabertura da Sala de Figurino Flávio Phebo, Inauguração do Café Iracema, debate sobre as ações realizadas em 2017 e programa Theatro de Portas Abertas são algumas das atrações do TJA. Confira:

“Avaliação anual e novas ideias para 2018” este é o tema do seminário E Agora, José?, um programa de diálogos para a construção de uma gestão participativa do Theatro José de Alencar. “Nesta edição, vamos discutir a proposta de programação colaborativa e democrática, realizada no TJA neste ano de 2017, onde foram firmadas diversas parcerias para a criação de novos programas e possibilidades de fruição cultural. No encontro ainda devemos avaliar a primeira edição da Chamada de Ocupação, que selecionou 77 propostas de programação cultural para todos os espaços do TJA”, Selma Santiago, diretora do TJA. Acontece quinta (16) a partir das 18h30 no Foyer. Classificação indicativa livre*

Ainda na quinta (16) o Theatro José de Alencar promove a Reabertura da Sala de Figurino Flávio Phebo às 16h com uma exposição de peças do acervo e um desfile às 17h30. “Há muitos anos não havia sido feito uma manutenção, nessa gestão reabrimos e contamos com a parceria de estudantes de produção e moda para fazer a catalogação e levantamento de peças que podem ser emprestadas e peças que são de acervo que não se empresta devido ao valor histórico. Isso faz parte construção da história do teatro cearense”, diz Selma Santiago. A Sala de figurino Flávio Phebo funciona de terça à sexta, das 09h às 12h, e das 14h às 17h. A atividade é gratuita e aberta ao público. Classificação indicativa livre*. Ainda na quinta (16) às 18h o Teatro Morro do Ouro recebe o show Canção da Aurora, ingressos R$10. Classificação indicativa livre*

Theatro de Portas Abertas

O programa mensal Theatro de Portas Abertas inicia sua programação no mês de novembro com a Inauguração do Café Iracema às 9h. O café será administrado pela Fundação Amigos do Theatro em parceira com o Café Santa Clara.

Nesta edição o programa recebe também o Festival Popular de Teatro de Fortaleza, confira programação: A Orquestra Acordes do Amanhã se apresenta às 15h, no hall do Theatro, às 16h, Cerimônia de Abertura do festival com a banda Dona Zefinha na calçada, ainda na calçada acontece o show de Show Di Ferreira às 17h15. Nossa tradicional Hora do Ângelus será celebrada pelo Quinteto da ORCEC às 18h, na calçada e em seguida na Galeria Ramos Cotoco acontece a abertura da Exposição Imagens da Cena do fotógrafo Francisco Salvino . Ainda no anexo, às 18h30 é hora do rock invadir a Praça Mestre Boca Rica com o programa Sexta Rock que traz as bandas Ebenezer, Aderiva e Rusty. Para encerrar o nosso dia no palco principal do Theatro o espetáculo Ibirapema – O Forró que eu faltei.

Música, literatura, dança e teatro são atrações do final de semana no theatro.

Sábado (18) às 17h, o programa da Secult Ce Pra Ver A Banda Passar recebe a Banda de Música Municipal Padre David Moreira da cidade de Farias Brito na calçada. Às 18h, no Foyer acontece o sarau “Amém! Mário Gomes Sarau Da Poesia Marginal”, proposta selecionada para compor o programa Sarau Literário da Chamada de Ocupação do TJA. É gratuito e classificação indicativa: livre*. E para encerrar o final de semana temos a dança Vidas E Obras – Arte Em Cena do Colégio 7 de setembro no sábado e domingo, às 19h30, e às 18h, respectivamente. Os ingressos custam R$ 70, R$ 35 e Classificação Indicativa livre*. No domingo (19), a nossa tradicional Sala de Concerto recebe a Camerata de Cordas da UFC a apresentação gratuita inicia às 17h. Classificação indicativa livre*

Pauta Aberta Morro do Ouro apresenta “Anlodo: Tambores do Ceará”

No sábado, dia 18/11, o programa Pauta Aberta Morro do Ouro apresenta o espetáculo “Anlodo: Tambores do Ceará”. Projeto selecionado na Chamada  de Ocupação do Theatro José de Alencar, é realizado pelo coletivo Raízes do Griô. Em cena, você poderá conferir a caminhada ritualística dos iniciados que exteriorizam o alimento para alma no resgate da ancestralidade via o som dos variados batuques dos tambores. Ingressos R$10 e R$5 (meia), classificação indicativa livre, às 19h, no Teatro Morro do Ouro.

Segunda Temporada CPBT

No dia 18, a sala de Teatro Nadir Papi Sabóia recebe a segunda temporada das montagens de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro – manhã 2016/2017. A turma traz ao público o espetáculo Estribilho na reflexão ácida e poética sobre as opressões na sociedade contemporânea. A sessão de Estribilho acontece às 18h30. O ingresso de cada espetáculo custa R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação: 12 anos*

TJA recebe o III Festival de Teatro da Escola de Atores Marcelino Câmara

Entre os dias 11 à 15 de novembro, a Escola de Atores Marcelino Câmara realiza o Festival de Teatro em nosso palco principal. O festival conta com três espetáculos montados na escola de Atores “Família Addams”, nos dias 11 e 12/11, “Lisbela e o Prisioneiro” nos dias 13 e 14, e “Rock de uma noite de verão”, nos dias 15 e 16/11. Os ingressos estarão à venda a partir das 19h, e custam R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre*
Domingo é dia de Teatro Infantil

A Pauta Aberta Infantil deste mês apresenta o espetáculo Bau de Munganga. Serão manifestações e brincadeiras populares integradas a histórias cantadas e faladas que tratam de temas de cunho ambiental, cultural e social. O espetáculo é apresentado pela Cia Trupe Brincante e integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Os ingressos estão à venda ao preço de  R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre*Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br

Publicidade

II Seminário de Fortaleza e Orquestra Filarmônica do Ceará são algumas das atrações desta semana no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

06 de novembro de 2017

Comemoração dos 20 anos da Carta Magna de Fortaleza, Concerto “Três Tenores in Concert”, Programa Arte de Rua, Cineclube Morro do Ouro, são algumas das atrações do TJA para a primeira semana de Novembro. Confira

Em comemoração aos 20 anos de Carta Magna de Fortaleza o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) realiza nesta quarta-feira (8/11), às 18h, no Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura, a abertura do II Seminário de Fortaleza. Na quinta (9/11) a Orquestra Filarmônica do Ceará apresenta o concerto “Três tenores in concert – Arias de Canções”, a partir das 19h30, com a participação dos tenores brasileiros Leandro Cavalcante e Ricardo Máximo e do italiano Leonardo Bott. Além destas ações, a programação inclui a visita guiada ao teatro e destaques para o projeto de audiovisual, que integra a Chamada de Ocupação do TJA.

Arte de Rua: Presente!

O Theatro José de Alencar inicia suas atividades nesta semana com o programa Arte de Rua, recebendo o grupo “ADSR”, na quarta-feira (8/11), às 17h30, na calçada do equipamento. Formado por Uirá dos Reis, Eric Barbosa, Henrique Gomes e Italo Adler, o grupo ADSR surgiu aqui no Ceará, partindo com a performance sonora, tendo como matriz criativa a investigação e criação de sintetizadores e efeitos construídos de forma artesanalmente. A apresentação é gratuita.

