Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Investimento

Prefeito Firmo Camurça busca financiamento internacional do BID para implantação do Programa de Transporte e Logística – TransLog de Maracanaú

Por Oswaldo Scaliotti em Investimento

28 de novembro de 2016

IMG_6164

O prefeito Firmo Camurça esteve hoje, 28, em Brasília, na sede do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, para iniciar a captação de financiamento internacional visando implantar o Programa de Transporte e Logística – TransLog de Maracanaú. A reunião contou com a presença do representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, da especialista em Transporte do Banco, Karisa Ribeiro, do secretário de Infraestrutura de Maracanaú, Carlos Eduardo Borges Evangelista (Caê), e da assessora de Planejamento Urbano do Município, Lissa Motta.

IMG_6137

O TransLog, através do financiamento do BID e recursos do Tesouro Municipal, representará um amplo e histórico investimento na infraestrutura e mobilidade urbana de Maracanaú. O Programa compreende obras de melhoria nos principais corredores (avenidas e ruas) da Cidade, interligação dos bairros periféricos com a Região Central do Município, integração dos diversos modais de transporte (ônibus, metrô e bicicletas, através das ciclovias e ciclofaixas) e otimização da logística para escoamento da produção dos Distritos Industriais.

Após contratado o financiamento junto ao BID, cuja a expectativa é de conclusão do processo até primeiro semestre de 2017, Maracanaú entrará em um seleto grupo de representantes do Poder Público com acesso aos empréstimos internacionais. No Ceará, apenas Fortaleza e o Governo do Estado contam com financiamento do Exterior. Para conseguir essa captação financeira, o Município atendeu uma série de requisitos, entre os quais a austeridade fiscal, equilíbrio nas contas públicas e capacidade de pagamento, faltando apenas alguns documentos para contratação.

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Prefeito Firmo Camurça recebe apoio do Governador para resolver os problemas na rede da Cagece e reforçar segurança pública em Maracanaú

Por Oswaldo Scaliotti em Investimento

09 de Abril de 2016

12953036_986642204756305_556486080_o

O prefeito de Maracanaú, Firmo Camurça, esteve reunido na tarde de ontem, 8, no Palácio da Abolição, com o governador Camilo Santana. A pauta da reunião foi buscar uma solução definitiva para os problemas na rede de saneamento da Cagece, que causa sérios danos ao asfalto em toda Cidade, alagamentos, possibilidade de acidentes no trânsito e risco à saúde dos maracanauenses. Outra reivindicação da Prefeitura foi o reforço da segurança pública em Maracanaú. A reunião contou com a presença da deputada federal Gorete Pereira, deputada estadual Fernanda Pessoa e do secretário de Infraestrutura de Maracanaú, Carlos Eduardo Borges Evangelista. Da parte do Governo do Estado, estavam presentes também o chefe de Gabinete, Élcio Batista, o secretário das Cidades, Lúcio Ferreira Gomes, secretário de Relações Institucionais, Nelson Martins, e diretores da Cagece.

Cagece – O governador Camilo Santana foi receptivo à reivindicação do prefeito Firmo Camurça no que se refere à rede de saneamento da Cagece em Maracanaú, comprometendo-se em buscar uma solução definitiva para os problemas. “Ficou acertada a formação de um Grupo de Trabalho entre Prefeitura e Estado, sobretudo Cagece, para definir um cronograma imediato e solucionarmos essa situação ainda em 2016”, detalhou o secretário de Infraestrutura de Maracanaú, Carlos Eduardo Borges Evangelista.

O Governador ainda afirmou que vai regularizar a situação da concessão da Cagece em Maracanaú, que vive um impasse judicial desde a privatização do serviço em 2004 pela Administração Municipal da época. A empresa que venceu a licitação, denominada Águas de Maracanaú (capitaneada pelo Grupo Marquise) e a Cagece brigam há mais de 12 anos na Justiça para saber quem na verdade deve operar o sistema. Resultado dessa disputa judicial é que a população de Maracanaú tem seriamente comprometido o esgoto e saneamento, principalmente pela ausência de novos investimentos.

Segurança Pública – O prefeito Firmo Camurça apresentou ainda várias solicitações no sentido de melhorar a segurança pública em Maracanaú, que sofre com a elevação dos índices de criminalidade. Ao governador Camilo Santana, o Prefeito cobrou a conclusão da Delegacia Metropolitana, a construção de novas delegacias na Pajuçara, Timbó e Novo Maracanaú, bem como ampliação do efetivo de policiais, aumento do número de viaturas do Ronda e melhor estrutura de equipamentos para os agentes da Polícia Civil e Militar. (Oswaldo Scaliotti)

