Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

EDSON CORDEIRO APRESENTA SHOW THE COUNTERTAINER EM CURTA TEMPORADA NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de dezembro de 2016

 

 O talentoso cantor preparou um repertório que passeia pela MPB, transitando pelo pop de Adele, até o dance do ABBA   

 clip_image004 (1)

Foto: Edu Lopes

 

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, nos dia 14 e 15 de janeiro de 2017, o show The Countertainer, com o consagrado cantor Edson Cordeiro. Em dois dias de apresentações, o músico faz uma verdadeira viagem por variados estilos musicais, como a MPB, pop e dance, além de clássicos europeus.

Após 25 anos pelos palcos de todo o mundo, e de doze álbuns entre vários estilos – dos quais dois discos de ouro e uma nomeação para o Grammy Latino –, o fenômeno vocal Edson Cordeiro é um entertainer que derruba todas as barreiras entre gêneros musicais. Considerado como um dos cantores mais versáteis da atualidade, com uma impressionante amplitude vocal de quatro oitavas e uma enorme variedade
tímbrica, ele sente-se à vontade tanto na ópera e música clássica, quanto nas formas mais modernas da música latina, jazz, rock, pop e dance music.

Com o espetáculo The Countertainer, Edson se apresenta acompanhado do pianista Antonio Vaz Lemes, que também foi indicado ao Grammy Latino. Juntos, eles interpretam canções clássicas brasileiras de Tom Jobim, como Modinha e Por toda minha vida, passando por Pixinguinha, com Carinhoso, e Azulão de Jaime Ovalle e Manoel Bandeira.

Edson também presta homenagens a divas da música, como Adele (Lovesong). Sem esquecer o seu lado cômico e pop, ele canta hits da disco, como Dancing Queen, de Benny Andersson, do ABBA. Tudo transformado com arranjos sofisticados, dando, assim, um toque muito pessoal ao que ele canta.

Sobre Edson Cordeiro: Nascido em Santo André – SP, em 9 de fevereiro de 1967, Edson começou a cantar aos seis anos, quando passou a fazer parte do coro de uma igreja evangélica chamado “Cordeirinhos do Senhor”, onde ficou até os 16 anos. Filho de um mecânico e de uma bordadeira, fez teatro infantil e, em 1983, participou da ópera-rock Amapola, de Miguel Briamonte, que mais tarde seria diretor musical de seus discos.

Em 1988, ele atuou e cantou na terceira montagem brasileira da ópera-rock Hair! (de Gerome Ragni, James Rado e Galt McDermot), dirigida por Antônio Abujamra. No ano seguinte, atuou na montagem de O doente imaginário, de Molière (Jean-Baptiste Poquelin, 1622-1673), dirigida por Cacá Rosset. Com essa peça, viajou pela Europa, EUA, México e América Central.

Seu primeiro show solo aconteceu em agosto de 1990, na Mistura Up do Rio de Janeiro. O sucesso foi imediato, e ele passou a ser disputado por várias gravadoras. Após assinar contrato com a Sony, gravou oito cds: Edson Cordeiro (1992), Edson Cordeiro (1994), Terceiro sinal (1996), Clubbing (1997), Disco Clubbing ao vivo (1998) Disco Clubbing ao Vivo, Mestre de Cerimônias (1999) e Dê-se ao luxo (2001).

Entre os prêmios recebidos pelo músico, estão:
Prêmio Sharp de Música de revelação do ano para Edson Cordeiro em 1992; Prêmio Sharp de Música de melhor cantor para Edson Cordeiro em 1992; Prêmio Sharp de Música de melhor arranjador do ano de 1992 para Miguel Briamonte, pelo primeiro disco de Edson Cordeiro; Prêmio Sharp de Música de melhor música do ano para Sueli Costa, pela autoria de Voz de Mulher – primeiro disco de Edson Cordeiro; Prêmio APCA – melhor cantor do ano de 92 por seu primeiro disco; Prêmio Sharp de música de melhor cantor do ano de 1996, pelo CD Terceiro Sinal; e Prêmio Sharp de música de melhor arranjador do ano de 1996 para Miguel Briamonte, pelo CD Terceiro Sinal.

O seu último trabalho lançado no Brasil, que inclusive foi indicado ao Grammy Latino de 2006, na categoria de melhor música clássica, foi o Contratenor (2005), pela Paulus. Desde abril de 2007, o cantor, radicado na Alemanha, excursiona pela Europa intercalando dois formatos de shows.

 

Ficha Técnica:

Edson Cordeiro – Voz
Antonio Vaz Lemes – Piano
Produção Executiva – Robson Abreu

Coordenação de Produção – Vander Lopes, Leticia Trindade e Glauker Bernardes.

Produção local – Elivane Medeiros

Sonorização – Projesom

Iluminação – Proluz

 

Serviço:

 

Música: Edson Cordeiro

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 14 e 15 de janeiro de 2017

Horários: sábado, às 18h e 20h | domingo, às 17h e 19h
Duração: 70 minutos

Classificação indicativa: Livre

Ingressos:  R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Vendas a partir do dia 13/01, das 10h às 20h, na bilheteria do local

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Serviço de manobrista gratuito no local

 

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770

Publicidade aqui

EDSON CORDEIRO APRESENTA SHOW THE COUNTERTAINER EM CURTA TEMPORADA NA CAIXA CULTURAL FORTALEZA

Por Oswaldo Scaliotti em Eventos

28 de dezembro de 2016

 

 O talentoso cantor preparou um repertório que passeia pela MPB, transitando pelo pop de Adele, até o dance do ABBA   

 clip_image004 (1)

Foto: Edu Lopes

 

A CAIXA Cultural Fortaleza apresenta, nos dia 14 e 15 de janeiro de 2017, o show The Countertainer, com o consagrado cantor Edson Cordeiro. Em dois dias de apresentações, o músico faz uma verdadeira viagem por variados estilos musicais, como a MPB, pop e dance, além de clássicos europeus.

