Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

no Rio Grande do Sul

Governo do Ceará prospecta indústrias calçadistas no Sul

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

23 de Maio de 2018

 
O Governo do Estado do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), realiza mais uma missão na região Sul em busca de atrair investimentos. Desta vez, o Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), realizado em Gramado, no Rio Grande do Sul, é o alvo do trabalho de prospecção.
 
Conforme o presidente da Adece, Eduardo Neves, a ideia é buscar elos faltantes na cadeia produtiva da indústria calçadista cearense. “Sem sombra de dúvidas, é um setor de extrema importância para o Ceará pela transformação que vem fazendo em alguns municípios, gerando emprego e renda. Ouvindo as empresas, identificamos a necessidade preencher a cadeia produtiva e estamos trabalhando para que o calçado como um todo seja fabricado aqui no Ceará, sem a precisão de buscar componentes fora do país”, explica.
 
Solas, saltos e palmilhas são alguns dos componentes dos calçados ainda importados pelo Ceará. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), os países de procedência, em sua maioria, são China e Vietnã.
 
Já nas vendas para o exterior, no primeiro trimestre do ano, o Ceará continuou com a posição de maior exportador em número de pares do Brasil e segundo lugar em valores. Nos três primeiros meses do ano, US$ 88,2 milhões e quase 16 milhões de pares foram exportados pelo Estado.
 
Sobral lidera os municípios brasileiros exportadores do segmento. Uruburetama (5º), Camocim (23º), Horizonte (24º) e Quixeramobim (30º) também se destacam no ranking nacional.
 
Empregos
 
A indústria calçadista é responsável por 26% dos vínculos empregatícios do Estado, conforme estudo realizado pela Coordenadoria de Políticas e Estratégias da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (SDE), com apoio da Adece. O setor está presente nas 14 macrorregiões cearenses e é responsável por mais de 55 mil vínculos empregatícios no Estado.
 
Segundo o estudo, 87% do total de empregos da indústria calçadista estão presentes em empresas incentivadas pelo Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI), política de fomento à produção industrial do Governo do Ceará.
Publicidade

Governo do Ceará prospecta indústrias calçadistas no Sul

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

23 de Maio de 2018

 
O Governo do Estado do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), realiza mais uma missão na região Sul em busca de atrair investimentos. Desta vez, o Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), realizado em Gramado, no Rio Grande do Sul, é o alvo do trabalho de prospecção.
 
Conforme o presidente da Adece, Eduardo Neves, a ideia é buscar elos faltantes na cadeia produtiva da indústria calçadista cearense. “Sem sombra de dúvidas, é um setor de extrema importância para o Ceará pela transformação que vem fazendo em alguns municípios, gerando emprego e renda. Ouvindo as empresas, identificamos a necessidade preencher a cadeia produtiva e estamos trabalhando para que o calçado como um todo seja fabricado aqui no Ceará, sem a precisão de buscar componentes fora do país”, explica.
 
Solas, saltos e palmilhas são alguns dos componentes dos calçados ainda importados pelo Ceará. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), os países de procedência, em sua maioria, são China e Vietnã.
 
Já nas vendas para o exterior, no primeiro trimestre do ano, o Ceará continuou com a posição de maior exportador em número de pares do Brasil e segundo lugar em valores. Nos três primeiros meses do ano, US$ 88,2 milhões e quase 16 milhões de pares foram exportados pelo Estado.
 
Sobral lidera os municípios brasileiros exportadores do segmento. Uruburetama (5º), Camocim (23º), Horizonte (24º) e Quixeramobim (30º) também se destacam no ranking nacional.
 
Empregos
 
A indústria calçadista é responsável por 26% dos vínculos empregatícios do Estado, conforme estudo realizado pela Coordenadoria de Políticas e Estratégias da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (SDE), com apoio da Adece. O setor está presente nas 14 macrorregiões cearenses e é responsável por mais de 55 mil vínculos empregatícios no Estado.
 
Segundo o estudo, 87% do total de empregos da indústria calçadista estão presentes em empresas incentivadas pelo Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI), política de fomento à produção industrial do Governo do Ceará.