Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

bebidas

Mercadinhos São Luiz lança promoção de bebida para o Carnaval

Por Oswaldo Scaliotti em descontos

30 de Janeiro de 2018

Com a proximidade do carnaval, um dos setores que apresenta desconto e crescimento no consumo é o de bebidas

O Mercadinhos São Luiz tem investido cada vez mais no setor de bebidas, que neste período carnavalesco, é sempre um dos mais procurados. Para dar oportunidade dos foliões economizarem na hora de encher a geladeira para os quatro dias de folia, a rede está com promoções imperdíveis em algumas bebidas a partir desta terça-feira, 30 de janeiro, até o dia 13 de fevereiro ou enquanto durar o estoque.
A Cerveja Skol Beats LT 269ml Secret, Senses e Spirit custam R$ 3,99 e na compra de duas unidades, a terceira sai por R$ 0,01. Uma economia de 33,3% no bolso do folião que aprecia uma boa cerveja. Para quem prefere curtir o carnaval bebendo Whisky, o Mercadinhos São Luiz também está com o Litro do Chivas Regal 12 anos de R$ 145,09 por R$ 119,00 desconto de 18%; o Jack Daniels e o Honey 1L de R$ 129,90 por R$ 109,90, com margem de 15,4% de desconto. A Aguardente Colonial Tradicional 80 anos, 600ml de R$ 44,19 por R$ 39,00, economia de 11,7%. Além do Vinho Branco Cartuxa 750ml de R$ 136,45 por R$ 119,00, desconto de 12,8% para os apreciadores de vinho.
Tem promoção para todos os públicos, para todos os gostos. Dá para brincar o carnaval fazendo uma boa economia, aproveitando as promoções dos Mercadinhos São Luiz.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

EXTRA E PÃO DE AÇÚCAR APOSTAM EM CRESCIMENTO DE VENDAS DE BEBIDAS PARA AS COMEMORAÇÕES DO FINAL DO ANO 

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

01 de novembro de 2017

Redes incrementam as gôndolas de águas, bebidas mistas, cervejas, sucos e destilados para as festas

 O Extra e o Pão de Açúcar entraram no clima de Fim de Ano e, para garantir ótimas oportunidades de compras para seus clientes neste período, as redes já prepararam os estoques de bebidas típicas para o período de festas e apostam em crescimento considerável nas categorias. As expectativas positivas incluem também as vendas da categoria nas redes Minuto Pão de Açúcar e Mini Extra.

As grande apostas são Vinhos, Vodkas, Wiskies e Cervejas especiais. A expectativa é um aumento de 9,5% nas vendas na comparação com o mesmo período do ano passado.

Em vinhos, as apostas estão na linha de espumantes da marca própria Club des Sommeliers e nos rótulos importados com exclusividade, como é o caso do chileno Clos de Torribas e da vinícola Santa Rita, que trará opções exclusivas para serem vendidas nas redes. As apostas na categoria de destilados estão nas vodcas (com destaque especial à russa Russian Rye Vodka) e na linha de whisky Johnnie Walker e Jim Bean. Em cervejas especiais, os estoques dos campeões de vendas serão reforçados, como é o caso da Colorado, Império e Corona.

Para Luiz Antônio Torres, Diretor Comercial de Líquida das redes Extra e Pão de Açúcar, a data será importante para as vendas das bandeiras, já que os clientes costumam se programar para suas viagens e as festas de Fim de Ano e começam a comprar os itens necessários para garantir o abastecimento para essas datas. “Neste ano, investimos fortemente em oferecer um mix completo de produtos aos nossos consumidores e garantir ofertas atrativas para que eles realizem ótimas compras. O Extra, por exemplo, continua apostando no sucesso da dinâmica promocional 1, 2, 3 Economia Extra, na qual a categoria de Líquida contará com ofertas ainda mais atraentes”, afirma.

Na seção de whiskies, o aumento de vendas esperado é de 12%, com apostas nas embalagens promocionais de 1 litro. Com o crescimento esperado para o destilado, aumentam também as expectativas para a venda de energéticos. As bandeiras apostam em 10% a mais em relação ao ano passado.

