Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Energia solar

O futuro da energia solar no Brasil: A hora do sol

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

04 de Abril de 2018

O debate sobre a matriz energética do nosso país tem omitido uma importante forma de geração: a energia solar. O Brasil possui todas as características necessárias para ser um dos líderes mundiais no aproveitamento desta fonte, mas infelizmente hoje não aparece nem sequer no ranking dos 10 países que mais utilizam o sol como recurso para gerar eletricidade para sua população. Está na hora de mudar este cenário, e para isto é necessário um esforço conjunto do poder público e setor privado, com apoio da sociedade.

É verdade que no passado o custo de geração deste tipo de energia, obtida com a conversão direta dos raios solares em eletricidade a partir de células fotovoltaicas, foi uma barreira para a sua expansão. Nos últimos anos, com o desenvolvimento tecnológico, o processo teve uma queda expressiva: o custo das células solares de silício cristalino, por exemplo, caiu de 76,67 $/Wp em 1977 para 0,36 $/Wp em 2014.

Em 2014, o preço dos módulos solares tinha caído 80% na comparação com 2008, colocando a energia solar pela primeira vez numa posição vantajosa em relação ao preço da eletricidade paga pelo consumidor num bom número de regiões com grande exposição ao sol, como é o caso do Brasil.

Hoje, o problema do custo está superado, a geração elétrica da energia solar fotovoltaica é competitiva comparativamente às fontes convencionais de energia em uma crescente lista de países. Com metade da radiação solar que o Brasil, a Alemanha é o país-referência em energia fotovoltaica, com potência instalada de quase 40.000 MWp. Apenas para comparar, em 2016 o Brasil atingiu 83 MWp de potência instalada, ou seja, o equivalente a 0,2% do que os alemães utilizam.

Apesar de ser extremamente favorecido em radiação solar, o Brasil ainda enfrenta grandes dificuldades para a expansão, seja na questão da  integração com a rede ou na falta de acesso às linhas de financiamento. A expectativa atual é atingir neste ano de 2018 a potência instalada de 300 MW em geração distribuída, segundo projeção da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). Muito pouco perto do potencial que temos.

É fácil criticar e reclamar, difícil é ajudar a fazer. Fundamental, neste momento, que a iniciativa privada tome a frente no debate: o setor imobiliário tem um papel fundamental nesta cadeia. Cada vez mais é necessário oferecer produtos capazes de atender essa demanda.

A MRV Engenharia, em sua posição de liderança e protagonismo do setor, decidiu levantar a bandeira da energia solar em suas atividades. A construtora está investindo R$ 800 milhões no maior projeto de energia fotovoltaica de uma empresa privada brasileira, com a expectativa de em até cinco anos entregar 220 mil unidades com sistemas de energia solar, o que representará 100% de seus lançamentos. Essa decisão contribuirá para reduzir a emissão de 26 mil toneladas de CO2, além de preservar pelo menos 160 mil árvores.

Este movimento se justifica pela convicção de que a energia solar traz vários benefícios para o Brasil, em especial para seus os consumidores: o ganho financeiro, obviamente, porque a despesa com energia elétrica sempre cai com o sistema alternativo funcionando. Além disto, uma obra entregue com energia solar aumenta o valor agregado do imóvel e cria um diferencial de mercado.

O mais importante, na nossa visão, é que o benefício do investimento não se restringe aos compradores: a geração de energia solar a partir das unidades construídas pela MRV poderá chegar a 86.000 MWp por ano, o suficiente para abastecer uma cidade de 70 mil habitantes.

Esperamos que nosso exemplo possa sensibilizar o poder público e também outras construtoras e incorporadoras sobre a importância da energia solar no nosso país. Quanto maior o estímulo, mais rapidamente poderemos colocar o Brasil no lugar que merece estar, não entre os 10 primeiros, mas na liderança dos países que mais utilizam o sol como fonte de energia! A meta é arrojada e estamos fazendo a nossa parte.

leia tudo sobre

Publicidade

Oi vai gerar energia solar em Minas Gerais

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

22 de Fevereiro de 2018

 

  • Energia limpa será usada para compensar consumo de cerca de 3 mil unidades da companhia em Minas Gerais
  • Economia de custos faz parte de plano de eficiência energética iniciado há dois anos pela operadora

 

