Mudanças Climáticas Archives - Página 4 de 13 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Mudanças Climáticas

Degradação da terra e mudanças climáticas

    O que esperar do futuro? Essa indagação tem fortes implicações nos dias de hoje, notadamente, quando estamos vivenciando um tempo diferente… Tempo de mudanças climáticas.

    Todos nós devemos nos preparar para o que está por vir. Os cenários que se avizinham, considerando as alterações climáticas no Planeta, não são nada animadores: eventos extremos com mais frequência e com maior magnitude estão previstos.

    Não tenho certeza se estamos preparados. Mas tenho absoluta certeza de que podemos, sim, nos preparar. Para isso, importante que tenhamos a informação e o conhecimento, para que possamos indagar dos tomadores de decisão que optem pelas escolhas que permitam a continuidade da vida com manutenção de sua qualidade.

    A publicação da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD) intitulada Mudanças Climáticas e degradação das Terras: assegurar os conhecimentos às partes interessadas, lançada em setembro deste ano, traz as seguintes importantes informações como caminhos a serem seguidos:

– fomentar estudos integrados e multidisciplinares em relação às interfaces entre mudanças climáticas e degradação das terras;

– gerar maior compatibilidade entre os métodos de diagnóstico das limitações do meio ambiente com o propósito de melhorar as respostas;

– reforçar a cooperação regional na análise da correlação entre mudanças climáticas e desastres naturais;

– desenvolver índices qualitativos para os serviços derivados dos ecossistemas que não podem ser monetizados facilmente, a exemplo dos índices culturais e espirituais e que são bastante relevantes para as questões de segurança alimentar e uso sustentável da terra;

– adotar planejamentos sistêmicos e integrados na escala de paisagem para avaliar a vulnerabilidade;

– utilizar modelos, ferramentas de participação e cenários para oferecer aos responsáveis pela tomada de decisão política e outras partes interessadas as alternativas acessíveis para adotar opções de adaptação baseadas no uso da terra.

     Aos que quiserem ler o documento na íntegra, a versão em espanhol está aqui. 

Fonte: UNCCD.

 

Publicidade

COP 12 – Convenção das Nações Unidas sobre Combate à Desertificação

    No período de 12 a 23 de outubro, acontece em Ankara, na Turquia, a 12ª Sessão da Conferência das Partes (COP) da Convenção das Nações Unidas sobre Combate à Desertificação (UNCCD COP 12).

UNCCD_COP_12_CST_2015

    Na pauta de discussões estão os seguintes assuntos: progresso da implementação das estratégias adotadas no âmbito da Década das Nações Unidas para os Desertos e da Luta contra a Desertificação (2010-2020), bem como a integração dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável com a implantação das estratégias de combate à desertificação.

     Especificamente dentro do Comitê de Ciência e Tecnologia (CST), cujos trabalhos se encerraram no último dia 16/10, foram debatidas as ações da agenda pós-2015, dentre estes:

– avanços obtidos com relação ao desenvolvimento sustentável com relação à degradação das terras,

– contribuição do uso de ordenamento territorial sustentável e as mitigações e adaptações das mudanças climáticas;

– adoção da proteção da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos;

– vinculação do conhecimento científico na tomada de decisão governamental;

– programa de trabalho para o biênio 2016-2017.

 

Fonte: UNCCD

Publicidade

Semana do Clima em Nova York

    No período de 21 a 28 de setembro, acontece a Climate Week NYC, que se traduz em oportunidades para diferentes setores (negócios, sociedade civil e Governo) em discutir como lidar com a necessária transição para uma economia de baixo carbono.

