UNDP Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

UNDP

Implementando a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável – discussão com a sociedade

    Até amanhã, dia 25 de março de 2016, está acontecendo a discussão eletrônica (e-discussão), coordenada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e pelo Departamento das Nações Unidas de Assuntos Sociais e Econômicos, a respeito da implementação da agenda pós-2015 e seus compromissos até 2030.

     A finalidade dessa e-discussão é engajar os grupos de atores sociais e especialistas de todas as partes do mundo num diálogo que contemple os aspectos específicos da agenda 2030, esperando-se sugestões e recomendações que possam ser encaminhadas para essa nova Agenda, com ênfase no nível nacional e metas de desenvolvimento sustentável.

    Aos interessados em participar, cliquem aqui. Convite feito!

Fonte: UNDP

Publicidade

Consultoria ambiental – oportunidades no Brasil

    Estão abertos alguns editais da UNDP (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD) para processo seletivo de consultores ambientais nos setores de energia, agropecuária e mudança do uso da terra e florestas que devem integrar o III Inventário Nacional de Gases de Efeito Estufa. A data limite de inscrição é 4 de julho.

     Os cargos de Analista Técnico para o setor de energia, para o setor de agropecuária e para o setor de mudança do uso da Terra e florestas, do Inventário Nacional de Gases de Efeito Estufa, pedem que o candidato tenha graduação nas áreas de exatas, humanas ou da Terra, experiência mínima de três anos na área de mudança do clima, fluência no inglês, dentre outros requisitos.

     As atividades previstas para estes cargos, dentre outras, são:

– facilitar a apresentação de informações sobre o processo de cooperação internacional para a elaboração e o aperfeiçoamento da Comunicação Nacional no Brasil;

– Revisar e consolidar as informações/dados e resultados a serem gerados para o inventário de emissões de GEE do setor Energia, Agropecuária e Mudança do Uso da Terra e Florestas, de forma a garantir a qualidade dos objetivos a serem atingidos.

– Apoiar a Agência Executora nas negociações internacionais no âmbito da Convenção sobre Mudança do Clima e de outros instrumentos internacionais a ela relacionados.

   São três editais distintos.    Aos interessados no cargo no setor de energia, cliquem aqui.

    Aos interessados no cargo no setor de agropecuária, cliquem aqui.

    Aos interessados no cargo no setor de mudança do uso da Terra e florestas cliquem aqui.

Fonte: UNDP e CPTEC.

Publicidade

30 projetos vencedores no Prêmio ODM Brasil – edição 2014

     O Prêmio ODM Brasil foi criado em 2004, de forma pioneira no mundo, e tem por finalidade incentivar programas, projetos e ações que contribuam para a consecução dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM).

     A coordenação do Prêmio ODM Brasil está sob a responsabilidade da Secretaria-Geral da Presidência da República, em parceria com o PNUD (UNDP, sigla em inglês) e com o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade. Esta 5ª edição, em 2014, terá a solenidade de entrega aos 30 vencedores no dia 23 de maio, no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília/DF.

Fonte: Secretaria-Geral da Presidência da República

Fonte: Secretaria-Geral da Presidência da República

    Conforme os organizadores, foram 1.090 práticas inscritas, sendo 804 de organizações e 286 oriundas de prefeituras. Dos 30 vencedores, sete são de prefeituras e 23 de organizações.

    Parabéns a todos os 30 programas, projetos e ações vencedores!

   Permitam-me destacar aqui no Blog Verde da Tribuna do Ceará, as sete práticas cearenses vencedores do Prêmio ODM Brasil – 5ª. edição:

– Agência de Desenvolvimento Local (Adel), no município de Pentecoste/CE

Prática: Programa Jovem Empreendedor Rural (PJER)

– Associação Caatinga, no município de Fortaleza/CE

Prática: Projeto No Clima da Caatinga

– Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao trabalhador (Cetra), no município de Fortaleza/CE

Prática: Rede de Agricultores Agroecológicos do Território da Cidadania Vales do Curu e Aracatiaçu

– Fundação Social Raimundo Fagner, no município de Fortaleza/CE

Prática: Projeto Aprendendo com Arte

– Grupo de Apoio às Comunidades Carentes, no município de Fortaleza/CE

Prática: Projeto Educação Integrada

– Instituto de Educação Portal (IEP), no município de Pacajus/CE

Prática: Projeto Transformando Vidas Através da Educação Integral

– Prefeitura de Maracanaú/CE

Prática: Rede de Segurança Alimentar e Nutricional: a garantia do Direito Humano à alimentação adequada em Maracanaú.

    Aos que se interessarem em saber mais, cliquem aqui.

Fonte: Secretaria-Geral da Presidência da República, 2014.

