Publicidade

Diálogos Urbanos

por Mauro Cordeiro

LICENCIAMENTO AMBIENTAL: processo eletrônico no Ceará

Por Mauro Cordeiro Fh. em Consultoria jurídica, Direito ambiental, Informação

01 de agosto de 2018

Instablog: @blogurbano

O mês de agosto começou com uma novidade maravilhosa: a partir de hoje, os processos de licenciamento ambiental no Ceará poderão ser realizados de forma virtual.

Com o avanço da modernização do Poder Judiciário no Ceará, que já conta com o processo virtual tanto na sede do Tribunal de Justiça, como em algumas Comarcas no interior; a tendência é que também a administração pública utilize de recursos tecnológicos, adotando o uso de processos e procedimentos virtuais. A Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará, a SEMACE, que é o órgão responsável pelos processos de licenciamento ambiental no Estado, começa hoje, 1.º de agosto, a utilizar um sistema virtual próprio para esse fim.

Nomeado de Natuur Online, o sistema conta com layout bastante sofisticado, mas muito simples de ser usado, podendo ser acessado através do site da SEMACE, no menu direito, no link “Sistema de Atendimento”, ou ainda, diretamente no endereço http://natuur.semace.ce.gov.br/.

O Processo Eletrônico de Licenciamento, da SEMACE,  além de permitir o envio de toda documentação de forma digital, proporcionará um melhor gerenciamento das informações, promovendo um acompanhamento simultâneo dos procedimentos realizados.

O sistema Natuur, no nosso trabalho de advocacia urbanística-ambiental, será uma excelente ferramenta.  Em todo o Ceará, só temos três unidades da SEMACE (Crato, Fortaleza e Sobral) e, com o processo virtual, acreditamos que facilitará bastante o trabalho daqueles que se encontram mais ditantes dessas unidades.

A grande preocupação dos procedimentos realizados de forma virtual, é quanto a segurança do processo. Haja vista, o processo virtual judicial, que apresenta alto teor de segurança, tem trazido bons frutos. Além disso, tratando-se de uma autarquia ambientalista, já era hora de adotar medidas mais consistentes para redução de uso do papel.

Portanto, registramos nossos Parabéns a SEMACE pela evolução no seu gerenciamento, que hoje inicia uma nova era.


 

“Licenciamento Ambiental  é um importante instrumento de gestão da Política Nacional de Meio Ambiente. Por meio dele, a administração pública busca exercer o necessário controle sobre as atividades humanas que interferem nas condições ambientais. Desta forma tem, por princípio, a conciliação do desenvolvimento econômico com o uso dos recursos naturais, de modo a assegurar a sustentabilidade dos ecossistemas em suas variabilidades físicas, bióticas, sócio-culturais e econômicas. Deve, ainda, estar apoiado por outros instrumentos de planejamento de políticas ambientais como a avaliação ambiental estratégica; avaliação ambiental integrada; bem como por outros instrumentos de gestão – zoneamento ecológico econômico, planos de manejo de unidades de conservação, planos de bacia, etc.

O licenciamento é um poderoso mecanismo para incentivar o diálogo setorial, rompendo com a tendência de ações corretivas e individualizadas ao adotar uma postura preventiva, mas pró-ativa, com os diferentes usuários dos recursos naturais. É um momento de aplicação da transversalidade nas políticas setoriais públicas e privadas que têm interface com a questão ambiental. A política de transversalidade para o licenciamento é, por definição, uma política de compartilhamento da responsabilidade para a conservação ambiental por meio do desenvolvimento sustentável do país. Para sua efetividade, os preceitos de proteção ambiental devem ser definitivamente incorporados ao planejamento daqueles setores que fazem uso dos recursos naturais”. (IBAMA, 2016)

Publicidade

PORTO DRAGÃO: um novo teatro, espaço de ensaio e criação para a cidade.

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cultura, Informação, Notícias, Outros

31 de julho de 2018

Instablog: @blogurbano

Programação Experimental gerada a partir de convocatória será aberta com apresentações cênicas, show de Getúlio Abelha e Jam de Dj´s, com acesso gratuito. Estão previstas ainda 5 mentorias para artistas selecionados.

Conversas de Lavadeiras. Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)

Agência de projetos artísticos e produtora de conteúdo do Instituto Dragão do Mar que pretende fazer circular e fomentar a vasta produção artística do Ceará, em diversas linguagens, dentro do próprio estado e também nacional e internacionalmente.

Após passar por reparos, a sede atenderá a comunidade artística local com coworking, sala de dança, salas de ensaio, editora e produtora, gastrobar, minigaleria e ainda espaços para apresentações, como o Palco Dragão do Mar e o Teatro B. de Paiva, batizado em homenagem ao dramaturgo cearense.

O projeto iniciará suas ações de fomento à produção musical cearense, através de ações de formação; incubação de carreiras de artistas e projetos; produção e difusão de conteúdos; circulação de artistas e produtores; e ações de comunicação e marketing.

Além do Porto Dragão Música, a agência Porto Dragão vai atuar ainda nas cadeias criativas do Teatro, da Dança, das Artes Visuais e do Cinema. Estes projetos estão em fase de estudo e formatação.

Qualificação para o mercado da música

O Porto Dragão Música prevê ainda ações de mentoria, atendimento e acompanhamento com as trinta bandas e artistas selecionados via convocatória pública, para o Porto Dragão Sessions. Esse processo inclui: consultoria e planejamento estratégico de comunicação e assessoria de imprensa nacional; gerenciamento de perfis e serviços de curadoria e gestão estratégica de playlists nas plataformas de streaming; serviços especializados em divulgação de música brasileira e notícias desse setor no mercado internacional; serviços para o desenvolvimento de audiência através de tecnologias e ferramentas de monitoramento, análise de dados, divulgação e relacionamento com o público para artistas e profissionais da música; e ainda serviços de distribuição digital de música e vídeo nas principais plataformas.

No sábado (4), das 14h às 18h, no auditório do Centro Dragão do Mar,  profissionais das empresas INKER Agência Cultural, Bananas Music Branding, Brasil Calling e Playax apresentarão a grupo de artistas selecionados para o Porto Dragão Sessions os serviços que estarão disponíveis e o planejamento das ações, assim como os resultados esperados. Acesso restrito aos contemplados pelo programa.

Programação experimental:

Instituto Dragão do Mar (IDM) inicia, nesta sexta-feira (3), a programação experimental que ocupará a sede do Porto Dragão (Rua Boris, n.º 90, na Praia de Iracema), agência de conteúdo e aceleradora de projetos artísticos do IDM. A ocupação artística terá início às 14h, com apresentações de dança, teatro e circo. A partir das 21h, serão apresentados o programa de iniciativas da aceleradora e as instalações que sediarão as ações culturais. A apresentação será seguida de show de Getúlio Abelha e de Jam de DJ´s.

Nesta sexta (3), serão apresentadas ainda novas ações do Porto Dragão, inicialmente direcionadas à música. Assim, o Porto Dragão Música surge com a proposta de amadurecer iniciativas já realizadas pelo Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, como o Conexões Maloca (que promove speedmeetings entre artistas cearenses e renomados programadores),  o LAB Maloca (cursos de formação para técnicos e produtores culturais), Conversa de Proa (palestras com profissionais da área de música), Porto Dragão Sessions (programa que promove a gravação de clipes e faixas musicais e sua distribuição digital) e o Conexão Dragão do Mar de Música Cearense (programação de shows de artistas cearenses em outros locais, realizada em parceria com SESC-SP, Centro Cultural São Paulo e Circo Voador – RJ).

Apresentações cênicas e musicais continuam durante o sábado (4) e domingo (5), também gratuitas. A agenda da programação experimental que ocupará o prédio durante os meses de agosto e setembro será divulgada no site www.dragaodomar.org.br.

Mais de 100 projetos artísticos ocuparão os dois meses de programação experimental do Porto Dragão.

A fim de ampliar as possibilidades de novos ambientes para ocupação por parte dos artistas, grupos e produtores culturais cearenses, o IDM lançou uma proposta de ocupação do novo prédio, com caráter essencialmente experimental, que abre espaço para formatos em diversas fases, como ensaios abertos para demonstração de processos em montagem, e atividades de formação. A ação objetiva também experimentar como esses espaços podem ser melhor aproveitados, a partir do retorno dos próprios proponentes.

