Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Oi Futuro

Oi e Oi Futuro anunciam projetos selecionados pelo Edital de Cultura 2018 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

19 de Maio de 2018

  • Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados seleciona 53 iniciativas para ocupar o Centro Cultural e 11 estados: BA, CE, DF, MG, PI, PA, PR, RJ, RN, RS e SP;

  • Centro cultural trará exposições de Katie van Scherpenberg, Luiz Zerbini e Iran do Espírito Santo

  • Seleção terá projetos que unem os espaços do Lab Oi Futuro e Centro Cultural Oi Futuro

 

A Oi e o Oi Futuro anunciaram ontem (17), os projetos selecionados pelo Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2018, que inclui iniciativas de todas as regiões do Brasil, para a programação do Centro Cultural Oi Futuro, e ocupação do LabSonica, espaço de experimentações artísticas do Lab Oi Futuro. A lista completa está no site www.oifuturo.org.br .

 A Oi é uma das maiores patrocinadoras da cultura no país e apoia projetos de diversas naturezas que já atraíram mais de 7 milhões de pessoas desde 2003. A Oi, por meio do Oi Futuro, promove, apoia e desenvolve ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas e da sociedade. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, o instituto acelera iniciativas que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo, que fomentam a pesquisa e a experimentação e que estimulam conexões.

Uma das novidades dessa edição é a seleção de projetos a serem realizados no LabSonica, laboratório de experimentações sonoras que o Oi Futuro acaba de inaugurar no espaço do Lab Oi Futuro, na Rua Dois de Dezembro, 107, no Flamengo, Rio de Janeiro. Os projetos Tempo_Festival_Módulo Studio Cabaret Voltaire, Festival Ultrasonidos, Joia ao Vivo, Podcast Caixa Preta e Macro vão ser realizados tanto no novo espaço quanto no Centro Cultural. Também foram selecionados dois projetos que incentivam o uso da realidade expandida e a realidade virtual, o Convocatória XR e o Oi 360.

“O LabSonica funcionará como uma plataforma onde o público poderá acompanhar o processo de fazer cultural, ampliando a programação do Centro Cultural para além de seu espaço físico. Na edição deste ano, seguimos com a meta de estimular a diversidade e a inovação, reforçando o papel do Oi Futuro como catalisador criativo, aproximando pessoas através da criação contemporânea, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso às artes na era digital”, diz Roberto Guimarães, gerente-executivo de Cultura do Oi Futuro.

No novo formato de edital que o Oi Futuro propôs a partir de 2017, mais afinado com as formas de criação contemporâneas, foram eliminadas as categorias e áreas artísticas – como Música, Teatro, Artes Visuais – valorizando a convergência de linguagens. Dentro deste espírito, o edital selecionou manifestações como o Amazônia Mapping e o SSA Mapping, que reelaboram a percepção da cidade por meio da arte, e o Soy Loco por Ti Juquery, ocupação do antigo hospital psiquiátrico do Juquery, em São Paulo.

Na programação do Centro Cultural, está prevista a primeira montagem teatral baseada na obra do quadrinista André Dahmer, em “Sua vida passando rapidamente”, ao lado de mostras que trazem alguns dos mais instigantes nomes da arte contemporânea brasileira, como Katie van Scherpenberg, Chico Cunha, Iran do Espírito Santo e Luiz Zerbini.

PROGRAMAÇÃO DO CENTRO CULTURAL OI FUTURO

 

OLAMAPA

Exposição de fotografias e vídeos da artista Katie van Scherpenberg.  As obras da paulistana, filha de imigrantes alemães, transmitem o sentimento e a história de 20 anos de sua permanência na floresta amazônica. A partir de trabalhos da série “Esperando Papai”, de 2004, Katie criará uma instalação criada especialmente para o Oi Futuro.

RESSONÂNCIAS

Primeira exposição individual do artista sonoro Paulo Nenflídio em um centro cultural carioca, com curadoria do músico e compositor Tato Taborda. As obras do artista, apresentam aspectos híbridos, onde estão presentes som, eletrônica, movimento, construção, invenção, aleatoriedade, além de novas tecnologias e de interação com o público.

 

NARRATIVAS

Videoinstalação imersiva de Chico Cunha, um dos nomes representativos da chamada Geração 80. A obra é um desdobramento da intervenção desenvolvida para o Projeto Tec_Nô, projeto de arte pública do Oi Futuro, no ano de 2014.

LUGAR DE CABEÇA LUGAR DE CORPO

Instalação artística-documental do coletivo En La Barc, que abarca um espetáculo itinerante, pelos espaços do Oi Futuro, e referências visuais ao universo dos pacientes manicomiais. Um projeto que trata da loucura e do rompimento do isolamento social destinado aos que têm sofrimento mental, e da realidade de enfermeiros e médicos.

CELACANTO

 

A exposição “Celacanto”, de Odir Almeida, apresentará vídeos, projeções e fotografias em grande formato.  A exposição convida o público a contemplar, experimentar e ressignificar o olhar sobre o Rio, através das imagens captadas, literalmente, de dentro do mar.

TEBAS LAND

Inspirada no mito do Édipo e na vida do santo do século IV São Martinho de Tours, a peça gira em torno de um assassino e leva a assinatura internacionalmente premiado dramaturgo uruguaio Sergio Blanco. A partir de intricado exercício de metateatro, Blanco desenvolve a história do jovem delinquente Martin e seus encontros com um autor/diretor de teatro que tem como objetivo montar uma peça sobre si mesmo.

OS DESAJUSTADOS

Com texto inédito de Luciana Pessanha, a montagem propõe uma estética entre teatro e fotografia, explorando e transpondo barreiras entre o privado e o público. Baseado no ensaio fotográfico “Millers e Montands”, de Bruce Davidson, a peça é ambientada em um jantar com dois casais, que exploram diferentes formas de viver, pensar e encarar o mundo muito diferentes. O velho e o novo mundo. O masculino e o feminino. O cerebral e o intuitivo. Seus conflitos e seduções. Seus abismos.

SUA VIDA PASSANDO RAPIDAMENTE

”Sua vida passando rapidamente” é o título de uma série de tirinhas de humor produzidas pelo cartunista carioca André Dahmer. É também o título escolhido para o espetáculo que vai criar pela primeira vez uma dramaturgia cênica para a obra do artista, reunindo no palco diversas séries e personagens de vários livros do autor.

CANAL ROQUE PENSE!

O Canal Roque Pense! é um projeto desdobramento do Festival Roque Pense!, um dos mais importantes festivais de protagonismo feminino no rock do país. Estão previstos oito programas, distribuídos por canal no Youtube, com apresentações musicais, matérias e entrevistas com as componentes deste circuito. Tudo produzido por uma equipe exclusivamente feminina e de forma colaborativa.

FABRIK+ 2018

Segunda edição do evento que reúne designers, educadores, músicos e diversos outros fazedores para celebrar a cultura “maker” ou “faça você mesmo”, na forma de palestras, oficinas, exposição e show. O evento busca inspirar no público a construção de objetos de maneira autônoma e sustentável, sem precisar recorrer à compra em uma loja ou à contratação de um serviço, exercitando sua criatividade e habilidade. A proposta dessa edição é ampliar a duração, além de ocupar todo o Oi Futuro.

EU, MOBY DICK

Proposta de obra híbrida, com interfaces entre dança, teatro, artes visuais e tecnologia, convidando os espectadores para um jogo dramatúrgico e sensorial.  O projeto contará com quatro artistas multidisciplinares e de diferentes gerações e gêneros, onde todos serão, ao mesmo tempo, o Capitão Ahab, Ismael, Moby Dick e o próprio navio Pequod, nos levando a questionar, assim como cada personagem, sobre os caminhos que escolhemos, nossas obsessões e os monstros que criamos.

 

PANGEIA

Proposta para crianças de todas as idades, “Pangeia” é uma viagem sonora e visual pelo universo dos irmãos Grimm, em que o palco se transforma num museu imaginário de objetos curiosos. Tudo remete para os contos fantásticos, como a floresta cheia de armadilhas, a magia negra da bola de cristal ou os feitiços da bruxa má. Acompanhados por dois “atores-investigadores”, o público deve interagir com o que é proposto em cena.

ANA FUMAÇA MARIA MEMÓRIA

Com texto de Marcela Andrade, o projeto cênico tem como inspiração a obra da artista plástica Adriana Seiffert, cujas ilustrações são intituladas Meninas de Risco. A abordagem do duplo conceito explorado pela artista em seus desenhos (tanto o risco como traço quanto o risco como perigo/aventura) inspira o espetáculo teatral, que também reúne música e projeções para, para contar a aventura de Ana.

OMBELA

Dizem os mais velhos que a chuva nasceu da lágrima de Ombela, uma deusa que estava triste”. Escrito por Sara Pinheiro, baseado no livro homônimo do escritor angolano Ondjaki, o espetáculo, voltado para as crianças, lembra que nem sempre é tempo de estar alegre e até os deuses têm seus dias ruins. Ombela aprende que há tempo para tudo e, com a ajuda de seu pai, suas lágrimas doces e salgadas encontram bonitos lugares para ir todos os dias.

O PRÍNCIPE POEIRA E A FLOR DA COR DO CORAÇÃO

Inspirado no universo do escritor e dramaturgo irlandês Oscar Wilde, através de seus contos “O Príncipe Feliz” e “O Rouxinol e a Rosa”, o espetáculo para crianças e adolescentes usará arquétipos para discutir temas atuais e controversos como amor, morte, amizade, tolerância e diversidade. Além da montagem, o projeto prevê ainda a realização de workshops e de uma mesa-redonda.

