Arquivos junho 2015 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

junho 2015

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

     No último mês de maio, o Papa Francisco publicou sua Carta Encíclica intitulada Laudato Si – Sobre o cuidado com a casa comum.

    O texto de 88 páginas traz ensinamentos interessantes sobre vida e meio ambiente. No início, o Santo Padre cita um cântico de São Francisco de Assis, a saber: “Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta e governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras”.

     Mais adiante o Santo Padre comenta: “Na expectativa da vida eterna, unimo-nos para tomar a nosso cargo esta casa que nos foi confiada, sabendo que aquilo de bom que há nela será assumido na festa do Céu. Juntamente com todas as criaturas, caminhamos nesta terra à procura de Deus, porque, ‘se o mundo tem um princípio e foi criado, procura quem o criou, procura quem lhe deu início, aquele que é o seu Criador’”.

      A oração final da Carta Encíclica é muito bonita e permite uma reflexão sobre nosso papel nesta Terra e perante nossos irmãos.

Oração pela nossa terra

Deus Onipotente, que estais presente em todo o universo e na mais pequenina das vossas criaturas, Vós que envolveis com a vossa ternura tudo o que existe, derramai em nós a força do vosso amor para cuidarmos da vida e da beleza.

Inundai-nos de paz, para que vivamos como irmãos e irmãs sem prejudicar ninguém.

Ó Deus dos pobres, ajudai-nos a resgatar os abandonados e esquecidos desta terra que valem tanto aos vossos olhos.

Curai a nossa vida, para que protejamos o mundo e não o depredemos, para que semeemos beleza e não poluição nem destruição.

Tocai os corações daqueles que buscam apenas benefícios à custa dos pobres e da terra.

Ensinai-nos a descobrir o valor de cada coisa, a contemplar com encanto, a reconhecer que estamos profundamente unidos com todas as criaturas no nosso caminho para a vossa luz infinita.

Obrigado porque estais conosco todos os dias.

Sustentai-nos, por favor, na nossa luta pela justiça, o amor e a paz.

Fonte: Vaticano

Publicidade

Consulta Pública – Política Municipal de Resíduos Sólidos de Fortaleza

Por Nájila Cabral em Sem categoria

25 de junho de 2015

O município de Fortaleza está no processo de elaboração de sua Política Municipal de Resíduos Sólidos. O processo de construção de uma política deve incorporar a participação efetiva da sociedade civil. Dentre os instrumentos de participação social está a consulta publica.

lixo_2

Fonte: Arquivo pessoal

    A Política Nacional de Participação Social, instituída por meio do Decreto no 8.243, de 23/04/2014, define consulta pública como o “mecanismo participativo, a se realizar em prazo definido, de caráter consultivo, aberto a qualquer interessado, que visa a receber contribuições por escrito da sociedade civil sobre determinado assunto, na forma definida o seu ato de convocação”.

    Assim, o município de Fortaleza marcou para hoje, dia 25/06/2015, às 14h, no Auditório da Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente, a consulta pública sobre a Política Municipal de Resíduos Sólidos.

    Aos interessados em ler na íntegra a minuta da proposta, cliquem aqui.  Para saber mais sobre metas e prazos propostos, cliquem aqui. 

   Convite feito! Participem!

Fonte: SEUMA

leia tudo sobre

Publicidade

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e agenda pós-2015

Dando continuidade aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, “Assegurar vidas saudáveis e promover bem-estar para todos em todas as idades” é o terceiro. Mencionado ODS envolve a área da saúde e complementa as metas acordadas para os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM), cujos prazos se encerram este ano – 2015.

    Dentre as metas do ODS 3, estão:

– reduzir a taxa de mortalidade infantil abaixo de 70/1000 nascidos vivos;

– Acabar com as epidemias de AIDS, tuberculose e malária; bem como combater a hepatite e as doenças de veiculação hídrica;

– reduzir em 1/3 a mortalidade dos prematuros;

– reforçar a prevenção e o tratamento de substâncias abusivas, incluindo as drogas e o uso abusivo do álcool;

– reduzir substancialmente as mortes causadas por poluição do ar, da água e por contaminação do solo.

     Considerando o pressuposto que pessoas informadas são cidadãos cônscios de seus direitos e deveres, o ODS 4 tem como desafio “Assegurar educação inclusiva e de qualidade para todos e promover uma vida de aprendizagem”.

     Para alcançar este objetivo, dentre as metas estão:

– assegurar que todos os meninos e meninas terminem a educação primária e secundária;

– assegurar que meninos e meninas tenham acesso ao desenvolvimento infantil de qualidade, o mais cedo possível, à educação e cuidado pré-primário;

– eliminar as desigualdades de gênero na educação e assegurar acesso igual a todos os níveis de educação.