Outra atividade que pode ser conferida nesta quarta-feira (8/11) é a comemoração pelo IPHAN dos 20 anos de Carta Magna de Fortaleza. A primeira ação da atividade será a abertura do “II Seminário de Fortaleza” que traz como tema os “Desafios para o Fortalecimento da Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil”. Uma oportunidade ímpar de revisitar a trajetória da elaboração, implementação, avanços e desafios da Política de Patrimônio Imaterial no âmbito nacional internacional. A ocasião conta com a  Conferência Magna do Laurent Levi-Strauss, a partir das 18h, no palco principal. Às 19h, o Teatro Morro do Ouro recebe o “Show de humor solidário”. Ação beneficente que terá toda a renda revertida para o tratamento de pacientes com câncer. O ingresso custa R$5 mais um quilo de alimento. Classificação indicativa: livre*

Quinta-feira (9/11), é dia de cinema no TJA

O Cineclube Morro do Ouro traz o projeto “O incrível cinema de Chaplin”, uma mostra temática que repousa sobre a obra do cineasta Charles Chaplin, e tem realização da equipe do CineClube da Casa. Serão 04 sessões com um tema específico e sessão de abertura, com o tema “Mecanismo do riso na obra chapliniana” e contará com a mediação do debate da atriz e pesquisadora, Fernanda  Azuka. O projeto acontecerá nos dias 09 e 23/11 e 07 e 14/12, no Teatro Morro do Ouro, Anexo CENA TJA, sempre às 17h30. O evento integra a Chamada de Ocupação do TJA 2017. Programação gratuita!

Continuando as atividades desta quinta-feira, 9/11, o foyer do Theatro José de Alencar recebe o lançamento do livro Grande Sertão: Veredas 60 anos,  a partir das 18h. O livro contempla um conjunto de 17 artigos que aborda o universo plural de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa; obra que, em 2017, completa os seus 60 anos de publicação. A organização e publicação do livro é uma parceria entre UFC, UNIFAP E UNICAMP, sendo publicado pela editora da Universidade Federal do Amapá. Gratuito.

Ainda na quinta (9/11), no palco principal, às 19h30, a Orquestra Filarmônica do Ceará e os tenores brasileiros Leandro Cavalcante e Ricardo Máximo e o italiano Leonardo Botti apresentam óperas inesquecíveis que consagraram os três maiores tenores de todos os tempos: Pavaroti, José Carreras, e Placido Domingo. “Três tenores in concert – Arias de Canções” possui classificação livre. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Sexta tem Música e o Concurso Miss Plus Size Ceará

O programa Sexta de Música da semana recebe o show “Lu Capistrano e banda”. Formado em março de 2017, o grupo trabalha na produção do seu repertório autoral e na representação de músicas brasileiras. O show acontece sexta-feira (10/11), às 18h, na Praça Pedro Boca Rica, com entrada gratuita. A apresentação integra as atividades da Chamada de Ocupação do TJA 2017. Classificação indicativa livre*

Ainda na sexta acontece o lançamento do EP “Vida” do compositor e músico-instrumentista Davi Carvalho, às 19h, no foyer. Entrada R$ 20 e R$ 10 (meia). Classificação indicativa livre*

Considerado o maior concurso de moda plus size do Nordeste, o Miss Plus Size Ceará traz à Fortaleza sua 6a edição, com candidatas de várias cidades do estado. A atividade ocorrerá nesta sexta-feira (10/11), às 18h, no palco principal do TJA e pode ser conferida por pessoas de todas as idades. A classificação é livre e a entrada é 1kg de alimento.

Pauta Aberta Morro do Ouro apresenta “Anlodo: Tambores do Ceará”

No sábado, dia 11/11, o programa Pauta Aberta Morro do Ouro apresenta o espetáculo “Anlodo: Tambores do Ceará”. Projeto selecionado na Chamada  de Ocupação do Theatro José de Alencar, é realizado pelo coletivo Raízes do Griô. Em cena, você poderá conferir a caminhada ritualística dos iniciados que exteriorizam o alimento para alma no resgate da ancestralidade via o som dos variados batuques dos tambores. A gênese de nossa ligação cósmica da raiz da língua iorubá estabelece o contato da tradição dos tambores cearenses, embarcado nos belos e fantasiosos universos percussivos. Ingressos R$10 e R$5 (meia), classificação indicativa livre, às 19h, no Teatro Morro do Ouro. Já no domingo (12) a nossa tradicional Sala de Concerto recebe o show “Canção e Arias” com o tenor Franklin Dantas, a soprana Samira Denoá e o pianista Eduardo Corrêa. A apresentação inicia às 17h, os Ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação indicativa livre*

Segunda Temporada CPBT

Nos dias 11, 12, 25 e 26/11, a sala de Teatro Nadir Papi Sabóia recebe a segunda temporada das montagens de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro – manhã  e tarde 2016/2017.

Da turma da manhã, será apresentado o espetáculo “Estribilho”, uma reflexão ácida e poética sobre as opressões na sociedade contemporânea. O espetáculo, repleto de músicas, embarca num trem circense construindo um trilho no horizonte para discutir a dor e o sabor nas relações humanas. Estribilho fica em cartaz nos dias 11 e 12/11, às 18h30.

Já nos dias 25 e 26/11 será a vez da turma da noite apresentar o espetáculo “Trinta e duas”. Uma história de duas mulheres, Marly e Eunice, que seguem como retas paralelas trilhando caminhos que nos levam a uma jornada pela memória da resistência marginal de Fortaleza. A fartura da elite fortalezense nos anos 30 contrasta com a seca que se alastrou no interior do Ceará, e o poder esmagador da especulação imobiliária contemporânea enfrenta uma comunidade resistente à beira do trilho. As sessões de “Trinta e Duas” acontecem às 17h e 19h. O ingresso de cada espetáculo custa R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação: 12 anos*

TJA recebe o III Festival de Teatro da Escola de Atores Marcelino Câmara

Entre os dias 11 à 15 de novembro, a Escola de Atores Marcelino Câmara realiza o Festival de Teatro em nosso palco principal. O festival conta com três espetáculos montados na escola de Atores “Família Addams”, nos dias 11 e 12/11, “Lisbela e o Prisioneiro” nos dias 13 e 14, e “Rock de uma noite de verão”, nos dias 15 e 16/11. Os ingressos estarão à venda a partir das 19h, e custam R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre*

Domingo é dia de Teatro Infantil

A Pauta Aberta Infantil deste mês apresenta o espetáculo “Bau de Munganga”. Serão manifestações e brincadeiras populares integradas a histórias cantadas e faladas que tratam de temas de cunho ambiental, cultural e social. O espetáculo é apresentado pela Cia Trupe Brincante e integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Os ingressos estão à venda ao preço de  R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre*

Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br

Publicidade

Dia 17 é marcado pela reabertura da Biblioteca Carlos Câmara e programação, gratuita, no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

16 de outubro de 2017

Nesta terça-feira, 17/10, o Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, estará com uma programação completamente gratuita. A ação faz para do Programa Theatro de Portas Abertas que celebra, sempre no dia 17 de cada mês, o aniversário do TJA. As atividades começam às 9h, com a REABERTURA DA BIBLIOTECA CARLOS CÂMARA – SEMANA NACIONAL DA LEITURA,  seguida pelas ações em homenagem ao Palhaço Trepinha, às 10h, durante o espetáculo Camarim do Trepinha, realizado no Porão do TJA.

Pela tarde, o equipamento segue com as visitas guiadas, a partir das 14h, seguidas do espetáculo do Palhaço Chilito (animador), às 15h, na Calçada do Teatro. No mesmo horário, às 15h, o Teatro Morro do Ouro recebe o espetáculo “ARETÊ: Guerreiro Menino”. Tem ainda o Cortejo de Palhaços, às 16h, na Calçada do TJA. A atividade é seguida pelo Lançamento e distribuição do livro infantil “O Palhaço Trepinha”, com texto e ilustração de Rafael Limaverde, às 16h30, no Saguão.

Às 17h, ocorre a apresentação do espetáculo ” Sandwína, a mulher mais forte do mundo”,  numa pauta aberta encenada na Calçada do TJA. Quem também vem com um belíssimo espetáculo no começo de tarde é a Orquestra Raimundo Fagner, que ocupa o Pátio Nobre, às 17h40. Como de costume, às 18h, o TJA trará a Hora do Ângelus, com apresentação de tenores.

Nem só de música, animação e teatro será composta a programação gratuita do Teatro de Portas Abertas. O início da noite reserva ainda espaço para as artes visuais, com a abertura da  Exposição “Eugênia no Espaço”, às 18h30, na Galeria Ramos Cotoco. Encerrando o dia de programações gratuitas, o TJA recebe às 19h, o Sopro Doppio – Duo de Flautas, em única apresentação no Palco Principal.

