Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

CAIXA Cultural Fortaleza

Programação desse final de semana na FliCaixa será voltada para o público infantil

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

06 de outubro de 2018

A programação da Festa Literária da Caixa (Flicaixa) voltada ao público e à literatura infantil será recheada de nomes da literatura local, nacional, além de um show musical exclusivo. No sábado (6), a Flicaixinha terá como atrações a contadora de histórias Joyce Custódio, bate-papo com o autor nacional Odilon Moraes e finaliza com a apresentação do espetáculo musical “Doidice que dá”, com as cantoras Paula Tesser e Natasha Faria.

 

No domingo (7), encerrando a maratona literária na Caixa Cultural Fortaleza, o evento traz um bate-papo com o escritor da literatura infantil Kelsen Bravos; e a companhia cenomusical Dona Zefinha, que traz a mistura de música e comicidade em seu espetáculo “Charfurdo”.

 

Incentivo à cultura:

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

 

A CAIXA Cultural Fortaleza oferece, desde 2012, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania.

O espaço, situado em um prédio histórico na Praia de Iracema, conta com um cine-teatro com 181 lugares, três amplas galerias de arte, sala de ensaios, salas para oficinas de arte-educação, foyer, café cultural e livraria, além de um agradável jardim e espaços para convivência e realização de eventos.

 

Programação infantil (sábado, 6 de outubro de 2018)

 

Contação de história do livro a Lagoa encantada, de Fabiana Guimarães com Joyce Custódio

Horário: 15h

 

Bate-papo com o autor Odilon Moraes

Horário: 16h

 

Show musical Doidice que dá  

Horário: 17h

Com quem: Paula Tesser e Natasha Faria

 

Programação infantil (domingo, 7 de outubro de 2018)

 

Bate-papo com autor Kelsen Bravos

Horário: 15h

 

Espetáculo Chafurdo

Horário: 16h

Com quem: Grupo Dona Zefinha

 

Serviço:

Vivências: Flicaixa – Festa Literária da Caixa
Local: 
CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço
Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 4, 5, 6 e 7 de outubro
Horários: 
quinta, das 15h30 às 20h45; sexta, das 15h30 às 20h45 | sábado, das 15h às 17h50; e domingo, das 15h às 17h
Classificação indicativa: 
Livre
Entrada gratuita 
(mediante lotação do teatro/ capacidade:180)

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

 

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770

Publicidade

   Espetáculo inspirado na obra de Jorge Amado chega a Caixa Cultural Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

01 de outubro de 2018

 

“Amado” utiliza teatro, dança, música e circo para contextualizar personagens e conflitos causados por diferentes tipos de amor.

 

Amado. Crédito: Silvia Machado

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 26 a 28 de outubro de 2018, “Amado”, romance-imaginário que procura levar ao palco a forma de escrita de Jorge Amado, que soube magnificamente traduzir a alma coletiva do povo brasileiro. O espetáculo nasceu no Instituto Brincante, criado e dirigido há mais de 25 anos por Antônio Nóbrega, consultor artístico da peça, e Rosane Almeida, que assina roteiro, montagem e direção. Após a sessão do dia 27 haverá bate-papo do grupo com o público.

“Amado” é um livro vivo para o palco. Várias histórias se entrelaçam numa dramaturgia que contempla uma visão de amor que passa pelos diversos personagens encontrados na obra do autor e ganham vida na voz e no corpo de nove brincantes. Pode também ser visto como uma obra brasileira que usa dança, música, circo e teatro para contar histórias para público de todas as idades, gêneros e classes sociais.

A peça trama diversos personagens que se fundem em uma história. A principal obra inspirada foi Os Velhos Marinheiros ou O Capitão de Longo Curso, passando por personagens de Gabriela Cravo e Canela; Tenda dos Milagres; Tocaia Grande; Terras do Sem Fim; A morte e a morte de Quincas Berro D’água; Jubiabá e Dona Flor e seus Dois Maridos.

O cenário busca, através de peças criadas com material de demolição (basicamente pallets), servir como complemento às narrativas da peça. Tanto o cenário quanto a luz são assinados pela premiada Marisa Bentivegna. Os figurinos tiveram inspiração nas obras de Caribé, que através de pinturas, gravuras, ilustrações, murais e esculturas desvendam o povo baiano de uma maneira única, em afinidade com os personagens, a religiosidade e as cores eternizados pelo amigo Jorge. A trilha sonora, composta em parte pelo elenco e em parte por ele arranjada, é uma síntese dos ritmos brasileiros, explorando o que de melhor se criou na música instrumental. As letras transmitem poeticamente as passagens mais significativas da obra de Jorge Amado e as canções são interpretadas ao vivo em quase toda a duração da peça.

O espetáculo nasceu para homenagear não só o escritor Jorge Amado, mas, também um pensamento do qual compartilham tantos outros brasileiros ilustres, como Dorival Caymmi, Caribé, Darcy Ribeiro, Guimarães Rosa, Anísio Teixeira e muitos outros.

Serviço:

Teatro: Amado

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 26 a 28 de outubro de 2018

Horários: sexta-feira e sábado às 20h | domingo, às 19h

Após a sessão do dia 27 haverá bate-papo com o grupo.

Duração: 75 minutos

Classificação indicativa: livre

Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia)

Vendas a partir de 25/10das 10h às 20h, na bilheteria do local

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Serviço de manobrista gratuito no local

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

 

Atendimento à imprensa:

Acesse o site www.caixacultural.gov.br

Siga a fanpage: facebook.com/CaixaCulturalFortaleza

Baixe o aplicativo “Caixa Cultural”

Publicidade

CAIXA CULTURAL FORTALEZA APRESENTA “OS SONHOS NÃO ENVELHECEM – TRIBUTO A MILTON NASCIMENTO”

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

10 de setembro de 2018

No repertório, clássicos como “Maria Maria” e “Travessia”, interpretados por Clarice Assad, cantora, pianista, compositora e arranjadora

Foto: Andrea Santiago

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 20 a 23 de setembro de 2018, o show “Os Sonhos não Envelhecem – Tributo a Milton Nascimento”. Com interpretação da cantora Clarice Assad, ela divide o palco com Bruno Repsold no contrabaixo, Felipe Cotta na bateria e Micael Chaves no violão. No repertório, clássicos como “Maria Maria” e “Travessia” além de canções menos conhecidas, como “Morro Velho”. Eles passeam pela obra do ‘Bituca’ abrangendo grande parte de sua sensibilidade e maestria como compositor.

Além das apresentações de “Os Sonhos não envelhecem”, serão realizadas duas ações: após cada show, haverá um bate-papo dos músicos com a plateia sobre o projeto homenageando Milton Nascimento, além de uma Master Class com Clarice Assad para o projeto “Acordes Mágicos / Plataforma Sinfonia do Amanhã” e mais 20 vagas ao público em geral, que vai acontecer no dia 21/09, das 14h às 16h. Os interessados podem se inscrever pelo e-mail oficinaturbinacriativa@gmail.com. Classificação: 16 anos.

O primeiro show foi realizado em 2016 no Rio de Janeiro, na Sala Cecília Meireles, com a criação de Clarice em parceria com o violonista André Muato. A performance resultou em um grande sucesso de público e crítica. Em julho do mesmo ano, o show foi convidado a participar do Savassi Festival, com apresentações no Oi Futuro Ipanema, no Rio de Janeiro e no Palco Pitágoras, em Belo Horizonte. Curiosamente, o palco foi montado na esquina da Rua Travessia, nome dado em homenagem à música de Milton Nascimento.

Os arranjos foram feitos cuidadosamente por Clarice em parceria com André Muato, expressando a admiração por toda a obra e a influência em suas carreiras. Para Clarice Assad, pensar em Milton é voltar ao tempo, como ela mesma diz: “Minha paixão pela música de Milton Nascimento surgiu quando era ainda criança. O que me chamava mais atenção nessa época, era a intensidade e variedade das canções”.

Clarice faz questão de manter sua musicalidade e sensibilidade para compositores e riquezas musicais do seu país. É cantora, pianista, compositora e arranjadora. Na sua formação musical sempre adiciona e mescla jazz, MPB e sua marca registrada, o scat singing – técnica de canto criada por Louis Armstrong que consiste em cantar vocalizando tanto sem palavras, quanto com palavras sem sentido e sílabas, os quais criam o equivalente de um solo instrumental apenas usando a voz. Em seu repertório, sempre encontramos música brasileira com novos arranjos, prezando pela melodia da canção e a essência da música e do compositor.

Clarice Assad

Radicada nos Estados Unidos há 20 anos. Nascida no Rio de Janeiro, em uma família musical, filha de Sergio, do Duo Assad e sobrinha de Odair e Badi Assad, Clarice cresceu cercada de música – desde os 7 anos já desenvolvia seus dons profissionalmente. Hoje, Assad é compositora, arranjadora, bandleader, cantora e pianista. Sua eclética música – sinfônica, teatral ou de câmara – percorre as salas de concertos do mundo. Foi indicada ao Grammy e já recebeu vários prêmios, incluindo o prestigiado McKnight Fellowship e Prêmio Aaron Copland de Composição. Além de encomendas da OSESP, Carnegie Hall e Lincoln Center.

