Blog do Graziani
Fernando Graziani

Fernando Graziani

Blog do Graziani, por Fernando Graziani

Ceará e Fortaleza: patrocínio da Caixa está distante e deixa dirigentes preocupados

Anunciado no final de maio deste ano com pompa e muitos pais querendo a fama e o mérito pelo acordo, o patrocínio da Caixa Econômica Federal ainda não chegou aos dois maiores clubes cearenses

O presidente do Fortaleza, Daniel Frota, afirmou em entrevista ao repórter Anderson Azevedo da Tribuna Band News FM que “está faltando tudo para a assinatura do contrato e do acerto real das bases financeiras”. Frota afirmou ainda que tem tentado contato direto com a Caixa, por email e telefone, e não consegue nenhuma resposta. Nada está decidido, portanto. Não se sabem os valores, os espaços das camisas que a patrocinadora deseja, o prazo do acordo.

Já no Ceará, o clube trabalha com o prazo de 90 dias dado aos aos clubes para que consigam as certidões negativas que vão permitir o acordo com a entidade. Conversei com dirigentes alvinegros nesta quinta-feira e eles me disseram que o clube está trabalhando para que a documentação esteja pronta no prazo, que termina no final de agosto. Eles, entretanto, confirmam o discurso do Fortaleza, de que nada está definido.

Há uma mistura de ansiedade e preocupação com esperança de que o protocolo de intenções firmado no final de maio seja cumprido.

Relevante lembrar que desde que firmou contrato com o Corinthians, ainda em 2012, a marca da Caixa Econômica Federal é uma das mais expostas no atual cenário do futebol brasileiro. Pelo menos treze clubes (Corinthians, Flamengo, Vasco, Atlético-PR, Coritiba, Figueirense, Avaí, Chapecoense, ASA-AL, Atlético-GO, Vitória, ABC, América-RN) estampam a marca do banco estatal.

Leia Mais

Ceará: classificação de um milhão de reais na Copa do Brasil

A cota para o Ceará participar da terceira fase da Copa do Brasil é de 430 mil reais. O valor está garantido, que se classificou depois de vencer o primeiro jogo e empatar o segundo contra a Chapecoense. O adversário agora é o Inter. Na quarta-feira que vem, em Porto Alegre, 22h, no Beira Rio, a ida. A volta está marcada para o dia 13 de agosto, por enquanto, no Castelão, com chances reais de mudança para o PV.

Para garantir uma boa renda no segundo jogo é essencial que o Ceará consiga um bom resultado fora de casa. Um insucesso como aquele do Bahia contra o Corinthians, nesta quarta-feira, quando o time baiano perdeu por 3×0 em São Paulo é um problema. Uma vitória, um empate ou até uma derrota mínima certamente ajudarão na possibilidade de arrecadar, entre cota e renda, um milhão de reais, bom reforço para o caixa de quem recebe apenas três milhões de reais para participar da Série B, ao contrário da Chapecoense, por exemplo, que ficou com 18 milhões de reais por jogar na Série A.

Para a partida contra o Inter a atenção na defesa será ainda mais necessária. Apesar de ter o melhor ataque da Série B com 21 gols marcados e estar na liderança da competição, até a 12a. rodada o Ceará tomou gols em nove partidas, um exagero, com a quinta pior defesa da Segundona.

Leia mais: Ceará sofre na defesa apesar da liderança da Serie B 

Leia Mais

Ceará: líder e melhor ataque da Série B, time sofre na defesa

Na vez mais recente que conversei com Sérgio Soares (Jangadeiro Esporte Clube Debate duas semanas atrás), o técnico alvinegro disse, ao responder uma pergunta minha sobre as falhas defensivas constantes do time, que o importante era seguir fazendo mais gols do que os tentos sofridos. Lógica óbvia, mas ainda assim, ele reconheceu que a necessidade de mudança de postura era necessária. Com as rodadas pós Copa ficou ainda mais evidente: o time tem tido problemas no sistema defensivo.

Líder antes da Copa, o alvinegro perdeu o posto quando da derrota para o Joinville por 3×1 e voltou a ficar em primeiro depois de bater o Icasa no Castelão neste sábado, por 2×1, e contar com insucessos dos concorrentes. Com quase um ano de clube, Sérgio Soares já escalou o time de várias formas desde que assumiu o clube em agosto de 2013 , mas todas com características ofensivas, algo positivo, mas o risco defensivo é claro e o retrato disso são os 16 gols sofridos em 12 partidas (em apenas três jogos o time não levou gol). É gol demais, tanto que na Série B toda, apenas quatro equipes possuem defesas mais vazadas: Vila Nova, Bragantino, Portuguesa e América-RN.