A Oi está levantando áreas para a criação de fazendas solares que converterão a luz do sol em eletricidade nos municípios de Janaúba e Capitão Enéas, no Norte de Minas Gerais. As duas fazendas, com potência de 5 MWp cada, terão capacidade de gerar 1,7 GWh/mês. Essa energia seria equivalente ao consumo mensal de cerca de 10 mil residências, devendo entrar em operação em novembro de 2018. O projeto está sendo desenvolvido em parceria com a GD Solar e faz parte do plano estratégico da Oi de diversificar a sua matriz de consumo, utilizando fontes renováveis com menor custo, complementando a aquisição de energia no mercado livre. A geração de energia das plantas será compensada pela Oi nas contas de energia de suas unidades de consumo. Assim, a energia produzida pelas fazendas será injetada na rede da distribuidora de energia local, e utilizada para abater do consumo de energia de cerca de 3 mil unidades da Oi em Minas Gerais, entre prédios, estações e outros imóveis da companhia. No total, o projeto prevê a instalação de  22 usinas em todo o Brasil, no prazo de três anos, com um investimento de cerca de R$ 330 milhões. O valor médio de cada usina gira em torno de R$ 15 a 18 milhões.

Este modelo, regulamentado como geração distribuída pela ANEEL, permite a compensação de energia, e já é adotado por outras empresas ou por consumidores residenciais. O investimento, além de gerar energia limpa, vai significar uma redução de custos da empresa em um de seus principais insumos. Minas Gerais, local definido para as 2 primeiras plantas, tem condições de irradiação solar muito favoráveis, e um alto custo de tarifa, favorecendo a implantação das fazendas solares.  A Oi estuda ampliar as soluções de geração distribuída para outros estados

O investimento em fazendas de energia solar faz parte de um plano de eficiência energética inaugurado pela Oi em 2015. A companhia já vem aumentando o consumo de energia limpa, vinda de fontes renováveis, e vendida a preços mais baratos do que as de fontes não-renováveis, no mercado de energia livre.  De 2015 a 2017, a participação da energia limpa no consumo global da operadora passou de 15,8% para 22,4%. O resultado, para a Oi, foi uma economia de R$ 128 milhões. A meta da empresa é chegar a R$ 428 milhões de economia de 2015 até 2019, quando o percentual de energia limpa consumida será de 42,5% do total.

Outra medida dentro deste programa foi a troca de 100 mil lâmpadas fluorescentes pelas do tipo LED em cinco estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Ceará e Paraná. As lâmpadas LED, além de consumirem menos eletricidade, duram mais.

 

Publicidade

Capacitação: Instalação de Sistemas Solar Fotovoltaicos

Por Oswaldo Scaliotti em Qualificação

31 de Janeiro de 2018

A Sou Energy em parceria com o Instituto de Formação Tecnológica (IFT) realizam em março, o curso “Instalação de Sistemas Solar Fotovoltaicos”. Serão três aulas aos sábados (10; 17 e 24/03) ministradas pelo Dr. em Energias Renováveis, Francisco José Firmino Canafistula. A iniciativa que acontece na sede do Instituto (Rua Senador Pompeu, 1943 – Centro) está com inscrições abertas e podem ser realizadas presencialmente ou pelos telefones: (85) 3034.7129 / 9 8670.7530 ou 9 9996.0303.

Com direito a certificação à nível nacional, a formação é voltada para profissionais que pretendem investir e empreender em energias renováveis. Ao término do curso, o aluno estará apto a desenvolver todo o projeto de um determinado empreendimento, desde o dimensionamento, instalação à manutenção.

Para o gerente comercial da Sou Energy, Lucas de Melo, promover a capacitação é importante, uma vez que o Ceará é um dos maiores fornecedores de energia solar do Brasil. ”É bacana apostar em cursos como esse, afinal o nosso Estado é pouco explorado nesse sentido mesmo sendo tão rico. Promovendo a capacitação, mais pessoas poderão investir no segmento, movimentando assim, a nossa economia ao mesmo tempo que levanta a bandeira da sustentabilidade. É preciso disseminar o conteúdo, pois o Ceará é líder no Nordeste quando o assunto é geração distribuída”, finaliza.

De acordo com o diretor do IFT, Augusto Ferreira, o workshop é bem completo. “ Ao final do curso, o aluno estará apto a desenvolver todo o projeto de um determinado empreendimento, desde o dimensionamento, instalação à manutenção”, afirma.

Conteúdo

Os módulos são: Introdução Teórica; Sistema Solar Fotovoltaico; Equipamento Solar Fotovoltaico; Projeto do Sistema Solar Fotovoltaico; Construção do Sistema de Energia Solar Fotovoltaico e Instalação do Sistema de Energia Solar Fotovoltaico.