Serviço: 

Música: “Os Sonhos não Envelhecem – Tributo a Milton Nascimento”

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 20 a 23 de setembro de 2018

Horário: de quinta-feira a sábado às 20h | domingo às 19h

Classificação indicativa: livre

Ingressos: R$ 15,00 (Meia-entrada), R$30,00 (Inteira)

Vendas a partir do dia 19/9, das 10h às 20h, na bilheteria do local

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Serviço de manobrista gratuito no local

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

Publicidade

FEIRA DO CORDEL BRASILEIRO CHEGA À TERCEIRA EDIÇÃO NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA DE 16 A 19 DE AGOSTO

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

12 de agosto de 2018

 

 Sob a curadoria do cordelista e editor Klévisson Viana, o evento reúne a nata da Literatura do Cordel e expoentes da autêntica Cultura Popular Brasileira

Feira do Cordel Brasileiro (foto de Leonardo Costa).

 

De 16 a 19 de agosto de 2018 a CAIXA Cultural Fortaleza apresenta a III Feira do Cordel Brasileiro, na qual cordelistas, pesquisadores, xilogravadores, músicos, repentistas violeiros, emboladores, declamadores, escritores e folheteiros de várias partes do País terão um encontro marcado com todos os públicos interessados pela autêntica cultura brasileira. Com programação 100% gratuita, a feira reúne vários dos principais agentes criativos do gênero.

Serão quatro dias dedicados ao gênero literário do cordel e às artes que com ele têm afinidades. Este ano o evento homenageia dois grandes vultos da cultura nordestina: Luiz Gonzaga – Rei do Baião e o pioneiro do cordel e inspirador de “O Auto da Compadecida”, Leandro Gomes de Barros. Idealizado pelo cordelista, escritor, ilustrador e editor cearense Klévisson Viana, com realização pela AESTROFE – Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará, aFeira do Cordel Brasileiro tem a cada edição encantado um número maior de pessoas.

III Feira do Cordel Brasileiro traz o mais expressivo dessas linguagens e oferta vasta programação de qualidade e livre a todos os públicos. Vale conferir, trazer familiares, parceiros e amigos para se deixarem encantar pelas artes populares e fazer um passeio imaginário nas asas do pavão misterioso – do clássico em cordel de José Camelo de Melo Rezende ou no tapete mágico em formato de cordel do nosso cartaz, que retrata, numa mistura do Nordeste com as Mil e Uma Noites, um Aladim sertanejo na xilogravura elaborada pelo artista Eduardo Macedo, uma das revelações do cordel e da gravura popular nos últimos anos.

AMPLA PROGRAMAÇÃO EM QUATRO DIAS

Entre as atrações, o músico-cordelista Beto Brito (parceiro de Zé Ramalho e de Robertinho do Recife); o cantor, compositor, arranjador, letrista e violonista do antigo Grupo Bendegó, Gereba Barreto, e o cordelista e forrozeiro Marcus Lucena, o ‘Cantador dos 4 Cantos’ que acompanhado pelo músico Tarcísio Sardinha apresenta o seu mais recente trabalho. Mais uma vez, a presença do icônico cordelista, repentista e sambador Mestre Bule-Bule, que vem lançar o seu novo livro “Orixás em cordel”, em parceria com Klévisson Viana.

Ainda nos destaques das muitas atrações, os excelentes repentistas Zé Viola, o Mestre da Cultura Geraldo Amâncio Pereira e o jovem talento Guilherme Nobre, além do grupo folclórico Coco do Iguape; os cordelistas Chico Pedrosa, Tiago Monteiro, Paola Torres, Pedro Paulo Paulino, Jota Batista, Olegário Alfredo, Julie Ane Oliveira, Evaristo Geraldo, Lucarocas, Valdecy Alves, Paulo de Tarso, Maércio Siqueira, Raul Poeta, Moisés Marinho, Francisco Melchiádes, Romário Braga, Marcos Abreu, Paiva Neves, Stélio Torquato, Leila Freitas, Rivani Nasário, Rafael Brito e Eduardo Macedo, cordelista e xilogravurista criador da imagem que ilustra essa edição da Feira do Cordel Brasileiro. Dentre os pesquisadores, a Feira recebe os brasileiros Rosilene Melo, Rosemberg Cariry, Ione Severo, Oswald Barroso, Maria Alice Amorim, Alberto Perdigão, Arievaldo Vianna, Carlos Dantas, Marco Haurélio, Bráulio Tavares e o português António de Abreu Freire.

Uma grande novidade será a palestra “Imagens da Ficção Científica no Cordel” com Bráulio Tavares. Conhecido pesquisador dessas duas formas literárias, Bráulio usará folhetos clássicos e contemporâneos para mostrar como cordelistas brasileiros versam sobre o tema, exibindo folhetos que abordam a viagem interplanetária, robôs-transformers, alienígenas, seres mutantes, entre outros elementos que explicitam a identificação entre as duas “literaturas da imaginação”.

Além dos shows, recitais e palestras, a Feira promove lançamentos literários, como também a exposição de obras raras e a venda de folhetos de cordel, livros, camisetas e CDs referenciais.

Oficina:

Também estarão abertas aos interessados a participação nas oficinas de xilogravura e de cordel, cujas inscrições vão de 07 a 15 de agosto de 2018, por meio dos emails encenaproducoes@gmail.com e aestrofe@gmail.com ou pelo telefone (85) 3023-3064. Cada oficina terá limite de 20 vagas.

* Mais informações também na página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/IIIFeiradoCordelBrasileiro

MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA

O Ceará se perpetua como o maior pólo produtor de Literatura de Cordel desde os longínquos tempos da Tipografia São Francisco, em Juazeiro do Norte, posteriormente rebatizada de Lira Nordestina. A partir da década de 1990, essa produção se acentuou na capital do Estado, sobretudo após surgirem associações de poetas, trovadores e folheteiros, tais como o Centro Cultural dos Cordelistas do Nordeste (CECORDEL), a Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará (AESTROFE), entre outras, além da consolidada casa editorial Tupynanquim Editora e da Cordelaria Flor da Serra.

Com linguagem simples e informal, a literatura de cordel é, hoje, revista como importante manifestação literária, pois é compreendida como uma das nossas primeiras manifestações poéticas em língua portuguesa, tendo origem na produção oral trovadoresca. Neste sentido, a literatura de cordel é cada vez mais aceita e estudada pelas academias, e já possui a Academia Brasileira de Cordel, fundada em 07 de setembro de 1988 com sede no Rio de Janeiro.

III Feira do Cordel Brasileiro, de 16 a 19 de agosto de 2018 na CAIXA Cultural Fortaleza, é uma iniciativa da AESTROFE (Associação de Escritores, Trovadores e Folheteiros do Estado do Ceará) com patrocínio da CAIXA Econômica Federal e do Governo Federal, junto ao apoio cultural da Tupynanquim Editora, Cariri Filmes, Editora Imeph, Programa A Hora do Rei do Baião e da Premius Editora..

Programação:

DIA 16 de Agosto (Sexta-feira)

Teatro

14h – Solenidade de abertura com mestres do cordel e da cantoria | Apresentação “A Saga de um vaqueiro” – Escola José Antão de Alencar Neto (Pio IX/PI)

15h – Aula-espetáculo “Imagens da Ficção Científica no Cordel” com o escritor, compositor e estudioso Braulio Tavares (Rio de Janeiro/RJ)

Café Luiz Gonzaga

16h40 – Lançamento do livro no “Tempo que os bichos estudavam” de Paulo de Tarso, o poeta de Tauá (Fortaleza/CE)

Palco Leandro Gomes de Barros

17h – Recital com Raul Poeta (Juazeiro do Norte/CE), Rafael Brito (Fortaleza/CE), Pedro Paulo Paulino (Canindé/CE) e Jota Batista (Canindé/CE)

18h – Show interativo de voz e violão “Cante lá que eu toco cá” com o Mestre Gereba Barreto (Salvador/BA)

19h – Cantoria com o Mestre Geraldo Amâncio Pereira (Fortaleza/CE) e Guilherme Nobre (Fortaleza/CE).

