objetivos do desenvolvimento sustentável Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

objetivos do desenvolvimento sustentável

Desafio virtual para jovens sobre saneamento e água

Por Nájila Cabral em Água, Saneamento Ambiental

25 de Fevereiro de 2019

A Organização das Nações Unidas (ONU) está com inscrições abertas até 28 de fevereiro de 2019 para o desafio virtual sobre direitos humanos e acesso à água e ao saneamento. O prêmio será uma viagem à Genebra, na Suíça, e o vencedor deverá ser conhecido no dia 22 de março, Dia Mundial da Água. Para participar, os interessados devem criar até 28 de fevereiro um conteúdo original no Facebook, Twitter, YouTube ou Instagram, em que demonstrem seus conhecimentos e sua paixão pelo tema.

Este ano, o processo seletivo aborda temas a respeito de como os direitos humanos à água e ao saneamento devem ser garantidos não apenas nos domicílios, mas também em outras esferas da vida de uma pessoa, como em locais públicos e de trabalho, nas instituições de ensino, nas instalações de saúde e nos lugares de residência que nem sempre são caracterizados como uma casa (como prisões, espaços públicos no caso dos indivíduos em situação de rua e dormitórios em escolas).

Conforme Léo Heller, consultor da ONU, todas essas situações afetam a realização dos direitos humanos a água e saneamento e o cumprimento de alguns dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS) — não apenas o ODS nº 6, que aborda especificamente esses direitos, mas também o ODS nº 3, sobre saúde e bem-estar, o ODS nº 8, sobre trabalho decente para todos, e o ODS nº 11, sobre cidades e comunidades sustentáveis.

Assim, para participar do desafio virtual, é necessário ter entre 15 e 24 anos e compartilhar o conteúdo por uma das redes sociais nas quais o relator especial possui uma conta — @UNSRwatsan no Instagram e @SRwatsan no Facebook e Twitter. O post pode ser feito em qualquer formato digital — foto, áudio, vídeo, texto ou uma combinação desses meios. No post com o conteúdo, é necessário utilizar a hashtag #Youth4watsan e marcar a conta do relator especial. É possível fazer mais de um post/conteúdo para concorrer.

O desafio é organizado pela equipe do relator em conjunto com as Missões Permanentes da Espanha e da Alemanha da ONU, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH), o Programa Hidrológico Internacional da UNESCO (IHP) e a ONU Água.

Em caso de dúvidas sobre a competição, é possível contactar a equipe do relator especial por meio do e-mail: srwatsan@ohchr.org ou de suas redes sociais. Para saber mais, cliquem aqui.

Publicidade

Assembleia das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente – março/2019

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

22 de Fevereiro de 2019

No período de 11 a 16 de março de 2019, acontecerá a 4ª Assembleia das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente, em Nairobi, com discussões em torno do Plano de Execução “Por um Planeta sem contaminação”.

O documento das Nações Unidas UNEP/EA.4/3, de 21 de dezembro de 2018, informa que segundo as estimativas da Organização Mundial de Saúde, 23% das mortes que ocorreram no mundo, em 2012, (12,6 milhões de pessoas) foram em consequência dos riscos ambientais. Os países de baixa e média renda são os mais afetados por doenças relacionadas à poluição, que afligem notadamente crianças, mulheres e os grupos mais vulneráveis.

O documento diz ainda que a cada ano, entre 4,8 e 12,7 milhões de toneladas de plástico chegam ao mar devido à má gestão de resíduos e que essa poluição é um problema sério que exige medidas urgentes, considerando o custo anual, estimado em 13 bilhões de dólares, em danos ambientais aos ecossistemas marinhos, incluindo perdas financeiras da pesca e do turismo.

O Plano de Execução “Por um Planeta sem contaminação” tem por objetivos fortalecer os vínculos com fóruns e iniciativas globais relacionados à poluição, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, acordos ambientais multilaterais e abordagens estratégicas, bem como acelerar e expandir o trabalho para combater a poluição

O horizonte temporal do plano de execução é o ano de 2030, mas, em princípio, as atividades e ações foram concebidas para um período de três anos (2019-2021), de acordo com o programa de trabalho, e a estratégia de médio prazo correspondente ao período de 2018-2021.

