Publicidade

Investe CE

por Oswaldo Scaliotti

Ambev reforça investimentos em plataformas comerciais no segundo semestre

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

31 de julho de 2016

Para superar cenário macroeconômico desafiador no Brasil, companhia mantém foco em inovação e vai lançar primeira campanha sobre garrafas de vidro retornáveis

 

A Ambev iniciou o segundo semestre de 2016 reforçando ainda mais os investimentos em suas plataformas comerciais. Um exemplo disso é a aposta da companhia para aumentar ainda mais a oferta das garrafas de vidro retornáveis nos supermercados de todo o País. Além de ampliar seu portfólio com as minirretonáveis, como são chamadas as garrafas de 300 ml, a cervejaria lançará uma campanha de marketing para destacar as principais vantagens desse tipo de embalagem: sustentabilidade e economia. Uma única garrafa de vidro retornável pode ser reutilizada mais de 20 vezes antes de virar resíduo e, quando descartada, ainda pode ser reciclada. Ganha o meio ambiente e ganha também o consumidor que, ao trocar o vasilhame por uma nova bebida, pode pagar até 30% mais barato no preço final da cerveja ou do refrigerante.

Apesar de um cenário desafiador, a Ambev segue confiante em suas estratégias. O volume de vendas das cervejas em garrafas retornáveis nos supermercados, por exemplo, já apresenta crescimento de 100% no ano, prova de que a companhia está no caminho certo. “Nosso resultado está melhorando sequencialmente, ainda não na velocidade esperada, mas isso não muda nossa estratégia para o ano. Vamos continuar focando naquilo que está sob o nosso controle”, afirma Ricardo Rittes, vice-presidente financeiro e de relações com investidores da Ambev.

O volume de cerveja comercializado pela Ambev no Brasil recuou 4,5% no segundo trimestre de 2016 diante do mesmo período do ano passado, impactado, principalmente, pelo ambiente macroeconômico. A inflação alta e o desemprego crescente pressionam a renda disponível dos consumidores, reduzindo o poder de compra. Diante desse cenário, além de reforçar suas plataformas comerciais, a empresa também aposta nas estratégias de relacionamento com os consumidores e mantém os investimentos em inovação. Depois de realizar a maior ativação da história nas festas de São João, a cervejaria se prepara agora para ativar os consumidores durante a Olimpíada com a Skol. A marca, que é hoje a mais consumida em todo o País, também inovou e foi a primeira da companhia a apoiar a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

O lançamento da nova garrafa de 600 ml de Budweiser é outro destaque entre as inovações da Ambev. A marca é líder entre as cervejas premium da companhia, que conta ainda com rótulos como Corona, Stella Artois e Original. Ao todo, o segmento premium apresentou crescimento de dois dígitos ao longo do primeiro semestre do ano. O volume de vendas da categoria near beer, como são chamadas as bebidas produzidas à base de malte, também aumentou dois dígitos no período. Formado pelas variantes da Skol Beats e Brahma 0,0%, esse novo segmento já representa cerca de 2% das vendas de cerveja no Brasil. Mais uma prova do sucesso das estratégias e inovações da companhia, o Fusion tornou-se a segunda marca mais consumida no segmento de energéticos no País dois anos após o seu lançamento e já concorre para ser a líder do mercado.

 

Fora do Brasil, os investimentos da Ambev também se mostram acertados. No Canadá, a receita líquida da companhia em moeda local subiu 11,8% entre abril e junho, resultado que foi impulsionado pelas recentes aquisições feitas no país. Já no Caribe, destaque para as ativações durante festivais musicais da República Dominicana e expansão da marca Corona na Guatemala.

 

Resultado 2T16 X 2T15

 

Ambev consolidado (operações em 19 países)

No segundo trimestre de 2016, o Ebitda ajustado da Ambev somou R$ 4,2 bilhões, o que representa um crescimento orgânico de 1,8% frente ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida da companhia avançou 3,2% entre abril e junho, para R$ 10,4 bilhões. Já o lucro líquido ajustado da companhia no consolidado foi de R$ 2,2 bilhões no período, queda de 22,4%. O volume total de vendas da Ambev no trimestre alcançou 35,667 milhões de hectolitros, um recuo de 6,7% na comparação com o mesmo período de 2015.

 

Ambev Brasil

Considerando apenas as operações da Ambev no Brasil, o Ebitda ajustado da companhia caiu 2,7% no período, para R$ 2,5 bilhões. A receita líquida no País totalizou R$ 5,5 bilhões, um aumento de 1,7% na comparação anual. O volume total de vendas da Ambev no Brasil foi de 24,121 milhões de hectolitros no segundo trimestre, o que representa retração de 4,7% ante o mesmo período de 2015. Desse total, foram comercializados 17,659 milhões de hectolitros de cerveja, uma redução de 4,5%. Já a venda de refrigeNANC (refrigerantes, bebidas não-alcóolicas e não-carbonatadas) teve queda de 5,2%, para 6,462 milhões de hectolitros entre abril e junho.