19h50 – Recital com o mestre Chico Pedrosa (Olinda/PE)

20h20 – Show com o rabequeiro e cordelista Beto Brito e Banda (João Pessoa /PB)

DIA 17 de Agosto (Sexta-feira)

Sala de Ensaio

14h – Oficina de xilogravura com João Pedro de Juazeiro (Fortaleza/CE) e Francorli (Juazeiro do Norte/CE)

Teatro

15h – Mesa “Literatura Popular, na escola, tem lugar” com o pesquisador Arievaldo Viana (Caucaia/CE) e os professores Stélio Torquato (Fortaleza/CE), Paiva Neves (Fortaleza/CE) e Ione Severo (Pombal/PB) – Mediação: Professor Carlos Dantas(Fortaleza/CE)

Café Luiz Gonzaga

16h20 – Lançamento dos livros “Rapunzel em Cordel” e “A onça com o bode” de Sergio Magalhães e Kátia Castelo Branco (CE)

Palco Leandro Gomes de Barros

17h – Recital com os poetas Evaristo Geraldo da Silva (Alto Santo/CE), Julie Oliveira (Fortaleza/CE), Lucarocas (Fortaleza/CE), Antônio Marcos Bandeira (Fortaleza/CE) e Ivonete Morais (Fortaleza/CE)

Café Luiz Gonzaga/ Palco Leandro Gomes de Barros

18h – Lançamento do livro em cordel “Andei por Aí – Narrativas de uma Médica em Busca da Medicina (2ª edição – revista e ampliada)”, de Paola Tôrres (Fortaleza/CE)

18h20 – Apresentação musical de Paola Tôrres (Fortaleza/CE)

19h – Recital com o mestre Chico Pedrosa (Olinda/PE) e Rafael Brito (Fortaleza/CE),

Café Luiz Gonzaga/ Palco Leandro Gomes de Barros

19h30 – Lançamento do livro “Orixás em Cordel”, do Mestre Bule-Bule (Camaçari/BA) e de Klévisson Viana (Fortaleza/CE)

20h – “Chulas, Sambas e Licutixos” com o mestre Bule-Bule (Camaçari/BA)

20h30 – Forró com Cutuca a Burra (Fortaleza/CE)

Dia 18 de agosto (Sábado)

Sala de Ensaio

14 – Oficina de cordel com Rouxinol do Rinaré (Fortaleza/CE)

Teatro

15 – Mesa “Cordel – Memória e Contemporaneidade” com a pesquisadora do IPHAN Rosilene Melo (São Paulo/SP), o cineasta Rosemberg Cariry (Fortaleza/CE), o jornalista Alberto Perdigão (Fortaleza/CE) e o advogado, documentarista e cordelista Valdecy Alves (Senador Pompeu/CE). Mediação: Cordelista Eduardo Macedo (Fortaleza/CE)

Palco Leandro Gomes de Barros

16h40 – Declamação com o ator Aldanísio Paiva

Café Luiz Gonzaga

17h – Lançamento do livro “No Tempo da Lamparina” de Arievaldo Viana (Caucaia/CE) com participação especial do multiartista mestre Bule-Bule (Camaçari/BA)

Palco Leandro Gomes de Barros

17h40 – Recital com o garotinho Moisés Marinho (Mossoró – RN)

18h – Show e lançamento do CD “Marcus Lucenna, na Corte do Rei Luiz” com Marcus Lucenna (Rio de Janeiro/RJ) – Participação especial de Tarcísio Sardinha (Fortaleza/CE)

Café Luiz Gonzaga/ Palco Leandro Gomes de Barros

19h – Lançamento do livro “Poesia em gotas diárias” de autoria de Padre Tula (Edições Karuá)

19h30 – Declamação com o mestre Chico Pedrosa (Olinda/PE)

20h – Cantoria com Zé Maria de Fortaleza e Tião Simpatia.

20h40 – Apresentação com o Mestre Bule-Bule e convidados.

 

DIA 19 (Domingo)

Teatro

14h – Mesa “Cordel Brasil-Portugal: o fio que nos conecta” com os pesquisadores Marco Haurélio (São Paulo/SP), Maria Alice Amorim (Recife/PE) e António de Abreu Freire (Portugal). Mediação: Professor Oswald Barroso (Fortaleza/CE)

Café Luiz Gonzaga

16h –  Lançamento dos cordéis “As histórias das plantas”, “Padagogia do oprimido” de Francisco Paiva Neves (Fortaleza/CE) e do “Amor no tempo de chumbo” por Nando Poeta (Natal/RN)

Palco Leandro Gomes de Barros

16h20 – Canções com Edilson Barros (Fortaleza/ CE)

16h50 – Recital da despedida com Raul Poeta, Evaristo Geraldo da Silva, Rivani Nasário, Leila Freitas, Bule-Bule, Lucarocas e Chico Pedrosa

17h50 – Canções de viola com o mestre Zé Viola (Teresina/ PI)

Pátio externo

18h30 – Coco do Iguape (Iguape/CE)

EXPOSITORES:

  1. ABLC (Rio de Janeiro/RJ)
  2. AESTROFE (Fortaleza/CE)
  3. Arievaldo Vianna (Caucaia/CE)
  4. Beto Brito (João Pessoa/PB)
  5. Editora Caruá (Fortaleza/CE)
  6. CECORDEL (Fortaleza/CE)
  7. Chico Pedrosa (Olinda/PE)
  8. Cordelaria Flor da Serra (Fortaleza/CE)
  9. Edições Patabego (Tauá/CE)
  10. Editora Coqueiro (Olinda/PE)
  11. Eduardo Macedo (Fortaleza/CE)
  12. Evaristo Geraldo da Silva (Alto Santo/CE)
  13. Francisco Melchiades (Fortaleza/CE)
  14. Francorli (Juazeiro do Norte/CE)
  15. Maercio Siqueira (Crato/CE)
  16. Geraldo Amâncio (Fortaleza/CE)
  17. Guilherme Nobre (Fortaleza/CE)
  18. Instituto Roda da Vida (Fortaleza/SP)
  19. João Pedro do Juazeiro (Fortaleza/CE)
  20. Jotabê (Fortaleza/CE)
  21. Lucarocas (Fortaleza/CE)
  22. Nando Poeta (Natal/RN)
  23. Nonato Araújo/ Ivonete Morais (Fortaleza/CE)
  24. Olegário Alfredo (Belo Horizonte/MG)
  25. Marcos Abreu (Fortaleza/CE)
  26. Rivani Nasário (Recife/PE)
  27. Rouxinol do Rinaré (Fortaleza/CE)
  28. Valentina Monteiro (Campina Grande/PB)
  29. Tupynanquim Editora (Fortaleza/CE)
  30. Stélio Torquato (Fortaleza/CE)

 

Serviço:

III FEIRA DO CORDEL BRASILEIRO

Local: CAIXA Cultural Fortaleza
Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: De 16 a 19 de agosto de 2018

Horários: Quinta a sábado: 14 às 21h | Domingo: 14 às 19h
Classificação indicativa: Livre
GRATUITO

Paraciclo disponível no pátio interno

Publicidade

Rafael Sica em exposição inédita na Caixa Cultural Fortaleza

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

01 de agosto de 2018

 

Serão expostos originais de história em quadrinhos, além de gravuras e pinturas do artista gaúcho.

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 30 de agosto a 04 de novembro de 2018, a exposição “O Ordinário Rafael Sica”. Com mais de 150 obras, a mostra faz um panorama de 15 anos da trajetória do artista gaúcho, que é um dos principais nomes das histórias em quadrinhos da atualidade.

Rafael Sica é dono de um traço único que preza a riqueza de detalhes em uma narrativa silenciosa, mas extremamente contundente. Grande parte de sua obra é composta por quadrinhos sem textos, característica encarada por muitos críticos como um dos grandes diferenciais de seu trabalho. A ausência dos diálogos se mostra como uma abertura à interpretação do leitor: “Existe uma narrativa, mas é gráfica, visual. Exige que o leitor complete o trabalho. Fui tirando o texto das tiras, diminuindo o número de palavras, fui me dando conta de como isso potencializava as interpretações”, explica Sica.

A produção de Rafael Sica traz questionamentos sobre o modo de vida do indivíduo urbano. Suas tiras são minicontos que fogem do óbvio e da piada, e com um diferenciado tom surrealista, trazem críticas às neuroses das grandes cidades e à massificação das pessoas afogadas na rotina pós-moderna.

 

Para a abertura da exposição “O Ordinário Rafael Sica”, o quadrinista preparou uma publicação inédita, de tiragem limitada e distribuição gratuita ao público presente. Além disso, nos dias 31 de agosto, 01 e 02 de setembro, Rafael Sica produzirá um painel na galeria, onde os visitantes poderão acompanhar, ao vivo, o processo de criação do artista. A curadoria é do artista e pesquisador cearense Weaver Lima, que reúne em sua carreira a curadoria de exposições na área dos quadrinhos como “Luiz Sá – 100 anos”, “Monstra Comix”, “HQ CE”, “Desenhomatic LTDA”, “Seres Urbanos – Fanzines 90’s”, entre outras.

 

Sobre Rafael Sica

 

Nascido em 1979 em Pelotas (RS), Rafael Sica é reconhecido como um dos mais importantes autores de sua geração. Começou sua carreira na segunda metade dos anos 1990, publicando charges e tiras em jornais da sua cidade. No início dos anos 2000 passou a publicar no jornal Folha de S. Paulo e na internet lançando o blog “Ordinário”. A página foi criada com o objetivo de ser um portfólio virtual, mas acabou se transformando em um dos mais acessados sites de quadrinhos do país.