A programação experimental é formada por projetos selecionados por meio de convocatória lançada em junho deste ano, na plataforma on-line Mapa Cultural  (http://mapa.cultura.ce.gov.br/oportunidade/1047/). Com inscrições abertas até o dia 22 de junho, os interessados puderam se inscrever nas categorias Mostra, que contempla projetos nas linguagens de Teatro, Dança e Circo, com diversos formatos de trabalho, e Ocupação, composta por projetos nas linguagens de Teatro, Dança, Circo, Música, Literatura, Performance, Fotografia, Artes Visuais, Cinema e Cultura Popular Tradicional, entre outras.

A seleção dos projetos ficou a cargo da curadoria indicada pelo Fórum das Linguagens do Ceará, composta por Silvia Moura (bailarina e coreógrafa), Andréia Pires (bailarina e coreógrafa), William Monte (artista e pesquisador em dança e performance), Tavares Neto (pesquisador em direção de atores e interpretação para cinema da UFC), e Rodrigo Tembiú (educador e produtor cultural), único indicado pela diretoria do Centro Dragão do Mar.

ABERTURA DA PROGRAMAÇÃO EXPERIMENTAL DO PORTO-DRAGÃO

Sexta, 03 de agosto

Das 14h às 18h – Sala 20 – Imanência – Raffael Tomaz  – classificação livre [Cênicas/Dança – ensaio aberto]

19h – Teatro – Novos prédios desabando// Celebrando a escuridão – Leandro Netto Cia de Dança classificação livre [Cênicas/Teatro – ensaio aberto]

21h15 – Palco Porto Dragão – Show Getúlio Abelha – classificação 18 anos

22h30 – Rua Boris – Jam de DJs Nego Célio, DJ Thales (Catiguria) , Bia Turri (Fertinha) e Maarji (Tertúlia Black Vândala)

Sábado, 04 de agosto

Das 16h00 às 18h45 horas – Sala de Dança – O PRÓXIMO: DEFLAGRAÇÃO 1510 – Paulo José Classificação: 12 anos [Cênicas/Dança – ensaio aberto]

20h Sala 23 – Viração – Clarissa Costa, Dayana Ferreira, Érica Martins, João Paulo Barros e Júnior Meireles – Classificação: 16 anos [Cênicas/Teatro – espetáculo]

21h – Palco Porto Dragão – CID [Música – show]

22h – Palco Porto Dragão – New Model [Música – show]

Domingo, 05 de agosto

16h Guerra de Cup&Cake – K’Os Coletivoclassificação livre [Cênicas/Circo]

18h às 20h30 Danças e utopias em Bando – Coletivo DiBando  – Classificação 16 anos – [Cênicas/Dança – ensaio aberto]

19h Espaço externo próximo ao prédio – Conversa de Lavadeiras – Coletivo Rei LealClassificação 12 anos [Cênicas/Teatro – espetáculo]

Danças Utópicas (01). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)
1/24

Danças Utópicas (01). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (01). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (02). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)
2/24

Danças Utópicas (02). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (02). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (03). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)
3/24

Danças Utópicas (03). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (03). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (04). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)
4/24

Danças Utópicas (04). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (04). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (05). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)
5/24

Danças Utópicas (05). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Danças Utópicas (05). Foto: Paula Barros. (Divulgação/DM)

Deflagração (01) Foto: Paulo José
6/24

Deflagração (01) Foto: Paulo José

Deflagração (01) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (02) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)
7/24

Deflagração (02) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (02) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (03) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)
8/24

Deflagração (03) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (03) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (04) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)
9/24

Deflagração (04) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (04) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (05) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)
10/24

Deflagração (05) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Deflagração (05) Foto: Paulo José (Divulgação/DM)

Getúlio Abelha. Foto: Luiz Alves (Divulgação/DM)
11/24

Getúlio Abelha. Foto: Luiz Alves (Divulgação/DM)

Getúlio Abelha. Foto: Luiz Alves (Divulgação/DM)

Luiz Alves_Dragão do Mar
12/24

Luiz Alves_Dragão do Mar

Luiz Alves_Dragão do Mar

Conversa de Lavadeiras. Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)
13/24

Conversa de Lavadeiras. Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)

Conversa de Lavadeiras (01). Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)

Lavadeiras_Fernanda_Leal_img21
14/24

Lavadeiras_Fernanda_Leal_img21

Conversa de Lavadeiras (02). Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)

Lavadeiras_Fernanda_Leal_img3
15/24

Lavadeiras_Fernanda_Leal_img3

Conversa de Lavadeiras (03). Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)

Lavadeiras_Fernanda_Leal_img4
16/24

Lavadeiras_Fernanda_Leal_img4

Conversa de Lavadeiras (04). Foto: Fernanda Leal (Divulgação/DM)

Novos_predios_Beatriz_Bley_img1
17/24

Novos_predios_Beatriz_Bley_img1

Novos prédios desabando//Celebrando a escuridão (01). Foto: Beatriz Bley (Divulgação/DM)

Novos_predios_Beatriz_Bley_img2
18/24

Novos_predios_Beatriz_Bley_img2

Novos prédios desabando//Celebrando a escuridão (02). Foto: Beatriz Bley (Divulgação/DM)

Novos_predios_Beatriz_Bley_img3
19/24

Novos_predios_Beatriz_Bley_img3

Novos prédios desabando//Celebrando a escuridão (03). Foto: Beatriz Bley (Divulgação/DM)

Novos_predios_Beatriz_Bley_img4
20/24

Novos_predios_Beatriz_Bley_img4

Novos prédios desabando//Celebrando a escuridão (04). Foto: Beatriz Bley (Divulgação/DM)

Novos_predios_Beatriz_Bley_img5
21/24

Novos_predios_Beatriz_Bley_img5

Novos prédios desabando//Celebrando a escuridão (05). Foto: Beatriz Bley (Divulgação/DM)

Viracao_Jordenia_Custodeo_img1
22/24

Viracao_Jordenia_Custodeo_img1

Viração (01). Foto: Jordenia Custódeo. (Divulgação/DM)

Viracao_Jordenia_Custodeo_img2
23/24

Viracao_Jordenia_Custodeo_img2

Viração (02). Foto: Jordenia Custódeo. (Divulgação/DM)

Viracao_Jordenia_Custodeo_img4
24/24

Viracao_Jordenia_Custodeo_img4

Viração (01). Foto: Jordenia Custódeo. (Divulgação/DM)


SERVIÇO: Abertura da Programação Experimental do Porto Dragão

Quando: De 03 a 05 de agosto de 2018 (sexta-feira)

Onde: Porto Dragão (Rua Boris, nº 90 – Praia de Iracema)

Horário: a partir das 14h.

Acesso gratuito

Fonte: Comunicação Dragão do Mar – Forteleza/CE

Publicidade

Já deixou saudades… Expocrato 2018!

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Desenvolvimento regional, Notícias, Outros

23 de julho de 2018

Siga-nos no Instagram:@blogurbano
Festival Expocrato tem público estimado em 160 mil pessoas e se consolida como um dos maiores festivais de música do País!

DIVULGAÇÃO / EXPOCRATO 2018

O maior festival de música  do Norte/Nordeste ganhou nova roupagem em 2018 e trouxe os maiores artista do Brasil para nove dias consecutivos de festa na região do Cariri. O Festival Expocrato, promovida pela Multi Entretenimento, Social Music, Arte Produções e Mega Som, aconteceu de 14 a 22 de julho, concomitante à ExpoCrato, uma das maiores feiras agropecuárias do Nordeste, contando já com a 67.ª edição.
Foram mais de 50 atrações musicais confirmadas, incluindo as principais bandas, duplas sertanejas, DJs e cantores dos cenários local e nacional da música brasileira, em seus mais diversos estilos (sertanejo, forró regional e eletrônico, MPB, pop rock, reggae e música eletrônica), numa intensa e gigantesca mistura de sons e ritmos.

Sucesso de público.

