Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Adece

Adece terá Câmara Setorial de Economia Criativa

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

11 de Fevereiro de 2019

A Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) terá uma Câmara Setorial dedicada a economia criativa. A criação do órgão foi aprovada, por unanimidade, na última sexta-feira (8), pelo Conselho Gestor das Câmaras Setoriais e Temáticas da Adece, com o objetivo de identificar os entraves e oportunidades do setor no Estado, apresentando propostas de projetos e soluções ao desenvolvimento econômico, sustentável e competitivo da área.

A Câmara Setorial ainda será oficializada, mas instituições do segmento já comemoram a conquista, que foi impulsionada pelo Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). A articulação iniciou a partir de demandas apontadas pelos participantes da Rota Estratégica de Economia Criativa e Turismo, que resultou em um projeto prioritário dentro do Masterplan de Economia Criativa. Para concretizar os projetos, foram feitas diversas articulações entre FIEC, Adece e instituições públicas e privadas do setor de Economia Criativa.

No dia 18 de dezembro, foi feito um workshop na Adece com as entidades representantes do setor, quando foram apresentados os projetos Rotas Estratégicas Setoriais e Fortaleza 2040 de forma a familiarizar as entidades com as ações que estão sendo desenvolvidas no âmbito da Economia Criativa no Estado. “Essa é uma conquista importante que, certamente, renderá bons frutos”, afirmou Luis Carlos Sabadia, líder setorial do Masterplan de Economia Criativa e gerente do Museu da Indústria.

Sobre o setor

Os setores que compõem a Economia Criativa foram identificados como estratégicos em todas as regiões do Estado, reunindo atividades relacionadas ao conhecimento, à cultura, à criatividade e à capacidade intelectual, ficando evidente o impacto positivo que o desenvolvimento destes trariam para a agregação de valor de produtos industriais, o fortalecimento da identidade cultural e o empreendedorismo no Estado.

Sobre o Masterplan

O Masterplan é uma continuidade do projeto Rotas Estratégicas Setoriais cujo objetivo é construir estratégias de desenvolvimento setorial com implantação de portfólios de projetos de alto impacto, possibilitando sinergia de esforços e investimentos dos agentes responsáveis pelo desenvolvimento do Estado. No Masterplan, são feitas as articulações para transformar as ações apontadas nas Rotas Estratégicas Setoriais em projeto

Publicidade

Governo do Ceará apresenta seu potencial para receber novos investimentos em feira internacional de logística

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de novembro de 2018

O Governo do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), composto pelo Porto do Pecém e Zona de Processamento de Exportação (ZPE Ceará), órgãos vinculados à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), participa nesta quarta (28/11) e quinta-feira (29/11), da Expolog 2018 – Feira Internacional de Logística e do XIII Seminário Internacional de Logística, que acontecem no Centro de Eventos do Ceará.

Em estande representando o Governo do Ceará, CIPP, ZPE e Adece, durante os dois dias de feira, apresentam os principais agentes na atração de novos investimentos para o Estado no setor de logística. Segundo o presidente do CIPP, Danilo Serpa, a feira se tornou um importante evento para divulgar a evolução da logística cearense. “Nos últimos anos é possível observar como o setor no Estado evoluiu. O Porto do Pecém, atualmente, é referência no setor portuário por conta de toda a estrutura oferecida no CIPP, e este evento é importante para mostrar todo o potencial do Ceará”, destaca.

Durante o XIII Seminário Internacional de Logística serão discutidos importantes temas do setor. Na programação do dia 28 de novembro, às 9h30min, será realizada a solenidade de abertura do evento e contará com a participação de Danilo Serpa, presidente do CIPP; Mário Lima, presidente da ZPE Ceará, e Eduardo Neves, presidente da Adece.

No dia 29 de novembro, às 15h30min, Danilo Serpa participa do painel “Hubs, desafios e oportunidades”, com a palestra Hub Pecém, na qual Eduardo Neves, presidente da Adece será o debatedor. Em seguida, às 17 horas, Serpa preside o painel “Conexão entre os Portos”, no auditório principal do evento. No Business Lounge, às 16 horas, o presidente do ZPE CEARÁ, Mário Lima, preside o painel sobre Cabotagem.

