serviços ambientais Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

serviços ambientais

Diálogos para uma parceria sustentável – interação empresa e biodiversidade

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

08 de Maio de 2014

    Neste mês de maio, o MMA promove nos dias 09 a 11 de maio, os Diálogos para uma parceria sustentável, no Workshop Internacional Negócios e Capital Natural, no Jardim Botânico de Brasília.

     Na programação, assuntos importantes como: pagamento por serviços ambientais, compromissos da Convenção sobre Diversidade Biológica para o setor empresarial, Metas de Aichi e sua implementação, impactos do Protocolo de Nagoia sobre a indústria brasileira, o papel do setor financeiro na promoção de desenvolvimento sustentável, iniciativa nacional TEEB do Brasil, dentre outros.

     Pretende-se, com o evento, conforme informa Luciene de Assis, do MMA, envolver o setor empresarial no debate de boas práticas sobre o uso sustentável da biodiversidade. A oficina visa, ainda, promover a troca de experiências entre as práticas empresariais nacionais e as internacioais para uso e conservação da biodiversidade, além de registrar as percepções do empresariado sobre as políticas relacionadas ao tema e envolver outras áreas da sociedade, como o setor público, a academia e a sociedade civil.

Fonte: MMA

 

Publicidade

Por que a biodiversidade é importante para o Desenvolvimento Sustentável?

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Maio de 2014

    Compreendido como toda a variedade de vida no Planeta Terra, a biodiversidade contribui, direta ou indiretamente, para o bem-estar dos seres humanos e possui um papel, fundamental, no suporte da vida na Terra. Dela (biodiversidade) dependem a nossa e as futuras gerações.

     Conforme CBD (2014), a Biodiversidade provê uma série de benefícios, dentre estes:

– bens básicos como alimento e combustíveis;

– serviços ambientais a exemplo do suprimento de água, da ciclagem de nutrientes, dentre outros;

– resiliência, no sentido de contribuir para responder às imprevisíveis mudanças globais e os desastres naturais;

– oportunidades para pesquisa e educação, sendo a biodiversidade de extremo valor por razões culturais, espirituais e religiosas.

Fonte: CBD, 2014.

 

Publicidade

Microsoft lança modelo computacional de previsão de riscos aos serviços ecossistêmicos

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

01 de Maio de 2014

     A notícia da Forests Policy and Practice é bastante animadora! Pesquisadores da Microsoft e do Programa das Nações Unidas Meio Ambiente (PNUMA) desenvolveram o primeiro modelo de computador para simular de que maneira os organismos interagem em uma escala global. O modelo, chamado “Madingley”, é capaz de fornecer previsões, de longo prazo, sobre o destino de ecossistemas e identificar os riscos aos serviços dos ecossistemas e para os seres humanos que dependem eles.

    O modelo foi apresentado por meio da publicação: “Padrões emergentes globais de Função e estrutura de ecossistema de um modelo geral mecanicista do ecossistema (Emergent Global Patterns of Ecosystem Structure and Function from a Mechanistic General Ecosystem Model)”, que foi escrito por uma equipe de pesquisadores e publicado no periódico de acesso aberto PLOS/Biology.

    De acordo com seus criadores, o modelo pode ser aplicado a qualquer ecossistema e fornecer simulações em qualquer escala. Abrange quase todos os organismos e suas interações entre si e com o meio ambiente.

Fonte: Forests Policy and Practice

Publicidade

Serviços ecossistêmicos – recursos financeiros para projetos

     Aos interessados em recursos financeiros para projetos na área de serviços ecossistêmicos, a boa notícia é o edital MMA/FNMC n. 2/2014. O tema do edital é sobre os serviços ecossistêmicos: recuperação, proteção e restauração de nascentes e de ambientes naturais.

    O Fundo Nacional de Mudanças Climáticas ou Fundo Clima desempenha papel importante no fomento a ações públicas e privadas, potencializando iniciativas inovadoras em alternativas tecnológicas, econômicas e sociais rumo a uma nova perspectiva sustentável.

    A justificativa do edital repousa suas bases no 4º. Relatório do IPCC, e considera fundamental a conservação e restauração de ecossistemas em virtude de seu papel na mitigação da mudança do clima.

    Podem se inscrever: universidades, institutos e fundações públicas, os entes federados (estados, distrito federal e municípios), e as organizações sem fins lucrativos da sociedade civil brasileira (entidades ambientalistas, associações de produtores ou trabalhadores, cooperativas, sindicatos, fundações ou institutos educacionais e de pesquisa).

    Os beneficiários finais são os seguintes: municípios, produtores rurais e proprietários de terra, prioritariamente situados em áreas vulneráveis a eventos naturais extremos (inundações, secas prolongadas), populações urbanas vulneráveis em situação de risco (deslizamentos, enchentes), provedores e beneficiários de serviços ambientais.