Sou Energy

Cearense, a empresa abrange todo o universo de geração de energia fotovoltaica, desde a venda, instalação e distribuição dos produtos em território nacional. A Sou Energy disponibiliza em sua sede, a Solar Academy, uma escola de atualização instrumental sobre energia solar para profissionais do setor.

IFT

Desde 2015, o Instituto de Formação Tecnológica (IFT) é uma entidade especializada em educação para o mercado de trabalho oferecendo cursos em diversas áreas como: mecânica, educação de jovens e adultos (EJA), elétrica, administração, energias renováveis entre outras.

SERVIÇO

Instalação de Sistemas Solar Fotovoltaicos

Data: (aos sábados) 10; 17 e 24 de março

Horário: 8h às 17h

Local: Rua Senador Pompeu, 1943 – Centro

Inscrição: (85) 3034.7129 / 9 8670.7530 ou 9 9996.0303.

Valor: R$ 860,00 podendo ser parcelado em até 3x no cartão

* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Energia Solar desponta como nova opção para economizar e aumenta demanda pelo serviço no Estado

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

10 de agosto de 2017

A energia solar começou a ser impulsionada no Ceará em 2016, quando o Banco do Nordeste criou a linha de crédito FNE SOL, voltada especificamente para a energia fotovoltaica. Com isso, houve um incremento na demanda por energia solar no estado. O financiamento do banco possui taxas de juros subsidiadas e até um ano de carência para início do pagamento das parcelas. Alguns bancos privados também passaram a oferecer linhas de crédito para pessoa física.

De lá pra cá, o número de empresas que atuam com instalações desse tipo de energia, cuja matéria prima é a luz, tem aumentado, na contramão da crise econômica. Uma delas, a ENER, vem se mostrando pioneira em tudo que faz. Tanto que os primeirosregistros da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) de uma instalação no Ceará e em Fortaleza foram feitos por ela.

Estabelecida há seis anos em Fortaleza, já apresenta portfólio com vários clientes em nossa Capital, como Eletra Energy Solutions, Fametro, Construtop, residências no Alphaville Aquiraz, além de diversas usinas solares em comércios, nos municípios do Ipu, Guaraciaba do Norte, Crato, Quixadá, Aracati, Caucaia, dentre outros no interior do estado, onde a ENER possui grande alcance – tendo instalações em todas as regiões do Ceará.

“Para nós, o cliente é um parceiro com quem teremos um relacionamento duradouro, tendo em vista a durabilidade dos painéis solares, cuja a garantia de fábrica é de 25 anos”, diz George Bastos, um dos diretores da empresa. Segundo ele “é difícil separar o produto de quem o vende e quem adquire um gerador solar é “uma pessoa consciente da nova realidade sustentável do planeta”.

E quais seriam as vantagens em contratar este tipo de energia? Entre elas, está a vantagem para o consumidor em não pagar as taxas excessivas de energia.  Conforme ele, “em um curto período, o investidor terá todo o investimento da instalação de seus painéis de volta”.

José Emídio, outro diretor da empresa, lembra que o proprietário dessa fonte de energia limpa, além de consumidor, passa a ser um produtor, e deverá contabilizar créditos para quem produz – espécie de mercado de créditos de KW com a Enel – que poderão ser armazenados para serem trocados por até 60 meses. Ou seja, cada KW produzido nos painéis solares é trocado pelo KW consumido, podendo chegar até a zerar o consumo do local.

Ao contrário de outras fontes, a energia solar não polui durante seu uso. A poluição decorrente da fabricação dos equipamentos necessários para a construção dos painéis solares é totalmente controlável utilizando as formas de controlo existentes atualmente. “Desta forma, as empresas passam a contar com um excelente marketing positivo com o grande público”, pontua.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Prátil realiza ação exclusiva com tira-dúvidas sobre energia solar e condições especiais de pagamento para moradores do Alphaville Eusébio

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

30 de junho de 2016

Pratil

A Prátil, empresa do Grupo Enel, prepara para o próximo dia 02 de julho (sábado) uma ação exclusiva, que acontecerá no Alphaville Eusébio. A atividade funciona como uma espécie de feirão, voltado para os moradores do condomínio. Na ocasião, especialistas da empresa vão tirar dúvidas sobre os benefícios da energia solar e automação, com funciona o sistema fotovoltaico e realizando cálculos de economia. Os moradores que optarem pela energia solar desfrutarão de condições diferenciadas de financiamento.

