Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

pessoa jurídica

Empreendedores e sociedades empresariais devem declarar IRPJ até 31

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

30 de julho de 2018

 

Termina na próximo dia terça-feira (31) o prazo para declaração do Imposto de Renda para empresas, conforme exigência da Receita Federal. É recomendável que empreendedores e empresários realizem o procedimento até o final do prazo, caso não cumpram podem pagar multa entre a multa pode variar entre R$ 500 e R$ 5 milhões.. São consideradas pessoas jurídicas as organizações que possuem um ou mais sócios, sendo, em sua maioria, as do tipo S/A (Sociedade Aberta) ou limitada (LTDA) e os microempreendedores individuais (MEI).

Tendo em vista a complexidade da legislação, o que muitas das vezes acaba confundindo parte dos contribuintes, especialmente os pequenos e médios empresários, temos um especialista que pode falar sobre o assunto. Marcos Sá é contador e consultor financeiro, que pode explanar mais sobre pontos que merecem bastante atenção, bem como os prazos, retenção da fonte, deduções, alíquotas e a situação de empresas inativas.

O contador Marcos Sá ressalta que todos os nichos de mercado devem fazer a declaração anualmente. “Outro ponto que é importante diferenciar é que os empresários não podem ter em mente somente sua declaração enquanto pessoa física. A Receita Federal cobra que as informações de sua empresa também devem ser repassadas”.

Saiba mais

O Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) é obrigatório para todas as organizações e empreendedores individuais que estejam registrados no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), ou seja, que estão devidamente formalizadas, incidindo o tributo sobre o valor de sua arrecadação.

É muito importante fazer a declaração corretamente para evitar problemas com o Fisco. Todas elas são analisadas e os dados informados devem estar compatíveis com a Receita. Do contrário, a empresa pode sofrer sanções e penalidades.

Publicidade

Pesquisa da Anefac: taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em agosto/2016

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

12 de setembro de 2016

Segundo a pesquisa mensa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), as taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em agosto/2016, sendo esta a oitava elevação no ano e vigésima terceira elevação consecutiva.

Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes fatores:

 

  • Cenário econômico que aumenta o risco do crescimento nos índices de inadimplência. Este cenário se baseia no fato dos índices de inflação mais elevados, aumento de impostos e juros maiores reduzirem a renda das famílias. Agregado a isto a recessão econômica, o que deve promover no crescimento dos índices de desemprego. Tudo isto somado e o fato de que as expectativas para 2016 serem igualmente negativas quanto a todas estes fatores leva as instituições financeiras a aumentarem suas taxas de juros para compensar prováveis perdas com a elevação da inadimplência;

 

Pessoa Física

Das seis linhas de crédito pesquisadas, uma manteve inalterada sua taxa de juros no mês (CDC-bancos-financiamento de veículos) e cinco tiveram suas taxas de juros elevadas no mês (juros do comércio, cartão de crédito-rotativo, cheque especial, empréstimo pessoal-bancos e empréstimo pessoal-financeira).

A taxa de juros média geral para pessoa física apresentou uma elevação de 0,04  ponto percentual no mês (1,13 pontos percentuais no ano) correspondente a uma elevação de 0,49% no mês (0,73% em doze meses) passando a mesma de 8,09% ao mês (154,35% ao ano) em julho/2016 para 8,13% ao mês (155,48% ao ano) em agosto/2016 sendo esta a maior  taxa de juros desde agosto/2003.

                                                   EVOLUÇÃO DAS TAXAS MENSAIS DE JUROS – PESSOA FÍSICA

ITENS

 

Ago/15 Set/15 Out/15 Nov/15 Dez/15 Jan/16 Fev/16 Mar/16 Abr/16 Mai/16 Jun/16 Jul/16 Ago/16
SELIC (Taxa básica) 1,11% 1,11% 1,11% 1,05% 1,16% 1,05% 1,00% 1,16% 1,05% 1,10% 1,16% 1,10% 1,21%
INPC/IBGE 0,25% 0,51% 0,77% 1,11% 0,90% 1,51% 0,95% 0,44% 0,64% 0,98% 0,47% 0,64%  
IPC/FIPE 0,56% 0,66% 0,88% 1,06% 0,82% 1,37% 0,89% 0,97% 0,46% 0,57% 0,65% 0,35%  
                           