Publicidade

Consultoria ambiental em manejo sustentável da Caatinga

     Tem edital aberto, no Ministério do Meio Ambiente, por meio do Projeto de Organismo Internacional PNUD – BRA/11/001, para consultores na área ambiental, para realizar o trabalho de elaboração de proposta para a difusão de boas práticas de manejo sustentável de caatinga para a pecuária, por meio:

 1) do levantamento e sistematização de técnicas de manejo e experiências bem sucedidas de manejo sustentável de caatinga para a pecuária,

 2) da análise dos fatores ambientais e socioeconômicos que impediram a adoção das técnicas e a difusão das experiências bem sucedidas, em larga escala, de manejo de caatinga para pecuária; e

 3) da identificação das oportunidades e medidas necessárias para a adoção em larga escala do manejo sustentável da caatinga para a pecuária.

     A data limite para inscrição me 17/07/2013. A duração da consultoria são seis meses. Maiores informações, cliquem aqui.

     O BRA/11/001 é um projeto da Secretaria de Biodiversidade e Florestas – SBF que tem como objetivo cooperar com o empenho nacional de implementar os dispositivos da Convenção sobre a Diversidade Biológica, da Convenção sobre Zonas Úmidas de Importância Internacional (Convenção de Ramsar), da Convenção das Nações Unidas de Combate a Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca – UNCCD e do Programa Antártico Brasileiro – PROANTAR, ao prover suporte técnico ao Ministério do Meio Ambiente ao:

1) contribuir para a implementação de compromissos assumidos na Convenção sobre a Diversidade Biológica;

2) Planejar as políticas publicas integrando as diretrizes e programas das Convenções sobre a Diversidade Biológica e a Convenção sobre Zonas Úmidas de Importância Internacional (Convenção de Ramsar);

 3) Promover ações e atividades do segmento ambiental do Programa Antártico Brasileiro relacionadas a acordos internacionais associados ao Sistema do Tratado da Antártica; 4) Implementar ações para a conservação e uso sustentável da caatinga, visando o combate a desertificação e a mitigação dos efeitos da seca.

Publicidade

Rio+Centre – legado da Rio+20

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

04 de Janeiro de 2013

    No balanço anual de 2012, a UNDP (United Nations for Deelopment Programme) ou Programa das nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) destacou como uma das suas principais ações, e ainda como legado da Rio + 20, a instituição do Rio + Centre – Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.

   O Rio+Centre irá facilitar a pesquisa, a troca de conhecimento e a promoção do debate a respeito do Desenvolvimento Sustentável. O Rio + Centre se constitui em um consórcio internacional de parceiros, dentre estes: governos locais (municípios), agências das Nações Unidas, Universidades, organizações não governamentais e setor privado.

     Inicialmente, são as seguintes instituições que dão suporte ao Rio+Centre:

United Nations Development Programme (UNDP)

United Nations Environment Programme (UNEP)

International Policy Centre for Inclusive Growth (IPC-IG)

United Nations Programme for Human Settlements (UN-HABITAT)

International Labour Organization (ILO)

Institute of Advanced Studies, United Nations University (UNU-IAS)

Regional Centre of Expertise in Education for Sustainable Development (RCE)

Governo do Brasil

Governo do estado do Rio de Janeiro

Prefeitura do Rio de Janeiro

Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP)

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)

Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE)

Global Institute for Green Technologies and Employment (GIGTech, COPPE / UFRJ)

Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasilia (UNB-CDS )

FGV Network of Technology and Innovation of Rio de Janeiro (REDETEC)

Technological Information Network Latin America (RITLA / UNESCO)

Confederação Nacional da Indústria do Brasil (CNI)

Brazilian Service to Support Micro and Small Enterprises (Sebrae)

Brazilian Business Council for Development (CEBDS)

Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS)

BVRio (Bolsa Verde Rio)

Reverurbano

Fundação Pro-Natura

Fonte: UNDP

Publicidade

Nações Unidas discutem esforços globais anticorrupção – Brasil

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de novembro de 2012

     Dias 05 e 06/11, em Brasília, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD ou UNDP) reuniu em Encontro 90 especialistas em anticorrupção vindos de mais de 50 países, no sentido de discutir os desafios globais e compartilhar as melhoras práticas de como prevenir e controlar a corrupção e, ainda, aumentar a transparência e a prestação de contas.

    “O controle dos cidadãos e participação ativa é fundamental para prevenir e combater a corrupção”, disse o ministro Jorge Hage, do Gabinete da Controladoria Geral do Brasil, que hospeda o Portal da Transparência Brasil.

      Cidadãos, organizações da sociedade civil e jornalistas têm utilizado o Portal da Transparência Brasil, nos últimos oito anos para monitorar gastos públicos. O escritório da Controladoria Geral também tem se empenhado em trazer transparência às despesas públicas em torno da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, ambos a serem realizadas no Brasil.

     A reunião dos dias 05 e 06/11 precede a Conferência da Transparência Internacional Anticorrupção Internacional do PNUD, conferência mundial de combate à corrupção, que, também, acontece em Brasília, a partir de hoje (07/11) e segue até 10 de novembro.

