Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Adece

Adece participa de feira calçadista no Rio Grande do Sul

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

23 de novembro de 2017

O potencial calçadista cearense está sendo apresentado em mais uma missão realizada pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) no Sul do País. Um estande montado na Zero Grau, uma das maiores feiras do segmento do Brasil, em parceria com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (SDE), recebe interessados em conhecer as vantagens de investir em território cearense. O evento acontece entre os dias 20 e 22 de novembro.
 
Estão presentes na Zero Grau a presidente da Adece, Nicolle Barbosa; o diretor de Infraestrutura, Eduardo Neves; o gerente de relação com o investidor, Paulo Sombra; e a assessora de diretoria, Carmen Rangel.
 
“Tivemos muito movimento no estande do Governo do Ceará e boas perspectivas de novos investimentos em nosso Estado. Também visitamos várias indústrias. Estamos trabalhando focados em levar novos empregos para o Ceará”, comenta Nicolle.
 
Na edição deste ano, cerca de 320 indústrias calçadistas participam do evento trazendo 1.200 marcas, mais de 3.000 mil lojistas e 200 importadores de 35 países, além do aumento em 1.000 metros quadrados em área locável.
 
Exportações
 
O Ceará é o segundo estado com maior exportação de calçados em valores. No acumulado de janeiro a outubro de 2017, os calçados comercializados pelo Ceará para outros países somaram US$ 240,8 milhões contra US$ 376,53 milhões exportados pelo Rio Grande do Sul, estado líder no ranking.
Publicidade

Polo Industrial Químico de Guaiúba tem obras de infraestrutura iniciadas

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

10 de outubro de 2017

 

Uma nova fase para a concretização do Polo Químico de Guaiúba, na Região Metropolitana de Fortaleza, acaba de ser iniciada. O empreendimento, que prevê a geração de mais de dois mil empregos diretos e sete mil indiretos, já conta com as obras de infraestrutura da primeira etapa em execução.

 

Com investimentos de mais de R$ 10 milhões do Governo do Ceará por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e Secretaria da Infraestrutura do Estado do Ceará (Seinfra), o Polo conta ainda com um aporte de R$ 95,6 milhões das indústrias a serem implantadas no local. Conforme a presidente da Agência, Nicolle Barbosa, a previsão de término da obra é de 120 dias.

 

“Estão sendo realizados os serviços preliminares de terraplenagem, pavimentação, drenagem e implantação da rede de água e esgoto. A obra dessa primeira etapa deverá ser entregue em quatro meses e as empresas devem começar a se instalar no local logo em seguida, em fevereiro de 2018”, adianta Nicolle.

 

Em fevereiro deste ano, o governador Camilo Santana assinou a liberação dos recursos direcionados às obras de instalação do Polo. No mês seguinte, Adece e Prefeitura Municipal de Guaiúba assinaram convênio.

 

Um total de 27 empresas deve compartilhar o espaço destinado a indústrias do segmento químico. A iniciativa veio por parte do Sindicato das Indústrias Químicas, Farmacêuticas e da Destilação e Refinação de Petróleo no Estado do Ceará (Sindquímica) e contou com o apoio da Adece após a instauração da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Indústria Química do Estado do Ceará (CS Química).

 

Desenvolvimento do setor

 

A expansão do setor químico cearense mostra um novo momento vivenciado pelo segmento no Estado, enfatiza Nicolle. Somente este ano, além do Polo Químico, foram anunciadas a vinda do grupo Raymundo da Fonte, controlador da Brilux, e a duplicação da Limpa Fácil. “Enquanto a Brilux deve investir R$ 56 milhões e gerar 300 empregos diretos e 1.000 indiretos, a ampliação da Limpa Fácil prevê um aporte de R$ 9,5 milhões, 120 empregos diretos e 480 indiretos”, comemora.