A EXPOLOG

A Expolog, em sua 13ª edição,  reúne os principais players do setor de logística, transporte e comércio exterior do país, transportadoras; operadores portuários; companhias docas, portos e terminais; empresas exportadoras, autoridades do setor, construtores, hidroviários, aduaneiras, entre outros. Este ano, o tema central do evento é “Intermodalidade e a Conexão Global no Brasil pós-paralisação”.

Publicidade

Sertão Central: Governo autoriza construção de cinco galpões industriais para o setor calçadista

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

03 de julho de 2018

Cinco municípios do Sertão Central cearense serão beneficiados com galpões industriais para receber empresas do segmento calçadista e gerar emprego e renda para a população. Na manhã desta terça-feira (03), prefeitos e representantes de Madalena, Banabuiú, Pedra Branca, Boa Viagem e Piquet Carneiro assinaram um memorando de entendimento com a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) para a viabilização das estruturas.

Foto: Gois Mendes (prefeito de Pedra Branca), Edinho Nobre (prefeito de Banabuiú), Bismarck Bezerra (prefeito de Piquet Carneiro), Nelson Martins (secretário-chefe da Casa Civil), Eduardo Neves (presidente da Adece), Aline Vieira (prefeita de Boa Viagem), Sônia Costa (prefeita de Madalena) e Cirilo Pimenta (presidente do Idace)

Representando o governador Camilo Santana, o secretário-chefe da Casa Civil, Nelson Martins, destacou a importância do apoio do Governo do Ceará para a atração de novas indústrias aos municípios beneficiados. “São municípios que precisam muito de apoio, geração de emprego e desenvolvimento, tendo em vista que foram vítimas de seis anos de seca”. Ainda de acordo com ele, “o recurso já está aprovado pelo governador Camilo Santana e, agora, o próximo passo é encaminhar a etapa burocrática de licitações e convênios apara a instalação das empresas o mais rápido possível”, completa.

Conforme o presidente da Adece, Eduardo Neves, a conquista é fruto de um trabalho contínuo de atração de investimentos iniciado há quase um ano. “Alguns prefeitos nos acompanharam em missões, feiras e eventos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Franca, em São Paulo, buscando empresas para se instalar no interior do Estado”, explica. De acordo ainda com o executivo, cada galpão será de mil metros quadrados e, em contrapartida, os municípios devem doar os terrenos para viabilizar a construção por parte da Adece.

Os gestores municipais presentes destacaram a necessidade de um novo olhar para os municípios, tendo em vista os prejuízos contabilizados com a falta de chuvas. De acordo com o prefeito de Piquet Carneiro, Bismarck Bezerra, o momento é histórico para a população local, considerando-se a chegada da primeira indústria para o município. Já Sônia Costa, de Madalena, parabenizou o trabalho de em prol da descentralização do desenvolvimento econômico do Estado do Ceará.

Estiveram presentes ainda os prefeitos Aline Vieira (Boa Viagem), Edinho Nobre (Banabuiú) e Góis Mendes (Pedra Branca). Participaram também da celebração das assinaturas o presidente do Instituto do Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace), Cirilo Pimenta; o diretor de Infraestrutura da Adece, Marco Prado; além de lideranças políticas e demais gestores municipais.

 

Publicidade

Governo do Ceará prospecta indústrias calçadistas no Sul

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

23 de Maio de 2018

 
O Governo do Estado do Ceará, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), realiza mais uma missão na região Sul em busca de atrair investimentos. Desta vez, o Salão Internacional do Couro e do Calçado (SICC), realizado em Gramado, no Rio Grande do Sul, é o alvo do trabalho de prospecção.
 
Conforme o presidente da Adece, Eduardo Neves, a ideia é buscar elos faltantes na cadeia produtiva da indústria calçadista cearense. “Sem sombra de dúvidas, é um setor de extrema importância para o Ceará pela transformação que vem fazendo em alguns municípios, gerando emprego e renda. Ouvindo as empresas, identificamos a necessidade preencher a cadeia produtiva e estamos trabalhando para que o calçado como um todo seja fabricado aqui no Ceará, sem a precisão de buscar componentes fora do país”, explica.
 
Solas, saltos e palmilhas são alguns dos componentes dos calçados ainda importados pelo Ceará. De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), os países de procedência, em sua maioria, são China e Vietnã.
 