O grande desafio do Ceará nos próximos jogos é manter a produção ofensiva de melhor ataque (21 gols feitos) ao mesmo tempo em que consiga diminuir as falhas defensivas, até porque o equilíbrio da competição é enorme e há muitas equipes na cola . Dois pontos são essenciais quando vejo o Ceará atuar. O primeiro: os laterais avançam muito e em vários momentos ao mesmo tempo e não fazem a recomposição necessária quando o time perde a bola. O segundo: João Marcos está sozinha na proteção da zaga. Como Ricardinho é fundamental para a boa qualidade de saída de jogo da equipe, nas bolas paradas e para cadenciar o jogo,  os outros meio-campistas precisam marcar mais, principalmente porque Magno Alves e Bill, os atacantes, pouco ajudam o sistema defensivo quando não têm a bola.

Leia Mais

Fortaleza: empate contra o Treze era bom e rodada confirmou

Após o ponto conquistado em Campina Grande, no sábado, o Fortaleza segue invicto no grupo A da Série C. A liderança isolada quando da parada da Copa mostrava seis pontos de vantagem sobre o quinto colocado (14 a 8) e se manteve assim com a finalização da sétima rodada. Com 15 pontos, o tricolor está distante seis do primeiro time fora do G4, o Salgueiro, que soma nove.

Não vejo como importante que a redução para o segundo colocado diminuiu (era de cinco sobre o Botafogo-PB e agora é de quatro, sobre o Cuiabá), porque o interesse real do clube é estar entre os classificados para o mata-mata decisivo e não ficar em primeiro. A história recente do Fortaleza na Série C mostra que isso não tem a menor lógica ou importância.

Na partida contra o Treze, no PV da Paraíba, o Fortaleza não jogou bem no primeiro tempo. Permitiu muitos espaços ao adversário. O sistema de marcação não funcionou na entrada da área e nas laterais. O time perdeu o meio-campo, mas contou com a falta de pontaria tremenda do adversário.  No ataque, só uma jogada certa, justamente a que originou o gol de Robert, após bom passe de Waldyson.

Na segunda etapa o Fortaleza mudou a postura e não permitiu nada ao ataque do Treze. Ficou mais com a bola e teve calma. Destaque para a boa atuação da zaga reserva, com Adalberto e Genilson, seguros. Guto e Walfrido passaram a ajudar o ataque, tiveram ambos uma chance, principalmente Guto que, sem marcação, perdeu um gol daqueles impossíveis aparentemente. Waldyson correu demais, ajudou na marcação, mas os laterais continuaram falhando no apoio, assim como Marcelinho Paraíba, muito discreto. Edinho fez muita falta. Davidson ficou longe de substituí-lo minimamente e Robert foi muito pouco acionado.

Não é recomendável esperar bom futebol na Série C, de time algum, mas faltando 11 partidas para o fim da primeira fase, o Fortaleza necessita fundamentalmente crescer a sua produção ofensiva. Foram apenas sete gols em sete partidas. É apenas o quinto melhor ataque do grupo. O fato é compensado pela defesa, que sofreu apenas três gols e é a melhor da competição, razão principal da liderança.

Leia Mais

Ceará 1×3 Joinville: péssimo retorno na Série B

As desculpas de falta de tempo para treinar ou de condicionamento físico ruim não existem depois de cerca de 40 dias de paralisação e treinamentos. Resta a falta de ritmo, mas ela também não pode ser usada porque vale para todas as equipes brasileiras que voltam a campo após a Copa, seja em que divisão for.

Resta ao Ceará, portanto, admitir que fez uma péssima partida no PV nesta terça-feira, em todos os setores do campo, tática e tecnicamente. Os laterais pouco ajudaram, Magno Alves e Lima (entrou na vaga do volante Marcos Vinicius aos 32 minutos de partida) ficaram presos na marcação firme adversária, enquanto Eduardo mais uma vez teve problemas para se encontrar em campo. O gol do Joinville antes do primeiro minuto, marcado por Marcelo Costa, acabou por resumir bem o que seria a equipe alvinegra durante praticamente os 90 minutos: desatenta, ineficiente, sem criatividade e confusa, tanto ofensiva como defensivamente.

