Blog do Graziani
Fernando Graziani

Fernando Graziani

Blog do Graziani, por Fernando Graziani

Sérgio Soares não é mais técnico do Ceará

Caiu o alvo principal dos torcedores do Ceará neste momento em que a equipe foi derrotada pelo Icasa por 2×1 e está na quinta colocação da Série B: o técnico Sérgio Soares. Parte grande da torcida, injusta e passional, estava inconformada com a atual gestão do técnico, que assumiu o comando do Ceará em agosto de 2013, sempre brigando no alto da tabela nas competições que entrou.

Depois da partida em Juazeiro, entendendo ser o melhor, o técnico colocou o cargo à disposição e a diretoria, principalmente o presidente Evandro Leitão, que já tinha ideia da saída do treinador, aceitou sem problema a decisão por compreender que, se o técnico também acha melhor sair, não há muito o que fazer. Faltam sete rodadas para o fim da competição e a busca agora é por um técnico emergencial para tentar fazer o time conquistar os pontos que precisa para subir.

As teses levantadas contra o treinador eram as mais curiosas. Algumas: falta de capacidade de motivação do elenco; falta de poder de decisão nos jogos mais importantes; incapacidade de fazer boas substituições; arrogância.

O elenco também ganhou suas teorias. Muitos torcedores têm certeza que todos os jogadores estavam unidos para derrubar o treinador, perdendo jogos de propósito. Colocaram em risco, portanto, uma gorda premiação pelo acesso, além de uma significativa valorização salarial justamente porque queriam a queda do treinador. Outros são capazes de garantir que o elenco está rachado, que há brigas diárias e que o clima é péssimo.

Curioso nisso tudo é que a busca por explicações em fatores extra campo é o retrato da negação. Torcedores simplesmente esquecem que a equipe tem limitações técnicas importantes, principalmente no setor defensivo, com jogadores que estão rendendo muito abaixo do aceitável. Esquecem que há adversários relevantes na briga pelo acesso, ou seja, há vida inteligente fora do Ceará.

O mais impressionante é que para os donos dessas teses todas acima descritas o elenco do time é espetacular e não está no G4 não por falhas técnicas ou omissão eventual da diretoria na contratação de atletas melhor qualificados para a necessidade. O problema era exclusivamente o técnico.

Vale ressaltar que conversei com Robinson de Castro alguns dias atrás e o vice-presidente do Ceará me disse, relatei aqui no blog, inclusive, que a diretoria já negociava um novo contrato para 2015 com Sérgio Soares, independente do time subir ou não.

Sérgio Soares era o recordista de permanência no cargo de treinador do Ceará com a atual diretoria, que assumiu o clube em 2008. Foram 14 meses de trabalho consecutivos. E ele fez um trabalho bastante bom. Contratado como o quinto (!) técnico do time em agosto de 2013, quando o elenco brigava contra o rebaixamento e jogava um futebol de péssima qualidade, Sérgio Soares conduziu o grupo com chances de jogar a primeira divisão até a rodada final, quando perdeu do Joinville. Neste ano, foi finalista da Copa do Nordeste, campeão cearense, eliminado pelo Botafogo-RJ nas oitavas de final da Copa do Nordeste e lutava ponto a ponto por vaga no G4 da Série B.

Leia Mais

Edinho fora. Qual a melhor opção de Chamusca?

Edinho está fora do primeiro jogo do Fortaleza contra o Macaé, no sábado, confronto de ida do mata-mata decisivo da Série C. O meio-campista se machucou sozinho. Virou o tornozelo no gramado do Pici, no treinamento derradeiro antes da viagem para o Rio de Janeiro, que ocorre na noite desta quarta-feira.

A perda tática, neste momento, é mais importante do que a técnica. Edinho já teve melhores momentos na Série C, especialmente no primeiro turno da fase inicial, e no campeonato cearense, mas não há no elenco do Fortaleza um jogador com as suas características. Wellington Bruno, que chegou faz pouco tempo e é uma das opções de Chamusca, não tem o mesma força de arranque e nem a movimentação intensa por todo o ataque, mas fez gol no jogo mais recente do Castelão quando entrou e está muito mais preparado do que Erick Flores. Mais uma vez o jogador desperdiçou as chances que recebeu.