Reabertura da Biblioteca Carlos Câmara do Theatro José de Alencar

Inaugurada em 27 de março de 1996 e hoje integrando o Sistema Estadual de Bibliotecas, através da Biblioteca Pública Menezes Pimentel, a Biblioteca Carlos Câmara, do Theatro José de Alencar, foi batizada com o nome de um dos maiores dramaturgos cearenses. O equipamento compõe junto às salas de dança, teatro Morro do Ouro, Galeria Ramos Cotôco um dos espaços do Centro de Artes Cênicas do Ceará – Cena, anexo do Theatro José de Alencar.

Em 2006, a Biblioteca passou por sua primeira restruturação e, onze anos depois, após seis meses de um trabalho intenso coordenado pela bibliotecária Ana Maria Farias, a biblioteca será reaberta e entregue à comunidade em uma solenidade que acontece na terça-feira (17/10), às 9h, no Teatro Morro Ouro.

Participam da solenidade de abertura, o o secretário da Cultura do Ceará, Fabiano dos Santos, a Coordenadora de Política do Livro e da Leitura (COPLA), Mileide Flores, a diretora do Theatro José de Alencar, Selma Santiago, diretor e pesquisador Marcelo Costa, o ator e diretor Haroldo Serra, o escritor Antônio Marcelo entre outras autoridades.

O Acervo

A Biblioteca Carlos Câmara conta atualmente com um acervo de 2.395, do qual 931 livros são específicos da linguagem de teatro e 1.464 de literatura. Agora, informatizada, com o programa Biblioteca Livre (BIBLIVRE) que é um software para catalogação e a difusão de acervos de bibliotecas públicas e privadas, de variados portes.

Esta mudança permite que a biblioteca também passe a oferecer o serviço de empréstimo de livros. Para tanto, os interessados em consultar as obras deverão fazer um cadastro  na Biblioteca, portando os seguintes documentos:

> para atores e funcionários da Secult: RG e comprovante de endereço
> para estudantes: RG, comprovante de endereço e comprovante de matrícula escolar
> para professores e pesquisadores: RG, comprovante de endereço e comprovante da instituição a que pertence.

A programação completa dos equipamento da Secult encontra-se disponível no site: www.secult.ce.gov.br

Publicidade

Filmes, música, teatro e formação são algumas das atrações desta semana no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

04 de outubro de 2017

Com atividades que iniciam na quinta-feira, 5/10, o Theatro José de Alencar traz uma semana de filmes, muita música de qualidade e formações artísticas resultantes da Oficina Costumer Designer Vivencial, que conta com a Participação da Orquestra de Câmara Villa Lobos. Além destas ações, a programação inclui a visita guiada ao teatro e destaques para os projetos de audiovisual que integram a Chamada de Ocupação do TJA.

O ponto de partida é o Cine Morro do Ouro, atividade de audiovisual que ocorre nesta quinta, 5/10, às 17h30, trazendo nesta edição o filme “Da Janela Lateral”, de Natércia Rocha. A exibição tem entrada gratuita, e classificação indicativa livre, podendo ser conferida no Teatro Morro do Ouro. O filme “Da Janela Lateral” aborda a solidão das grandes cidades, através de registros feitos do 9º (nono) andar do Edifício Paraguaçu, localizado no cruzamento entre as ruas Pedro I e Sólon Pinheiro, no centro de Fortaleza. O documentário de quinze minutos é dividido em três dias e duas noites, onde estão condensados fragmentos do dia a dia e suas contradições.

Ainda na quinta, às 19h o projeto Conexões Sonoras apresenta Allicya Guimarães e o Coral Do Canto da Apá em um belíssimo tributo a Wilson Simonal. Acompanhados de Eduardo Holanda e Hoto Júnior, Allicya e o Coral prometem uma noite de muita qualidade musical, em única apresentação no Foyer do TJA, com ingressos ao preço de R$ 20 e R$ 10 (meia), e classificação indicativa livre. A história de amor entre a Índia Iracema e o Guerreiro Martim ganha o palco do TJA em estreia teatral

Quinta também é dia de estreia do musical Iracema dos Lábios de Mel, às 19h, no Palco Principal do TJA. Trata-se de uma Livre adaptação do dramaturgo Ilclemar Nunes para a obra de José de Alencar, que conta a história de amor entre a Índia Iracema e o Guerreiro Branco Martim Soares, do qual floresce o brasileiro fruto da miscigenação: o mameluco Moacir. O musical tem a direção de Ilclemar Nunes, elenco totalmente cearense e mostra de forma visceral o amor, as guerras, a paixão, a amizade e os ritos dos índios que habitaram o Ceará. Com classificação indicativa de 14 anos, o espetáculo segue em cartaz de 5 a 7/10, às 19h e no domingo, 8/10, às 18h30. Os ingressos estão à venda na Bilheteria do TJA ao preço de R$ 30 e R$ 15 (meia). Classificação Indicativa: 14 anos.

Sexta de Música com Ponto.Ce no TJA

Uma das acões do maior festival de artes integradas do nordeste e que também vem se consolidando ao longo dos anos no calendário nacional de festivais independentes, o Ponto.CE recebe esta semana as bandas autorais Casa de Velho, Behú e Indiada Buena. A atividade tem por objetivo promover a interação de artistas cearenses com nomes de outros estados e países e ocorre sempre às 18h, das sextas-feiras, na Praça Pedro Boca Rica.

Formação Artística em destaque

Integrando o processo de conclusão da oficina de introdução e desenvolvimento de técnicas básicas em design aplicado à indumentária com vivência cênica, a partir das peças que compõem o acervo de figurino do Theatro José de Alencar, será realizada neste sábado 7/10, às 17h, no Pátio Nobre do TJA a apresentação resultante da Oficina Costumer Designer Vivencial. A atividade conta com participação especial da Orquestra de Câmara Villa Lobos. Para participar basta doar 01 kg de alimento não perecível.

Ainda no sábado, 7/10, às 19h, será apresentado no Teatro Morro do Ouro o Pauta Aberta, o Espetáculo “COMO ELE MENTIU PARA O MARIDO DELA”. Em pauta, uma cena curta escrita pelo autor irlandês Bernard Shaw, prêmio Nobel de literatura em 1925. Em atrito com este texto, que conta com uma estrutura dramática tradicional, a montagem opera com elementos característicos da pop art, assim como o exagero de emoções, citando a estilos teatrais como a do melodrama, entre outras referências que operam intertextualmente nesta cena curta.

A música ganha destaque também no sábado, às 19h30, e no domingo (8/10), às 17h30, no espetáculo CANÇÕES EM TECHNICOLOR, apresentado pelo Coral Folk, na Sala de Teatro Nadir Papi Sabóia. Criado em 2013, como um quarteto feminino com repertório de música folk, com foco na estadunidense, o projeto retomou as atividades em 2016 sob a forma de coro feminino. Nesta edição, destacará a voz e a presença da mulher como contadora e cantadora das histórias e poesias da música “folk. O espetáculo leva a direção de Carlos do Valle. Ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia). Classificação Indicativa: Livre

Domingo é dia de Teatro Infantil

Pensada para o público infantil, a Pauta Aberta deste domingo, às 16h, apresentará gratuitamente o espetáculo infantil  “POR ONDE AS LINHAS TORTAS SE ENCONTRAM, no Teatro Morro do Ouro.  Em cena uma história de 2 clowns que se encontram, inesperadamente, após um desses fazer uma grande bagunça sozinho na cena. Nesse encontro uma conflituosa, engraçada e criativa relação dos dois se inicia, causando um grande alvoroço e confusão na cena. O grande barato é que a plateia também participa dessa grande emoção.

Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br

* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

TJA vem nesta semana com música, troféu Sereia de Ouro e teatro Infantil nesta semana

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

26 de setembro de 2017

O Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, inicia a semana de 26/9 a 1/10, com muita música na Mostra de Corais do TJA (Cantares). A atividade tem por objetivo difundir a diversidade de coros, corais e grupos vocais de nossa cidade e do interior do Estado oportunizando trocas de experiências e a formação de plateia para o canto coletivo. Para quem estiver de passagem pela cidade ou ainda não teve a oportunidade de conhecer este marco na arquitetura nacional, o equipamento oferece de terça a domingo as visitas guiadas, momento único em que você conhecerá um pouco mais da história e das lendas que envolvem o TJA.