Sica venceu duas vezes o Prêmio HQ Mix nas categorias Novo Talento (2005) e Web Quadrinhos (2009), com sua série “Quadrinhos Ordinários”. Tem livros publicados por diversas editoras do país. Em 2011 lançou “Ordinário” (Companhia das Letras) e “Tobogã” (Ed. Narval). Em 2014 publicou “Novela” (BebelBooks) e em 2015, “FIM – Fácil e Ilustrado Manifesto” (Editora Beleléu). Em 2017 lançou o livro “Fachadas” (Editora Lote 42) e participou do projeto Baiacu, criado por Laerte e Angeli, que resultou na revista “Baiacu” (Editoras Cachalote e Todavia). Rafael Sica é um dos criadores da “Parada Gráfica”, evento anual que acontece em Porto Alegre (RS) e reúne artistas da cena gráfica independente brasileira.

Serviço:

Exposição: O Ordinário Rafael Sica

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 30 de agosto a 04 de novembro de 2018 (abertura no dia 30 às 19h)

Horários: De terça a sábado, das 10h às 20h | domingo, das 12h às 19h

Classificação indicativa: 14 Anos

Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

Publicidade

MOSTRA COMKIDS EXIBE CONTEÚDOS AUDIOVISUAIS PARA CRIANÇAS NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

24 de julho de 2018

A mostra reúne produções brasileiras, argentinas, colombianas e uruguaias. Toda a programação tem acesso gratuito.

 

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 19 a 22 e de 26 a 29 de julho de 2018, a Mostra comKids, realizada anualmente em São Paulo e que neste ano chega a Fortaleza. São 22 produções produzidas no Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai que abordam, com sensibilidade e criatividade, temas como cidadania, identidade, gênero, família, entre outros. O evento acontece durante as férias escolares, com duas sessões diárias, além de duas oficinas para crianças que ocorreram nos dias 21 e 22.

A mostra é uma das ações do comKids (www.comkids.com.br), iniciativa que reúne e articula profissionais do setor de mídia e cultura para a infância e adolescência no Brasil, na América Latina e na Península Ibérica. Seu objetivo é promover conteúdos audiovisuais de qualidade para crianças e jovens que buscam um olhar cuidadoso e uma conexão criativa com os pequenos.

Com acesso gratuito, são ofertadas, ao todo, 16 sessões, sendo 8 destinadas a crianças até 6 anos de idade e 8 para crianças com a faixa etária de 7 a 14 anos. Cada sessão é composta por diversos curtas, com duração total em torno de uma hora cada. As primeiras sessões das quintas e sextas-feiras vão contar com o serviço de audiodescrição para pessoas com deficiência visual, além de garantir a presença de 40 crianças de projetos sociais por sessão.

PROGRAMAÇÃO

 

Dia 26 (qui)

 

15h – Programação Pingue Pongue (até 14 anos) * Com audiodescrição

– Meninos e reis, 16’01” (Brasil)

– A culpa é do Neymar, 10’47” (Brasil)

– Um ano novo danado de bom, 18’16” (Brasil)

– Caminho dos Gigantes, 11’53” (Brasil)

  Duração total: aprox. 58 min

 

17h – Programação Pipoca (até 6 anos)

– Lendas Animadas – O Jabuti e a fruta, 5’ (Brasil)

– Ba, 13’57” (Brasil)

– Amigos – amor no carrossel, 11’, (Argentina)

– Guilhermina e Candelario – Quiero ser yo, 12’ (Colômbia)

– Que medo! Aquitã o indiozinho, 4’15” (Brasil)

  Duração total aprox. 47 min

 

Dia 27(sex)

 

15h – Programação Bambolê (até 14 anos)* Com audiodescrição

– Chatarra, 04’51” (Uruguai)

– Procura-se, 12’35” (Brasil)

– O samba daqui, 15’01” (Brasil)

– Juro que vi – Boto, 12’47” (Brasil)

– Delícias Asquerosas – Carrapato Mutante, 08’ (Colômbia)

  Duração total: aprox. 54 min

 

17h – Programação Pipa (até 6 anos)

– Vamos nessa? Brincando no Quintal, 15’26” (Argentina)

– Eric acorde, 07’43” (Brasil)

– Macacada, 04’06” (Brasil)

– A cor da água, 05’32” (Uruguai)

– Meia lua e as noites mágicas, 14’54” (Argentina)

– Que medo – Hugo o monstro, 4’09” (Brasil)

– Fim da fila, 02’47” (Brasil)

– Ninja, 03’44” (Brasil)

  Duração total: aprox. 59 min

 

Dia 28 (sáb)

 

15h – Programação Pipa (até 6 anos)

– Vamos nessa? Brincando no Quintal, 15’26” (Argentina)

– Eric acorde, 07’43” (Brasil)

– Macacada, 04’06” (Brasil)

– A cor da água, 05’32” (Uruguai)

– Meia lua e as noites mágicas, 14’54” (Argentina)

– Que medo – Hugo o monstro, 4’09” (Brasil)

– Fim da fila, 02’47” (Brasil)

– Ninja, 03’44” (Brasil)

  Duração total: aprox. 59 min”

 

17h – Programação Bambolê (até 14 anos)

– Chatarra, 04’51” (Uruguai)

– Procura-se, 12’35” (Brasil)

– O samba daqui, 15’01” (Brasil)

– Juro que vi – Boto, 12’47” (Brasil)

– Delícias Asquerosas – Carrapato Mutante, 08’ (Colômbia)

  Duração total: aprox. 54 min

 

Dia 29 (dom)

 

15h – Programação Pipoca (até 6 anos)

– Lendas Animadas – O Jabuti e a fruta, 5’ (Brasil)

– Ba, 13’57” (Brasil)

– Amigos – amor no carrossel, 11’, (Argentina)

– Guilhermina e Candelario – Quiero ser yo, 12’ (Colômbia)

– Que medo! Aquitã o indiozinho, 4’15” (Brasil)

  Duração total aprox. 47 min

 

17h – Programação Pingue Pongue (até 14 anos)

– Meninos e reis, 16’01” (Brasil)

– A culpa é do Neymar, 10’47” (Brasil)

– Um ano novo danado de bom, 18’16” (Brasil)

– Caminho dos Gigantes, 11’53” (Brasil)

  Duração total: aprox. 58 min

 

Serviço:

Cinema: Mostra comKids – edição Fortaleza
Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: de 19 a 22 e de 26 a 29 de julho (quinta-feira a domingo)

Horários: 15h e 17h

Duração: Média por sessão de 60 minutos

Classificação indicativa: Conferir a programação no site da Caixa Cultural Fortaleza

Ingressos: Entrada gratuita – distribuição de senhas com uma hora de antecedência
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770

Atendimento à imprensa:

Divulga Ação
Ana Peyroton: (85) 99944.2005 / (21) 97977.7539 (whatsApp)

imprensa@divulgacao.com

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Fortaleza (CE):

Camilla Lima – (85) 98642-3336 | camilla.jornalismo@gmail.com

www.CAIXA.gov.br/imprensa| @imprensaCAIXA

 

Acesse o site www.caixacultural.gov.br
Siga a fanpage: facebook.com/CaixaCulturalFortaleza
Baixe o aplicativo “Caixa Cultural”

Publicidade

CRIANÇAS DE ENTIDADES SOCIAIS SÃO CONVIDADAS PARA ASSISTIR A MOSTRA COMKIDS NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

19 de julho de 2018

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 19 a 22 e de 26 a 29 de julho de 2018, a Mostra comKids, realizada anualmente em São Paulo e que neste ano chega a Fortaleza. São 22 produções produzidas no Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai que abordam, com sensibilidade e criatividade, temas como cidadania, identidade, gênero, família, entre outros.

Com acesso gratuito, vão ser ofertadas, ao todo, 16 sessões, sendo 8 destinadas a crianças até 6 anos de idade e 8 para crianças com a faixa etária de 7 a 14 anos. Cada sessão é composta por diversos curtas, com duração total em torno de uma hora cada. As primeiras sessões das quintas e sextas-feiras vão contar com o serviço de audiodescrição para pessoas com deficiência visual, além de garantir a presença de 40 crianças de projetos sociais por sessão.

Entre as instituições sociais convidadas para assistir a Mostra estão o Instituto Dr. Hélio Góes, Associação Peter Pan, Casa do Sol Nascente, Grupo Bailarinos de Cristo e Vidança. Todas as instituições são responsáveis pelos cuidados de crianças com necessidades especiais. A Mostra visa promover diversão com qualidade e acessibilidade para todas as crianças.

Apresentado pela CAIXA Cultural, a Mostra comKids (edição Fortaleza) é uma realização do Instituto Seara e do Midiativa – Centro Brasileiro de Mídia para Crianças e Adolescentes, com produção da Invento Produções Culturais.