PODCAST CAIXA PRETA

Série de áudio-documentários sobre diferentes locais do Rio de Janeiro. Utilizando-se de recursos como áudio binaural e relatos orais de personagens reais, a obra transporta o ouvinte a uma jornada de ressignificação da cidade. Uma equipe de jornalistas realizará pesquisas de campo, buscando o paralelo entre a história de pessoas e lugares, encontrando na coexistência de personagens locais e paisagem urbana um ponto de encontro que atravessa o indivíduo e a geografia.

LABORATÓRIO DE POÉTIKAS SONORAS E VISUAIS

Estabelecimento de espaço de orientação e troca que visa a potencializar a performance poética e experimentação da palavra manifestadas dentro de um cenário popular atual, presente nas cenas do slam, funk, trap e intervenção urbana no Rio de Janeiro. Voltado para os jovens que movimentam os saraus e batalhas de poesia da cidade e interessados em pensar a palavra na sua interface com a música, a imagem e a performance, o Laboratório busca também inspirar a criação compartilhada e o diálogo com poetas/artistas de diferentes escolas, além de introduzir técnicas para expressão visual da palavra.

REFLEXIVOS

Exposição do artista paulista Iran do Espírito Santo que ocupará as três galerias do Oi Futuro Flamengo. Também faz parte da mesma um trabalho de intervenção urbana, que ficará exposto no Praça do Largo do Machado, iniciando e indicando um percurso para o público até o Oi Futuro Flamengo. A mostra será composta por trabalhos já produzidos pelo artista e produções inéditas. Iran do Espírito Santo é conhecido por trabalhos que problematizam a questão da representação, os suportes tradicionais das artes visuais e a relação entre público e objeto artístico. A curadoria será assinada por Flavia Corpas, curadora independente de artes visuais e psicanalista.

 

LUIZ ZERBINI – CAMPO EXPANDIDO 

A exposição inédita de Luiz Zerbini terá uma amostragem condensada de sua produção. Ao ocupar todas as galerias expositivas do Oi Futuro, a mostra será desenvolvida a partir do conceito de campo expandido da pintura e prevê ainda a publicação de um livro com textos e imagens inéditos.

MAQUINAÇÕES 

Coletiva de artistas que atuam na interseção entre arte, ciência, tecnologia e vida. Criadores que transformam seus ateliês em oficinas, suas oficinas em laboratórios, seus laboratórios em extensão do seu viver. A partir da (des)construção de engenhocas, sistemas inexatos, traquitanas com ou sem utilidade, eles estimulam a simbiose humana com a técnica e apresentam uma arte sem manual de instruções. Propõem maquinações peculiares sobre o meio artístico e o universo tecnológico. Relacionam sua prática criativa com o lúdico, com a educação, com o social, com a invenção, com as mãos na massa e os pés no chão.

MULTIPLICIDADE 

Projeto intimamente ligado à história do centro cultural Oi Futuro e que ocupa, há algum tempo, lugar de destaque no calendário cultural da cidade do Rio de Janeiro, sempre com espetáculos inéditos no Brasil e que fazem uso da tecnologia em criações, musicais e visuais surpreendentes. Desde a primeira edição em 2015, já foram realizados mais de 200 espetáculos, com mais de 600 artistas do Brasil e do mundo.

O CHORO DE PIXINGUINHA 

 

Espetáculo musical inédito destinado ao público infantil, com o objetivo de apresentar o gênero “chorinho” às crianças, através da obra do compositor Pixinguinha, um dos grandes gênios da música brasileira. Este é mais um espetáculo do projeto denominado “Teatro Musical Brasileiro para Crianças”, que começou em 2013 e levou à cena os espetáculos SAMBINHA, BOSSA NOVINHA e FORRÓ MIUDINHO, apresentando a música popular brasileira às crianças e jovens através do teatro.

PROJETOS QUE IRÃO OCUPAR O LABSONICA E O CENTRO CULTURAL

 

TEMPO_FESTIVAL – MÓDULO STUDIO CABARET VOLTAIRE

Módulo de ocupação da 9ª Edição do TEMPO_FESTIVAL, um dos principais festivais internacionais de artes cênicas do Brasil. Espaços do teatro, do térreo do Oi Futuro e do LabSonica serão explorados a partir dos conceitos e dos princípios Futuristas e Dadaístas, movimentos fundamentais para desenvolvimento da cultura contemporânea. O Studio Cabaret Voltaire nascerá de uma convocatória voltada para artistas de artes cênicas, do audiovisual e das artes visuais, que deverão criar através de processos colaborativos.

 

FESTIVAL ULTRASONIDOS

 

A primeira edição do festival traz ao Brasil nomes de ponta da música sul-americana, que vem unindo o rock, o hip hop e as inúmeras vertentes da eletrônica com ritmos locais como a cumbia e a salsa. A escalação da programação descortina artistas de inovadores países como Chile, Uruguai, Colômbia, Argentina e Peru. O jornalista e DJ Carlos Albuquerque assina a curadoria, propondo mapear nova cena latino americana contemporânea musical, ocupando o Oi Futuro e o LabSonica.

JOIA AO VIVO

Projeto que tem o leva artistas de diferentes regiões do Brasil para gravar discos inéditos no LabSonica, com o processo de gravação feito na presença de plateia, tanto no estúdio quanto via streaming. Posteriormente, os discos serão lançados com um show no teatro do Oi Futuro. Serão quatro discos lançados pelo selo Joia Moderna, disponíveis em todas as plataformas digitais, cada um com tiragem física de mil unidades. A curadoria para a seleção dos artistas será realizada pelo DJ Zé Pedro, dono do selo Joia Moderna, e pelo diretor artístico Marcio Debellian. Os discos deverão trazer repertório autoral, propor encontros artísticos inéditos e abranger diferentes ritmos do Brasil.

MACRO

Ocupação do LabSonica com um amplo compartilhamento do processo da criação musical, expondo todas as camadas e nuances de forma interativa com o público. Para esta primeira temporada, serão quatro semanas de criações colaborativas em que o cantor e compositor Pedro Luis receberá no novo espaço carioca grandes nomes para cocriarem uma obra de forma explícita e orgânica. Ao fim deste processo aberto, serão realizados shows no teatro do Oi Futuro, com a presença de artistas e participações virtuais.

 

 

 

PROGRAMAÇÃO NO RIO DE JANEIRO FORA DO CENTRO CULTURAL OI FUTURO

 

 

 

CULTURA ACESSÍVEL 

 

Projeto que irá conectar pessoas com deficiência e produtores culturais de todos os lugares do país por meio de um aplicativo de celular com informações online sobre espetáculos teatrais, exibições de filmes e de arte, apresentações de dança, bibliotecas, shows e outras manifestações que contam com recursos de acessibilidade. Um jovem surdo saberá quando poderá assistir a uma peça com língua de sinais. Uma mulher com baixa visão poderá escolher o dia que irá ao cinema com audiodescrição. Um estudante cego poderá programar seus estudos em bibliotecas com livros em formatos acessíveis e em exposições com piso tátil.

FESTIVAL LEVADA – 8ª EDIÇÃO 

 

Desde 2012, já passaram pelo Festival Levada 88 artistas de todas as regiões do país, a maioria lançando álbuns ou brilhando pela primeira vez no Rio de Janeiro. Cada atração subiu ao palco em duas noites seguidas, o que significam 176 shows produzidos especialmente para o nosso público, sempre atento aos novos sons brasileiros. E, assim, os primeiros discos de Baiana System, Metá Metá, Carne Doce, Ian Ramil, Vanguart e Letrux, entre muitos outros, foram descobertos por quem nos acompanha – e não é pouca gente: cerca de 15 mil pessoas

FESTIVAL NOVAS FREQUÊNCIAS 8ª EDIÇÃO 

 

O festival que cria todo ano, com os artistas sonoros, projetos especiais “site specific”, usando a cidade menos como locação e mais como autora/artista do evento.

FESTIVAL DE NOVAS ECONOMIAS COLABORAMERICA 

O ColaborAmerica 2018 é a terceira edição de um festival de três dias com palestrantes nacionais e internacionais e programação gratuita, para explorar como as novas economias se desenvolvem e impactam a América Latina. Em 2016, o festival contou com mais de 4 mil pessoas de 21 países. Em 2017, contemplado com o Edital de Cultura Oi 2017, o evento contou com mais de 240 palestrantes de 18 países, mais de 10 mil inscritos, sendo 25% de fora do Rio de Janeiro de 22 países diferentes, e mais de 200 horas de conteúdo gratuito. Com um formato que mistura conteúdo das novas economias (palestras, workshops e mesas redondas) com conteúdo cultural (exposições, performance, shows e oficinas livres) o ColaborAmerica é um hub para: encontro de pessoas e iniciativas; produção de conhecimento sobre nova economia; debate e reflexão sobre como as novas economias se manifestam na América Latina, os possíveis rumos que podem tomar e como esses modelos podem impactar a sociedade, a cultura e a economia do bloco.