Na Sexta-feira, dia 29/9, o Theatro José de Alencar se prepara para receber 47º Troféu Sereia de Ouro, do Grupo Edson Queiroz, que terá como um dos agraciados o conselheiro do CEPC e arquiteto José Liberal de Castro, a biofarmacêutica Maria da Penha, o médico José Huygens Parente e o mistro do STM José Coêlho Ferreira. A atividade é fechada para convidados.

Final de semana com cheiro de infância

Abrindo o final de semana, às 18h, a Escola de Atores Marcelino Câmara apresenta o Musical “Tarzan”, a história do jovem que cresceu entre gorilas e que encontra a bela Jane, durante a procura de suas raízes familiares. É o começo de um grande amor entre dois corações vindos de mundos diferentes e que são confrontados de repente com a decisão mais importante de suas vidas. no Palco Principal. Os ingressos estão à venda ao preço de R$40 e R$ 20 (meia). Com classificação livre

Às 19h, no Teatro Morro do Ouro, anexo ao TJA, será apresentado o espetáculo “Do que não foi feito pra durar”, com classificação indicativa de 12 anos, a peça reúne em cena sete intérpretes criadores que trazem para o ambiente de um baile, uma peça coreográfica, onde nada foi feito pra durar. A urgência dos acontecimentos, os flertes inesperados, a mudança brusca, o vão, o silêncio e o barulho dos movimentos frenéticos, tudo de uma vez! O público não é mero participante, muito menos papel principal, o uso e o desuso é bem-vindo.  A peça já tem dia e hora pra acabar. Os ingressos estão à venda na bilheteria do teatro, por R$ 10 e R$ 5 (Meia)

+ para as crianças

O pauta aberta deste domingo, às 16h, traz o teatro infantil “Por onde as linhas tortas se encontram”, no anexo do TJA o Teatro Morro do Ouro. O espetáculo conta a história de 2 clowns que se encontram, inesperadamente, após um desses fazer uma grande bagunça sozinho na cena. Nesse encontro uma conflituosa, engraçada e criativa relação dos dois se inicia causando um grande alvoroço e confusão na cena e o grande barato, é que a plateia também participa dessa grande emoção.

Toda a programação está disponível no site www.secult.ce.gov.br

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

“Iracema dos lábios de mel: o musical” estreia no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

26 de setembro de 2017

Adaptado e dirigido pelo dramaturgo Ilclemar Nunes a partir da obra clássica de José de Alencar, o espetáculo faz curta temporada, de 05 a08 de outubro, no palco principal do TJA

 

 

A icônica história do amor proibido entre a índia tabajara Iracema e o guerreiro branco português Martim, criada pelo escritor José de Alencar, ganha estreia de inédita e livre adaptação pelo dramaturgo e diretor cearense Ilclemar Nunes. A versão “Iracema dos lábios de mel: o musical” faz curta temporada no palco principal do Theatro José de Alencar (TJA), ficando em cartaz de 05 a 08 de outubro (de quinta-feira a domingo), às 19 horas.

Com elenco formado por 23 atores cearenses, músicos e equipe técnica composta basicamente por grandes profissionais locais, o musical mostra de forma visceral o amor dos protagonistas, que viceja no nascimento do brasileiro fruto dessa miscigenação: o mameluco Moacir, entre as guerras, a paixão, a amizade e os ritos dos índios que habitaram o Ceará. Projeto incentivado pelo VIII Edital Mecenas, da Secretaria da Cultura do Ceará, tem patrocínio do Grupo Zenir e do Expresso Guanabara, com apoio da Câmara de Comércio Brasil/Portugal, do Teatro da Boca Rica e do Teatro Antonieta Noronha.

A dramaturgia de “Iracema dos lábios de mel: o musical”, escrita por Ilclemar desde 1991 para o teatro, já foi antes de encenada como peça, transformada pelo autor em roteiro carnavalesco para o desfile da Escola de Samba Beija-flor de Nilópolis nesse ano. Agora, a singularidade do musical adaptado do romance original chega enfim aos palcos, tendo a personagem-título interpretada pela jovem Larissa Goes, enquanto o ator André Ximenes faz o papel de Martim (figura baseada no real primeiro colonizador português do Ceará, Martim Soares Moreno, que impõe aos índios a cultura civilizadora cristã européia).

Outros personagens também ganham novos intérpretes cantantes e dançantes na montagem, como Poti, o guerreiropitaguary e amigo de Martim (feito por Gabriel Moraes); o pajé da tribo tabajaras (Beto Meneis); o guerreiro irmão de Iracema,Caubi(Mateus Honori); o chefe tabajara e inimigo de Martim, Irapuã (Bruno Prata); o cacique potiguara Jacaúna (Markos Vanucci, que também atua como um dos guerreiros), para citar alguns do grande elenco.

Ilclemar ressalta que a linguagem de Alencar já tem os ensejos cênicos apropriados, “até por ele ter escrito muitas peças”, mas aproveitou “a fluidez da narrativa original para ampliar a dramaticidade ao vivo; sobressaltar as atitudes e a personalidade feminina de Iracema, como também dar corpo aos outros personagens, até porque no livro-poema de Alencar, a índia dos cabelos negros como da graúna atua sozinha nas linhas, enquanto os embalos da prosa podiam virar os diálogos e entoações cantadas para se contar essa história em musical”, respalda.

Dessa forma, na ação teatral Ilclemar atribuiu vida aos aldeões e guerreiros das tribos Potiguares (do litoral e aliada dos portugueses) e Tabajaras (tribo de Iracema, nas serras cearenses, aliada dos franceses), que eram apenas citados na obra literária. Também fez surgir no palco as demais virgens indígenas, que são ao mesmo tempo, alter-egos e protetoras da Iracema central, sendo vivenciadas pelas atrizes Emille Castro, Belle Sena, Marina Vasconcelos, Luana Florentino, Janaina de Paula e Júlia Vasconcelos. Integradoras, o grupo das virgens é parceiro de Iracema nas ações e pensamentos da protagonista.

“Essa relação das virgens com Iracema a ajuda a não ter papel solitário na cena; auxiliam no romance dela com o estrangeiro, sofrem com ela durante o parto, entregam a bebida mística para que viaje em segurança, enfim, estão sempre presentes”, reitera. No palco, o elenco ocupa todo espaço temporal e interpretativo em cantorias e danças. “Inclusive ajudam a narrar passagens da história à platéia, como uma espécie de coro grego no espetáculo”, referencia o dramaturgo.

 

 

A preparação e as concepções para o musical Iracema

O musical traz as nuances todas do livro indianista: as guerras entre as tribos indígenas por domínios geográficos; a chegada do português Martim pelas terras potiguares, o que amplia o conflito em torno do romance com a índia da tribo inimiga dos tabajaras; a questão do abandono e dos desterros cearenses, até vir à luz o primeiro miscigenado Moacir, esse rebento mameluco brasileiro de quem somos todos “descendentes”. Para tamanha precisão e renovações, Ilclemar iniciou a montagem, reunindo elenco, músicos e toda a equipe técnica formada por cearenses, com exceção do maestro e compositor sergipano Ubirajara Cabral.

Além da adaptação e direção por Ilclemar Nunes, ele reuniu grandes profissionais do teatro local – a assistente de direção (Ana Cristina Viana); direção musical e composições (Glairton Santiago), cenografia (Rodrigo Frota com assistência e desenhos técnicos de Gabriel Dultra e produção executiva de cenografia e adereços por Fábio Vasconcelos), produção geral (Dora Freitas com assistente Priscila Lima), figurino e maquiagem (Dami Cruz e assistente Addila Costa), iluminação (Samir Kassouf) à coreografia (Paulo José) e toda preparação cênica. Nunes preponderou ainda, na premissa da própria juventude pertinente aos personagens do romance, que a formação do elenco é de jovens atores.

