Publicidade

Pra que serve a Física ¯\_(ツ)_/¯

por prof. Idelfranio Moreira

Para que não haja dois pesos, duas medidas

Por prof. Idelfranio Moreira em Direito, Física, Política

17 de setembro de 2016

image

“Não cometi injustiça contra os homens. Não maltratei os animais. Não fiz o mal em lugar da justiça. Não empobreci um pobre. Não fiz sofrer nem chorar. Não menti. (Confissão Negativa, O Livro dos Mortos)

 

Imagine que após a morte houvesse um julgamento para pesar o coração do morto, tendo uma ‘pena da verdade’ como contrapeso na balança. Após a confissão, se a pesagem mostrasse um coração mais leve que a pena, Vida Eterna! Caso contrário, o destino seria ‘O Devorador de Almas’…

Os antigos egípcios não só imaginavam como acreditavam nisso! O morto seria levado ao Tribunal de Osíris para que Anúbis pesasse seu coração na balança de Maat, tendo Tot como escriba e Amit, o devorador, à espreita.

image

A depender apenas das confissões, o devorador de almas da mitologia egípcia jamais provaria o sabor de um político brasileiro… Por sorte, tem a tal pesagem!

Crime de responsabilidade fiscal, quebra de decoro parlamentar, mensalão. Que os julgamentos aconteçam. E que haja uma única pena, a da verdade, para todos os fins.

image

Deuteronômio, 25; 13-16

 

Toda pesagem é uma comparação. Toda comparação precisa de um padrão de medida. Nosso Sistema Internacional de Unidades estabeleceu o quilograma como padrão de medida de massa. Desde 1889, o Protótipo Internacional do Quilograma é conservado no Birô Internacional de Pesos e Medidas, tendo acesso restrito e supervisionado.

image

International Prototype of Kilogram (IPK), um cilindro com cerca de 39 mm de altura e de diâmetro. Composição: 90% platina, 10% irídio.

Para a Física o YPK é a pena da verdade. Com ele e uma balança podemos determinar a massa de um coração (‘pesar’ um coração).

 

Numa balança romana, o IPK seria colocado a uma distância fixa comhecida X, e o coração, preso a um suporte P móvel, seria deslocado até uma distância d para a qual houvesse o equilíbrio horizontal da barra.

Numa balança romana, o IPK seria colocado a uma distância fixa conhecida X, e o coração, preso a um suporte P móvel, seria deslocado até uma distância d para a qual houvesse o equilíbrio horizontal da barra.

Considerando um coração com cerca de trezentOs gramas, a distância d seria o triplo de X, aproximadamente (no equilíbrio, tendo o IPK como contrapeso).

Numa balança de braços iguais (balança de Roberval), diferentemente da balança romana, os braços são de comprimentos fixos e iguais um ao outro. Sendo assim, o equilíbrio horizontal da balança revela massas (pesos) iguais.

image

Agora imagine que uma balança desse tipo tivesse os braços apenas aparentemente iguais. Uma diferença de 1% entre os comprimentos seria imperceptível ao olho humano, sem medição. Numa balança assim, o IPK, colocado no braço mais curto (0,99 X), seria equilibrado por um objeto de 990 gramas. Uma diferença de 10 gramas – pequena demais para ser percebida apenas segurando o peso, por exemplo -, permitiria a um vendedor desonesto obter lucro ilícito nas vendas. Parece pouco, mas não se diz que “de tostão em tostão é que se faz o milhão”?!

image

Este tipo de balança é também chamada libra. E é o tipo de balança que usa a Dama da Justiça.

image

Pois que ela abra o olho, na hora de pesar os corações! Todo cuidado é pouco, nestes tempos de confissões premiadas…

image

Para ter certeza que a balança está calibrada – e que a medição está correta -, após o equilíbrio, troque os objetos de lado. Se o equilíbrio se mantiver, tudo certo! Caso contrário, se a balança estiver desigual, ela penderá para um dos lados.

Assim, a Física serve para garantir que não haja dois pesos e duas medidas!

 

leia tudo sobre

Publicidade

Para entender o preço do poder

Por prof. Idelfranio Moreira em Política

05 de setembro de 2016

A Espada de Dâmocles

THe Sword of Damocles, pintura de Richard Westall, 1812. Fonte: Google Imagens.

 

Imagine você olhar para cima e descobrir, pendendo do alto do teto sobre sua cabeça, uma pesada e afiada espada, presa por um fino fio de crina de cavalo! Isto seria, certamente, assustador, sem dúvidas! Seria uma situação de perigo iminente, não é mesmo!?

Afinal, entendemos que

– quanto mais alta, pior a queda! Em outras palavras, grande altura (grande energia potencial) no início, significaria muita velocidade (muita energia cinética) ao final da queda.