 

CONVOCATÓRIA XR 

 

Convocatória XR é uma chamada pública de fomento à produção de obras brasileiras em realidade estendida (XR) que premiará, capacitará e coproduzirá propostas inovadoras em linguagem e conteúdo. Uma comissão de seleção com pioneiros na produção e curadoria de obras XR seleciona três propostas de obras que devem contemplar a utilização de técnicas de VR (realidade virtual) ou AR (realidade aumentada) ou MR (realidade mista). Os realizadores selecionados participam de um LAB com orientação de advisors e suas propostas devem ser realizadas em até 10 meses com prêmio no valor médio de R$ 80 mil. Além disso, a equipe do projeto acompanha produção, pós-produção, lançamento e planejamento de distribuição das obras, numa parceria de coprodução. Os advisors, e outros convidados também ministram palestras dirigidas a realizadores e público em geral. Paralelamente, o projeto prevê pesquisa, produção e divulgação de conteúdo sobre XR no blog e perfis em redes sociais a serem criados.

MAKER FAIRE RIO DE JANEIRO 2018 

Em novembro de 2018, a cidade do Rio de Janeiro recebe a segunda edição da Maker Faire no Brasil. Evento gratuito, a Maker Faire é considerada a maior feira de invenções e entretenimento do mundo. Foi criada em 2006 nos Estados Unidos e é uma vitrine de invenções, arte, criatividade e inovação, com o objetivo de inspirar, conectar e divertir todos os participantes, além de estimular a aprendizagem e a educação inovadoras.

CINESTESIA ÀS MARGENS 

O projeto Cinestesia às Margens diminui as distâncias e democratiza o acesso às artes, cultura e informação para a população de comunidades em situação de risco e vulnerabilidade social. O projeto leva cinema à casas e praças, levantando discussões de temas pertinentes à realidade local, através de roda de conversas coletivas sobre o tema do filme e também assuntos cotidianos. Cada exibição será uma ferramenta de cultura onde as famílias poderão fazer parte da mesma plateia e discutir os mesmos temas.

A.NOTA 2018 

Festival de música que promove, em únicos e exclusivos shows, o encontro de diferentes artistas ou bandas, e aposta na troca como experiência artística, promovendo o compartilhamento de sonoridades, ritmos, arranjos e melodias que fazem do show o cenário para a colaboração, para o inédito, para a experimentação.

 

PROGRAMAÇÃO NACIONAL

 

CONEXÕES SONORAS – 2ª EDIÇÃO (BA)

O Conexões Sonoras é um elo entre artistas que, embora separados por barreiras geográficas, sonoridades, sotaques ou diferença de perfil de seus públicos, se conectam através da música. Na sua segunda edição, o projeto promoverá quatro encontros de dois artistas de estados diferentes, em duas etapas. Na primeira, os artistas participam de encontros musicais em estúdio, onde serão gerados conteúdos exclusivos para distribuição digital. Na segunda, serão os shows que acontecerão no Largo Tereza Batista, Pelourinho. O Conexões Sonoras é o interlocutor para o diálogo sem barreiras entre Norte-Sul, artista-fã, público online-público off-line.

SSA MAPPING – 2ª EDIÇÃO – 2018 (BA)

SSA Mapping é um festival internacional de artes visuais e tecnologia que, em 2018, chega a sua segunda edição, na cidade de Salvador. Composto por mostras artísticas e atividades formativas, o SSA Mapping revela as formas e relevos da cidade. Haverá projeções mapeadas de performances audiovisuais, de diferentes formatos, da cultura VJ e remixes, tendo a mostra principal, com curadoria de Roberta Carvalho, quatro artistas: dois nacionais, um internacional e um baiano para criar um mapping junto à banda convidada. Haverá também a Mostra Aberta, com até 30 obras escolhidas a partir de uma chamada pública, reunindo artistas de todo o mundo. Com uma abordagem sociocultural, estão previstos os Rolés – passeios guiados, criativos e gratuitos pelo Centro Histórico – e os Laboratórios, que colocam em jogo a ideia de mobilidade num tempo-espaço marcado pela imobilidade, em busca de outras formas de se pensar a cidade e produzir conhecimento.

V FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTE URBANA – FESTIVAL CONCRETO (CE)

Em sua quinta edição, além das ações formativas e de inserção de obras públicas na capital cearense, o festival promoverá a ampliação das ações de trocas de experiências em oficinas, exposições, workshops e palestras, que evidenciarão técnicas e linguagens como o muralismo, o graffiti, a música e a dança. As ações do projeto serão realizadas em julho e novembro 2018, de forma gratuita, e buscam inserir Fortaleza no calendário anual de eventos internacionais de arte urbana.

CONEXÃO NORDESTE (CE)

Intervenção de rua bipartida simultânea em duas capitais nordestinas. As ações e decisões coletivas de ambos grupos de espectadores interferem nos acontecimentos da intervenção como um todo – mesmo que parte esteja em Natal (RN), com os Clowns de Shakespeare, e outra em Fortaleza (CE), com o Grupo Bagaceira. O público se comunica tanto antes quanto durante e após a intervenção através de grupos criados em aplicativos como WhatsApp. O debate acontece nos âmbitos reais e virtuais. A intervenção convida os espectadores de ambas as cidades a repensar o lugar que ocupam em suas cidades e o lugar que essas ocupam na região e no país.

FAVELA SOUNDS – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CULTURA DE PERIFERIA 2018 (DF)

Maior festival de cultura de periferia do Brasil, o Favela Sounds apresenta sua terceira edição no centro político do País. O festival que apresenta a grande diversidade musical da cultura de periferia do mundo em duas noites de baile, quatro oficinas, quatro debates e dois shows em Unidades do Sistema Socioeducativo do DF. Nesta edição, será lançada o Favela Sônica, uma arena interativa com local para descanso, curadoria de games da diáspora, shows específicos e outras atividades associadas à cultura de periferia nacional.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE VIDEO MAPPING: #SMARTCITIES (DF)

Evento no Museu Nacional da República, em Brasília, que reunirá artistas, pesquisadores e professores que envolvem a arte e a cultura digital com o uso criativo da projeção mapeada. O festival irá relacionar o uso dessa linguagem nos ambientes públicos de Brasília.

FAIS – 1º FESTIVAL DE ARTES INTEGRADAS DE BELO HORIZONTE (MG)

Ação anual do projeto Vai Tomando: o Festival de Artes Integradas, em Belo Horizonte, no segundo semestre de 2018, com previsão de realização nos dias 5 a 11 de novembro. O festival pretende elevar o conceito de interatividade a graus pouco explorados no meio artístico, propondo ao público vivências profundas e criativas.

 

FESTIVAL NO AR COQUETEL MOLOTOV MG 2018 (MG)

Criado em Recife em 2004, o festival No Ar Coquetel Molotov realizará sua segunda edição em um fim de semana em Belo Horizonte, misturando artistas internacionais e brasileiros, com um total de 12 shows, instalações artísticas, VJs e oficinas. O festival se destaca por sua curadoria, que une artistas de vanguarda do Brasil e do exterior e novidades em ascensão no meio alternativo. Em sua programação já constaram desde os internacionais The Kills e Teenage Fanclub a Emicida, Milton Nascimento com Lô Borges, Rodrigo Amarante, Racionais MCs e outros. A curadoria em BH seguirá essa linha estética.

COLAB – LABORATÓRIO JOVEM DE ARTE, TECNOLOGIA E PRODUÇÃO COLABORATIVA (MG)

O projeto vai implantar em Belo Horizonte o Colab – Laboratório Jovem de Arte, Tecnologia e Produção Colaborativa, espaço de formação e criação coletiva em arte e tecnologia. Pelo menos 10 coletivos e grupos artísticos juvenis de periferia serão envolvidos nas atividades do laboratório, que vai promover, ao longo de oito meses, ações de formação em temas ligados à arte e à ocupação do espaço público, criação artística colaborativa em linguagens diversas, e um percurso de formação e desenvolvimento de ações com foco no fortalecimento dos coletivos culturais.

SELETIVAS E FESTIVAL SE RASGUM 2018 (PA)

O Festival Se Rasgum chegará à sua 13ª edição em 2018 e será precedido pelo

Seletivas Se Rasgum, no espaço Açaí Biruta, no dia 4 de agosto. O Festival será realizado de 3 a 8 de setembro nos palcos do Teatro Margarida Schivazzapa, Açaí Biruta, Parque dos Igarapés e o Ziggy Hostel Club. A Seletivas Se Rasgum vai escolher quatro novos artistas paraenses, em começo de carreira. O festival terá 26 shows com artistas paraenses, nacionais e internacionais.

FESTIVAL AMAZÔNIA MAPPING – 4ª EDIÇÃO (PA)

O festival relaciona artes visuais, tecnologia e espaço urbano. Contemplando oficinas e apresentações artísticas, o FAM busca a descentralização da produção e circulação de obras artísticas no país, trazendo este olhar para a Região Norte. Se propõe não somente a ser uma mostra de trabalhos de arte e tecnologia no espaço urbano, mas tem um caráter formativo.

JUNT4 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE DANÇA (PI)

Conjunto de ações artísticas e formativas que tem a dança contemporânea como objeto e ponto de reflexão sobre a arte e o mundo. Há três anos, o festival é um momento intenso de encontros e programação que ocupa Teresina com intervenções urbanas, espetáculos, oficinas, residências artísticas, conversas e festinhas. É criado e dirigido pelos artistas Datan Izaká, Janaína Lobo e Jacob Alves.

