Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

28° CINE CEARÁ

28° Cine Ceará termina neste sábado (11) com premiação e exibição do primeiro episódio da série inédita Cine Holliúdy

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

10 de agosto de 2018

 

Exibições, debates e cursos marcam a programação do Festival. Acesso gratuito.

Depois de uma intensa programação em espaços diversos de Fortaleza, termina neste sábado, 11, o 28º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, que foi aberto no sábado anterior. A solenidade de encerramento será a partir das 19h30, no Cineteatro São Luiz, com premiação aos vencedores das mostras competitivas, homenagem ao diretor do Canal Brasil, Paulo Mendonça, e aos 10 anos de criação do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará.

 

Após a cerimônia de encerramento, acontece no sábado a exibição do primeiro episódio da série de tv “Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios”, de Halder Gomes, Patrícia Pedrosa e Renata Porto D’Ave, que será lançada pela TV Globo em data a ser confirmada. Os ingressos são gratuitos e serão distribuídos na bilheteria no sábado a partir das 19 horas.

Após a cerimônia de encerramento, acontece no sábado a exibição do primeiro episódio da série de tv “Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios”, de Halder Gomes, Patrícia Pedrosa e Renata Porto D’Ave, que será lançada pela TV Globo em data a ser confirmada. Os ingressos são gratuitos e serão distribuídos na bilheteria no sábado a partir das 19 horas.

LANÇAMENTO DE LIVRO

 

No sábado pela manhã será o último bate-papo desta edição com os realizadores dos filmes da mostra competitiva exibidos na noite de sexta-feira, a partir das 10h, na sala de debates no mezanino do Hotel Oásis Atlântico. No local, às 11h, o jornalista e realizador audiovisual Emerson Maranhão apresenta o livro Cinema Falado(Editora Dummar), lançado em junho deste ano. A obra reúne entrevistas inéditas com 12 cineastas cearenses, entre eles, Karim Aïnouz (diretor de O Céu de Suely e Praia do Futuro), Halder Gomes (Cine Holiúdy e O Shaolin do Sertão), Glauber Filho (As mães de Chico Xavier) e Petrus Cariry (Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois e O Barco). O livro tem apresentação da jornalista e escritora Maria do Rosário Caetano, uma das principais pesquisadoras do cinema latino-americano.

 

FILMES DO 28º CINE CEARÁ

 

Mais de 100 curtas e longas compõem a programação do 28º Cine Ceará, com exibições no Cineteatro São Luiz, Caixa Cultural Fortaleza, Cinema do Dragão e em telão na Praça do Ferreira. Os filmes foram distribuídos nas mostras: Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem, Competitiva Brasileira de Curta-metragem, Olhar do Ceará, Mostras O Primeiro Filme a Gente Nunca Esquece, Melhor Idade, Acessibilidade, Cada Gota Conta, Cinema na Praça, Exibições Especiais e, antes da abertura oficial, aconteceram as mostras Os Trapalhões e Cinema Peruano.

Além das exibições, as ações formativas atraíram um grande número de gestores, profissionais e estudantes de audiovisual, que participaram dos cursos, debates e do Seminário Descentralização da Produção Audiovisual no Centro-Oeste, Norte e Nordeste – Conne.

 

SEXTA-FEIRA: últimas exibições das mostras competitivas

 

Nesta sexta-feira, no Cineteatro São Luiz, o público poderá conferir os últimos filmes das mostras competitivas de curta e longa-metragem. Serão exibidos 3 curtas: “Só Por Hoje” (de Sabrina Garcia, do Rio de Janeiro), “Capitais” (dos cearenses Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha) e “A escolha de Isaac” (de Sergio GAG, de São Paulo). Na competitiva de longa será a  estreia nacional de “Diamantino”, uma co-produção Brasil, Portugal, França, com direção de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt.

 

SEXTA e SÁBADO na PRAÇA DO FERREIRA: cinema e shows

 

Na Praça do Ferreira tem cinema e shows nas duas últimas noites do Cine Ceará. O filme de sexta-feira é “O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão”, com início às 19h30. E depois das 22h30, show do grupo Os Muringa. No sábado o filme da mostra Cinema na Praça é “Os Trapalhões e o Mágico de Oróz” e no palco dos shows, na noite de encerramento, a atração é a banda Os Transacionais.