Após 25 anos pelos palcos de todo o mundo, e de doze álbuns entre vários estilos – dos quais dois discos de ouro e uma nomeação para o Grammy Latino –, o fenômeno vocal Edson Cordeiro é um entertainer que derruba todas as barreiras entre gêneros musicais. Considerado como um dos cantores mais versáteis da atualidade, com uma impressionante amplitude vocal de quatro oitavas e uma enorme variedade
tímbrica, ele sente-se à vontade tanto na ópera e música clássica, quanto nas formas mais modernas da música latina, jazz, rock, pop e dance music.

Com o espetáculo The Countertainer, Edson se apresenta acompanhado do pianista Antonio Vaz Lemes, que também foi indicado ao Grammy Latino. Juntos, eles interpretam canções clássicas brasileiras de Tom Jobim, como Modinha e Por toda minha vida, passando por Pixinguinha, com Carinhoso, e Azulão de Jaime Ovalle e Manoel Bandeira.

Edson também presta homenagens a divas da música, como Adele (Lovesong). Sem esquecer o seu lado cômico e pop, ele canta hits da disco, como Dancing Queen, de Benny Andersson, do ABBA. Tudo transformado com arranjos sofisticados, dando, assim, um toque muito pessoal ao que ele canta.

Sobre Edson Cordeiro: Nascido em Santo André – SP, em 9 de fevereiro de 1967, Edson começou a cantar aos seis anos, quando passou a fazer parte do coro de uma igreja evangélica chamado “Cordeirinhos do Senhor”, onde ficou até os 16 anos. Filho de um mecânico e de uma bordadeira, fez teatro infantil e, em 1983, participou da ópera-rock Amapola, de Miguel Briamonte, que mais tarde seria diretor musical de seus discos.

Em 1988, ele atuou e cantou na terceira montagem brasileira da ópera-rock Hair! (de Gerome Ragni, James Rado e Galt McDermot), dirigida por Antônio Abujamra. No ano seguinte, atuou na montagem de O doente imaginário, de Molière (Jean-Baptiste Poquelin, 1622-1673), dirigida por Cacá Rosset. Com essa peça, viajou pela Europa, EUA, México e América Central.

Seu primeiro show solo aconteceu em agosto de 1990, na Mistura Up do Rio de Janeiro. O sucesso foi imediato, e ele passou a ser disputado por várias gravadoras. Após assinar contrato com a Sony, gravou oito cds: Edson Cordeiro (1992), Edson Cordeiro (1994), Terceiro sinal (1996), Clubbing (1997), Disco Clubbing ao vivo (1998) Disco Clubbing ao Vivo, Mestre de Cerimônias (1999) e Dê-se ao luxo (2001).

Entre os prêmios recebidos pelo músico, estão:
Prêmio Sharp de Música de revelação do ano para Edson Cordeiro em 1992; Prêmio Sharp de Música de melhor cantor para Edson Cordeiro em 1992; Prêmio Sharp de Música de melhor arranjador do ano de 1992 para Miguel Briamonte, pelo primeiro disco de Edson Cordeiro; Prêmio Sharp de Música de melhor música do ano para Sueli Costa, pela autoria de Voz de Mulher – primeiro disco de Edson Cordeiro; Prêmio APCA – melhor cantor do ano de 92 por seu primeiro disco; Prêmio Sharp de música de melhor cantor do ano de 1996, pelo CD Terceiro Sinal; e Prêmio Sharp de música de melhor arranjador do ano de 1996 para Miguel Briamonte, pelo CD Terceiro Sinal.

O seu último trabalho lançado no Brasil, que inclusive foi indicado ao Grammy Latino de 2006, na categoria de melhor música clássica, foi o Contratenor (2005), pela Paulus. Desde abril de 2007, o cantor, radicado na Alemanha, excursiona pela Europa intercalando dois formatos de shows.

 

Ficha Técnica:

Edson Cordeiro – Voz
Antonio Vaz Lemes – Piano
Produção Executiva – Robson Abreu

Coordenação de Produção – Vander Lopes, Leticia Trindade e Glauker Bernardes.

Produção local – Elivane Medeiros

Sonorização – Projesom

Iluminação – Proluz

 

Serviço:

 

Música: Edson Cordeiro

Local: CAIXA Cultural Fortaleza

Endereço: Av. Pessoa Anta, 287, Praia de Iracema

Data: 14 e 15 de janeiro de 2017

Horários: sábado, às 18h e 20h | domingo, às 17h e 19h
Duração: 70 minutos

Classificação indicativa: Livre

Ingressos:  R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Vendas a partir do dia 13/01, das 10h às 20h, na bilheteria do local

Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Serviço de manobrista gratuito no local

 

Informações gerais | Bilheteria da CAIXA Cultural Fortaleza:
(85) 3453-2770