 Fonte: UNDP.

leia tudo sobre

Publicidade

O Futuro que queremos: biodiversidade e ecossistemas

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

20 de outubro de 2012

   O PNUD (Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento ou The United Nations Development Programme – UNDP) revelou uma nova estratégia ambiental para abordar os níveis sem precedentes de perda de biodiversidade global.

Fonte: UNDP

    Conforme o PNUD (2012) a nova estratégia intitulada “O Futuro que Queremos: Biodiversidade e Ecossistemas – Em direção ao Desenvolvimento Sustentável” (The Future We Want: Biodiversity and Ecosystems – Driving Sustainable Development) foi adotada na COP11 (Convenção sobre Diversidade Biológica), em Hyderabad, India. O documento apela para uma escala significativa de investimentos em 100 países até 2020. Como parte do plano, o PNUD vai trabalhar com governos nacionais para proteger a biodiversidade e promover a gestão de ecossistemas em cerca de 1,4 bilhões de hectares de terra e corpos de água, área comparável a da Austrália, Índia e Argentina juntas.

     A Subsecretária Geral do PNUD, Rebeca Gryspan, falou que “a sobrevivência humana depende fortemente dos ecossistemas saudáveis e da biodiversidade, mas nas últimas décadas, o mundo tem experimentado a perda de biodiversidade e a degradação dos ecossistemas sem precedentes, minando os alicerces da vida na Terra. Como 1,2 bilhões de pessoas, que vivem em extrema pobreza, dependem diretamente da natureza para atender suas necessidades básicas, a natureza precisa de atenção internacional urgente.”

     Segundo o Secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica, Bráulio Dias, “o lançamento do novo quadro do PNUD é muito oportuna. Eu acredito que este será vital para orientar o apoio do PNUD aos países para acelerar a implementação das metas de biodiversidade de Aichi. Temos uma janela de oportunidade entre agora e 2020 para ajudar os países a mudar o curso do desenvolvimento, para manter e aumentar seu capital natural. E trabalho do PNUD será crucial a esse respeito”.

      A nova estratégia do PNUD sobre a biodiversidade possui três áreas de foco:

Integração da biodiversidade e gestão de ecossistemas no planejamento do desenvolvimento e das atividades do setor de produção;

– Reconhecimento do potencial das áreas protegidas para que sejam melhor geridas e poderem contribuir para o desenvolvimento sustentável, e

Gestão e reabilitação de ecossistemas para a adaptação e mitigação das mudanças climáticas.

 

Fonte: UNDP, 2012.

Publicidade

O Futuro que queremos: biodiversidade e ecossistemas

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

20 de outubro de 2012

   O PNUD (Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento ou The United Nations Development Programme – UNDP) revelou uma nova estratégia ambiental para abordar os níveis sem precedentes de perda de biodiversidade global.

Fonte: UNDP

    Conforme o PNUD (2012) a nova estratégia intitulada “O Futuro que Queremos: Biodiversidade e Ecossistemas – Em direção ao Desenvolvimento Sustentável” (The Future We Want: Biodiversity and Ecosystems – Driving Sustainable Development) foi adotada na COP11 (Convenção sobre Diversidade Biológica), em Hyderabad, India. O documento apela para uma escala significativa de investimentos em 100 países até 2020. Como parte do plano, o PNUD vai trabalhar com governos nacionais para proteger a biodiversidade e promover a gestão de ecossistemas em cerca de 1,4 bilhões de hectares de terra e corpos de água, área comparável a da Austrália, Índia e Argentina juntas.

     A Subsecretária Geral do PNUD, Rebeca Gryspan, falou que “a sobrevivência humana depende fortemente dos ecossistemas saudáveis e da biodiversidade, mas nas últimas décadas, o mundo tem experimentado a perda de biodiversidade e a degradação dos ecossistemas sem precedentes, minando os alicerces da vida na Terra. Como 1,2 bilhões de pessoas, que vivem em extrema pobreza, dependem diretamente da natureza para atender suas necessidades básicas, a natureza precisa de atenção internacional urgente.”

     Segundo o Secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica, Bráulio Dias, “o lançamento do novo quadro do PNUD é muito oportuna. Eu acredito que este será vital para orientar o apoio do PNUD aos países para acelerar a implementação das metas de biodiversidade de Aichi. Temos uma janela de oportunidade entre agora e 2020 para ajudar os países a mudar o curso do desenvolvimento, para manter e aumentar seu capital natural. E trabalho do PNUD será crucial a esse respeito”.

      A nova estratégia do PNUD sobre a biodiversidade possui três áreas de foco:

Integração da biodiversidade e gestão de ecossistemas no planejamento do desenvolvimento e das atividades do setor de produção;

– Reconhecimento do potencial das áreas protegidas para que sejam melhor geridas e poderem contribuir para o desenvolvimento sustentável, e

Gestão e reabilitação de ecossistemas para a adaptação e mitigação das mudanças climáticas.

 

Fonte: UNDP, 2012.