– sendo fino, o fio não poderia suportar grande (força de) tração sem partir-se.

– sendo pesada, a espada submeteria o fio a uma tração de grande intensidade.

– a ponta afiada da espada aplicaria grande pressão ao mais leve toque. (Que dirá, então, sendo pesada e estando em alta velocidade ao final de tão alta queda!)

Fonte: http://goo.gl/bxSeoz

Fonte: http://goo.gl/bxSeoz

(Não fosse o fio tão fino, não fosse o teto tão alto, não fosse a espada tão pesada, nem mesmo tão afiada…)

Esta visão/imaginação assustadora/incômoda é considerada uma anedota moral conhecida como A Espada de Dâmocles. Segundo o que pesquisei, ela aparece contada por Marco Túlio Cícero em um livro intitulado Discussões Tusculanas. Mais ou menos como segue:

Dâmocles era bajulador de Dionísio, rei de Siracusa. Ele tanto falava que a vida de rei – com suas riquezas, bens, poder e serviçais – era fácil, que Dionísio, ofereceu-lhe ficar em seu lugar por um dia, para sentir como era. Tendo aceitado de pronto, este mandou preparar-lhe um farto banquete. Em certo momento, deslumbrado com toda ostentação e luxúria, ao olhar para cima, Dâmocles depara-se, assustado, com uma pesada e afiada espada pendendo do teto sobre sua cabeça, presa por um fio fio de crina de cavalo! Dionísio lhe explicada, então, que este é o fardo do poder. Usufruir de tudo o que sua posição de poder lhe proporciona tem o preço de estar sempre sob perigo iminente.

(Fonte: ancienthistory.about.com/od/ciceroworkslatin/f/DamoclesSword.htm)

Nestes tempos de acaloradas discussões/discordâncias políticas, a Física pode servir para entender o preço da disputa pelo poder. Reflita você aí se vale a pena.

image

 

Mais da Física Marginal em:

image

 

leia tudo sobre

Publicidade

Para você não perder nenhuma cena do filme. Nem quando adormecer!

Por prof. Idelfranio Moreira em Física, LED, tecnologia

11 de janeiro de 2016

Tecnologia boa é aquela que resolve nossos problemas reais. Concorda? ?

E se for uma tecnologia acessível, melhor ainda! ?

Interromper um filme/episódio de seriado a que estamos assistimos, por exemplo, e depois ter que procurar em que ponto paramos ERA um problema! ?

Usuários do NETFLIX usufruem de uma tecnologia que sempre retorna para onde pararam de assistir. Além de poderem fazer isso em diferentes dispositivos (tablet, smartphone ou notebook/desktop)!

Mas, você já dormiu no meio do filme? E quando acordou, já tinha acabado? Então, não teve jeito: precisou relembrar em que ponto dormiu e sair procurando até achar.

Agora, – continuando suas idéias de utilidade e de inovação – a NETFLIX resolve mais esse problema, com meias. Isso mesmo: MEIAS!

unnamed

A ideia do funcionamento é bem simples e ligada, inicialmente, ao estudo do sono. Especificamente, uma técnica chamada ‘actigrafia’: o estudo dos ciclos de repouso e vigília durante as fases do sono.

49737e1f-ef3f-459b-93dd-7f108cfccdeb

A partir disso, usando uma placa Arduíno – como controladora – e um LED – como emissor de sinal para o dispositivo – compõem o circuito do mecanismo.

netflix-socks-components-2

Mas, onde a coisa toda começa? Na Física! O primeiro componente do circuito é um acelerômetro. (A palavra explica? ‘Medidor de aceleração’. Nesse caso eu até diria, mais adequadamente, ‘detector de aceleração’.)

Esse é um componente comum e subliminarmente conhecimento de muitos hoje em dia. Todas as vezes que você agita/balança/sacode seu smartphone ou seu tablet para acender a lanterna ou abrir um app, o acelerômetro é o sensor/detector que indica essas variações de movimento. Quem costuma jogar nestes dispositivos móveis também usa muito o acelerômetro. (Ele acaba permitindo, então, que o dispositivo funcione como os joysticks de antes!)

images (2)

A aceleração representa as variações no movimento, ou seja, mudanças na direção do movimento ou no valor da velocidade do movimento. Assim, quando o acelerômetro (que, neste caso, precisa ser sensível a variações sutis de movimento, ou seja, a acelerações de pequeno valor) não detecta movimentos durante algum período de tempo, isto é interpretado (pela placa Arduíno) como “espectador dormindo”. Daí, um comando aciona o LED para pausar a reprodução na smartv.