Surge uma outra opção para o técnico, que efetivar o trio Corrêa, Walfrido e Guto, deixando apenas Marcelinho Paraíba como articulador das jogadas, atrás de Valdison e Robert. A escalação seria interessante pelo aspecto de reforço da marcação e deixaria Marcelinho sem preocupações grandes com a defesa, mas o Fortaleza pouco jogou assim na temporada e ter a bola e a iniciativa ofensiva do jogo sempre foi dominante no tricolor em 2014. Para isso, portanto, é necessário um jogador com mais poder de ataque, no caso. Wellington Bruno que, se escalado, vai deixar ou Guto ou Walfrido no banco, já que Corrêa é titular absoluto .

É relevante citar que o regulamento determina que gol fora de casa é critério de desempate, assim como a diferença de gols nas duas partidas. Não há vantagem alguma pela melhor campanha na primeira fase do Fortaleza e em caso de igualdade disputa de pênaltis direto, sem prorrogação.

Leia Mais

Fortaleza e Ceará no estadual 2015 desde o começo

Apesar da primeira fase do Campeonato Cearense nos anos recentes não ter tido a presença das equipes classificadas para a Copa do Nordeste da mesma temporada, o estadual de 2015 deve ter Ceará e Fortaleza desde o início.

As diretorias dos clubes consideram que isso é possível em função da competição ter agora dez equipes. Além disso, os rivais também gostariam que a Federação Cearense conseguisse – já sinalizam as tratativas – que o estadual tenha início logo em janeiro e não em fevereiro, como manda o novo calendário da CBF.

Outro argumento dos dirigentes: é inaceitável que as equipes fiquem sem dinheiro de bilheteria por dois meses seguidos, dezembro e janeiro. Os clubes entendem que o futebol do Nordeste vive outra realidade e não pode se dar ao luxo de querer um calendário com 30 dias de férias e mais 30 dias de pré temporada, como será a partir do ano que vem em outras regiões do país que têm um futebol mais rico – atletas em período de férias até o dia 6 de janeiro e então pré-temporada até o começo do mês seguinte.

Ocorre que não será muito fácil abrir tal exceção para o Campeonato Cearense, tanto que com os dirigentes que conversei as dúvidas são grandes. Enquanto a reunião na Federação não ocorre para a formalização do regulamento do campeonato diante das enormes dúvidas que permanecem, Fortaleza e Ceará já acenam com ideias semelhantes. Uma primeira fase de todos contra todos – que pode ser mais longa caso a competição tenha início em janeiro – e depois semifinal e final.

 

 

Leia Mais

Série B: cinco times, quatro vagas e muitos confrontos diretos

Com nove rodadas restantes para o fim da Série B, basicamente cinco times brigam pelas quatro vagas para Série A em 2015, numa luta intensa, equilibrada e dramática entre Ponte Preta (54 pontos), Vasco (54), Avaí (52), Joinville (51) e Ceará (50). Destes, a Ponte empatou neste fim de semana jogando em casa, mas os outros quatro times venceram. É verdade que Náutico (44) e Sampaio Corrêa (43) ainda sonham, mas ambos têm a matemática como principal aliada e aí a situação complica bastante para a dupla nordestina.

Pelo desempenho deste momento serão necessários 67 pontos para um time subir, mas o equilíbrio atual tem potencial para determinar que até número de vitórias ou saldo de gols possam ser definidores de acesso. O fato é que o aproveitamento dos cinco times no topo da tabela é, por enquanto, alto. Vejamos que em 2007 o quarto colocado subiu com apenas 59 pontos. Em 2008, com 64. Em 2009, com 65. Em 2010, com 63 e em 2011 com 61. O ponto fora da curva foi o ano de 2012, quando o São Caetano, hoje rebaixado para a Série D, fez incríveis 71 pontos e ficou na quinta colocação. Já no ano passado o Figueirense precisou apenas de 60 pontos para ter o acesso na quarta colocação.