Por incrível que pareça, ainda que tenha sido derrotado por 3×0 no primeiro tempo (Jael fez o dele numa falha grave de Jailson e também dos defensores, que desistiram do lance e Marcelo Costa fez outro, da mesma forma que tinha feito dois na vitória do Joinville por 3×0 no ano passado, no Castelão), o  Ceará ainda criou chances importantes com Nikão (duas, defendidas brilhantemente pelo goleiro Oliveira), Diego Ivo e Magno Alves.

Na segunda etapa, entretanto, a situação piorou e muito. O alvinegro simplesmente nada fez até os 40 minutos, enquanto o time catarinense segurava o jogo para a manutenção do placar que lhe interessava e muito, sem correr nenhum tipo de risco.  Ainda assim, num raro momento de lucidez do time, Magno Alves fez a jogada e Lulinha, em impedimento dentro da pequena área, completou para o gol, diminuindo o placar. Aos 47 minutos, Lulinha voltou a marcar, mas a arbitragem errou novamente ao anotar impedimento inexistente do atacante.

Com os resultados, o Ceará perdeu a liderança e agora está na terceira colocação. O Joinville lidera e o Luverdense está em segundo.

Público: 17834 pagantes.

 

Leia Mais

Ceará: outra vitória fora de casa e liderança isolada da Série B

Com uma boa campanha como visitante (duas vitórias, dois empates e uma derrota) o Ceará consolidou nesta terça-feira a liderança da Série B na parada da Copa do Mundo ao bater o Bragantino por 2×1, em Bragança Paulista. Foram dez rodadas disputadas, 21 pontos conquistados dos 30 disputados, ou seja, exatos 70%.

A liderança é isolada, fruto de uma equipe que também venceu quatro jogos como mandante e empatou um (contra o Náutico), aproveitamento de 86,7%. Na conta, os dois jogos em Horizonte por causa da Copa do Mundo que, no ano passado, representaram quatro pontos perdidos (em função da Copa das Confederações) e, desta vez, representaram duas vitórias.

A única derrota do Ceará na competição foi contra o América-MG por 3×0, numa partida que se mostrou, tempos depois, um ponto fora da curva, muito em função do título cearense conquistado então recentemente.

Centrado novamente, o elenco fez 18 gols e sofreu 12. A média ofensiva é ótima (atualmente é o melhor ataque da competição), quase dois gols por partida. A média defensiva ainda pode melhorar.

Nesta terça-feira, três jogadores brilharam. Sandro (na defesa e ainda fez o primeiro gol, seu quinto pelo alvinegro) e Magno Alves (impressionante como é importante, fazendo o gol da vitória), além do goleiro Jailson, que nas três partidas mais recentes do Ceará, substituindo o titular Luis Carlos, fez defesas brilhantes e garantiu pontos ao clube diretamente.

Sérgio Soares continua com seu trabalho excelente, perto de completar um ano de comando no Ceará, coisa rara. Na volta da Copa vão restar 28 partidas. É muita coisa, mas o caminho está pavimentado. Basta seguir reto.

 

Leia Mais

Sandro: 50% de aumento, multa de 5 milhões e garantia de qualidade na zaga do Ceará

O novo compromisso contratual de Sandro é ótima notícia para o Ceará. O zagueiro se destacou desde que chegou no começo deste ano (fez a temporada de 2013 pelo Joinville) e as muitas consultas pelo atleta fizeram com que a diretoria do alvinegro antecipasse a renovação. Inicialmente Sandro pediu para não conversar sobre o assunto, mas com o fim do estadual e da Copa do Nordeste, se sentiu confortável para negociar. E fechou.

O compromisso até 2016, com salário maior (ele obteve 50% de aumento), não garante que o jogador estará nos quadros do alvinegro até lá, mas ao menos dá garantia ao clube que será preciso um bom dinheiro para levá-lo. A multa é de 5 milhões de reais. O caso Rafael Vaz em 2013 foi um aprendizado importante, quando o jogador foi para o Vasco por um valor irrelevante diante a importância que ele tinha naquele momento da Série B.

Sandro, 25, faz nesta noite contra o Bragantino seu jogo 32 pelo Ceará. Além das seguras atuações defensivas, da liderança que exerce em campo e de ser fundamental para o técnico Sérgio Soares, já são quatro gols na temporada. Um na Copa do Nordeste, um na Série B e dois no cearense.

 

 

Leia Mais

Leia Tudo Sobre

Para não depender de ninguém, só a vitória garante Ceará no G4 antes da parada da Copa

Enorme o equilíbrio na classificação da Série B, que tem o Ceará como líder isolado, com 18 pontos em 27 disputados até agora. A rodada desta terça-feira, cheia e que encerra a primeira parte da competição antes da parada da Copa, tem o alvinegro enfrentando o Bragantino fora de casa. Uma vitória garante o time na liderança, com 21 pontos, meta principal do técnico Sérgio Soares, que segue com seu ótimo trabalho, perto de completar um ano no comando técnico do clube, coisa rara.