Imagem de Amostra do You Tube

#AlémDaFísica

Talvez a parte mais legal de tudo seja o incentivo a fazer você mesmo sua meia! Toda a descrição do funcionamento, lista de materiais e passo-a-passo da montagem, aparecem no hotsite makeit.netflix.com, um incentivo ao movimento DIY (Do It Yourself).

#ParaSaberMais

Acesse o Canal Física Marginal no Youtube, em http://www.youtube.com/FisicaMarginal

YTFMlogoqrcode

 

Publicidade

[COMUNICADO] Para fazer Direito no ENEM [COMUNICADO]

COMUNICADO

Agradecemos o interesse dos que realizaram sua inscrição para participação em nossa palestra A FÍSICA NOS CÓDIGOS, NORMAS E LEIS. Entretanto, informamos que, por motivo de força maior, o evento está adiado, temporariamente, com nova data ainda a ser definida

O mais breve possível, informaremos/confirmaremos a nova data/horário/local de realização e a reabertura das inscrições.

Obrigado a todos.

prof. Idelfranio Moreira, 24 de setembro de 2015.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como as Leis de Newton podem decidir questões legais, como direito à herança e direito à aposentadoria?

É com esse mote que o professor Idelfranio Moreira, do Canal Física Marginal (Youtube), apresenta A FÍSICA DOS CÓDIGOS, NORMAS E LEIS, um aulão (gratuito) de Física preparatório para o ENEM 2015.

O evento acontecerá amanhã, quinta-feira 24, a partir das 19 h, no auditório da UNIPACE, anexo à Assembleia Legislativa (na esquina da Rua Barbosa de Freitas com a Av. Pontes Vieira, pertinho do Clube do Vôlei. Mesmo local das aulas do ALCANCE ENEM). A entrada é 1 kg de alimento (que será destinado ao Lar Torres de Melo).

Para participar, basta fazer sua INSCRIÇÃO (online mesmo) em http://www.fisicamarginal.com/inscricao.

fisicaleis

Convidados especiais: Priscilla Silveira, Advogada especialista em Direito Autoral, Marcas e Patentes; Angelo Victor Siqueira Lins, Professor e Procurador  Federal, especialista em Direito Constitucional, Tributário e Previdenciário; Célio Belém, Professor, Advogado, Palestrante e Diretor do Instituto Brasileiro de Debates. Juntos, eles abordarão seis aspectos relativos ao Direito (do Consumidor, Previdenciário, Tributário e Constitucional), bem como um pouco da simbologia e da história do Direito.  A partir daí, conteúdos de Mecânica, Termologia, Óptica e Ondulatória serão apresentados. Há muito mais relações entre a Física e o Direito do que você consegue imaginar!

leia tudo sobre

Publicidade

Para não dar zebra no ENEM

Que tal se seu cachorro, em vez de comer sua lição de casa, te ajudasse a fazê-la?!
Nunca pensou que seu cachorro ou gato pudesse te ajudar a aprender Física, não é?

dogate

O professor Idelfranio Moreira – do Canal Física Marginal, no Youtube – e o biólogo, doutor em zoologia, Hugo Fernandes-Ferreira – do Canal ZOA, no Youtube e na TV Jangadeiro – farão palestra intitulada A FÍSICA NO REINO ANIMAL para mostrar como alguns conteúdos de Física podem se tornar bem mais interessantes ao observarmos a anatomia, a fisiologia, o comportamento e a adaptação evolutiva de alguns animais.

Amanhã, sexta, 28 de agosto, a partir das 19 h, no auditório da UNIPACE, centenas de jovens terão a oportunidade de complementar seus estudos de Física, preparatórios para o ENEM 2015, de maneira contextualizada, a partir de temas do seu interesse. Além disso, a oportunidade de conversar com um cientista e divulgador de ciência que alia conhecimento e capacidade de motivação,  marcas do trabalho do biólogo Hugo Fernandes. (Assista à apresentação dele no TEDx Fortaleza 2014: “E se mudássemos a divulgação científica no Brasil?”)

O evento é gratuito. Na ocasião serão recebidas doações voluntárias (alimentos não perecíveis, leite, produtos de higiene etc) para a Associação Peter Pan, que cuida de crianças com câncer, em Fortaleza.

Para participar, basta fazer INSCRIÇÃO diretamente no site www.fisicamarginal.com/cadastro.

Então, saia da zona de conforto nesta sexta à noite para garantir que não vai dar zebra no seu vestibular desse ano!

zebrinhaenem

Onde? No auditório da UNIPACE (Universidade do Parlamento do Ceará), no Edifício Deputado José Euclides Ferreira Gomes (anexo AL), rua Barbosa de Freitas esquina com av. Pontes Vieira, sem número.

Como chegar? Clique na imagem abaixo.

28ago15wazemap01

fmanimalcomapoio

leia tudo sobre

Publicidade

Para você se preparar para o ENEM 2015

E se eu te dissesse que você sabe Física, talvez só não saiba que sabe?!

