Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

setor

Vendas do setor metalomecânico do CE para os EUA crescem 43,8%

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

28 de Abril de 2018

Mais da metade (54,4%) da pauta exportadora cearense nos três primeiros meses de 218 foi abarcada pelo setor de metalomecânico. Nesse período foram vendidos para o exterior US$ 266,1 milhões apenas em produtos metalúrgicos, valor 9,4% menor do que o do ano passado. Com relação as importações do segmento no primeiro trimestre, o decréscimo foi de 4,6% entre 2017 e 2018, atingindo a marca de US$ 105,9 milhões. A balança comercial do setor apresentou superávit significativo de US$ 160,2 milhões.

O Estado ocupa a 9ª colocação no ranking dos principais estados exportadores do setor metalomecânico, a mesma posição registrada em fevereiro. A respeito dos destinos do metal cearense, diferente do que se temia com a movimentação ocasionada pelas tarifas norte-americanas, as exportações para os Estados Unidos aumentaram 43,8% entre 2017 e 2018, e passaram de US$ 51,9 milhões nos dois primeiros meses desse ano, para US$ 78,6 milhões no acumulado até março.

A Alemanha merece o destaque por ter crescido suas compras do produto cearense em 707,5%, ficando em terceiro lugar nessa lista com US$ 42,1 milhões. A China se mantem como principal fornecedor do setor para o Ceará. Apesar da queda de 24%, foi importado do país no primeiro trimestre desse ano US$ 42,5 milhões.

As informações são do Ceará em Comex, estudo do Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).

Confira AQUI o estudo completo.

Sobre o Centro Internacional de Negócios da FIEC

Centro Internacional de Negócios auxilia as empresas na inserção no mercado internacional, promovendo a cultura exportadora no Estado do Ceará. O CIN faz parte da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, que junto com Serviço Social da Indústria – SESI Ceará, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI Ceará e Instituto Euvaldo Lodi – IEL Ceará formam o Sistema FIEC.

Publicidade

MRV Engenharia é a empresa mais valiosa da América Latina do setor, segundo dados da Economática

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

20 de Abril de 2017

 

A consultoria Economática divulgou levantamento realizado sobre o valor de mercado de 283 empresas no ano de 2017. A MRV Engenharia foi destacada como a empresa mais valiosa do setor de construção na América Latina, registrando em 17 de abril o valor de US$ 2,20 bilhões.

A pesquisa realizada pela Economática verificou 25 setores e destacou que o maior crescimento percentual de valor de mercado ocorreu no setor de construção com 19 empresas. O valor de mercado do conjunto das empresas de construção no dia 31 de dezembro de 2016 era de R$ 16,7 bilhões contra R$ 22,0 bilhões, verificado na segunda-feira (17), crescimento de R$ 5,33 bilhões ou 31,86% no período.

A MRV Engenharia é também a décima segunda maior empresa em valor de mercado da América Latina e USA. Entre as 25 maiores empresas do setor por valor de mercado há ainda outras nove empresas latinas.

 

Publicidade

MRV Engenharia é a empresa mais valiosa da América Latina do setor, segundo dados da Economática

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

20 de Abril de 2017

 

A consultoria Economática divulgou levantamento realizado sobre o valor de mercado de 283 empresas no ano de 2017. A MRV Engenharia foi destacada como a empresa mais valiosa do setor de construção na América Latina, registrando em 17 de abril o valor de US$ 2,20 bilhões.

A pesquisa realizada pela Economática verificou 25 setores e destacou que o maior crescimento percentual de valor de mercado ocorreu no setor de construção com 19 empresas. O valor de mercado do conjunto das empresas de construção no dia 31 de dezembro de 2016 era de R$ 16,7 bilhões contra R$ 22,0 bilhões, verificado na segunda-feira (17), crescimento de R$ 5,33 bilhões ou 31,86% no período.

A MRV Engenharia é também a décima segunda maior empresa em valor de mercado da América Latina e USA. Entre as 25 maiores empresas do setor por valor de mercado há ainda outras nove empresas latinas.