Arquivos novembro 2014 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

novembro 2014

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

30 de novembro de 2014

     Domingo de sol… e de recordações. Esses aplicativos modernos que permitem a gente encontrar pessoas de nosso passado são bem interessantes.

     Faz a gente recordar de momentos que nos foram tão caros e sublimes, como os momentos vividos na infância. Bons tempos…

     Permitam-me, hoje, fazer uma homenagem a todas as minhas amigas da Turma Imaculada, do querido Colégio da Imaculada Conceição, em Fortaleza/CE, onde estive por pouco tempo, enquanto estudante, mas que muito me acrescentou na minha formação religiosa e de construção da minha vida pessoal e profissional.

    A vocês, meninas, extensivo a família de cada uma, desejo saúde e paz. Saúde para que continuem lindas e guerreiras, criando e cuidando dos filhos e construindo, pelo trabalho diário, um mundo mais justo e equitativo.

    Paz para que nossos filhos, que são as futuras gerações, possam desfrutar de um lugar melhor de se viver, com harmonia e respeito a todos os seres vivos.

Publicidade

Clima para vida: um oceano de diferença

    Sylvia Earle, oceanógrafa com mais de 7000 horas de pesquisas no mar, alerta para as mudanças visíveis nos oceanos, tanto na superfície quanto abaixo dela.

     Na publicação recente Nosso planeta: Clima para Vida, Sylvia Earle comenta que mais de um terço das pescarias no mundo a fazem com super exploração dos recursos pesqueiros.

      Quarenta por cento dos recifes de coral já foram destruídos ou degradados nas últimas décadas, no mundo, juntamente com 35 por cento de todas as florestas de mangue. Ambos são os viveiros vitais para peixes, bem como defesa contra tempestades e tsunamis, adverte a pesquisadora. Adiante afirma que mais de 400 “zonas mortas”, com os seres atingidos pela poluição, foram identificadas em águas costeiras em todo o mundo.

       Todas essas consequências advêm das mudanças climáticas, que esão tornando as coisas ainda piores. O aumento do nível do mar ameaça afetar os ecossistemas marinhos, bem como a inundação dos litorais, comenta Sylvia. Admite a oceanógrafa que populações de peixes já estão se movendo em direção aos pólos, enquanto que o aumento das temperaturas também podem afetar a reprodução, e causar descoloração dos corais. Sem contar nas emissões de dióxido de carbono que estão transformando os mares tornando-os mais ácidos, tornando mais difícil para os crustáceos e moluscos a construírem suas conchas, e, possivelmente, tornando mais difícil para os peixes respirarem.

      Na publicação da UNEP, Sylvia Earle acredita na compreensão do “valor de um oceano saudável para a nossa economia, saúde e segurança” e que os países devem envidar esforços para que se tenha esperança de um melhor oceano no futuro para todos.

Fonte: Our Planet: Climate for Life, 2014.

 

Publicidade

Clima para Vida: os oceanos são muito importantes para serem ignorados

      Na recente publicação do UNEP (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, PNUMA), intitulada Nosso Planeta: Clima para Vida, há uma seção escrita pelo Presidente do Kiribati (país insular no Oceano Pacífico), Sr. Anote Tong, sobre a importância dos oceanos, notadamente nesta época de mudanças climáticas.

     O Kiribati cobre 3,5 milhões de km2, mas, embora seja duas vezes o tamanho do Alasca, apenas 800 km2 são de terras.

      Anote Tong salienta que o mesmo oceano que tem fornecido alimento para o seu povo por séculos, já levantou um grande desafio novo, para sobrevivência das pessoas da ilha. Essas pessoas vivem em ilhas baixas, em altitudes não superiores a três metros acima do nível do mar, e agora estão enfrentando os desafios da elevação do nível do mar sem precedentes na História.

      O presidente do Kiribati lembra que não estão sozinhos neste cenário. Outras nações insulares como Tuvalu, Ilhas Marshall, Tokelau e as Maldivas, estão também na linha de frente deste grande calamidade.

       Outro dado importante, significativo e que merece atenção por parte de todos os cidadãos no mundo é que 75% das maiores cidades do mundo estão situadas em áreas costeiras, em áreas baixas. Os milhões de pessoas que vivem nessas cidades serão, portanto, os próximos na linha de frente.

      Então, a comunidade mundial não pode continuar a ignorar as histórias atuais dos países insulares, sobretudo de seu sofrimento. Alerta Anote Tong: “O nosso destino pertence a nós. Mas, somos o aviso prévio do que vai acontecer em maior escala, a nível mundial”.

     O Quinto relatório de Avaliação do IPCC, somadas as experiências dos países insulares, já evidenciam a previsão de que algo está terrivelmente errado. “No entanto, nós continuamos a procrastinar”, afirma Anote Tong, conclamando que as lideranças façam o que devem fazer; que não esperem mais; que as ações devem ser decisivas e globais.