Ainda, na categoria de não alcoólicos, as redes apostam em um aumento de 11% nas vendas de água e 8% na categoria de sucos prontos para beber e integrais, com apostas nos sabores de uva, laranja e maçã, considerados os preferidos pelos clientes.

Publicidade

Melão desperdiçado é alternativa à maçã na indústria de bebidas

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de outubro de 2017

Foto: Henrique Martins Gianvecchio Carvalho

Um suco-base de melão, para uso na indústria de bebidas, é uma das alternativas propostas pela Embrapa para reduzir o desperdício da fruta. O produto concentrado não apresenta gosto e aroma de melão e pode ser empregado pela indústria como base para a produção de sucos mistos, néctares e outras bebidas. Hoje esse papel é da maçã, principal matéria-prima de sucos-base das mais diversas bebidas com frutas. A proposta também é substituir água e açúcar por uma base mais saudável. A empresa busca parceiros para a validação da tecnologia em escala industrial.

O produto pode ser muito útil para reduzir o desperdício de melão. Em 2015, as perdas chegaram a 37% do total produzido, com base no último levantamento da produção feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Uma boa parte do total não foi aproveitada por problemas puramente estéticos: manchas na casca, tamanho menor que o habitual ou formato irregular. Apesar de rejeitados pelos consumidores, esses melões mantêm intactas as propriedades nutricionais.

O engenheiro de alimentos Raimundo Marcelino da Silva Neto, da Embrapa Agroindústria Tropical (CE), explica que a indústria utiliza largamente o suco-base de maçã, uma fruta de clima temperado, para a produção de blends, néctares e outros produtos com diferentes sabores. O desenvolvimento do suco-base de melão oferece uma alternativa para o aproveitamento de uma matéria-prima proveniente da agricultura tropical. A tecnologia foi desenvolvida em parceria com a Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e com o Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica para o Desenvolvimento (Cirad), da França.

“Boa parte do melão fica no campo devido a defeitos no aspecto visual. Não passa nos padrões de consumo e, muito menos, nos de exportação. Essa seria a matéria-prima para a produção dessa base clarificada, desaromatizada e concentrada entre 68º a 70º Brix (percentagem em massa dos sólidos solúveis presente no suco)”, explica Marcelino Neto.

Ele lembra que alguns países na Comunidade Europeia concedem incentivos fiscais para produtos sem adição de sacarose. Dependendo do processamento empregado na indústria, o suco-base de melão mantém nutrientes como vitaminas e açúcares (glicose, frutose e alguma sacarose) e ácidos naturais presentes na fruta.

A tecnologia usa microfiltração tangencial por membranas para a clarificação. “Otimizamos a tecnologia com adição de enzimas para aumentar o rendimento do processo”, explica. Para extrair o aroma são aplicadas resinas que capturam os compostos voláteis presentes no suco. Em seguida, o produto é concentrado a vácuo.

O suco concentrado é denso, com uma coloração semelhante ao caramelo e deve ser diluído na indústria. “Como é concentrado, não haverá o transporte de água, o que reduz custos de logística. Isso favorece também a conservação, porque é possível manter em temperatura ambiente ou no máximo em refrigeração”, afirma Marcelino Neto.

A tecnologia empregada para a produção do suco-base de melão também será testada em outras frutas tropicais como caju e banana. Segundo Marcelino Neto, é possível desenvolver diferentes produtos, combinando as tecnologias para retirar ou preservar o sabor, produzindo misturas com características desejadas.

Sete mil hectares para o lixo

Em 2015, o Brasil perdeu 195 mil toneladas de melão, o correspondente a 37% do total produzido. A produção correspondente a uma área de sete mil hectares cultivados foi perdida. Não se pode determinar, no entanto, o que ficou no campo, o que se perdeu no transporte, o que estragou no supermercado ou o que foi para o lixo doméstico. “37% foram perdidos. Nós estamos usando “perdido” no sentido literal da palavra. Não sabemos onde estão. Não existem dados oficiais que nos permitam saber o que foi feito. Sabemos que a indústria nacional do melão é muito pequena”, diz o pesquisador na área de tecnologia pós-colheita Ebenezer de Oliveira Silva, da Embrapa Agroindústria Tropical.