Já nas vendas para o exterior, no primeiro trimestre do ano, o Ceará continuou com a posição de maior exportador em número de pares do Brasil e segundo lugar em valores. Nos três primeiros meses do ano, US$ 88,2 milhões e quase 16 milhões de pares foram exportados pelo Estado.
 
Sobral lidera os municípios brasileiros exportadores do segmento. Uruburetama (5º), Camocim (23º), Horizonte (24º) e Quixeramobim (30º) também se destacam no ranking nacional.
 
Empregos
 
A indústria calçadista é responsável por 26% dos vínculos empregatícios do Estado, conforme estudo realizado pela Coordenadoria de Políticas e Estratégias da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (SDE), com apoio da Adece. O setor está presente nas 14 macrorregiões cearenses e é responsável por mais de 55 mil vínculos empregatícios no Estado.
 
Segundo o estudo, 87% do total de empregos da indústria calçadista estão presentes em empresas incentivadas pelo Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI), política de fomento à produção industrial do Governo do Ceará.
Publicidade

Indústria calçadista vai dobrar número de empregos em Brejo Santo

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

11 de Maio de 2018

 
Líder na geração de empregos da indústria de transformação cearense, o setor calçadista local contará com mais uma ampliação relevante para o Estado. Nesta quinta-feira (10), um convênio entre a Prefeitura de Brejo Santo e a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) foi assinado permitindo a realização de uma obra para expansão da segunda etapa da empresa Dilly Sports.
 
Conforme o presidente da Adece, Eduardo Neves, a expansão da indústria vai dobrar o número de empregos gerados pela empresa na região. “Atualmente, a fábrica emprega 800 funcionários diretos e outras 800 vagas de trabalho formais serão criadas com a ampliação. Estão previstos cerca de R$ 8,5 milhões para o projeto do galpão, sendo aproximadamente R$ 8 milhões da Adece e o restante da Prefeitura, que vai realizar uma licitação para dar início à obra”, explica.
 
A expansão das atividades faz parte de um projeto maior desenhado em 2014, em parceria com o Governo do Ceará, quando a fábrica foi implantada no Estado. É o que explica o sócio da indústria, Fabiano Dilly. “Começamos em um imóvel provisório em 2014, depois fomos para o local atual em 2016. A segunda etapa será para ampliar tanto a nossa estrutura da capacidade de fabricação de cabedais como o aumento da produção em sua totalidade”, comemora o empresário.
 
Marcas reconhecidas
 
Atualmente, a Dilly Sports fabrica para marcas reconhecidas a nível mundial. Mormaii, Puma, Diadora e Oackley são algumas delas. De acordo com Fabiano, a empresa comercializa, em sua maioria, para todo o território nacional com predominância nas regiões Sul e Sudeste. Já as exportações são realizadas para Estados Unidos, Europa, Japão e China.
 
Desenvolvimento local
 
Para a prefeita de Brejo Santo, Teresa Landim, a expansão industrial significa a valorização do potencial existente no município. “Vai gerar oportunidades não somente para os jovens, mas para famílias. A primeira etapa fez um grande diferencial na economia do município e existia essa esperança da ampliação, uma promessa hoje concretizada pelo governador Camilo Santana”, comenta.
 
Conforme a prefeita, o próximo passo é a licitação das obras. O prazo de início é para junho deste ano.
Publicidade

Reunião com diretoria da Air France/KLM discute oportunidades de exportação por modal aéreo

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

23 de Março de 2018

 

O Governo do Ceará, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (SDE), realiza, no próximo dia 27 de março (terça-feira), às 14h, no auditório da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), uma reunião com a Diretora de Cargas da companhia aérea Air France/KLM, Renata Branco.

O objetivo da reunião é estimular a geração de negócios internacionais e as exportações cearenses. Na oportunidade, a diretora da companhia apresentará as oportunidades de exportação via modal aéreo. Deverão participar também representantes do setor produtivo, associações, agentes de carga, operadores aeroportuários e demais interessados.

De acordo com o titular da SDE, Cesar Ribeiro, as oportunidades decorrentes do hub aéreo da Air France/KLM/Gol estão movimentando a economia cearense. Com a reunião, a intenção é ofertar para o setor produtivo outro canal eficiente e competitivo de exportação, que é o modal aéreo. Ao todo, o grupo Air France/KLM fará cinco operações no Aeroporto de Fortaleza, a partir de maio, ampliando para seis, a partir de de outubro.

