povos tradicionais Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

povos tradicionais

Dia Internacional dos Povos Indígenas – 2018

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

06 de agosto de 2018

     Em 23 de dezembro de 1994, a Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu, por meio da Resolução 49/214, que o Dia Internacional dos Povos Indígenas seria celebrado no dia 9 de agosto de cada ano. A data marca o dia da primeira reunião, em Genebra em 1982, do Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Populações Indígenas.

     Todos os anos, este dia é comemorado em todo o mundo. Um evento comemorativo também é organizado na Sede das Nações Unidas em Nova York pela Divisão de Povos Indígenas e Desenvolvimento – Secretariado do Fórum Permanente sobre Questões Indígenas, que reúne organizações de povos indígenas, agências da ONU, Estados Membros, sociedade civil, academia e o público em geral.

     A celebração do Dia Internacional dos Povos Indígenas será realizada na quinta-feira, 9 de agosto de 2018, das 15h às 18h, na Câmara do ECOSOC (United Nations Economic and Social Council), na sede das Nações Unidas, em Nova York. O tema deste ano é “migração e movimento de povos indígenas”.

     O evento incluirá um painel de discussão sobre a situação atual dos territórios indígenas, as causas da migração e o deslocamento transfronteiriço, com foco específico nos povos indígenas que vivem em áreas urbanas. O painel também examinará os desafios e os caminhos para revitalizar as identidades dos povos indígenas e incentivar a proteção de seus direitos, dentro ou fora de seus territórios tradicionais.

     Aos interessados em acessar as informações da programação completa, cliquem aqui. 

     Aos interessados em ler, na íntegra, as recomendações da ONU sobre a temática de “migração e movimento dos povos indígenas”, cliquem aqui. 

Fonte: UNDESA, 2018.

Publicidade

Educação do Campo, Indígena e Quilombola

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

09 de dezembro de 2014

    Na período de 08 e 09/12/2014, a Secretaria da Educação do Estado do Ceará, por meio da CODEA/Diversidade e Inclusão Educacional está realizando o II Encontro da Educação do Campo, Indígena e Quilombola: “Políticas, Culturas e Identidades”.

SEDUC_indigena_campo_quilombola_2014

     O Encontro tem por objetivo: promover uma ampla discussão sobre políticas, culturas, identidades e gestão para a educação do campo, indígena e quilombola em diálogo com os movimentos sociais, instituições governamentais e não governamentais.

     Estão presentes no Encontro, secretários municipais de educação, coordenadores e técnicos das CREDE, gestores e professores das escolas estaduais do campo, quilombolas e indígenas, representantes dos Movimentos Sociais do Campo, Indígena e Quilombola, de Instituições Públicas de Ensino Superior do Ceará, do Conselho Estadual de Educação – CEE, da União dos Conselhos Municipais de Educação – UNCME, do Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF, da Associação dos Municípios e Prefeitos do Estado do Ceará – APRECE e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação do Ceará – UNDIME-CE.

      As mesas redondas, de alto nível, tem trazido uma riqueza de debate ímpar para o “Futuro que Queremos”. Parabéns aos organizadores!

Publicidade

Política Nacional de desenvolvimento para povos e comunidades tradicionais

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

15 de agosto de 2014

    Representantes de povos e comunidades tradicionais do Centro-Oeste e do governo federal estão reunidos, desde terça passada, dia 12/08/ em Cuiabá (MT) para dialogar sobre a Política Nacional de Desenvolvimento para Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT).

   O objetivo é avaliar a atuação da Comissão Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais (CNPCT) – formada por 15 representantes da sociedade civil e 15 do governo – e eleger representantes e delegados para o  II Encontro Nacional, que deve ser realizado de 24 a 27 de novembro deste ano, em Brasília.

     Dentre os objetivos do encontro está, ainda, gerar recomendações ao Projeto de Lei 7.447/2010, que estabelece diretrizes para as políticas públicas de desenvolvimento sustentável de Povos e Comunidades Tradicionais.

     O secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA), que é também secretário executivo da CNPCT, Paulo Guilherme Cabral, destacou que a integração entre governo e sociedade sai fortalecida desses encontros.

Fonte: MMA/Letícia Verdi

Publicidade

Conhecimento tradicional e Educação Ambiental

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

21 de dezembro de 2012

    Ontem, no CEU (Centro Espiritual Uirapuru), em Fortaleza, terminou a Oficina Preparatória da IV Conferência Nacional Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente (IV CNIJMA) para ações afirmativas, a saber: Educação do Campo (assentamentos rurais), Educação Indígena e Educação Étnico Racial (quilombolas).

    Tive a oportunidade de aprender muito com os profissionais em educação destas modalidades de ensino. A discussão da IV CNIJMA é sobre Escolas Sustentáveis e como é rico o universo dos povos tradicionais para trazer para a realidade da comunidade escolar o saber local, seus costumes e modos, no sentido de permitir a transição para espaços educadores sustentáveis.

Dança do Toré, na Oficina Preparatória da IV CNIJMA, em Fortaleza/CE
Foto: Lindalva Cruz, 2012.

    Às vezes nos sentimos sozinhos, tentando implementar algo que sabemos ser o adequado e correto; mas existem Pedras no Caminho. O desafio é poder fazer a diferença, lidar com estas pedras no caminho e prosseguir na construção da Árvore dos Sonhos.

    É preciso relacionar o que se aprende (conteúdos programáticos) com o saber local. E quem melhor conhece o local que a gente vive se não a gente mesmo? A sabedoria tradicional dos povos indígenas, dos assentamentos rurais e dos quilombolas (étnico raciais) deve ser valorizada e incorporada na vivência e na transformação das escolas em espaços mais sustentáveis.

    Aos organizadores e participantes do processo da IV CNIJMA, parabéns! O importante é aprender e multiplicar as informações nas esferas locais, para permitir a transformação da realidade escolar atual.

 

Publicidade

Conhecimento tradicional e Educação Ambiental

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

21 de dezembro de 2012

    Ontem, no CEU (Centro Espiritual Uirapuru), em Fortaleza, terminou a Oficina Preparatória da IV Conferência Nacional Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente (IV CNIJMA) para ações afirmativas, a saber: Educação do Campo (assentamentos rurais), Educação Indígena e Educação Étnico Racial (quilombolas).

    Tive a oportunidade de aprender muito com os profissionais em educação destas modalidades de ensino. A discussão da IV CNIJMA é sobre Escolas Sustentáveis e como é rico o universo dos povos tradicionais para trazer para a realidade da comunidade escolar o saber local, seus costumes e modos, no sentido de permitir a transição para espaços educadores sustentáveis.

Dança do Toré, na Oficina Preparatória da IV CNIJMA, em Fortaleza/CE
Foto: Lindalva Cruz, 2012.

    Às vezes nos sentimos sozinhos, tentando implementar algo que sabemos ser o adequado e correto; mas existem Pedras no Caminho. O desafio é poder fazer a diferença, lidar com estas pedras no caminho e prosseguir na construção da Árvore dos Sonhos.

    É preciso relacionar o que se aprende (conteúdos programáticos) com o saber local. E quem melhor conhece o local que a gente vive se não a gente mesmo? A sabedoria tradicional dos povos indígenas, dos assentamentos rurais e dos quilombolas (étnico raciais) deve ser valorizada e incorporada na vivência e na transformação das escolas em espaços mais sustentáveis.

    Aos organizadores e participantes do processo da IV CNIJMA, parabéns! O importante é aprender e multiplicar as informações nas esferas locais, para permitir a transformação da realidade escolar atual.