Fonte: PNUMA, 2019

Publicidade

Ano Novo Sustentável – Praia de Carneiros/PE

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

26 de dezembro de 2018

     Considerando os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas (ONU), e tendo por base um plano de dez anos, o evento “Carneiros Sustentável – Projeto Reveillón” tem o objetivo de promover o turismo de baixo impacto, com a neutralização das emissões de gases de efeito estufa e de outras ações ambientalmente mais favoráveis ao ambiente.

    A Praia dos Carneiros está localizada há 90 km de Recife, em Pernambuco, foi eleita uma das mais bonitas do mundo e será palco da segunda edição do Réveillon Carneiros.  A grande novidade dessa edição é o projeto Carneiros Sustentável. Conforme a assessoria Index, mencionado projeto é apoiado institucionalmente por organizações de referência como o Green Building Council Brasil, sendo o evento com ações em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis.

     O projeto além de neutralizar as emissões de gases de efeito estufa, irá promover a reciclagem e compostagem dos resíduos, promover eficiência energética e energia renovável. Isso pode significar e contribuir para o impacto positivo no turismo e economia local. “Alinhar desenvolvimento econômico com mitigação dos impactos ambientais, redução do uso de recursos naturais e melhora da qualidade de vida é a melhor opção em qualquer área. Com isso, todos sairão ganhando”, diz Felipe Faria, CEO do GBC Brasil e Presidente do Comitê dos GBCs das Américas pelo World GBC.

      No sentido de viabilizar resultados eficientes, os responsáveis pelo réveillon criaram um plano de dez anos de duração com ações concretas em cada área dos objetivos do desenvolvimento sustentável. Entre eles, energia fotovoltaica para abastecimento de parte do evento diurno, promoção e realização de compostagem para resíduos orgânicos, parceria com projeto Glass is Good para reciclar todo vidro utilizado no evento, inclusão de latas de lixo a cada 100 metros da orla, promoção de atividades físicas como aula funcional na praia, cuidados com qualidade do ar e da água, cursos de capacitação para staff de hotéis e pousadas da região e geração de empregos.

Fonte: Index, 2018. Fotos: Index, 2018.

Publicidade

II Conferência da Caatinga – Inscrições abertas

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Semiárido

26 de Maio de 2018

    Estão abertas as inscrições para a II Conferência da Caatinga, com o tema “Desenvolvimento Humano e Sustentabilidade”.  O evento acontecerá de 19 a 21 de junho, com o tema “Desenvolvimento humano e sustentável”, no Auditório Murilo Aguiar e demais dependências da Assembleia Legislativa.

    O objetivo da Conferência é realizar o debate e a troca de conhecimento sobre a problemática do bioma, com o objetivo de gerar políticas públicas que ofereçam desenvolvimento humano e sustentabilidade, em seu convívio. 

     Os impactos sociais e econômicos da seca prolongada de 2012 a 2017, que atingiu a Região Nordeste, e os compromissos assumidos na I Conferência, realizada em 2012, serão apresentados e analisados, buscando identificar alternativas e políticas públicas que possibilitem qualidade de vida à população, frente à constatação da instabilidade climática.

     Uma Feira dos Saberes e das Culturas do povo catingueiro acontecerá simultaneamente à conferência. Os visitantes poderão participar de um espaço com características do sertão nordestino, onde serão expostas e apresentadas manifestações culturais dos estados da região. A feira será distribuída ao largo do corredor de passagem da Assembleia Legislativa. A ideia é realizar um evento rico em diversidade, onde a realidade caatingueira poderá ser vivenciada, da gastronomia às artes e o artesanato.

    Para saber mais sobre o evento, cliquem aqui. A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas até 14 de junho. Aos interessados em realizar a inscrição, cliquem aqui. 

     Fonte: Assessoria de Comunicação da Assembleia Legislativa do Ceará, 2018.

 

 

 

Publicidade

II Conferência da Caatinga – Desenvolvimento Humano e Sustentabilidade

     O Ceará deve sediar a II  Conferência da Caatinga no período de 19 a 21 de junho de 2018. O Objetivo de mencionada conferência é  disseminar o conhecimento sobre programas, projetos e ações desenvolvidos no Bioma Caatinga, que tem contribuído de forma efetiva para o desenvolvimento humano e sustentável, para o alcance das metas previstas nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e que podem ser referência para as políticas públicas a serem implementadas na região.

    Dentro da programação da II Conferência da Caatinga haverá a apresentação das experiências exitosas implementadas nos Estados. Cada Estado poderá encaminhar à Coordenação Geral da II Conferência da Caatinga a indicação de 10 (dez) experiências exitosas, devidamente priorizadas, sendo que 5 (cinco) serão selecionadas.

