Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Danilo Serpa

Presidente do Porto do Pecém recebe novo CEO da CSP

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

09 de Fevereiro de 2018

 
Na manhã desta quarta-feira (8), o Presidente do Porto do Pecém, Danilo Serpa, recebeu o novo CEO da Companhia Siderúrgica do Pecém – CSP, Claudio Bastos. Serpa apresentou o porto ao novo comandante do maior Investimento privado no Estado e grande parceiro do Pecém, abordando os números alcançados e a parceria com o porto de Roterdã.
O grupo realizou uma visita guiada ao terminal portuário do Pecém, acompanhou as operações das placas de aço produzidas pela siderúrgica e conheceu toda a infraestrutura do terminal, resultado dos investimentos do Governo do Ceará nos últimos anos.
Desde o início do funcionamento do siderúrgica, já foram exportadas através do Pecém mais de 3 milhões de toneladas de placas de aço. Segundo o presidente do CIPP, Danilo Serpa, a CSP é um orgulho para todos os cearenses e uma importante peça na atual conjuntura econômica do Ceará.
“Desejamos muito sucesso nessa nova fase a frente da Siderúrgica e estamos a disposição para tudo que estiver ao nosso alcance, mantendo a parceria que construímos ao longo dos anos e resultou no sucesso de hoje”, finaliza Serpa.
Também participaram da visita Roberto Loureiro, diretor de gestão empresarial do Porto, Fábio Abreu, assessor da presidência, José Alcântara, coordenador de operações, Ricardo Parente, gerente geral de Relações Institucionais, Comunicação e Mídia da CSP, e Wilson Mariante, gerente geral de logística.
NOVO CEO
Cláudio é formado em economia peIa Universidade de Brasília (UNB), com mestrado em Economia Industrial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e diversos treinamentos executivos de gestão, estratégia e liderança.
Possui vasta experiência executiva. Atuou na Cepal – Comissão Econômica para a América Latina e Caribe, nos Ministérios da Indústria e Comércio e da Fazenda e em empresas de diversos setores: transportes, comunicação e mineração.
Nos últimos quinze anos, Cláudio Bastos atuou na Vale em diferentes países. Foi diretor financeiro na Vale Indonésia – produtora de níquel, e na Vale em Singapura para a Ásia e Pacífico; e por seis anos e meio presidente da Compañia Minera Misky Mayo, no Peru. Obteve resultados significativos nos aspectos financeiros e operacionais nas organizações que liderou.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Porto do Pecém aumenta capacidade de operação com nova batimetria

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

27 de novembro de 2017


Em alguns pontos a atualização das medições elevaram a capacidade de operação em até 150 mil toneladas. Resultado é reconhecido pela Marinha do Brasil

Foi realizada nesta segunda-feira, 27, na sede da Capitania dos Portos, a cerimônia de assinatura da portaria de definição dos calados operacionais do Porto do Pecém. Participaram do evento o Capitão de Mar e Guerra Leonardo Salema e o presidente do Complexo Industrial e Portuário do Pecém – CIPP, Danilo Serpa.

A nova definição dos calados foi realizada após um processo de atualização da batimetria (medição da profundidade do calado) com o objetivo de estabelecer novos índices operacionais para todos os oito berços do Porto do Pecém. O processo foi homologado pela Autoridade Marítima à pedido da autoridade Portuária.

“As tecnologias atuais permitem realizar uma medição mais precisa das profundidades. Com a batimetria homologada conseguimos utilizar todos os berços em sua capacidade máxima em termos de tamanho e peso dos navios. A portaria agiliza ainda a operação, pois já estabelece quais navios podemos atender e em quais condições”, afirma o presidente.

Para chegar ao valor operacional de cada berço o levantamento considera também aspectos como a geografia, a interferência dos ventos e a variação das marés. O estudo foi realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisa Hidrográficas (INPH) e pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM). Com a homologação das profundidades o Porto do Pecém ganha em capacidade operacional.

De acordo com a Capitania dos Portos houve um ganho muito grande, já que cada 10cm a mais de calado representa o aumento médio de capacidade em cerca de 5 mil toneladas de carga por navio. Há locais em que o Pecém obteve uma atualização de até 3 metros, que equivale a poder receber navios com capacidade de carregar até 150 mil toneladas a mais do que já é operado.

“Com isso o Porto do Pecém pode receber navios maiores, tanto de capacidade, como de tamanho. Tudo com profundidade natural, sem nenhum tipo de dragagem. As características da região são muito favoráveis. E nós da Capitania dos Portos temos um grande prazer em concluir esse trabalho que traz ganhos significativos para o estado do Ceará, fomenta a economia e toda a cadeia num ciclo de crescimento”, declara Leonardo Salema, Capitão de Mar e Guerra.

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Porto do Pecém aumenta capacidade de operação com nova batimetria

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

27 de novembro de 2017


Em alguns pontos a atualização das medições elevaram a capacidade de operação em até 150 mil toneladas. Resultado é reconhecido pela Marinha do Brasil

Foi realizada nesta segunda-feira, 27, na sede da Capitania dos Portos, a cerimônia de assinatura da portaria de definição dos calados operacionais do Porto do Pecém. Participaram do evento o Capitão de Mar e Guerra Leonardo Salema e o presidente do Complexo Industrial e Portuário do Pecém – CIPP, Danilo Serpa.

A nova definição dos calados foi realizada após um processo de atualização da batimetria (medição da profundidade do calado) com o objetivo de estabelecer novos índices operacionais para todos os oito berços do Porto do Pecém. O processo foi homologado pela Autoridade Marítima à pedido da autoridade Portuária.

“As tecnologias atuais permitem realizar uma medição mais precisa das profundidades. Com a batimetria homologada conseguimos utilizar todos os berços em sua capacidade máxima em termos de tamanho e peso dos navios. A portaria agiliza ainda a operação, pois já estabelece quais navios podemos atender e em quais condições”, afirma o presidente.

Para chegar ao valor operacional de cada berço o levantamento considera também aspectos como a geografia, a interferência dos ventos e a variação das marés. O estudo foi realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisa Hidrográficas (INPH) e pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM). Com a homologação das profundidades o Porto do Pecém ganha em capacidade operacional.

De acordo com a Capitania dos Portos houve um ganho muito grande, já que cada 10cm a mais de calado representa o aumento médio de capacidade em cerca de 5 mil toneladas de carga por navio. Há locais em que o Pecém obteve uma atualização de até 3 metros, que equivale a poder receber navios com capacidade de carregar até 150 mil toneladas a mais do que já é operado.

“Com isso o Porto do Pecém pode receber navios maiores, tanto de capacidade, como de tamanho. Tudo com profundidade natural, sem nenhum tipo de dragagem. As características da região são muito favoráveis. E nós da Capitania dos Portos temos um grande prazer em concluir esse trabalho que traz ganhos significativos para o estado do Ceará, fomenta a economia e toda a cadeia num ciclo de crescimento”, declara Leonardo Salema, Capitão de Mar e Guerra.

  • postado por Oswaldo Scaliotti