DIVULGAÇÃO / EXPOCRATO 2018

“O evento foi um sucesso em todos os aspectos”, declara um dos diretores do Festival, Marcelo Rocha, que estima 160 mil pessoas o total de público ao longo dos 9 dias de shows. Para ele, pode-se resumir o Festival como uma grande festa para todos os públicos, famílias e com participação de todas as idades. “Ficou nítido o encanto no olhar das pessoas que passaram pelo Festival Expocrato, seja assistindo sua banda favorita, contemplando o show pirotécnico ou curtindo a roda gigante”, completa.

A alegria e descontração entregue por todos os artistas que subiram ao palco do Festival repercutiu no público presente, que devolveu essa boa energia dançando e cantando cada uma das canções performadas. Não poderia ser diferente. Nada menos que os principais nomes da música nacional se apresentaram entre 14 e 22 de junho no Festival Expocrato 2018, como Raimundo Fagner, Fábio Jr., Skank, Natiruts, Xand Avião, Gustavo Lima, Marília Mendonça, Jorge & Mateus e Léo Magalhães.
Após 9 dias de festa e mais de 50 apresentações musicais, o que transformou arena de shows do Parque Pedro Felício Cavalcante na capital nacional da música, o Festival Expocrato finaliza em grande estilo sua primeira edição sob direção do novo grupo produtor formado pelas empresas Multi Entretenimento, Social Music, Arte Produções e Mega Som, responsáveis por realizar os principais eventos musicais do Nordeste.

Artistas da terra.

Raphael Alencar. Foto – DIVULGAÇÃO / EXPOCRATO 2018

Esta também foi a edição com número recorde de artistas regionais contemplados na programação, contando, pela primeira vez em sua história com 18 bandas e artistas da região do Cariri e arredores que se apresentaram no grande palco do evento.

Realizada mesmo período em que ocorre a 67.ª edição da Exposição Centro Nordestina de Animais e Produtos Derivados, um dos maiores e mais tradicionais eventos do gênero no Brasil, o Festival Expocrato se consolida como principal evento musical do Norte e Nordeste por sua diversidade  de estilos na grade de shows, gigantesca estrutura de palco, camarotes, lounges, organização, acessibilidade, segurança e conforto, além da oferta de diversas atividades e experiências.

Em grande estilo, Luan Santana, Gustavo Mioto, Jonas Esticado, Raphael Alencar, Devinho Novaes e Vintage Culture encerraram o Festival Expocrato 2018.

Abrindo o último dia do evento, Raphael Alencar, artista do Cariri, agitou o público com muito carisma e presença de palco e um repertório cheio de hits, incluindo “Baby Alô”, sucesso do seu sucessor nessa noite, o boyzinho Devinho Novaes. Em seguida, subiu ao mega palco do evento o astro da música sertaneja Luan Santana, que trouxe um grande espetáculo de luzes, efeitos na primeira apresentação da turnê “Ano X” no Ceará. Quem também roubou a cena foi Jonas Esticado, jovem de Juazeiro do Norte que vem conquistando o Brasil com sucessos e que voltou ao seu berço abraçado pelo público do evento com muita interação em uma apresentação repleta de pirotecnia e momentos para canções agitadas e baladas de seu repertório.
Após o show de luzes do último show pirotécnico desta edição, a revelação do sertanejo, Gustavo Mioto, fez coro entre o público com sucessos estourados de sua recente carreira, como “Anti-Amor”, “Coladinha em Mim” e “Impressionando os Anjos”. Encerrando a noite, o DJ Vintage Culture agitou o público com muita música eletrônica e mixagens de sucessos consagrados do pop rock mundial.
Com informações e fotos da Assessoria de Imprensa Festival Expocrato 2018 – Cupuchino Press

Expocrato em fotos.

O Festival Expocrato 2018 veio para nós cheia de boas surpresas. Superou todas as nossas expectativas! Sinalização, organização, limpeza, coleta de recicláveis, espaço amplo, bem dividido (de qualquer ponto do espaço o show é um SHOW!!!), uma linda roda gigante e o palco, lindo, faz jus aos maiores festivais nacionais. Sem esquecer do pessoal de serviço, super atento e prestativo. Com uma programação cheia de atrações maravilhosas, podemos reafirmar que a qualidade vem se mantendo em todos os quesitos.
Confira alguns clicks das lentes de quem curtiu a festa!
Maíres Alves Cordeiro é bióloga. Especialista em Saneamento Básico e Educação Ambiental. Mãe do Ângelo, Laíris e Caliel (e de Lua, Bolt, Cirius, Mel, Cristal e Pompom [pet], também). O amor de Tião ♥.

Irmã e amiga; um docinho… Mel.

 

Sebastião Erailson é professor. Estudou automação industrial e engenharia de produção. Especialista em Educação. O amor de Mel ♥.
Grande em essência… a grandeza de um menino!
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
1/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

Calcinha Preta

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
2/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

Raphael Alencar

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
7/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

Do alto!

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
8/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

Flávio Leandro

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
15/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

Devinho Novaes

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
17/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

Roda Giganteee!

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
19/26

Festival Expocrato 2018 – Foto: Sebastião Erailson

José Augusto

Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Festival Expocrato 2018 - Foto: Sebastião Erailson
Publicidade

Festival ExpoCrato chegando ao fim…

Por Mauro Cordeiro Fh. em Desenvolvimento regional, Eventos, Notícias, Outros

20 de julho de 2018

Siga-nos no Instagram: @blogurbano

Por @maires.mel

Da nossa exposição 2018!

A Expocrato 2018 veio para nós cheia de boas surpresas.
A cerca belgo na entrada, deixando à mostra os trabalhos artesanais dá boas vindas com o gosto de Cariri.
As vias de acesso são largas e estão limpas.
A padronização dos stands evidencia o que cada instituição ou empresa tem a mostrar.
Visualmente, muito nos agradou.
Agora a área do festival… superou todas as nossas expectativas!
Sinalização, organização, limpeza, coleta de recicláveis, espaço amplo, bem dividido (de qualquer ponto do espaço o show é um SHOW!!!), uma linda roda gigante (ainda estou criando coragem para experimentar) e o palco, lindo, faz jus aos maiores festivais nacionais. Sem esquecer do pessoal de serviço, super atento e prestativo.
A programação está cheia de atrações maravilhosas e hoje, bem no fim de todo o evento, podemos afirmar que a qualidade vem se mantendo em todos os quesitos.

Maíres Alves Cordeiro é bióloga. Especialista em Saneamento Básico e Educação Ambiental. Mãe do Ângelo, Laíris e Caliel (e de Lua, Bolt, Cirius, Mel, Cristal e Pompom [pet], também). O amor de Tião ♥.

Irmã e amiga;um docinhoMel.

 


Leia também:

Começa o Festival Expocrato 2018

Todos os caminhos nos levam a [Expo]Crato[2018]

Nordeste, tecnologia e sustentabilidade na Expocrato 2017

Publicidade

Festival ExpoCrato 2018 tem início no próximo sábado!

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Desenvolvimento regional, Outros

10 de julho de 2018

Um dos maiores eventos musicais do Norte e Nordeste, o Festival ExpoCrato ganha nova roupagem em 2018 e traz os maiores artistas do Brasil para nove dias consecutivos de festa na região do Cariri, no Sul do Ceará. Promovida pela Multi Entretenimento, Social Music, Arte Produções e Mega Som, a festa acontece de 14 a 22 de julho, mesmo período em que ocorre a 67ª edição da Feira Agropecuária homônima, um dos maiores e mais tradicionais eventos do gênero no Brasil, realizada no Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcanti, no Crato.

Ao todo, são mais de 50 atrações musicais confirmadas, incluindo as principais bandas, duplas sertanejas, DJs e cantores dos cenários local e nacional da música brasileira, em seus mais diversos estilos (sertanejo, forró regional e eletrônico, MPB, pop rock, reggae e música eletrônica), numa intensa e gigantesca mistura de sons e ritmos.

MPB e romantismo garantidos nas primeiras noites.

Fagner. Foto: Reprodução.