Fonte: UNEP.

Publicidade

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

22 de junho de 2015

    Em setembro deste ano, os países devem ter a oportunidade de adotar um conjunto de objetivos para combater a pobreza, proteger o Planeta e assegurar a manutenção e prosperidade de vida para todos.

     Nessa ocasião, os países devem assumir compromisso e estabelecer os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que vem sendo discutidos desde junho de 2012, logo após a realização da Rio+20.

     São 17 os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, mas como ainda não foram votados, o que vai ocorrer em setembro, ainda podem ter alguma alteração.

    O Blog Verde desta semana traz cada um deles, com suas metas a serem acordadas.

    O ODS 1 é “Acabar a pobreza em todas as suas formas em todos os lugares” (End poverty in all its forms everywhere”).

     Como metas propostas estão as seguintes:

erradicar a pobreza extrema (pessoas que vivem com menos de US$1,25 dólares por dia);

– reduzir pelo menos pela metade a proporção das pessoas que vivem na pobreza, considerando todas as suas dimensões;

– assegurar que todos os homens e mulheres tenham direitos iguais e acesso aos serviços básicos;

prover resiliência aos pobres e às pessoas em situação de vulnerabilidade, bem como reduzir sua exposição aos eventos extremos relacionados ao clima e aos desastres e riscos ambientais.

O segundo ODS é Acabar a fome, prover segurança alimentar e a nutrição e promover a agricultura sustentável.  Como metas deste ODS estão, dentre outros:

– Acabar com todas as formas de má nutrição e direcionar as necessidades nutricionais à gestantes e idosos;

dobrar a produtividade agrícola e incrementar os pequenos agricultores, com proteção ao meio ambiente e à biodiversidade;

– Prevenir problemas como as secas, as enchentes e outros desastres;

– Ampliar o investimento em infraestrutura rural, pesquisa agrícola, desenvolvimento tecnológico e capacidade produtiva.

Fonte: UNEP

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Sem categoria

21 de junho de 2015

Na ciranda da vida, muitas vezes, somos surpreendidos com situações que nos exigem calma, discernimento, paciência, determinação…

Nestes momentos de turbulência, é importante acreditar que há, sim, luz no fim do túnel e que tudo vai melhorar, pois quem está no comando é Ele, o Médico dos médicos.

Acredito que o bem sempre triunfa. Que somos todos iguais, filhos de Deus, e que aqui estamos cumprindo uma missão única que concorre para a paz.

“Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos” (Efésios 2:10).

Publicidade

Dia Mundial de Combate à Desertificação – 2015

    Hoje é o Dia Mundial de Combate à Desertificação cuja temática aborda a obtenção da segurança alimentar para todos, por meio de sistemas alimentares saudáveis.

logo_dia_desertificação_2015_UNCCD

     O slogan deste ano, 2015, é “Não existe almoço grátis. Invista em solo saudável”, cujo apelo deve observar:

– mudança em nossas práticas de uso do solo, considerando a agricultura sustentável e a adaptação às mudanças climáticas, notadamente nas partes frágeis e secas do mundo, onde a escassez de alimentos está se tornando mais e mais grave;

equilíbrio no uso da terra e o consumo sustentável, com base nas melhores práticas;

acesso à tecnologia e direitos à terra para pequenos agricultores, que incorporem práticas de proteção do meio ambiente e do atendimento às necessidades alimentares de famílias, especialmente entre as famílias mais pobres

ações eficazes sobre a desertificação, cujos efeitos sobre a segurança, a paz e a estabilidade sejam estendidos a países afetados, especialmente devido a escassez de alimentos e da água.

Na mensagem para este dia, o Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, comentou: “a degradação da terra e a desertificação podem afetar negativamente os direitos humanos, a começar pelo direito à alimentação. Quase um bilhão de pessoas carecem de nutrição adequada, e aqueles que vivem em áreas degradadas estão entre os mais afetados. A sua situação de degradação pode piorar se a terra, conforme projeções, reduzir sua produção global de alimentos em 12% até 2035”.

Fonte: UNEP UNCCD

Publicidade

Consulta pública – Programa Brasileiro de Eliminação de Hidrofluorcabonos

      O Ministério do Meio Ambiente segue com a consulta pública para receber as contribuições da sociedade civil a respeito do documento concernente à segunda etapa do Programa Brasileiro de Eliminação dos Hidroclorofluorcabonos (HCFC).

      A partir da data de publicação da consulta pública em Diário Oficial, que ocorreu em 14/05, os cidadãos têm 30 dias, portanto, até hoje dia 12/06/2015

     O objetivo da consulta pública é definir ações que devem ser executadas de 2016 a 2020. A meta até 2020 é reduzir em 35% do consumo considerando a linha de base. A primeira etapa consistiu em reduzir o consumo de HFC em 16,6% até 2015.