 

Conforme o presidente da CS Química e do Sindquímica, Marcos Soares, será implantado, dentro do Polo, o Instituto Orbitar. A entidade tem como principal objetivo alinhar os laboratórios químicos de instituições de ensino existentes no Ceará com as empresas.

 

“No ano passado e nesse ano visitei vários condomínios químicos no Brasil e no exterior. Constatamos que os polos sem uma âncora e sem referência com a academia não vão para frente. O Instituto Orbitar fará uma interlocução entre as indústrias não somente do Polo de Guaiúba, mas de todo o Ceará com a academia para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos”, explica ele destacando que, atualmente, as empresas recorrem a laboratórios de outros estados.

 

Um trabalho de levantamento dos laboratórios existentes no Ceará está sendo realizado pela CS Química. Aproximadamente 15 laboratórios no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e na Universidade de Fortaleza (Unifor) foram visitados no Ceará neste ano em busca de promover parceria com as empresas. Mais estruturas de outras instituições de ensino cearenses deverão ser visitadas.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Ceará marca presença na Conferência Latino-Americana de Investimentos

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

16 de setembro de 2017

O Governo do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e da Cearáportos participou da Conferência Latino-Americana de Investimentos, em Foz do Iguaçu. O evento foi realizado nos dias 13 e 14 de setembro pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e pela Agência Paraná de Desenvolvimento (APD) com o intuito de promover o debate sobre estratégias para atração de investimentos e compartilhamento de boas práticas entre os países e agências de desenvolvimento.
O evento contou com a presença da presidente da Adece, Nicolle Barbosa, da assessora Carmen Rangel, e da diretora Comercial da Cearáportos, Rebeca Oliveira. O encontro teve ainda como público-alvo executivos de agências de promoção de investimento e desenvolvimento; secretários ligados a comércio, indústria e investimento das principais economias da América Latina; outras autoridades governamentais a nível federal e estadual relacionadas; e outras organizações ligadas a negócios e investimentos.
 
“Recebemos capacitação e aprendemos mais sobre os atores que promovem os investimentos, o novo papel das agências de promoção de investimentos, objetivos de desenvolvimento sustentável, o papel crescente das agências estaduais e o futuro das agências de desenvolvimento. Nas próximas semanas faremos nova maratona em busca de novos investimentos e novos empregos para o Ceará”, adianta Nicolle.
 
Os debates contaram com nomes como Paulo Stark, CEO da Siemens; Sudhi Bangalore, vice-presidente Global da Wipro; o diretor de estratégia do negócio de caminhões da Volvo, Alan Holzmann; a diretora de negócios da Apex-Brasil, Marcia Nejaim; o diretor industrial do Grupo O Boticário, Ronaldo Ribeiro, além de outros executivos.
 
Dentre outros painéis temáticos, foram pontuadas as novas tecnologias e a indústria 4.0 como um novo conceito de indústria capaz de englobar as principais inovações tecnológicas dos campos de automação, controle e tecnologia da informação aplicadas aos processos de manufatura.
 
Visitas às agências 
 
Com a finalidade de conhecer de perto as boas práticas realizadas pelas principais agências de desenvolvimento do Brasil, a presidente da Adece e equipe estiveram, no primeiro semestre de 2017, algumas estruturas. Foram visitadas a Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Investe SP), a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), a Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior de Minas Gerais (INDI) e a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper).
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Câmara Setorial da Equinocultura é lançada no âmbito do Governo do Ceará

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

16 de agosto de 2017

O crescimento da cadeia produtiva envolvida no setor da equinocultura cearense acaba de ganhar mais um reconhecimento do Governo do Ceará. Na manhã desta quarta-feira (16), a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) lançou a Câmara Setorial da Equinocultura do Ceará (CS Equinos). O órgão colegiado terá o objetivo de propor, apoiar e acompanhar projetos e ações tendo em vista o desenvolvimento sustentável do setor em território cearense.