Com programações temáticas a cada noite, a abertura do festival terá show especial do cantor cearense Raimundo Fagner, um dos mais consagrados cantores brasileiros, que retorna ao evento após 16 anos, numa apresentação exclusiva. No seu retorno ao Festival, Fagner traz um repertório repleto de grandes sucessos dos seus 44 anos de carreira, como os eternos clássicos “Deslizes”, “Retrovisor”, “Espumas ao Vento” e “Borbulhas de Amor”. Na mesma noite, o Festival Expocrato traz duas gerações que se unem pelo regionalismo e personalidade: a cantora Eduarda Brasil, paraibana que venceu a última edição do programa “The Voice Kids”; e o cantor, compositor e instrumentista cearense Fábio Carneirinho.

No primeiro domingo de Expocrato, dia 15 de julho, o romance e o forró raiz ganham espaço com o sertanejo Léo Magalhães, que dá voz ao megahit “Oi”; o cantor Júnior Vianna, trazendo os sucessos do forró de vaquejada; a consagrada dupla de sanfoneiros Ítalo e Renno, com composições que são hits nas principais paradas de sucesso; o autêntico forró de Toca do Vale, com os grandes sucessos que acompanham o cantor que tem mais de 40 anos de carreira; e a animação de Rafael Belo Xote, que traz um show cheio de animação; e Ciço Bodim, que faz sua estreia na Expocrato com hits do CD Promocional recém-lançado

A segunda-feira, 16 de julho, é dia de muito romantismo com dois cantores que encantam multidões há décadas em todo o Brasil com canções que embalam os corações dos apaixonados: Fábio Júnior e José Augusto. Neste dia, o público também curte o agito do Forró Real e dos cantores Jordian do Acordeon e Flávio Leandro

Pop Rock reconhecido internacionalmente em destaque.

A clássica terça-feira do evento, reservada para artistas de gêneros como rock e regggae, ganha um patamar acima das expectativas com a nova direção do FESTIVAL EXPOCRATO. Pela primeira vez na história do Cariri, um grupo que se apresentou no Lollapalooza e no FIFA Fan Fest da Copa do Mundo da Rússia deve fazer uma apresentação histórica na festa: Os Selvagens à Procura de Lei, banda cearense com projeção e reconhecimento internacional, é atração confirmada nesta noite.

“Tocar na região do Cariri sempre foi muito especial pra gente, até porque nós temos um grande número de fãs, principalmente no Juazeiro e no Crato. O que deixa nossa expectativa muito alta para tocar na Expocrato. Muita gente na internet tem nos procurado para falar que já adquiriu o ingresso para acompanhar nosso show, o que nos deixa ainda mais empolgados para essa estreia no Festival”, destacou Rafael Martins, vocalista e guitarrista da banda.

Deixando a noite do pop rock com ares ainda mais grandiosos, os mineiros do Skank, grupo de referência na música nacional e que acumula várias edições de Rock in Rio na bagagem, também trazem um show recheado de hits. Quem completa a noite é o reggae do Natiruts, banda que sempre arrasta uma legião de fãs no Ceará. A terça-feira conta ainda com as apresentações de Missão Miranda e Namoro Novo.

Forró das Antigas.

Érika Diniz. Foto: Reprodução.

Na quarta-feira, 18 de julho, os sucessos que embalam os amantes do forró romântico dos anos 90 e 2000 têm espaço garantido no festival. A noite fica por conta das apresentações de grupos clássicos como Mastruz com Leite, Limão com Mel, Calcinha Preta, Noda de Caju e da cantora Érika Diniz.

4 dias de headliners no palco dos últimos dias.

O último fim de semana do Festival Expocrato pode ser traduzido como uma maratona de shows que têm os maiores nomes do forró, sertanejo, pagode e da música eletrônica. Nomes que encabeçam os principais festivais e eventos em seus respectivos gêneros no país. A quinta-feira, 19 de julho, traz os jovens e multitalentosos responsáveis por hinos do sertanejo atual, como Marília Mendonça e Gustavo Lima; acompanhados do fenômeno do pagode baiano Leo Santana; da pegada forrozeira de Zé Cantor, à frente do Solteirões do Forró; e de banda caririense Bulé de Caminhão.

Na sexta-feira, 20 de julho, o comandante Xand Avião aterrissa no palco do festival para uma apresentação como sempre especial ao povo do Cariri e turistas que visitam a Expocrato; outra mega atração da noite é a dupla Matheus e Kauan, os artistas mais ouvidos da plataforma Spotify em 2017 e que prometem um show cheio de hits; além do swing do “cara do momento”, Avine Vinny; e do duo de Djs que é presença cativa nos grandes festivais do mundo, JetLag.

O sábado de Festival Expocrato, no dia 21 de julho, transforma a região do Cariri na capital do sertanejo com as duas duplas – a masculina e a feminina – mais consagradas da música brasileira na atualidade: Jorge e Matheus e Simone e Simaria,que prometem embalar milhares de pessoas com o que sabem fazer de melhor: muito romantismo, animação e refrões que são hits de Norte a Sul do país. O Imperador do Forró, Iohannes, também marca presença nesta noite, que também recebe outro grande nome do forró, Wallas Arrais, além do cantor local Wawa Pinho.

Raphael Alencar. Foto: Reprodução

O último dia do Festival Expocrato, domingo, 22 julho, consolida a seleção de astros para o evento com uma sequência de tirar o fôlego: Luan Santana, um dos maiores nomes do showbusiness nacional com uma megaprodução de som, luzes, efeitos e sucessos no palco; Jonas Esticado, artista que levou seu talento do Cariri para o Brasil inteiro com uma bagagem hits e que já marca presença nos maiores eventos do país; a revelação do sertanejo Gustavo Mioto, que já figura entre os cantores mais ouvidos do país; a energia incontestável de um dos Djs mais aclamados da atualidade, Vintage Culture; o “boyzinho” Deivinho Novaes, que é de downloads na web e voz do estourado sucesso “Baby Alô”; e do jovem Raphael Alencar, artista também do Cariri que vem firmando seu espaço no forró com muita personalidade e carisma.

Confira a programação completa do Festival Expocrato 2018:

programacao-expocrato*grande sujeita a alterações;

** a ordem dos artistas não corresponde à sequência de atrações em cada dia;

Turismo e Economia.

O Festival, que espera cerca de 500 mil visitantes durante o período, vai transformar a região num dos principais centros culturais do Brasil, no mês de julho. Como resultado, o comércio e o turismo de todo o Cariri e de estados vizinhos ganham força com a movimentação financeira e a ocupação hoteleira, chegando a ultrapassar os índices de datas simbólicas como Natal, Réveillon e Dia das Mães.

Com estrutura reformulada, o Parque Pedro Felício Cavalcante, onde acontecem a feira e os shows, representa modernidade e mais conforto aos expositores, tratadores, turistas e visitantes, tornando-se mais um atrativo para o turismo regional e cultivando o regionalismo local. As manifestações artísticas do Crato e da região do Cariri também estão presentes no evento, através da música, do artesanato, da gastronomia e das produções fotográficas.

Estrutura.

Além de horas de entretenimento com os maiores nomes da música, o FESTIVAL EXPOCRATO 2018 proporcionará diversas atividades e experiências para o público, numa estrutura que contará com roda gigante, camarotes, lounge, praça de alimentação e um super palco projetado especialmente para o Festival, além de apresentações culturais durante os intervalos de shows.

“A Expocrato é mais do que um espaço de lazer, é um instrumento de desenvolvimento econômico, social e cultural para a região. Diante de um evento de tamanha dimensão, nós queremos proporcionar entretenimento de alta qualidade, com toda a segurança, conforto e encantamento para a sociedade caririense e seus visitantes”, destacou Marcelo Rocha, sócio do Grupo Multi Entretenimento e Arte Produções.

PONTOS DE VENDA

Internet: Bilheteriavirtual.com (SEM TAXAS)

Loja Oficial Festival Expocrato: Rua Doutor Miguel Lima Verde 503 A, Crato.

Cariri Garden Shopping Loja 54 – Juazeiro do Norte CE

Loja Social Tickets no Shopping RioMar Fortaleza

Informações sobre ingressos e lotes: festivalexpocrato.com.bre @festivalexpocrato

Realização: Multi Entretenimento, Social Music, Arte Produções e Mega Som

 Fonte: Assessoria de Imprensa do Festival ExpoCrato 2018.

Leia mais

Publicidade

MOBILIDADE URBANA e as Políticas Públicas Urbanas.