Dos cinco times diretamente na briga pelo acesso, o Ceará tem o melhor ataque (52 gols) e a pior defesa (40). Vasco e Avaí sofreram 26 gols e têm os melhores desempenhos defensivos, enquanto o Joinville é o time com o pior ataque (38 tentos). Em relação ao desempenho como mandante, pela ordem do melhor para o pior, temos Joinville, Vasco, Ceará, Ponte e Avaí. Já nos jogos como visitante, a ordem está assim: Avaí, Ponte, Vasco, Ceará e Joinville.

Importante lembrar que serão muitos confrontos diretos ainda, precisamente sete: Joinville x Ceará, Ceará x Vasco, Avaí x Joinville, Joinville x Ponte Preta, Ponte Preta x Avai, Avaí x Vasco e Vasco x Ponte Preta.

Para facilitar o acompanhamento da reta final da competição, logo abaixo listei as nove partidas que faltam para cada um dos times, o mando de campo, bem como o desempenho de cada um contra esses adversários quando enfrentados no primeiro turno.

Ceará – 50 pts (quinto colocado) – 14 pts no primeiro turno

Joinville (fora)
Icasa (fora)
Santa Cruz (casa)
Boa Esporte (fora)
Atletico-GO (casa)
Vasco (casa)
ABC (fora)
Portuguesa (casa)
Luverdense (fora)

Joinville – 51 pts (quarto colocado) – 13 pts no primeiro turno

Ceará (casa)
ABC (casa)
Avaí (fora)
Bragantino (casa)
Sampaio (fora)
Ponte (casa)
Boa (fora)
Luverdense (casa)
Oeste (fora)

Avaí – 52 pontos (terceiro colocado) – 20 pts no primeiro turno

Atletico-GO (fora)
Ponte (fora)
Joinville (casa)
Luverdense (fora)
Oeste (casa)
América-MG (fora)
Portuguesa (casa)
Santa Cruz (fora)
Vasco (casa)

Vasco – 54 pts (segundo colocado) – 15 pts no primeiro turno

Santa Cruz (fora)
America-RN (fora)
Ponte Preta (casa)
Paraná (fora)
ABC (casa)
Ceará (fora)
Vila Nova (casa)
Icasa (casa)
Avaí (fora)

Ponte Preta – 54 pts (primeira colocada) – 15 pts no primeiro turno

Portuguesa (fora)
Avai (casa)
Vasco (fora)
Sampaio (casa)
Bragantino (fora)
Joinville (fora)
América-RN (casa)
América-MG (casa)
Náutico (fora)

 

 

 

Leia Mais

Ceará: clube propôs renovar com Sérgio Soares em 2015

Sérgio Soares tem proposta para ficar no Ceará em 2015

Sérgio Soares tem proposta para ficar no Ceará em 2015

Independente do Ceará subir para a Série A ao final desta temporada, a diretoria do clube quer a permanência do técnico Sérgio Soares e já trata com o técnico da renovação do seu contrato por mais um ano, ou seja, até o fim de 2015.

Conversei nesta tarde com o vice-presidente do alvinegro, Robinson de Castro, que garantiu que se depender do clube o treinador fica: “Entendemos que ele tem que permanecer porque faz um excelente trabalho, é parceiro da diretoria, inovador, trabalha demais e nas derrotas não sai atirando para todos os lados terceirizando culpa, como outros tantos treinadores”. As conversas foram iniciadas recentemente e não há um definição neste momento.