JUROS DO COMERCIO 5,30% 5,32% 5,35% 5,45% 5,50% 5,60% 5,70% 5,80% 5,82% 5,84% 5,86% 5,84% 5,86%
CARTÃO DE CRÉDITO 13,37% 13,59% 13,73% 13,94% 14,35% 14,56% 14,72% 14,95% 15,01% 15,12% 15,22% 15,22% 15,29%
CHEQUE ESPECIAL 10,14% 10,24% 10,36% 10,56% 10,76% 10,96% 11,16% 11,36% 11,46% 11,54% 11,92% 12,10% 12,16%
CDC-BANCOS 2,14% 2,20% 2,22% 2,26% 2,28% 2,30% 2,32% 2,34% 2,35% 2,32% 2,31% 2,33% 2,33%
EMPRESTIMO PESSOAL BANCOS 4,15% 4,20% 4,24% 4,34% 4,40% 4,47% 4,53% 4,58% 4,64% 4,58% 4,63% 4,59% 4,65%
EMPRESTIMO PESSOAL FINANCEIRA 7,72% 7,80% 7,90% 8,00% 8,04% 8,14% 8,20% 8,30% 8,41% 8,36% 8,41% 8,44% 8,48%

 

TAXA MÉDIA 7,14% 7,23% 7,30% 7,43% 7,56% 7,67% 7,77% 7,89% 7,95% 7,96% 8,06% 8,09% 8,13%
MEDIA ANO 128,78% 131,10% 132,91% 136,32% 139,78% 142,74% 145,46% 148,76% 150,42% 150,70% 153,50% 154,35% 155,48%

 

ITEM

 

MÉDIA MÊS (1) ACUMULADO 2016 (3) ACUMULADO 12 MESES (2) Taxa básica x Juros cobrados (4)  Taxa básica x Juros cobrados (5)
                Variação percentual Pontos percentuais
Selic (taxa básica) 1,10% 9,17% 14,10%    
INPC/IBGE 0,80% 5,76% 9,56%

Taxa Selic – 14,25% ao ano

IPC/FIPE 0,75% 5,37% 9,64%    
        Juros ao ano Variação %  
JUROS DO COMÉRCIO 5,79% 56,87% 93,61% 98,05% 588,07% 83,80
CARTÃO DE CRÉDITO 15,01% 206,14% 409,18% 451,44% 3.068,00% 437,19
CHEQUE ESPECIAL 11,58% 140,28% 257,97% 296,33% 1.979,51% 282,08
CDC BANCOS 2,32% 20,18% 31,33% 31,84% 123,44% 17,59
EMPRÉSTIMO PESSOAL BANCOS 4,58% 43,12% 69,34% 72,53% 408,98% 58,28
EMPRÉS. PESSOAL FINANCEIRAS 8,34% 89,84% 157,68% 165,58% 1.061,96% 151,33
MÉDIA GERAL 7,93% 84,17% 142,93% 155,48%                   991,09%

 

141,23

(1)Média mensal de 2016  (2) setembro/2015 a agosto/2016  (3) – janeiro/2016 a agosto/2016  (4) Percentual acima da Selic (5) Pontos percentuais acima da Selic

 

Pessoa Jurídica

Das três linhas de crédito pesquisadas, todas foram elevadas no mês

A taxa de juros média geral para pessoa jurídica apresentou uma elevação de 0,03 ponto percentual no mês (0,59 ponto percentual em doze meses) correspondente a uma elevação de 0,64% no mês (0,81% em doze meses) passando a mesma de 4,72% ao mês (73,92% ao ano) em julho/2016 para 4,75% ao mês (74,52% ao ano) em agosto/2016 sendo esta a maior taxa de juros desde agosto/2003.