     Após a consulta pública, o documento será submetido ao Comitê Executivo do Fundo Multilateral para a implementação do protocolo de Montreal.

Os interessados em participar, cliquem aqui.

Convite feito. Participem!

Fonte: MMA

Publicidade

Cúpula do G7 – passo importante na luta contra o aquecimento global

     Hoje, na Reunião do G7, os líderes das principais democracias industrializadas do mundo tomaram uma decisão importante com relação a diminuir o consumo energético dos combustíveis fósseis, estabelecendo, assim, um passo importante na luta contra o aquecimento global.

G7_2015_reuters

      Concernente às mudanças climáticas, os líderes se comprometeram a desenvolver estratégias de baixo teor de carbono, em longo prazo (2050) e abandonar os combustíveis fósseis até o final do século XXI.

     A seguir, transcrição de trecho do documento: “Comprometemo-nos a fazer a nossa parte para alcançar uma economia global de baixo carbono no longo prazo, incluindo o desenvolvimento e a implantação de tecnologias inovadoras que concorram para uma transformação dos setores da energia até 2050”.

    Além disso, os líderes convidaram outros países a seguirem esses passos, no sentido de acelerar o acesso a energias renováveis, bem como a intensificar apoio aos países vulneráveis com relação à gestão das alterações climáticas.

     Esse acordo pode significar um ganho sem precedentes para todo o mundo.

Fonte: Agência Reuters

Publicidade

Dia Mundial do Meio Ambiente – 05/06/2015

Hoje é o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Conforme dito anteriormente no Blog Verde, o tema deste ano é “Sete bilhões de sonhos. Um Planeta. Consuma com moderação”. Conforme o Secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, “o objetivo do desenvolvimento sustentável é aumentar a qualidade de vida para todas as pessoas sem aumentar a degradação e sem comprometer os recursos para as necessidades das gerações futuras”.  Acrescenta ainda que este ano é uma ano de transformação e há “esperança de que grandes avanços sejam dados para as questões das mudanças climáticas e de desenvolvimento sustentável,. Por meio da comemoração deste dia, podemos nos tronar mais conscientes do nosso impacto ecológico no mundo e pensarmos sobre as consequências ambientais das escolhas que fazemos”.

Aos interessados em ver o vídeo da ONU para o Dia Mundial do Meio Ambiente, cliquem aqui.

Fonte: ONU

 

 

Publicidade

Saúde e os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio

   A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou esta semana últimos dados, atualizados, com relação aos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, que tem relação direta com a saúde.

     A Declaração do Milênio das Nações Unidas, assinada em setembro de 2000, traz oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) e devem ser alcançados até 2015.

    Alguns avanços já são visíveis. No mundo, o número de morte de crianças abaixo de cinco anos caiu de 12,7 milhões em 1990 para 6,3 milhões em 2013. Em países em desenvolvimento, a percentagem de crianças menores que cinco anos abaixo do peso caiu de 28% em 1990 para 17% em 2013.

     Mas muito ainda há por fazer. Enquanto alguns países tiveram ganhos expressivos no alcance de suas metas relacionadas à saúde, outras falharam. Os países que fizeram menor progresso com relação ao alcance das metas dos ODM são aqueles que são afetados por elevados níveis de HIV/AIDS, que apresentam dificuldades econômicas ou, ainda, conflitos internos.

      Os dados apresentados pela OMS são de 2013, portanto referem-se a resultados parciais. Até o fim deste ano, os países devem apresentar seus resultados finais.

Fonte: OMS

Publicidade

Saúde e os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio

   A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou esta semana últimos dados, atualizados, com relação aos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio, que tem relação direta com a saúde.

     A Declaração do Milênio das Nações Unidas, assinada em setembro de 2000, traz oito Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) e devem ser alcançados até 2015.

    Alguns avanços já são visíveis. No mundo, o número de morte de crianças abaixo de cinco anos caiu de 12,7 milhões em 1990 para 6,3 milhões em 2013. Em países em desenvolvimento, a percentagem de crianças menores que cinco anos abaixo do peso caiu de 28% em 1990 para 17% em 2013.

     Mas muito ainda há por fazer. Enquanto alguns países tiveram ganhos expressivos no alcance de suas metas relacionadas à saúde, outras falharam. Os países que fizeram menor progresso com relação ao alcance das metas dos ODM são aqueles que são afetados por elevados níveis de HIV/AIDS, que apresentam dificuldades econômicas ou, ainda, conflitos internos.

      Os dados apresentados pela OMS são de 2013, portanto referem-se a resultados parciais. Até o fim deste ano, os países devem apresentar seus resultados finais.

Fonte: OMS