Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Theatro José de Alencar

Caio Castelo apresenta novo show nesta sexta no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de setembro de 2018

A apresentação acontece dia 14 de setembro no Palco Principal do TJA, às 20h. Os ingressos serão vendidos ao preço R$10 (inteira) e R$5 (meia), censura livre. Acompanham Caio (voz, guitarra e sintetizadores) os músicos Ayrton Pessoa (sintetizadores) e Igor Ribeiro (bateria).
Em seu novo show “Pontes de Vidro”, Caio Castelo se reinventa numa sonoridade mais dançante ao mesclar elementos orgânicos a eletrônicos e novas canções de seu álbum recém-lançado às dos anteriores, tudo isso explorando as diversas possibilidades do formato voz, guitarra, sintetizadores e bateria.
Assista seu mais recente clipe, “Ponto Cego”: https://goo.gl/gbp77L
Fotos em alta (créditos: Taís Monteiro e Raisa Christina):
Serviço
Show de Caio Castelo
No Theatro José de Alencar
Sexta, 14 de setembro, às 20h
R$10 (inteira) e R$5 (meia)
Mais informações: 85 98694.1000
Publicidade

Clara Nunes é homenageada em espetáculo no Theatro José de Alencar próxima segunda

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

12 de setembro de 2018

O Theatro José de Alencar será palco, mais um vez, do espetáculo “Brasileira, Profissão Esperança”. A peça, uma grande homenagem à carreira e à vida da cantora Clara Nunes, acontece no próximo dia 17 de setembro (segunda-feira), às 19h30, na sala Nadir Papi Sabóia. No elenco, a atriz Lua Ramos (intérprete de Clara Nunes), o ator e diretor Beto Meneis, além dos músicos Mateus Honori (violão) e Ianka Oliveira (percussão).

“Tenho uma grande admiração e afeto por essa cantora. Acredito no trabalho dela como um instrumento de conciliação e memória, num momento em que a intolerância religiosa assola o País. É uma discussão que pede urgência nos nossos dias e o teatro é um instrumento de transformação e inserção social”, destaca a atriz Lua Ramos. Segundo ela, Clara eternizou-se no imaginário popular por seu canto arrebatador, suas vestimentas e expressões corporais que remetiam ao culto afro-brasileiro.

O ator Beto Menês, diretor do espetáculo, enfatiza que a peça procura levantar a discussão sobre a liberdade de expressão, a liberdade religiosa, além de valorizar a participação feminina dentro da cultura brasileira. “Nós queremos levar para as ruas e os palcos diversos a mitologia, o misticismo, o sincretismo e a força e cultura do nosso povo”, explica.

A música é um dos grandes destaques do espetáculo, permeando as cenas com clássicas canções interpretadas ao longo da vida por Clara Nunes, considerada uma das maiores personalidades femininas da Música Popular Brasileira.

SERVIÇO:

“Brasileira, Profissão Esperança”

Local: Theatro José de Alencar – Sala de Teatro Nadir Papi Sbóia

Endereço: Rua Liberato Barroso, 525 – Centro

Data: 17 de setembro de 2018 (segunda-feira)

Horário: 19h30

Classificação indicativa: 12 anos

Ingressos: Entrada franca (caixa colaborativa estará disponível para quem quiser contribuir com o espetáculo)

Publicidade

Fortaleza recebe instalação/espetáculo “Grande Sertão: Veredas” em duas únicas apresentações, às 16h e 20h, do dia 12 de agosto

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

31 de julho de 2018

Grande Sertão Veredes – Mostra Oficial – Crédito: Annelize Tozetto

Bia Lessa volta à obra-prima de Guimarães Rosa, após 10 anos, conduzindo o público por entre as veredas recriadas no Theatro José de Alencar

Contar é muito, muito dificultoso”

Carece de ter coragem…”

Como transpor ao palco uma leitura da maior obra literária brasileira do século XX? Mais que uma pergunta, esta foi a missão da diretora teatral Bia Lessa ao decidir coisificar os universos contidos em Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa, e as inúmeras possibilidades de análise do romance. A resposta será apresentada ao público de Fortaleza no dia 12 de agosto, no Theatro José de Alencar, em duas sessões: às 16 horas e 20 horas. O espetáculo, vencedor do Prêmio APCA 2017 na categoria Melhor Direção (Bia Lessa), do Prêmio Shell nas categorias Melhor Direção (Bia Lessa) e Melhor Ator (Caio Blat) e do Prêmio Bravo! 2018 na categoria Melhor Espetáculo de Teatro (Grande Sertão: Veredas), chega a Fortaleza após temporada de casa lotada, em São Paulo e no Rio de Janeiro.

No elenco estão Caio Blat, Luíza Lemmertz, Luísa Arraes, Leonardo Miggiorin, José Maria Rodrigues, Balbino de Paula, Daniel Passi, Elias de Castro, Lucas Oranmian e Clara Lessa. Para dar vida ao mítico sertão, Bia reuniu nomes como Egberto Gismonti (música), Camila Toledo (concepção espacial, com a colaboração de Paulo Mendes da Rocha), Sylvie Leblanc (figurino) e Fernando Mello da Costa (adereços).

Contar seguido, alinhavado, só mesmo sendo as coisas de rasa importância.”