 

As demonstrações completas dos resultados financeiros da Ambev no segundo trimestre de 2016 estão disponíveis no site: www.ambev.com.br/investidores

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti
Publicidade aqui

Ambev reforça investimentos em plataformas comerciais no segundo semestre

Por Oswaldo Scaliotti em Mercado

31 de julho de 2016

Para superar cenário macroeconômico desafiador no Brasil, companhia mantém foco em inovação e vai lançar primeira campanha sobre garrafas de vidro retornáveis

 

A Ambev iniciou o segundo semestre de 2016 reforçando ainda mais os investimentos em suas plataformas comerciais. Um exemplo disso é a aposta da companhia para aumentar ainda mais a oferta das garrafas de vidro retornáveis nos supermercados de todo o País. Além de ampliar seu portfólio com as minirretonáveis, como são chamadas as garrafas de 300 ml, a cervejaria lançará uma campanha de marketing para destacar as principais vantagens desse tipo de embalagem: sustentabilidade e economia. Uma única garrafa de vidro retornável pode ser reutilizada mais de 20 vezes antes de virar resíduo e, quando descartada, ainda pode ser reciclada. Ganha o meio ambiente e ganha também o consumidor que, ao trocar o vasilhame por uma nova bebida, pode pagar até 30% mais barato no preço final da cerveja ou do refrigerante.

Apesar de um cenário desafiador, a Ambev segue confiante em suas estratégias. O volume de vendas das cervejas em garrafas retornáveis nos supermercados, por exemplo, já apresenta crescimento de 100% no ano, prova de que a companhia está no caminho certo. “Nosso resultado está melhorando sequencialmente, ainda não na velocidade esperada, mas isso não muda nossa estratégia para o ano. Vamos continuar focando naquilo que está sob o nosso controle”, afirma Ricardo Rittes, vice-presidente financeiro e de relações com investidores da Ambev.

O volume de cerveja comercializado pela Ambev no Brasil recuou 4,5% no segundo trimestre de 2016 diante do mesmo período do ano passado, impactado, principalmente, pelo ambiente macroeconômico. A inflação alta e o desemprego crescente pressionam a renda disponível dos consumidores, reduzindo o poder de compra. Diante desse cenário, além de reforçar suas plataformas comerciais, a empresa também aposta nas estratégias de relacionamento com os consumidores e mantém os investimentos em inovação. Depois de realizar a maior ativação da história nas festas de São João, a cervejaria se prepara agora para ativar os consumidores durante a Olimpíada com a Skol. A marca, que é hoje a mais consumida em todo o País, também inovou e foi a primeira da companhia a apoiar a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.

O lançamento da nova garrafa de 600 ml de Budweiser é outro destaque entre as inovações da Ambev. A marca é líder entre as cervejas premium da companhia, que conta ainda com rótulos como Corona, Stella Artois e Original. Ao todo, o segmento premium apresentou crescimento de dois dígitos ao longo do primeiro semestre do ano. O volume de vendas da categoria near beer, como são chamadas as bebidas produzidas à base de malte, também aumentou dois dígitos no período. Formado pelas variantes da Skol Beats e Brahma 0,0%, esse novo segmento já representa cerca de 2% das vendas de cerveja no Brasil. Mais uma prova do sucesso das estratégias e inovações da companhia, o Fusion tornou-se a segunda marca mais consumida no segmento de energéticos no País dois anos após o seu lançamento e já concorre para ser a líder do mercado.

 

Fora do Brasil, os investimentos da Ambev também se mostram acertados. No Canadá, a receita líquida da companhia em moeda local subiu 11,8% entre abril e junho, resultado que foi impulsionado pelas recentes aquisições feitas no país. Já no Caribe, destaque para as ativações durante festivais musicais da República Dominicana e expansão da marca Corona na Guatemala.

 

Resultado 2T16 X 2T15

 

Ambev consolidado (operações em 19 países)

No segundo trimestre de 2016, o Ebitda ajustado da Ambev somou R$ 4,2 bilhões, o que representa um crescimento orgânico de 1,8% frente ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida da companhia avançou 3,2% entre abril e junho, para R$ 10,4 bilhões. Já o lucro líquido ajustado da companhia no consolidado foi de R$ 2,2 bilhões no período, queda de 22,4%. O volume total de vendas da Ambev no trimestre alcançou 35,667 milhões de hectolitros, um recuo de 6,7% na comparação com o mesmo período de 2015.

 

Ambev Brasil

Considerando apenas as operações da Ambev no Brasil, o Ebitda ajustado da companhia caiu 2,7% no período, para R$ 2,5 bilhões. A receita líquida no País totalizou R$ 5,5 bilhões, um aumento de 1,7% na comparação anual. O volume total de vendas da Ambev no Brasil foi de 24,121 milhões de hectolitros no segundo trimestre, o que representa retração de 4,7% ante o mesmo período de 2015. Desse total, foram comercializados 17,659 milhões de hectolitros de cerveja, uma redução de 4,5%. Já a venda de refrigeNANC (refrigerantes, bebidas não-alcóolicas e não-carbonatadas) teve queda de 5,2%, para 6,462 milhões de hectolitros entre abril e junho.

 

As demonstrações completas dos resultados financeiros da Ambev no segundo trimestre de 2016 estão disponíveis no site: www.ambev.com.br/investidores

 

  • postado por Oswaldo Scaliotti