PROGRAMAÇÃO COM AUDIODESCRIÇÃO E ENTIDADES CONVIDADAS

 

Dia 19 (qui)

Entidade Convidada: Associação Peter Pan

15h – Programação Pipoca (até 6 anos) * Com audiodescrição

– Lendas Animadas – O Jabuti e a fruta, 5’ (Brasil)

– Ba, 13’57” (Brasil)

– Amigos – amor no carrossel, 11’, (Argentina)

– Guilhermina e Candelario – Quiero ser yo, 12’ (Colômbia)

– Que medo! Aquitã o indiozinho, 4’15” (Brasil)5555

  Duração total aprox. 47 min

 

Dia 20 (sex)

Entidades Convidadas: Casa do Sol Nascente e Grupo Bailarinos de Cristo, Amor e Doações

15h – Programação Pipa (até 6 anos) * Com audiodescrição

– Vamos nessa? Brincando no Quintal, 15’26” (Argentina)

– Eric acorde, 07’43” (Brasil)

– Macacada, 04’06” (Brasil)

– A cor da água, 05’32” (Uruguai)

– Meia lua e as noites mágicas, 14’54” (Argentina)

– Que medo – Hugo o monstro, 4’09” (Brasil)

– Fim da fila, 02’47” (Brasil)

– Ninja, 03’44” (Brasil)

  Duração total: aprox. 59 min

 

Dia 26 (qui)

Entidades Convidadas: Associação Peter Pan, Vidança e Instituto Dr. Helio Góes

15h – Programação Pingue Pongue (até 14 anos) * Com audiodescrição

– Meninos e reis, 16’01” (Brasil)

– A culpa é do Neymar, 10’47” (Brasil)

– Um ano novo danado de bom, 18’16” (Brasil)

– Caminho dos Gigantes, 11’53” (Brasil)

  Duração total: aprox. 58 min

 

Dia 27(sex)

Entidade Convidada: Instituto Dr. Hélio Góes

15h – Programação Bambolê (até 14 anos)* Com audiodescrição

– Chatarra, 04’51” (Uruguai)

– Procura-se, 12’35” (Brasil)

– O samba daqui, 15’01” (Brasil)

– Juro que vi – Boto, 12’47” (Brasil)

– Delícias Asquerosas – Carrapato Mutante, 08’ (Colômbia)

  Duração total: aprox. 54 min

 

Sobre as entidades convidadas

Instituto Dr. Hélio Góes – Tem como missão prestar atendimento oftalmológico com qualidade, objetivando a satisfação dos clientes com responsabilidade social na educação do deficiente visual.

 

Associação Peter Pan – Desde 1996, a Associação Peter Pan, entidade sem fins lucrativos, desenvolve ações que envolvem, além do tratamento médico especializado, um verdadeiro atendimento humanizado e um eficiente processo de diagnóstico precoce, fundamental à cura, que é disseminado interior adentro, através do Núcleo Mais Vida, com projetos de capacitação em sinais e sintomas para profissionais da saúde.

 

Casa do Sol Nascente – A Casa de Apoio Sol Nascente, há 17 anos, é abrigo para adultos soropositivos e crianças que sofrem as consequências do HIV, possuindo ou não a doença. Tem o intuito de levar cuidado e amor para as crianças soropositivas ou não, vítimas de abandono por causa da doença nos pais ou por causa da falta de condições para o cuidado.

Grupo Bailarinos de Cristo – O Grupo Bailarinos de Cristo é destinado à prestação de serviços gratuitos as comunidades que assistem em caráter permanente e sem qualquer tipo de discriminação, bem como proporcionar e realizar espetáculos, festivais e mostras de dança e teatro que beneficiem todo território nacional e, ou, Internacional.

Vidança – A Associação Vidança tem como missão trabalhar com classes populares, priorizando ações formativas em arte, voltadas para crianças e adolescentes em situação de risco e exclusão social, com o intuito de proporcionar o estudo da Dança como linguagem e possibilidade expressiva e profissional a crianças e adolescentes do Bairro da Vila Velha.

Serviço:

Cinema: Mostra comKids – edição Fortaleza
Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: de 19 a 22 e de 26 a 29 de julho (quinta-feira a domingo)

Horários: 15h e 17h

Duração: Média por sessão de 60 minutos

Classificação indicativa: Conferir a programação no site da Caixa Cultural Fortaleza

Ingressos: Entrada gratuita – distribuição de senhas com uma hora de antecedência
Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770

Atendimento à imprensa:

Divulga Ação
Ana Peyroton: (85) 99944.2005 / (21) 97977.7539 (whatsApp)

imprensa@divulgacao.com

Publicidade

CAIXA CULTURAL FORTALEZA APRESENTA MOSTRA DE CINEMA PERUANO

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de julho de 2018

 

O cinema contemporâneo do Peru é destaque na mostra, que começa no dia 31 de julho e se estende até 5 de agosto de 2018, como parte da programação do 28º Cine Ceará.

“Madeinusa” (2005), da diretora Claudia Llosa, Melhor Filme no Festival de Mar del Plata.

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, de 31 de julho a 5 de agosto, a Mostra de Cinema Peruano, que traz um panorama da cinematografia do país, com exibições de longas-metragens de alguns dos mais representativos nomes da contemporaneidade. A mostra integra o 28º Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, que a cada edição realiza uma mostra especial, como homenagem a um país da ibero-américa.

A Mostra é dedicada ao cinema peruano contemporâneo, que tem se destacado em festivais internacionais, revelando novos nomes, além de obras consolidadas nos melhores festivais do mundo. “Um dos objetivos da Mostra é conseguir elaborar, através dos filmes escolhidos, um retrato do país homenageado. São filmes que apresentam um claro discurso local, com base nas tradições, nas singularidades espaciais e naturais do país, nas grandes diferencias entre a sua imponente natureza e as caóticas cidades peruanas”, diz Pablo Arellano, curador da Mostra.

Na opinião de Pablo, de uns anos para cá o Peru tem contribuído muito na cinematografia ibero-americana, com diretores e filmes surpreendentes, únicos e com enorme potencial. “O país possui um cinema em crescimento e o Cine Ceará quer ser porta-voz disso”, diz. Segundo o curador, o cinema do Peru nunca esteve entre os mais difundidos da ibero-américa e, ao destacá-lo, o Festival reforça sua função de apresentar diferentes cinematografias. Com isso, dá oportunidade ao público de conhecer outros diretores e ter acesso a grandes filmes ainda desconhecidos dos brasileiros.

Ao longo de seis dias, a Mostra fará uma imersão no cinema do Peru exibindo 16 longas-metragens “Todos eles são destaques do cinema contemporâneo do país dentro do panorama internacional”, frisa Pablo Arellano. “Eles representam o cinema peruano do presente e do futuro. Em sua maioria são jovens cineastas que estão revolucionando a linguagem audiovisual do Peru, com propostas arriscadas, pessoais, com olhares únicos e poéticos”, destaca.

Cineastas peruanos

A Mostra destaca três mulheres que, em diferentes estilos estão depurando uma linguagem própria a cada novo filme. Na ficção está Claudia Llosa, com trabalhos reconhecidos internacionalmente no cinema experimental. Da diretora será exibido “Madeinusa” (2005), que entre os prêmios recebidos está o de Melhor Filme no Festival de Mar del Plata. Da cineasta Enrica Pérez a Mostra exibe “Climas” (2014), que apresenta o retrato de três mulheres peruanas que vivem realidades distintas, uma na selva, outra na serra e a terceira na cidade. Por último, o público poderá conferir o trabalho de Karina Cáceres, que utiliza o vídeo e a viagem como uma forma de retratar o país, suas contradições, sua beleza e sua tradição. Dela serão apresentados “Cabo para a Terra” (2012) e “Sob a influência” (2016), ambos inéditos no Brasil.

Seguindo a ideia de viagem e de retrato do país, entra na Mostra o filme “O espaço entre as coisas” (2013), de Raúl del Busto que, assim como Karina Cáceres, faz uso da viagem e do cinema experimental para mostrar as diferenças das várias regiões e tradições do país andino. O filme também terá na CAIXA Cultural Fortaleza sua primeira exibição no Brasil.

A obra de Juan Daniel F. Molero está presente com dois longas-metragens. O cineasta é habitual do Festival de Rotterdam, com trabalhos provocadores onde emprega uma técnica que lembra o vídeo dos anos 90. Sua cinematografia explora o mundo cibernético e sua influência na juventude, na sexualidade e no caos de cada dia. “Ele trabalha o cinema empunhando a bandeira da liberdade criativa”, comenta o curador. Seus filmes na Mostra são“Reminiscências” (2010) e “Videofilia (e outras síndromes virais)” (2017), vencedor do Tiger Award no Festival de Rotterdam. Outro nome com duas produções é Héctor Gálvez, de quem a Mostra exibe “Paraíso” (2009), premiado no Festival de Veneza, e “NN” (2014), com o qual ganhou o prêmio de Melhor Direção no Festival de Cartagena de Índias.

