turismo sustentável Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

turismo sustentável

2017 – Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

03 de Janeiro de 2017

Ano Novo chegou e com ele renasce a esperança de um realizar mudanças necessárias para o alcance de um mundo melhor, sempre em busca da sustentabilidade.

Este ano, dedicado ao Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, se constitui em uma oportunidade para que este setor, concebido e gerido adequadamente, contribua para as três dimensões do desenvolvimento sustentável, promovendo, também, a criação de empregos e o comércio.

A decisão de adotar 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento vai ao encontro da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, aprovados pela Assembleia Geral da ONU em setembro passado, notadamente as metas 8 – Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos; 12: Consumo e Produção Sustentáveis e 14: Conservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

Para iniciar o ano com uma dose de esperança num mundo melhor, as frases a seguir são do Papa Francisco, de sua Carta Encíclica Laudato Si – sobre o cuidado da casa comum, de 2015:

“Que tipo de mundo queremos deixar a quem vai suceder-nos, às crianças que estão crescendo?… Somos nós os primeiros interessados em deixar um planeta habitável para a humanidade que nos vai suceder”

“Há educadores capazes de reordenar os itinerários pedagógicos de uma ética ecológica, de modo que ajudem efetivamente a crescer na solidariedade, na responsabilidade e no cuidado apoiado na compaixão”.

“Se reconhecermos o valor e a fragilidade da natureza e, ao mesmo tempo, as capacidades que o Criador nos deu, isto nos permite acabar hoje com o mito moderno do progresso material ilimitado”.

“Tendo em conta o muito que está em jogo, do mesmo modo que são necessárias instituições dotadas de poder, para punir os danos ambientais, também nós precisamos nos controlar e educar uns aos outros”.

Fonte: ONU, 2017; Laudato Si, 2015.

Publicidade

Sustentabilidade na Serra de Baturité

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

17 de agosto de 2014

   Termina hoje, em Guaramiranga, o III Viva Guará, um evento que tem a realização do SEBRAE-CE, com apoio do IFCE Campus Baturité e outros parceiros.

Viva_Guara_SEBRAE_CE_2014

    Estive lá, ontem, num friozinho de 14oC, para conferir a Sala Verde, construída com materiais recicláveis.

     Conforme Raquel Chaves, da Assessoria de Comunicação, a programação é aberta ao público e reúne designers, artesãos e empresários na construção de sugestões de negócios sustentáveis. Um exemplo temático são os sapatos artesanais confeccionados, na hora, com tecidos de fibras naturais da região e pelas mãos de quem sabe este ofício centenário, dando um show de bom gosto e de bom negócio. O tema do evento é “Pequenos Negócios, girando um Planeta Sustentável”.

     O estande do CONPAM permite aos visitantes conhecer melhor a Área de Proteção Ambiental da Serra de Baturité, importante área protegida na região, que possibilita, conforme preceitos legais, o desenvolvimento local sustentável em consonância com a manutenção da qualidade ambiental desejada.

     O show noturno no III Viva Guará, ontem, foi um convite agradável para conversa com os amigos e a degustação de um bom vinho. Hoje tem mais. Fica a dica!

Fonte: SEBRAE/Raquel Chaves – Assessoria de Comunicação.

Publicidade

Passaporte Verde e a Copa do Mundo FIFA 2014

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

18 de Março de 2014

Durante o 19o Encontro do Fórum de Ministros do Meio Ambiente da América Latina e do Caribe, o Ministro do Turismo, Gastão Vieira, assinou um memorando de entendimento para unir esforços com o PNUMA (sigla em inglês UNEP) no sentido de apoiar a divulgação de boas práticas e do uso sustentável dos recursos naturais por meio da Campanha Passaporte Verde.

Assim, a ideia é estimular o consumo responsável no setor do turismo. Tendo a Copa do Mundo de 2014 como o foco principal, mencionada campanha deve compartilhar práticas sustentáveis para o público alvo do evento. A campanha promove a eco-eficiência em hotéis, restaurantes, agências de viagens, dentre outras instituições, enfatizando experiências culturais e oferecendo dicas de sustentabilidade e informações aos turistas.

“A Campanha Passaporte Verde vai aproveitar a atmosfera da Copa do Mundo de 2014 para estimular os turistas e outros cidadãos para viajar e para consumir em uma economia de baixo impacto”, disse a Representante no Brasil no PNUMA, Denise Hamú.

