Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Sindipostos dá dicas sobre como identificar e como evitar abastecimento com combustível adulterado

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de Abril de 2019

Abastecer um carro com combustível adulterado pode trazer muitos problemas ao automóvel – e ao bolso do proprietário. É que, além de não render, o combustível adulterado pode gerar muitos outros danos que exigem reparos, troca de peças e muita dores de cabeça, gerando despesas que poderiam ter sido evitadas apenas com o abastecimento adequado.

Um dos maiores problemas é a perda de potência do automóvel, que geralmente pode ser identificada ao usar o carro logo cedo, pela manhã, na hora de sair de casa. “Se o carro não atinge sua capacidade comum ao dar a partida e você abasteceu recentemente, é possível que o combustível tenha prejudicado a potência, e a ida ao posto de combustível para teste, além de uma oficina, é essencial”, explica Paulo Sérgio Pereira, vice-presidente do Sindipostos Ceará.

O consumo elevado de combustível também é um sinal de que algo está errado. Especialmente por conta da rotina nas grandes cidades, é importante ficar atento ao consumo do seu veículo para poder antecipar problemas que podem surgir da troca frequente de postos de combustível, gerando um desconhecimento da origem da gasolina de muitos.

A queima de velas de ignição, decorrente do superaquecimento, assim como a luz acesa no painel de carros que possuem injeção eletrônica, também são pontos chave na hora de identificar o abastecimento com combustível adulterado.

Mas como saber quando há algo errado com o combustível na hora de abastecer? Para quem precisa consumir em diversos estabelecimentos, por conta da rotina ou de viagens, a dica é fazer o teste da checagem do combustível, serviço gratuito nos empreendimentos.

“O teste é obrigatório nos postos e pode ser solicitado por qualquer cliente. Além dos dados referentes a distribuição de álcool e água, a diferença na cor dos combustíveis pode auxiliar o consumidor a descobrir se há solvente ou outra substância inadequada misturada aos líquidos, e, caso exista esse problema, ele pode denunciar o empreendimento”, comenta Paulo Sérgio.

As denúncias podem ser feitas ao Sindipostos, por meio de ouvidoria online, ou diretamente à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis (ANP). Caso sejam detectadas irregularidades, os responsáveis pelos combustíveis poderão arcar com os custos dos clientes, além de serem notificados e fiscalizados posteriormente.

Publicidade aqui

leia tudo sobre

Sindipostos dá dicas sobre como identificar e como evitar abastecimento com combustível adulterado

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

17 de Abril de 2019

Abastecer um carro com combustível adulterado pode trazer muitos problemas ao automóvel – e ao bolso do proprietário. É que, além de não render, o combustível adulterado pode gerar muitos outros danos que exigem reparos, troca de peças e muita dores de cabeça, gerando despesas que poderiam ter sido evitadas apenas com o abastecimento adequado.

Um dos maiores problemas é a perda de potência do automóvel, que geralmente pode ser identificada ao usar o carro logo cedo, pela manhã, na hora de sair de casa. “Se o carro não atinge sua capacidade comum ao dar a partida e você abasteceu recentemente, é possível que o combustível tenha prejudicado a potência, e a ida ao posto de combustível para teste, além de uma oficina, é essencial”, explica Paulo Sérgio Pereira, vice-presidente do Sindipostos Ceará.

O consumo elevado de combustível também é um sinal de que algo está errado. Especialmente por conta da rotina nas grandes cidades, é importante ficar atento ao consumo do seu veículo para poder antecipar problemas que podem surgir da troca frequente de postos de combustível, gerando um desconhecimento da origem da gasolina de muitos.

A queima de velas de ignição, decorrente do superaquecimento, assim como a luz acesa no painel de carros que possuem injeção eletrônica, também são pontos chave na hora de identificar o abastecimento com combustível adulterado.

Mas como saber quando há algo errado com o combustível na hora de abastecer? Para quem precisa consumir em diversos estabelecimentos, por conta da rotina ou de viagens, a dica é fazer o teste da checagem do combustível, serviço gratuito nos empreendimentos.

“O teste é obrigatório nos postos e pode ser solicitado por qualquer cliente. Além dos dados referentes a distribuição de álcool e água, a diferença na cor dos combustíveis pode auxiliar o consumidor a descobrir se há solvente ou outra substância inadequada misturada aos líquidos, e, caso exista esse problema, ele pode denunciar o empreendimento”, comenta Paulo Sérgio.

As denúncias podem ser feitas ao Sindipostos, por meio de ouvidoria online, ou diretamente à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis (ANP). Caso sejam detectadas irregularidades, os responsáveis pelos combustíveis poderão arcar com os custos dos clientes, além de serem notificados e fiscalizados posteriormente.