“Produtos perecíveis como frutas, flores e pescados têm uma oportunidade de crescer mais no mercado externo com o aumento da frequência de voos para a Europa, com possibilidade de atingir não só o mercado europeu, como também o asiático”, disse.

REUNIÃO COM A DIRETORIA DE CARGAS DA AIR FRANCE/KLM

Dia 27/03/2018 (terça-feira)

Horário: 14h

Local: Auditório da Adece

Av. Dom Luís, 807, 7º andar, Meireles

Fortaleza-CE

Publicidade

Nicolle Barbosa recebe Prêmio Excelência Mulher 2018 em São Paulo

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

22 de Março de 2018

Eduardo Neves (diretor de Infraestrutura da Adece), Fernando Santana (secretário-adjunto do Gabinete do Governador), Nicolle Barbosa (presidente da Adece), Sara Lima e Jorge Lehm Müller (1o vice-diretor CIESP-Sul) 
A presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Nicolle Barbosa, foi agraciada com o Prêmio Excelência Mulher 2018, que laureia mulheres de destaque nas atividades de diversas áreas profissionais e filantrópicas. A 14ª edição do evento aconteceu na noite da última quarta-feira (21), no Espaço Nobre do Edifício sede da FIESP/CIESP, e consta no calendário oficial eventos da cidade de São Paulo pela Lei Municipal nº 15925/13.
 
A iniciativa da Fraternidade Aliança Aca Laurência e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo – Diretoria Distrital Sul é considerada a mais importante da indústria em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. Homenagear aquelas que contribuíram no cenário nacional e internacional com suas lutas e conquistas é o principal objetivo da comenda, além de fortalecer o relacionamento entre os setores empresarial, comercial e industrial.
 
Líder empresarial, Nicolle Barbosa cursou Administração e Direito destacando-se como diretora e presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas do Ceará (SINDIGRAFICA). A executiva também foi diretora e presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), presidente da Comissão Eleitoral da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) e presidiu a Associação Brasileira da Indústria Gráfica no Ceará (ABIGRAF/CE). Em 2015, foi convidada pelo governador Camilo Santana para assumir a Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará. Atualmente, preside a Adece e o Partido Social Cristão (PSC).
 
O prêmio prestou reconhecimento ainda a Ana Paula Zomer, Procuradora do Estado de São Paulo; Dagmar Rivieri, criadora da Pedagogia do Arco Iris, uma pedagogia centrada em ideias de interesse social de pleno desenvolvimento humano para crianças e jovens de baixa renda; Danielle Fausto, coaching e voluntária no projeto “Coletivos em Movimento” desenvolvendo ações voluntárias nos temas de empregabilidade e talentos; Francisca Rodrigues, Pró Reitora de Pós Graduação, Extensão e Pesquisa da Faculdade Zumbi dos Palmares; Helena dos Santos Reis – Coronel e Secretária Chefe da Casa Militar e Coordenadora Estadual de Defesa Civil; Juliana Moraes Corregiari Bei, juíza de Direito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo desde 2010; Marilene Marfin Martin, mestre, doutora, docente, congressista, pesquisadora e psicoterapeuta com foco em atendimento à crianças especiais; Michelle Ivanoff, criadora da ONG Passos Mágicos que auxilia 400 crianças de quatro núcleos de Embu Guaçu; Rose Gottardo, atual Vice-Presidente da Fundação Padre Anchieta; Sandra Bamonte, idealizadora e fundadora da Ong Vivendo com Arte onde atua há 20 anos como Diretora voluntária na Comunidade de Paraisópolis; Viviane Bezerra de Oliveira, ministra aulas na Central Prática sobre marcas e seus procedimentos junto ao I.N.P.I. e ocupa o cargo vice presidente do Grupo BNI AVANTE.
Publicidade

Secovi apresenta projeto de segurança para contribuir com o Estado

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

07 de Março de 2018

A partir do sistema de câmeras dos condomínios, o projeto Zona Protegida compartilha informações que vão ajudar as Forças de Segurança Pública

Com o crescimento descontrolado da violência no Ceará e com objetivo de unir forças com o Governo para combater a criminalidade, o Secovi-CE (Sindicato da Habitação) apresentou nesta quarta-feira, 7, na Agência do Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), uma proposta de parceria público-privada na área de segurança, o Zona Protegida. O projeto foi anunciado pelo presidente do Secovi-CE, Sérgio Porto, e pelo vice-presidente de shopping center, Flávio Pinto, ao presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Indústria Imobiliária do Ceará (CS Imobiliária), Gama Filho, e demais representantes do setor com assento no colegiado.