EVOLUÇÃO DAS TAXAS MENSAIS DE JUROS – PESSOA JURÍDICA

 

ITENS Ago/15 Set/15 Out/15 Nov/15 Dez/15 Jan/16 Fev/16 Mar/16 Abr/16 Mai/16 Jun/16 Jul/16 Ago/16
Capital de giro 2,40% 2,44% 2,48% 2,52% 2,54% 2,59% 2,64% 2,66% 2,68% 2,69% 2,70% 2,73% 2,74%
Desc. de duplicatas 2,87% 2,89% 2,91% 2,95% 2,97% 3,01% 3,04% 3,08% 3,10% 3,14% 3,15% 3,19% 3,23%
Conta garantida – cheque especial 6,99% 7,03% 7,10% 7,20% 7,30% 7,40% 7,60% 7,75% 7,95% 8,03% 8,05% 8,23% 8,29%

 

TAXA MÉDIA

 

4,09% 4,12% 4,16% 4,22% 4,27% 4,33% 4,43% 4,50% 4,58% 4,62% 4,63% 4,72% 4,75%
TAXA ANO  

61,77%

 

62,33%

 

63,08%

 

64,22%

 

65,16%

 

66,31%

 

68,23%

 

69,59%

 

71,15%

 

71,94%

 

72,14%

 

73,92%

 

74,52%

 

ITEM MÉDIA MÊS (1) ACUMULADO 2016(3) ACUMULADO 12 MESES (2) Taxa básica x Juros cobrados (4)

 

Variação percentual

Taxa básica x Juros cobrados (5)

 

Pontos Percentuais

       

Taxa Selic – 14,25%

Ao ano

           
        Juros ao ano Variação %  
Capital de giro 2,68% 23,57% 36,37% 38,32% 168,91% 24,07
Desconto de duplicatas 3,12% 27,83% 43,51% 46,44% 225,89% 32,19
Conta garantida – cheque especial 7,91% 83,89% 142,46% 160,05% 1.023,16% 145,80
MÉDIA GERAL

 

4,57% 42,96% 68,51% 74,52% 422,95% 60,27

(1)Média mensal de 2016 (2) – setembro/2015 a agosto/2016  (3) – janeiro/2016 a agosto/2016 (4) Percentual acima da Selic (5) Pontos percentuais acima da Selic

 

Taxa de juros x Selic

Considerando todas as  elevações da taxa básica de juros (Selic) promovidas pelo Banco Central desde março/2013, tivemos neste período (março/2013 a agosto/2016) uma elevação da Selic de 7,00 pontos percentuais (elevação de 96,55%) de 7,25% ao ano em março/2013 para 14,25% ao ano em agosto/2016.

Neste período a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 67,51 pontos percentuais (elevação de 76,74%) de 87,97% ao ano em março/2013 para 155,48% ao ano em agosto/2016.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica houve uma elevação de 30,94 pontos percentuais (elevação de 71,00%) de 43,58% ao ano em março/2013 para 74,52% ao ano em agosto/2016.

 

PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS MESES

Tendo em vista o cenário econômico atual que aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência  a tendência é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses.

Entretanto como existe a expectativa de que o Banco Central possa vir a reduzir a taxa básica de juros (Selic) nos próximos meses este fato pode igualmente contribuir para a redução das taxas de juros das operações de crédito.

Publicidade

Pesquisa da Anefac: taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em agosto/2016

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

12 de setembro de 2016

Segundo a pesquisa mensa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), as taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em agosto/2016, sendo esta a oitava elevação no ano e vigésima terceira elevação consecutiva.

Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes fatores:

 

  • Cenário econômico que aumenta o risco do crescimento nos índices de inadimplência. Este cenário se baseia no fato dos índices de inflação mais elevados, aumento de impostos e juros maiores reduzirem a renda das famílias. Agregado a isto a recessão econômica, o que deve promover no crescimento dos índices de desemprego. Tudo isto somado e o fato de que as expectativas para 2016 serem igualmente negativas quanto a todas estes fatores leva as instituições financeiras a aumentarem suas taxas de juros para compensar prováveis perdas com a elevação da inadimplência;

 

Pessoa Física

Das seis linhas de crédito pesquisadas, uma manteve inalterada sua taxa de juros no mês (CDC-bancos-financiamento de veículos) e cinco tiveram suas taxas de juros elevadas no mês (juros do comércio, cartão de crédito-rotativo, cheque especial, empréstimo pessoal-bancos e empréstimo pessoal-financeira).