 

SÁBADO: Anúncio dos vencedores

 

Oito filmes disputam o Troféu Mucuripe em diversas categorias na Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem. Além de “Diamantino”, que será exibido na sexta-feira, estão na disputa os filmes: “O Barco” (Petrus Cariry. Ficção. 72’. Brasil. 2018. 14 anos), “Cabras de Merda” / Cabros de mierda (Gonzalo Justiniano. Ficção. 95’. Chile. 2017. 13 anos), “Petra” (Jaime Rosales. Ficção. 107’. Espanha. 2018. 16 anos), “Eduardo Galeano Vagamundo” (Felipe Nepomuceno. Documentário. 72’. Brasil. 2018), “Amália, a secretária” / Amalia, la secretaria (Andrés Burgos. Ficção. 103’. Colômbia. 2017. Livre), “Anjos de Ipanema” (Conceição Senna. Documentário. 90’. Brasil. 2018. Livre) e “Senhorita Maria, a saia da montanha” / Señorita María, la falda de la montaña (Rubén Mendoza. Documentário. 90’. Colômbia. 2017. 12 anos).

 

A Competitiva Brasileira de Curta-metragem tem 13 filmes na disputa dos prêmios: “A Ponte” (Rafael Câmara. Ficção. 15’. São Paulo. 2017), “Plantae” (Guilherme Gehr. Ficção. 10’. Rio de Janeiro. 2017), “A Menina Banda” (Breno César. Ficção. 25′. Pernambuco. 2018), “Maria Cachoeira” (Pedro Carcereri. Ficção. 11’. Minas Gerais. 2017), “O Evangelho Segundo Tauba e Primal” (Marcia Deretti e Marcio Junior. Ficção.  12’’. Goiás. 2018), “Eu sou o Super-Homem” (Rodrigo Batista. Ficção. 19’. São Paulo. 2017), “Nomes que importam” (Angela Donini e Muriel Alves. Documentário. 15’. Rio de Janeiro. 2018), “O Vestido de Myriam” (Lucas H. Rossi. Ficção. 15’. Rio de Janeiro. 2017), “Nova Iorque” (Leo Tabosa. Ficção. 24’. Pernambuco. 2017), “A Canção de Alice” (Bárbara Cariry. Ficção. 15’. Ceará. 2018), “Só Por Hoje” (Sabrina Garcia. Ficção. 19’. Rio de Janeiro. 2017), “Capitais” (Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha. Ficção. 11’. Ceará. 2018) e “A escolha de Isaac” (Sergio GAG. Ficção. 24’. São Paulo. 2018).

PRÊMIOS: Competitivas e Olhar do Ceará

Os vencedores das duas mostras competitivas serão agraciados com o Troféu Mucuripe. Os longas serão premiados nas categorias Melhor Filme, Direção, Fotografia, Montagem, Roteiro, Som, Trilha Sonora Original, Direção de Arte, Ator e Atriz. O Melhor Longa-metragem também ganha prêmio no valor em moeda brasileira equivalente a dez mil dólaresConcorrem ao Troféu Mucuripe na competitiva de curtas os eleitos pelo júri nas categorias de Melhor Curta-metragem, Direção, Roteiro e Produção Cearense. A Mostra Olhar do Ceará, da qual participam 24 curtas cearenses, também dará o Troféu Mucuripe ao Melhor Curta-metragem.

Outros prêmios especiais também serão concedidos: Prêmio Olhar Universitário (Troféu Mucuripe ao Melhor Curta-metragem e Melhor Longa-metragem escolhidos pelo Júri Olhar Universitário), Prêmio Aquisição Canal Brasil (R$ 15 mil ao Melhor Filme da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem escolhido por júri formado pelo Canal Brasil), Prêmio Unifor de Audiovisual (R$ 5 mil ao Melhor Curta-metragem da Mostra Olhar do Ceará), Troféu Samburá (Oferecido pela Fundação Demócrito Rocha – Jornal O Povo ao melhor Curta-metragem e ao Melhor Diretor da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem).