O Zona Protegida é uma rede social que compartilha as infraestruturas de segurança de condomínios em uma região limitada, através da comunicação correta e ágil dos incidentes para as Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal. Complementando as chamadas telefônicas, a proposta é possibilitar que o público transmita textos, vídeos, áudios, imagens e geoposicionamento aos Centros Integrados de Operações da Segurança Pública. As Forças de Segurança passariam a contar com uma rede bem maior de informações no combate à criminalidade.

Para o presidente Sérgio Porto, o projeto traz inovações para a área de segurança no Estado e beneficia toda a sociedade.  “O Secovi, como representante dos condomínios, tem como objetivo contribuir para a segurança da população. E acreditamos que o projeto Zona Protegida irá ajudar a esclarecer crimes e até mesmo inibir assaltos e outros tipos de delitos nas zonas residenciais. Por isso, a parceria público-privada é essencial para o sucesso dessa iniciativa que terá abrangência em toda a cidade”, finaliza.

Após a exposição do presidente do Secovi-CE, os participantes da reunião se pronunciaram e elogiaram a iniciativa que deve reunir toda a cadeia produtiva. O presidente da CS Imobiliária, Gama Filho, confirmou que irá marcar um encontro com os presidentes das outras 26 câmaras setoriais para que o Zona Protegida seja apresentado aos demais setores da economia e da sociedade. “Quando o assunto é segurança, por mais que a gente espere do poder público, temos a consciência de que o Governo não pode resolver tudo sozinho. É então a partir de projetos como esse que nós, iniciativa privada, podemos dar nossa contribuição”, salientou.

A Câmara

A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Indústria Imobiliária do Ceará (CS Imobiliária) é um órgão colegiado, de deliberação coletiva, de caráter normativo e consultivo vinculado à Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará S.A. – ADECE, e instituída através da Portaria nº 012/2013 de 15/02/2013, tendo por finalidade propor, apoiar e acompanhar projetos e ações visando o desenvolvimento sustentável do setor imobiliário do Estado do Ceará.

A CS Imobiliária é composta por representantes do setor a ela vinculados diretamente ou através de apoio logístico ou consultivo, para atuar na identificação de oportunidades e entraves impeditivos ao desenvolvimento do setor, articulando agentes públicos e privados e definindo ações prioritárias de interesse comum, visando a atuação integrada dos diferentes segmentos envolvidos.

Publicidade

Adece participa de feira internacional de frutas na Alemanha

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

08 de Fevereiro de 2018

O diretor de Agronegócio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Silvio Carlos Ribeiro, marca presença na Fruit Logistica 2018, uma das maiores feiras de logística do mundo. O evento acontece entre os dias 7 e 9 de fevereiro, em Berlim na Alemanha.
 
“A presença da Adece no evento representa o apoio do Governo do Ceará ao setor por meio da Câmara Setorial de Fruticultura, uma das mais atuantes na Agência”, comenta Silvio.
 
De acordo com o diretor da Adece, um dos temas em discussão no evento é a eficiência do uso da água para a produção de frutas. “Muitos países precisam aumentar a área produtiva, mas possuem limitação de água. Situação similar a que passa nosso Estado. O manejo correto da irrigação e a produção de frutas que possuem maior valor agregado e consomem menos água são saídas possíveis para o problema. A logística é outra temática que interessa muito ao Ceará nessa feira com a presença do Porto do Pecém e a nova rota para a Ásia que se anuncia para o próximo mês de abril”, completa.
 