Por Mauro Cordeiro Fh. em Artigo, Cidades, Direito urbanístico

19 de junho de 2018

Siga-nos no Instagram: @blogurbano

As construções e os formatos arquitetônicos vão registrando o traço da história. A intensificação e concentração das atividades impulsionam o surgimento e o crescimento dos centros urbanos. Desta forma, a proteção jurídica desses espaços não poderia deixar de existir.

Como corolário da cidade, prefiguram funções próprias, capazes de interferir diretamente na vida do cidadão. Assim, as funções sociais da cidade estão ligadas à concepção da vida na urbe, caracterizando uma vocação peculiar da cidade, buscando dirimir a desigualdade quanto ao seu uso.

Sendo uma das funções sociais da cidade, a mobilidade urbana se apresenta em valiosa posição, dando aspecto de vida ao espaço urbano. Dotada de simbologia própria, a circulação na urbe é alcançada pelo sistema viário, desenvolvido pelos habitantes com ou sem o auxílio de transportes públicos ou privados, individuais ou coletivos, abarcando todas as formas que favorecem o exercício do direito de ir e vir.

O objetivo desse artigo é proporcionar uma reflexão a respeito das políticas públicas desenvolvidas no nosso País, que são inseridas no ordenamento jurídico, para melhor regularizar a atividade nesses espaços.

Das Políticas Públicas Urbanas.

Com o desenvolvimento desenfreado da urbanização, o espaço urbano merece ser estudado sobre sua projeção. Há a necessidade de políticas públicas que visem efetivar tanto as funções sociais da cidade, quanto promover o desenvolvimento social e o bem estar dos habitantes.

No Brasil, conforme Milaré [1] adotou-se uma política nacional, onde não se responsabiliza somente a União ou os Municípios, por ser interesse de um ou de outro, mas, adotou-se um sistema que está ao alcance da participação e da responsabilização de todos, numa verdadeira estrutura nacional para vida urbana.

Diante de tantas demandas que assolam o espaço, o planejamento se faz necessário, inserindo-se como uma espécie de bálsamo para os traumas urbanos. O estudo e a profilaxia possuem o escopo de “adequar ou melhorar o espaço urbano, justamente para que se alcance, sem maiores danos ao meio ambiente e sacrifícios dos mais diversos, uma melhor qualidade de vida” [2]. Ressalte-se que a política urbana é de natureza eminentemente social, muito embora esteja alocada, na Constituição Federal, na “Ordem Econômica”.

Promulgado em 10 de julho de 2001, o Estatuto da Cidade (EC) – Lei n.º 10.257/2001 surge como a linha mestra para a implantação e desenvolvimento de políticas nacionais urbanistas. Ele trouxe instrumentos de diversas formas, dentre os quais, destacamos: o IPTU progressivo no tempo (EC, art. 7º), com fins de controle da especulação imobiliária; a Gestão Participativa Popular (EC, art. 43 et. seq.) que nos apresenta o instituto da audiência pública; e, o Plano Diretor (EC, art. 39 et. seq.), instrumento básico para expansão urbana.

Sobretudo, o Plano Diretor – previsto na norma constitucional – é um dos principais instrumentos da política urbana. Não visa somente o uso responsável do solo, mas também a boa vida com qualidade.

“Contudo, a partir do Plano Diretor, normas e outros instrumentos legais podem – e devem – ser elaborados no intuito de atender a objetivos específicos do Município, da cidade, dos diferentes segmentos sociais da população, das atividades concernentes às várias funções urbanas, e assim por diante, numa visão global ou holística” [3]

No compasso, a Gestão Participativa proporciona a atividade direta dos cidadãos no futuro da urbe. Pode-se questionar: qual a importância desse instrumento se já temos representação política no Legislativo e Executivo? O tema “cidade” vai além das questões representativas. O descentralizar para construir é uma lógica que tende a romper a gestão urbana tradicional, mitigada numa visão central. O propósito da Participação Popular e também o desafio “é o de superar as barreiras socioinstitucionais e fortalecer políticas pautadas pela inclusão da noção de interesse geral”[4]. O gestor é parte da cidade, não seu único dono. Nesse sentido, é imprescindível “governar democraticamente as cidades, como territórios de grande riqueza e diversidade econômica, ambiental, política e cultural, de modo que sejam respeitados os direitos dos habitantes”[5]. O serviço prestado deve ser desmistificado. Deve-se atender a demanda popular, nada mais justo que ela decida o que se deva fazer, de forma mais direta.

Política Nacional de Mobilidade Urbana.

A elaboração de políticas voltadas à mobilidade urbana encontra-se resguarda na Carta Constitucional de 1988 (CRFB/88), uma vez que sua previsão é inerente ao desenvolvimento urbano. Nessa esteira, se tem “por objetivo, ordenar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e garantir o bem-estar de seus habitantes” (CRFB/88, art. 182, caput, in fine). De forma mais particular, ela está inserida entre as competências da União: “instituir diretrizes para o desenvolvimento urbano, inclusive habitação, saneamento básico e transportes urbanos” (CRFB/88, art. 21, XX), dando conotação à sua importância.

Isso se dá pela própria lógica da urbe, pois “na medida em que as cidades vêm crescendo, cresce a necessidade de mobilidade, e torna-se necessário definir ações que possam, ao menos, manter a qualidade de vida de seus habitantes”[6]. Superada a previsão e a competência para tratar do assunto, coube dar sistematização à mobilidade. Com o advento da Lei n.º 12.587/2012 – Política Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU) nos foi apresentada a organização instituída para direcionar o desenvolvimento da mobilidade urbana no País. A legislação é alicerçada no Estatuto da Cidade, uma vez que o art. 40 do Estatuto da Cidade afirma no §2.º que o plano diretor deve englobar toda a cidade, bem como pelo art.42-A, III do mesmo Estatuto, prevendo na expansão do município a elaboração de diretrizes específicas para a infraestrutura, equipamentos e instalações públicas e sistema viário. O texto legal da PNMU contempla definição de conceitos e traz à baila princípios, direitos e instrumentos para sua efetivação.

A priori, a referida legislação embasa o objetivo da política e apresenta o conjunto sistemático da mobilidade urbana, classificando seus elementos quanto ao modo e ao tipo, bem como, o espaço em que são desenvolvidos. Assim, toma-se por objetivo dessa política a busca de medidas que possam contribuir para o acesso pleno à cidade, de forma a concretizar e fomentar a efetivação dos princípios e das diretrizes da política de desenvolvimento urbano (PNMU, art. 2.º). Conforme o mesmo texto, podemos definir essa sistematização no “conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestrutura que garante os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município” (PNMU, art. 3º, caput).

Seguindo o texto legal, detraímos do Sistema Nacional de Mobilidade Urbana três elementos: transportes, serviços e infraestrutura. Os parágrafos do art. 3.º contemplam universalmente os tipos de transportes, englobando os motorizados e os não motorizados. Já em relação aos serviços, classificou-se pelo objeto, – podendo ser de passageiros ou de cargas – pela própria característica do serviço, ou seja, pela forma e modo (se coletivo ou individual) e quanto à sua natureza, se público ou privado. Por fim, caracteriza os tipos de infraestrutura, que favorece o tráfego (vias, logradouros, metroferrovias, hidrovias e ciclovias), que favorece o acesso ao serviço: terminais, estações e demais pontos tipos de conexões; a organização contextualizada pela sinalização viária, estacionamentos entre outros. Ainda, foram previstos instrumentos de controle, como fiscalização e difusão das informações.

Transportes Públicos e o Direito dos Usuários.

O capítulo segundo da lei em comento trouxe diretrizes voltadas ao serviço de transporte público coletivo. Entrelaçados entre os artigos 8.º a 13 apresentam normas de caráter geral, distribui competências aos entes federados, dispõe sobre as formas de contratação dos transportes e custeio, e valor das tarifas.

Ao falarmos de tarifa, insurge a dúvida: de quem será o custeio? A Carta Magna de 1988 afirma categoricamente ser serviço essencial e, a definição do transporte público, já apresentada, relata ser um serviço com pagamento individualizado, com tarifas fixadas pelo próprio poder público. Por quem é suportado tal ônus? A questão não é meramente doutrinária, há posicionamentos que deflagram argumentos com prós e contras de grande respaldo. Ao observar o texto legal, observa-se que a política do passe livre não foi adotada. Conforme mencionado dispositivo, o serviço é custeado pelo usuário do transporte público por subsídio tarifário (PNMU, art. 9.º, §3.º).