    Se você quiser participar, seguem os eventos que acontecem nesta agitada Semana, alguns são gratuitos:

Corporations and Climate adaptation: innovation in emerging economies

Dia 23/09, na 5ª Avenida, n. 424, das 08:30h às 10:30h; evento aberto e gratuito

– Cúpula das Nações Unidas para adoção da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015

Dias 25 a 27/09, na Sede da ONU, evento fechado

– Fórum das Nações Unidas do Setor Privado

Dia 26/09, na Sede da ONU, evento fechado

– Festival Global dos Cidadãos

Dia 26/09, no Central Park, evento aberto e gratuito, a partir das 09:30h

– Cúpula dos Bens Sociais

Dias 27 e 28/9, na Avenida Lexington, n. 1395, evento gratuito e aberto

 

Haverá a presença, prevista para o dia 25/9, do Papa Francisco na Cúpula das Nações Unidas. O mundo inteiro vai estar com a atenção voltada para Nova York. É neste encontro que serão acordados os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e os desafios para o desenvolvimento pós-2015.

A gente se encontra em Nova York!

Fonte: ONU

Publicidade

Papa Francisco na Cúpula para Adoção da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 em setembro/2015

Está confirmada a presença do Papa Francisco à Cúpula para Adoção da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015, no dia 25 de setembro, em Nova York, na sede da ONU. Mencionada reunião deverá ocorrer no período de 25 a 27 de setembro em que 160 chefes de Estado e Governo adotarão os novos desafios do século: os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, ao todo são 17 objetivos.

    O documento final da Cúpula intitulado: “Transformando nosso mundo: a agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável” é resultado de um longo processo de construção participativa e foi acordado pelos 193 Estados-membros da ONU.  O evento contará também com a presença da jovem paquistanesa Malala Yousafzai.

    Considerando as reações mundiais positivas sobre a encíclica papal, este evento também parece apresentar um cenário de forte impacto. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, elogiou a encíclica papal e destacou que “a mudança climática é um dos principais desafios atuais para a humanidade, e que se trata de um problema moral que exige um diálogo respeitoso com todos os setores da sociedade”.

     Aos interessados em assistir, ao vivo, a Cúpula para Adoção da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 será transmitida pelas Nações Unidas por meio do endereço eletrônico http://webtv.un.org/.

Fonte: ONU

Publicidade

Aquecimento global: migrações e terrorismo

    Conforme a agência AFP, a divulgação do “Relatório Mudanças Climáticas: uma avaliação de riscos” adverte sobre as consequências do aquecimento global, incluindo a falta de alimentos, a falta de reservas de água e também as migrações populacionais. Adverte, ainda, que as mudanças climáticas podem provocar desorganização em países e favorecer o terrorismo, em particular no Oriente Médio e na África.

     Conforme o Relatório, uma “mudança climática mais significativa poderá provocar riscos maiores para segurança nacional e internacional, uma vez que a escassez de água potável e das terras cultiváveis se converterá em fonte de conflitos”. O Relatório informa que as mudanças climáticas devem exercer uma pressão desestabilizadora sobre vários países ao mesmo tempo, reduzindo a capacidade de intervenção. E isto pode favorecer a emergência de grupos terroristas, que não tem inconvenientes em recrutar membros entre as populações marginalizadas e empobrecidas.

    Mencionado Relatório foi elaborado por mais de 40 especialistas na área e tem por objetivo alertar e esclarecer governos sobre a necessidade e o tempo para que os responsáveis possam tomar decisão.

Fonte: AFP.

Publicidade

Mudanças Climáticas e a COP 21

    Esta semana, o Ministério do Meio Ambiente, por meio de sua titular, Ministra Isabela Teixeira, esteve presente, em Paris, da reunião ministerial de consultas informais sobre mudança do clima, convocada pelo ministro do Meio Ambiente do Peru, Manuel Pulgar-Vidal, presidente da 20ª Conferência das Partes (COP-20), e pelo chanceler da França, Laurent Fabius, futuro presidente da COP-21.

