Educação Indígena – proposta de Instituição de Ensino Superior - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Educação Indígena – proposta de Instituição de Ensino Superior

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Março de 2015

Em fevereiro/2015, o Centro de gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) publicou o documento “Apoio à criação de um Instituto Superior de Educação Indígena”, que teve sua demanda originária na Secretaria de Ensino Superior do MEC, provocada pelos povos indígenas do Rio Negro por meio da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn).

    A proposta do trabalho foi feita no sentido de enfrentar os problemas da região e para propor soluções para o desenvolvimento sustentável das comunidades, respeitando-se a diversidade cultural e étnica.

     Conforme mencionada publicação, a educação básica da região (um Território Etnoeducacional – TEE – reconhecido pelo MEC pelo Decreto Nº 6.861, de 27 de maio de 2009) conta com uma rede de 238 escolas municipais de ensino fundamental e 13 escolas estaduais de ensino médio, além de 131 professores indígenas frequentando a formação de ensino superior, 125 já graduados e 10 com pósgraduações. É, portanto, sobre essa base territorial e cultural, integrada por três municípios (Barcelos, Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira), que tem este último como polo, que se propõe criar o Iciprn (Instituto de Conhecimentos Indígenas e de Pesquisa do Rio Negro).

     A proposta do Iciprn incluiu o pressuposto de que os conhecimentos indígenas constituem um patrimônio já reconhecido pela Constituição e que o governo brasileiro tem realizado várias iniciativas de proteção e promoção desses povos e de seus patrimônios culturais.

    Aos interessados em ter acesso ao documento na íntegra, cliquem aqui.

Fonte: CGEE

Publicidade aqui

Educação Indígena – proposta de Instituição de Ensino Superior

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Março de 2015

Em fevereiro/2015, o Centro de gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) publicou o documento “Apoio à criação de um Instituto Superior de Educação Indígena”, que teve sua demanda originária na Secretaria de Ensino Superior do MEC, provocada pelos povos indígenas do Rio Negro por meio da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn).

    A proposta do trabalho foi feita no sentido de enfrentar os problemas da região e para propor soluções para o desenvolvimento sustentável das comunidades, respeitando-se a diversidade cultural e étnica.

     Conforme mencionada publicação, a educação básica da região (um Território Etnoeducacional – TEE – reconhecido pelo MEC pelo Decreto Nº 6.861, de 27 de maio de 2009) conta com uma rede de 238 escolas municipais de ensino fundamental e 13 escolas estaduais de ensino médio, além de 131 professores indígenas frequentando a formação de ensino superior, 125 já graduados e 10 com pósgraduações. É, portanto, sobre essa base territorial e cultural, integrada por três municípios (Barcelos, Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira), que tem este último como polo, que se propõe criar o Iciprn (Instituto de Conhecimentos Indígenas e de Pesquisa do Rio Negro).

     A proposta do Iciprn incluiu o pressuposto de que os conhecimentos indígenas constituem um patrimônio já reconhecido pela Constituição e que o governo brasileiro tem realizado várias iniciativas de proteção e promoção desses povos e de seus patrimônios culturais.

    Aos interessados em ter acesso ao documento na íntegra, cliquem aqui.

Fonte: CGEE