     Os critérios para a indicação dos projetos, planos e ações, a serem apresentados pelos Estados,  deverão ter, no mínimo, 5 (cinco) anos de implantação e apresentarem resultados que comprovem sua eficiência. As experiências deverão se relacionar aos seguintes eixos temáticos: Meio ambiente; Segurança hídrica e saneamento; Agropecuária; Desenvolvimento econômico e social.

      Os resultados das experiências devem contribuir para o atingimento das metas de, pelo menos, um dos seguintes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável  (ODS):

ODS 1 : Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares;

ODS 2: Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável;

ODS 4: Assegurar educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos;

ODS 6: Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos;

ODS 8: Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos;

ODS 15: Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra, e deter a perda da biodiversidade.

     Fonte: Conselho de Altos Estudos/ALCE, 2018.

 

 

 

 

Publicidade

Água para o Desenvolvimento Sustentável

      A Resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas n.71/222 proclamou o período de 2018 a 2028 a Década Internacional para Ação intitulada “Água para o Desenvolvimento Sustentável”. O objetivo é melhorar ainda mais a cooperação,  a parceria e desenvolvimento de capacidades em resposta à Agenda 2030.

    A água e o saneamento são essenciais para o desenvolvimento sustentável, para a erradicação da pobreza e da fome e são indispensáveis para o desenvolvimento humano, a saúde e o bem-estar.

     Desafios relacionados à água, incluindo acesso limitado a água potável e saneamento, aumento da pressão sobre os recursos hídricos e ecossistemas, inclusive os riscos elevados de secas e enchentes, receberam atenção crescente na agenda do desenvolvimento global.

    A água está no centro dos recentes acordos importantes, como a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e o Acordo de Paris, de 2015. O último Fórum Econômico Mundial, em março/2018, classificou a crise da água nos três principais riscos globais pelo terceiro ano consecutivo.

Fonte: UNDESA, 2018.

Publicidade

Dia Mundial da Água 2018 – Natureza para a Água

Por Nájila Cabral em Água, Conservação da Natureza, Meio Ambiente

22 de Março de 2018

      Hoje se comemora, no mundo inteiro, o Dia Mundial da Água, cujo tema dessa edição de 2018 é “Natureza para a Água”. A ideia é explorar soluções baseadas na natureza para os desafios da água, que enfrentamos no século XXI.

     Os ecossistemas danificados afetam a quantidade e a qualidade da água disponível para consumo humano. A Organização das Nações Unidas estima que, atualmente, 2,1 bilhões de pessoas vivem sem água potável em casa; afetando sua saúde, educação e meios de subsistência.

    Um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, o ODS 6, tem por compromisso garantir que todos, no mundo, tenham acesso a água potável até 2030 e que incluam metas para proteger o meio ambiente natural e reduzir a poluição.

 

     São 25 anos de comemoração do Dia Mundial da Água. Neste dia 22/03/2018, o 8º Fórum Mundial das Águas, que está sendo realizado em Brasília, traz uma programação especial, na parte da manhã, com o anúncio dos vencedores do Prêmio Água Estocolmo (Stockolm Water Prize). Este ano os vencedores foram o professor Bruce E. Rittmann e o professor Mark von Loosdrecht, pelo seu trabalho inovador em tratamento de água e de esgoto, que demonstrou as possibilidades de remover contaminantes nocivos da água, reduzir os custos de tratamento de águas residuais, reduzir o consumo de energia e até recuperar produtos químicos e nutrientes para reciclagem.

     Hoje, também no 8º Fórum Mundial das Águas, houve o lançamento do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento de Recursos Hídricos 2018 (World Water Development Report – WWDR2018), com o tema “Soluções baseadas na Natureza para a Gestão da Água”. Acesse aqui, na íntegra, o Resumo Executivo do relatório.

Fonte: ONU, 2018.

Publicidade

Fortalecimento do Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 4 – Educação 2030

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

14 de outubro de 2017

     No dia 01º de novembro de 2017, na sede da UNESCO, em Paris, acontece o Encontro de Fortalecimento da responsabilidade na implementação do ODS4 – Educação 2030. Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), no total de dezessete, englobam uma agenda de desenvolvimento com horizonte temporal de alcance até 2030.

