Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Imposto de Renda: organização é essencial

Por Oswaldo Scaliotti em Economia

12 de Março de 2018

Para evitar incongruências e ter uma restituição justa, organizar-se antecipadamente ao longo do ano é primordial
No dia 1º de março se iniciou o período para a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda – Pessoa Física (DIRPF). Nesse período, é comum ter dúvidas sobre como organizar a documentação e se preparar para possíveis ganhos financeiros. A recomendação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), uma declaração eficiente requer uma preparação prévia e o contribuinte deve planejar e saber corretamente o que pode ser deduzido. 
 
Para o especialista financeiro e contabilista Marcos Sá, não existe segredo. “É preciso apenas ter uma pasta para essa finalidade, e ir incluindo, ao longo do ano, tudo o que tiver de pagamento realizado, como extratos bancários, recibos, comprovante de aquisições e venda de bens e direitos, notas fiscais de prestadores de serviços e outros documentos comprobatórios de rendas e despesas. Ao início da liberação do sistema, fica muito mais fácil e rápido preencher e encaminhar a declaração anual”, destaca, explicando que também é interessante separar as notas conforme a natureza, como saúde, educação e outros.
Além disso, segundo explica Marcos, ao ter todos os dados reunidos previamente, adquire-se mais tempo hábil para analisar qual tipo de declaração é mais vantajosa: simplificada ou completa, individual ou com o cônjuge, por exemplo. Dessa forma, é possível até mesmo pagar menos impostos e ter uma melhor restituição. “Outra vantagem para aqueles que realizam a declaração organizadamente é a tranquilidade de saber que não haverá incongruências no final das contas, visto que a Receita Federal, a cada ano, aprimora o sistema, recebendo dados de cartórios, operadoras de cartões e diversos outros segmentos, no intuito de evitar a sonegação e aumentar a eficiência da arrecadação”, explica.
Para aqueles que não conseguiram reunir a documentação, o especialista recomenda localizar e reunir tudo o que for necessário, como comprovantes que podem ser obtidos automaticamente pela internet, diretamente dos sites de prestadores de serviço, ou em solicitações por e-mail e telefone. Conforme o especialista, o ideal seria ficar atento a tudo que pode ser declarado, fazendo um rascunho mensal que pode ir sendo completado no próprio site da Receita, tendo apenas o trabalho de revisar no período final, excluindo, ainda, o risco do contribuinte de esquecer alguma coisa, comum entre aqueles que deixam para reunir os documentos na última hora.
Confira mais algumas dicas do especialista:
– Não existe limite de dedução para gastos com saúde, apenas é preciso ter todos os recibos dessas despesas. Tanto para o contribuinte quanto os dependentes,  os gastos poderão ser deduzidos em sua declaração, e as despesas não se limitam apenas a pagamentos de planos de saúde. Tratamentos com psicólogos e dentistas, por exemplo, também podem ser relatados.
– No caso de declarações conjuntas, é interessante fazer simulações. Quando a renda anual do casal for maior que R$ 30 mil, é mais vantajoso fazer a declaração individual.
– Quem possui renda, deve optar pela declaração simples; quem tem despesas maiores, pode deduzir através do modelo completo.
– No final, guarde o recibo completo. Ele não é somente o comprovante de que você entregou a sua declaração de forma correta, mas, também, é uma importante fonte para o Imposto de Renda do próximo ano
Sobre Marcos Sá
Marcos Antônio de Carvalho Sá é consultor nas áreas tributária, financeira e contábil, atuando em todos os setores empresariais, orientando o gerenciamento de negócios nos mais diversos segmentos com diretrizes seguras e estratégicas. Ele comanda equipes especializadas em atender demandas nas áreas de contabilidade, economia e administração. O especialista financeiro é o proprietário e está à frente da ST Assessoria e Consultoria. Com base no Ceará e acordos operacionais em todo o Nordeste e no estado do Pará.
Publicidade aqui