Sendo assim, que tal preparar-se para a prova de Ciências da Natureza do ENEM 2015 estudando Física a partir do funcionamento do corpo humano?

Sexta-feira, dia 17 de julho, a partir das 19 h, um aulão gratuito com o tema: A FÍSICA DO CORPO HUMANO, com o prof. Idelfranio Moreira, do canal de videoaulas Física Marginal.

A entrada é gratuita, basta fazer a INSCRIÇÃO no site www.fisicamarginal.com!

FMCHjulho2015instab

O evento contará, ainda, com a participação do PhD em Física Médica Marcelo Sousa, o ‘cearense de Harvard‘, vencedor da StartUp Farm 2015!

marcelo3

 

 

 

* Todos os participantes receberão material impresso, para estudo.

** Quem quiser poderá doar 1 kg de alimento não perecível. NÃO É OBRIGATÓRIO. A ENTRADA É TOTALMENTE GRATUITA. Mas, o que for arrecadado, servirá para ajudar a quem precisa.

leia tudo sobre

Publicidade

Para você não ter que usar óculos com lentes “fundo de garrafa”!

 

A compra de óculos de grau requer a escolha de uma armação – dentre tantas alternativas de formatos, cores, marcas e preços. E, no caso de uma pessoa que tenha miopia, há ainda a preocupação com a grossura das lentes! Isto porque as lentes que a miopia requer têm bordas grossas, como resultado da combinação de uma face plana com outra côncava ou da combinação de duas faces côncavas.

divergente

Quanto maior o grau de miopia, mais grossas as lentes! E, como se não bastasse, há ainda outro efeito: os olhos do míope aparecem bem pequenos por trás das lentes. Quanto maior o grau da lente, maior a auto-estima necessária para abstrair o efeito sobre a estética do rosto do usuário!

lenstbn01lenstbn02lenstbn03

 

 

 

É exatamente dessa característica das lentes para miopia que surgiu o clássico termo – jocoso – “óculos de fundo de garrafa” (objeto obrigatório numa fantasia de nerd, por exemplo)!nerd_glasses_dork_geek

 

Acontece que não é apenas a geometria – os formatos esféricos das faces e seus respectivos raios – que determinam o grau da lente! O material de que a lente é feita – representado por um índice, chamado ‘índice de refração’ – também é decisivo para o grau da lente.

Essas relações entre o grau da lente (V), os raios de curvatura das faces (R1 e R2) e o índice de refração (n) do material da lente aparecem na chamada ‘equação dos fabricantes de lentes’ (até porque não poderia ser chamada de outra forma, concorda?!:

lenstbn04

Segundo esta equação, se o material da lente tiver baixo índice de refração, a lente terá que ser grossa para alcançar o (alto) grau necessário. Logo, se a lente for fabricada de um material com alto índice de refração, o grau necessário poderá ser conseguido com uma lente mais fina!

lenstbn06

 

No gráfico comparativo acima, vê-se uma lente de 6,0 graus. Repare que, para um índice 1,74, as dimensões da lente são praticamente a metade das dimensões necessárias com um material de índice 1,5! (bordas de 5,2 milímetros, em vez de 9,0 milímetros; corpo de 1,1 milímetro, em vez de 2,0 milímetros.)

Untitled

Logicamente, há um preço a pagar por este benefício, como em tudo na vida: quanto maior o índice, maior o custo. Pelo menos você não teria que fazer como Fernando Pessoa que, segundo o biógrafo José Paulo Cavalcanti Filho, apesar de seus 12 graus de miopia, usava óculos com apenas 3 graus(!): “… com 12 graus de miopia, jamais poderia essa receita prescrever apenas 3 graus para seus óculos. Salvo para atender ‘a vaidade do próprio paciente, que terá ele mesmo pedido ao oculista a prescrição de um grau menor – em que seus olhos não ficassem miúdos, para quem os visse, pelo uso das grossíssimas lentes indicadas para quem tem 12 graus de miopia.” [FERNANDO PESSOA: UMA QUASE AUTOBRIOGRAFIA, José Paulo Cavalcanti Filho, 6a edição, Rio de Janeiro. Editora Record, 2012.]

E se, de repente, você achar tanta preocupação com a estética apenas uma frescura, vale a pena saber que há casos extremos que exigem, de fato, uma ação: uma miopia de 21 graus, por exemplo! Dia desses soube de uma aluna – cujo grau de miopia é 11 – que seu irmão tem miopia 20,50! E trouxe-me a receita e os óculos. Não que eu duvidasse, mas para o caso de ter que comprovar pra alguém que ache que miopia nos olhos dos outros é frescura!

lenstbn07

 

IMG_20150610_173656494

 

leia tudo sobre

Publicidade

Para reduzir a conta de energia elétrica

Por prof. Idelfranio Moreira em economia, energia, LED, tecnologia

03 de julho de 2015

Pergunta: se uma lâmpada incandescente custa R$ 3,00 e uma lâmpada de LED custa R$ 30,00, quanto você economiza comprando uma lâmpada incandescente?