    O envio das propostas é até 15 de março de 2014. Aos interessados em saber mais, cliquem aqui.

Fonte: MMA

Publicidade

Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos – IPBES e a agenda 2014-2018

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

08 de Janeiro de 2014

     O primeiro Plano de Trabalho e Orçamento da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos – IPBES, aprovado em dezembro/2013, na Turquia, dispõe de um total de US$ 25,4 milhões de dólares para iniciar os trabalhos para os próximos 5 anos (2014-2018).

    Esse ambicioso programa demonstra o forte compromisso para a implementação de ações em biodiversidade e serviços ecossistêmicos e ficou conhecido como o “Consenso de Antalya”, pois foi nesta cidade, na Turquia, onde ocorreu a 2ª Sessão da Plenária do IPBES-2, de 9 e 14 de dezembro/2013.

     A agenda de trabalho engloba o período de 2014 a 2018, considerando a realização de avaliações temáticas, regionais e sub-regionais, bem como atividades para o estabelecimento de capacidades e de um quadro conceitual que considere os diferentes sistemas de regras e procedimentos para a Plataforma.

     Os mais de 400 delegados presentes na Plenária aprovaram a agenda de trabalho para a elaboração de um estudo exploratório sobre valoração e contabilidade da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos, a ser realizado pelos membros do Painel Multidisciplinas de Especialistas (MEP – Multidisciplinary Expert Panel).

     Ao longo dos próximos cinco anos, as atividades, bem como a avaliação em escalas regional e global sub-regional, realizadas pelo IPBES vão reforçar a interface ciência e política em todos os níveis. Ao fazê-lo, o IPBES deve contribuir para os objetivos dos planos estratégicos dos acordos ambientais multilaterais relacionados à biodiversidade. A Plataforma também deve apoiar o trabalho sobre a integração do conhecimento indígena e local em processos científicos e, ainda, na avaliação e valoração da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos.

Publicidade

Um pouco mais sobre a Conferência Internacional sobre Combate à desertificação

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Desertificação, Meio Ambiente

11 de Abril de 2013

     A abertura da Conferência foi feita pelo cearense Antonio Rocha Magalhães, Presidente do Comitê de Ciência e Tecnologia da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD).

    O secretário Executivo da UNCCD, Luc Gnacadja, comentou a respeito da insegurança alimentar, pobreza, perda de biodiversidade e os impactos ambientais globais. Complementou: “a degradação das terras é causada por políticas inapropriadas. Precisamos tomar decisões mais inteligentes no futuro”.

     No segundo dia do evento as discussões envolveram as decisões sobre a conversão de florestas em terras agrícolas que deve ser baseada em adequada análise de custo-benefício. A Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação – REDD pode ser um mecanismo importante de política para compensar os agricultores pela manutenção de serviços ecossistêmicos. Mas interpretar aumento da cobertura arbórea como um sinal de gestão sustentável da terra deve ser feita com cuidado, pois em muitos casos, há custo social, ambiental e econômico envolvido no processo.

      Tomadores de decisão precisam de dados confiáveis a fim de tomar decisões mais inteligentes. Considera-se, então, que a avaliação dos custos e benefícios, com base científica e ambiental, pode auxiliar na construção de um quadro coerente e, portanto, esta avaliação dos serviços ecossistêmicos é necessária.

Fonte: UNCCD, 2013

Publicidade

Biodiversidade e Serviços Ambientais

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

21 de Janeiro de 2013

     No período de 21 a 26 de janeiro, em Bonn, Alemanha, acontece o Primeiro Encontro da Plenária da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas (IPBES).

logo_IPBES

O Encontro tem por finalidade chegar ao acordo sobre as regras remanescentes de procedimentos para as demais reuniões da Plataforma, considerando outras regras de procedimento, bem como eleger os membros da Mesa e os peritos do Painel Multidisciplinas. Tem por objetivo, ainda, acordar os próximos passos do trabalho desenvolvido pelo IPBES.

Publicidade

Biodiversidade e Serviços Ambientais

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

21 de Janeiro de 2013

     No período de 21 a 26 de janeiro, em Bonn, Alemanha, acontece o Primeiro Encontro da Plenária da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas (IPBES).

logo_IPBES

O Encontro tem por finalidade chegar ao acordo sobre as regras remanescentes de procedimentos para as demais reuniões da Plataforma, considerando outras regras de procedimento, bem como eleger os membros da Mesa e os peritos do Painel Multidisciplinas. Tem por objetivo, ainda, acordar os próximos passos do trabalho desenvolvido pelo IPBES.