A taxa de juros média geral para pessoa física apresentou uma elevação de 0,04  ponto percentual no mês (1,13 pontos percentuais no ano) correspondente a uma elevação de 0,49% no mês (0,73% em doze meses) passando a mesma de 8,09% ao mês (154,35% ao ano) em julho/2016 para 8,13% ao mês (155,48% ao ano) em agosto/2016 sendo esta a maior  taxa de juros desde agosto/2003.

                                                   EVOLUÇÃO DAS TAXAS MENSAIS DE JUROS – PESSOA FÍSICA

ITENS

 

Ago/15 Set/15 Out/15 Nov/15 Dez/15 Jan/16 Fev/16 Mar/16 Abr/16 Mai/16 Jun/16 Jul/16 Ago/16
SELIC (Taxa básica) 1,11% 1,11% 1,11% 1,05% 1,16% 1,05% 1,00% 1,16% 1,05% 1,10% 1,16% 1,10% 1,21%
INPC/IBGE 0,25% 0,51% 0,77% 1,11% 0,90% 1,51% 0,95% 0,44% 0,64% 0,98% 0,47% 0,64%  
IPC/FIPE 0,56% 0,66% 0,88% 1,06% 0,82% 1,37% 0,89% 0,97% 0,46% 0,57% 0,65% 0,35%  
                           
JUROS DO COMERCIO 5,30% 5,32% 5,35% 5,45% 5,50% 5,60% 5,70% 5,80% 5,82% 5,84% 5,86% 5,84% 5,86%
CARTÃO DE CRÉDITO 13,37% 13,59% 13,73% 13,94% 14,35% 14,56% 14,72% 14,95% 15,01% 15,12% 15,22% 15,22% 15,29%
CHEQUE ESPECIAL 10,14% 10,24% 10,36% 10,56% 10,76% 10,96% 11,16% 11,36% 11,46% 11,54% 11,92% 12,10% 12,16%
CDC-BANCOS 2,14% 2,20% 2,22% 2,26% 2,28% 2,30% 2,32% 2,34% 2,35% 2,32% 2,31% 2,33% 2,33%
EMPRESTIMO PESSOAL BANCOS 4,15% 4,20% 4,24% 4,34% 4,40% 4,47% 4,53% 4,58% 4,64% 4,58% 4,63% 4,59% 4,65%
EMPRESTIMO PESSOAL FINANCEIRA 7,72% 7,80% 7,90% 8,00% 8,04% 8,14% 8,20% 8,30% 8,41% 8,36% 8,41% 8,44% 8,48%

 

TAXA MÉDIA 7,14% 7,23% 7,30% 7,43% 7,56% 7,67% 7,77% 7,89% 7,95% 7,96% 8,06% 8,09% 8,13%
MEDIA ANO 128,78% 131,10% 132,91% 136,32% 139,78% 142,74% 145,46% 148,76% 150,42% 150,70% 153,50% 154,35% 155,48%

 

ITEM

 

MÉDIA MÊS (1) ACUMULADO 2016 (3) ACUMULADO 12 MESES (2) Taxa básica x Juros cobrados (4)  Taxa básica x Juros cobrados (5)
                Variação percentual Pontos percentuais
Selic (taxa básica) 1,10% 9,17% 14,10%    
INPC/IBGE 0,80% 5,76% 9,56%

Taxa Selic – 14,25% ao ano

IPC/FIPE 0,75% 5,37% 9,64%    
        Juros ao ano Variação %  
JUROS DO COMÉRCIO 5,79% 56,87% 93,61% 98,05% 588,07% 83,80
CARTÃO DE CRÉDITO 15,01% 206,14% 409,18% 451,44% 3.068,00% 437,19
CHEQUE ESPECIAL 11,58% 140,28% 257,97% 296,33% 1.979,51% 282,08
CDC BANCOS 2,32% 20,18% 31,33% 31,84% 123,44% 17,59
EMPRÉSTIMO PESSOAL BANCOS 4,58% 43,12% 69,34% 72,53% 408,98% 58,28
EMPRÉS. PESSOAL FINANCEIRAS 8,34% 89,84% 157,68% 165,58% 1.061,96% 151,33
MÉDIA GERAL 7,93% 84,17% 142,93% 155,48%                   991,09%