Bia conhece profundamente o Sertão de Guimarães Rosa. Ela levou o público para dentro da obra na inauguração do Museu da Língua Portuguesa (SP), em 2006. A exposição foi aclamada por onde passou. Agora, ela convida a plateia a um mergulho fundo na epopeia narrada pelo jagunço Riobaldo (Caio Blat), que atravessa o sertão para combater seu maior inimigo, Hermógenes(José Maria Rodrigues), fazer um pacto com o diabo e descobrir seu amor por Diadorim (Luíza Lemmertz). Trata-se de uma instalação, visitada e experimentada pelo público durante o dia no Theatro José de Alencar, e o espetáculo, encenado na mesma estrutura, em 2 horas e 20 minutos de encenação ininterruptas, com o elenco em cena permanentemente, em que o público experimenta a dissolução das fronteiras entre início e fim do espetáculo; entre teatro, cinema e artes plásticas; entre literatura e encenação.

“O teatro para mim é sagrado. Me dedico a ele de tempos em tempos, não me sinto com capacidade de realizar espetáculos um após o outro. Me deparei com o Grande Sertão e ele se apoderou de mim mais uma vez. Quando montei a exposição, algumas questões se apresentavam: a principal delas era como utilizar imagens sem que o significado do Sertão de Guimarães ficasse reduzido a um único lugar. A opção na época foi trabalhar apenas com palavras. No teatro, essa questão volta a se impor: ‘o sertão está dentro da gente’. Nosso caminho foi realizar um trabalho onde homens, animais e vegetais estabelecessem uma relação de diálogo sem supremacia entre eles. Não estamos exatamente no sertão, mas em um espaço “ecológico” e metafísico onde tudo cabe. Um espaço, uma imagem, que nos possibilita a experiência proposta pelo romance, sem obviamente realizar o romance tal como é – fidelidade absoluta (todas as palavras ditas são de Guimarães Rosa), mas liberdade infinita, visto que é apenas uma das leituras possíveis da riquíssima obra de Guimarães. Escolhemos não utilizar grandes efeitos ou recursos, a não ser a valorização do universo sonoro dos espaços propostos pelo romance, apenas os próprios atores”, pontua a diretora.

O sertão está em toda parte”

A grande estrutura tubular concebida lembra um claustro, uma gaiola. Instalada na rotunda no Theatro José de Alencar, também é, ao mesmo tempo, cenário de violentas batalhas e de reflexões profundas. Como instalação, poderá ser visitada durante o dia. 250 bonecos de feltro com tamanho humano, criados pelo aderecista Fernando Mello da Costa, confeccionados com apoio do Instituto-E | Om Art, compõem uma imagem permanente: a cena da morte de Diadorim como um presépio, passível da participação do público, não só como espectador, mas também como agente da ação, ocupando o lugar da personagem. A trilha sonora completa a atmosfera do Grande Sertão: Veredascomposta por três camadas: os ruídos e sons ambientes, a música composta por Egberto Gismonti e a trilha sonora que representa nossa memória emotiva, com músicas que fazem parte de nosso imaginário. Os figurinos são uma leitura do sertão, sem regionalizá-lo – são personagens do mundo.

Em um trabalho tão artesanal, marca da diretora (que passou mais de 600 horas com o elenco, em ensaios diários por 92 dias), e de grande esforço físico (a preparação corporal foi um dos aspectos indissociáveis do trabalho de direção, com aulas de corpo por Amalia Lima diariamente durante os 4 meses de ensaio), a tecnologia foi fundamental para guiar o público em tantas veredas. Cada espectador usará fones de ouvido que permitirão escutar separadamente a trilha sonora, as vozes dos atores, os efeitos sonoros e sons ambientes, levando-o a um nível inédito de interação com a dimensão sonora do espetáculo. Apesar de todos compartilharem o espaço na plateia, cada um terá uma experiência única durante a apresentação.

Essas são as horas da gente. As outras, de todo tempo, são as horas de todos

SINOPSE

Em montagem inédita no Theatro José de Alencar, Bia Lessa propõe a um só tempo uma peça de teatro e uma instalação em sua adaptação do livro Grande Sertão: Veredas – matriz do moderno romance brasileiro e obra-prima de João Guimarães Rosa. A peça traz para o palco a saga do jagunço Riobaldo que atravessa o sertão para combater seu maior inimigo, Hermógenes, fazer o pacto com o diabo e viver seu amor por Diadorim. O cenário-instalação estará aberto à visitação do público.

BIA LESSA

Bia Lessa é uma artista multifacetada, cineasta, diretora de teatro e ópera, exposições, ganhadora de vários prêmios. Suas obras são exibidas em vários países, como Alemanha, França e EUA. Criadora do Pavilhão Brasileiro na Expo 2000 em Hannover, Mostra Redescobrimento na Bienal SP, Reabertura do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a ópera Il Trovattore, Pavilhão Humanidades 2012 (Rio + 20), reinauguração dos painéis Guerra e Paz de Candido Portinari na ONU em NY. No cinema, dirigiu os filmes CREDE-MI mostrado em festivais internacionais (Berlim, Biarritz, Nova Iorque, Jerusalem, Brisbane, Minsk, entre outros).

POR SILVIANO SANTIAGO

Para Bia Lessa, só o espetáculo teatral pode expandir a forma inovadora da literatura. Ela não adaptou duas obras clássicas do romance ocidental; levou ao palco os romances Orlando, de Virginia Woolf, e O homem sem qualidades, de Robert Musil, expandindo-os. E agora, quando a nação perde o norte da cidadania e esfarela a vontade dos brasileiros, Bia monta uma escultura na área de convivência do Sesc Consolação. No seu interior, encena o monstruoso e genial Grande sertão: Veredas, do nosso Guimarães Rosa.