E mais: Prêmio Cia Rio (R$ 27 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da empresa Naymar ao Melhor Curta-metragem Brasileiro escolhido pelo Júri Oficial), Prêmio Mistika (R$ 14 mil em serviços de conformação, correção de cor, finalização, aplicação de letreiros, masterização de DCP e arquivos digitais ao Melhor Filme da Mostra Olhar do Ceará e R$ 14 mil ao Melhor Filme da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem), Prêmio Cineboutique (R$ 20 mil em serviços de locação de equipamentos de câmera, iluminação, maquinaria, produção e acessórios ao Melhor Filme da Mostra Olhar do Ceará escolhido pelo Júri Universitário) e Prêmio Cada Gota Conta (R$ 3 mil ao vencedor da Mostra Cada Gota Conta, promovida pelo 28º Cine Ceará em parceria com a Companhia de Gestão de Recursos Hídricos.  O vencedor deste prêmio será escolhido pelo Júri Olhar Universitário).

O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: SP Combustíveis, M. Dias Branco, Banco do Nordeste, Café Santa Clara e Indaiá. Agradecimentos: Enel e Oi.

 

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Até 11 de agosto de 2018 em Fortaleza. Cineteatro São Luiz (Praça do Ferreira, s/n – Centro); Cinema do Dragão (R. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema); Hotel Oásis Atlântico (Av. Beira Mar, 2500 – Meireles), Acesso gratuito mediante ingressos com distribuição no local. Distribuição de ingressos na bilheteria – Cinema do Dragão: a partir das 14h; Cineteatro São Luiz: Uma hora antes do início da sessão; Encerramento: Dia 11 apartir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz. Informações: www.cineceara.com. Email: contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465. Grátis.

Diamantino

Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt. Ficção. 92 min. Brasil, Portugal, França. 2018 (Première Nacional)

https://www.youtube.com/watch?v=id1CwWogrXI

Publicidade

DIVULGADA A PROGRAMAÇÃO DO 28° CINE CEARÁ

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

01 de agosto de 2018

 

Festival ibero-americano de Cinema acontece de 4 a 11 de agosto em Fortaleza

“Diamantino”, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes

O Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema chega a sua 28ª edição. A programação, que acontece entre 4 e 11 de agosto em Fortaleza, no Ceará, contará com cerca de 100 filmes entre curtas e longas, exibidos nas salas de cinema e projetados na Praça do Ferreira. Dia 4, sábado, os bilhetes começam a ser distribuídos a partir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

Nesta edição, oito longas concorrem ao troféu Mucuripe. A ficção “O Barco”, de Petrus Cariry (“Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois”), será o filme de abertura, fazendo sua estreia nacional. Neste dia também acontece a homenagem ao comediante Renato Aragão e ao prof. Henry Campos, reitor da Universidade Federal do Ceará. No dia 5 será a première nacional do chileno “Cabras de Merda“, de Gonzalo Justiniano; segunda-feira é a vez do espanhol “Petra“, de Jaime Rosales, que estreou mundialmente na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.

 

Já na terça-feira, dia 7, dois longas serão exibidos, o brasileiro “Eduardo Galeano Vagamundo”, de Felipe Nepomuceno, que estreia mundialmente no festival, e o colombiano“Amália, a secretária”, de Andrés Burgos, fazendo sua première no Brasil. A quarta-feira contará com a exibição especial fora de competição do documentário “Che, Memórias de um ano secreto“, de Margarita Hernández.

 

Quinta-feira, o ator Antônio Pitanga será o homenageado. Na competição de longas serão exibidos “Anjos de Ipanema”, de Conceição Senna, fazendo sua estreia mundial, e o documentário “Senhorita Maria, a saia da montanha“, de Rubén Mendoza, premiado nos festivais de Cartagena, Locarno e Amiens. Sexta-feira, “Diamantino” (Brasil, Portugal e França), de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes, terá sua primeira exibição no Brasil, encerrando a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem do Cine Ceará.

Sábado, dia 11, será realizada a premiação e cerimônia de encerramento do festival. Paulo Mendonça, diretor do Canal Brasil, emissora que em 2018 completa 20 anos, será homenageado. Também acontece a pré-estreia do primeiro capítulo da série da Globo “Cine Holliúdy: Francisgleydisson encara novos desafios“, com a presença do diretor Halder Gomes e do protagonista Edmilson Filho.