 

Conforme a presidente da Adece, Nicolle Barbosa, a ideia se deu após a procura de entidades do setor com o intuito de ordenar a cadeia produtiva. “O setor é de extrema importância para a economia cearense, tendo em vista que o Brasil é o quarto maior rebanho de equinos do mundo e o Ceará o quarto do Nordeste, com cerca de 143.000 animais. Com  muito orgulho, somos referência em diversos segmentos do setor, dentre eles, o esportivo. É uma cadeia produtiva que pulsa e cresce a passos largos, gerando emprego e renda em nosso Estado. Para se ter uma ideia, só no manejo direto, a cada três cavalos, é gerada uma oportunidade de trabalho”, comenta.

 

O fórum de discussão é o 27º instaurado pela Adece, que tem atualmente 23 câmaras setoriais em funcionamento, outras duas temáticas, além do Fórum Jovem Empresário Ceará. Somente no âmbito da diretoria de Agronegócios, a de equinocultura será a 11ª câmara.

 

“O setor estava desarticulado. Agora, conseguimos reunir 28 instituições que vão discutir mensalmente as demandas do segmento. A equinocultura gera emprego, renda e desenvolve a economia no Estado do Ceará, tendo em vista sua importância para criação de cavalos, esportes, medicina veterinária e produção industrial de rações. O Estado do Ceará só tem a ganhar com a criação dessa câmara”, avalia o diretor de Agronegócio da Adece, Sílvio Carlos Ribeiro.

 

Para dar início aos trabalhos da CS Equinos, membros presentes na primeira reunião elegeram um presidente, primeiro e segundo secretários. Foi escolhido como presidente o representante do Núcleo Cearense do Cavalo de Trabalho (NCCT), Rodrigo de Freitas. Já para primeiro e segundo secretários foram eleitos, respectivamente, Alexandre Dourado, da Associação dos Criadores de Cavalo Quarto de Milha do Ceará (ACEQM), e Renan Monteiro, do Jockey Club Cearense.

 

“A câmara nada mais é que do que o elo entre o setor privado com o poder público para enxergar o segmento como um negócio e não apenas como lazer. O cavalo é cultura, temos os nossos vaqueiros no Nordeste. No Brasil, o setor gera mais emprego que o ramo automobilístico. Vamos organizar o setor, gerar mais emprego, qualificar mais mão de obra para que, no final, seja proveitoso a todos. Inicialmente vamos olhar para o problema de sanidade animal e a regulamentação de eventos”, declara Rodrigo.

 

Cadeia produtiva

 

De acordo com as entidades cearenses representantes do setor, o crescimento da equinocultura está relacionado ao esporte, lazer e turfe, sediando alguns dos principais eventos e atraindo participantes do Brasil e ainda do exterior. Os eventos fomentam a economia local movimentando os setores de comércio e serviços.

A cadeia produtiva é responsável por movimentar a produção de ração, feno, capacitação de mão de obra e transporte, gerando emprego e renda principalmente na Zona Rural.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Adece e Fecomércio farão plano de ação para desenvolvimento do Sertão Central

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

10 de agosto de 2017

O desenvolvimento econômico e social dos 15 municípios do Sertão Central Cearense foi discutido na sede da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-CE), em Fortaleza. Além do presidente da casa, Luiz Gastão Bittencourt, da presidente da Agência de Desenvolvimento do estado do Ceará (Adece), Nicolle Barbosa, e do presidente da Associação dos Municípios do Sertão Central (Amusc), Marcondes Holanda, a reunião contou com a presença de prefeitos e representantes dos municípios participantes da iniciativa. 
 
Na ocasião, Nicolle destacou as parcerias que já estão sendo realizadas individualmente com alguns municípios e ressaltou a importância do trabalho em conjunto para desenvolver a região em sua totalidade. “É importante dinamizar a economia já existente em cada localidade. A atitude da Amusc em ampliar parcerias é fundamental para o desenvolvimento sustentável da região do Sertão Central que conta com o nosso apoio”, completa.
Bittencourt apresentou a estrutura da Fecomércio e expôs os programas existentes na casa que possam ser utilizados como ferramenta para auxiliar no desenvolvimento econômico e social dos municípios.
 