     Conforme noticia a Assessoria de Comunicação do MMA, o encontro, encerrado na terça-feira (21/07), teve duração de dois dias e reuniu ministros de Estado de 40 países, para discutir temas centrais das negociações sobre mudança do clima que se realizam no contexto da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

Fonte: MMA

Publicidade

Dia Mundial de Combate à Desertificação – 2015

    Hoje é o Dia Mundial de Combate à Desertificação cuja temática aborda a obtenção da segurança alimentar para todos, por meio de sistemas alimentares saudáveis.

logo_dia_desertificação_2015_UNCCD

     O slogan deste ano, 2015, é “Não existe almoço grátis. Invista em solo saudável”, cujo apelo deve observar:

– mudança em nossas práticas de uso do solo, considerando a agricultura sustentável e a adaptação às mudanças climáticas, notadamente nas partes frágeis e secas do mundo, onde a escassez de alimentos está se tornando mais e mais grave;

equilíbrio no uso da terra e o consumo sustentável, com base nas melhores práticas;

acesso à tecnologia e direitos à terra para pequenos agricultores, que incorporem práticas de proteção do meio ambiente e do atendimento às necessidades alimentares de famílias, especialmente entre as famílias mais pobres

ações eficazes sobre a desertificação, cujos efeitos sobre a segurança, a paz e a estabilidade sejam estendidos a países afetados, especialmente devido a escassez de alimentos e da água.

Na mensagem para este dia, o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, comentou: “a degradação da terra e a desertificação podem afetar negativamente os direitos humanos, a começar pelo direito à alimentação. Quase um bilhão de pessoas carecem de nutrição adequada, e aqueles que vivem em áreas degradadas estão entre os mais afetados. A sua situação de degradação pode piorar se a terra, conforme projeções, reduzir sua produção global de alimentos em 12% até 2035”.

Fonte: UNEP UNCCD

Publicidade

Cúpula do G7 – passo importante na luta contra o aquecimento global

     Hoje, na Reunião do G7, os líderes das principais democracias industrializadas do mundo tomaram uma decisão importante com relação a diminuir o consumo energético dos combustíveis fósseis, estabelecendo, assim, um passo importante na luta contra o aquecimento global.

G7_2015_reuters

      Concernente às mudanças climáticas, os líderes se comprometeram a desenvolver estratégias de baixo teor de carbono, em longo prazo (2050) e abandonar os combustíveis fósseis até o final do século XXI.

     A seguir, transcrição de trecho do documento: “Comprometemo-nos a fazer a nossa parte para alcançar uma economia global de baixo carbono no longo prazo, incluindo o desenvolvimento e a implantação de tecnologias inovadoras que concorram para uma transformação dos setores da energia até 2050”.

    Além disso, os líderes convidaram outros países a seguirem esses passos, no sentido de acelerar o acesso a energias renováveis, bem como a intensificar apoio aos países vulneráveis com relação à gestão das alterações climáticas.

     Esse acordo pode significar um ganho sem precedentes para todo o mundo.

Fonte: Agência Reuters

Publicidade

Simpósio Internacional de Proteção contra Descargas Atmosféricas – 2015

     A Universidade de São Paulo e o Instituto de Energia e Meio Ambiente, em parceria com o Institute of Electrical and Eletronics Engineers (IEEE) promove o XIII Simpósio Internacional de Proteção contra Descargas Atmosféricas, no período 28 de setembro a 2 de outubro de 2015, no Balneário Camboriú, Santa Catarina.

     O Simpósio se constitui em um dos fóruns de apresentação, discussão e difusão das técnicas mais modernas relativas à proteção e aterramento contra descargas atmosféricas e seus efeitos, promovendo o intercâmbio de conhecimentos entre diversas instituições, do Brasil e do exterior, que desenvolvem estudos relacionados ao tema, promovendo troca de experiências entre pesquisadores, alunos e profissionais do setor.

descarga_atmosferica_IEE_USP_2015

    Este ano os temas abordados no evento serão:

– Física e caracterização das descargas

– Sistemas de detecção e localização de descargas atmosféricas

– Proteção de linhas de transmissão e de subestações

– Proteção de redes de distribuição de média e de baixa tensão

– Proteção de estruturas e instalações

– Proteção de sistemas eletrônicos e de telecomunicações

– Aterramentos elétricos

– Compatibilidade eletromagnética

– Proteção de equipamentos

– Testes e normalização

– Acidentes e prejuízos causados por descargas atmosféricas

     As inscrições seguem até dia 01 de junho de 2015, e podem ser feitas aqui. 