Fonte: UNEP

Publicidade

Turismo e Economia Verde (parte 3-final)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

20 de Janeiro de 2014

     Quando se fala em turismo sustentável, importante destacar que não se trata de um tipo de turismo. O turismo sustentável voltado para a economia verde deve contemplar alguns princípios. UNEP; UNWTO (2005) indicam que para o alcance do turismo sustentável, necessário considerar, dentre outros, os seguintes princípios:

– aumento do uso de energias renováveis (como energia solar, dentre outras);

– redução no consumo de água;

– redução na produção de resíduos;

– proteção da biodiversidade, do conhecimento tradicional e do patrimônio cultural;

– uso de produtos biodegradáveis e menos agressivos à natureza, oferecidos aos visitantes;

– integração das comunidades locais com a visão de promoção de seu bem-estar e de redução da pobreza.

      Outro ponto importante no turismo sustentável é a valorização dos produtos feitos no local, o artesanato (handcraft) é um exemplo interessante. O artesanato produzido pela população local se constitui em um objeto único, singular, que não pode ser encontrado em outro lugar (no país ou no mundo).

       UNEP (2013) comenta que com o fortalecimento do setor do artesanato, isso deve assegurar que os turistas tenham a opção de adquirir um produto local, ao invés de um produto importado ou industrializado, o que garante a promoção da economia local.

      Para finalizar, destaca-se a necessidade de se identificar e avaliar as oportunidades do desenvolvimento do turismo sustentável. O êxito nas destinações turísticas, geralmente, é melhor avaliada não somente em termos de receptivos, mas também em termos dos impactos econômicos, sociais e ambientais (UNEP, 2013).

Fonte: UNEP; UNWTO. (2005). Making Tourism more Sustainable. A Guide for Policy Makers. United Nations Environment Programme e World Tourism Organization. Available at: http://www.unep.fr/scp/publications/details.asp?id=DTI/0592/PA.

              UNEP (2013). Green Economy and Trade: trends, challenges and opportunities. Available at: http://www.unep.org/greeneconomy/GreenEconomyandTrade

Publicidade

Turismo e Economia Verde (parte 2)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

18 de Janeiro de 2014

     Toda atividade oriunda de agentes econômicos gera impactos e não é diferente com o turismo. Apesar de existirem alguns impactos positivos, UNEP (2012) afirma que o setor do turismo é um relevante contribuinte de poluição e degradação ambiental; ao mesmo tempo em que o setor sofre com a poluição e degradação ambiental resultados de outros setores e indústrias.

     Dentre as potenciais pressões que são exercidas no meio ambiente pelo setor do turismo, UNEP (2013) cita:

– efeitos adversos à biodiversidade, a exemplo de danos a ecossistemas marinhos e terrestres, considerando a não observância da capacidade de carga na atividade turística;

– aumento de conflitos com as comunidades locais, resultado da falha nos processos de planejamento da atividade turística com o não envolvimento das populações locais na tomada de decisão;

– prejuízos para a integridade cultural, oriundo também da ausência ou falha no planejamento, não priorizando o conhecimento tradicional e desconsiderando a participação das comunidades no processo de tomada de decisão das ações afetas às comunidades;

– aumento das emissões de gases de efeito estufa, considerando a necessidade de logística de transporte (terrestre, marítimo ou aéreo) e acomodação dos visitantes.

– aumento na produção de resíduos, tanto sólidos quanto líquidos; o que exige coleta, transporte e destinação adequada. A inadequada gestão de resíduos, oriundos do setor turístico, pode interferir negativamente nos ecossistemas.

     A atividade turística, então, necessita incorporar as premissas do turismo sustentável cujos princípios dialogam com a capacidade de suporte dos ecossistemas (marítimos e terrestres), permitindo a manutenção da qualidade ambiental do território, bem como auxiliando na proteção da biodiversidade e dos patrimônios: natural, cultural, paleontológico, geológico, histórico, material e imaterial.

 Fonte: UNEP. (2012). Economic Impacts of Tourism. United Nations Environment Programme, Division of Technology, Industry and Economics. Available at: http://www.uneptie.org/scp/tourism/sustain/impacts/economic/negative.htm

         UNEP (2013). Green Economy and Trade: trends, challenges and opportunities. Available at: http://www.unep.org/greeneconomy/GreenEconomyandTrade

Publicidade

Turismo e Economia Verde (parte 1)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

17 de Janeiro de 2014

     A atividade turística é considerada de uso indireto dos recursos naturais, ao lado das atividades de educação ambiental e de pesquisas científicas.

    Em Unidades de Conservação, aquelas áreas protegidas instituídas pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza –SNUC, a atividade turística pode ser realizada em quaisquer das 12 categorias, considerando a especificidade de cada uma destas.

    Há possibilidade de retorno financeiro oriundo das atividades turísticas de forma significativa para o agente econômico, seja esta realizada dentro ou fora de Unidades de Conservação.