Durante o dia, a escultura do Grande sertão: Veredas repousa como se fosse livro fechado, a espicaçar a curiosidade dos visitantes. À noite, a escultura expande o livro aberto. O leitor silencioso e introspectivo se metamorfoseia em espectador, parcela de um coletivo atento e participante, que se renova.

A gongórica e letal escrita de Rosa ganha o corpo dos atores. Empresta-lhes ação e fala. E a trama romanesca se desenvolve diabolicamente, com movimentos desordenados, afetuosos e anárquicos, qual máquina escultural assinada por Jean Tinguely, um dos fundadores do Novo Realismo. Novo Realismo igual a − diz o famoso manifesto − novas percepções do Real.

Grande Sertão: Veredas se expande como espetáculo teatral que libera – qual alegoria rigorosa da nossa contemporaneidade − o modo como os movimentos desenvolvimentistas sem preocupação social e humana não recobrem a nação como um todo. Pelo contrário. O esforço positivo da modernização é localizado, centrado e privilegia. Nas margens, cria enclaves de párias – bairros miseráveis, favelas, prisões, manicômios, etc. − onde violentas forças antagônicas se defrontam e se afirmam pela ferocidade da sobrevivência a qualquer custo, acirrando a irascibilidade do controle e do mando. Viver é perigoso.

Extraordinário em Guimarães Rosa é que, no mais profundo da vida humana miserável e autodestrutiva, na morte, há lugar para o afeto e o amor. Ao compasso de espera, Riobaldo e Diadorim dançam novos e felizes tempos. Piscam a alegria de viver, como vagalumes que a mata libera à noite.

 Silviano Santiago

FICHA TÉCNICA

Concepção, Direção Geral, Adaptação e Desenho de Luz – Bia Lessa

Elenco – Balbino de Paula, Caio Blat, Daniel Passi, Elias de Castro, José Maria Rodrigues, Leonardo Miggiorin, Lucas Oranmian, Luisa Arraes, Luiza Lemmertz, Clara Lessa.

Concepção Espacial – Camila Toledo, com colaboração de Paulo Mendes da Rocha

Música – Egberto Gismonti

Colaboração – Dany Roland

Desenho de Som – Fernando Henna e Daniel Turini

Adereços – Fernando Mello Da Costa

Figurino – Sylvie Leblanc

Desenho de Luz – Binho Schaefer

Projeto de Audio – Marcio Pilot

Diretor Assistente: Bruno Siniscalchi

Assistente de Direção: Amália Lima

Direção Executiva: Maria Duarte

Produtor Executivo: Arlindo Hartz

Colaboração – Flora Sussekind, Marília Rothier, Silviano Santiago, Ana Luiza Martins Costa, Roberto Machado

Idealização e Realização: 2+3 Produções Artísticas Ltda

Apoio Institucional : Banco do Brasil | Globosat

Apoio: BMA Advogados | Instituto-E | Om Art

Agradecimento especial à viúva do Autor, a quem a obra foi dedicada, Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa, à Nonada Cultural e a Tess Advogados.

© Nonada Cultural Ltda.

Produção local: Free Lancer Producções

SERVIÇO

GRANDE SERTÃO: VEREDAS

Dia: 12 de agosto de 2018 (domingo)

Horários:  16h e 20h

Local: Theatro José de Alencar

Informações da bilheteria: 3101.2583 OU 3101.2566, de 14h às 18h

Nos dias de espetáculos de 14h até o início do evento

Duração: 140 minutos

Classificação: 18 anos – (há cenas de nudez)

Ingressos:

Ingressos à venda na bilheteria do Theatro de terça a domingo, das 14 às 20h e

Lojas Blinclass  Shopping Iguatemi e Rio Mar

Ou pelo site: https://ingressando.com.br

Valores:

Palco R$120 + R$ 3,00 de taxa (valor único)

Plateia R$ 100 + R$ 3,00 de taxa (inteira) e R$ 50 + R$ 3,00 de taxa (meia)

Frisa e Camarote R$ 120 + R$ 3,00 de taxa (inteira) e R$ 60 + R$ 3,00 de taxa (meia)

Torrinha R$ 80 + R$ 3,00 de taxa (inteira) e R$ 40  + R$ 3,00 de taxa (meia).

Regras: Regras de meia-entrada: estudantes, idosos, menores de 21 anos, pessoas com deficiência, professores e profissionais da rede pública municipal de ensino.

Instalação (montada no saguão do Theatro José de Alencar)

Horário: das 14 às 20h

Classificação: livre

Publicidade

O Theatro José de Alencar lança Chamada de Ocupação Artística para compor a programação do segundo semestre de 2018 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

13 de junho de 2018

O Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), lança Chamada de Ocupação Artística para compor a programação do segundo semestre de 2018. O presente edital irá selecionar grupos do Estado do Ceará para compor o cronograma de atividades dos mais variados espaços deste complexo cultural. O período de inscrições é de 06 a 19 de junho de 2018.

São 16 espaços disponíveis e muitas possibilidades de desenvolver seu trabalho artístico no mais importante teatro do Ceará. Artes visuais, música, dança, teatro, circo, audiovisual, literatura e muitas outras linguagens artísticas podem ocupar os espaços que compõem a edificação tombada, jardim e todo o Anexo CENA.

Com esta iniciativa o TJA busca promover o fortalecimento e fomento desta centenária casa de espetáculos junto a classe artística e ao grande público. Após cumprirmos com o calendário disposto na Chamada, iremos disponibilizar os selecionados de acordo com os espaços pretendidos e linguagens.