Uma nova reunião será realizada no mês de setembro. Desta vez, Adece e Fecomércio levarão projetos a serem discutidos e executados na própria região.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Limpa Fácil investe R$ 9,5 milhões em duplicação de unidade fabril no CE

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

02 de agosto de 2017

Depois de anunciado o Polo Industrial Químico de Guaiuba e a vinda da indústria detentora da Brilux para o Ceará, mais um grande investimento deverá consolidar o Estado como referência no setor químico. A Kaçan Industrial Produtos Limpa Fácil Ltda acaba de anunciar uma ampliação para dobrar a capacidade da produção industrial em território cearense. O projeto conta com a transferência da unidade fabril em Fortaleza para a Região Metropolitana.
 
“Estivemos no município de Itaitinga com o presidente do Sindquímica, Marcos Soares, conferindo de perto as novas instalações da Limpa Fácil, uma empresa 100% cearense, nascida no bairro Granja Portugal, em Fortaleza, e que agora ganha novos rumos de crescimento. Com as novas instalações, a empresa vai gerar 120 empregos diretos e 480 indiretos para a região. O Governo do Estado está apoiando a iniciativa e trabalha para viabilizar a concessão de incentivos fiscais para a expansão da empresa”, comemora a presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Nicolle Barbosa.
 
Conforme o presidente do grupo, José Ribamar Alves Lima, esse é o momento do setor químico no Ceará. “Atualmente, é um estado muito importador de produtos de limpeza de outras localidades. Nossa empresa tem uma grande cartela de clientes em outras regiões e precisava ampliar a produção para atender a demanda”, explica, adiantando que as atividades no novo local serão iniciadas em dezembro deste ano.
 
O cenário favorável para o segmento industrial químico do Ceará também é destacado pelo presidente do Sindquímica, Marcos Soares. “Não temos nenhuma indústria de expressão na área de saneantes, enquanto os estados vizinhos abrigam empresas de grande porte. A Limpa Fácil, com sua ampliação, poderá ser uma delas. Por isso, o sindicato, como instituição, está dando apoio e procurando incentivos fiscais com a Adece e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Ceará (SDE) para a empresa competir de igual para igual com outros estados. Também estamos pleiteando junto à Prefeitura de Itaitinga melhorias no acesso ao distrito industrial”, declara.
 
Atualmente instalada em uma área residencial da capital cearense, a empresa terá a produção transferida de uma área de 1.555 metros quadrados (m²) para um prédio industrial de 4.120 m² localizado em um terreno de 20 mil m². “Tivemos a oportunidade de ir para outros estados, recebemos outros convites, mas optamos por crescer em nosso território”, acrescenta o empresário.
 
Para as novas instalações produtivas a empresa está investindo, neste ano, R$ 9,5 milhões. Já para o planejamento até o ano de 2020 o aporte será de R$ 20 milhões com a expansão de novos negócios. Também está nos planos da indústria a expansão do atendimento para as regiões Nordeste, Norte e Centro Oeste.
 
Atualmente, a Limpa Fácil fabrica detergentes, ácido muriático, tira ferrugem, água sanitária e soda cáustica. A comercialização dos produtos é feita também para os estados da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Piauí e Maranhão. Três novos estão prestes a entrar no portfólio da empresa: desinfetante, amaciante de roupas e sabão líquido para roupas.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Potencialidades econômicas: Adece fará mapeamento individual de recursos minerais por municípios

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

22 de julho de 2017

 
Depois de entregar o Atlas Geológico e da Mineração do Estado, o Governo do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) dará mais um passo para estimular a economia no setor. Agora, municípios cearenses estão sendo estudados individualmente com o intuito de verificar ocorrências minerais locais e fomentar a exploração das áreas por meio da atração de unidades produtivas.
 