No caso do melão, a grande perda ocorre na cadeia de comercialização – é a chamada perda cosmética. “Frutos com pequenas deformações e que são jogados fora porque o consumidor não vai comprar aquilo. Por causa do alto padrão de qualidade exigido pela população, muito do que é produzido é jogado fora”, explica o cientista.

Países em desenvolvimento, como o Brasil e o México, apresentam tanto perdas por falta de infraestrutura, quanto as consideradas perdas cosméticas. “Nossa estrutura de pós-colheita não é suficiente o bastante para suportar as grandes produções de frutas que temos. Associado a isso, há uma classe média desenvolvida muito grande, o que repercute em um alto índice de perda cosmética”, esclarece Ebenezer Silva.

Uma das estratégias da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) para redução da fome e garantia da sustentabilidade é minimizar as perdas pós-colheita de frutas e hortaliças. A outra é aproveitar o que seria perdido na indústria, o que vai ao encontro da proposta do suco-base desenvolvido pela Embrapa.

“Uma das maneiras de reduzir as perdas pós-colheita é criar tecnologias para o processamento, dando uma outra utilização ao fruto. A indústria do melão no Brasil é muito pequena, por isso acreditamos que essa tecnologia poderia dar um ganho tanto para a indústria quanto para os produtores”, diz.

Para o pesquisador, a proposta de aproveitar melão como suco-base é interessante para reduzir as chamadas perdas cosméticas. “São melões de alta qualidade, que, por não atingirem alta exigência para os padrões de mercado, podem ser utilizados na industrialização. Para produzir, por exemplo, um suco concentrado e desaromatizado que poderia ser um ingrediente para a indústria de alimentos, principalmente indústria de sucos e outros”, acredita.

De acordo com ele, é necessário observar também outras possibilidades de industrialização. Já existe em alguns países o aproveitamento do melão para a produção de cremes hidratantes e protetores solares. “Uma alternativa seria descobrir quais são as substâncias ativas no melão e desenvolver insumos para a indústria brasileira de cosméticos”, propõe. O especialista alerta que existem várias possibilidades de usar melão como produto. “Mas o de maior volume, seria o suco concentrado,” afirma.

Informações melão – Ano  de Referência 2015

Fontes: Dados de produção, consumo per capita e população são do IBGE -2015

Dados de exportação MDIC-Aliceweb  http://aliceweb.mdic.gov.br/

Consumo hídrico:  https://link.springer.com/article/10.1007/s11367-013-0630-0 Fonte: Pegada de carbono   http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0959652612004805

leia tudo sobre

Publicidade

Vendas de bebidas cearenses ao mercado externo crescem 26,1% no primeiro semestre

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

16 de agosto de 2017

Segundo maior exportador de bebidas do Brasil em 2017 (atrás apenas de São Paulo), as vendas externas cearenses seguem em ritmo crescente, com alta de 26,1% no acumulado do ano (de janeiro a julho), alcançando US$ 45,2 milhões. Os destaques ficam por conta da água de coco e do suco de acerola. Principal destino das exportações cearenses do setor, os EUA ampliaram as compras de bebidas do Estado em 30,1%.
Os dados foram compilados no estudo Ceará em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC. O estudo com os dados de julho apontou que as exportações cearenses tiveram crescimento de 15,8% em relação ao mês anterior, alcançando US$ 162,9 milhões. O montante exportado é 88,8% superior ao igual período de 2016, quando fora registrado US$ 86,3 milhões. Trata-se do décimo primeiro mês consecutivo em que o Estado registra aumento. As importações também registraram crescimento (19%) em julho em relação a junho, chegando a US$ 209,6 milhões. Vale destacar que esse valor é 60,9% inferior aos US$ 536 milhões registrados no mesmo período de 2016. Como resultado dessas movimentações, o Ceará registrou balança comercial deficitária em US$ 46,6 milhões em julho.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