Resposta: NENHUM TOSTÃO! Na verdade, além de não economizar, você tem prejuízo!

Acontece que “energia não cria, se transforma”. No caso de uma lâmpada (tanto faz se incandescente ou LED): Energia ELÉTRICA = CALOR + LUZ. Assim, para conseguir a luz que quer, você paga pela energia elétrica que precisa e tem parte desse valor torrado com o calor gerado, mesmo contra a sua vontade!

É uma lei geral da Natureza: não existem rendimentos de 100%, já garante a termodinâmica. Em todo processo de transformação de energia, uma parte pelo menos, é dissipada sob a forma de calor.

 

ledlamp

Considerando isso, o que queremos? Conseguir muita luz gastando pouca energia elétrica!

E como podemos conseguir isso? Com lâmpadas LED, em vez de lâmpadas incandescentes.

Comprar uma lâmpada incandescente pode custar 10 vezes menos, mas a conta de energia no final do mês custará 10 vezes mais!

[Uma lâmpada LED de R$ 30,00 tem 9 W de potência e ilumina o mesmo que uma lâmpada incandescente com 100 W de potência. O valor de R$ 3,00 a que me referi é de uma lâmpada incandescente com 40 W que ainda podem ser encontradas no mercado. Afinal, até as de 60 W, agora, “nem por decreto”! Veja portaria 1007).]

coelce

Lendo a conta de energia elétrica você perceberá que há duas maneiras básicas de reduzir o consumo e, consequentemente, o valor da conta: reduzir o tempo de uso e/ou reduzir a potência da lâmpada!

Trocando sua lâmpada incandescente por uma LED, a quantidade de watt pode ser reduzida de 100 para 9! Logo, mesmo que o tempo de uso seja o mesmo, o consumo de energia elétrica será mais de 10 vezes menor (e a iluminação, a mesma!).

 

Parte do segredo de tamanha eficiência das LED está no fato de apenas 5% da energia elétrica que recebem ser transformada em calor, ao contrário das incandescentes, nas quais apenas 5% virava luz (ou seja, 95% de energia elétrica transformada em calor!).

E, se mais algum argumento for necessário: que tal uma lâmpada que pode durar até 30 mil horas, em vez de mil!?

Para finalizar: você pode estar se perguntando porque nem mencionei as fluorescentes… ok, ok!
As fluorescentes foram uma excelente opção (custo da compra = até 3 vezes mais; custo mensal = 4 vezes menor; duração = 6 mil horas; parcela de calor = 30%) até o Prêmio Nobel de 2014. Agora, não há o que discutir: não esquente com a matemática e deixe a Física economizar sua grana!

 

leia tudo sobre

Publicidade

Para não ‘passar reto’ na curva da vida!

Por prof. Idelfranio Moreira em trânsito

25 de junho de 2015

O pai gira a criança pelos braços.

A criança ri e pede ‘mais rápido, pai!’. A criança adora, e quanto mais rápido, mais ela se diverte.

Quando o pai para, ela pede ‘de novo, pai!’.

E de novo, e de novo…

laughing_outside

O que a criança sente…

Nas duas, três, primeiras vezes, o pai curte.

No terceiro pedido de bis – as costas doendo e os antebraços começando a arder -, ele diz ‘Tá bom, só mais uma vez e chega!’

gech_0002_0003_0_img0238

O que o pai vê…

Não só pelas dores e pelo cansaço, acontece que ele lembra/pensa ‘melhor parar antes que a tua mãe veja!’

maxresdefault

Tá certo ele! A mãe, vendo uma cena dessas, só pensa na primeira lei de Newton e nos jogos olímpicos! (Sim, o cérebro de uma mãe pensa todas as situações em um perigo iminente!)

“Pare já com essa brincadeira, homem! Não tá vendo que, se tu soltar, essa criança vai bater é longe!?”

872289-20189756-1600-900

O que a mãe pensa!

“Todo corpo continua em movimento uniforme e em linha reta, a menos que ele seja forçado a mudar por forças imprimidas a ele.” Esta é a Lei I do movimento, (d)escrita por Isaac Newton no seu Princípios Matemáticos de Filosofia Natural.

Talvez por isso a criança se divirta: ela vê o esforço do pai para mantê-la girando e sorrindo.