Após a seleção em série de testes, pinçou intérpretes iniciantes, vindos de cursos preparatórios ou mesmo de pequenos grupos teatrais, a maioria sem grande experiência nem vícios na atuação. A única precisão era a ênfase a quem cantasse bem. Fora o personagem do velho Pajé, vivido pelo experiente artista Beto Meneis, e do veterano ator Acácio de Montes nos papéis de Andira (o ancião guerreiro, tio de Iracema) e como o próprio José de Alencar, o restante do elenco tem faixa etária de 18 a 25 anos. Definido o elenco de novatos, Ilclemar e os preparadores de ponta da equipe técnica promoveram para todos que integram a aldeia tupiniquim em cena uma imersão de aprendizados, com oficinas durante três meses sobre canto, dança, movimentação cênica, expressão corporal e interpretação.

Adianta o diretor: “Temos integrantes que nunca subiram em um palco ou que jamais cantaram em cena. Oferecemos para esses jovens a formação e o preparo para um musical. E eles deram toda a alma! Além deles terem agora uma Iracema no currículo, o público verá o excelente resultado e as belas revelações”. Os ensaios aconteceram no Teatro da Boca Rica, na Praia de Iracema, onde a afinação e os compassos sincronizados às interpretações enlevaram as cenas de festas, ritos, do amor às guerras e tensões, em concepção mais moderna para uma naturalidade indígena, como ressaltou o preparador corporal, Paulo José.  Sem caricaturas ou imitação superficial de tribais, as coreografias do plural elenco primam pela unidade coesa, privilegiando ao máximo o corpo musical, afinal um espetáculo do gênero, mesmo com ousadias, requer a harmonia e a intimidade com as canções que também contam a trama, junto aos textos e movimentações.

Iracema de Ilclemar Nunes

Apaixonado pela obra e autor, Ilclemar repete um mantra que sempre “ao reler Iracema, me enterneço como da primeira vez; e mesmo hoje assistindo novamente às cenas como teatro musical, eu me emociono demais”, confessa, reiterando que “Alencar transforma o seu romance em verdadeira ode à beleza da nossa Terra da Luz”. Essa eternizada louvação ao livro remonta ainda ao ano de 1991, quando Nunes recebeu da Secretaria da Cultura do Estado (Secult) o convite para escrever um espetáculo em comemoração aos primeiros quatro anos do órgão estadual na então gestão do Governo Tasso Jereissati. A liberdade para a criação resultou na primeira versão da adaptação musical de Iracema.

Ilclemar distingue ao situar que a obra tem respaldo até em outras plagas. “Dei sorte, pois Iracema é um ícone nacional, não só cearense. Aliás, para terem uma idéia da universalidade do romance, em Cuba é usado até em questões no vestibular, além das traduções emvárias línguas, adaptações para cinema e encenações”. O hiato de 25 anos entre a criação até a montagem atual do espetáculo se deu por outra fábula.  Apesar de ter os recursos assegurados, esbarrou na falta de profissionais na época para a devida captação e produção. Depois disso, já no ano passado, Nunes não resistiu e criou a versão do espetáculo como roteiro para o desfile da escola de samba carioca Beija-flor levar a história de Iracema à Sapucaí, em fevereiro.

Nunes, que já fazia carreira no Rio de Janeiro e também fora por três décadas jurado dos desfilesde carnaval carioca, adaptou a obra, mandou o enredo à porta-bandeira da Beija-Flor, a Selminha Sorriso (Selma Rocha), que adorou e passou ao diretor de Carnaval da Escola, o Laíla. De prontidão ele chamou Ilclemar para o trabalho e se fincar pelo Rio, onde desde 2001 dividia morada, entre estadas por Fortaleza. O sucesso do enredo e show foi bem além da 6ª colocação da escola no carnaval, e só motivou mais ao dramaturgo retornar à produção do espetáculo em teatro musical, que estréia nesse mês de outubro por Fortaleza.

Após a curta temporada de lançamento, “Iracema dos lábios de mel: o musical” retornará ao Theatro José de Alencar em 2018. No próximo ano, o musical também deve seguir em circuito nacional para mostras e apresentações no Rio de Janeiro, em São Paulo e Brasília, e já está em negociação para desembarcar em Portugal com o apoio da Câmara de Comércio Brasil/Portugal.

 

Mais sobre Ilclemar Nunes:

Natural de São Luiz do Curu (CE), Ilclemar Nunes (75 anos) é redator, dramaturgo, ator e professor de teatro. Integrante do Curso de Artes Dramáticas da Universidade Federal do Ceará (UFC), Nunes também é formado pelo curso de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-graduado em Artes Cênicas, na mesma instituição.

A estréia profissional como ator se deu ainda em 1964 na peça “A Noite do Iguana”, ao lado de Cacilda Becker e de Walmor Chagas, que dirigiu a premiada montagem. Como autor teatral, Nunes teve êxito imediato com a laureada peça “Do Sótão ao Rés-do-Chão”, que logo foi adaptada para o cinema como o filme “Soninha Toda Pura”, também em 1971. Roteirista de mão cheia, ainda jovem foi da equipe redatora de programas para J. Silvestre, e um dos autores da primeira versão do “Sítio do Picapau Amarelo” (Rede Globo), participando como ator em episódios. Também foi redator e diretor em outros programas e emissoras, como na TV Educativa do Rio (de 1962 a 2001).

Folião sempre, se tornou jurado por 30 anos (de 1984 até 2014) na Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), levando também ao Carnaval carioca de 2017 a icônica personagem Iracema para o desfile da escola de samba Beija-flor na Sapucaí. Antes de montar o espetáculo “Iracema dos lábios de mel: o musical”, publicou o texto em 2012, entre os 20 títulos da coleção de livros Edições Theatro José de Alencar, da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult).

 

Ficha Técnica:

Dramaturgia e Direção – Ilclemar Nunes

Assistente de Direção – Ana Cristina Viana

Direção Musical/ Composições – Glairton Santiago

Cenografia – Rodrigo Frota

Cenógrafo Assistente e desenhos técnicos – Gabriel Dultra

Produção executiva de cenografia e adereços  Fábio Vasconcelos

Produção – Dora Freitas

Produtora Assistente – Priscila Lima

Figurino/ Maquiagem – Dami Cruz

Assistente de maquiagem – Addila Costa

Iluminação– Samir Kassouf

Coreografia – Paulo José

Confecção dos arcos e flechas– Telma Pacheco

Confecção de adereços em madeira – Dedé da Talha

Cenotecnicos – Antonio Magalhães, Marciano nascimento, Marcelo Almeida e Mardem Almeida

 

Elenco:

Iracema – Larissa Goes

Martim – André Ximenes

Poti – Gabriel Moraes

Pajé– Beto Meneis

Irapuã – Bruno Prata

Jacaúna/Guerreiro – MarkosVanucci

Caubi– Mateus Honori

Andira/ José de Alencar – Acácio de Montes

Jaguarussu/ Guerreiro – Tonny Greg

Camurupim/ Guerreiro – Gedson Oliveira

Guerreiros–  Pedro Silva, Christian Oliveira, Bryan Lima

Virgens– Emille Castro, Belle Sena, Marina Vasconcelos, Luana Florentino, Janaina de Paula e Júlia Vasconcelos

 

SERVIÇO:IRACEMA DOS LÁBIOS DE MEL: O MUSICAL

Local: Palco principal do Theatro José de Alencar (Praça José de Alencar s/n – Centro)

Data: De 05 a 08/10/17 (quinta-feira a domingo).

Horários: 19h

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)

Classificação indicativa: 14 anos.

Mais informações:(85) 3101-2566.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

TJA recebe programação musical para todos os públicos e seminários que debatem a cidade e o patrimônio cultural, nesta semana

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

18 de setembro de 2017

O Theatro José de Alencar (TJA), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), recebe nesta semana, de 18 a 24/9, diversos shows e dois grandes seminários para debater a cidade e o patrimônio cultural. Entre os destaques da música estão os shows da cantora carioca Monique Kessous, do compositor cearense Daniel Medina e de vários artistas locais como Marcos Lessa, Nonato Luiz, Marcus Caffé e Aparecida Silvino, que se reúnem no show “Um Canto de Paz”. A programação completa do TJA está disponível no site da Secult: www.secult.ce.gov.br.

Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver
 
De segunda a quarta-feira, o Theatro José de Alencar recebe o Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver, sempre começando às 9h. O evento tem como objetivo dialogar com a sociedade brasileira promovendo o amplo debate junto a arquitetos, urbanistas, engenheiros, geógrafos, historiadores, gestores públicos, estudantes e interessados de áreas afins, estabelecendo assim, um ambiente que proporcione o pensamento crítico, através de explanações, diálogos e debates de como as pessoas se relacionam com o uso da cidade e o modo de viver. Entre os convidados para debater o tema estão diversos nomes da arquitetura e urbanismo como Fausto Nilo, Custódio Santos, Ciro Pirondi, entre outros. Mais informações e inscrições podem ser acessadas na página oficial do Seminário: seminariocidade.blogspot.com.br.


Seminário “A importância do Patrimônio Cultural no desenvolvimento de Fortaleza como um destino turístico”

Outro seminário está programado para acontece de sexta-feira, 22/9, a sábado, 23/9, sempre às 15h. Promovido pelo Theatro José de Alencar, o Seminário “A importância do Patrimônio Cultural no desenvolvimento de Fortaleza como um destino turístico” tem o objetivo de sensibilizar o poder público, as instituições, entidades e comércio de Fortaleza da importância de desenvolver melhoria na infraestrutura urbana do centro e ações nos segmentos da arte e cultura, que humanize e aproxime o centro da cidade de Fortaleza de sua população.
 
Apresentações musicais

Uma verdadeira maratona musical acontecerá no Theatro José de Alencar nesta semana. Começando na quinta-feira, 21/9. às 19h30, a Orquestra Filarmônica do Ceará sobe ao palco principal para apresentar temas de filmes clássicos. Ingressos à venda ao preço de R$40 e R$20 (meia), na bilheteria.

A sexta-feira,22/9, começa com muito rock, com as bandas Lavage, Matakabra (Natal) e Gleydson Frota e Banda (Sobral). Os shows têm início às 18h, com entrada franca, na Praça Pedro Boca Rica, Anexo do TJA, como parte do projeto Sexta Rock concebido pela Associação Cultural Cearense do Rock (ACR).

Também na sexta, às 20h, o compositor e ator Daniel Medina apresenta as canções do seu primeiro álbum intitulado “Evoé!”, no palco principal. Na companhia dos músicos Saulo Duarte, Igor Caracas, João Leão e Bruno Rafael e com participações especiais de Vitor Colares e Juruviara, Medina passeia por entre músicas inéditas de sua autoria e canções conhecidas pelo público fortalezense. Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia).

Já no sábado, 23/9, às 20h, a cantora e compositora carioca Monique Kessous sobre ao palco do TJA para apresentar o show “S.ÓS”. Baseado em repertório inédito de uma nova safra autoral folk-pop, o show é parte da trilogia existencial que começou com o disco Dentro de mim cabe o mundo (2016). Músicas como S.Ó.S. (que dá nome ao show), “Calmante Anti Sentimenta” e “Normal, aham” abordam a dura realidade do mundo com leveza e humor. Kessous mais uma vez reafirma a grandiosidade de sua obra e se coloca definitivamente como uma artista que reflete seu tempo e tem muito o que dizer sobre o que vê. Os ingressos para o show custam R$40 e R$20 (meia).

Encerrando a semana musical, o TJA recebe no domingo, o show “Um Canto de Paz”, com Marcos Lessa, Davi Duarte, Nonato Luiz, Marcus Caffé, Aparecida Silvino, Tailândia Montenegro, Edu Asaf, Martônio Holanda e o grupo Fulô da Aurora. Os artistas se reúnem para um show em favor da Paz e do Meio Ambiente. A abertura das apresentações fica por conta do grupo da Escola de Dança da Vila das Artes e da performance “Tato Amarelo” de Ítalo Roveri por Reginaldo Figueiredo, poetas do grupo Templo da Poesia. Os ingressos para o show custam R$30,00 e R$15,00 (meia) – ou R$20,00 e R$10,00 (meia), se antecipados – à venda na bilheteria do TJA, com renda convertida para o projeto de formação “Escola Acústica da Natureza”, apoiado pela ONG Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, que se propõe a construir uma orquestra de instrumentos acústicos com o público-alvo na cidade de Maranguape. Antes do show, dialogando com a temática da paz, diversas ONGs estarão no jardim do TJA, fazendo a Feira da Paz e da Ecologia.O momento será proveitoso também para o público infantil, que poderá conferir uma programação de contação de histórias, no mesmo horário e local, com a Escola de Narradores do Theatro José de Alencar.
Artes cênicas
Sábado, 23/9 também é dia de conferir espetáculos de artes cênicas no TJA. Na sala Nadir Papi Sabóia, às 18h30, a Academia do Riso promove promove a terceira temporada de sua mostra de conclusão de curso com o Cabaret da Academia, estrelando seus palhaços e palhaças iniciados na arte na besteira e da bobagem. O projeto foi premiado pelos Editais de Protagonismo Juvenil da Prefeitura de Fortaleza (2016) e atingiu com louvor a meta de formar uma nova geração de artistas para a cidade. Ingressos: R$10 e R$5 (meia). Classificação Indicativa: Livre.

O grupo UM coletivo SÓ, formado por alunos de Dança e Teatro da Universidade Federal do Ceará, apresenta temporada do projeto Do que não foi feito pra durar no Teatro Morro do Ouro, anexo do Theatro José de Alencar. O espetáculo, com classificação indicativa de 16 anos, está em cartaz durante os sábados do mês de setembro, sempre às 19h. Ingressos: R$10 e R$5 (meia).

Publicidade

Seminário “Cidade, Memória e Modos de Viver” discute futuro das metrópoles, de 18 a 20 de setembro 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

14 de setembro de 2017

Evento ocorrerá no Theatro José de Alencar e está com inscrições abertas 

O desenvolvimento urbano nem sempre ocorre de forma coordenada com os anseios da população. O inchaço das metrópoles acarreta consequências visíveis para todos aqueles que delas precisam, como engarrafamento, desordenamento e conflitos. Ao mesmo tempo, esses desafios motivam gestores públicos, entidades de classe e a sociedade civil organizada a propor e executar soluções. Esse é o mote para a realização do Seminário “Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver”, que ocorrerá no Theatro José de Alencar, em Fortaleza, de 18 a 20 de setembro. O evento é uma iniciativa do Arquiteto e Urbanista Jefferson John em parceria com a graduanda em Arquitetura e Urbanismo e fomentadora cultural Izabela Lima, a correalização é da Prottec Arquitetura.  As inscrições já estão abertas e podem ser feitas por meio do site: http://seminariocidade.blogspot.com.br.

A abertura do evento será, no dia 18, com palestra de Camilo Santana, governador do Ceará, e do arquiteto Carlos Murdoch Fernandes. Mestre em Sustentabilidade Aplicada à Arquitetura pelo PROARQ/UFRJ, Carlos Murdoch Fernandes possui diversas premiações do IAB Carioca como arquiteto e orientador de trabalhos acadêmicos. Atua ainda como promotor de diversos eventos relacionados à aplicação do pensamento verde nas cidades, notavelmente as exposições “Arquitetura Bioclimática no Rio de Janeiro” (2004) e “2030?” (2007).

Além deles, o seminário terá participação de Ciro Pirondi (arquiteto, diretor da Escola da Cidade de São Paulo), Campelo Costa (ex-presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil – IAB), Fausto Nilo (coordenador do eixo urbanístico do Plano Mestre Fortaleza 2040), Francisco Cunha (coordenador do Plano Recife 500 anos), Roberto Cláudio (prefeito de Fortaleza), além dos presidentes do IAB/CE, CAU/CE e CAU/BR, dentre outros.  Na mesa de encerramento, dia 20 de setembro, haverá presença de dois outros grandes nomes: Frederico de Holanda e Nabil Bonduki.