Um empate em Bragança, que também é um bom resultado quando a equipe atua como visitante, tem potencial, entretanto, para até tirar o time do G4. Isso ocorre porque os primeiros colocados da Série B não têm confronto direto. Assim, empatando, o Ceará sobe para 19 pontos e cinco vitórias e aguarda. Com 17 pontos, América-MG e Joinville encaram Portuguesa e Vila Nova. Vencendo, chegam até 20 pontos.

Com 16 pontos e cinco vitórias, o ABC recebe o Náutico. Se atingir os 19 pontos, fica com seis vitórias e ganha também posição do alvinegro por esse critério. A equação para sair do G4 ainda teria que mostrar uma vitória da Ponte Preta fora de casa sobre o Santa Cruz por três gols de diferença, situação bem complicada.

Seja como for, líder, no G4 ou na quinta colocação, a campanha do Ceará é boa e o time terá tranquilidade durante a Copa do Mundo.

Leia Mais

Leia Tudo Sobre

Fortaleza lidera seu grupo na Série C: Chamusca segue com ótimo trabalho

Depois de um terço da fase inicial da Série C disputada, o Fortaleza fez bem o papel dele, com 14 pontos em 18 disputados, invencibilidade alcançada com quatro vitórias e dois empates.  O time, com a importante vitória sobre o Paysandu em Belém por 2×1, abriu seis pontos do quinto colocado, que é a  conta que realmente importa.

Uma vantagem excelente para as 12 partidas restantes. É irrelevante ser primeiro, segundo, terceiro ou quarto antes do mata-mata que decide a subida. O Fortaleza é prova disso, já viveu muitas possibilidades nestes anos recentes de terceira divisão, todas sem sucesso.

Marcelo Chamusca segue fazendo um trabalho extremamente relevante. São muitas as limitações, mas ele não abaixa a cabeça, segue firme estudando os adversários, colocando pilha no elenco, fazendo o time lutar ainda que tecnicamente problemas sejam evidentes. A postura de compromisso dos atletas é bastante nítida.

Como se trata de Série C, jogar bem e dar espetáculo não é e nunca foi objetivo. Nem é possível que isso ocorra.  A parada da Copa será importante para dar um pouco de descanso mental para o treinador, que precisa, ao lado de Julio Manso, o competente gerente de futebol, escolher bem os reforços possíveis. Com relação ao elenco, a obrigação é voltar fisicamente na ponta dos cascos.

Faltam apenas 14 jogos para uma eventual subida. A intensidade será fundamental.

Leia Mais

Leia Tudo Sobre

Sérgio Soares: 60 jogos pelo Ceará e nível elevado

Sérgio Soares completou na fácil vitória sobre o Vila Nova por 4×0, nesta terça-feira, 60 jogos comandando o Ceará. São 33 vitórias, 17 empates e 10 derrotas, aproveitamento de 64,4%, com 116 pontos conquistados em 180 disputados, números muito bons.

Contratado em agosto de 2013, o treinador encontrou o alvinegro perto da zona de rebaixamento e por uma vitória não subiu para a Série A. Neste ano, foi campeão cearense, vice da Copa do Nordeste e está na segunda colocação da Série B após oito rodadas. Mais do que o bom desempenho, Sérgio Soares elevou o nível do clube, que passou também a vencer como visitante. É um ótimo profissional, trabalha demais, busca variações táticas e alternativas inteligentes.

Se em 2013 a diretoria do Ceará errou tanto na troca de técnicos (Ricardinho, Dimas, Leandro Campos e Sérgio Guedes trabalharam antes de Sérgio Soares) o acerto foi grande com o atual treinador que, em conversa comigo pouco tempo depois de sua chegada, pedia apenas um clube que lhe desse tempo para poder mostrar sua capacidade.

Ainda nesta terça-feira, em Horizonte, mesmo com o jogo ganho, quem ouviu a partida pela Tribuna BandNews FM (sempre em 101,7 de Fortaleza) notou a intensidade, as broncas e as orientações táticas e técnicas buscando seriedade o tempo todo dos atletas. Há muito respeito do grupo, retrato de quem trabalha bem e intensamente em campo e no relacionamento transparente com os jogadores. Desde de PC Gusmão em 2009 que não se via um trabalho tão relevante no Ceará.

Leia Mais