FIMS – 3ª EDIÇÃO DA FEIRA INTERNACIONAL DA MÚSICA DO SUL (PR)

Reunião de agentes da cadeia produtiva e criativa da música com o intuito de gerar negócios. Voltado para artistas, empresários, produtores, selos, gravadoras, diretores de festivais e outros eventos, a FIMS é um evento bienal para movimentar o mercado musical. Nesta edição, a FIMS terá uma itinerância pelo interior do Paraná, além de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, realizando seminários preparatórios para o grande evento em Curitiba.

ACESSO LIBRAS (RN)

Projeto criado para promover a acessibilidade comunicacional a pessoas com necessidades específicas em surdez. Abraçando o social e cultural, promovemos a inclusão desses em interpretações de peças, apresentações musicais, produções audiovisuais e outras manifestações artísticas. Com um total de 12 episódios, essa série documental apontará a diversidade de linguagens e costumes de cada comunidade surda registrada, com as emoções e dificuldades sofridas por elas e mostrando as estratégias adequadas e caminhos necessários a serem tomados para transmitir a arte.

FESTIVAL DE MÚSICA DOSOL (RN)

Em 2018, o Festival Doso chega a sua 15º Edição. Com o objetivo de ser a principal vitrine da música potiguar, o Doso é referência nacional pelo sólido trabalho de construção e fortalecimento da nova música autoral produzida no Brasil, quando proporciona um grande intercâmbio entre artistas de várias regiões do país e artistas estrangeiros. O evento, em novembro, terá duas etapas. A primeira leva mais de 60 shows para o espaço Beach Club, na Via Costeira. A segunda etapa são os shows realizados após a mostra principal no Centro Cultural Doso, no bairro histórico da Ribeira. São seis dias de programação de artistas em turnê pelo Nordeste. A programação contempla shows gratuitos e ingressos a preços populares.

5˚ FESTIVAL KINO BEAT – IMAGEM E SOM EM MOVIMENTO (RS)

Festival de música exploratória, performances audiovisuais multimídia e artes integradas. O experimental, o sensorial e a imersão, são premissas para composição do seu programa, que se espalha pela cidade, ocupando teatros, galerias, museus e casas noturnas. Diluindo fronteiras entre linguagens e gêneros, as atrações são apresentadas em diversos formatos, transitando entre shows musicais, performances audiovisuais, instalações, happenings, exposições, workshops e mostras de filmes. Para a sua quinta edição, o festival vai fazer um apanhado de todos os formatos de programação já apresentados em edições passadas, e reuni-los em um único programa.

OI 360 (PARTE INTEGRANTE DO FESTIVAL ANIMA MUNDI 2018) (SP)

Exibição de filmes em Realidade Virtual no Festival Anima Mundo 2018. Pela primeira vez, o Anima Mundo irá reunir e exibir alguns dos melhores filmes de animação do mundo produzidos em realidade virtual, o que será uma prévia da nova categoria em competição do festival que passa a vigorar em 2019.

2º SOY LOCO POR TI JUQUERY (SP)

Festival de arte contemporânea, performance e novas mídias que ocupa uma parte do antigo Hospital Psiquiátrico do Juquery. Os prédios, de 1989, feitos por Ramos de Azevedo e tombados pelo Condephaat, recebem durante uma semana as mais diversas manifestações artísticas. Em um espaço periférico, de rara concentração de atividades artísticas, pretendemos ressignificar um espaço cheio de histórias polêmicas e controversas. Para além da loucura, a arte pode transcender a mente e fazer do Juquery um novo espaço urbano que erradia a cultura.

SEMANA INTERNACIONAL DE MÚSICA DE SÃO PAULO (SP)

A SIM SÃO PAULO é a maior conferência da América Latina do gênero, reunindo profissionais da música e artistas de todo o Brasil e de vários países do mundo, na capital paulista, por cinco dias. Suas atividades visam a formação e capacitação de profissionais, discussão e exposição de novas ideias, estímulo de novas conexões e parcerias, divulgação de novos artistas. A sexta edição está confirmada para os dias 5 a 9 de dezembro de 2018.

 

Sobre O Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, promove ações de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte para melhorar a vida das pessoas e transformar a sociedade. O instituto impulsiona iniciativas colaborativas e inovadoras, fomenta experimentações e estimula conexões que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo.

Na Educação, o Oi Futuro investe em novas formas de aprender e ensinar com o NAVE (Núcleo Avançado em Educação), que forma jovens para as economias digital e criativa, com foco na produção de games, aplicativos e produtos audiovisuais. Desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Pernambuco, o programa oferece ensino médio integrado e já formou mais de 2 mil jovens em 12 anos de atuação. Os estudantes do NAVE são incentivados a desenvolver o espírito empreendedor e a estabelecer suas primeiras conexões profissionais no mercado de inovação e tecnologia. Nas escolas do programa, educadores e estudantes elaboram e testam novas metodologias e práticas pedagógicas que possam ser compartilhadas com outras escolas da rede pública e outros contextos educacionais.

Na Cultura, o instituto é um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a cocriação e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém um centro cultural no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, e realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público. O Instituto também tem o Museu das Telecomunicações, pioneiro no uso da interatividade no Brasil, e o LabSonica, laboratório de experimentação sonora e musical. Também no Rio, o Oi Futuro mantém a Oi Kabum!, escola de arte e tecnologia onde está abrigado o Lab.IU, Laboratório de Intervenção Urbana.

Na Inovação Social, o Oi Futuro lançou o Labora, laboratório de soluções singulares e de impacto para as cidades e a gestão cultural. O Labora é um ambiente de conexão, aprendizagem e criação para organizações e empreendedores comprometidos com a transformação de impacto, e oferece programas de incubação e aceleração para projetos e negócios de impacto social. O Oi Futuro também aposta em projetos esportivos que conectem pessoas e promovam a inclusão e a cidadania.

Numa confluência entre as áreas de Cultura e Inovação Social, nasceu o Lab Oi Futuro, espaço de criação, experimentação e colaboração idealizado para impulsionar criadores de diversas áreas e startups de impacto social de todo o Brasil, selecionados por editais públicos. Com mais de 500m², o laboratório abriga o LabSonica e o Labora e oferece  estrutura física e suporte técnico necessários para que seus participantes viabilizem seus projetos em um ambiente que estimula a produção colaborativa, a formação de redes e a inovação.

Publicidade

Oi Futuro e Startup Farm buscam startups com soluções inovadoras para transformar a sociedade

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

03 de Maio de 2018

 

Parceria inédita do Labora e do programa Ahead seleciona negócios de impacto social e uso criativo da tecnologia para melhorar a vida dos brasileiros. Empreendedores de todo país podem se inscrever até o dia 23 de maio

 

O Oi Futuro, instituto de Inovação e Criatividade da Oi, e a Startup Farm, uma das aceleradoras mais conceituadas da América Latina, anunciam parceria inédita com o programa Ahead | Labora Oi Futuro, que vai selecionar até dez startups de impacto social para serem aceleradas em etapa presencial no Rio de Janeiro. Empreendedores de todo o Brasil podem se inscrever até o dia 23 de maio pelo site www.startup.farm/aceleracao.

 

O programa busca negócios que tenham em seu produto ou serviço uma solução que ajude a resolver grandes problemas da nossa sociedade e impacte positivamente a vida das pessoas, considerando especialmente as necessidades e demandas da base da pirâmide socioeconômica. Serão aceitos negócios que atuem em qualquer mercado e, preferencialmente, que façam uso inovador da tecnologia. O Labora/Oi Futuro e a Startup Farm terão atenção especial aos seguintes temas: segurança; saúde; educação; habitação; alimentação acessível e saudável; cidades para cidadãos (infraestrutura, meio ambiente, mobilidade etc.); geração de emprego e renda; e soluções financeiras para classes C, D e E.

 

As startups selecionadas contarão com uma ampla rede de mentores, investidores e especialistas do mercado. O programa tem como sede o Lab Oi Futuro, espaço de criação, experimentação e colaboração que o instituto inaugura em abril, no bairro no Flamengo, no Rio. Com mais de 500m², o laboratório oferece estrutura física e suporte técnico necessários para que seus participantes viabilizem seus projetos em um ambiente que estimula a produção colaborativa, a formação de redes e a inovação. A Startup Farm integra a rede Google for Entrepreneurs e também conta com o apoio da Baptista Luz Advogados e a Falconi.

 

“Esse edital é uma combinação muito interessante da expertise da Startup Farm em aceleração de negócios com potencial disruptivo com a bagagem de 17 anos de investimento social do Oi Futuro” diz Carla Uller, gerente executiva de Inovação Social do Oi Futuro. “Em 2017, lançamos o Labora, nosso laboratório de Inovação Social, apostando no empreendedorismo e na inovação para impulsionar iniciativas sustentáveis e escaláveis de transformação social. Ao inaugurarmos nosso espaço físico agora, estamos estimulando também a articulação de redes colaborativas de empreendedores para gerar soluções inovadoras para a sociedade”.

 

Apenas no último ano, o Labora ajudou a fortalecer 25 organizações e negócios de diferentes perfis por meio de dois programas de aceleração, executados em parceria com o Yunus Negócios Sociais e com o Instituto Ekloos.

Para Alan Leite, CEO da Startup Farm, este programa será um dos mais especiais que já fizeram. “Esta edição é muito especial, pois tem clara a intenção de ajudar as startups que se proponham a solucionar os grandes problemas do Brasil, principalmente as startups que gerem valor para a base da pirâmide social”, explica.

Alan Leite ainda destaca que a Startup Farm buscará ter nesta turma a maior diversidade possível entre os fundadores das startups selecionadas. “Só assim teremos a inteligência necessária para resolver questões tão complexas”, avalia.