Movimento Passe Livre – MPL pode ser considerado como um dos principais movimentos que vão de encontro a esse posicionamento. Ao levantarem a bandeira de passe livre, defendendo uma vida sem catracas, ou seja, defendendo um serviço de transporte público totalmente gratuito, acreditam que pagar pela circulação é tornar a mobilidade uma mercadoria, desconfigurando a natureza de direito. O MPL de São Paulo encaminhou uma Carta Aberta à Presidente da República, na oportunidade do convite a uma reunião proposta pelo Governo Federal dizendo que

“O transporte só pode ser público de verdade se for acessível a todas e todos, ou seja, entendido como um direito universal. A injustiça da tarifa fica mais evidente a cada aumento, a cada vez que mais gente deixa de ter dinheiro para pagar a passagem”[7].

Na mesma Carta Aberta, em que pese a Lei n.º 12.587/12, foi indagado:

“Gostaríamos de saber por que a presidenta vetou o inciso V do 16º artigo da Política Nacional de Mobilidade Urbana (lei nº 12.587/12) que responsabilizava a União por dar apoio financeiro aos municípios que adotassem políticas de priorização do transporte público. Como deixa claro seu artigo 9º, esta lei prioriza um modelo de gestão privada baseado na tarifa, adotando o ponto de vista das empresas e não o dos usuários” [8].

O capítulo terceiro (PNMU, art. 14 e 15) versa sobre os direitos dos usuários. Trata-se na verdade de garantias básicas como acesso ao serviço de forma adequada, ambiente seguro, direito à informação sobre pontos de embarque e desembarque, valor de tarifas, direito a participar do planejamento e à avaliação da mobilidade urbana. Nesse tocante, estabelece o direito à composição de organização de órgãos, acesso às ouvidorias, participação em audiências, consultas públicas e aos procedimentos sistemáticos de comunicação, com avaliação de satisfação dos serviços.

Por fim, podemos perceber que o contexto da cidade e de espaço urbano, deve ser analisado considerando sua forma multidisciplinar, oportunidade em que, cruzando nossas lentes jurídicas com diversas outras áreas do conhecimento, conseguimos compreender melhor o como se dá o desenvolvimento urbano. Assim, mais do que um espaço, a cidade é um direito de cunho essencial ao homem, vez que, diante de uma sociedade urbanizada, serve de instrumento para o alcance de outros direitos.

Em relação à política urbana desenvolvida no nosso país, percebeu-se que o principal objetivo da nossa legislação é adequar o espaço urbano, oferecendo o máximo de acessibilidade possível com uso contínuo de uma gestão participativa.

Ao olharmos especificamente para a mobilidade urbana, podemos observar a disposição de diversos instrumentos para sua efetivação. O plano diretor, em destaque, é o principal deles. E por versar sobre o desenvolvimento da cidade, compreende, também, o planejamento da mobilidade urbana. Ele possui abrangência local tornando-se um instrumento mais próximo da população, possibilitando assim, um planejamento mais adequado, viável e mais sensível aos problemas da cidade.

Nesse mesmo giro, encontramos os dispositivos da Lei n.º 12.587/2012, que promove um direcionamento da mobilidade urbana no país. Essa política nacional de mobilidade urbana apresenta sistematicamente a forma de otimização da mobilidade no Brasil. A legislação contempla, em especial, o sistema de transportes públicos, enquadrando os de meio coletivo e os de meio individual. Traçando um desenvolvimento sob enfoque socioambiental, o planejamento da mobilidade urbana deve persuadir medidas que, após examinadas multidisciplinarmente e não somente sopesadas no uso do espaço ou com transportes, sejam aplicadas com vista a reduzir a problemática atual e futura. Devem ser medidas consoantes com o meio ambiente e que proporcionem eficiência, consolidando um desenvolvimento sustentável no viés econômico, ambiental e social.

Esse artigo é um compêndio da publicação “O SERVIÇO DE MOTOTÁXIS E SUAS IMPLICAÇÕES“, publicado no Anais do VIII Congresso Brasileiro de Direito Urbanístico. Todos os direitos reservados.

 


Referências

[1] MILARÉ, Édis. Direito do ambiente: a gestão ambiental em foco. 6 ed., atual, e ampl. – São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 2009. p.557.

[2] SOUZA, Demétrius Coelho. O meio ambiente das cidades. São Paulo: Ed. Atlas S.A., 2010. p.59.

[3] MILARÉ, Édis. Direito do ambiente: a gestão ambiental em foco. 6 ed., atual, e ampl. – São Paulo: Ed. Revista dos Tribunais, 2009. p.558.

[4] JACOBI, Pedro R. Políticas sociais locais e os desafios da participação citadinaCiência & Saúde Coletiva, 7(3): 443-454, 2002. p.453.

[5] SAULE JUNIOR, Nelson. O Direito à Cidade como paradigma da governança urbana democráticaInstituto Polis, 2005.

[6] CAMPOS, Vânia Barcellos Gouvêa. UMA VISÃO DA MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVELRevista dos Transportes Públicos – ANTP. Ano 28, 2º trimestre, 2006. p3.

[7] CARTA aberta do movimento Passe Livre São Paulo à Presidenta. [s.n.], 2013.

[8] op. cit. p.1.

Publicidade

MEIO AMBIENTE: 30 anos na Constituição Brasileira

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Direito ambiental, Direito Constitucional, Informação

05 de junho de 2018

Siga-nos no Instagram: @blogurbano

Uma das inovações jurídicas trazidas pela Constituição Federal de 1988 foi a inclusão da temática ambiental.

Hoje é o dia do meio ambiente. Essa data, 5 de junho, foi escolhida para instituir o Dia Mundial do Meio Ambiente, pela ONU, durante a Assembleia Geral das Nações Unidas de 1972 – Conferência de Estocolmo. A intenção não era outra senão chamar atenção do mundo para os problemas ambientais.

“A proteção e o melhoramento do meio ambiente humano é uma questão fundamental que afeta o bem-estar dos povos e o desenvolvimento econômico do mundo inteiro, um desejo urgente dos povos de todo o mundo e um dever de todos os governos”. (Declaração de Estocolmo sobre o ambiente humano – 1972)

A resposta do Brasil a esse apelo se fez, principalmente, com a Constituição de 1988. Por isso, o termo “Constituição ambiental” é uma das alcunhas do texto democrático. Nele, o meio ambiente é tratado de forma prioritária, com capítulo e dispositivo próprio. Assim inicia o art. 225: “Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defende-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

Considerando que em outubro desse ano a Constituição celebrará 30 anos, muitas comemorações desse dia 5 se voltaram à essa temática. Encontro de especialistas, seminários nacionais e estaduais, manifestação das comissões temáticas da OAB, entre outras, acontecem em todo o Brasil, essa semana.

O que é Meio Ambiente mesmo?

Inspirados nessa grande celebração, queremos tratar sobre o objeto “meio ambiente” que é o bem protegido pelo direito constitucional-ambiental. Oras, como podemos pensar sobre uma política de proteção ao meio ambiente sem saber exatamente como se define meio ambiente?

Sem delongas, podemos dizer que existem quatro tipos de meio ambiente, que são classificados assim pelos grandes autores jurídicos, de acordo com a característica de cada um. Desta forma, com raríssimas exceções, o meio ambiente pode ser natural, cultural, histórico e laboral.

Por meio ambiente natural temos o espaço sacralizado pela natureza, ou seja, o ambiente que não sofreu nenhuma intervenção humana (como florestas e matas virgens, por exemplo). O meio ambiente cultural que é o espaço dotado de simbologia própria, onde é possível encontrar a identidade e o modo de vida das pessoas que ali habitam. Está ligado aos elementos antropológicos como festas populares, ritos sociais e religiosos, por exemplo. O meio ambiente histórico se caracteriza por ser capaz de traduzir a história local, por meio da preservação arquitetônica. E, ainda, o meio ambiente laboral que está vinculado às localidades onde os indivíduos desenvolvem o trabalho (escritórios, indústrias e comércio, por exemplo).