O município de Piquet Carneiro, a 332 km da capital, acaba de ser o primeiro contemplado. A presidente da Adece, Nicolle Barbosa, entregou ao prefeito Bismarck Bezerra, um relatório sobre os recursos minerais existentes na localidade e as possibilidades de seus aproveitamentos econômicos.
 
“Fomos procurados por mais de 20 prefeitos cearenses em busca de investimentos para seus municípios gerarem trabalho e renda. Entregamos o primeiro relatório ao prefeito de Piquet Carneiro e, de posse do documento, ele agora irá conversar com os proprietários dessas áreas para estimular sua produção. Nessa primeira etapa, já estamos concluindo  também um trabalho em Cedro e outros 10 municípios serão contemplados com relatórios de suas potencialidades minerais com ou sem licenças regularizadas e que possam virar unidades produtivas”, explica Nicolle.
 
Conforme o relatório, que contou com dados do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), o município de Piquet Carneiro caracteriza-se pela existência de quartzo, quartzito, granito, manganês, ametista e mármore. Segundo Nicolle, também foram listados os nomes dos titulares das áreas. “A ideia é disponibilizar à Prefeitura a relação desses proprietários tanto das áreas quanto das licenças para que o gestor municipal estimule o início das atividades produtivas com o intuito de desenvolver a economia municipal”, completa.
 
De acordo com o assessor de Mineração da Adece, Francisco Pessoa, ainda há muito a ser explorado no estado do Ceará no que se refere ao setor de bens minerais. “O trabalho visa nortear as prefeituras cearenses e fazê-las interagirem com investidores”, opina.
 
Atlas
 
No início do mês de junho, a Adece lançou o Atlas Geológico e da Mineração do Estado do Ceará. A ferramenta, disponível no site da agência, mapeia informações sobre as riquezas minerais do Estado, bem como seus títulos legais. O trabalho permite também a visualização de toda a infraestrutura hídrica, ferroviária, rodoviária, portos, aeroportos e linhas de transmissão de energia existentes em território cearense.
 
Bilíngue, a ferramenta permite nortear empresários com intenções de investirem no Ceará, especialmente nas áreas de construção civil, agronegócio e indústria de transformação.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Adece entrega Agenda Estratégica para promover o desenvolvimento econômico de Cedro

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

30 de junho de 2017

Trabalho faz parte de um projeto-piloto e será expandido para outros municípios do Ceará
 
O município de Cedro, no Centro Sul do Estado, acaba de receber a primeira Agenda Estratégica voltada para promover o desenvolvimento econômico e sustentável local. A iniciativa é parte de um projeto-piloto implantado pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e deverá servir de modelo para outras cidades. A solenidade de entrega aconteceu na última quinta-feira (29), com a presença da presidente da Agência, Nicolle Barbosa, e do prefeito Nilson Diniz.
 
Conforme a executiva da Adece, a ideia é otimizar a estrutura organizacional do município, aproveitando os recursos disponíveis e aprimorando a qualificação dos agentes públicos. “O resultado de tudo isso será tornar a cidade mais atrativa para receber investimentos. Para isso, serão implantadas ações de curto, médio e longo prazos”, explica.
 
Para a concretização do planejamento, foi realizado um trabalho complexo de diagnóstico das competências, potencialidades e vocações do município, segundo o prefeito. “Pela primeira vez a cidade conta com um planejamento neste nível de detalhe e de gerenciamento de metas. Ao lançar esta Agenda, a Prefeitura inova com o advento de uma gestão baseada na eficácia, com foco na melhoria contínua dos indicadores de desempenho”, comemora Diniz.
 
Potenciais econômicos
 
Dentre as estratégias adotadas, o município terá como direcionamento o fortalecimento das cadeias produtivas com vocação local diagnosticadas a partir do levantamento. São elas: bovinocultura de leite, caprinovinocultura, piscicultura, apicultura, avicultura, artesanato, horticultura e a cadeia produtiva de comércio e serviços.
 