 

A aceleradora possui cases de startups aceleradas em edições anteriores que estão alinhadas com o proposto para esta nova edição, como HOOBOX Robotics, Vittude, Dado Capital, Onboard Mobility, BxBlue, PayKey, BioSoftness, Marmotex, Vérios Investimentos, Ktalise, Piipee e Linked.

 

O CEO finaliza dizendo que “há espaço até mesmo para startups do agronegócio, pois uma solução que melhore a produtividade no campo e reduza a necessidade de defensivos agrícolas, impacta diretamente a vida de quem consome esses produtos mais saudáveis nos grandes centros“.

 

Como funciona o programa de aceleração da Startup Farm:

 

O programa possui três módulos que têm por objetivo dar todas as condições necessárias para que as startups possam desenvolver seus negócios:

 

  •    Laser focus: Com duração de cinco semanas, esta etapa é uma imersão “full-life” para os fundadores trabalharem focados na construção do modelo de negócios da sua startup, com suporte da Startup Farm e de uma ampla rede de mentores, parceiros e investidores. Essa etapa é presencial e acontece no Rio de Janeiro.

 

  •   Get Sales Done: Também com cinco semanas, neste módulo a startup trabalhará na construção de uma estratégia de vendas e definirá as principais métricas de desempenho do seu negócio.

 

  • Fundraising: Com 15 semanas de duração, o objetivo desta etapa é que as empresas aceleradas estruturem uma estratégia de captação de recursos, elaborando uma projeção de necessidade de capital e definam quais os investidores que fazem sentido para o seu negócio.

 

Depois de passar por todas estas etapas, as startups poderão se apresentar a uma banca de investidores e executivos de grandes corporações para o evento mais esperado do programa – o “Demo Day”.

 

Mais sobre a Startup Farm

A Startup Farm é a maior e mais experiente aceleradora da América Latina. Foi reconhecida como a melhor aceleradora do Brasil pelo Startup Awards 2017 –  o Oscar das startups brasileiras, organizado pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups). A Startup Farm já acelerou mais de 280 startups, que captaram em conjunto mais de USD 1milhão em investimentos e possuem valor de mercado agregado superior a USD 1bilhão. Sete startups do portfólio já foram incorporadas por outras empresas, sendo a mais recente a Up Points, adquirida pela Embraco. Ao colocar o empreendedor como eixo central de sua atuação, a Startup Farm oferece aos empreendedores atendidos em seus programas acesso a uma ampla rede de mentores e facilitadores que, aliada aos seus parceiros institucionais, acadêmicos, grandes empresas e investidores, têm gerado cases de sucesso no mercado brasileiro e internacional, como Vérios, Nexer, RankMyApp, EasyTaxi, WorldPackers, Social Miner, InfoPrice, Hoobox Robotics entre tantas outras.

 

 

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi, promove ações de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte para melhorar a vida das pessoas e transformar a sociedade. O instituto impulsiona iniciativas colaborativas e inovadoras, fomenta experimentações e estimula conexões que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo.

 

Na Educação, o Oi Futuro investe em novas formas de aprender e ensinar com o NAVE (Núcleo Avançado em Educação), que forma jovens para as economias digital e criativa, com foco na produção de games, aplicativos e produtos audiovisuais. Desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Pernambuco, o programa oferece ensino médio integrado e já formou mais de 2 mil jovens em 12 anos de atuação. Os estudantes do NAVE são incentivados a desenvolver o espírito empreendedor e a estabelecer suas primeiras conexões profissionais no mercado de inovação e tecnologia. Nas escolas do programa, educadores e estudantes elaboram e testam novas metodologias e práticas pedagógicas que possam ser compartilhadas com outras escolas da rede pública e outros contextos educacionais.

 

Na Cultura, o instituto é um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a cocriação e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém um centro cultural no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, e realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público. O Instituto também tem o Museu das Telecomunicações, pioneiro no uso da interatividade no Brasil, e o LabSonica, laboratório de experimentação sonora e musical. Também no Rio, o Oi Futuro mantém a Oi Kabum!, escola de arte e tecnologia onde está abrigado o Lab.IU, Laboratório de Intervenção Urbana.

 

Na Inovação Social, o Oi Futuro lançou o Labora, laboratório de soluções singulares e de impacto para as cidades e a gestão cultural. O Labora é um ambiente de conexão, aprendizagem e criação para organizações e empreendedores comprometidos com a transformação de impacto, e oferece programas de incubação e aceleração para projetos e negócios de impacto social. O Oi Futuro também aposta em projetos esportivos que conectem pessoas e promovam a inclusão e a cidadania.

 

Numa confluência entre as áreas de Cultura e Inovação Social, nasceu o Oi Futuro Lab, espaço de criação, experimentação e colaboração idealizado para impulsionar criadores de diversas áreas e startups de impacto social de todo o Brasil, selecionados por editais públicos. Com mais de 500m², o laboratório abriga o LabSonica e o Labora e oferece  estrutura física e suporte técnico necessários para que seus participantes viabilizem seus projetos em um ambiente que estimula a produção colaborativa, a formação de redes e a inovação.

leia tudo sobre

Publicidade

Oi Futuro e British Council divulgam projetos culturais selecionados pelo edital do Programa Pontes

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

29 de Março de 2018

 

· Dez festivais de sete estados brasileiros vão receber aporte financeiro para incluir residências de criadores britânicos em suas programações;

· Fruto de parceria inédita, programa foca na internacionalização de festivais artísticos de linguagens variadas e de todo o país;

· Lista completa dos projetos selecionados nesta primeira edição do programa está no site do Oi Futuro (www.oifuturo.org.br)

O Oi Futuro e o British Council divulgam nesta quinta-feira, 29 de março, o resultado da primeira edição do Programa Pontes, novo edital de fomento a iniciativas culturais, com foco na internacionalização de festivais artísticos de todo o Brasil. Dez projetos de sete estados brasileiros foram contemplados pelo programa e vão receber aporte financeiro para incluir residências de criadores britânicos em suas programações e promover o intercâmbio cultural, contribuindo para formação de redes internacionais nas artes e troca de experiências. Usando o modelo matchfunding, o programa vai destinar um total de R$ 500 mil para os festivais selecionados.

A seleção conjunta inclui o Festival Panorama 2018, o 3º Festival Internacional de Cinema de Arquitetura – ARCHCINE e a terceira edição do Festival Transarte, voltado para a temática da identidade de gênero e sexualidade, do Rio de Janeiro; o 6º Festival Música Estranha, de São Paulo; a Bienal Internacional de Dança do Ceará e o Festival Internacional de Máscaras do Cariri, ambos do Ceará; Porto Alegre em Cena, do Rio Grande do Sul; TREMA! Festival de Teatro, de Pernambuco; Festival Se Rasgum, do Pará; e CAN – Onde o Circo é Possível, realizado no Paraná e Santa Catarina. A lista completa está nos sites do Oi Futuro (www.oifuturo.org.br ) e British Council (www.britishcouncil.org.br).

O Programa Pontes é fruto de uma parceria inédita entre Oi Futuro e British Council, com o objetivo de oferecer novas alternativas de fomento aos festivais brasileiros e de promover a produção artística do Reino Unido no Brasil. Partindo de um modelo inovador, baseado na colaboração institucional, o programa une a expertise do Oi Futuro na gestão de editais de seleção de projetos culturais e a experiência do British Council na formação de redes internacionais de artistas e especialistas. Os festivais foram escolhidos para o benefício por serem importantes veículos de acesso à cultura e de estímulo à economia criativa local.

“O Oi Futuro acredita no diálogo entre criadores locais e de fora como maneira de fortalecer a cultura”, define Roberto Guimarães, gerente executivo de Cultura do Oi Futuro. “Os festivais artísticos são uma força única para renovar a vida nas cidades e contribuem para formar novos públicos, e o Programa Pontes vai fomentar experimentações de inovação e estimulam conexões.”

“A construção de um programa especialmente concebido para festivais brasileiros é uma forma de responder aos desafios colocados pelo complexo momento econômico e social do país, que afeta fortemente a cena artística. Ao oferecer canal inovador – um edital inédito – o British Council Brasil pretende promover um programa estratégico e participativo que apoie a sustentabilidade dos festivais, bem como o aprofundamento de parcerias internacionais duradouras com o setor, através de relevante presença britânica na cena local”, explica Cristina Becker, gestora de Artes do British Council . “Outro importante fator é a frutífera troca de expertises entre o Oi Futuro e o British Council através desta pioneira iniciativa conjunta de troca de conhecimentos e que agregam valores preciosos para o ambos os lados”, completa.