EXTRA E PÃO DE AÇÚCAR APOSTAM EM CRESCIMENTO DE VENDAS DE BEBIDAS NO CARNAVAL

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

23 de Fevereiro de 2017

Redes incrementam as gôndolas de águas, bebidas mistas, cervejas, sucos e destilados para o feriado

O Extra e o Pão de Açúcar já entraram no clima de Carnaval e, para garantir ótimas compras para seus clientes durante o período, as redes já prepararam os estoques de bebidas das lojas e apostam em crescimento considerável nas categorias do departamento. As expectativas positivas incluem também as vendas da categoria no Minuto Pão de Açúcar e Minimercado Extra.

A grande aposta para este ano é na categoria de bebidas mistas e aperitivos. A expectativa é um aumento de 30% nas vendas em relação ao ano passado. As opções são Skol Beats, Catuabas Selvagem e Aperol.

Para Luiz Antônio Torres, Diretor Comercial de Líquida das redes Extra e Pão de Açúcar, a data será importante para as vendas das bandeiras, já que os clientes costumam se programar para suas viagens e começam a comprar os itens necessários para garantir a festa durante o feriado prolongado. “Neste ano, investimos fortemente em oferecer um mix completo de produtos aos nossos consumidores e garantir ofertas atrativas para que eles realizem ótimas compras. A bandeira Extra continua apostando forte no sucesso já consagrado da dinâmica promocional 1, 2, 3 Passos da Economia, na qual a categoria Líquida contará com ofertas atraentes dentro desta dinâmica”, afirma.

Para a categoria de cerveja, as redes projetam, juntas, uma expectativa de 18% de crescimento nas pilsen, premium e especiais.

As bandeiras também esperam um aumento de vendas nas vodcas, no qual o crescimento esperado é de 20%. Neste ano, o Extra aposta em marcas como Orloff e Vorus – lançamento da Salton – e o Pão de Açúcar, na Absolut e Skyy.

Na seção de whiskies, o aumento esperado é de 10%, com apostas nas embalagens de 750ml no Pão de Açúcar e no Extra. Com o crescimento esperado para o destilado, aumentam também as expectativas para a venda de energéticos. As bandeiras apostam em 20% a mais em relação ao ano passado. Para o Carnaval deste ano, a Fusion lança com exclusividade nas redes a linha Fusion T-break e Wake Up 310ml nos sabores laranja, chá branco com ameixa e chá preto com lima da pérsia. Outra grande aposta do Multivarejo é o novo energético Monster 473 ml com preço imbatível.

Ainda, na categoria de não alcoólicos, as redes apostam em um aumento de 20% nas vendas de água e 25% na categoria de sucos pronto para beber e integral, com apostas para os sabores uva, laranja e maçã, considerados os preferidos pelos clientes.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Carnaval movimenta supermercados e gera crescimento de até 30% em alguns itens

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

02 de Fevereiro de 2016

Vendas ] No Mercadinhos São Luiz a expectativa é de um crescimento de até 14% nas vendas nesse período de carnaval com destaque para os produtos práticos e bebidas.

O início do mês de fevereiro vai ser marcado pelo Carnaval, o feriadão e a folia também são sinônimos de crescimento nas vendas para o setor supermercadista do Ceará. Seja brincante ou não, permanecendo na cidade ou viajando para o litoral ou serras cearenses durante o feriadão, não tem jeito, todos acabam passando antes no supermercado para abastecer o estoque de comidas e bebidas. A expectativa do segmento, face a igual período do ano passado, é de 10 a 15 % de crescimento no faturamento.