Além disso, um programa de promoção e estímulo ao empreendedorismo deverá ser adotado, dando foco na formalização de micoempreendedores individuais e a criação de micro e pequenas empresas locais.
 
Metas
 
Atrair no mínimo duas indústrias até 2020 é uma das metas a serem alcançadas pelo município a partir da implantação da Agenda Estratégica. No mesmo prazo, o planejamento prevê um incremento de 20% no número de empregos gerados e de 30% na quantidade de produtores assistidos.
 
Já no quesito formalização de empresas, um crescimento de 25% deverá ser concretizado entre 2017 e 2020. A mesma variação é esperada em relação ao número de microempreendedores regularizados.
 
A qualificação da mão de obra também está entre os objetivos a serem conquistados com a Agenda Estratégica. A partir de parcerias com os sistemas Fecomércio, Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC), mil pessoas por ano devem ser capacitadas.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Destaque no setor calçadista, Ceará quer ampliar atuação e participa da Francal 2017

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de junho de 2017

Maior exportador de calçados em número de pares e segundo em valores do país, o Estado do Ceará não medirá esforços para alavancar os números do setor. Mais de 10 empresas estão de malas prontas para gerar negócios na  Francal 2017 – Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios, que acontece entre os dias 2 e 5 de julho, no Expo Center Norte, em São Paulo.
 
A ida das empresas é um incentivo do Governo do Estado do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), que contará com um estande de 400 metros quadrados para abrigar as indústrias e receber interessados em negócios. Conforme a presidente da entidade, Nicolle Barbosa, a ideia é não somente gerar a comercialização dos produtos produzidos no Ceará para territórios nacionais e internacionais, mas atrair novas empresas dispostas a atuarem no Estado e capazes de complementar a cadeia produtiva. 
 
“O setor calçadista é um dos pontos mais pujantes da nossa economia. Somente nos cinco primeiros meses deste ano, a Adece incentivou a ampliação de quatro empresas de calçados gerando mais emprego e renda para a população do interior cearense. Nossos incentivos vão desde benefícios fiscais até apoio na infraestrutura para instalação e/ou ampliação dessas indústrias. Hoje, o Estado produz grandes marcas de nomes nacionais e internacionais, como Nike, Quiksilver, Coca Cola, Capricho, Reserva, Melissa, dentre outras. Somos referência ainda em mão de obra qualificada”, explica a executiva da Adece.
 
Conforme Nicolle, um dos grandes diferenciais do Estado para comercialização no mercado externo é a localização geográfica. “Somos um dos pontos no Brasil mais próximos da Europa, dos Estados Unidos e da África”, destaca. A presidente da Agência estará na feira acompanhada de uma comitiva do Governo do Estado do Ceará e de mais 10 prefeitos de municípios cearenses.
 
Prospecção
 
No início do mês de junho, Nicolle esteve no município de Franca, em São Paulo, onde deu início aos diálogos com indústrias calçadistas participantes da Francal. A executiva apresentou o potencial do Ceará para receber investimentos e conheceu as novas tecnologias utilizadas na produção de calçados. 
 
Expectativas
 
Participando pela primeira vez do estande coletivo incentivado pelo Governo do Estado, a Termoplastyc viu a oportunidade de estar presente na feira sem contar com o alto valor investido em um estande próprio, como fazia anteriormente. “As expectativas são boas. Estimamos uma venda de, no mínimo, 70 mil pares de sandálias na Francal”, afirma Bruna Araruna, proprietária da indústria. A empresa produz anualmente 2 milhões de pares e exporta para 34 países.  
 