Dos cineastas peruanos o público poderá conferir ainda outros longas-metragens que foram destaques em importantes festivais internacionais. “Outubro” (2010), de Diego e Daniel Vega, esteve no Festival de Cannes; “Rosa Chumbe” (2015), de Jonatan Relayze, Melhor Filme Nacional no Festival de Lima; e “A última tarde” (2014), de Joel Calero, onde o reencontro de um casal faz um paralelo entre a cidade de Lima no século XXI e o passado político da esquerda do país no século XX. O filme recebeu o prêmio do público no Festival de Lima e a melhor direção no Festival Ibero-americano de Guadalajara.  Fechando a lista dos peruanos estão os documentários musicais “Continuo Sendo (Kachkaniraqmi)” (2013), de Javier Corcuera, que não chega a ser estritamente um musical, mas um filme que fala de música e de músicos do Peru, e “Saicomanía” (2011), de Héctor Chávez, que conta a história da primeira banda de punk da história.

Dois estrangeiros

A homenagem do 28º Cine Ceará ao cinema peruano agrega dois importantes cineastas que, embora estrangeiros, pontuaram sua cinematografia com filmes ambientado no Peru. De Leonor Caraballo, da Argentina, será exibido “Ícaros: uma visão”, codireção do uruguaio Matteo Norzi. O filme foi destaque no Festival de Tribeca de 2016.

O outro cineasta estrangeiro é o italiano Gianfranco Annichini, que com o tempo tem se tornado um dos grandes nomes do cinema peruano. Seu filme na mostra é o documentário “A curiosa vida de Piter Eustaquio Rengifo Uculmana” (2014), um quebra-cabeça que conta a história dos amores, crimes e pecados de um homem, tendo nas suas iniciais o nome do próprio país. Dessa forma, Annichini fala dos segredos do país através da figura do personagem central do documentário.

PALESTRA

Além das exibições, faz parte da Mostra a palestra “O Cinema Regional Peruano”, que será proferida pelo jornalista, crítico e professor de cinema Emilio Bustamante. Formado em Ciências da Comunicação na Universidade de Lima, é Mestre em Literatura Peruana e Latino-americana na Universidade Nacional Maior de San Marco. É professor na Faculdade de Comunicação da Universidade de Lima e Faculdade de Ciências e Artes da Comunicação na Pontifícia Universidade Católica do Peru. Especializou-se em linguagem, narrativa e direção audiovisual.

A Mostra de Cinema Peruano marca o início do 28° Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, que terá abertura oficial no dia 04 de agosto, no Cineteatro São Luiz, onde acontece até o dia 11, numa promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Cineteatro São Luiz e do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara. Agradecimento a Enel.

Programação

Terça-Feira, 31/07

17h – Coletiva de imprensa – Apresentação das Mostras do 28º Cine Ceará

19h – Videofilia (e outras síndromes virais). Juan Daniel F. Molero. 2017 (Tiger Award – Festival de Rotterdam). 112min. Classificação indicativa: 14 anos.

Quarta-Feira, 01/08

15h – Saicomanía. Héctor Chávez. 2011. 70min. Classificação Indicativa: Livre

17h – A última tarde. Joel Calero. 2014. 90min. Classificação Indicativa: 14 anos.

19h – Ícaros: uma visão. Leonor Caraballo e Matteo Norzi. 2016 (Festival de Tribeca). 91min. Classificação indicativa: 14 anos.

  

Quinta-Feira, 02/08

15h – Sob a influência. Karina Cáceres. 2016. 60min. Classificação indicativa: Livre. Sessão para escolas

17h – Reminiscências. Juan Daniel F. Molero. 2010. 85min. Classificação indicativa: 14 anos.

19h – Continuo Sendo (Kachkaniraqmi). Javier Corcuera. 2013. 110min. Classificação indicativa: Livre.

 

Sexta-Feira, 03/08

15h – A curiosa vida de Piter Eustaquio Rengifo Uculmana. Gianfranco Annichini. 2014. 72min. Classificação Indicativa: 14 anos.

17h – Outubro. Diego e Daniel Vega. 2010 (Festival de Cannes). 90min. Classificação indicativa: 14 anos.

19h – NN. Héctor Gálvez. 2014 (Melhor Direção – Festival de Cartagena de Índias). 89min. Classificação Indicativa: 18 anos.

 

Sábado, 04/08

15h – Cabo para a Tierra. Karina Cáceres. 2012. 50min. Classificação indicativa: Livre. Sessão para escolas.

16h – PALESTRA – O Cinema Regional Peruano, de Emilio Bustamante (jornalista, crítico e professor de cinema).

17h – Climas. Enrica Pérez. 2014. 85min. Classificação indicativa: 14 anos.

19h – Paraíso. Héctor Gálvez. 2009 (Festival de Veneza). 87min. Classificação indicativa: 14 anos.

 

Domingo, 05/08

15h – Rosa Chumbe. Jonatan Relayze. 2015. 85min. Classificação Indicativa: 14 anos.

17h – O espaço entre as coisas. Raúl del Busto 2013. 95min. Classificação indicativa: 14 anos.

19h – Madeinusa. Claudia Llosa. 2005 (Melhor Filme – Festival de Mar del Plata, entre outros). 100min.  Classificação indicativa: 14 anos.

 

Serviço:

Cinema: Mostra de Cinema Peruano

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema
Data: 31 de julho a 05 de agosto de 2018

Horários: ver programação

Classificação indicativa: ver indicação de cada filme

Ingressos: Gratuitos (distribuídos com 1h de antecedência, sujeitos à lotação do teatro)

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Informações gerais | CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Fortaleza (CE):

Camilla Lima – (85) 98642-3336 | camilla.jornalismo@gmail.com

www.CAIXA.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA

Acesse o site www.caixacultural.gov.br

Siga a fanpage: facebook.com/CaixaCulturalFortaleza

Baixe o aplicativo “Caixa Cultural”

Publicidade

Caixa Cultural Fortaleza promove extensa programação especial para o mês de férias

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

03 de julho de 2018

Com atividades que abrangem todas as faixas etárias, o cronograma traz desde oficina de brincos e colares indígenas a pintura para bebês

Em julho a Caixa Cultural Fortaleza entra no clima de férias escolares e por meio do Programa Educativo Gente Arteira traz uma série de atividades para crianças e adultos. A programação visa difundir técnicas, desenvolvendo, em conjunto com os participantes, materiais e objetos de seu interesse, proporcionando a todos uma vivência lúdica em meio à Arte e à Cultura. Oficina de brincos e colares indígenas, origami pra crianças, pintura para bebês, bordado, crochê e muitas outras fazem parte do cronograma de mês, que contempla ainda pais, professores e artistas com o Encontro com Educadores e minicursos. 

A programação começa já no dia 1º de julho (2018) com uma imersão na cultura indígena do Ceará por meio da Oficina de colares e brincos indígenas Anacé.Nela, os participantes compreenderão sobre o processo de produção de artefatos e enfeites utilizando técnicas da Etnia. A oficina, que acontece também no dia 22, será ministrada por Climério Anacé, liderança indígena Anacé.

As oficinas acontecem nos dias 1º e 22 de julho, de 14h às 18h. Serão 15 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 26 a 28 de junho (para dia 01 de julho) e de 17 a 19 de julho de 2018 (para o dia 22 de julho) via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.brClassificação: 16 anos.

Para trabalhar a criatividade e habilidades manuais, a Oficina de Origami pra criançaspossibilita conhecer a história do origami enquanto se confecciona animais e objetos de papel que ganham forma e movimento nas mãos dos participantes.A oficina acontece nos dias 03, 04, 24 e 25 de julho (4 turmas), ministrada pela pesquisadora em dobraduras, Natália Maranhão.

A oficina acontece de 14h às 16h. Serão 12 vagas por turma, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 27 a 28 de junho de 2018 (para dias 03 ou 04 de julho) e de 17 a 19 de julho de 2018 (para os dias 24 ou 25 de julho) via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.br Classificação: 07 a 10 anos.

Nos dias 14 e 15 de julho,o foco são os pequenininhos. A oficina Pintura para bebês,estimula a sensibilidade tátil, olfativa e visual dos bebês, fazendo-os vivenciar um universo de cores comestíveis e de experiências artísticas, aprofundando a relação entre bebês e cuidadores. Ministrada pela artista visual Cris Soares, a atividade é voltada para bêbes de 6 meses a 2 anos de idade.

A oficina acontece de 15h às 17h (duas turmas). Serão 10 vagas por turma, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 10a 12 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.br Classificação:de 6 meses a 2 anos e seus cuidadores.

Através da confecção de embarcações feitas com materiais recicláveis, a oficina Embarque nessa! Construindo embarcações de brinquedo com materiais recicláveis, convida os participantes a conhecerhistórias que envolvem a cultura marítima de Fortaleza. A oficina acontece nos dias 17 e 18 de julho, ministrada por Isaque Martins e Júnior Barreira.