Sérgio Soares é o recordista de permanência no cargo de treinador do Ceará com a atual diretoria, que assumiu o clube em 2008. Serão 14 meses de trabalho ao fim da Série B. E ele tem feito um trabalho bastante bom. Contratado como o quinto (!) técnico do time em agosto de 2013, quando o elenco brigava contra o rebaixamento e jogava um futebol de péssima qualidade, Sérgio Soares conduziu o grupo com chances de jogar a primeira divisão até a rodada final, quando perdeu do Joinville. Neste ano, foi finalista da Copa do Nordeste, campeão cearense, eliminado pelo Botafogo-RJ nas oitavas de final da Copa do Nordeste e luta ponto a ponto por vaga no G4 da Série B. Atualmente, depois de liderar por várias rodadas, é o quinto colocado.

Leia Mais

Leia Tudo Sobre

Fortaleza pode bater recorde de renda do futebol cearense

A partida contra o Macaé, no dia 25 de outubro, jogo de volta do primeiro e já decisivo mata-mata da Série C, tem potencial para determinar um recorde: a maior renda da história do futebol cearense. Pelo menos é nisso que aposta a diretoria do Fortaleza, que já vendeu mais de 20 mil ingressos antecipadamente até a manhã desta quinta-feira. A previsão, inclusive, é que até o fim de semana estejam esgotados os bilhetes das cadeiras superiores da Arena Castelão, que custam 30 reais – outros setores do estádio têm valores de 50, 60 e 100 reais.

O total da carga é de 63300 ingressos e caso todos sejam vendidos a renda ficará em torno de um milhão e setecentos mil reais – ainda de acordo com diretores tricolores- o que seria suficiente para se tornar a maior renda desde que o futebol passou a ser jogado em terras alencarinas.

Até hoje o Ceará detém as maiores arrecadações do futebol estadual. Neste ano e no passado, o alvinegro, por sinal, cravou as quatro maiores bilheterias da história.

A relação :

R$ 1.476.187,00 Ceará 1×1 Sport – 2014 – Final da Copa do Nordeste
R$ 1.266.417,00 Ceará 0×1 ASA – 2013 – Semifinal Copa do Nordeste
R$ 1.216.647.00 Ceará 2×2 Palmeiras – 2013 – Série B
R$ 1.199.354,00 Ceará 3×1 Inter – 2014 – Copa do Brasil

Leia Mais

Ceará poderia ter voltado ao G4

Na rodada 27 da Série B, disputada ao longo da semana passada, dos sete primeiros colocados da competição, apenas o Ceará venceu – o Vila Nova, por 5×1. Uma rodada especial e que fez o time aproveitar e se aproximar do G4, ficando quatro pontos atrás da líder Ponte Preta, três do Avaí, dois do Vasco e apenas um do Joinville.

Nesta terça-feira, entretanto, o Ceará mais uma vez deixou dois pontos pelo caminho atuando em casa (tomou um gol através de um pênalti mal marcado, mas não jogou bem e falhou quando teve um jogador a mais) e viu dois de seus principais adversários na luta por uma das vagas para a Série A somarem resultados importantes. A Ponte venceu o Boa fora de casa por 1×0 e lidera com 53 pontos. O Vasco também venceu longe de seus domínios, desta vez a Portuguesa por 1×0 e assumiu a vice-liderança, com 51 pontos.

Com 47 pontos e na quinta colocação, a rodada só não foi pior para o Ceará porque os times catarinenses deram uma boa força. O Joinville empatou em casa contra o Santa Cruz por 1×1 e foi aos 48 pontos, enquanto o Avaí foi novamente derrotado, desta vez para o ABC, em Natal, por 2×1, e segue com 49 pontos. Resumo da ópera: tivesse o Ceará vencido, estaria novamente no G4, onde ficou boa parte do campeonato.