 

141,23

(1)Média mensal de 2016  (2) setembro/2015 a agosto/2016  (3) – janeiro/2016 a agosto/2016  (4) Percentual acima da Selic (5) Pontos percentuais acima da Selic

 

Pessoa Jurídica

Das três linhas de crédito pesquisadas, todas foram elevadas no mês

A taxa de juros média geral para pessoa jurídica apresentou uma elevação de 0,03 ponto percentual no mês (0,59 ponto percentual em doze meses) correspondente a uma elevação de 0,64% no mês (0,81% em doze meses) passando a mesma de 4,72% ao mês (73,92% ao ano) em julho/2016 para 4,75% ao mês (74,52% ao ano) em agosto/2016 sendo esta a maior taxa de juros desde agosto/2003.

EVOLUÇÃO DAS TAXAS MENSAIS DE JUROS – PESSOA JURÍDICA

 

ITENS Ago/15 Set/15 Out/15 Nov/15 Dez/15 Jan/16 Fev/16 Mar/16 Abr/16 Mai/16 Jun/16 Jul/16 Ago/16
Capital de giro 2,40% 2,44% 2,48% 2,52% 2,54% 2,59% 2,64% 2,66% 2,68% 2,69% 2,70% 2,73% 2,74%
Desc. de duplicatas 2,87% 2,89% 2,91% 2,95% 2,97% 3,01% 3,04% 3,08% 3,10% 3,14% 3,15% 3,19% 3,23%
Conta garantida – cheque especial 6,99% 7,03% 7,10% 7,20% 7,30% 7,40% 7,60% 7,75% 7,95% 8,03% 8,05% 8,23% 8,29%

 

TAXA MÉDIA

 

4,09% 4,12% 4,16% 4,22% 4,27% 4,33% 4,43% 4,50% 4,58% 4,62% 4,63% 4,72% 4,75%
TAXA ANO  

61,77%

 

62,33%

 

63,08%

 

64,22%

 

65,16%

 

66,31%

 

68,23%

 

69,59%

 

71,15%

 

71,94%

 

72,14%

 

73,92%

 

74,52%

 

ITEM MÉDIA MÊS (1) ACUMULADO 2016(3) ACUMULADO 12 MESES (2) Taxa básica x Juros cobrados (4)

 

Variação percentual

Taxa básica x Juros cobrados (5)

 

Pontos Percentuais

       

Taxa Selic – 14,25%

Ao ano

           
        Juros ao ano Variação %  
Capital de giro 2,68% 23,57% 36,37% 38,32% 168,91% 24,07
Desconto de duplicatas 3,12% 27,83% 43,51% 46,44% 225,89% 32,19
Conta garantida – cheque especial 7,91% 83,89% 142,46% 160,05% 1.023,16% 145,80
MÉDIA GERAL

 

4,57% 42,96% 68,51% 74,52% 422,95% 60,27

(1)Média mensal de 2016 (2) – setembro/2015 a agosto/2016  (3) – janeiro/2016 a agosto/2016 (4) Percentual acima da Selic (5) Pontos percentuais acima da Selic

 

Taxa de juros x Selic

Considerando todas as  elevações da taxa básica de juros (Selic) promovidas pelo Banco Central desde março/2013, tivemos neste período (março/2013 a agosto/2016) uma elevação da Selic de 7,00 pontos percentuais (elevação de 96,55%) de 7,25% ao ano em março/2013 para 14,25% ao ano em agosto/2016.

Neste período a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 67,51 pontos percentuais (elevação de 76,74%) de 87,97% ao ano em março/2013 para 155,48% ao ano em agosto/2016.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica houve uma elevação de 30,94 pontos percentuais (elevação de 71,00%) de 43,58% ao ano em março/2013 para 74,52% ao ano em agosto/2016.

 

PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS MESES

Tendo em vista o cenário econômico atual que aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência  a tendência é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses.

Entretanto como existe a expectativa de que o Banco Central possa vir a reduzir a taxa básica de juros (Selic) nos próximos meses este fato pode igualmente contribuir para a redução das taxas de juros das operações de crédito.