ética ambiental Archives - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

ética ambiental

Ética e Avaliação de Impacto Ambiental

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Impacto Ambiental, Meio Ambiente

25 de outubro de 2018

    Ao escolher o tema ‘Ética e Avaliação de Impacto Ambiental”, o 4o Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto (4CBAI), sediado na Universidade de Fortaleza (UNIFOR), discute a temática ambiental e o fortalecimento dos instrumentos de gestão ambiental, notadamente a avaliação de impactos e o licenciamento ambiental.

Mesa de abertura, em 24/10/2018.

    O momento atual é bastante oportuno para se discutir a temática, considerando o cenário atual brasileiro e os desafios que são postos. Sendo assim, a Associação Brasileira de Avaliação de Impacto (ABAI), que realiza o evento, entende que o debate envolve uma reflexão sobre os valores ambientais em nossa sociedade, sendo a ética o estatuto que deve fundamentar os comportamentos não somente dos indivíduos, mas das instituições.

Abertura do 4CBAI, Coral Verdes Vozes, auditório da Biblioteca, UNIFOR, 2018.

    Na abertura do evento, abrilhantado pelo Coral Verdes Vozes da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (SEMACE), estavam presentes o Prof. Dr. Jackson Sávio, Diretor do Centro de Tecnologia, da UNIFOR; a Dra. Suely Araújo, presidente do IBAMA, a Sra. Lucinaura Diógenes, Diretora Técnica da Geo Soluções Ambientais; o Sr. Carlos Alberto Mendes, Superintendente da SEMACE, o Prof. Artur Bruno, Secretário de Meio Ambiente do Ceará; a Sra. Edilene Oliveira, Coordenadora de políticas ambientais da SEUMA;  o Prof. Evandro Moretto, presidente da ABAI e a Profa. Nájila Cabral, presidente do 4CBAI.

    Em seu discurso, a Dra. Suely recordou os primeiros passos na institucionalização do instrumento Licenciamento Ambiental, ainda na década de 1970, em Sobradinho, e reforçou a necessidade do olhar atento da sociedade para o fortalecimento dos órgãos ambientais federais, estaduais e municipais, no sentido de que a difícil estrada construída até o momento não tenha sua direção alterada para patamares que desconsiderem a variável ambiental no processo de desenvolvimento.

Distribuição de mudas da Caatinga, 4CBAI, na UNIFOR, 2018.

   O Secretário de Meio Ambiente, Artur Bruno, defendeu as instituições de regulação e controle ambiental, a exemplo dos órgãos ambientais (federais, estaduais e municipais), alertando para o intenso debate em torno das questões ambientais e do contexto político atual.

   O 4o Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto conta com a participação de mais de 300 pessoas, oriundas de 21 diferentes estados brasileiros, informou o Prof. Evandro Moretto, destacando, ainda, que é preciso aprimorar os instrumentos e arranjos institucionais que implementam a política ambiental brasileira. Em seu discurso, comentou também, que o evento tem suas emissões de carbono neutralizadas, estimadas em 40 toneladas de CO2 equivalente, considerando a distribuição de mudas nativas da caatinga, adquiridas em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do Ceará, cujo potencial estimado de captação de carbono, em 20 anos, é de 140 toneladas de CO2 equivalente.

   Ainda dá tempo de participar do evento, que conta com 237 trabalhos, sendo 109 em formato de pôster e 128 apresentações orais, distribuídas em diferentes sessões, ao longo do período de 24 a 26/10/2018.

Fotos: Ares Soares/UNIFOR, 2018.

Publicidade

Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto 2018

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Impacto Ambiental, Meio Ambiente

05 de Março de 2018

     Entre os dias 22 e 26 de outubro de 2018, nas instalações da Universidade de Fortaleza (UNIFOR), em Fortaleza, no Ceará, será realizado o 4º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto (4CBAI), o primeiro evento da associação sediado na região Nordeste, com a promoção da Associação Brasileira de Avaliação de Impacto (ABAI).

     O objetivo do 4CBAI é promover debates e reflexões acerca dos princípios e desafios éticos na prática da Avaliação de Impacto no Brasil, com vistas à promoção de valores ambientais e sociais na formulação de planos e projetos de desenvolvimento.

     Este ano de 2018, o tema é Ética e Avaliação de Impacto Ambiental. O evento conta com o apoio institucional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), da Universidade de São Paulo (USP), da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, Seção Ceará (ABES/CE) e do Centro de Estudos em Sustentabilidade (FGV-EAESP).

     A ABAI é uma associação civil de âmbito nacional, de direito privado, sem fins lucrativos e sem filiação partidária, que congrega organizações públicas e privadas, entidades da sociedade civil, profissionais e estudantes que desenvolvem atividades na área de avaliação de impacto. Tem como missão a promoção da excelência nas atividades técnicas, científicas, educacionais, político, institucionais, assistenciais e gerenciais que contribuam para o desenvolvimento do campo da avaliação de impacto no Brasil.