Os grandes destaques da folia são os produtos para churrasco como cortes de carnes especiais, as conhecidas picanha, maminha e costelinha, além de cortes de frango como tulipa, asa e coxinha. Os foliões também consomem mais nesse período produtos como aperitivos, pães, gelo, embutidos como salsichas, fatiados, presuntaria, além dos queijos, pratos prontos congelados como lasanha, pizza, água, refrigerantes, sucos prontos, ingredientes para feijoada e as bebidas alcoólicas em geral.

No caso das bebidas, o crescimento pode chegar a 30%. Os produtos que mais vendem são os destilados como vodka, wisky, cachaça, além das cervejas, bebidas mistas como Smirnoff Ice, Skol Sense e a Spirit.  Além da procura natural, o Mercadinhos São Luiz aproveita o período para oferecer algumas ações promocionais como kits e combos com brindes. Os clientes podem comprar um produto e ganhar um copo ou comprar uma bebida e ganhar outra como por exemplo na compra de uma Smirnoff 998 ML com mais R$ 0,01 o cliente leva a lata de Smirnoff ice storm.

Outra característica nas vendas é o crescimento em todos os dias da folia, pois Fortaleza não fica mais tão vazia no Carnaval quanto antigamente, pois a programação na capital está cada vez mais atrativa, não só para os cearenses, mas também para os foliões de outros estados. Como consequência, o consumo no período do Carnaval tem aumentado, o que antes se concentrava na semana anterior e posterior ao evento, por isso as lojas dos Mercadinhos São Luiz funcionarão normalmente nos dias do feriadão. Quem optar por ficar em Fortaleza no Carnaval vai poder curtir a festa com a dispensa e a geladeira abastecidas.

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Carnaval movimenta supermercados e gera crescimento de até 30% em alguns itens

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

02 de Fevereiro de 2016

Vendas ] No Mercadinhos São Luiz a expectativa é de um crescimento de até 14% nas vendas nesse período de carnaval com destaque para os produtos práticos e bebidas.

O início do mês de fevereiro vai ser marcado pelo Carnaval, o feriadão e a folia também são sinônimos de crescimento nas vendas para o setor supermercadista do Ceará. Seja brincante ou não, permanecendo na cidade ou viajando para o litoral ou serras cearenses durante o feriadão, não tem jeito, todos acabam passando antes no supermercado para abastecer o estoque de comidas e bebidas. A expectativa do segmento, face a igual período do ano passado, é de 10 a 15 % de crescimento no faturamento.

Os grandes destaques da folia são os produtos para churrasco como cortes de carnes especiais, as conhecidas picanha, maminha e costelinha, além de cortes de frango como tulipa, asa e coxinha. Os foliões também consomem mais nesse período produtos como aperitivos, pães, gelo, embutidos como salsichas, fatiados, presuntaria, além dos queijos, pratos prontos congelados como lasanha, pizza, água, refrigerantes, sucos prontos, ingredientes para feijoada e as bebidas alcoólicas em geral.

No caso das bebidas, o crescimento pode chegar a 30%. Os produtos que mais vendem são os destilados como vodka, wisky, cachaça, além das cervejas, bebidas mistas como Smirnoff Ice, Skol Sense e a Spirit.  Além da procura natural, o Mercadinhos São Luiz aproveita o período para oferecer algumas ações promocionais como kits e combos com brindes. Os clientes podem comprar um produto e ganhar um copo ou comprar uma bebida e ganhar outra como por exemplo na compra de uma Smirnoff 998 ML com mais R$ 0,01 o cliente leva a lata de Smirnoff ice storm.

Outra característica nas vendas é o crescimento em todos os dias da folia, pois Fortaleza não fica mais tão vazia no Carnaval quanto antigamente, pois a programação na capital está cada vez mais atrativa, não só para os cearenses, mas também para os foliões de outros estados. Como consequência, o consumo no período do Carnaval tem aumentado, o que antes se concentrava na semana anterior e posterior ao evento, por isso as lojas dos Mercadinhos São Luiz funcionarão normalmente nos dias do feriadão. Quem optar por ficar em Fortaleza no Carnaval vai poder curtir a festa com a dispensa e a geladeira abastecidas.

  • postado por Oswaldo Scaliotti