Na próxima rodada, sexta-feira, novamente no Castelão, o Ceará reencontra o técnico Paulo César Gusmão e o atacante Mota, que hoje vestem a camisa do Bragantino. O restante da tabela dos times que brigam ponto a ponto pelas vagas da Série A é a seguinte:

Vasco x Boa

Vila Nova x Joinville

Ponte x Santa Cruz

Avai x Icasa

 

 

 

Leia Mais

Leia Tudo Sobre

Ceará teve seu melhor público na Série B

Os 21062 pagantes que estiveram no Castelão nesta terça-feira diante do Sampaio Corrêa – empate por 1×1 – deram ao Ceará o seu melhor público na Série B de 2014. A equipe tinha, até essa rodada, a quarta melhor média da competição, com pouco mais de nove mil torcedores por partida, número baixo se levarmos em conta que a equipe, desde o começo da competição, briga para subir.

A renda de R$ 275.658,00 foi a segunda melhor do time na atual Série B  – só perde para a renda do jogo contra o Joinville, no PV – ainda que tenha ocorrido promoção nos ingressos, que custaram 20 reais nas cadeiras superiores, quando geralmente a inteira no setor custa 30 reais. Parece inteligente neste momento adotar esse preço. Mais gente e mais dinheiro, em tese, é tudo que um clube deseja nos seus jogos. Ou não?

Mais uma vez a justificativa principal da diretoria do clube para as filas enormes do lado de fora do estádio, o empurra empurra no portões, é o hábito do torcedor de chegar em cima da hora e procurar ingresso, ainda que os bilhetes sejam vendidos antecipadamente. A diretoria do Fortaleza tem usado exatamente a mesma justificativa nos jogos do tricolor no Castelão. Os dirigentes reclamam que os torcedores querem entrarem cima da hora e aí correm o risco de encontrar filas.

Temos no futebol cearense, portanto, uma situação curiosa: os torcedores de Ceará e Fortaleza (e aí os rivais estão unidos nessa) não têm o direito de chegar a hora que quiserem no Castelão, muito menos de decidirem de última hora irem ao jogo, muito menos de comprar ingresso no momento que bem entenderem, a não ser que estejam preparados para encarar filas demoradas e irritantes. Não seria melhor os clubes se organizarem na medida certa para tratar bem seus clientes?

Público pagante do Ceará nos jogos da Série B como mandante:

7.128 – Oeste
9.429 – Náutico
7.005 – Paraná
4.249 – Ponte Preta
5.311 – Vila Nova
17.834 – Joinville
13.037 – Icasa
11.542 – Boa Esporte
8.472 – ABC
12.963 – Luverdense
7.249 – América Mineiro
10.918 – Avaí
8.668 – América de Natal

Leia Mais

No mata-mata da Série C, uma palavra é proibida

Favoritismo.

É muito complicado apontar um time favorito em qualquer confronto do mata-mata da próxima fase da Série C. A competição é abandonada pela CBF, disputada num sistema baseado na crueldade e na falta de lógica. Ainda que se queira regionalizar por causa da suposta falta de dinheiro, era possível fazer um regulamento mais justo e não determinar que um time suba para a Série B se passar por uma equipe que não enfrentou nenhuma vez na competição.

Evidente, o regulamento é conhecido dos competidores e não é justificativa de nada. Essa opinião eu repito ano após ano, mas é dar murro em ponta de faca porque há dinheiro suficiente na CBF para uma Série C de pontos corridos envolvendo 20 clubes com um calendário parecido com a Série B. Não há vontade e os presidentes de Federação, coniventes com tudo, também não fazem nada porque dependem do dinheiro que a CBF manda mensalmente.

Pois bem. Depois de um sábado emocionante, os confrontos de quartas de final que vão decidir os semifinalistas da Série C e consequentemente as equipes que estarão na Série B em 2015 são os seguintes.

Fortaleza x Macaé / CRB x Madureira / Salgueiro x Mogi Mirim / Paysandu x Tupi

Fortaleza, CRB, Mogi Mirim e Tupi farão o segundo jogo em casa. É a única vantagem – se é que isso é vantagem – por terem feito campanhas melhores do que os adversários. No mais, não jogam por resultados iguais, gol marcado fora de casa vale como critério de desempate e não há prorrogação em casa de igualdade porque o regulamento prevê cobrança de pênaltis direto.

A situação toda aqui apresentada deixa qualquer análise responsável sobre as partidas prejudicada. Não é possível afirmar nem quem é o favorito e é de bom tom que nenhum time se julgue assim para correr o risco de perder o jogo antes do apito inicial do árbitro. Evidente que é possível levantar dados, melhores ataques, melhores defesas, campanhas, tradição histórica, capacidade técnica dos elencos, das comissões, estilo de jogo mas, de verdade, favoritismo não há. O mata-mata de 2012 da Série C é uma prova boa disso. Os quatro times que subiram fizeram campanhas inferiores aos perdedores e outras tantas histórias como essas podem ser contadas.

Os jogos, de acordo com a CBF, estão marcados para os dias 19 e 25 de outubro.

Leia Mais

Série C, rodada final: 11 times brigam por 4 vagas

O sábado será insano na luta dos times para voltar a disputar a Série B do Campeonato Brasileiro. Das 20 equipes que entrarão em campo no próximo sábado, na rodada final da fase inicial, 11 lutam por chegar ao mata-mata decisivo da segunda fase da competição.

No grupo A, apenas o Fortaleza, com 32 pontos, está classificado e com o primeiro lugar garantido. Outras seis equipes lutam pelas três vagas ainda abertas: Salgueiro (27 pontos), ASA (25), Botafogo-PB (25), CRB (24), Cuiabá (23) e Paysandu (23).

Os jogos, todos às 19h, são os seguintes: Fortaleza x ASA, Aguia (luta contra o rebaixamento, está com 17 pontos) x Botafogo-PB, Treze (luta para não cair, tem 16 pontos) x Salgueiro, CRB x Cuiabá e Crac (rebaixado para a Série D) x Paysandu.

No grupo B são três times classificados: Tupi-MG (33 pontos) e Mogi Mirim (31) brigam pelo primeiro lugar, enquanto o Madureira (26) já garantiu a terceira posição. A vaga final será para o quarto colocado, justamente o adversário do Fortaleza no mata-mata. Brigam cinco times separados por apenas um ponto: Macaé (23), Guarani-SP (23), Guaratinguetá (22), Caxias (22) e Juventude (22).

Os jogos, todos às 16h, são os seguintes: Guarani x Tupi, Juventude x Mogi Mirim, Guaratinguetá x Madureira, Duque de Caxias x São Caetano (os dois times estão rebaixados para a Série D), Macaé x Caxias.

Na segunda fase, as quartas de final, o vencedor do mata-mata já tem vaga na Série B e os times enfrentam em jogos de ida e volta (marcados para os dias 19 e 25 de outubro) os concorrentes do outro grupo, obedecendo a ordem de primeiro x quarto, segundo x terceiro e assim por diante.

A situação de cada time em busca do mata-mata:

Grupo A

Salgueiro: precisa apenas de um empate contra o Treze para não depender de ninguém e passar de fase;
ASA: olhando apenas para suas forças, precisa vencer o Fortaleza para entrar no mata-mata;
Botafogo-PB: uma vitória sobre o Águia, em Marabá, classifica a equipe;
CRB: encara o Cuiabá e precisa vencer, torcendo para que o Salgueiro perca ou então que Botafogo ou ASA pelo menos empatem;
Cuiabá: se vencer o CRB, torce para que Botafogo ou ASA não ganhem suas partidas;
Paysandu: além de vencer, torce para um empate entre CRB x Cuiabá e que, por exemplo, o Botafogo-PB não vença.

Grupo B

Macaé: só depende de uma vitória contra o Caxias para passar;
Guarani: tem que vencer o Tupi e torcer para o Macaé pelo empatar o seu jogo;
Guaratinguetá: precisa vencer e torcer para que Macaé e Guarani não ganhem;
Caxias: em caso de vitória sobre o Macaé, entra no mata-mata se Guarani e Guaratinguetá não vencerem;
Juventude: além de vencer o seu jogo, torce para que Guaranu e Guaratinguetá não ganhem e que Macaé x Caxias termine empatado.

Leia Mais