    Dois debates de nível ministerial devem explorar os diferentes processos, mecanismos e instrumentos estabelecidos pelos governos para promover a responsabilização e a transparência, inclusive por meio de monitoramento e relatórios públicos. Devem, também, promover melhorias no financiamento para a educação com vistas a cumprir a agenda Educação 2030. A base da discussão será o Relatório Global de Monitoramento da Educação 2017/18 dedicado ao tema da prestação de contas na educação, em dois painéis, a saber:

Painel 1: Responsabilidade: uma diversidade de abordagens

Painel 2: Financiamento da responsabilidade

Espera-se que os resultados deste Encontro possam trazer novas perspectivas para assessorar os formuladores de políticas.

Fonte: UNESCO, 2017

Publicidade

Fórum Político de Alto Nível em Meio Ambiente

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

12 de julho de 2017

   No período de 10 a 19 de julho/2017, acontece em Nova York, o Fórum Político de Alto Nível em Meio Ambiente as Nações Unidas acompanha e  faz a revisão da Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O evento conta com a participação efetiva de todos os Estados Membros das Nações Unidas.

  O tema do evento é “Erradicar a pobreza e promover a prosperidade em um mundo em mudança”. O conjunto de metas a serem revisadas  será o seguinte:  Objetivo 17. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a Parceria Global para o Desenvolvimento Sustentável. Também serão considerados a cada ano:

 

Objetivo 1. Fim da pobreza em todas as suas formas em todos os lugares
Objetivo 2. Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar, melhorar a nutrição e promover uma agricultura sustentável
Objetivo 3. Garantir vidas saudáveis ​​e promover o bem-estar para todos em todas as idades
Objetivo 5. Alcançar igualdade de gênero e capacitar todas as mulheres e meninas
Objetivo 9. Construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação

Conforme o parágrafo 84, da Agenda de 2030, os Estados membros decidiram que esse evento seria o local para realizar revisões voluntárias regulares da Agenda 2030, que incluiria países desenvolvidos e em desenvolvimento. Em 2017, 44 países se ofereceram para apresentar suas revisões voluntárias nacionais, inclusive o Brasil.

Aos interessados em ler na íntegra o Relatório Nacional Voluntário sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, cliquem aqui.

Fonte: UNEP, 2017.

 

Publicidade

Relatório Eficiência Energética 2016 – ONU

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Mudanças Climáticas

27 de outubro de 2016

      Em 10 de outubro, a Agência Internacional de Energia (sigla em inglês IEA) publicou o Relatório “Energy Efficiency Market Report 2016”, que diz que apesar dos preços baixos de energia em nível mundial, os avanços na eficiência energética no ano passado resultaram em uma melhoria de 1,8% da intensidade energética, ou seja, a quantidade de energia utilizada por unidade de produto interno bruto (PIB ) diminuiu.

     A maior parte dos ganhos, de acordo com mencionado relatório, era de países em desenvolvimento, países estes que não fazem parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). A China, em particular, diminuiu sua intensidade energética, em 5,6%, informa o relatório.

    A Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030 e o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7 (ODS7) reflete a ambição da eficiência energética por meio da meta 7.1 (obtenção de acesso universal à energia).

    O Relatório divulgado em outubro reforça o atendimento do ODS7 e exemplifica os esforços mundiais no alcance de melhoria de eficiência energética.

Fonte: ONU/UNEP

Publicidade

Relatório Eficiência Energética 2016 – ONU

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Mudanças Climáticas

27 de outubro de 2016

      Em 10 de outubro, a Agência Internacional de Energia (sigla em inglês IEA) publicou o Relatório “Energy Efficiency Market Report 2016”, que diz que apesar dos preços baixos de energia em nível mundial, os avanços na eficiência energética no ano passado resultaram em uma melhoria de 1,8% da intensidade energética, ou seja, a quantidade de energia utilizada por unidade de produto interno bruto (PIB ) diminuiu.

     A maior parte dos ganhos, de acordo com mencionado relatório, era de países em desenvolvimento, países estes que não fazem parte da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). A China, em particular, diminuiu sua intensidade energética, em 5,6%, informa o relatório.

    A Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030 e o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 7 (ODS7) reflete a ambição da eficiência energética por meio da meta 7.1 (obtenção de acesso universal à energia).

    O Relatório divulgado em outubro reforça o atendimento do ODS7 e exemplifica os esforços mundiais no alcance de melhoria de eficiência energética.

Fonte: ONU/UNEP