Confira o edital:
Publicidade

Sucesso na estreia, espetáculo “Geração Trianon” fica em cartaz de 22 a 25/02, no Theatro José de Alencar

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

21 de Fevereiro de 2018

Com a casa lotada na estreia no último fim de semana, o espetáculo “Geração Trianon”, do Instituto Teatro Público, continua em cartaz de 22 a 25, de fevereiro, quinta a domingo, sempre às 18h30. Os ingressos serão vendidos a R$ 20,00 e 10,00 e classificação etária recomendada para 12 anos.

O texto  de Anamaria Nunes e é ambientado no Teatro Trianon, célebre casa de espetáculos do Rio de Janeiro por suas comédias, entre as décadas de 20 e 30 do século XX. Nele passaram grandes nomes da época, entre autores, artistas de teatro, empresários e críticos, que discutiam e resolviam ali os rumos da classe teatral.

O enredo mostra dois sócios, o Astro da Companhia e o Dono do Teatro Trianon, em apuros após um grande fracasso de bilheteria de um drama. Decidem mudar o repertório e montar uma comédia inédita. Contratam um jornalista desconhecido para escrever a peça e estrear em cinco dias. O público acompanha o stress gerado pela montagem de uma peça dentro da peça e se diverte com as trapalhadas e situações dos artistas que vivem de teatro.

A encenação ambienta o texto com referências ao teatro cearense e homenageia a paixão de seus artistas para viver de sua arte. Traz à cena dificuldades, intrigas, expectativas, sonhos, anseios e desejos. Sucessos e fracassos numa gangorra de paixão e aposta na arte do Teatro, onde pão e poesia travam, todo dia, sua batalha.

Ficha técnica

“Geração Trianon”

Elenco: Júnior Martins, Antônio Formiga, Leuise Furtado, Robério Diógenes, Pedro Domingues, Fabíola Lipper, Jane Azeredo, Aldo Marcozzi e Roberta Wermont.

Texto: Anamaria Nunes

Produção: Ana Cristina Viana

Cenografia: Rodrigo Frota

Figurino: Dami Cruz

Iluminação:Raí Santorini

Sonoplastia: Glairton Santiago

Contra-Regragem: Mauro de Lima

Arte e Design: Klebson Alberto e Lara Leôncio

Direção: Pedro Domingues

Montagem: Instituto Teatro Público

SERVIÇO:

Espetáculo “Geração Trianon”

Quando: De 22 a 25/02, às 18h30

Onde: Theatro José de Alencar

Ingressos: R$ 20,00 e 10,00

Classificação etária: 12 anos

Publicidade

19ª Festival Jazz & Blues desce a serra e chega a Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

15 de Fevereiro de 2018

Após quatro dias de intensa programação em Guaramiranga, chegou a vez de transformar Fortaleza na capital do Jazz e do Blues. Nesta quinta e sexta-feira (dias 15 e 16 de fevereiro) a cidade recebe alguns dos grandes shows que aconteceram na serra, durante a 19ª edição do Festival Jazz & Blues. Para encerrar mais uma edição em grande estilo, os shows invadirão alguns dos importantes espaços culturais da capital cearense: Centro Cultura Banco do Nordeste, Cineteatro São Luiz e Theatro José de Alencar. 

A programação em Fortaleza começa com a oficina de gaita ministrada pelo carioca Jefferson Gonçalves, que será nesta quinta-feira, às 17h, no Centro Cultural Banco do Nordeste. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no local. Depois da oficina, Jefferson e o guitarrista mineiro Gustavo Andrade apresentam às 18h30 o show “Explosion Blues”, que contagiou a plateia na Sessão ao Por do Sol do último dia do Festival na serra. É um show alto astral e contagiante, repleto de clássicos do blues, country-blues, folk e funk-blues, também com Fabio Mesquita (baixo) e André Obermuller (bateria). A entrada é gratuita, com retirada de ingressos na bilheteria.  

Dois grandes shows serão apresentados nesta quinta e sexta-feira, ambos às 19 horas, no Cineteatro São Luiz, com venda de ingressos na bilheteria. Na quinta-feira, a atração é Dori Caymmi (violão), acompanhado por Itamar Assiere (piano), Jefferson Lescowich (contrabaixo) e Ricardo Costa (bateria) no show “Voz de Mágoa”. O título faz alusão ao timbre vocal de seu pai, Dorival Caymmi, mas também à mágoa antiga de amor por um Brasil recriado todos os dias nas canções, mas que não consegue se traduzir num país mais humano, belo, justo e brasileiro. “Um Brasil que a geração do meu pai me ensinou e prometeu, mas que nunca entregou”, ressalta. 

Na sexta-feira o Cineteatro São Luiz recebe o show “Blues for Africa” de Adriano Grineberg, que tem como convidado o cantor gaúcho Filipe Catto. É um espetáculo que ressalta a força da matriz africana para o blues, a música do Brasil e do mundo. Com eles, Fabá Jimenez (guitarra), Caio Goes (baixo) e Marco da Costa (bateria). 

E para fechar esta edição, na sexta-feira, dia 16, às 20h30, acontecem dois grandes shows no Theatro José de Alencar: O primeiro é de um dos encontros musicais que conquistou o público do Festival na serra: o compositor, cantor e violonista cearense Davi Duarte com o Duo Estro Cuba, formado pelo flautista Marcelo Padre e o pianista Néstor Lambida. Uma sintonia perfeita da cena cearense com a música mineira e a matriz musical cubana. Com eles, o percussionista Nilton Fiore completa esse time de instrumentistas.