O Governo do Estado do Ceará está presente também no evento por meio do Porto do Pecém. Com um estande de 20m², a estrutura está disponível para receber visitantes e prospectar novos negócios. Atualmente,  o porto cearense é o segundo do nordeste com maior produtividade na movimentação de containers.
Publicidade

Ceará terá unidade fabril da Rafarillo

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

27 de novembro de 2017

 
O Ceará ganhará mais uma planta industrial calçadista de projeção nacional. Com investimento de aproximadamente R$ 10 milhões, a Rafarillo Indústria de Calçados Ltda. sediada há 26 anos em Franca, no estado de São Paulo, implantará sua segunda unidade fabril no município de Cascavel, a 62 quilômetros de Fortaleza.
 
Conforme a presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Nicolle Barbosa, a vinda da empresa é resultado de um intenso trabalho de prospecção de empresas realizado pela Agência em 2017. “Foi um ano de muitas missões em busca de atrair esses investimentos. Estivemos em Franca, município paulista referência no setor calçadista. Também articulamos a ida de 10 prefeitos cearenses para a Francal, maior feira do segmento, onde demos celeridade aos diálogos com as empresas. Continuamos em contato com outras indústrias e as expectativas são bastante positivas”, completa.
 
Nos dias 20 a 22 de novembro, Nicolle e uma equipe da Adece marcaram presença na Zero Grau, uma das principais feiras calçadistas do País, realizada no Rio Grande do Sul. A Agência contou com um estande institucional no evento com o objetivo de apresentar o Ceará e as vantagens de se investir no Estado. Na edição deste ano, cerca de 320 indústrias calçadistas participaram do evento.
 
Postos de trabalho
 
Aproximadamente 500 empregos diretos serão gerados com o funcionamento da Rafarillo no Ceará. A nova planta terá produção diária de 2,5 mil pares de calçados, o equivalente a 50 mil por mês e 600 mil por ano. A produção será comercializada para todo o Brasil. Na fábrica de  Franca, principal polo calçadista masculino do País, cerca de 800 funcionários diretos e indiretos  produzem 7 mil pares de calçados por dia.
 
“O Ceará já possui um polo calçadista desenvolvido e tem vocação natural para mão de obra de produtos artesanais. Importante também foi o alinhamento mútuo das propostas compartilhadas com a Adece, na pessoa de Nicolle e equipe. Como a confecção do calçado masculino é muito artesanal, certamente também serão gerados importantes empregos indiretos, como por exemplo, costura manual e outras atividades agregadas”, explica Valter Cintra, diretor comercial da Rafarillo.
 
Sobre a previsão de início de funcionamento da fábrica, o empresário afirma que a expectativa é para maio de 2018. Em relação à comercialização, ele adianta que as perspectivas são de um incremento de 20% na região Nordeste.
 
Setor gera mais empregos
 
Conforme dados mais recentes divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), a indústria calçadista cearense foi responsável pelo maior saldo de geração de empregos formais. No acumulado dos meses de janeiro a outubro de 2017, o número foi de 1.392 postos de trabalho registrados na indústria de calçados. No mês de outubro, o setor calçadista também se mantém na liderança dos saltos, com 602 vagas. Em segundo lugar aparecem indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos, com 1.297 vagas no acumulado do ano e indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, com 416 postos de trabalho gerados em outubro.
 
Nicolle destaca ainda o crescimento do setor no Ceará com expansões realizadas por indústrias já em funcionamento em território cearense. “Senador Pompeu, Aracati, Quixeramobim e Brejo Santo foram alguns dos municípios contemplados com emprego e renda por meio das empresas Calçados Senador Pompeu, Sapatoterapia, Aninger e Dilly, que foram ampliadas em 2017. O Governo do Ceará tem contribuído no crescimento das empresas por meio de incentivos fiscais e de infraestrutura”, comenta.
 
Exportações
 
No acumulado de janeiro a outubro de 2017, os calçados exportados pelo Ceará somaram US$ 240,8 milhões, representando 14,56% do total exportado no período. O número ficou atrás apenas dos produtos metalúrgicos com US$ 837,5 milhões em vendas externas, o equivalente a 50,63% do valor total exportado pelo Estado no igual período. O valor de calçados exportado superou as vendas para outros países no mesmo período de 2016, quando foram comercializados US$ 220,3 milhões. O Rio Grande do Sul aparece no primeiro lugar do ranking, com US$ 376,53 milhões exportados no período de janeiro a outubro deste ano.
Publicidade

Ceará terá unidade fabril da Rafarillo

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

27 de novembro de 2017

 
O Ceará ganhará mais uma planta industrial calçadista de projeção nacional. Com investimento de aproximadamente R$ 10 milhões, a Rafarillo Indústria de Calçados Ltda. sediada há 26 anos em Franca, no estado de São Paulo, implantará sua segunda unidade fabril no município de Cascavel, a 62 quilômetros de Fortaleza.
 