A oficina acontece de 14h30 às 17h (turma única). Serão 20 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 11 a12 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.br Classificação: 07 a 12 anos.

Nos dias 19 e 20 de julho, a oficina Sucata Sonora! Construindo instrumentos musicais com materiais recicláveisconvida crianças, de 7 a 12 anos, aconhecerem novos sons através da confecção de instrumentos musicais como o Kazoo, o tambor e o macará. Ministrada pelo ator e músico Pedro Calebe, a atividade também proporcionará o conhecimento sobre as origens desses instrumentos.

A oficina acontece de 14h30 às 17h (turma única). Serão 20 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 11 a12 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.br Classificação: de 07 meses a 12 anos.

E para quem deseja iniciar no fantástico mundo do crochê, Geórgia Viana ministra, no dia 22 de julho,a oficina Introdução à prática do crochê, vivenciando as possibilidades de produção a partir de técnicas básicas e materiais tradicionais. 

A oficina acontece de 14h às 18h. Serão 15 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 17a 19 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.br Classificação: interessados a partir de 16 anos.

Professores, pais e artistas:

A programação conta ainda com um encontro voltado para pais professores e artistas. No dia 21 de julho, o Encontro de Educadorestraz para o centro do debate a Arte como ferramenta de discussão e de interdisciplinaridade, o objetivo é refletir sobre o espaço do professor de Arte na escola, a partir de vivências artísticas e interventivas no ambiente escolar.Ministrada pela atriz e especialista em Neuroeducação, Fran Bernardino, a ideia é pensar o espaço da escola para além do espaço físico.

O Encontro acontece de 10h às 19h. Serão 35 vagas por turma, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 17 a 19de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.brClassificação: interessados a partir de 18 anos.

Minicursos:

De 05 a 08 de julho,o minicurso Da imagem à ação, a imaginação! traz os princípios básicos do teatro para crianças.Os encontros tem como objetivo estimular a criação voltada ao teatro através de brincadeiras, artesanato, música, jogos teatrais e de improvisação. Ministrada pelos atores Beto Menêis, Pedro Caleb,Isaque Martins e Júnior Barreira o curso é direcionado para crianças de 7 a 12 anos.

O minicurso acontece de 14h30 às 17h. Serão 20 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 28 a 29 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.brClassificação:de 07 a 12 anos.

De 10 a 13 de julho, o ator e dramaturgo Beto Menêis ministra o cursoConstrução Dramatúrgica para histórias infantis onde durante três dias os participantes serão convidados a conhecer os princípios da dramaturgia para histórias infantis, a partir de referências literárias, visuais e orais, trabalhando teatro e interpretação de texto.

A oficina acontece de 14h30 às 17h. Serão 20 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 03e 05 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.brClassificação: a partir de 15 anos.

Também de 10 a 13 de julho, acontece o minicursoDo Papel ao design. Ministradopela mestra em Educação Brasileira, Fabiana Brogliato, o curso propõe a aplicação da técnica do Origami no estudo do design, a partir da exploração das possibilidades de manuseio e criação de padrões geométricos e formas com o papel. 

A oficina acontece de 17h30 às 20h. Serão 20 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 03a 05 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.brClassificação: a partir de 18 anos.

Para quem deseja adentrar o universo do bordado livre integrado às memórias afetivas, o minucurso Bordado Livre: relatos e memória afetiva, que acontece de 27 a 29tem como objetivoutilizar pontos principais do bordado para que os participantes partilhem com o grupo relatos e experiências de cada um, servindo de inspiração para produção de seus bordados.

A oficina acontece das 14h às 17h, nos dias 27 e 28 e das 14h às 18h, no dia 29/07. Serão 12 vagas, por ordem de inscrição. Os interessados podem se inscrever de 24a 26 de julho de 2018 via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.brClassificação:interessados a partir de 16 anos.

MEDIAÇÕES AOS DOMINGOS

Durante os domingos de julho, haverá visitação mediada às Exposições na CAIXA Cultural Fortaleza. O público terá um momento de troca de experiências e um espaço de discussões sobre temáticas ligadas às obras em exibição. Dias 1, 8 e 15 de julho a visitação mediada será na exposição Brennand Mestre dos Sonhos. Nos dias 22 e 29 de julho, será na exposição Imensurável. As mediações são das 15h às 16h.

MEDIAÇÕES ESPECIAIS PARA GRUPOS AGENDADOS

E nos dias 04, 06, 11 e 13 de julho de 2018, haverá visitação mediada com temáticas que interligam as discussões em sala de aula às mediações nas exposições da CAIXA Cultural Fortaleza! Nos dias 04 e 11 de julho, a discussão será sobreBrennand e o Movimento Armorial,relacionando a obra de Francisco Brennand e o Movimento Armorial, idealizado por Ariano Suassuna na década de 1970. 

Já nos dias 06 e 13 de julho,Representações do Nordeste Brasileiro: Academia dos Emparedados e as discussões engavetadas sobre o destino do mundo, discute as representações do Nordeste Brasileiro sob a perspectiva de Suassuna e Brennand.

Serviço:

Local – CAIXA Cultural Fortaleza – Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Oficina de colares e brincos indígenas Anacé

Data:01 e 22 de julho de 2018 (duas turmas)

Horário:14h às 18h

Inscrição:26a 28 de junho (para dia 1º) e de 17 a 19 de julho (para o dia 22), peloemail gentearteira.ce@caixa.gov.br

Classificação:interessados a partir de 16 anos

Capacidade: 15 pessoas, por ordem de inscrição

Oficina: Dobrando e criando– Origami para crianças

Data:03, 04, 24 e 25 de julho de 2018 (4 turmas)

Horário:14h às 16h

Inscrição:27a 28 de junho (para dias 03 ou 04 de julho) e de 17 a 19 de julho de 2018 (para os dias 24 ou 25 de julho) via e-mail gentearteira.ce@caixa.gov.br

Classificação:07 a 10 anos 

Capacidade: 12 pessoas, por ordem de inscrição

Oficina: Pintura para bebês

Data:14 e 15 de julho (duas turmas)

Horário:15h às 17h

Inscrição:10a 12 de julho, peloemail gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:06 meses a 02 anos 

Capacidade: 10 pessoas, por ordem de inscrição

Oficina: Embarque Nessa! Construindo embarcações de brinquedo com materiais recicláveis

Data:17 e 18 de julho

Horário:14h30 às 17h

Inscrição:Dia 11 e 12 de julho pelo e-mailgentearteira.ce@caixa.gov.br

Classificação:interessados de 7 a 12 anos

Capacidade: 20 pessoas, por ordem de inscrição

Oficina: Sucata sonora – Construindo instrumentos musicais com materiais recicláveis

Data:19 e 20de julho de 2018

Horário:de 14h30 às 17h00

Inscrição:11a 12 de julho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados de 07 a 12 anos

Capacidade: 20 pessoas, por ordem de inscrição

Oficina: Introdução à prática do crochê

Data:22de julho de 2018

Horário:14h00 às 18h00

Inscrição:17a 19 de julho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados a partir de 16 anos.

Capacidade: 15 pessoas, por ordem de inscrição

Oficina: Encontro com Educadores

Data:21 de julho de 2018

Horário:de 10h às 19h

Inscrição:17a 19 de julho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados a partir de 18 anos

Capacidade: 35 pessoas, por ordem de inscrição

Minicurso: Da imagem à ação, a imaginação! 

Fundamentos básicos de teatro para crianças. 

Data:05 a 08de julho de 2018

Horário:de 14h30 às 17h00

Inscrição:28e 29de junho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados de 07 a 12 anos

Capacidade: 20 pessoas, por ordem de inscrição

Minicurso: Construção Dramatúrgica para histórias infantis 

Data:10 a 13de julho de 2018

Horário:de 14h30 às 17h00

Inscrição:03e 05de julho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados a partir de 15 anos

Capacidade: 20 pessoas, por ordem de inscrição

Minicurso: Do papel ao design

Data:10 a 13de julho de 2018

Horário:de 17h30 às 20h

Inscrição:03e 05de julho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados a partir de 18 anos

Capacidade: 20 pessoas, por ordem de inscrição

Minicurso: Bordado Livre: relatos e memória afetiva

Data:27 a 29de julho de 2018

Horário:dias 27 e 28 de julho, das 14h às 17h e dia 29 de julho, de 14h às 18h

Inscrição:24 a 26de julho de 2018, pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br 

Classificação:interessados a partir de 16 anos

Capacidade: 12 pessoas, por ordem de inscrição

MEDIAÇÃO AOS DOMINGOS

Visita Mediada à Exposição Brennand – Mestre dos Sonhos

Com Educativo Gente Arteira

01, 08 e 15 de Julho de 2018 

Horário: 15h às 16h

Local: Galeria Multiuso

Inscrições: no local, a partir das 14:30

Visita Mediada à Exposição Imensurável

Com Educativo Gente Arteira

22 e 29 de Julho de 2018 

Horário: 15h às 16h

Local: Galerias I e II

Inscrições: no local, a partir das 14:30

Mediações Especiais para grupos agendados: conceitos e representações

Brennand e o Movimento Armorial

Com Educativo Gente Arteira

Datas:04 e 11 de julho de 2018

Local:CAIXA Cultural Fortaleza

Classificação:a partir de 15 anos

Inscrições:mediante agendamento pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br