      Além disso, tem participado ativamente de fóruns de discussão e debates a respeito dos principais temas que cercam o licenciamento ambiental no país, dedicando especial atenção às propostas para alteração no sistema brasileiro de Avaliação de Impacto e Licenciamento Ambiental. Dentre as principais atividades da Associação Brasileira de Avaliação de Impacto está a organização de eventos técnico-científicos orientados para a temática da avaliação de impacto.

     Os eventos são pautados pela atenção à qualidade técnica e o respeito ao pluralismo manifestado nas visões de seus associados.

     As inscrições, on line, devem iniciar em 09/03/2018.

Fonte: Ikone Eventos.

Publicidade

Ética e Avaliação de Impacto Ambiental

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Impacto Ambiental, Meio Ambiente

20 de dezembro de 2017

A Associação Brasileira de Avaliação de Impacto (ABAI) deve realizar o 4o. Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto (CBAI), em Fortaleza/CE, no período de 22 a 26 de outubro de 2018.

Com o tema “Ética na Avaliação de Impacto”, o Congresso pretende congregar profissionais de meio ambiente, consultores, representantes de órgãos ambientais, acadêmicos e sociedade civil na promoção do debate e da reflexão acerca dos desafios éticos na prática da Avaliação de Impacto no Brasil, com vistas à promoção de valores ambientais e sociais na formulação de planos e projetos de desenvolvimento.

A primeira chamada de trabalhos já está disponível na página do evento (aqui). O período de envio de resumos é de 01 a 31/03/2018.

Venham à Fortaleza participar do maior evento do País nessa temática.

Convite feito! Encontramo-nos em Fortaleza!

Fonte: ABAI e Ikone Eventos

 

Publicidade

Ética ambiental e qualidade de vida

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

05 de novembro de 2012

    Os direitos humanos concernentes ao meio ambiente se constituem em reivindicação importante para melhoria da qualidade de vida de todos os cidadãos. Qualidade de vida, conforme Leff (2009), entendida não apenas como atendimento das necessidades básicas, mas também o direito a uma vida digna com possibilidades de realização às aspirações morais, intelectuais, afetivas e estéticas.

Fonte: Nivardo Nepomuceno
(http://www.flickr.com/photos/nivardo_nepomuceno)

    A questão de qualidade de vida está intrinsecamente ligada ao consumo, à concentração de renda de parte da população, às limitações do Poder Público em prover os serviços básicos a toda população (urbana e rural).

     Para Leff (2009), a qualidade de vida está entrelaçada com a qualidade ambiental e com a satisfação das necessidades básicas, com a conservação do potencial produtivo dos ecossistemas e com a sustentabilidade ambiental. Porém essa qualidade, defende Leff (2009), depende de formas de cooperação, solidariedade, participação e realização.

    Difícil operacionalizar, não é mesmo? Cada um de nós somos seres únicos, ímpares. Temos aspirações diferentes em tempos diferentes. Mas existe algo que nos é comum, este Planeta, que nos suporta e nos sustenta.

    Precisamos, então, sermos cautelosos com o bem comum para que este permaneça, em horizonte temporal, favorecendo e permitindo que continuemos aqui, neste Planeta…  … e com qualidade de vida.

Fonte: Leff, E. Ecologia, Capital e Cultura – a territorialização da racionalidade ambiental. Petrópolis, Editora Vozes, 2009.

Publicidade

Ética ambiental e qualidade de vida

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

05 de novembro de 2012

    Os direitos humanos concernentes ao meio ambiente se constituem em reivindicação importante para melhoria da qualidade de vida de todos os cidadãos. Qualidade de vida, conforme Leff (2009), entendida não apenas como atendimento das necessidades básicas, mas também o direito a uma vida digna com possibilidades de realização às aspirações morais, intelectuais, afetivas e estéticas.

Fonte: Nivardo Nepomuceno
(http://www.flickr.com/photos/nivardo_nepomuceno)

    A questão de qualidade de vida está intrinsecamente ligada ao consumo, à concentração de renda de parte da população, às limitações do Poder Público em prover os serviços básicos a toda população (urbana e rural).

     Para Leff (2009), a qualidade de vida está entrelaçada com a qualidade ambiental e com a satisfação das necessidades básicas, com a conservação do potencial produtivo dos ecossistemas e com a sustentabilidade ambiental. Porém essa qualidade, defende Leff (2009), depende de formas de cooperação, solidariedade, participação e realização.

    Difícil operacionalizar, não é mesmo? Cada um de nós somos seres únicos, ímpares. Temos aspirações diferentes em tempos diferentes. Mas existe algo que nos é comum, este Planeta, que nos suporta e nos sustenta.

    Precisamos, então, sermos cautelosos com o bem comum para que este permaneça, em horizonte temporal, favorecendo e permitindo que continuemos aqui, neste Planeta…  … e com qualidade de vida.

Fonte: Leff, E. Ecologia, Capital e Cultura – a territorialização da racionalidade ambiental. Petrópolis, Editora Vozes, 2009.