Conforme a presidente da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Nicolle Barbosa, a vinda da empresa é resultado de um intenso trabalho de prospecção de empresas realizado pela Agência em 2017. “Foi um ano de muitas missões em busca de atrair esses investimentos. Estivemos em Franca, município paulista referência no setor calçadista. Também articulamos a ida de 10 prefeitos cearenses para a Francal, maior feira do segmento, onde demos celeridade aos diálogos com as empresas. Continuamos em contato com outras indústrias e as expectativas são bastante positivas”, completa.
 
Nos dias 20 a 22 de novembro, Nicolle e uma equipe da Adece marcaram presença na Zero Grau, uma das principais feiras calçadistas do País, realizada no Rio Grande do Sul. A Agência contou com um estande institucional no evento com o objetivo de apresentar o Ceará e as vantagens de se investir no Estado. Na edição deste ano, cerca de 320 indústrias calçadistas participaram do evento.
 
Postos de trabalho
 
Aproximadamente 500 empregos diretos serão gerados com o funcionamento da Rafarillo no Ceará. A nova planta terá produção diária de 2,5 mil pares de calçados, o equivalente a 50 mil por mês e 600 mil por ano. A produção será comercializada para todo o Brasil. Na fábrica de  Franca, principal polo calçadista masculino do País, cerca de 800 funcionários diretos e indiretos  produzem 7 mil pares de calçados por dia.
 
“O Ceará já possui um polo calçadista desenvolvido e tem vocação natural para mão de obra de produtos artesanais. Importante também foi o alinhamento mútuo das propostas compartilhadas com a Adece, na pessoa de Nicolle e equipe. Como a confecção do calçado masculino é muito artesanal, certamente também serão gerados importantes empregos indiretos, como por exemplo, costura manual e outras atividades agregadas”, explica Valter Cintra, diretor comercial da Rafarillo.
 
Sobre a previsão de início de funcionamento da fábrica, o empresário afirma que a expectativa é para maio de 2018. Em relação à comercialização, ele adianta que as perspectivas são de um incremento de 20% na região Nordeste.
 
Setor gera mais empregos
 
Conforme dados mais recentes divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), a indústria calçadista cearense foi responsável pelo maior saldo de geração de empregos formais. No acumulado dos meses de janeiro a outubro de 2017, o número foi de 1.392 postos de trabalho registrados na indústria de calçados. No mês de outubro, o setor calçadista também se mantém na liderança dos saltos, com 602 vagas. Em segundo lugar aparecem indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos, com 1.297 vagas no acumulado do ano e indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, com 416 postos de trabalho gerados em outubro.
 
Nicolle destaca ainda o crescimento do setor no Ceará com expansões realizadas por indústrias já em funcionamento em território cearense. “Senador Pompeu, Aracati, Quixeramobim e Brejo Santo foram alguns dos municípios contemplados com emprego e renda por meio das empresas Calçados Senador Pompeu, Sapatoterapia, Aninger e Dilly, que foram ampliadas em 2017. O Governo do Ceará tem contribuído no crescimento das empresas por meio de incentivos fiscais e de infraestrutura”, comenta.
 
Exportações
 
No acumulado de janeiro a outubro de 2017, os calçados exportados pelo Ceará somaram US$ 240,8 milhões, representando 14,56% do total exportado no período. O número ficou atrás apenas dos produtos metalúrgicos com US$ 837,5 milhões em vendas externas, o equivalente a 50,63% do valor total exportado pelo Estado no igual período. O valor de calçados exportado superou as vendas para outros países no mesmo período de 2016, quando foram comercializados US$ 220,3 milhões. O Rio Grande do Sul aparece no primeiro lugar do ranking, com US$ 376,53 milhões exportados no período de janeiro a outubro deste ano.