Na sequência, no palco do TJA, o show é do Blues do Nordeste, formado por quatro guitarristas de estados diferentes que se juntaram para criar um grupo marcado pela intensidade e pela forma brasileira de vivenciar o blues. André de Sousa (Piauí), Gustavo Cocentino (Rio Grande do Norte), Roberto Lessa (Ceará) e Rodrigo Morcego (Pernambuco) levantaram a plateia da Jam Session de segunda-feira em Guaramiranga e prometem repetir a festa na noite de sexta-feira em Fortaleza. 

Apresentado pelo Ministério da Cultura, com apoio institucional da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará e da Prefeitura Municipal de Guaramiranga, o 19° Festival Jazz & Blues tem como patrocinadores: Hipercor, Nacional Gás e BNB. Apoio cultural: Cineteatro São Luiz, Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, Theatro José de Alencar, Indaiá, Café Santa Clara Reserva da Família, Cagece, Dakota, Casa Pio, Mercadinhos São Luiz e Servis Segurança. Agradecimentos: ENEL e Coca-Cola. Promoção: Diário do Nordeste. Realização: Ministério da Cultura e Via de Comunicação.

 

PROGRAMAÇÃO

 

DIA 15 (QUINTA-FEIRA)

17h – Workshop de gaita: Jefferson Gonçalves (RJ)

18h30 – Show:  “Explosion Blues” – Gustavo Andrade e Jefferson Gonçalves (MG/RJ)

Local: Centro Cultural Banco do Nordeste

19h – Show: Dori Caymmi (RJ)

Local: Cineteatro São Luiz

 

DIA 16 (SEXTA-FEIRA)

19h – Show: “Blues for Africa” convida Filipe Catto (SP/RS)

Local: Cineteatro São Luiz

20h30 – Shows da Festa de Encerramento: Davi Duarte (CE) e Duo Estra Cuba / Blues do Nordeste (CE/PI/RN/PE)

Local: Theatro José de Alencar

 

SERVIÇO

19ª Festival Jazz & Blues em Fortaleza – Dias 15 e 16 de fevereiro de 2018 em Fortaleza. Informações: (85) 3262.7230. Site: www.jazzeblues.com.br. Instagram: @festivaljazzeblues. Facebook: Festival Jazz & Blues (CE).

Inscrição para oficina de gaita no Centro Cultural Banco do Nordeste: Gratuita, no local. Vagas limitadas. Show de Jefferson Gonçalves e Gustavo Andrade no CCBNB: gratuito com retirada de ingressos na bilheteria (Centro Cultural Banco do Nordeste: Rua Conde d’Eu, 560 – Centro). 

Ingressos para os shows no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza: À venda no local (Rua Major Facundo, 500 – Centro). Horário de funcionamento da bilheteria: Terça a sábado das 10h às 18h30 e, aos domingos, a bilheteria é aberta uma hora antes de cada evento e fecha no início da última atividade (conforme programação do dia). R$ 30,00 (inteira) / R$ 15,00 (meia). Venda com taxa de conveniência no Tudus(www.tudus.com.br). Informações no Cineteatro São Luiz: (85) 3252.4138 (horário comercial).

Ingressos para os shows de encerramento no Theatro José de Alencar: Gratuitos, com retirada de ingressos na bilheteria, no dia do show (Rua Liberato Barroso, 525 – Praça José de Alencar – Centro). 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Theatro José de Alencar recebe a abertura do III Festival Internacional Violoncelos em Folia

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

06 de Fevereiro de 2018

 

O Festival acontece no período do Carnaval, de 09 a 13 de fevereiro. Um grande encontro de estudantes, profissionais e apreciadores de violoncelos.

 

A abertura do III Festival Internacional Violoncelos em Folia acontece sexta (9/2) no Palco Principal do TJA, a partir das 19h30. O evento em Fortaleza é a versão brasileira do festival Violoncelles en Folie, iniciado em Briançon, França, no verão de 2006, sob direção do violoncelista cearense Fernando Lage, professor do Conservatório de Briançon, que também dirige a edição nacional.

 

O concerto de abertura contará com os professores Fernando Lage, Marie-Françoise Nageotte, Diego Coutinho, Dora Utermohl, Ítalo Rafael e convidados. O evento é gratuito e classificação indicativa livre.

 

Teatro de Rua e Quinta no Porão integram a programação Semanal

 

Na quarta (7/2) o já tradicional programa Arte de Rua apresenta a peça “O Auto da Camisinha” do Grupo De Teatro Assum Preto, às 17h30, na calçada do TJA. O espetáculo conta a história de um casal de namorados que vivem a ansiedade de realizar o tão sonhado amor e sexo, mas Benedito (o namorado) se vê inexperiente a frente de Lionor (moça esperta e decidida), pois a mesma só quer transar se for com camisinha. A apresentação é gratuita e a classificação indicativa livre.

 

Quinta no Porão, o mais novo programa do TJA

 

Peça baseada na obra literária “Crônica de Uma Morte Anunciada”, de Gabriel Garcia Marquez, a peça “Morte Anunciada” acontece nos dias 08 e 15 de fevereiro, às 19h30, no Porão do Theatro José de Alencar. O monólogo é encenado pelo ator Oscar Roney, sob a direção de Francinice Campos. É interpretado nos idiomas espanhol e português.