Certamente é por isso que as costas do pai doem e os músculos ardem, depois de algumas rodadas: é a força que ele exerce, puxando a criança para si, que a impede de sair reto e continuar mudando a direção de seu movimento, mantendo-a numa trajetória circular.

Indiscutivelmente, é por imaginar a possibilidade de a criança sair voando que a mãe fica apreensiva: afora o fato de ela saber que essa brincadeira é uma das causas de pronação dolorosa, na qual o antebraço é separado do braço, na articulação do cotovelo. (Não duvide que uma mãe saiba disso! Quando elas não sabem, intuem!)

E, não à toa, está escrito no Código de Trânsito Brasileiro (artigo 65) que “é obrigatório o uso do cinto de segurança para condutor e passageiros em todas as vias do território nacional”. E não é por ser ‘infração grave’ com ‘penalidade de multa’. Afinal, tem gente que acha que pode não usar, porque não vai ser visto ou porque, se for visto, tem dinheiro para pagar a multa!

Acontece que você pode escolher andar sem o cinto de segurança, mas não deve. Se acha que pode não obedecer à lei de trânsito, mas é impossível escapar às leis do movimento (às leis da Física)!

As justificativas para iludir-se são as mais diversas: achar que é motorista experiente, achar que se andar devagar não tem perigo, achar que estando no banco de trás não precisa de cinto… Nada mais errado!

Sou muito convencido, inclusive, que as palavras influenciam no pensamento (logo, nas ações). Vejo as pessoas relatando acidentes e dizendo, com ênfase, “o impacto foi tão violento que o corpo dele(a) foi jogado longe!”. Fico imaginando que, inconscientemente, a pessoa quer dizer, que foi uma infelicidade e que, não fosse a ‘violência’ do impacto, nem teria ocorrido a fatalidade.

É preciso entender que O CORPO NÃO É JOGADO PARA FORA DO CARRO QUANDO OCORRE A COLISÃO! O corpo estava em movimento juntamente com o carro. O carro foi parado, a pessoa tende a continuar em movimento. Se houver a força do cinto sobre seu corpo, o movimento poderá ser impedido. Caso contrário…

tbn

A sequência de imagens acima mostra o que acontece quando um adulto, de cinto, com uma criança em seu colo (sem cinto), quando ocorre uma colisão frontal. Observe que o cinto segura o corpo do adulto, mas seus braços, suas pernas e sua cabeça tendem a continuar em movimento, pois não recebem força alguma do cinto. Assim, a criança, sem a força de um cinto e, agora, sem a força dos braços do adulto, continua seu movimento, com a mesma velocidade que o carro estava no instante da colisão! Não tem braço de mãe que segure a inércia!

Assista ao vídeo desse crash test:

Imagem de Amostra do You Tube

Assim, sendo alta ou baixa a velocidade no momento da colisão, o corpo sem cinto de segurança continua seu movimento com esta mesma velocidade! E vai colidir com o que estiver pela frente: o banco da frente, no caso do passageiro no banco de trás; a direção, no caso do motorista; o para-brisas, no caso do passageiro da frente… Pode acontecer, inclusive, que o corpo passe o para-brisas ou alguma janela e fique, ao final do movimento, fora do carro. Não porque foi jogado, mas porque continuou seu movimento, enquanto o carro parou. (Não importando se o passageiro/motorista é um desconhecido ou uma celebridade, se é um cantor sertanejo de sucesso ou um matemático ganhador do Prêmio Nobel! Ver: Cristiano Araújo e John Nash.)

tbn00

Assista ao vídeo para lembrar-se da sua família sempre que se pegar, no carro, sem o cinto de segurança: https://www.youtube.com/watch?v=h-8PBx7isoM

 

 

Publicidade

A Física serve para que – juntos – salvemos milhões de pessoas!

Por prof. Idelfranio Moreira em trânsito

11 de abril de 2015

“O que é velocidade?”, pergunta o professor de Física.

“Delta S sobre delta t”, responderia um aluno em ano de vestibular, (quase) como um autômato.

“É o que determina quanto combustível vou vender hoje”, exclamaria o dono do posto de gasolina.

“É o que eu preciso para chegar logo”, pensaria o motorista impaciente com os carros parados no engarrafamento à sua frente e com os ponteiros andando, a toda, no relógio, em seu pulso.

“É a diferença entre a vida e a morte, na estrada”, diria o pedestre indefeso e coagido pelos carros, velozes e furiosos.

TbnVelocity

[créditos: 1 – triângulo da velocidade: http://goo.gl/FkBqJ1; 2 – posto de combustível: http://goo.gl/YCfUaa; 3 – motorista apressado: http://goo.gl/zGB58T; 4 – velocidade/velocímetro: http://centraldoscarros.blogspot.com.br/2010/08/velocimetro-parado-depois-de-acidente.html]

O que é fato: a velocidade é muito mais do que os “km/h” que aparecem no velocímetro do seu veículo. Concorda? No Código de Trânsito Brasileiro, por exemplo, está escrito que “os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres”!