Representações do Nordeste Brasileiro: Academia dos Emparedados e as discussões engavetadas sobre o destino do mundo

Com Educativo Gente Arteira

Datas:06 e 13 de julho de 2018 

Local:CAIXA Cultural Fortaleza

Classificação:a partir de 15 anos

Inscrições:mediante agendamento pelo email gentearteira.ce@caixa.gov.br

Publicidade

CAIXA CULTURAL FORTALEZA APRESENTA ESPETÁCULO “ABC DO BRAGUINHA”

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de junho de 2018

 

Musical infantil conta a história de João de Barro, pseudônimo do cantor e compositor, embalado pelo som de clássicos como Chapeuzinho Vermelho e Festa no Céu

Entre os dias 28 de junho e 1º de julho, o teatro da CAIXA Cultural Fortaleza recebe o espetáculo musical “ABC do Braguinha – A história de Braguinha através de seus personagens e canções”. Idealizado pela cantora e atriz Anna Bello, o grupo do Rio de Janeiro se apresenta pela primeira vez em Fortaleza.

O musical conta a história do compositor carioca de forma lúdica, misturando fatos e personagens reais da sua vida, como sua avó Isaura, com que ele gostava de tocar piano, com personagens presentes nas suas músicas, como Chapeuzinho Vermelho, Dona Baratinha, Pirata da Perna de Pau, entre outros.

Braguinha, que na infância era conhecido por Carlinhos, adotou o pseudônimo de João de Barro para atuar na música devido aos preconceitos que marcavam a época. Na narrativa de Anna Bello, o personagem principal é o pássaro João de Barro, que vira amigo do menino Carlinhos e conta para ele tudo que vê e ouve nas suas revoadas pelo Rio de Janeiro e pelo mundo. Carlinhos transforma tudo que João conta em lindas canções.

Com direção musical de Tássio Ramos, o espetáculo faz uso de uma instrumentação-base com violão, baixo, bateria e sopros, associados a instrumentos inusitados, como kazoo, apito de pássaro, sinos e xilofones, que trazem uma sonoridade divertida para colorir as canções.

O musical “O ABC do Braguinha” é patrocinado pela CAIXA e pelo Governo Federal. Na quinta (28) e sexta-feira (29), duas escolas públicas da região participarão do espetáculo como formação de plateia, totalizando 140 alunos convidados a conhecer a história deste artista brasileiro. O elenco fará ainda um bate-papo em formato de palestra ao final das apresentações, aproximando ainda mais os alunos da história contada.

Sobre Braguinha

Braguinha foi um compositor de inúmeras facetas. Compôs desde canções de carnaval de muito sucesso a músicas juninas, sendo sua musicografia uma das mais prolíficas da Música Popular Brasileira. Possuía uma paixão especial pelas estórias infantis, tanto que escreveu, adaptou e musicou diversas historinhas, como Os Três Porquinhos, Festa no Céu e Chapeuzinho Vermelho, dentre tantas outras que marcaram a infância de milhões de brasileiros.

O artista também foi roteirista e assistente de direção no cinema. Em 1938, foi um dos responsáveis pela dublagem brasileira de Branca de Neve e os Sete Anões, de Walt Disney, o primeiro desenho animado em longa metragem da história do cinema. Também participou das versões brasileiras de Pinóquio (1940), Dumbo (1941), Bambi (1942), dentre muitos outros. O ABC do Braguinha traz para as crianças um pouco do repertório desse compositor que fez parte do imaginário de tantas gerações e ainda hoje vive nos clássicos infantis.

FICHA TÉCNICA

Patrocínio – CAIXA Econômica Federal e Governo Federal

Voz –Anna Bello

Voz e violão –Renato Frazão

Baixo – Tássio Ramos

Sopros – Alexandre Caldi

Bateria – Gabriel Guenther

Cenário – Suzane Queiroz

Figurino –Patrícia Lima

Realização –Doravante Produções Artísticas / Júlia Menna Barreto Produções Culturais

Duração – 45 minutos

Produção Local – Direção das Artes

SERVIÇO:

Musical ABC do Braguinha

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema

Data: 28 de junho a 1º de julho de 2018

Horário: quinta e sexta, às 16h; sábado e domingo, às 17 h

Entradas: R$ 10(inteira) e R$ 5(meia)

Vendas: 02h antes de cada espetáculo.

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista (somente no final de semana) gratuito no local

Classificação indicativa: Livre

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770

Publicidade

CAIXA CULTURAL FORTALEZA APRESENTA ESPETÁCULO “ABC DO BRAGUINHA”

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de junho de 2018

 

Musical infantil conta a história de João de Barro, pseudônimo do cantor e compositor, embalado pelo som de clássicos como Chapeuzinho Vermelho e Festa no Céu

Entre os dias 28 de junho e 1º de julho, o teatro da CAIXA Cultural Fortaleza recebe o espetáculo musical “ABC do Braguinha – A história de Braguinha através de seus personagens e canções”. Idealizado pela cantora e atriz Anna Bello, o grupo do Rio de Janeiro se apresenta pela primeira vez em Fortaleza.

O musical conta a história do compositor carioca de forma lúdica, misturando fatos e personagens reais da sua vida, como sua avó Isaura, com que ele gostava de tocar piano, com personagens presentes nas suas músicas, como Chapeuzinho Vermelho, Dona Baratinha, Pirata da Perna de Pau, entre outros.

Braguinha, que na infância era conhecido por Carlinhos, adotou o pseudônimo de João de Barro para atuar na música devido aos preconceitos que marcavam a época. Na narrativa de Anna Bello, o personagem principal é o pássaro João de Barro, que vira amigo do menino Carlinhos e conta para ele tudo que vê e ouve nas suas revoadas pelo Rio de Janeiro e pelo mundo. Carlinhos transforma tudo que João conta em lindas canções.

Com direção musical de Tássio Ramos, o espetáculo faz uso de uma instrumentação-base com violão, baixo, bateria e sopros, associados a instrumentos inusitados, como kazoo, apito de pássaro, sinos e xilofones, que trazem uma sonoridade divertida para colorir as canções.

O musical “O ABC do Braguinha” é patrocinado pela CAIXA e pelo Governo Federal. Na quinta (28) e sexta-feira (29), duas escolas públicas da região participarão do espetáculo como formação de plateia, totalizando 140 alunos convidados a conhecer a história deste artista brasileiro. O elenco fará ainda um bate-papo em formato de palestra ao final das apresentações, aproximando ainda mais os alunos da história contada.

Sobre Braguinha

Braguinha foi um compositor de inúmeras facetas. Compôs desde canções de carnaval de muito sucesso a músicas juninas, sendo sua musicografia uma das mais prolíficas da Música Popular Brasileira. Possuía uma paixão especial pelas estórias infantis, tanto que escreveu, adaptou e musicou diversas historinhas, como Os Três Porquinhos, Festa no Céu e Chapeuzinho Vermelho, dentre tantas outras que marcaram a infância de milhões de brasileiros.

O artista também foi roteirista e assistente de direção no cinema. Em 1938, foi um dos responsáveis pela dublagem brasileira de Branca de Neve e os Sete Anões, de Walt Disney, o primeiro desenho animado em longa metragem da história do cinema. Também participou das versões brasileiras de Pinóquio (1940), Dumbo (1941), Bambi (1942), dentre muitos outros. O ABC do Braguinha traz para as crianças um pouco do repertório desse compositor que fez parte do imaginário de tantas gerações e ainda hoje vive nos clássicos infantis.

FICHA TÉCNICA

Patrocínio – CAIXA Econômica Federal e Governo Federal

Voz –Anna Bello

Voz e violão –Renato Frazão

Baixo – Tássio Ramos

Sopros – Alexandre Caldi

Bateria – Gabriel Guenther

Cenário – Suzane Queiroz

Figurino –Patrícia Lima

Realização –Doravante Produções Artísticas / Júlia Menna Barreto Produções Culturais

Duração – 45 minutos

Produção Local – Direção das Artes

SERVIÇO:

Musical ABC do Braguinha

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema

Data: 28 de junho a 1º de julho de 2018

Horário: quinta e sexta, às 16h; sábado e domingo, às 17 h

Entradas: R$ 10(inteira) e R$ 5(meia)

Vendas: 02h antes de cada espetáculo.

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais
Serviço de manobrista (somente no final de semana) gratuito no local

Classificação indicativa: Livre

Paraciclo disponível no pátio interno

Informações gerais | Bilheteria CAIXA Cultural Fortaleza:

(85) 3453-2770