 

O programa “Quinta no Porão” tem como objetivo abrir espaços para espetáculos mais intimistas e de maior interação com o público, além de apresentar as possibilidade e uso dos espaços do TJA. Os ingressos custam R$30 (inteira) e R$15 (meia), preço promocional para associados ao Sated no valor de R$10. Classificação Indicativa:  12 anos.

 

Carnaval!

 

No período do carnaval, de 10 a 14 de fevereiro, o Theatro José de Alencar estará fechado para atividades culturais.

 

Confira a programação completa do mês de fevereiro no TJA pelo site: www.secult.ce.gov.br

 

Mais informações/entrevistas:

Ivy Ariane – (85) 99991.8382 | tja.comunica@gmail.com

Assessoria do Theatro José de Alencar

Publicidade

TJA: II Baile a Fantasia do Zé de Alencar será no dia 3/2

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de Janeiro de 2018

O pré-carnaval 2018 chega novamente ao jardim do Theatro José de Alencar.

Um baile na casa do Zé – O Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), promove no dia 03/02 (sábado), em seu jardim, o II Baile a Fantasia do Zé de Alencar. A programação terá início às 16h com o Baile Infantil e segue às 19h com o Baile Adulto, com atrações como DJ Alan Morais e show da banda Luxo da Aldeia. O Baile a Fantasia do Zé de Alencar também promoverá um desfile e a escolha das três melhores fantasias com direito a premiação.

O Bloco Luxo da Aldeia foi criado em 2006 a partir de uma ideia de valorização da música cearense de carnaval. Tem o nome inspirado na música Terral, de Ednardo. O seu grupo é formado por músicos que trabalham na valorização da música local num intuito de reforçar os laços culturais do nosso povo com o local de origem.

Pierrots, colombinas, arlequins, piratas, árabes, borboletas, bailarinas, palhaços, ciganas, todos serão muito bem vindos nesta festa que fortalece os laços de convivência com a comunidade, parceiros, artistas e amigos do TJA, onde o lazer e a criatividade serão porta vozes da alegria.

A entrada gratuita será permitida apenas para pessoas fantasiadas ou mascaradas, limitada à lotação do espaço, quando serão distribuídos 400 ingressos na semana anterior e 200 ingressos no dia do Baile.

Serviço: II Baile a Fantasia do Zé de Alencar
Dia: 03 de Fevereiro de 2018 (sábado)
Onde: Jardim do Theatro José de Alencar

Baile Infantil – 16h às 18h
Som mecânico e animação com Xilito Palhaçada
Ingressos: mediante doação de 01 kg de alimento não perecível para adultos
Retirada: na hora do evento

Baile Adulto – somente para pessoas fantasiadas ou mascaradas
(ingressos na semana anterior e no dia).

19h – DJ Alan Morais
20h – Luxo da Aldeia
22h – Concurso de Fantasia
00h – Finalização

Ingressos: mediante doação de 01 kg de alimento não perecível
Retirada: a partir do dia 23 de janeiro, 02 (dois) ingressos por pessoa

Publicidade

I Mostra do Curso Princípios Básicos de Teatro reúne montagens de alunos do TJA 

Por Oswaldo Scaliotti em Qualificação

15 de Janeiro de 2018


Acontece de 16 a 21 de janeiro a I Mostra do Curso Princípios Básicos de Teatro – Montagens 2017 do Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult). No palco, o público poderá conferir os espetáculos “Estribilho”, “Crias da Terra” e “Trinta e Duas” e o show de lançamento do álbum “Estribilho [Trilhos Sonoros]”, sempre a partir das 19h.

Além das montagens do CPBT do TJA, a Mostra contará com uma apresentação do espetáculo criado pelos alunos do Curso de Formação Básica em Teatro do CCBJ a partir da Oficina de Dramaturgia, realizada pelo dramaturgo Rafael Barbosa.

O CPBT é uma realização do Theatro José de Alencar em parceria com a Secretaria de Cultura e Secretaria de Educação do Ceará, desde 1991. Hoje as aulas são ministradas pelos professores Joca Andrade, Juliana Veras e Neidinha Castelo Branco.

* Programação

> Dia 16 de janeiro – Estribilho <

Uma reflexão ácida e poética sobre as opressões na sociedade contemporânea. O espetáculo, repleto de músicas, embarca num trem circense construindo um trilho no horizonte para discutir a dor e o sabor nas relações humanas.

> Dia 17 de janeiro – Show de lançamento álbum Estribilho [Trilhos Sonoros] e “As farsas da enganação”

O show Estribilho [Trilhos Sonoros] é uma composição cênica musical de lançamento do álbum, que contém as canções do espetáculo Estribilho. O projeto partiu de uma construção coletiva da equipe que compõe o espetáculo.

I Mostra CPBT – Montagens 2017 convida Curso de Formação Básica em Teatro – Centro Cultural Bom Jardim

Baseados na farsa, gênero teatral dramático e cômico, os personagens excêntricos e histriônicos são apresentados em situações simples do cotidiano, a partir de um olhar crítico sobre a enganação humana.

> Dia 18 e 19 de janeiro – Crias da Terra <

Nuances do universo feminino representadas em diferentes contextos, porém, com um fator em comum, ser mulher em uma sociedade patriarcal. Entre dores e amores as personagens compartilham memórias e vivências. Mulheres comuns que possuem resistência de deusas, verdadeiras crias da natureza.