Os curtas-metragens também vão marcar presença no Cine Ceará. Na Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem, estão 13 produções, incluindo o pernambucano “Nova Iorque”, de Leo Tabosa, os cearenses “A Canção de Alice”, de Bárbara Cariry e “Capitais”, de Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha, dentre outros.

Os vencedores das duas mostras competitivas serão agraciados com o troféu Mucuripe. Os longas serão premiados nas categorias Melhor Filme, Direção, Fotografia, Montagem, Roteiro, Som, Trilha Sonora Original, Direção de Arte, Ator e Atriz. Concorrem ao troféu Mucuripe na competitiva de curtas os eleitos pelo júri nas categorias de Melhor Curta-metragem, Direção, Roteiro e Produção Cearense.

A programação conta também com o II Seminário Descentralização da Produção Audiovisual no Centro-Oeste, Norte e Nordeste – Conne, além de oficina de roteiro, cursos de produções para séries de TVs e projetos incentivados e master class sobre melodrama. O público também poderá conferir a Mostra Olhar do Ceará, com mais de 20 curtas cearenses, as mostras sociais Melhor Idade, Acessibilidade e O Primeiro Filme a Gente Nunca Esquece, além de Exibições Especiais e Cinema na Praça, com a exibição de episódios de Os Trapalhões. Este ano o Peru é o país homenageado com a Mostra de Cinema Peruano, que apresenta 16 filmes, de 31 de julho a 5 de agosto, na CAIXA Cultural Fortaleza, antecedendo o início do festival.

O 28º Cine Ceará acontecerá de 04 a 11 de agosto, numa promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura (Lei Estadual Nº 13.811), do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: SP Combustíveis, M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara. Agradecimentos: Enel e Oi.

 

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – De 4 a 11 de agosto de 2018 em Fortaleza. Informações: www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85) 3055-3465. Grátis.

Cineteatro São Luiz (Praça do Ferreira, s/n – Centro); Cinema do Dragão (R. Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema); CAIXA Cultural Fortaleza (Av. Pessoa Anta, 287 – Praia de Iracema); Hotel Oásis Atlântico (Av. Beira Mar, 2500 – Meireles), Acesso gratuito mediante ingressos com distribuição no local. Mais informações: www.cineceara.com. Email:contatos@cineceara.com. Tel: (85)3055-3465.

Distribuição de ingressos:

Abertura: Dia 4 a partir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

Encerramento: Dia 11 a partir das 19h, na bilheteria do Cineteatro São Luiz.

Mostras: CAIXA Cultural Fortaleza e Cineteatro São Luiz: Uma hora antes do início da sessão, nas bilheterias; Cinema do Dragão: a partir das 14h, na bilheteria.

Publicidade

28° CINE CEARÁ REALIZA MOSTRA OS TRAPALHÕES

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

09 de julho de 2018

 

Iniciada no dia 04 de julho, a mostra acontece até o dia 27 deste mês no Cineteatro São Luiz, antecedendo a programação oficial do Cine Ceará

 

A abertura oficial é no dia 04 de agosto, mas o 28º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema já deu início à programação com a Mostra Os Trapalhões, que realiza no Cineteatro São Luiz, em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult). Com acesso gratuito, a mostra começou no dia 04 de julho e se estende até o dia 27, com exibições de filmes que marcaram a trajetória do quarteto Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, responsável por algumas das maiores bilheterias da história do cinema brasileiro.

O sobralense Renato Aragão, que se consagrou nacionalmente como o personagem Didi, será homenageado pelo Cine Ceará e a Secult na solenidade de abertura oficial do Festival, no palco do São Luiz, que nas décadas de 1970 a 1990 atraiu gerações de cearenses, lotando a plateia para assistir aos filmes da trupe.

Com a curadoria do jornalista Rodrigo Fonseca, autor da biografia “Renato Aragão – Do Ceará para o coração do Brasil”, e de Duarte Dias, curador e programador do Cineteatro São Luiz, a Mostra Os Trapalhões exibe 20 longas-metragens, entre títulos mais consagrados pelo público de várias gerações e outros que marcam a própria trajetória fílmica d’Os Trapalhões.