Publicidade

Hospital Antônio Prudente disponibiliza programa humanizado em UTI Neonatal

Por Oswaldo Scaliotti em Investimento

18 de Janeiro de 2016

O pequeno David Erick, de nove meses, pode até não saber, mas já é considerado por muitos um guerreiro. Tendo nascido com apenas sete meses de gestação, medindo 36 cm e pesando apenas 1,2 kg, o garoto já viveu momentos difíceis ao passar um mês e 15 dias na UTI Neonatal do Hospital Antônio Prudente, até que atingisse o peso ideal para ir para casa. Como parte do seu tratamento, David foi o primeiro bebê a receber as “Medidas de Conforto e Humanização em UTI Neonatal”, que oferecem maior conforto e aconchego aos pequenos, proporcionando um ambiente que estimule o seu desenvolvimento e acelere o seu processo de recuperação.
Dentre os cuidados prestados, destaca-se a Redinha, onde uma pequena rede é colocada dentro da incubadora, posicionando o recém-nascido de maneira confortável até sua adaptação e relaxamento, com o objetivo de ofertar à criança um ambiente humanizado em meio à UTI. Outro destaque é o Método Mãe-Canguru, onde as mães passam a ter o contato pele a pele com o filho e aprendem os cuidados com o bebê em sua preparação para a alta hospitalar.
Érika Ribeiro, mãe de David, conta que este tratamento diferenciado foi muito importante na recuperação de seu filho. Segundo ela, o método não apenas proporcionou bem-estar ao bebê como também a ajudou bastante psicologicamente. “Foi ele quem estreou a Redinha e ele gostou bastante. O incrível é que ele não queria mais ficar na incubadora de jeito nenhum. Só queria ficar na rede e com uma pessoa balançando. Foi uma experiência muito boa”, lembra aos risos.
Sobre a experiência de Mãe-Canguru, Érika conta que se sentia reconfortada com a proximidade com o filho. “Eu também recebia ajuda das enfermeiras, bem como orientações e estímulo à amamentação. Foi assim que ele, depois de um mês e 15 dias, chegou aos 1,8 kg, recebeu alta e veio para casa. Foi fantástico”, afirmou.
A enfermeira Gabriela Vasconcelos, coordenadora da UTI Neonatal e Espaço Mãe-Canguru do Hapvida, explica que o serviço humanizado está sendo ofertado há um ano e dois meses, trazendo grande repercussão nos tratamentos clínicos dos recém-nascidos. Segundo a coordenadora, o projeto surgiu a partir de um minucioso estudo e da observação do método em outros hospitais. “Eu tinha visto a Redinha em alguns hospitais de outros Estados e passei a pesquisar estudos sobre o assunto, principalmente em artigos científicos. Eu observei como se comportavam os bebês e vi que, com as medidas de conforto, eles ficavam mais relaxados e ganhavam peso mais rapidamente”, disse.
Devido ao sucesso obtido na fase de testes, o projeto deve, segundo Gabriela, ser ampliado em breve. “Inicialmente, eu mesma trazia os equipamentos para utilizar nos bebês, mas, agora, com a ampliação da UTI Neonatal e baseado nos resultados que tivemos, o hospital passará a investir nos métodos e poderemos atender muito mais recém-nascidos e ter resultados ainda melhores”, comemora.
* postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade

Hospital Antônio Prudente disponibiliza programa humanizado em UTI Neonatal

Por Oswaldo Scaliotti em Investimento

18 de Janeiro de 2016

O pequeno David Erick, de nove meses, pode até não saber, mas já é considerado por muitos um guerreiro. Tendo nascido com apenas sete meses de gestação, medindo 36 cm e pesando apenas 1,2 kg, o garoto já viveu momentos difíceis ao passar um mês e 15 dias na UTI Neonatal do Hospital Antônio Prudente, até que atingisse o peso ideal para ir para casa. Como parte do seu tratamento, David foi o primeiro bebê a receber as “Medidas de Conforto e Humanização em UTI Neonatal”, que oferecem maior conforto e aconchego aos pequenos, proporcionando um ambiente que estimule o seu desenvolvimento e acelere o seu processo de recuperação.
Dentre os cuidados prestados, destaca-se a Redinha, onde uma pequena rede é colocada dentro da incubadora, posicionando o recém-nascido de maneira confortável até sua adaptação e relaxamento, com o objetivo de ofertar à criança um ambiente humanizado em meio à UTI. Outro destaque é o Método Mãe-Canguru, onde as mães passam a ter o contato pele a pele com o filho e aprendem os cuidados com o bebê em sua preparação para a alta hospitalar.
Érika Ribeiro, mãe de David, conta que este tratamento diferenciado foi muito importante na recuperação de seu filho. Segundo ela, o método não apenas proporcionou bem-estar ao bebê como também a ajudou bastante psicologicamente. “Foi ele quem estreou a Redinha e ele gostou bastante. O incrível é que ele não queria mais ficar na incubadora de jeito nenhum. Só queria ficar na rede e com uma pessoa balançando. Foi uma experiência muito boa”, lembra aos risos.
Sobre a experiência de Mãe-Canguru, Érika conta que se sentia reconfortada com a proximidade com o filho. “Eu também recebia ajuda das enfermeiras, bem como orientações e estímulo à amamentação. Foi assim que ele, depois de um mês e 15 dias, chegou aos 1,8 kg, recebeu alta e veio para casa. Foi fantástico”, afirmou.
A enfermeira Gabriela Vasconcelos, coordenadora da UTI Neonatal e Espaço Mãe-Canguru do Hapvida, explica que o serviço humanizado está sendo ofertado há um ano e dois meses, trazendo grande repercussão nos tratamentos clínicos dos recém-nascidos. Segundo a coordenadora, o projeto surgiu a partir de um minucioso estudo e da observação do método em outros hospitais. “Eu tinha visto a Redinha em alguns hospitais de outros Estados e passei a pesquisar estudos sobre o assunto, principalmente em artigos científicos. Eu observei como se comportavam os bebês e vi que, com as medidas de conforto, eles ficavam mais relaxados e ganhavam peso mais rapidamente”, disse.
Devido ao sucesso obtido na fase de testes, o projeto deve, segundo Gabriela, ser ampliado em breve. “Inicialmente, eu mesma trazia os equipamentos para utilizar nos bebês, mas, agora, com a ampliação da UTI Neonatal e baseado nos resultados que tivemos, o hospital passará a investir nos métodos e poderemos atender muito mais recém-nascidos e ter resultados ainda melhores”, comemora.
* postado por Oswaldo Scaliotti