Imposto de Renda: organização é essencial

Por Oswaldo Scaliotti em Economia

12 de Março de 2018

Para evitar incongruências e ter uma restituição justa, organizar-se antecipadamente ao longo do ano é primordial
No dia 1º de março se iniciou o período para a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda – Pessoa Física (DIRPF). Nesse período, é comum ter dúvidas sobre como organizar a documentação e se preparar para possíveis ganhos financeiros. A recomendação do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), uma declaração eficiente requer uma preparação prévia e o contribuinte deve planejar e saber corretamente o que pode ser deduzido. 
 
Para o especialista financeiro e contabilista Marcos Sá, não existe segredo. “É preciso apenas ter uma pasta para essa finalidade, e ir incluindo, ao longo do ano, tudo o que tiver de pagamento realizado, como extratos bancários, recibos, comprovante de aquisições e venda de bens e direitos, notas fiscais de prestadores de serviços e outros documentos comprobatórios de rendas e despesas. Ao início da liberação do sistema, fica muito mais fácil e rápido preencher e encaminhar a declaração anual”, destaca, explicando que também é interessante separar as notas conforme a natureza, como saúde, educação e outros.
Além disso, segundo explica Marcos, ao ter todos os dados reunidos previamente, adquire-se mais tempo hábil para analisar qual tipo de declaração é mais vantajosa: simplificada ou completa, individual ou com o cônjuge, por exemplo. Dessa forma, é possível até mesmo pagar menos impostos e ter uma melhor restituição. “Outra vantagem para aqueles que realizam a declaração organizadamente é a tranquilidade de saber que não haverá incongruências no final das contas, visto que a Receita Federal, a cada ano, aprimora o sistema, recebendo dados de cartórios, operadoras de cartões e diversos outros segmentos, no intuito de evitar a sonegação e aumentar a eficiência da arrecadação”, explica.
Para aqueles que não conseguiram reunir a documentação, o especialista recomenda localizar e reunir tudo o que for necessário, como comprovantes que podem ser obtidos automaticamente pela internet, diretamente dos sites de prestadores de serviço, ou em solicitações por e-mail e telefone. Conforme o especialista, o ideal seria ficar atento a tudo que pode ser declarado, fazendo um rascunho mensal que pode ir sendo completado no próprio site da Receita, tendo apenas o trabalho de revisar no período final, excluindo, ainda, o risco do contribuinte de esquecer alguma coisa, comum entre aqueles que deixam para reunir os documentos na última hora.
Confira mais algumas dicas do especialista:
– Não existe limite de dedução para gastos com saúde, apenas é preciso ter todos os recibos dessas despesas. Tanto para o contribuinte quanto os dependentes,  os gastos poderão ser deduzidos em sua declaração, e as despesas não se limitam apenas a pagamentos de planos de saúde. Tratamentos com psicólogos e dentistas, por exemplo, também podem ser relatados.
– No caso de declarações conjuntas, é interessante fazer simulações. Quando a renda anual do casal for maior que R$ 30 mil, é mais vantajoso fazer a declaração individual.
– Quem possui renda, deve optar pela declaração simples; quem tem despesas maiores, pode deduzir através do modelo completo.
– No final, guarde o recibo completo. Ele não é somente o comprovante de que você entregou a sua declaração de forma correta, mas, também, é uma importante fonte para o Imposto de Renda do próximo ano
Sobre Marcos Sá
Marcos Antônio de Carvalho Sá é consultor nas áreas tributária, financeira e contábil, atuando em todos os setores empresariais, orientando o gerenciamento de negócios nos mais diversos segmentos com diretrizes seguras e estratégicas. Ele comanda equipes especializadas em atender demandas nas áreas de contabilidade, economia e administração. O especialista financeiro é o proprietário e está à frente da ST Assessoria e Consultoria. Com base no Ceará e acordos operacionais em todo o Nordeste e no estado do Pará.