“Dessa forma, abrimos a mostra com o documentário ‘O Mundo Mágico dos Trapalhões’, de Silvio Tendler, que situa o grupo, de forma inequívoca, no panteão dos grandes mitos do cinema nacional. Na sequência contemplamos o primeiro filme a fazer uso do termo ‘Trapalhão’, no caso, ‘Adorável Trapalhão’, obra de 1967 que destaca o gênio criativo de Renato Aragão”, explica Duarte Dias. “Em seguida elencamos uma série de títulos consagrados por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, fechando a mostra com uma sessão dupla que engloba o clássico ‘Os Saltimbancos Trapalhões’ e a mais recente produção de Renato Aragão ao lado de Dedé Santana, ‘Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood’, o que configura, no nosso entendimento, uma bela oportunidade para que o público em geral possa apreciar, na tela do São Luiz, um dos ciclos mais bem sucedidos no campo da criação e da produção cinematográfica brasileira, resgatando, dessa maneira, parte da memória afetiva, histórica e cultural do nosso povo”, completa.

Os filmes da Mostra Os Trapalhões

“Adorável Trapalhão” (1967), “Bonga, O Vagabundo” (1971), “Ali Babá e os 40 Ladrões” (1972), “Simbad, O marujo Trapalhão” (1976), “O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão” (1977), “O Cinderelo Trapalhão” (1979),  “Os Três Mosqueteiros Trapalhões” (1980), “O Mundo Mágico dos Trapalhões” (1981), “O Incrível Monstro Trapalhão” (1981), “Os Saltimbancos Trapalhões (1981), “Os Vagabundos Trapalhões” (1982), “Os Trapalhões na Serra Pelada” (1982), “O Cangaceiro Trapalhão” (1983), “Os Trapalhões e o Mágico de Oroz” (1984), “Os Fantasmas Trapalhões” (1987),  “O Casamento dos Trapalhões” (1988), “Os Heróis Trapalhões – Uma Aventura na Selva” (1988), “Os Trapalhões na Terra dos Monstros” (1989), “O Mistério de Robin Hood” (1990) e “Os Saltimbancos Trapalhões – Rumo a Hollywood” (2017).

O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara.

 

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – Mostra Os Trapalhões – Até 27 de julho no Cineteatro São Luiz, em Fortaleza. Informações:www.cineceara.com. E-mail: contatos@cineceara.com. Tel: (85) 3055-3465. Grátis.

Publicidade

DIVULGADA SELEÇÃO DE LONGAS PARA O 28° CINE CEARÁ

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

21 de junho de 2018

Festival acontece em Fortaleza de 4 a 10 de agosto

Coprodução Brasil, Portugal e França, “Diamantino“, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes, é um dos destaques da edição

 

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, que acontece de 4 a 10 de agosto em Fortaleza, acaba de divulgar a lista dos oito filmes selecionados para a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem, escolhidos dentre quase 300 inscritos. Para a nova edição participam produções do Brasil, da Espanha, do Chile, da Colômbia e uma coprodução Brasil, Portugal e França. A lista de selecionados para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem será divulgada em breve.

 

Dentre os escolhidos para a mostra de longas estão três brasileiros. A estreia nacional é a ficção “O Barco”, do cearense Petrus Cariry (“Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois”),  sobre uma mulher de uma comunidade de pescadores no Ceará que tem 26 filhos e terá o destino alterado pela chegada de um barco e de uma mulher misteriosa. “Eduardo Galeano Vagamundo”, de Felipe Nepomuceno, e “Anjos de Ipanema”, de Conceição Senna, fazem sua estreia mundial.  O primeiro fala sobre o escritor uruguaio falecido em 2015, e o documentário “Anjos de Ipanema” conta a história do Pier de Ipanema, ícone da contracultura e do surf no Rio de Janeiro dos anos 70.

 

O grande destaque da 28ª edição é a coprodução Brasil, Portugal e França “Diamantino“, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes. O longa mostra um famoso jogador de futebol que ao ver sua carreira em declínio entra numa odisseia delirante em que confronta o neofascismo, se envolve com a crise de refugiados, modificação genética, até a busca pela origem da genialidade. O filme terá sua primeira exibição no Brasil durante o festival.