Confira abaixo os projetos contemplados pelo Programa Pontes e os respectivos artistas/grupos artísticos escolhidos pelos próprios festivais para as residências cocriativas, que devem durar no mínimo duas semanas e resultar necessariamente em trabalhos artísticos originais e abertos ao público:

CE
Residência Artística Candoco no FIMC – Que corpo essa máscara usa?
Artista: Candoco Dance Company

CE
Residência Vacuum Cleaner na Bienal Internacional de Dança do Ceará / De Par em Par 2018
Artista: Coletivo Vaccum Cleaner

PA
Festival Se Rasgum – Residência Artística
Artista: Spinning Coin

PE
TREMA! Festival de Teatro
Artista: Deborah Pearson

PR | SC
CAN – Onde o Circo é possível
Artistas: National Centre for Circus Arts e Aerial Edge

RJ
Festival Panorama 2018 – eixo Panorama.tec, presença britânica
Artistas: Billy Cowie e Helen Cole

RJ
Residência Transarte UK
Artistas: Coletivo TransActing, Kit Redstone e Rhum and Clay Theatre Company

RJ
3º Festival Internacional de Cinema de Arquitetura – ARCHCINE
Artista: Paul Sng

RS
Porto Alegre em Cena & Imitating the Dog
Artista: Imitating the dog

SP
Residência Nonclassical/Música Estranha
Artistas: Tansy Davies e John Richards

Publicidade

Oi lança atendimento digital no Twitter

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

29 de novembro de 2017

Solução desenvolvida via Twitter Business Solutions permite tirar dúvidas de clientes e dar orientações no ambiente privado das Mensagens Diretas (DMs)

 

A Oi lança um assistente virtual no Twitter que permite aos clientes da operadora atendimento privado via Mensagens Diretas. O serviço, desenvolvido a partir da Twitter Business Solutions – plataforma do Twitter para facilitar a comunicação entre marcas e consumidores – está disponível no perfil @DigaOi 24 horas, durante a semana toda, para tirar dúvidas ou orientar os clientes sobre como acessar sua conta.

“A Oi é a primeira operadora da América Latina a adotar uma solução da TBS, entregando, assim, uma experiência de atendimento ao consumidor mais rápida. O serviço foi criado para que os clientes possam resolver questões do dia a dia de uma forma muito mais rápida e eficiente”, afirma Daniel Carvalho, diretor de desenvolvimento de negócios do Twitter para América Latina.

Com o assistente virtual da Oi no Twitter, os consumidores podem iniciar uma conversa com o perfil @DigaOi, que passa a oferecer, de maneira automatizada e rápida, botões com opções de mensagem e respostas de acordo com os objetivos de cada um. É possível encontrar, por exemplo, informações sobre como pagar e ter acesso aos detalhes de uma conta, como acessar a Minha Oi e solicitar alterações no cadastro e em serviços – como débito automático, conta por email e data de vencimento da conta. O serviço também entrega links rápidos para que as pessoas possam baixar o aplicativo Minha Oi e caso ainda permaneçam com dúvidas, é possível chamar um atendente a qualquer momento.

“A ferramenta visa disponibilizar novos canais e melhorar ainda mais a experiência dos clientes Oi. O atendimento em ambiente privado faz parte da estratégia digital da operadora e a parceria com o Twitter é mais uma iniciativa de aproximação do cliente em seus canais digitais”, diz Ariel Dascal, diretor de Transformação Digital da Oi.

Sobre o Twitter
O Twitter mostra o que está acontecendo no mundo agora e o que as pessoas estão falando neste exato momento. De últimas notícias e entretenimento a esportes e interesses cotidianos, incluindo conteúdos ao vivo, é possível encontrar todos os lados de uma mesma história nas conversas em que todos estão convidados a participar. Disponível em mais de 40 idiomas em todo o mundo, o serviço pode ser acessado via twitter.com e dispositivos móveis. Para mais informações, visiteabout.twitter.com, siga @Twitter e baixe os aplicativos do Twitter e do Periscope via twitter.com/download e periscope.tv.

Sobre a Oi
A Oi, empresa pioneira na prestação de serviços convergentes no país, oferece telefonia móvel, banda larga, TV por assinatura, transmissão de voz local e de longa distância e tem, atualmente,  a maior rede wi-fi do Brasil. A companhia está presente em todo o território nacional e é a empresa que tem a maior capilaridade de rede do Brasil, chegando às áreas remotas do país e promovendo a inclusão digital da população. Além de serviços de telecomunicações para os mercados varejo e corporativo, a Oi oferece soluções de TI inovadoras, hospedadas em plataforma de computação em nuvem, para empresas de todos os portes.

Em setembro de 2017, a companhia possuía, no Brasil, cerca de 63 milhões de Unidades Geradoras de Receitas (UGRs), das quais cerca de 40 milhões estavam no segmento Móvel Pessoal, 16,1 milhões no segmento Residencial e 6,5 milhões no segmento B2B (grandes corporações e PMEs). Atualmente, a Oi conta com de 2 milhões de hotspots da rede Oi WiFi em todo o Brasil.

A companhia é signatária do Pacto Global, elabora e publica o seu Relatório Anual de Sustentabilidade, reporta ao CDP (Carbon Disclosure Project) e está no Nível 1 de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA.

Sobre o Oi Futuro 

Por meio do Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi, a companhia desenvolve e apoia ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas e da sociedade. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, o instituto acelera iniciativas que, através da tecnologia, potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo. A Oi é uma das maiores patrocinadoras da cultura no país, e o Oi Futuro atua como um catalisador criativo e um laboratório de projetos que promovam a transformação por meio da arte, da educação, do empreendedorismo e do esporte.

Publicidade

Oi e Oi Futuro abrem inscrições para Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2018

Por Oswaldo Scaliotti em Sem categoria

24 de novembro de 2017

  • Edital público busca projetos em todo o Brasil e para a programação dos espaços culturais;
  • Programa vai receber ideias para Museu de Telecomunicações e de ocupação do LabSonica
  • Produtores culturais podem se inscrever até 12 de janeiro no site www.oifuturo.org.br

 

A Oi abre dia 24 de novembro as inscrições da 15ª edição do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados. Produtores culturais podem se inscrever até o dia 12 de janeiro, às 17h (horário de Brasília), através do site do Oi Futuro (www.oifuturo.org.br). O programa destina recursos para financiamento total ou parcial de projetos aprovados em leis estaduais de incentivo à cultura seguindo duas linhas de seleção: uma para iniciativas de todo o país e outra voltada para a programação dos espaços culturais do Oi Futuro no Rio de Janeiro.

A edição deste ano traz o convite para proposição de ideias que contemplem a integração original do Museu das Telecomunicações com seus públicos, incluindo geração de conteúdo pelos visitantes. Outra novidade é a abertura a propostas de ocupação criativa do mais novo programa do Oi Futuro, o LabSonica, laboratório de pesquisa e experimentação no campo do som e suas combinações com a imagem.

O Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados investe e apoia projetos de diversas naturezas que já atraíram mais de 7 milhões de pessoas de todo o país, desde 2003. Nos 12 anos de atuação, o Oi Futuro se tornou o espaço onde as muitas formas de arte convergem e as tecnologias do nosso tempo são um campo infinito para experimentação e para a investigação artística.

O edital foi lançado durante a segunda edição do #ColaborAmerica, realizado no Hub Rio, em Santo Cristo, entre os dias 23 e 25 de novembro, no Rio de Janeiro. “O Colaboramerica discute um modelo econômico mais consciente e mais colaborativo para a América Latina, e nesta edição foi ressaltado o papel da cultura neste processo”, lembra o gestor de Cultura do Oi Futuro, Roberto Guimarães. “Ao fazer o lançamento do edital neste evento, queremos proclamar a crença do Oi Futuro no papel das ações inovadoras na cultura para melhorar a vida das pessoas”.

O Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados investe e apoia projetos artísticos inovadores que envolvam propostas originais dentro de dois eixos: o da Cultura Digital, com a disseminação de novas formas de expressão, dando às pessoas meios de remixar diferentes manifestações artísticas com o uso inventivo das tecnologias digitais; e o das Cidades Colaborativas, que prevê a ocupação e ressignificação de espaços urbanos utilizando linguagens artísticas e processos coletivos de trabalho, apoiando a interação entre as pessoas e o aperfeiçoamento da dinâmica das cidades.

Na apresentação de propostas para o edital, não há divisão por categorias ou compartimentações entre as áreas culturais, valorizando a convergência de linguagens, a cocriação e a conexão entre pessoas e ideias. A mudança tem como objetivo estabelecer uma rede efetiva com os realizadores, para a promoção de trocas artísticas e de visões estéticas, abrindo espaço para novos modelos de produção.

Através do programa, a Oi quer fomentar a produção artística inovadora, especialmente no campo da convergência entre arte, ciência e tecnologia, potencializando conexões e experiências que impulsionem novas ideias e experiências coletivas singulares; promover oportunidades de cocriação, gerando interações que se caracterizem na participação ativa do público; estimular a circulação da produção cultural brasileira por meio do fomento à geração de conteúdo digital multiplataforma, além de trabalhar acessibilidades para a ampliação de um público diverso e irrestrito.

A escolha dos projetos conta com a participação de uma comissão de seleção independente, composta por especialistas de distintos campos do conhecimento e de origem regional diversa, e envolve também a participação de profissionais do Oi Futuro e da Oi. O resultado será divulgado no site do Oi Futuro, em data a ser definida.

Sobre O Oi Futuro

 

O Oi Futuro promove, apoia e desenvolve ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas e da sociedade. Com a atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, o instituto acelera iniciativas que potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo, fomentam experimentações de inovação e estimulam conexões.

Na Educação, o Oi Futuro investe em modelos inovadores para inspirar novas formas de aprender e ensinar com o NAVE (Núcleo Avançado em Educação), que forma jovens para as economias digital e criativa, com foco na produção de games, aplicativos e produtos audiovisuais. O programa, desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Pernambuco, oferece ensino médio integrado. Além de obter formação voltada para a indústria criativa e digital, os estudantes do NAVE são incentivados a desenvolver o espírito empreendedor e a estabelecer suas primeiras conexões profissionais, por meio de projetos e eventos de integração com o mercado de inovação.