Depois de alcançar resultados positivos com a participação na edição anterior da Francal, a empresa Malibu estará pelo segundo ano consecutivo no evento. De acordo com a proprietária da empresa, Rosana Ribeiro, o foco será em exportação. “Nossa meta principal é fazer frente ao nosso Estado. Sabemos que estamos passando por um momento crítico de crise, mas no ano passado fizemos bons contatos e muitos renderam frutos que ainda estamos colhendo. Penso muito em exportar e acredito que teremos bons contatos com a presença de novos empresários”, avalia ela, prevendo um incremento de no mínimo 10% nas vendas da fábrica em relação ao ano anterior.
 
Exportações
 
De janeiro a maio deste ano, o Ceará exportou 18,23 milhões de pares de calçados. O número gerou US$ 106 milhões, resultado menor em pares (-1,2%) e maior em receita (8,4%) no comparativo com o mesmo período do ano passado. Na avaliação de Nicolle, o Estado vem sofrendo uma mudança no perfil da produção, que conta agora com maior valor agregado. 
 
O Rio Grande do Sul desponta na segunda posição do número de calçados exportados e primeiro em valores gerados, com 11,3 milhões de pares que geraram US$ 183,44 milhões. São Paulo figura na terceira posição do ranking, com 3,58 milhões de pares embarcados e receita de US$ 52,58 milhões.
 
O principal destino dos calçados brasileiros são os Estados Unidos. Entre janeiro e maio o país importou 4,7 milhões de pares que geraram US$ 79,27 milhões. A Argentina foi o segundo destino do período, totalizando 3,57 milhões de pares importados por US$ 56,17 milhões. O Paraguai figura na terceira posição do país que mais importou do Brasil, com 5,75 milhões de pares por US$ 39 milhões.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Ceará ganhará a mais moderna fábrica de grupo Raymundo da Fonte, controlador da Brilux

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

06 de junho de 2017

 
O crescimento do setor químico no Ceará ganhará mais força nos próximos anos. Depois de anunciar a liberação de recursos para criação de Polo Químico Industrial em Guaiúba, o Estado se prepara para receber uma das maiores indústrias do País no segmento no município de Horizonte. Com 70 anos no mercado, a Brilux detém marcas líderes no mercado e pretende ampliar mais ainda sua posição de liderança nas regiões Norte e Nordeste.
 
“A vinda do empreendimento para o território cearense é fruto de um trabalho árduo realizado pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). Em tempos de crise financeira no Brasil, atrair uma indústria desse porte é uma grande conquista para o Estado, que será privilegiado com mais de 300 empregos diretos e 1.000 indiretos. Visitei a planta fabril da empresa em Pernambuco e fiquei encantada com o que vi de perto. O Ceará terá muito a ganhar com esse investimento”, comemora a presidente da Agência, Nicolle Barbosa.
 
Aproximadamente R$ 56 milhões devem ser investidos pelo grupo com a instalação da nova fábrica. Além do parque fabril, a estrutura contemplará um centro logístico responsável por movimentar produtos fabricados nas plantas do Ceará e de Pernambuco.
 
“Escolhemos o Ceará pela localização estratégica que nos permite alcançar importantes mercados e reduzir o nosso custo logístico, além dos incentivos fiscais que o Estado oferece”, comenta o Superintendente do grupo, Hisbello de Andrade Lima Neto. De acordo com ele, a planta será a mais moderna do grupo e tem previsão de operar no final do próximo ano.
 
Na planta cearense, a empresa prevê a produção de água sanitária, amaciante e lava-louça com expectativa de comercializar 3,9 milhões de caixas por ano.
 
Líder de mercado
 
A Brilux é parte do Grupo Raymundo da Fonte, uma empresa brasileira fabricante de produtos de limpeza doméstica, higiene pessoal, condimentos e inseticidas desde 1946. Atualmente, o grupo conta com quatro plantas industriais situadas em Pernambuco, Pará, Bahia e Rio de Janeiro, além de um centro de distribuição no Ceará, responsável por atingir 95% dos pontos de venda no Norte e Nordeste. 
 