      Na Declaração “O Futuro que Queremos” (The Future we Want”) da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável – UNCSD 2012, a chamada Rio+20, existem dois parágrafos específicos sobre turismo sustentável como um dos caminhos de transição para uma economia verde.

     Os dois parágrafos do documento da UNCSD 2012, de números 130 e 131, trazem compromissos relacionados ao turismo sustentável, como se segue:

130 – … “Encorajamos o apoio às atividades de turismo sustentável nos países em desenvolvimento no sentido de alcançar o desenvolvimento sustentável”

131 – … “Destacamos a importância do estabelecimento, quando necessário, de orientações e reguladores, em consonância com as prioridades e legislações nacionais, para a promoção e apoio ao turismo sustentável”.

     Conforme UNEP (2013), o turismo sustentável tem o potencial de criar novos empregos e reduzir a pobreza. A atividade turística, mesmo considerada de uso indireto dos recursos naturais, geram impactos, tanto adversos quanto positivos.

Fonte: UNEP (2013). Green Economy and Trade: trends, challenges and opportunities. Available at: http://www.unep.org/greeneconomy/GreenEconomyandTrade

                 UNCSD (2012). tehe Future we Want. Rio de Janeiro: UNCSD, 2012.

Publicidade

Passaporte Verde para Copa do Mundo FIFA 2014

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Fevereiro de 2013

     O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) está com edital para contratação de consultor para o desenvolvimento da Campanha Passaporte Verde voltada para a Copa do Mundo de 2014. A campanha tem o objetivo de estimular o turismo sustentável e que aproveitar a quantidade de visitantes que devem vir ao Brasil e passar pelas 12 cidades-sede (host-cities) para sensibilizá-los.

Fonte: MMA

Fonte: MMA

    Podem participar profissionais com nível superior completo em qualquer área, preferencialmente em comunicação social. A data final para postagem das propostas é 8 de fevereiro (amanhã). O edital está disponível aqui.

     O PNUMA apoia o Ministério do Meio Ambiente, em parceria com o Ministério do Turismo, no desenvolvimento da Campanha Passaporte no Verde no Brasil. Mencionada Campanha tem como principal objetivo incentivar o turista a consumir de forma consciente e reduzir os impactos ao meio ambiente durante a sua viagem. Para isso, os turistas devem receber informações de como poderiam contribuir para transformar o turismo em uma atividade sustentável, que respeita o meio ambiente e ainda melhora a qualidade de vida das pessoas.

    A Campanha tem como propósito, ainda, o apoio à qualificação da cadeia produtiva do turismo, visando à oferta de destinos e serviços sustentáveis aos viajantes.

     Conforme informações do PNUMA, por ano, estima-se que os 5,5 milhões de turistas que visitam o Brasil provocam impactos ambientais equivalentes a quase o dobro da população da cidade de Brasília. Em 2014, ano da Copa do Mundo da FIFA, a previsão é que o número de turistas alcance 7,2 milhões.

 Fonte: PNUMA

Publicidade

Passaporte Verde para Copa do Mundo FIFA 2014

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Fevereiro de 2013

     O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) está com edital para contratação de consultor para o desenvolvimento da Campanha Passaporte Verde voltada para a Copa do Mundo de 2014. A campanha tem o objetivo de estimular o turismo sustentável e que aproveitar a quantidade de visitantes que devem vir ao Brasil e passar pelas 12 cidades-sede (host-cities) para sensibilizá-los.

Fonte: MMA

Fonte: MMA

    Podem participar profissionais com nível superior completo em qualquer área, preferencialmente em comunicação social. A data final para postagem das propostas é 8 de fevereiro (amanhã). O edital está disponível aqui.

     O PNUMA apoia o Ministério do Meio Ambiente, em parceria com o Ministério do Turismo, no desenvolvimento da Campanha Passaporte no Verde no Brasil. Mencionada Campanha tem como principal objetivo incentivar o turista a consumir de forma consciente e reduzir os impactos ao meio ambiente durante a sua viagem. Para isso, os turistas devem receber informações de como poderiam contribuir para transformar o turismo em uma atividade sustentável, que respeita o meio ambiente e ainda melhora a qualidade de vida das pessoas.

    A Campanha tem como propósito, ainda, o apoio à qualificação da cadeia produtiva do turismo, visando à oferta de destinos e serviços sustentáveis aos viajantes.

     Conforme informações do PNUMA, por ano, estima-se que os 5,5 milhões de turistas que visitam o Brasil provocam impactos ambientais equivalentes a quase o dobro da população da cidade de Brasília. Em 2014, ano da Copa do Mundo da FIFA, a previsão é que o número de turistas alcance 7,2 milhões.

 Fonte: PNUMA