Na área Cultural, o instituto atua como um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém um centro cultural no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, e realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público. O Instituto também faz a gestão do Museu das Telecomunicações e sua Reserva Técnica, pioneiro no uso da interatividade no Brasil, e do LabSonica, laboratório de experimentação sonora. Também no Rio, o Oi Futuro mantém a Oi Kabum!, escola de arte e tecnologia onde está abrigado o Lab.IU, Laboratório de Intervenção Urbana.

Na Inovação Social, o Oi Futuro mantém o Labora, laboratório voltado para soluções inovadoras e de impacto para as cidades e a gestão cultural. O Labora é um ambiente de conexão, aprendizagem e criação para organizações e empreendedores comprometidos com a transformação de impacto e oferece programas de incubação e aceleração para projetos e negócios sociais em diferentes fases de maturação e perfil empreendedor. O Oi Futuro também aposta em projetos esportivos que conectem pessoas e promovam a inclusão e a cidadania.

SERVIÇO:

15º Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados

Inscrições: de 24 de novembro a 12 de janeiro de 2018 às 17h (horário de Brasília)

www.oifuturo.org.br

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

VII Mostra Dragão do Mar de Arte e Cultura de Canoa Quebrada tem apoio da Oi Futuro

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

22 de novembro de 2017

VII Mostra Dragão do Mar de Arte e Cultura de Canoa Quebrada promovida pela Associação Cultural Canoa Criança e o Conselho Comunitário de Canoa Quebrada vai movimentar intensamente a cidade de Canoa Quebrada, no período de 22 a 26 de novembro. A sétima edição da Mostra Dragão do Mar que conta com o apoio cultural do Oi Futuro, se propõe estimular a integração das comunidades que formam  a macrorregião do litoral leste do Ceará para que participem efetivamente das atividades como Roda de Fazeres e Saberes com os Mestres da Cultura, oficinas e práticas artísticas, espetáculos de circo, dança e teatro que acontecerão  no Anfiteatro Dragão do Mar e no Circo Escola.   O evento tem a produção executiva da Ideais Produções e parceria da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará – SECULT.

 

 

 

Publicidade

Oi e Oi Futuro anunciam projetos selecionados pelo Edital de Cultura 2017/2018

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

26 de Maio de 2017

 

  • Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados seleciona 55 iniciativas de 11 estados: BA, CE, DF, MA, MG, PA, PR, RJ, RN, RS e SP;

 

  • Centro cultural trará exposições de Chantal Akerman, Miguel Rio Branco, Nam June Paik, coletiva de arte feita com big data, infantil sobre a vida de Thomas Edison, entre outros.

 

A Oi e o Oi Futuro anunciam nesta quinta-feira (25) os projetos selecionados pelo Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2017/2018, que inclui iniciativas de todas as regiões do Brasil e para a programação do centro cultural Oi Futuro, no Rio. A lista completa está no site www.oifuturo.org.br .

A Oi é uma das maiores patrocinadoras da cultura no país e apoia projetos de diversas naturezas que já atraíram mais de 6 milhões de pessoas desde 2003. A Oi, por meio do Oi Futuro, promove, apoia e desenvolve ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas e da sociedade. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, o instituto acelera iniciativas que ampliam o repertório com plataformas de conteúdo, potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo, fomentam experimentações de inovação e estimulam conexões.

Este ano, o Oi Futuro propõe um novo formato de edital, mais flexível e inclusivo, afinado com as formas de criação contemporâneas.  Foram eliminadas as categorias e áreas artísticas – como Música, Teatro, Artes Visuais – valorizando a convergência de linguagens e abraçando ideias que já não cabem em rótulos e que dialogam com as cidades. Além disso, nesse novo edital, a forma de apresentação das propostas ficou mais simples e flexível, tornando a inscrição ainda mais acessível.

“Conseguimos atrair ideias inovadoras, que nos surpreenderam, e jovens fazedores que estão despontando. Chegamos a uma seleção marcada pelo frescor e a diversidade, que reflete a vocação do Oi Futuro como catalisador criativo, aproximando pessoas através da criação contemporânea, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso às artes na era digital”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. “Sonhamos, mais que nunca, com públicos (no plural), com todos os públicos”, completa.

Projetos selecionados

A seleção nacional de projetos patrocinados traz iniciativas de 11 estados brasileiros: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Entre os 34 projetos escolhidos nessa linha de apoio, destacam-se a plataforma digital Cidades dos Festivais, que vai reunir a potência dos sete maiores festivais do Rio (Festival do Rio, Panorama, Festlip, Fil, Tempo Festival, Multiplicidade, Festival Curta Cinema); o projeto Sala Vazia do programa de residência latino-americano que busca contemplar ações desenvolvidas nas áreas de Artes Visuais, Audiovisual, Performance, Arte Digital, Arte Sonora e seus hibridismos, tendo como pano de fundo a cidade de Fortaleza;  o projeto Dispersão, experiência audiovisual interativa em que o público vira criador por meio de seus aparelhos celulares, URBE – Mostra de Arte Pública, que fará intervenções artísticas temporárias ou permanentes na cidade de São Paulo; o Encontro Estéticas das Periferias – Arte e Cultura nas Bordas da Metrópole, que vai levar performances, debates, oficinas e intervenções artísticas a 50 locais públicos da capital paulista; o MASSA – Festival Movimento e Arte Salvador, que vai ocupar o Parque Solar Boa Vista durante um mês com atividades artísticas gratuitas; o Favela Sounds 2017 – Festival Internacional de Cultura de Periferia, sediado no Museu Nacional de Brasília, no DF; o Festival eXperimental de Cinema, no Maranhão, que abre espaço à fusão de tecnologias e linguagens do audiovisual; o Palco Hip Hop – Danças Urbanas, que vai levar uma programação internacional a Belo Horizonte; o Parking Art – Galeria de Arte Urbana, que promete transformar as ruas de Curitiba em um circuito de exposições e outros.

O edital também contemplou iniciativas que trouxeram a diversidade como palavra de ordem, como a proposta baiana Melanina Digital, plataforma dramatúrgica de referência para o trabalho de artistas, dramaturgos e pensadores negros; o projeto AEI ou Arte Eletrônica Indígena, da Bahia, que promove a expressão artística indígena por meio da tecnologia; e ainda a Mostra de Multilinguagens Corpos Visíveis, que vai reunir artistas do audiovisual, teatro, fotografia, moda e música com trabalhos sobre identidade de gênero e empatia no Parque Madureira, no Rio de Janeiro. Tem ainda o ColaboraAmerica, festival de novas economias que será realizado em outubro no Rio, e o Rio Mapping Festival 2018, que levará a arte digital às paisagens da Cidade Maravilhosa.

Programação do centro cultural

A Programação 2017/2018 do Oi Futuro será aberta dia 26 de junho com uma grande retrospectiva do pioneiro da videoarte Nam June Paik, com curadoria do italiano Marco Pierini, especialista na obra do artista sul-coreano morto em 2006. Ainda entre as atrações estão a primeira individual no Brasil da artista belga Chantal Akerman, expoente do cinema experimental e do cinema feminista mundial, que terá instalações imersivas e obras inéditas; a exposição Wishful Thinking do fotógrafo Miguel Rio Branco, ocupando três galerias do Oi Futuro; o projeto de arte pública OIR – Outras Ideias, que vai ocupar o Aterro do Flamengo com intervenções artísticas do americano Daniel Arsham e do japonês Makoto Azuma, sob curadoria de Marcello Dantas; o projeto inédito Cérebro|Coração, da atriz e diretora Mariana Lima, que vai transformar pensamentos de Proust, Beckett, Clarice Lispector e Leonilson em uma espécie de performance-conferência; Mostra BUG, que vai trazer ao Rio trabalhos de narrativas interativas e imersivas nacionais e internacionais usando realidade virtual, aplicativos e outros suportes.

O palco do Oi Futuro ainda vai receber experiências como As Mil e Uma Noites, adaptação do clássico da literatura mundial assinada pela Cia Teatro Voador Não Identificado que resultará em 33 apresentações teatrais diferentes ao longo da temporada, e As Boas Mulheres, projeto que prevê a criação de espetáculos inéditos reunindo somente mulheres: quatro diretoras, oito atrizes e quatro dramaturgas.

A programação do Oi Futuro também tem novidades voltadas para toda a família, como Thomas e as Mil e Uma Invenções, baseado na vida e obra do inventor Thomas Edison, Isaac no Mundo das Partículas, musical que traduz para crianças o mundo da física de partículas e Isaac Newton; e A Menina e o Pote, videoinstalação interativa para crianças que vai recriar uma floresta dentro do centro cultural.

Tem ainda projetos que foram originados dentro do Oi Futuro e que fazem parte da história do centro cultural: Festival Multiplicidade 2017, Festival Novas Frequências e a nova fase do Programa Poesia Visual e Digital.

A lista completa dos projetos selecionados está no site do Oi Futuro: www.oifuturo.org.br

 

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi, promove e apoia ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, desde 2001, o instituto acelera iniciativas que, através da tecnologia, potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo.

Na Educação, o Oi Futuro investe em modelos inovadores para inspirar novas formas de aprender e ensinar. O NAVE (Núcleo Avançado em Educação) forma jovens para as economias digital e criativa, com foco na produção de games, aplicativos e produtos audiovisuais. O programa, desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Pernambuco, oferece ensino médio integrado e profissionalizante. Além de obter formação técnica, os estudantes do NAVE são incentivados a desenvolver o espírito empreendedor e a estabelecer suas primeiras conexões profissionais, por meio de projetos e eventos de integração com o mercado de inovação.