Excetuando o meio ambiente natural, todos os outros podem ser considerados como meio ambientes artificiais. Então, numa classificação genérica (natural e artificial) o meio ambiente artificial se configura pela intervenção do homem no espaço, presente no meio urbano, seja sob a perspectiva histórica, cultural ou laboral. Isso não significa, afinal, ausência do natural, somente a presença da intervenção humana.

Em termos práticos, essa classificação auxilia na identificação de degradações específicas, a fim de otimizar a proteção ambiental. Portanto, ressalte-se que o meio ambiente é apenas um, indivisível, servindo tal classificação para meros fins didáticos.

Na nossa estante:

Para aprofundamento sobre essa temática, apresentamos o livo Sustentar a vida,  organizado por Renato Ribeiro, da Editora Paulinas. Essa obra reúne o pensamento de diversos profissionais que refletem sobre as questões ambientais, propondo ações de preservação e mudança de comportamento. O epicentro da causa ambiental é a preservação da nossa própria vida, que é tratado de maneira bastante clara neste rico texto. Saiba mais sobre esse livro clicando aqui.

Outro recurso é o livro Ecos ecológico, de Luizinho Bastos, da Editora Paulinas. O texto desenvolve a temática com singularidade, apresentando um mural ecológico com datas e informações pertinentes, além de um texto complementar. Para saber mais, clique aqui.

Paulinas Livraria – Fortaleza

Loja 1: Rua Major Facundo, 332 – Centro. Fone: (85) 3226-7544 | Loja 2: Av. Antônio Sales, 2919 – Dionísio Torres. Fone (85) 3224-4229. | Loja 3: (Faculdade Católica de Fortaleza) Rua Tenente Benévolo, 201 – Praia de Iracema.

Facebook – Paulinas Fortaleza

Publicidade

Todos os caminhos nos levam… [Expo]Crato [2018]!

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Desenvolvimento regional, Eventos, Notícias

17 de Maio de 2018

Há mais de 60 anos, no mês de julho, é no Crato que todo mundo se encontra.

 

(divulgação)

Foi dada a largada… Que venha a ExpoCrato 2018

 

Se durante o ano todos os caminhos levam a Roma“, nesse época do ano, a ExpoCrato é o marco zero do mundo!

No fim da tarde de ontem (16), no Centro de Convenções do Cariri, foi realizado o lançamento do Festival Expocrato 2018, que esse ano está de cara nova! O Festival Expocrato 2018 acontece de 14 a 22 de julho.

Enfim, começou a contagem regressiva para o Festival Expocrato,  parte integrante de uma das maiores e mais tradicionais e Feiras Agropecuárias do Brasil, que vem acompanhada em sua edição de 2018 de um mega festival de música. Serão mais de 50 atrações nos mais variados estilos musicais.

A Feita tem 74 anos e conta com 66 edições realizadas. Esse ano é a sexagésima sétima Expocrato. A movimentação comercial da região é maior do que o Natal, dia das Mães e Ano Novo juntos. Com potencial turístico fortíssimo durante o período das férias de julho, contabiliza-se quase 100% de ocupação no hotéis e pousadas das proximidades.

Festival:

O Festival, que possuí cerca de 500 mil visitantes durante o período, vai transformar o espaço de eventos do Parque, na cidade do Crato, no centro da música e da cultura caririense. Serão nove dias de festa com grandes atrações nacionais e regionais.

As empresas Multi Entretenimento, Social Music, Arte Produções e Mega Som, responsáveis pelo festival, trazem uma mega estrutura e apresentam diversas novidades no festival que já é conhecido por ser o maior do Norte-Nordeste, e um dos maiores do Brasil.

Mapa (divulgação)

Uma das novidades é o novo espaço, mais amplo e mais organizado. Esse ano, haverá a “Roda Gigante” com 21m de altura, equivalente a um prédio de 7 andares.

Além de horas de entretenimento com os maiores nomes da música, o Festival Expocrato 2018 terá diversas atividades e experiências, a exemplo da roda gigante, camarotes, lounge com palco e apresentações nos intervalos, praça de alimentação e um super palco projetado especialmente para o Festival.

A Expocrato é mais do que um espaço de lazer, essa festa, essa feira é um instrumento de desenvolvimento econômico, social e cultural para a região. Diante de um evento de tamanha dimensão, nós queremos proporcionar entretenimento de alta qualidade, com toda a segurança, conforto e encantamento para a sociedade caririense e seus visitantes.”, destacou Marcelo Rocha, sócio do Grupo Multi Entretenimentos e Arte Produções.

Raphael Alencar

O Festival Expocrato 2018 vai reunir grandes nomes da música brasileira, com diversidade para agradar todos os públicos: Fagner, Jorge e Matheus, Gusttavo Lima, Marília Mendonça, Skank, Natiruts, Fábio Jr., entre outros. Nomes regionais que têm ganhado o público nacional e internacional, também vão participar do Festival.  Raphael Alencar, que já é destaque na música sertaneja, subirá ao palco da ExpoCrato, no domingo, dia 22, pela primeira vez.

Ingressos:

É possível adquirir os ingressos do Festival Expocrato 2018 pela internet (bilheteria virtual) ou nos pontos de venda:

  • Loja Oficial Festival Expocrato – Rua Dr. Miguel Lima Verde, 503-A, Crato (CE)
  • Cariri Garden Shopping – Loja 54, Juazeiro do Norte (CE)
  • Shopping RioMar – Loja Social Tickets, Fortaleza (CE).

Serviços:

Festival Expocrato 2018 14 a 22 de julho 

Local: Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante, Crato (CE)

(sábado) 14/07 – Fagner, Fábio Carneirinho e Eduarda Brasil;

(domingo) 15/07 – Léo Magalhães, Júnior Vianna, Toca do Vale, Ítalo e Renno, Rafael Belo Xote e Ciço Bodim;

(segunda) 16/07 – Fábio Jr., José Augusto, Forró Real, Jordean e Flávio Leandro;

(terça) 17/07 – Natiruts, Skank, Selvagens à procura da Lei, Nação Miranda e Namoro Novo;

(quarta) 18/07 – Mastruz com leite, Calcinha Preta, Limão com Mel, Noda de Caju, Érika Diniz;

(quinta) 19/07 – Gusttavo Lima, Marília Mendonça, Léo Santana, Solteirões do Forró e Bulé da Caminhão;

(sexta) 20/07 – Xand Avião, Matheus e Kauan, JetLag e Avine Vinny;

(sábado) 21/07 – Jorge & Matheus, Simone & Simaria, Iohannes, Wallas Arrais, Vavá Pinheiro;

(domingo) 22/07 – Jonas Esticado, Gustavo Mioto, Luan Santana, Vintage Culture, Devinho Novaes e Raphael Alencar.

Fonte: Festival Expocrato 2018

Leia também: Nordeste, tecnologia e sustentabilidade na Expocrato 2017

Publicidade

[Cidades Sustentáveis] – Hackday em Juazeiro do Norte!

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Desenvolvimento regional, Direito urbanístico, Eventos

15 de Maio de 2018

Desafio trabalhará desenvolvimento sustentável por meio de tecnologia e inovação em Juazeiro do Norte

 O evento, realizado pela Abradee com coordenação da Enel Distribuição Ceará, está com inscrições abertas e premiará a equipe vencedora com R$ 5.000

Um momento voltado à construção de iniciativas inovadoras e tecnológicas com o propósito de disseminar entre profissionais e estudantes de diversas áreas o hábito de inovar é o que propõe o Hackday, evento realizado pela Associação Brasileira das Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee) e coordenado pela Enel Distribuição Ceará. O Hackday acontece em Juazeiro do Norte nos próximos dias 25 e 26 de maio de 2018 com a seguinte temática: tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

No primeiro dia acontecerá o evento de abertura do Hackday, às 19h30, no auditório do IFCE Campus Juazeiro do Norte com o especialista em cidades inteligentes, Renato de Castro. Já no dia 26, o espaço do evento será o Cariri Garden Shopping com programação das 7h30 às 19h. Para participar da maratona é preciso se inscrever no site www.sendi.org.br. As inscrições são gratuitas e estão abertas até 20 de maio de 2018.