     Aos pesquisadores, professores e estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado, uma informação importante: todos os trabalhos aprovados e apresentados no XIII SIPDA serão publicados na base de dados do IEEE Xplore, sendo que há intenção de ser feita edição especial da revista Electric Power Systems Research (Qualis A1) que conterá versões dos principais artigos selecionados.

Fonte: IEE/USP. Foto retirada do site do XIII SIPDA 2015.

Publicidade

Casa Passiva – Edifícios com elevada eficiência energética

Em tempos de necessidade de poupar energia e de minimizar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) para atmosfera, o conceito da Casa Passiva pode ser uma adequada alternativa.

    A Passivhaus, em alemão, (Passive House, em inglês) é um conceito que surgiu na Alemanha, que imprime a eficiência energética e o conforto térmico aos edifícios, durante todo o ano, mesmo considerando climas frios ou quentes.

     A ideia é que qualquer edificação, em qualquer lugar, possa se tornar uma Casa Passiva, desde que os conceitos sejam aplicados. Portanto, a Casa Passiva é mais do que um edifício de baixo consumo energético.

    Ao se transformar um edifício em Casa Passiva é possível se alcançar uma economia de até 75%, uma vez que as temperaturas no interior dos edifícios são mantidas em níveis de conforto aos seus usuários, independente da temperatura do ar exterior, se mais elevada ou mais reduzida.

     O Instituto Federal do Ceará (IFCE), por meio do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Gestão Ambiental (PGTGA) e do Laboratório de Energias Renováveis e Conforto Ambiental (LERCA), trouxe, dias 5 e 6 de maio, a Profa. Fernanda Rodrigues, da Universidade de Aveiro, Portugal, para ministrar um curso de curta duração, para ampliar o conceito da Casa Passiva, bem como fomentar parcerias entre ambas as instituições, com vistas a aplicar esse conceito em edificações no Ceará e no Brasil.

Fonte: LERCA/IFCE

Publicidade

Casa Passiva – Edifícios com elevada eficiência energética

Em tempos de necessidade de poupar energia e de minimizar as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) para atmosfera, o conceito da Casa Passiva pode ser uma adequada alternativa.

    A Passivhaus, em alemão, (Passive House, em inglês) é um conceito que surgiu na Alemanha, que imprime a eficiência energética e o conforto térmico aos edifícios, durante todo o ano, mesmo considerando climas frios ou quentes.

     A ideia é que qualquer edificação, em qualquer lugar, possa se tornar uma Casa Passiva, desde que os conceitos sejam aplicados. Portanto, a Casa Passiva é mais do que um edifício de baixo consumo energético.

    Ao se transformar um edifício em Casa Passiva é possível se alcançar uma economia de até 75%, uma vez que as temperaturas no interior dos edifícios são mantidas em níveis de conforto aos seus usuários, independente da temperatura do ar exterior, se mais elevada ou mais reduzida.

     O Instituto Federal do Ceará (IFCE), por meio do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Gestão Ambiental (PGTGA) e do Laboratório de Energias Renováveis e Conforto Ambiental (LERCA), trouxe, dias 5 e 6 de maio, a Profa. Fernanda Rodrigues, da Universidade de Aveiro, Portugal, para ministrar um curso de curta duração, para ampliar o conceito da Casa Passiva, bem como fomentar parcerias entre ambas as instituições, com vistas a aplicar esse conceito em edificações no Ceará e no Brasil.

Fonte: LERCA/IFCE