Frederico de Holanda é doutor em arquitetura (Universidade de Londres, 1997) e professor Titular, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de Brasília. Autor de diversas obras de renome, como Oscar Niemeyer: de vidro e concreto / of glass and concrete (primeiro pela editora que fundou – FRBH, 2011), sua produção acadêmica investiga relações entre configuração edilícia e urbana, uso dos espaços abertos públicos, e segregação socioespacial.

Já Nabil Bonduki possui doutorado (1995) em Estruturas Ambientais Urbanas pela Universidade de São Paulo. Atualmente é Professor Titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Habitação, Planejamento Urbano e Regional, História Urbana e Meio Ambiente. Exerceu ainda o cargo de vereador em São Paulo (de 2001 a 2004 e entre 2013 e 2014) e ocupou cargos públicos de destaque, como superintendente de Habitação Popular do município de São Paulo (1989-92), na coordenação da consultoria para a elaboração do Plano Nacional de Habitação (2007/9). Foi Secretario de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente (2011-2012) e secretário Municipal de Cultura de São Paulo na gestão do ex-Pref. Fernando Haddad.

Seminário “Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver” tem como público-alvo todos os interessados em discutir o futuro das metrópoles e soluções para as crescentes demandas. “O debate sobre a construção de cidades mais democráticas pertence a toda a sociedade. Com esse evento, queremos proporcionar ao público a oportunidade de conhecer e ouvir sobre o que vem sendo executado no Brasil”, destacam Jefferson John e Izabela Lima, organizadores do evento.

O evento foi contemplado pelo Edital “Chamada de Ocupação Artística – Cultural do Theatro José de Alencar – 2017” e conta com o apoio institucional do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, Theatro José de Alencar, Instituto Dragão do Mar, Secretaria de Cultura de Fortaleza, Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento do Ceará (IAB-CE), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (CREA-CE) e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Ceará (CAU-CE), CAGECE e Secretaria das Cidades.

Seminário Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver

Data: de 18 a 20 de setembro de 2017

Horário: Das 9h às 12h / Das 14h às 22h

Local: Theatro José de Alencar – Rua Liberato Barroso, 525 – Centro, Fortaleza – CE

Realização: Jefferson John e Izabela Lima

Co-realização: Prottec Arquitetura

Informações e inscrições: www.seminariocidade.blogspot.com.br

E-mail: seminariocmdmv@gmail.com 

Redes Sociais: facebook.com/seminariocidade  e instagram.com/seminariocidade

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

TJA traz uma semana de Filmes, Danças, Teatro, Rock e Literatura

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de setembro de 2017

Um dos destaques é a comemoração dos 60 anos da Comédia Cearense e, ainda, o domingo inteiro de atividades gratuitas

Filmes, Danças, Teatro, Rock, Literatura, Comemoração dos 60 anos da Comédia Cearense e, ainda, um domingo de atividades gratuitas. É o que promete o nesta semana de 14 a 17/9. As atividades iniciam com a exibição do Filme “Janela Lateral”, da jornalista Natércia Rocha, no Cine Morro do Ouro. O filme aborda a solidão das grandes cidades, através de registros feitos do 9º (nono) andar do Edifício Paraguaçu, localizado no cruzamento entre as ruas Pedro I e Sólon Pinheiro, no centro de Fortaleza. O documentário de quinze minutos é dividido em três dias e duas noites, onde estão condensados fragmentos do dia a dia e suas contradições. O evento integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Também na quinta-feira, 13/9, às 19h30, estreia o espetáculo “O Morro do Ouro”, montado em comemoração aos 60 anos do Comédia Cearense. De autoria de Eduardo Campos, é um marco do teatro cearense, e foi encenado pela primeira vez em 1963. A peça busca expor o cotidiano da comunidade do Morro do Ouro, uma das primeiras favelas de Fortaleza. A peça tem como protagonista a prostituta Madalena e seu amante, o traficante do morro, Zé Valentão. É assim que ela é conhecida na zona. É uma mulher que veio do interior e, por não ter nenhuma qualificação, só encontrou um caminho para viver: prostituindo-se. A montagem é uma comemoração aos 60 anos da Comédia Cearense. Os ingressos estão à venda ao preço de R$ 30 e R$ 15 (meia)Classificação Indicativa: 14 anos. A temporada de “O Morro do Ouro” segue de 14 a 17/9.

A sexta-feira, dia 15/9, chega com o PONTO.CE no TJA, trazendo às 18h, na Praça Bora Rica, as Bandas Sincope, Broken Toy Army e Gabrielle Gomes. Os ingressos para a Sexta de Música estão à venda na Bilheteria do TJA ao preço de R$ 10 e R$ 5 (Meia). O Ponto.CE no TJA é mais um dos inúmeros projetos que o Festival Ponto.CE desenvolve durante todo o ano, com o objetivo de movimentar e fomentar a cena musical e cultural da cidade. Participam desta edição as bandas Sincope, Broken Toy Army e Gabrielle Gomes. Esta programação integra a Chamada de Ocupação do TJA.

Também no dia 15/9, às 18h30, o TJA recebe o Lançamento de Livro comemorativo aos 30 anos do Prêmio Teatro Carlos Câmara – Celebração e Aplausos, de Antônio Marcelo. O livro registra os grandes nomes da Cena Cearense que foram agraciados com o TROFÉU CARLOS CÂMARA e contemplados com o Prêmio Destaques do Ano. Atividade gratuita.

Final de Semana começa com Sarau e segue com música, dança e comemoração dos 107 anos do TJA


Sarau das Novas Coisas Antigas, da jovem cantora e compositora, Bárbara Sena, traz no sábado 16/9, às 17h, o Elogio ao Tempo, projeto aprovado no Edital de Ocupação do Theatro José de Alencar de 2017, que mistura música e literatura. A atividade é gratuita e conta com a presença de veteranos artistas cearense, ocorrendo no Foyer do TJA.

Também no sábado, dia 16/9, às 19h, o Morro do Ouro apresenta o espetáculo “Antes só”, do Um coletivo Só de dança e teatro, núcleo artístico de jovens artistas da Dança contemporânea e do Teatro de Fortaleza, criado em 2015. Na ocasião, o coletivo traz para o Theatro José de Alencar os espetáculos “Antes Só” e “Do Que Não Foi Feito Pra Durar”, repertórios do coletivo. O espetáculo integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA.

Domingo é dia do Theatro de Portas Abertas com atividades inteiramente gratuitas

Quem estiver por Fortaleza neste domingo, 17/9, das 14h às 19h30, poderá conferir a programação comemorativa aos 107 anos do TJA, que ocorre sempre no dia 17 de cada mês. Serão mais de cinco horas com atividades gratuitas que incluem as visitas guiadas, a apresentação do Ensaio Aberto: A Ilha, com Katiana Monteiro, às 16h, na Sala Sidney Souto, seguida da encenação de “A viagem de Felipe”, no Teatro Morro do Ouro. Às 17h, o Foyer recebe a apresentação da Orquestra Villa Lobos. Outro espaço do TJA que recebe atividades é a Galeria Ramos Cotoco, que sediará a abertura da Exposição “Rock Vive”. Às 18h, a Orquestra Villa Lobos realiza no saguão do TJA a apresentação da Hora do Ângelus.

A criançada também tem um horário garantido para brincadeiras, trata-se da Contação de Histórias realizadas às 18h10, nos Jardim de Burle Marx. No Teatro Morro do Ouro ocorre ainda a exibição de Bocas Sujas de Carmin, às 18h20, na Sala Sidney Souto, e às 19h, na Sala de Teatro Nadir Sabóia ocorre o espetáculo “As bondosas”. Finalizando as comemorações deste domingo, 17/9, às 19h30, o Comédia Cearense encerra a temporada de “O Morro do Ouro”, no Palco Principal.