Dentre os 350 produtos existentes no portfólio, a empresa detém, entre as líderes de mercado, as marcas Brilux, Even, Sonho, além do vinagre Minhoto. São aproximadamente 300 milhões de litros de água sanitária, 270 milhões de litros de sabonetes, 60 milhões de litros de vinagre.
 
Com mais de 6 mil clientes ativos, o grupo gera atualmente mais de 2.500 empregos diretos e mais de 500 profissionais de vendas.
 
Polo Industrial Químico
 
Em fevereiro deste ano, o Governo do Estado do Ceará anunciou a concretização do Polo Químico de Guaiúba. O empreendimento contará com investimentos em infraestrutura oriundos da Adece e da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra) no valor de R$ 10,8 milhões. Um total de 27 empresas está previsto para se instalar no local gerando cerca de dois mil empregos diretos na cidade.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Ceará ganhará a mais moderna fábrica de grupo Raymundo da Fonte, controlador da Brilux

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

06 de junho de 2017

 
O crescimento do setor químico no Ceará ganhará mais força nos próximos anos. Depois de anunciar a liberação de recursos para criação de Polo Químico Industrial em Guaiúba, o Estado se prepara para receber uma das maiores indústrias do País no segmento no município de Horizonte. Com 70 anos no mercado, a Brilux detém marcas líderes no mercado e pretende ampliar mais ainda sua posição de liderança nas regiões Norte e Nordeste.
 
“A vinda do empreendimento para o território cearense é fruto de um trabalho árduo realizado pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece). Em tempos de crise financeira no Brasil, atrair uma indústria desse porte é uma grande conquista para o Estado, que será privilegiado com mais de 300 empregos diretos e 1.000 indiretos. Visitei a planta fabril da empresa em Pernambuco e fiquei encantada com o que vi de perto. O Ceará terá muito a ganhar com esse investimento”, comemora a presidente da Agência, Nicolle Barbosa.
 
Aproximadamente R$ 56 milhões devem ser investidos pelo grupo com a instalação da nova fábrica. Além do parque fabril, a estrutura contemplará um centro logístico responsável por movimentar produtos fabricados nas plantas do Ceará e de Pernambuco.
 
“Escolhemos o Ceará pela localização estratégica que nos permite alcançar importantes mercados e reduzir o nosso custo logístico, além dos incentivos fiscais que o Estado oferece”, comenta o Superintendente do grupo, Hisbello de Andrade Lima Neto. De acordo com ele, a planta será a mais moderna do grupo e tem previsão de operar no final do próximo ano.
 
Na planta cearense, a empresa prevê a produção de água sanitária, amaciante e lava-louça com expectativa de comercializar 3,9 milhões de caixas por ano.
 
Líder de mercado
 
A Brilux é parte do Grupo Raymundo da Fonte, uma empresa brasileira fabricante de produtos de limpeza doméstica, higiene pessoal, condimentos e inseticidas desde 1946. Atualmente, o grupo conta com quatro plantas industriais situadas em Pernambuco, Pará, Bahia e Rio de Janeiro, além de um centro de distribuição no Ceará, responsável por atingir 95% dos pontos de venda no Norte e Nordeste. 
 
Dentre os 350 produtos existentes no portfólio, a empresa detém, entre as líderes de mercado, as marcas Brilux, Even, Sonho, além do vinagre Minhoto. São aproximadamente 300 milhões de litros de água sanitária, 270 milhões de litros de sabonetes, 60 milhões de litros de vinagre.
 
Com mais de 6 mil clientes ativos, o grupo gera atualmente mais de 2.500 empregos diretos e mais de 500 profissionais de vendas.
 
Polo Industrial Químico
 
Em fevereiro deste ano, o Governo do Estado do Ceará anunciou a concretização do Polo Químico de Guaiúba. O empreendimento contará com investimentos em infraestrutura oriundos da Adece e da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra) no valor de R$ 10,8 milhões. Um total de 27 empresas está previsto para se instalar no local gerando cerca de dois mil empregos diretos na cidade.
* postado por Oswaldo Scaliotti