Essa é a segunda vez que a Pratil realiza a ação no estado. A primeira ocorreu no Condomínio Quintas do Lago, em Eusébio, com bom retorno. A empresa está aberta a realizar a ação em outros locais. Para agendamento, basta ligar para 0800 024 3236.

Em franca ascensão, o modelo de energia solar deve crescer 300% apenas em 2016 segundo estimativa do Ministério de Minas e Energia. Além de contribuir com o meio ambiente, o retorno do investimento em um sistema de geração fotovoltaica (solar) gira em torno de 5 a 6 anos, a depender do porte e condições de instalação, enquanto a vida útil gira em torno de 20 anos.

Sobre a Prátil

A Prátil, uma empresa da Enel, é especializada na oferta de soluções  em eficiência energética e energia solar no Brasil. Atua nas áreas de eficiência energética, infraestrutura elétrica e geração distribuída. Projetos de geração distribuída com energia solar são algumas das principais iniciativas desenvolvidas pela Prátil. Desde 2013, a empresa atua neste mercado, tendo instalado sistemas de geração distribuída em nove estados brasileiros.

Publicidade

Prátil lança kit de energia solar com prestação a partir de R$ 480 em três bairros de Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

10 de novembro de 2015

Campanha Kit Solar_Prátil

A partir desta semana, a população dos bairros Aldeota, Meireles e Dunas, em Fortaleza, poderá adquirir sistemas de geração de energia solar feitos sob medida e com prestações mensais fixas a partir de R$ 480. A Prátil, empresa da Enel especializada em soluções em eficiência energética e energia solar, lançará na região o chamado kit Solar, que contempla o projeto elétrico, as placas solares e instalação e conexão com a distribuidora, com preços mais acessíveis para consumidores residenciais e empresariais.

Desde 2010 no mercado – e trabalhando com energia solar desde 2013 – a Prátil atua nas áreas de energia solar, eficiência energética e infraestrutura elétrica. Com mais de 70 projetos comercializados, a empresa está presente em seis estados brasileiros: Rio de Janeiro, Ceará, Piauí, Santa Catarina, Bahia e São Paulo, onde as condições especiais de aquisição para os kits solares estarão vigentes.

O responsável pela empresa, Marcus Rissel, destaca que a Prátil oferece uma gama completa de serviços, que vai desde a avaliação técnica até o orçamento, incluindo a venda dos equipamentos (painéis solares, inversor, estrutura e cabeamentos), instalação e integração com a distribuidora de energia elétrica. Entre as vantagens do uso da energia solar, Rissel destaca que sua utilização implica numa economia significativa na conta de luz – que chega até 85% – durante toda a vida útil dos painéis solares, que dura, em média, 25 anos. “Além disso, a manutenção do equipamento é mínima, a energia solar não polui e trata-se de uma solução eficiente para o sistema elétrico brasileiro atual”, completa.

Campanha – Para lançar o Kit Solar na região, a Prátil desenvolveu uma campanha que poderá ser vista em outdoor e em TVs dentro dos elevadores em prédios comerciais. Com o mote “Ligue o Sol na sua vida e produza energia limpa com o Kit Solar da Prátil”, as peças reforçam o conceito sustentável da empresa e a ideia de que investir em energia solar é prático, econômico, eficiente, e não polui o meio ambiente. Merece destaque também o hot site, www.ligueosol.com.br, desenvolvido especialmente para este lançamento.

 

Benefícios do uso da energia fotovoltaica:

– As placas solares têm uma vida útil estimada em 25 anos. Utilizar a geração de energia solar pode significar economizar na conta de luz durante todo o período de funcionamento das placas, equipamento essencial do sistema.

– Manutenção mínima: O sistema solar não possui equipamentos motores. Por isso, a manutenção se restringe apenas à realização de limpezas anuais, quando houver acúmulo excessivo de poeira ou resíduos. A própria água da chuva já se encarrega de uma limpeza recorrente.

– A energia solar não é poluente.

– É um sistema inteligente. Caso a planta solar produza uma energia superior ao seu consumo mensal, a distribuidora armazena o excedente e credita nas contas seguintes. Isso elimina a utilização de baterias. O crédito pode ser usado por 36 meses, e inclusive ser repassado para outras contas de energia, desde que estejam sob o mesmo registro de proprietário e na mesma área de concessão da distribuidora.

– É uma solução eficiente para o sistema elétrico brasileiro, a partir do momento que aproxima o local de geração ao local de consumo.

 

Sobre a Prátil

A Prátil, uma empresa da Enel, é especializada na oferta de soluções  em eficiência energética e energia solar no Brasil. Atua nas áreas de eficiência energética, infraestrutura elétrica e geração distribuída.  Projetos de geração distribuída com energia solar são algumas das principais iniciativas desenvolvidas pela Prátil. Desde 2013, a empresa atua neste mercado, tendo instalado sistemas de geração distribuída em seis estados brasileiros.

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Prátil lança kit de energia solar com prestação a partir de R$ 480 em três bairros de Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

10 de novembro de 2015

Campanha Kit Solar_Prátil

A partir desta semana, a população dos bairros Aldeota, Meireles e Dunas, em Fortaleza, poderá adquirir sistemas de geração de energia solar feitos sob medida e com prestações mensais fixas a partir de R$ 480. A Prátil, empresa da Enel especializada em soluções em eficiência energética e energia solar, lançará na região o chamado kit Solar, que contempla o projeto elétrico, as placas solares e instalação e conexão com a distribuidora, com preços mais acessíveis para consumidores residenciais e empresariais.

Desde 2010 no mercado – e trabalhando com energia solar desde 2013 – a Prátil atua nas áreas de energia solar, eficiência energética e infraestrutura elétrica. Com mais de 70 projetos comercializados, a empresa está presente em seis estados brasileiros: Rio de Janeiro, Ceará, Piauí, Santa Catarina, Bahia e São Paulo, onde as condições especiais de aquisição para os kits solares estarão vigentes.

O responsável pela empresa, Marcus Rissel, destaca que a Prátil oferece uma gama completa de serviços, que vai desde a avaliação técnica até o orçamento, incluindo a venda dos equipamentos (painéis solares, inversor, estrutura e cabeamentos), instalação e integração com a distribuidora de energia elétrica. Entre as vantagens do uso da energia solar, Rissel destaca que sua utilização implica numa economia significativa na conta de luz – que chega até 85% – durante toda a vida útil dos painéis solares, que dura, em média, 25 anos. “Além disso, a manutenção do equipamento é mínima, a energia solar não polui e trata-se de uma solução eficiente para o sistema elétrico brasileiro atual”, completa.

Campanha – Para lançar o Kit Solar na região, a Prátil desenvolveu uma campanha que poderá ser vista em outdoor e em TVs dentro dos elevadores em prédios comerciais. Com o mote “Ligue o Sol na sua vida e produza energia limpa com o Kit Solar da Prátil”, as peças reforçam o conceito sustentável da empresa e a ideia de que investir em energia solar é prático, econômico, eficiente, e não polui o meio ambiente. Merece destaque também o hot site, www.ligueosol.com.br, desenvolvido especialmente para este lançamento.

 

Benefícios do uso da energia fotovoltaica:

– As placas solares têm uma vida útil estimada em 25 anos. Utilizar a geração de energia solar pode significar economizar na conta de luz durante todo o período de funcionamento das placas, equipamento essencial do sistema.

– Manutenção mínima: O sistema solar não possui equipamentos motores. Por isso, a manutenção se restringe apenas à realização de limpezas anuais, quando houver acúmulo excessivo de poeira ou resíduos. A própria água da chuva já se encarrega de uma limpeza recorrente.

– A energia solar não é poluente.

– É um sistema inteligente. Caso a planta solar produza uma energia superior ao seu consumo mensal, a distribuidora armazena o excedente e credita nas contas seguintes. Isso elimina a utilização de baterias. O crédito pode ser usado por 36 meses, e inclusive ser repassado para outras contas de energia, desde que estejam sob o mesmo registro de proprietário e na mesma área de concessão da distribuidora.

– É uma solução eficiente para o sistema elétrico brasileiro, a partir do momento que aproxima o local de geração ao local de consumo.

 

Sobre a Prátil

A Prátil, uma empresa da Enel, é especializada na oferta de soluções  em eficiência energética e energia solar no Brasil. Atua nas áreas de eficiência energética, infraestrutura elétrica e geração distribuída.  Projetos de geração distribuída com energia solar são algumas das principais iniciativas desenvolvidas pela Prátil. Desde 2013, a empresa atua neste mercado, tendo instalado sistemas de geração distribuída em seis estados brasileiros.

  • postado por Oswaldo Scaliotti