A programação completa do TJA está disponível no site da Secult:www.secult.ce.gov.br 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Show em homenagem à Clara Nunes no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

29 de agosto de 2017

A cantora Clara Nunes deixou seu nome marcado na história da Música Popular Brasileira como uma das melhores intérpretes da nossa música principalmente por sua ligação com o samba. Sua voz imortalizou sucessos como “Morena D’Angola”, “Tristeza Pé no Chão”, “Canto das Três Raças” e tantos outros. Estes e outros sucessos de Clara Nunes serão relembrados no show “Homenagem à Clara Nunes” da cantora e compositora cearense Odeth Menescal, nesta sexta-feira, 01 de setembro, às 20h, no Teatro Morro do Outro, anexo do Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Fã e conhecedora de todo trabalho de Clara Nunes, Odeth Menescal vem apresentando este espetáculo bastante aplaudido nos principais espaços culturais, como Sesc e Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, e casas de show de Fortaleza. O show também representa um resgate à obra de Clara Nunes que não apenas cantava mas empreendia pesquisa em torno da música brasileira e do folclore. No palco, músicos de grande destaque na cena musical de Fortaleza: Giltácio   Santos (sopro), Marcos Cortez (surdo), Chico do Cavaco (violão), Lauro Viana (cavaco), Igor Ribeiro (pandeiro)  recriarão junto com Odeth Menescal os sambas e demais ritmos inesquecíveis de Clara Nunes.

Sobre Odeth Menescal

Cearense nascida em Fortaleza, Odeth Menescal é artista de características ímpares quando o assunto é música popular brasileira. Admiradora do gênero desde sua infância ingressou na área da música por meio da influência de seu pai. Descobriu o fascínio pela música quando iniciou os estudos de canto no colégio que estudava, em Brasília.

Passou grande parte de sua vida participando de corais e grupos vocais, nos quais chegou a fazer alguns trabalhos cantando em missas, assim como em bares e eventos fechados na cidade. Motivo pelo qual buscou aperfeiçoamento e gravou seu primeiro trabalho, “A ordem é samba”, em 2009, com composições de autoria de seu irmão, Alexandre Menescal.

Serviço
Show Odeth Menescal – “Uma Homenagem à Clara Nunes”
Theatro José de Alencar – Anexo Teatro Morro do Ouro
Dia: 01 de setembro
Horário: 20h
Ingressos: R$ 20 – inteira e R$ 10 – meia
Informações: (85) 3101-2562

* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Seminário “E Agora, José?” é destaque na programação do TJA esta semana

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

14 de novembro de 2017

Reabertura da Sala de Figurino Flávio Phebo, Inauguração do Café Iracema, debate sobre as ações realizadas em 2017 e programa Theatro de Portas Abertas são algumas das atrações do TJA. Confira:

“Avaliação anual e novas ideias para 2018” este é o tema do seminário E Agora, José?, um programa de diálogos para a construção de uma gestão participativa do Theatro José de Alencar. “Nesta edição, vamos discutir a proposta de programação colaborativa e democrática, realizada no TJA neste ano de 2017, onde foram firmadas diversas parcerias para a criação de novos programas e possibilidades de fruição cultural. No encontro ainda devemos avaliar a primeira edição da Chamada de Ocupação, que selecionou 77 propostas de programação cultural para todos os espaços do TJA”, Selma Santiago, diretora do TJA. Acontece quinta (16) a partir das 18h30 no Foyer. Classificação indicativa livre*

Ainda na quinta (16) o Theatro José de Alencar promove a Reabertura da Sala de Figurino Flávio Phebo às 16h com uma exposição de peças do acervo e um desfile às 17h30. “Há muitos anos não havia sido feito uma manutenção, nessa gestão reabrimos e contamos com a parceria de estudantes de produção e moda para fazer a catalogação e levantamento de peças que podem ser emprestadas e peças que são de acervo que não se empresta devido ao valor histórico. Isso faz parte construção da história do teatro cearense”, diz Selma Santiago. A Sala de figurino Flávio Phebo funciona de terça à sexta, das 09h às 12h, e das 14h às 17h. A atividade é gratuita e aberta ao público. Classificação indicativa livre*. Ainda na quinta (16) às 18h o Teatro Morro do Ouro recebe o show Canção da Aurora, ingressos R$10. Classificação indicativa livre*

Theatro de Portas Abertas

O programa mensal Theatro de Portas Abertas inicia sua programação no mês de novembro com a Inauguração do Café Iracema às 9h. O café será administrado pela Fundação Amigos do Theatro em parceira com o Café Santa Clara.

Nesta edição o programa recebe também o Festival Popular de Teatro de Fortaleza, confira programação: A Orquestra Acordes do Amanhã se apresenta às 15h, no hall do Theatro, às 16h, Cerimônia de Abertura do festival com a banda Dona Zefinha na calçada, ainda na calçada acontece o show de Show Di Ferreira às 17h15. Nossa tradicional Hora do Ângelus será celebrada pelo Quinteto da ORCEC às 18h, na calçada e em seguida na Galeria Ramos Cotoco acontece a abertura da Exposição Imagens da Cena do fotógrafo Francisco Salvino . Ainda no anexo, às 18h30 é hora do rock invadir a Praça Mestre Boca Rica com o programa Sexta Rock que traz as bandas Ebenezer, Aderiva e Rusty. Para encerrar o nosso dia no palco principal do Theatro o espetáculo Ibirapema – O Forró que eu faltei.

Música, literatura, dança e teatro são atrações do final de semana no theatro.

Sábado (18) às 17h, o programa da Secult Ce Pra Ver A Banda Passar recebe a Banda de Música Municipal Padre David Moreira da cidade de Farias Brito na calçada. Às 18h, no Foyer acontece o sarau “Amém! Mário Gomes Sarau Da Poesia Marginal”, proposta selecionada para compor o programa Sarau Literário da Chamada de Ocupação do TJA. É gratuito e classificação indicativa: livre*. E para encerrar o final de semana temos a dança Vidas E Obras – Arte Em Cena do Colégio 7 de setembro no sábado e domingo, às 19h30, e às 18h, respectivamente. Os ingressos custam R$ 70, R$ 35 e Classificação Indicativa livre*. No domingo (19), a nossa tradicional Sala de Concerto recebe a Camerata de Cordas da UFC a apresentação gratuita inicia às 17h. Classificação indicativa livre*

Pauta Aberta Morro do Ouro apresenta “Anlodo: Tambores do Ceará”

No sábado, dia 18/11, o programa Pauta Aberta Morro do Ouro apresenta o espetáculo “Anlodo: Tambores do Ceará”. Projeto selecionado na Chamada  de Ocupação do Theatro José de Alencar, é realizado pelo coletivo Raízes do Griô. Em cena, você poderá conferir a caminhada ritualística dos iniciados que exteriorizam o alimento para alma no resgate da ancestralidade via o som dos variados batuques dos tambores. Ingressos R$10 e R$5 (meia), classificação indicativa livre, às 19h, no Teatro Morro do Ouro.

Segunda Temporada CPBT

No dia 18, a sala de Teatro Nadir Papi Sabóia recebe a segunda temporada das montagens de conclusão do Curso Princípios Básicos de Teatro – manhã 2016/2017. A turma traz ao público o espetáculo Estribilho na reflexão ácida e poética sobre as opressões na sociedade contemporânea. A sessão de Estribilho acontece às 18h30. O ingresso de cada espetáculo custa R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação: 12 anos*

TJA recebe o III Festival de Teatro da Escola de Atores Marcelino Câmara

Entre os dias 11 à 15 de novembro, a Escola de Atores Marcelino Câmara realiza o Festival de Teatro em nosso palco principal. O festival conta com três espetáculos montados na escola de Atores “Família Addams”, nos dias 11 e 12/11, “Lisbela e o Prisioneiro” nos dias 13 e 14, e “Rock de uma noite de verão”, nos dias 15 e 16/11. Os ingressos estarão à venda a partir das 19h, e custam R$ 40 e R$ 20 (meia). Classificação livre*
Domingo é dia de Teatro Infantil

A Pauta Aberta Infantil deste mês apresenta o espetáculo Bau de Munganga. Serão manifestações e brincadeiras populares integradas a histórias cantadas e faladas que tratam de temas de cunho ambiental, cultural e social. O espetáculo é apresentado pela Cia Trupe Brincante e integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Os ingressos estão à venda ao preço de  R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre*Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br