Também estão na disputa quatro longas que terão première nacional: o espanhol “Petra“, de Jaime Rosales, que teve sua estreia mundial na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, e o chileno “Cabras de Merda“, de Gonzalo Justiniano. Além de dois colombianos, a ficção “Amália, a secretária”, de Andrés Burgos, e o documentário “Senhorita Maria, a saia da montanha”, de Rubén Mendoza, que faz um retrato caloroso de um homem que cresceu se sentindo mulher na conservadora cidade de Boavita, Boyacá. O longa foi premiado nos festivais de Cartagena (direção), Locarno (Prêmio Zonta Club Semana da Crítica) e Amiens (melhor documentário).

Na competitiva de longas serão agraciados com o troféu Mucuripe os vencedores nas categorias Melhor Filme, Direção, Fotografia, Edição, Roteiro, Som, Trilha Sonora Original, Direção de Arte, Ator e Atriz. Convidado do festival, o jornalista Rodrigo Fonseca assina a curadoria dos longas junto a Margarita Hernández, coordenadora geral do Cine Ceará, e Wolney Oliveira, diretor do festival.

Posteriormente o Cine Ceará divulgará o resultado dos selecionados para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem, para a Mostra Olhar do Ceará, os filmes que terão exibição especial e a programação completa do festival. O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara.

Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem:

 

Amália, a secretária. Andrés Burgos. Ficção. 103 min. Colômbia.  2017 (Première Nacional)

 

Anjos de Ipanema. Conceição Senna. Documentário. 90 min. Brasil.  2018 (Première Mundial)

 

Cabras de merda. Gonzalo Justiniano. Ficção. 118 min. Chile. 2017 (Première Nacional)

 

Diamantino. Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt. Ficção. 92 min. Brasil, Portugal, França. 2018 (Première Nacional)

Ganhador do Grande Prêmio da Semana da Crítica em Cannes

 

Eduardo Galeano Vagamundo. Felipe Nepomuceno. Documentário. 72 min. Brasil. 2018 (Première Mundial)

 

O Barco. Petrus Cariry. Ficção. 72 min. Brasil. 2018 (Première Nacional)

 

Petra. Jaime Rosales. Ficção. 107 min. Espanha. 2018 (Première Nacional)

Quinzena dos realizadores de Cannes

 

Senhorita Maria, a saia da montanha. Rubén Mendoza. Documentário. 90 min. Colômbia. 2017 (Première Nacional)

Melhor Direção Festival de Cartagena, Colômbia.

Prêmio Zonta Club Semana da Crítica de Locarno, Suíça.

Melhor Documentário Festival Internacional de Amiens, França.

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – De 4 a 10 de agosto de 2018 em Fortaleza. Informações: www.cineceara.com. E-mail:contatos@cineceara.com. Tel: (85) 3055-3465. Grátis.

MAIS FOTOS EM ALTA DE ALGUNS FILMES DA COMPETITIVA DE LONGA-METRAGEM:

https://drive.google.com/open?id=1-fnkjDhIqzjRyK0PkeGl0aXiKb19j6OR

Publicidade

DIVULGADA SELEÇÃO DE LONGAS PARA O 28° CINE CEARÁ

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

21 de junho de 2018

Festival acontece em Fortaleza de 4 a 10 de agosto

Coprodução Brasil, Portugal e França, “Diamantino“, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes, é um dos destaques da edição

 

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, que acontece de 4 a 10 de agosto em Fortaleza, acaba de divulgar a lista dos oito filmes selecionados para a Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem, escolhidos dentre quase 300 inscritos. Para a nova edição participam produções do Brasil, da Espanha, do Chile, da Colômbia e uma coprodução Brasil, Portugal e França. A lista de selecionados para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem será divulgada em breve.