> Dia 20 e 21 de janeiro – Trinta e Duas <

Marly e Eunice, que seguem como retas paralelas trilhando caminhos que nos levam a uma jornada pela memória da resistência marginal de Fortaleza. A fartura da elite fortalezense nos anos 30 contrasta com a seca que se alastrou no interior do Ceará, e o poder esmagador da especulação imobiliária contemporânea enfrenta uma comunidade resistente à beira do trilho.

– Serviço
Data: 16 a 21 de janeiro de 2018
Local: Palco Principal e Sala de Teatro Nadir Papi Saboia
Horário: 19h
Ingressos: R$10 e R$5 / Gratuito no dia 17 de janeiro
Classificação Indicativa:
16 e 17 de janeiro – livre
18 e 19 de janeiro – 12 anos
20 e 21 de janeiro – 12 anos

Publicidade

Temporada de dança e programas musicais integram a programação desta semana no TJA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

27 de novembro de 2017


O Theatro José de Alencar apresenta os projetos “Cantares – Mostra de Corais do TJA”, “Conexões Sonoras”, “Sexta Rock” e “Sala de Concerto”. No palco principal, inicia a “Temporada de Dança no TJA 2017”.

O Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), traz uma programação envolvendo música, dança, entre outras linguagens artísticas nesta semana. Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br.

Nesta terça (28), o TJA apresenta Cantares – Mostra de Corais do TJA, nesta edição apresentam-se os corais: Canto da Apá, Moenda, Coral Encantart ECT e Sobretons. O evento é gratuito e inicia às 19h, no Palco Principal. O projeto idealizado pelo TJA e grupos coralistas está na sua terceira edição tem o propósito de difundir a diversidade de coros, corais e grupos vocais do Estado.

Temporada de Dança TJA

No final de novembro é dada o início da Temporada de Dança no TJA 2017, realizado anualmente, a temporada reúne academias de dança da cidade de Fortaleza para diversas apresentações até o final de dezembro. No Palco Principal, quarta (29), estreia os espetáculos “Lança” e “Medrais” dos alunos formando da Escola Pública de Dança da Vila das Artes. O espetáculo Lança, foi criado pelos coreógrafos Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira para celebrar a primeira turma formada pela Vila das Artes. A coreografia é baseada nas danças populares nordestinas abordadas com uma linguagem contemporânea. Já Medrais é uma obra dançante, por isso, não se define e está em constante mudança, fazendo medrar uma formação humana. Os espetáculos ficam em cartaz nos dias 29 e 30 de outubro, às 19h, entrada 1kg de alimento. Classificação livre.*

Na sexta (01) e sábado (02) é a vez do Ballet Hugo Bianchi com o espetáculo “A filha do faraó”, às 19h. A escola explora o reino do Egito e traz os mistérios das areias do deserto para encantar os corações dos amantes do ballet. A apresentação inicia às 19h, no Palco Principal, com ingressos ao preço de R$40 e R$20 (meia). Classificação livre.*

Grande Sertão: Veredas 60 anos

O foyer do Theatro José de Alencar recebe na quarta (29) o lançamento do livro “Grande Sertão: Veredas 60 anos”,  a partir das 18h. O livro contempla um conjunto de 17 artigos que aborda o universo plural de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa; obra que, em 2017, completa os seus 60 anos de publicação. A organização e publicação do livro é uma parceria entre UFC, UNIFAP E UNICAMP, sendo publicado pela editora da Universidade Federal do Amapá. Gratuito.


Da música de concerto ao rock

Além da mostra de corais na terça, o Theatro apresenta esta semana os programas Conexões Sonoras, a Sexta Rock e a tradicional Sala de Concerto. Na quinta (30) o foyer do TJA às 19h, a Escola de Canto da Apá, . Ingressos: R$30 e R$15 (meia), classificação livre*.

A Sexta Rock de novembro traz ao público as bandas “Os intrusivos”, “Netuno Doom” e “Coldness. O projeto é idealização da Associação Cultural Cearense do Rock (ACR) em parceria com o TJA, é gratuito e inicia às 18h na Praça Mestre Pedro Boca Rica na sexta (01).  Classificação livre.* Ainda na sexta o Foyer recebe o projeto “Música de Câmara” às 19h. Os músicos Heriberto Porto e Nelma Dahás se juntam à jovem soprano lírica Liana Fonteles para um recital de música de câmera que  fará o público  percorrer grandes obras de mestres europeus como Richard Strauss, Massenet, Donizetti, J.S. Bach, Franck Martin e Schubert. Gratuito. Classificação livre.

No sábado (02) é a vez da Camerata de Cordas e Orquestra Sinfônica UFC se apresentar no Foyer às 17h, num repertório  variado entre o erudito e o popular.  E no domingo (03), a Sala de Concerto recebe o “Recital de Piano” com os alunos de Mirian Lin Mei Ling às 17h, no foyer. Gratuito. Classificação Indicativa: Livre*.

Projeto Jardim Em cena

Centro Cultural Grande Bom Jardim apresenta espetáculos de dança resultantes do  Projeto Jardim em Cena. Este projeto trata-se de uma ação artística e formativa, apresentada nos formatos de Ateliês Artísticos de Criação em Dança e Música e Laboratórios Técnicos em Artes Cênicas. Serão apresentadas 3 obras artísticas resultado de processo junto há 45 bailares. A atividade acontece gratuitamente no sábado (02)  às 16h, na Sala de Teatro Nadir Papi Sabóia. Classificação Indicativa: Livre

Domingo é dia de Teatro Infantil

A Pauta Aberta Infantil deste mês apresenta o espetáculo “Iroko – A grande árvore”. No palco o público irá conferir a lenda de origem africana que conta a história da primeira árvore plantada no mundo. O espetáculo integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Os ingressos estão à venda ao preço de  R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre.