IMG_4843

artigo 29, capítulo III, Código de Trânsito Brasileiro: DAS NORMAS GERAIS DE CIRCULAÇÃO E CONDUTA. [Clique sobre a imagem para baixar o arquivo PDF com o texto integral do CTB.]

Entendendo “motorizado” como sendo aquele veículo capaz de ir mais rápido (graças à potência de seu motor), perceba a importância da (grandeza física) velocidade para a segurança de todos: até os “não motorizados” são responsáveis pela i-n-c-o-l-u-m-i-d-a-d-e dos pedestres (que podem ser entendidos como aqueles que não têm motor e, portanto, não conseguem ir tão rápido. O que não significa que não tenham necessidade/vontade de chegar logo!).

AuleteIncolume

Pesquisei INCOLUMIDADE, mas o dicionário dizia “qualidade do que é INCÓLUME”. hahaha! Então, segue o significado de INCÓLUME, conforme o Dicionário AULETE Online. [Clique na imagem para acessar o verbete.]

Segundo a Organização Mundial de Saúde, em 2004, ‘acidentes de trânsito’ já figuravam entre as dez maiores causas de morte no mundo todo. Em 2011, foram 1,3 milhões de mortes em acidentes de trânsito, no mundo todo. A continuarem as estatísticas como estão/estavam, a projeção para 2030 mostra ‘acidentes de trânsito’ como a quinta maior causa de mortes no mundo com um total de 1,9 milhões de vítimas fatais. A própria Organização, listou os (cinco) fatores maiores causadores deste tipo de dano: bebês sem mecanismos retentores (cadeirinhas e assentos de elevação), adultos (motorista e/ou passageiros, tanto no banco da frente quanto no banco de trás) sem cinto de segurança, motociclistas sem capacete, motoristas alcoolizados e… VELOCIDADE (EXCESSIVA).

TbnWHOinjuries

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/kqi1IU) [DETALHE: Observe que as outras 9 causas são todas doenças!]

A partir deste cenário – triste e alarmante – uma campanha mundial, a Decade of Action for Road Safety 2011-2020 (http://goo.gl/44fhRD), surgiu com a meta de reduzir para a metade o número de acidentes anuais previstos! A campanha está baseada em 5 pilares, dos quais, um (o pilar 4) foca em ações para a mudança de comportamento das pessoas que compõem o trânsito (motoristas, motociclistas, pedestres etc).

TbnDecade

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/kqi1IU)

De tudo que li, a estatística que mais mexeu comigo, confesso, foi saber que acidentes de trânsito são a principal causa de morte de jovens na faixa etária de 15 a 29 anos! Acontece que tenho – hoje – uma filha com 16 anos e um filho com 13! Além disso, como professor de Física, vejo nas minhas aulas de ensino médio e de pré-vestibular, jovens nessa faixa etária, para os quais eu sou o responsável por responder àquela pergunta que fiz no início do texto (“o que é velocidade”)!  

 

IMG_4849

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/kqi1IU)

 

Assim, para conscientizar da importância que a velocidade tem para a segurança de todos no trânsito, pense no seguinte exemplo: aumentar a velocidade de 50 km/h para 67 km/h (um aumento de 34%, quase) reduziria o tempo de viagem em quase 25 % (uma distância de 50 km, por exemplo, seria percorrida em 45 min, em vez de uma hora), entretanto aumentaria o espaço de frenagem em quase 80% (em vez de 25 m para parar o carro, seriam necessários quase 45 m).

Assista ao vídeo a seguir (a partir do qual fiz os cálculos apresentados acima):

Resumindo: “Devagar se vai ao longe”, como diz o provérbio! Isso se aplica aos motoristas, tanto quanto aos pedestres!

E me arrisco a dizer que seria legal ter no CTB algo como “os de maior porte e os de menor porte, os motorizados e os não motorizados, bem como os pedestres, são todos responsáveis por, conhecendo as leis da Física, tornarem o trânsito menos violento e mais seguro”. A Física serve pra isso sim!

velocidade-frenagem

Clique na imagem se quiser ir à fonte (http://goo.gl/9MIuv1).

*      *      *

(1) Uma pergunta para aqueles leitores que não estão mais na escola: Você lembra das clássicas questões de “transforme de km/h para m/s”? Alguma vez aconteceu de você acertar a fórmula, o cálculo e o valor da resposta, mas receber um ‘x’, de ‘errado’, ou um ‘C cortado’, de ‘meio certo’? Daí, quando você falou com seu professor e ele explicou o erro você pensou “mas só por causa da unidade de medida!?”?