Na área Cultural, o instituto atua como um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém dois centros culturais no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, além da gestão do Museu das Telecomunicações, e sua Reserva Técnica, pioneiro no uso da interatividade no Brasil. O Instituto também realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público.

Na Inovação Social, o programa Oi Novos Brasis viabiliza projetos empreendedores inovadores que trazem propostas para solucionar desafios atuais das cidades, contribuindo para o desenvolvimento da sociedade. O Oi Futuro também aposta em projetos esportivos que conectem pessoas e promovam a inclusão e a cidadania.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Oi e Oi Futuro anunciam projetos selecionados pelo Edital de Cultura 2017/2018

Por Oswaldo Scaliotti em Responsabilidade social

26 de Maio de 2017

 

  • Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados seleciona 55 iniciativas de 11 estados: BA, CE, DF, MA, MG, PA, PR, RJ, RN, RS e SP;

 

  • Centro cultural trará exposições de Chantal Akerman, Miguel Rio Branco, Nam June Paik, coletiva de arte feita com big data, infantil sobre a vida de Thomas Edison, entre outros.

 

A Oi e o Oi Futuro anunciam nesta quinta-feira (25) os projetos selecionados pelo Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados 2017/2018, que inclui iniciativas de todas as regiões do Brasil e para a programação do centro cultural Oi Futuro, no Rio. A lista completa está no site www.oifuturo.org.br .

A Oi é uma das maiores patrocinadoras da cultura no país e apoia projetos de diversas naturezas que já atraíram mais de 6 milhões de pessoas desde 2003. A Oi, por meio do Oi Futuro, promove, apoia e desenvolve ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas e da sociedade. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, o instituto acelera iniciativas que ampliam o repertório com plataformas de conteúdo, potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo, fomentam experimentações de inovação e estimulam conexões.

Este ano, o Oi Futuro propõe um novo formato de edital, mais flexível e inclusivo, afinado com as formas de criação contemporâneas.  Foram eliminadas as categorias e áreas artísticas – como Música, Teatro, Artes Visuais – valorizando a convergência de linguagens e abraçando ideias que já não cabem em rótulos e que dialogam com as cidades. Além disso, nesse novo edital, a forma de apresentação das propostas ficou mais simples e flexível, tornando a inscrição ainda mais acessível.

“Conseguimos atrair ideias inovadoras, que nos surpreenderam, e jovens fazedores que estão despontando. Chegamos a uma seleção marcada pelo frescor e a diversidade, que reflete a vocação do Oi Futuro como catalisador criativo, aproximando pessoas através da criação contemporânea, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso às artes na era digital”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. “Sonhamos, mais que nunca, com públicos (no plural), com todos os públicos”, completa.

Projetos selecionados

A seleção nacional de projetos patrocinados traz iniciativas de 11 estados brasileiros: Bahia, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Entre os 34 projetos escolhidos nessa linha de apoio, destacam-se a plataforma digital Cidades dos Festivais, que vai reunir a potência dos sete maiores festivais do Rio (Festival do Rio, Panorama, Festlip, Fil, Tempo Festival, Multiplicidade, Festival Curta Cinema); o projeto Sala Vazia do programa de residência latino-americano que busca contemplar ações desenvolvidas nas áreas de Artes Visuais, Audiovisual, Performance, Arte Digital, Arte Sonora e seus hibridismos, tendo como pano de fundo a cidade de Fortaleza;  o projeto Dispersão, experiência audiovisual interativa em que o público vira criador por meio de seus aparelhos celulares, URBE – Mostra de Arte Pública, que fará intervenções artísticas temporárias ou permanentes na cidade de São Paulo; o Encontro Estéticas das Periferias – Arte e Cultura nas Bordas da Metrópole, que vai levar performances, debates, oficinas e intervenções artísticas a 50 locais públicos da capital paulista; o MASSA – Festival Movimento e Arte Salvador, que vai ocupar o Parque Solar Boa Vista durante um mês com atividades artísticas gratuitas; o Favela Sounds 2017 – Festival Internacional de Cultura de Periferia, sediado no Museu Nacional de Brasília, no DF; o Festival eXperimental de Cinema, no Maranhão, que abre espaço à fusão de tecnologias e linguagens do audiovisual; o Palco Hip Hop – Danças Urbanas, que vai levar uma programação internacional a Belo Horizonte; o Parking Art – Galeria de Arte Urbana, que promete transformar as ruas de Curitiba em um circuito de exposições e outros.

O edital também contemplou iniciativas que trouxeram a diversidade como palavra de ordem, como a proposta baiana Melanina Digital, plataforma dramatúrgica de referência para o trabalho de artistas, dramaturgos e pensadores negros; o projeto AEI ou Arte Eletrônica Indígena, da Bahia, que promove a expressão artística indígena por meio da tecnologia; e ainda a Mostra de Multilinguagens Corpos Visíveis, que vai reunir artistas do audiovisual, teatro, fotografia, moda e música com trabalhos sobre identidade de gênero e empatia no Parque Madureira, no Rio de Janeiro. Tem ainda o ColaboraAmerica, festival de novas economias que será realizado em outubro no Rio, e o Rio Mapping Festival 2018, que levará a arte digital às paisagens da Cidade Maravilhosa.

Programação do centro cultural

A Programação 2017/2018 do Oi Futuro será aberta dia 26 de junho com uma grande retrospectiva do pioneiro da videoarte Nam June Paik, com curadoria do italiano Marco Pierini, especialista na obra do artista sul-coreano morto em 2006. Ainda entre as atrações estão a primeira individual no Brasil da artista belga Chantal Akerman, expoente do cinema experimental e do cinema feminista mundial, que terá instalações imersivas e obras inéditas; a exposição Wishful Thinking do fotógrafo Miguel Rio Branco, ocupando três galerias do Oi Futuro; o projeto de arte pública OIR – Outras Ideias, que vai ocupar o Aterro do Flamengo com intervenções artísticas do americano Daniel Arsham e do japonês Makoto Azuma, sob curadoria de Marcello Dantas; o projeto inédito Cérebro|Coração, da atriz e diretora Mariana Lima, que vai transformar pensamentos de Proust, Beckett, Clarice Lispector e Leonilson em uma espécie de performance-conferência; Mostra BUG, que vai trazer ao Rio trabalhos de narrativas interativas e imersivas nacionais e internacionais usando realidade virtual, aplicativos e outros suportes.

O palco do Oi Futuro ainda vai receber experiências como As Mil e Uma Noites, adaptação do clássico da literatura mundial assinada pela Cia Teatro Voador Não Identificado que resultará em 33 apresentações teatrais diferentes ao longo da temporada, e As Boas Mulheres, projeto que prevê a criação de espetáculos inéditos reunindo somente mulheres: quatro diretoras, oito atrizes e quatro dramaturgas.

A programação do Oi Futuro também tem novidades voltadas para toda a família, como Thomas e as Mil e Uma Invenções, baseado na vida e obra do inventor Thomas Edison, Isaac no Mundo das Partículas, musical que traduz para crianças o mundo da física de partículas e Isaac Newton; e A Menina e o Pote, videoinstalação interativa para crianças que vai recriar uma floresta dentro do centro cultural.

Tem ainda projetos que foram originados dentro do Oi Futuro e que fazem parte da história do centro cultural: Festival Multiplicidade 2017, Festival Novas Frequências e a nova fase do Programa Poesia Visual e Digital.

A lista completa dos projetos selecionados está no site do Oi Futuro: www.oifuturo.org.br

 

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro, instituto de responsabilidade social da Oi, promove e apoia ações inovadoras e colaborativas para melhorar a vida das pessoas. Com atuação nas frentes de Educação, Cultura, Inovação Social e Esporte, desde 2001, o instituto acelera iniciativas que, através da tecnologia, potencializam o desenvolvimento pessoal e coletivo.

Na Educação, o Oi Futuro investe em modelos inovadores para inspirar novas formas de aprender e ensinar. O NAVE (Núcleo Avançado em Educação) forma jovens para as economias digital e criativa, com foco na produção de games, aplicativos e produtos audiovisuais. O programa, desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Pernambuco, oferece ensino médio integrado e profissionalizante. Além de obter formação técnica, os estudantes do NAVE são incentivados a desenvolver o espírito empreendedor e a estabelecer suas primeiras conexões profissionais, por meio de projetos e eventos de integração com o mercado de inovação.

Na área Cultural, o instituto atua como um catalisador criativo, impulsionando pessoas através das artes, estimulando a produção colaborativa e promovendo o acesso à cultura na era digital. O Oi Futuro mantém dois centros culturais no Rio de Janeiro, com uma programação que valoriza a produção de vanguarda e a convergência entre arte contemporânea e tecnologia, além da gestão do Museu das Telecomunicações, e sua Reserva Técnica, pioneiro no uso da interatividade no Brasil. O Instituto também realiza o Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados, que seleciona projetos em todas as regiões do país por meio de edital público.

Na Inovação Social, o programa Oi Novos Brasis viabiliza projetos empreendedores inovadores que trazem propostas para solucionar desafios atuais das cidades, contribuindo para o desenvolvimento da sociedade. O Oi Futuro também aposta em projetos esportivos que conectem pessoas e promovam a inclusão e a cidadania.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti