Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

resistência à insulina

Hospital São Camilo Cura d´Ars faz alerta para Síndrome Metabólica, que atinge principalmente os homens

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

13 de julho de 2017

Os sintomas são de variadas doenças que, combinadas, ocasionam a SM e levam a problemas cardíacos

No Dia o Homem, o Hospital São Camilo Cura d´Ars aproveita a data para fazer um alerta: será que você possui Síndrome Metabólica? A doença, que atinge principalmente homens a partir de 50 anos, vem aumentando progressivamente, acometendo cerca de 23,7% das pessoas de ambos os sexos.

 

Também chamada de SM, síndrome plurimetabólica ou síndrome X, a Síndrome Metabólica tem como base a resistência à ação da insulina. Como resultado, o pâncreas acaba produzindo mais esse hormônio, o que pode ocasionar problemas cardiovasculares por conta da deposição central de gordura.

 

Assim, segundo estudos da International Diabetes Federation (IDF), a SM se caracteriza pela presença de uma combinação de critérios, como: intolerância à glicose; hipertensão arterial; níveis altos de colesterol ruim (LDL) e baixos do colesterol bom (HDL); aumento dos níveis de triglicérides; obesidade, especialmente obesidade central ou periférica que deixa o corpo com o formato de maçã e está associada à presença de gordura visceral; ácido úrico elevado; resistência à insulina por causas genéticas e sedentarismo.

 

“Um número crescente de evidências demonstra uma significativa associação entre SM e baixa qualidade de vida, mais especificamente em homens. Porém, sua maior consequência é o aumento do risco de evoluir com graves complicações cardiovasculares”, explica Carlos Mota, cardiologista do Hospital São Camilo Cura d´Ars.

 

Outro alerta citado pelo médico é ausência de sintomas da própria Síndrome, porém, oriundos das doenças associadas. O ganho de peso, por exemplo, pode ocasionar cansaço, dores articulares por sobrecarga, síndrome da apneia obstrutiva do sono e roncos. Já os problemas com o colesterol causam aumento do risco de infarto e de derrame e tonturas. A hipertensão provoca dores de cabeça, mal estar em geral, cansaço e tonturas ou zumbidos. Em paralelo, as diabetes e alterações de glicemia ocasionam boca seca, perda de peso e muita sede nos casos mais agudos. Nos casos de desenvolvimento mais lento da doença, os sintomas surgem como mal estar geral, tonturas e cansaço.

 

Segundo o cardiologista, não existe idade mínima para a Síndrome se manifestar. “[Elas] começam na idade adulta ou na meia-idade e aumentam muito com o envelhecimento. O número de casos na faixa dos 50 anos é duas vezes maior do que aos 30, 40 anos.”

 

Prevenindo a SM

 

A prevenção é um dos maiores segredos para evitar a SM. Confira algumas dicas dadas pelo cardiologista:

  • Faça uma dieta adequada, pobre em gordura saturada e com baixa ingestão de carboidratos, para a diminuição da pressão arterial e a perda de peso;

  • Pratique atividade física regular, com treinamento aeróbico por, no mínimo, três vezes por semana;

  • Deixe o carro em casa e caminhe até a padaria ou banca de revistas. Sempre que possível, use as escadas ao invés do elevador;

  • Evite fumo e álcool;

  • Procure um médico, já que em muitos casos é necessário o uso de medicamentos.

Postado por Oswaldo Scaliotti

Publicidade

Hospital São Camilo Cura d´Ars faz alerta para Síndrome Metabólica, que atinge principalmente os homens

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

13 de julho de 2017

Os sintomas são de variadas doenças que, combinadas, ocasionam a SM e levam a problemas cardíacos

No Dia o Homem, o Hospital São Camilo Cura d´Ars aproveita a data para fazer um alerta: será que você possui Síndrome Metabólica? A doença, que atinge principalmente homens a partir de 50 anos, vem aumentando progressivamente, acometendo cerca de 23,7% das pessoas de ambos os sexos.

 

Também chamada de SM, síndrome plurimetabólica ou síndrome X, a Síndrome Metabólica tem como base a resistência à ação da insulina. Como resultado, o pâncreas acaba produzindo mais esse hormônio, o que pode ocasionar problemas cardiovasculares por conta da deposição central de gordura.

 

Assim, segundo estudos da International Diabetes Federation (IDF), a SM se caracteriza pela presença de uma combinação de critérios, como: intolerância à glicose; hipertensão arterial; níveis altos de colesterol ruim (LDL) e baixos do colesterol bom (HDL); aumento dos níveis de triglicérides; obesidade, especialmente obesidade central ou periférica que deixa o corpo com o formato de maçã e está associada à presença de gordura visceral; ácido úrico elevado; resistência à insulina por causas genéticas e sedentarismo.

 

“Um número crescente de evidências demonstra uma significativa associação entre SM e baixa qualidade de vida, mais especificamente em homens. Porém, sua maior consequência é o aumento do risco de evoluir com graves complicações cardiovasculares”, explica Carlos Mota, cardiologista do Hospital São Camilo Cura d´Ars.

 

Outro alerta citado pelo médico é ausência de sintomas da própria Síndrome, porém, oriundos das doenças associadas. O ganho de peso, por exemplo, pode ocasionar cansaço, dores articulares por sobrecarga, síndrome da apneia obstrutiva do sono e roncos. Já os problemas com o colesterol causam aumento do risco de infarto e de derrame e tonturas. A hipertensão provoca dores de cabeça, mal estar em geral, cansaço e tonturas ou zumbidos. Em paralelo, as diabetes e alterações de glicemia ocasionam boca seca, perda de peso e muita sede nos casos mais agudos. Nos casos de desenvolvimento mais lento da doença, os sintomas surgem como mal estar geral, tonturas e cansaço.

 

Segundo o cardiologista, não existe idade mínima para a Síndrome se manifestar. “[Elas] começam na idade adulta ou na meia-idade e aumentam muito com o envelhecimento. O número de casos na faixa dos 50 anos é duas vezes maior do que aos 30, 40 anos.”

 

Prevenindo a SM

 

A prevenção é um dos maiores segredos para evitar a SM. Confira algumas dicas dadas pelo cardiologista:

  • Faça uma dieta adequada, pobre em gordura saturada e com baixa ingestão de carboidratos, para a diminuição da pressão arterial e a perda de peso;

  • Pratique atividade física regular, com treinamento aeróbico por, no mínimo, três vezes por semana;

  • Deixe o carro em casa e caminhe até a padaria ou banca de revistas. Sempre que possível, use as escadas ao invés do elevador;

  • Evite fumo e álcool;

  • Procure um médico, já que em muitos casos é necessário o uso de medicamentos.

Postado por Oswaldo Scaliotti