 

Dentre os escolhidos para a mostra de longas estão três brasileiros. A estreia nacional é a ficção “O Barco”, do cearense Petrus Cariry (“Clarisse ou Alguma Coisa Sobre Nós Dois”),  sobre uma mulher de uma comunidade de pescadores no Ceará que tem 26 filhos e terá o destino alterado pela chegada de um barco e de uma mulher misteriosa. “Eduardo Galeano Vagamundo”, de Felipe Nepomuceno, e “Anjos de Ipanema”, de Conceição Senna, fazem sua estreia mundial.  O primeiro fala sobre o escritor uruguaio falecido em 2015, e o documentário “Anjos de Ipanema” conta a história do Pier de Ipanema, ícone da contracultura e do surf no Rio de Janeiro dos anos 70.

 

O grande destaque da 28ª edição é a coprodução Brasil, Portugal e França “Diamantino“, de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, vencedor do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes. O longa mostra um famoso jogador de futebol que ao ver sua carreira em declínio entra numa odisseia delirante em que confronta o neofascismo, se envolve com a crise de refugiados, modificação genética, até a busca pela origem da genialidade. O filme terá sua primeira exibição no Brasil durante o festival.

Também estão na disputa quatro longas que terão première nacional: o espanhol “Petra“, de Jaime Rosales, que teve sua estreia mundial na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, e o chileno “Cabras de Merda“, de Gonzalo Justiniano. Além de dois colombianos, a ficção “Amália, a secretária”, de Andrés Burgos, e o documentário “Senhorita Maria, a saia da montanha”, de Rubén Mendoza, que faz um retrato caloroso de um homem que cresceu se sentindo mulher na conservadora cidade de Boavita, Boyacá. O longa foi premiado nos festivais de Cartagena (direção), Locarno (Prêmio Zonta Club Semana da Crítica) e Amiens (melhor documentário).

Na competitiva de longas serão agraciados com o troféu Mucuripe os vencedores nas categorias Melhor Filme, Direção, Fotografia, Edição, Roteiro, Som, Trilha Sonora Original, Direção de Arte, Ator e Atriz. Convidado do festival, o jornalista Rodrigo Fonseca assina a curadoria dos longas junto a Margarita Hernández, coordenadora geral do Cine Ceará, e Wolney Oliveira, diretor do festival.

Posteriormente o Cine Ceará divulgará o resultado dos selecionados para a Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem, para a Mostra Olhar do Ceará, os filmes que terão exibição especial e a programação completa do festival. O 28º Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará (UFC), através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura, do Ministério da Cultura, via Secretaria do Audiovisual, e Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da Secultfor. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e Bucanero Filmes. Patrocínio: M. Dias Branco, Banco do Nordeste e Café Santa Clara.

Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem:

 

Amália, a secretária. Andrés Burgos. Ficção. 103 min. Colômbia.  2017 (Première Nacional)

 

Anjos de Ipanema. Conceição Senna. Documentário. 90 min. Brasil.  2018 (Première Mundial)

 

Cabras de merda. Gonzalo Justiniano. Ficção. 118 min. Chile. 2017 (Première Nacional)

 

Diamantino. Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt. Ficção. 92 min. Brasil, Portugal, França. 2018 (Première Nacional)

Ganhador do Grande Prêmio da Semana da Crítica em Cannes

 

Eduardo Galeano Vagamundo. Felipe Nepomuceno. Documentário. 72 min. Brasil. 2018 (Première Mundial)

 

O Barco. Petrus Cariry. Ficção. 72 min. Brasil. 2018 (Première Nacional)

 

Petra. Jaime Rosales. Ficção. 107 min. Espanha. 2018 (Première Nacional)

Quinzena dos realizadores de Cannes

 

Senhorita Maria, a saia da montanha. Rubén Mendoza. Documentário. 90 min. Colômbia. 2017 (Première Nacional)

Melhor Direção Festival de Cartagena, Colômbia.

Prêmio Zonta Club Semana da Crítica de Locarno, Suíça.

Melhor Documentário Festival Internacional de Amiens, França.

SERVIÇO

28° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema – De 4 a 10 de agosto de 2018 em Fortaleza. Informações: www.cineceara.com. E-mail:contatos@cineceara.com. Tel: (85) 3055-3465. Grátis.

MAIS FOTOS EM ALTA DE ALGUNS FILMES DA COMPETITIVA DE LONGA-METRAGEM:

https://drive.google.com/open?id=1-fnkjDhIqzjRyK0PkeGl0aXiKb19j6OR