A temática proposta aos competidores do Hackday Juazeiro do Norte é pautada em um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas no Brasil (ONU), que têm como intuito melhorar a vida das pessoas. Durante oitos horas de desafio os competidores terão a oportunidade de trabalhar diversos aspectos, entre eles: criatividade, busca de soluções, desempenho em equipe e liderança.

Divididos em grupos, os participantes do desafio deverão apresentar ao final da competição um protótipo funcional, uma apresentação em arquivo .odt ou .ppt e um pitch, conforme regulamento disponível em www.sendi.org.br. Três critérios serão avaliados: funcionalidade (avaliação técnica), aplicabilidade (avaliação de negócio) e avaliação de picth. O desenvolvimento das soluções acontecerá das 9h às 17h30. A equipe vencedora será premiada com o valor de R$ 5.000, a ser dividido igualmente entre os integrantes.

O Hackday é o momento preparatório para o Hackathon*, maratona de programação de 48h parte da programação do XXIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica (SENDI 2018)* a ser realizado no mês de novembro em Fortaleza. O primeiro Hackday aconteceu nos últimos dias 4 e 5 de maio em Sobral, onde foram trabalhados projetos voltados à melhoria de uma unidade de prestação de serviço público na área da saúde com mais de 40 competidores. O próximo Hackday será em Fortaleza, em 7 de julho.

SERVIÇO: Hackday SENDI 2018 Juazeiro do Norte

Abertura com palestra de Renato de Castro
Data: 25 de maio de 2018

Horário: 19h30

Local: IFCE Campus Juazeiro do Norte (Av. Plácido Aderaldo Castelo, 1646 Planalto, Juazeiro do Norte – CE)

Desafio 
Data: 26 de maio de 2018
Horário: 7h30 às 19h
Local: Cariri Garden Shopping (Av. Padre Cícero, 2555 – Triângulo, Juazeiro do Norte – CE)

Regulamento e inscrições: www.sendi.org.br

Fonte: AD2M Engenharia de Comunicação

*HACKATHON:

O Hackathon acontece de 18 a 20 de novembro como parte da programação do XXIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica (SENDI 2018) e reunirá programadores, designers e demais profissionais da área de desenvolvimento de software, com a finalidade de gerar soluções e inovações utilizáveis para o setor de distribuição de energia elétrica. O regulamento do Hackathon SENDI 2018 está disponível em www.sendi.org.br.

 *SENDI:

O Seminário, que acontecerá em Fortaleza de 20 a 23 de novembro, espera reunir 5.000 participantes e promoverá debates com foco nas tendências do segmento de energia elétrica, como digitalização, e-mobility, relacionamento com clientes e modelo regulatório com o intuito de promover troca de experiências entre as empresas distribuidoras de energia elétrica e fomentar ideias para a manutenção e desenvolvimento da qualidade dos serviços prestados. Como parte da programação, apresentação de trabalhos técnicos, ações como demoday (voltado para startups), demonstração de carros elétricos, entre outros. O SENDI acontece desde 1962 e, após dez anos, será realizado em uma capital nordestina. A última cidade a receber o evento na região foi Recife, em 2008. Realizado pela Abradee, o SENDI tem a coordenação da Enel Distribuição Ceará na edição de 2018.

SOBRE A ABRADEE:

A Abradee reúne 47 concessionárias de distribuição de energia elétrica – estatais e privadas – atuantes em todas as regiões do País e que, juntas, são responsáveis pelo atendimento de 99,6% dos consumidores brasileiros. Atua há 42 anos para o desenvolvimento do setor de distribuição de energia elétrica do Brasil.

Com sede em Brasília, a Abradee presta serviços de apoio as suas associadas nas áreas técnica, comercial, econômico-financeira e institucional. Cabe ainda à Associação promover cursos e seminários e editar publicações técnicas, bem como trocar informações com entidades nacionais e internacionais objetivando o desenvolvimento e a capacitação de suas associadas com ênfase na defesa dos interesses do setor de distribuição de energia elétrica.

A Abradee tem como bandeira contribuir para o desenvolvimento do País por meio de um setor de distribuição de energia elétrica sustentável e eficiente, com oferta de serviços de qualidade reconhecida pelos clientes. A visão é agregar valor para as empresas distribuidoras, para os clientes e para o país, constituindo-se num agente efetivo de desenvolvimento do setor elétrico.

SOBRE A ENEL DISTRIBUIÇÃO CEARÁ:

Com cerca de 4 milhões de clientes e responsável por 142 mil quilômetros de linha de distribuição, a Enel Distribuição Ceará é a maior empresa do Estado e referência em qualidade do serviço no país. Por meio do Prêmio Abradee, já foi eleita seis vezes a Melhor Distribuidora de energia do país e nove vezes a Melhor da Região Nordeste. Além disso, é destaque anualmente no ranking de qualidade do serviço da Agência Nacional de Energia Elétrica.

Em 2016, a Enel Distribuição Ceará passou por um processo de mudança de marca (Coelce anteriormente), resultado de um reposicionamento estratégico global do Grupo Enel, centrado no conceito Open Power. A companhia mantém sua essência como empresa de energia (Power) e, ao mesmo tempo, utiliza a escala e relevância globais alcançadas pelo grupo em mais de seis décadas no mercado para consolidar-se junto a todos os seus stakeholders como empresa aberta a novas soluções, parceiros e tecnologias.

SENDI 2018 | www.sendi.org.br | Facebook: SENDI | Instagram: @sendi201

Publicidade

Juazeiro do Norte e as vozes de sua pluralidade “em cena”

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Eventos, Outros

04 de Maio de 2018

O sagrado e o profano as vozes de uma cidade.

A palavra “cidade” pode estar no singular, mas dentro dela ecoa uma infinidade de vozes. 👩‍⚕️👨‍🌾👩‍🎤👨‍🚒 Cidade é plural. 🏦🏚️🏘️ 💬 Na peça “O sagrado e o profano – as vozes de uma cidade”, o Coletivo Atuantes em Cena vão mostrar a diversidade que habita Juazeiro do Norte. ✝️🎭Considera santa por muitos, o local também possui uma vida noturna profana. 🌆🏙️ E o mais interessante: o trabalho do grupo foi depois de uma pesquisa que durou seis meses. 😍😲Entrevistaram romeiros, penitentes, pessoas da noite. 🎙️Foram dos locais santos aos cabarés. Gostou do enredo? 👍Vamos? 

😁 #CCBNBCariri #OSantoeoProfano #teatro#JuazeirodoNorte #ColetivoAtuantesemCena

Serviços:

ℹ️ Ato Compacto “O sagrado e o profano – as vozes de uma cidade”
 Dia 4, sexta-feira, às 19h30
📍 Teatro do CCBNB – Cariri
🤑 Entrada gratuita

 

Fonte: Centro Cultural BNB Cariri

Publicidade

Juazeiro do Norte e as vozes de sua pluralidade “em cena”

Por Mauro Cordeiro Fh. em Cidades, Eventos, Outros

04 de Maio de 2018

O sagrado e o profano as vozes de uma cidade.

A palavra “cidade” pode estar no singular, mas dentro dela ecoa uma infinidade de vozes. 👩‍⚕️👨‍🌾👩‍🎤👨‍🚒 Cidade é plural. 🏦🏚️🏘️ 💬 Na peça “O sagrado e o profano – as vozes de uma cidade”, o Coletivo Atuantes em Cena vão mostrar a diversidade que habita Juazeiro do Norte. ✝️🎭Considera santa por muitos, o local também possui uma vida noturna profana. 🌆🏙️ E o mais interessante: o trabalho do grupo foi depois de uma pesquisa que durou seis meses. 😍😲Entrevistaram romeiros, penitentes, pessoas da noite. 🎙️Foram dos locais santos aos cabarés. Gostou do enredo? 👍Vamos? 

😁 #CCBNBCariri #OSantoeoProfano #teatro#JuazeirodoNorte #ColetivoAtuantesemCena

Serviços:

ℹ️ Ato Compacto “O sagrado e o profano – as vozes de uma cidade”
 Dia 4, sexta-feira, às 19h30
📍 Teatro do CCBNB – Cariri
🤑 Entrada gratuita

 

Fonte: Centro Cultural BNB Cariri