(2) Um esclarecimento para aqueles leitores que ainda estão na escola: os cálculos que fiz para mostrar a redução do tempo e o aumento do espaço de frenagem se basearam, respectivamente, na equação da velocidade média e na equação de Torricelli (considerando o mesmo espaço percorrido, no primeiro caso, e a mesma desaceleração – e desprezando o tempo de reação (assunto para um post futuro) – no segundo caso). Assim, ó:

TbnCalculos

(3) Uma orientação/um pedido aos colegas professores que quiserem/precisarem utilizar alguma parte deste post como texto-base para a elaboração de itens (TRI): para citar a fonte, favor colocar (A FÍSICA SERVE PARA SALVAR MILHÕES DE PESSOAS, prof. Idelfranio Moreira. Disponível na url http://goo.gl/ZTV8cB. Acessado em __/__/____.)

Publicidade

Para que não haja dois pesos, duas medidas

Por prof. Idelfranio Moreira em Direito, Física, Política

17 de setembro de 2016

image

“Não cometi injustiça contra os homens. Não maltratei os animais. Não fiz o mal em lugar da justiça. Não empobreci um pobre. Não fiz sofrer nem chorar. Não menti. (Confissão Negativa, O Livro dos Mortos)

 

Imagine que após a morte houvesse um julgamento para pesar o coração do morto, tendo uma ‘pena da verdade’ como contrapeso na balança. Após a confissão, se a pesagem mostrasse um coração mais leve que a pena, Vida Eterna! Caso contrário, o destino seria ‘O Devorador de Almas’…

Os antigos egípcios não só imaginavam como acreditavam nisso! O morto seria levado ao Tribunal de Osíris para que Anúbis pesasse seu coração na balança de Maat, tendo Tot como escriba e Amit, o devorador, à espreita.

image

A depender apenas das confissões, o devorador de almas da mitologia egípcia jamais provaria o sabor de um político brasileiro… Por sorte, tem a tal pesagem!

Crime de responsabilidade fiscal, quebra de decoro parlamentar, mensalão. Que os julgamentos aconteçam. E que haja uma única pena, a da verdade, para todos os fins.

image

Deuteronômio, 25; 13-16

 

Toda pesagem é uma comparação. Toda comparação precisa de um padrão de medida. Nosso Sistema Internacional de Unidades estabeleceu o quilograma como padrão de medida de massa. Desde 1889, o Protótipo Internacional do Quilograma é conservado no Birô Internacional de Pesos e Medidas, tendo acesso restrito e supervisionado.

image

International Prototype of Kilogram (IPK), um cilindro com cerca de 39 mm de altura e de diâmetro. Composição: 90% platina, 10% irídio.

Para a Física o YPK é a pena da verdade. Com ele e uma balança podemos determinar a massa de um coração (‘pesar’ um coração).

 

Numa balança romana, o IPK seria colocado a uma distância fixa comhecida X, e o coração, preso a um suporte P móvel, seria deslocado até uma distância d para a qual houvesse o equilíbrio horizontal da barra.

Numa balança romana, o IPK seria colocado a uma distância fixa conhecida X, e o coração, preso a um suporte P móvel, seria deslocado até uma distância d para a qual houvesse o equilíbrio horizontal da barra.

Considerando um coração com cerca de trezentOs gramas, a distância d seria o triplo de X, aproximadamente (no equilíbrio, tendo o IPK como contrapeso).

Numa balança de braços iguais (balança de Roberval), diferentemente da balança romana, os braços são de comprimentos fixos e iguais um ao outro. Sendo assim, o equilíbrio horizontal da balança revela massas (pesos) iguais.

image

Agora imagine que uma balança desse tipo tivesse os braços apenas aparentemente iguais. Uma diferença de 1% entre os comprimentos seria imperceptível ao olho humano, sem medição. Numa balança assim, o IPK, colocado no braço mais curto (0,99 X), seria equilibrado por um objeto de 990 gramas. Uma diferença de 10 gramas – pequena demais para ser percebida apenas segurando o peso, por exemplo -, permitiria a um vendedor desonesto obter lucro ilícito nas vendas. Parece pouco, mas não se diz que “de tostão em tostão é que se faz o milhão”?!

image

Este tipo de balança é também chamada libra. E é o tipo de balança que usa a Dama da Justiça.

image

Pois que ela abra o olho, na hora de pesar os corações! Todo cuidado é pouco, nestes tempos de confissões premiadas…

image

Para ter certeza que a balança está calibrada – e que a medição está correta -, após o equilíbrio, troque os objetos de lado. Se o equilíbrio se mantiver, tudo certo! Caso contrário, se a balança estiver desigual, ela penderá para um dos lados.

Assim, a Física serve para garantir que não haja dois pesos e duas medidas!