Publicidade

Temporada de dança e programas musicais integram a programação desta semana no TJA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

27 de novembro de 2017


O Theatro José de Alencar apresenta os projetos “Cantares – Mostra de Corais do TJA”, “Conexões Sonoras”, “Sexta Rock” e “Sala de Concerto”. No palco principal, inicia a “Temporada de Dança no TJA 2017”.

O Theatro José de Alencar, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), traz uma programação envolvendo música, dança, entre outras linguagens artísticas nesta semana. Confira a programação completa do TJA no site: www.secult.ce.gov.br.

Nesta terça (28), o TJA apresenta Cantares – Mostra de Corais do TJA, nesta edição apresentam-se os corais: Canto da Apá, Moenda, Coral Encantart ECT e Sobretons. O evento é gratuito e inicia às 19h, no Palco Principal. O projeto idealizado pelo TJA e grupos coralistas está na sua terceira edição tem o propósito de difundir a diversidade de coros, corais e grupos vocais do Estado.

Temporada de Dança TJA

No final de novembro é dada o início da Temporada de Dança no TJA 2017, realizado anualmente, a temporada reúne academias de dança da cidade de Fortaleza para diversas apresentações até o final de dezembro. No Palco Principal, quarta (29), estreia os espetáculos “Lança” e “Medrais” dos alunos formando da Escola Pública de Dança da Vila das Artes. O espetáculo Lança, foi criado pelos coreógrafos Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira para celebrar a primeira turma formada pela Vila das Artes. A coreografia é baseada nas danças populares nordestinas abordadas com uma linguagem contemporânea. Já Medrais é uma obra dançante, por isso, não se define e está em constante mudança, fazendo medrar uma formação humana. Os espetáculos ficam em cartaz nos dias 29 e 30 de outubro, às 19h, entrada 1kg de alimento. Classificação livre.*

Na sexta (01) e sábado (02) é a vez do Ballet Hugo Bianchi com o espetáculo “A filha do faraó”, às 19h. A escola explora o reino do Egito e traz os mistérios das areias do deserto para encantar os corações dos amantes do ballet. A apresentação inicia às 19h, no Palco Principal, com ingressos ao preço de R$40 e R$20 (meia). Classificação livre.*

Grande Sertão: Veredas 60 anos

O foyer do Theatro José de Alencar recebe na quarta (29) o lançamento do livro “Grande Sertão: Veredas 60 anos”,  a partir das 18h. O livro contempla um conjunto de 17 artigos que aborda o universo plural de Grande Sertão: Veredas, de João Guimarães Rosa; obra que, em 2017, completa os seus 60 anos de publicação. A organização e publicação do livro é uma parceria entre UFC, UNIFAP E UNICAMP, sendo publicado pela editora da Universidade Federal do Amapá. Gratuito.


Da música de concerto ao rock

Além da mostra de corais na terça, o Theatro apresenta esta semana os programas Conexões Sonoras, a Sexta Rock e a tradicional Sala de Concerto. Na quinta (30) o foyer do TJA às 19h, a Escola de Canto da Apá, . Ingressos: R$30 e R$15 (meia), classificação livre*.

A Sexta Rock de novembro traz ao público as bandas “Os intrusivos”, “Netuno Doom” e “Coldness. O projeto é idealização da Associação Cultural Cearense do Rock (ACR) em parceria com o TJA, é gratuito e inicia às 18h na Praça Mestre Pedro Boca Rica na sexta (01).  Classificação livre.* Ainda na sexta o Foyer recebe o projeto “Música de Câmara” às 19h. Os músicos Heriberto Porto e Nelma Dahás se juntam à jovem soprano lírica Liana Fonteles para um recital de música de câmera que  fará o público  percorrer grandes obras de mestres europeus como Richard Strauss, Massenet, Donizetti, J.S. Bach, Franck Martin e Schubert. Gratuito. Classificação livre.

No sábado (02) é a vez da Camerata de Cordas e Orquestra Sinfônica UFC se apresentar no Foyer às 17h, num repertório  variado entre o erudito e o popular.  E no domingo (03), a Sala de Concerto recebe o “Recital de Piano” com os alunos de Mirian Lin Mei Ling às 17h, no foyer. Gratuito. Classificação Indicativa: Livre*.

Projeto Jardim Em cena

Centro Cultural Grande Bom Jardim apresenta espetáculos de dança resultantes do  Projeto Jardim em Cena. Este projeto trata-se de uma ação artística e formativa, apresentada nos formatos de Ateliês Artísticos de Criação em Dança e Música e Laboratórios Técnicos em Artes Cênicas. Serão apresentadas 3 obras artísticas resultado de processo junto há 45 bailares. A atividade acontece gratuitamente no sábado (02)  às 16h, na Sala de Teatro Nadir Papi Sabóia. Classificação Indicativa: Livre

Domingo é dia de Teatro Infantil

A Pauta Aberta Infantil deste mês apresenta o espetáculo “Iroko – A grande árvore”. No palco o público irá conferir a lenda de origem africana que conta a história da primeira árvore plantada no mundo. O espetáculo integra a Chamada de Ocupação 2017 do TJA. Os ingressos estão à venda ao preço de  R$ 10 e R$ 5 (meia). Classificação livre.