     Finaliza o Presidente do Kiribati, o que reitero e assino, pois é o que desejo e também creio: “Eu acredito que um acordo legal vai ser concluído em Paris, em 2015, não importa o quão imperfeito ele possa ser, e independentemente de quantos Países vão fazer parte, ou não. Esta é a única opção de fato sobre uma questão tão importante para a sobrevivência futura dos povos”.

     Aos protagonistas dessa Terra, escutem os apelos e façam a diferença, para que possamos, num futuro muito próximo, assegurar a sobrevivência da espécie humana em nosso Planeta.

Fonte: Our Planet: Climate for Life, 2014.

Publicidade

Clima para Vida – reflexões sobre as áreas protegidas

Em tempos de discussões mundiais sobre o Clima, importante pararmos para refletir sobre os instrumentos de gestão disponíveis que auxiliam no equacionamento necessário à manutenção da vida em nosso Planeta, inclusive a vida da espécie humana.

   O UNEP (ou PNUMA, sigla em português) lançou recentemente a publicação Nosso Planeta – Clima para Vida, que serviu de base para a elaboração dos textos desta semana do Blog Verde.

    “As áreas protegidas, consideradas como mais do que santuários de animais selvagens para os turistas, são agora consideradas zonas vitais entre a humanidade e os impactos de algumas das ameaças mais graves que nos confrontamos: as mudanças climáticas”.

    A partir dessa frase, inicia-se a reflexão da necessária salvaguarda de áreas naturais, não apenas com o objetivo de promover a vida e habitat de espécies de fauna e de flora; mas, sobretudo como área significativa de provisão de serviços ecossistêmicos fundamentais que auxiliam na regulação do clima.

    Apesar dos esforços, os ecossistemas continuam numa trajetória de degradação, o que significa dizer que devemos nos valer cada vez mais das áreas protegidas para nos proteger contra os efeitos de nosso próprio ataque implacável ao planeta, disse Achim Steiner, Subsecretário das Nações Unidas.

    A mensagem do Relatório The Global Biodiversity Outlook 4 (GBO4) é clara. Se alcançarmos as 20 Metas de Biodiversidade de Aichi teremos contribuído significativamente para as prioridades da agenda de desenvolvimento pós-2015, prioridades como a redução da pobreza e da fome, incremento da saúde humana e os esforços para garantir o suprimento sustentável de energia, comida e água. O relatório é claro, também, ao mencionar que caso não sejam alcançadas as metas de biodiversidade estaremos falhando em prover as premissas do desenvolvimento sustentável.

Fonte: Our Planet – Climate for Life, 2014.

Publicidade

Conferência do Clima – Lima

Aproxima-se o período da realização da Conferência do Clima, em Lima, no Peru. A COP 20, ou seja, a Conferência das Partes deve acontecer no período de 01 a 14/12/2014. As expectativas são grandes.

É nesse evento que os países devem promover o debate importante para viabilizar os acordos multilaterais de redução de gases de efeito estufa e de necessárias ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

   Dentre as discussões do dia 09/12 está a redução dos poluentes climáticos de curta duração (SLCPs) com foco no setor de produção de tijolos e sobre as emissões de veículos a diesel. O setor da construção civil, na produção de tijolos, tem sido um dos mais impactantes setores, considerando as emissões de gases poluentes para a atmosfera, notadamente nos países da América Latina e da Ásia; e que tem afetado, sobremaneira, a qualidade do ar e, consequentemente, a saúde pública.

   Ao longo das próximas semanas, o Blog Verde trará notícias desse importante evento mundial, com consequências significativas para políticas públicas, em âmbito regional e local.

Fonte: ONU.

 

Publicidade

II Encontro de Iniciativas Socioambientais

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

20 de novembro de 2014

     O Programa de Pós-graduação em Ciência Ambiental – PROCAM do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo promove o II Encontro de Iniciativas Socioambientais, no período de 02 a 04 de dezembro de 2014.

    O II Encontro de Iniciativas Socioambientais: do evento ao movimento é um evento que pretende reunir a comunidade acadêmica da USP e outras universidades, o terceiro setor (ONGs), os movimentos sociais e os coletivos independentes que trabalham com a temática da Agricultura Urbana.

      Devem ser abordadas questões socioambientais relacionadas ao reconhecimento e uso dos recursos existentes no território como mão de obra, terra, tecnologias, redes sociais, manejo dos recursos naturais, produção de alimentos, gestão de resíduos, uso de energias e combustíveis alternativos, mobilização comunitária, processos participativos, educação ambiental, etc.

      Aos interessados, as inscrições são feitas aqui.

 

 

Publicidade

Mestrado gratuito em Tecnologia e Gestão Ambiental

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

18 de novembro de 2014

    Aos interessados em realizar estudos de Pós-Graduação em nível de Mestrado, o IFCE está com inscrições abertas, a partir de hoje, 18/11, para processo seletivo a 20 vagas no Curso de Mestrado em Tecnologia e Gestão Ambiental.

Braço mecânico, Energia das Marés, no mPorto do Pecém/CE Fonte: Arquivo pessoal

Fonte: Arquivo pessoal

     Podem, gratuitamente, se inscrever os candidatos que possuem graduação em qualquer nível superior. São quatro linhas de pesquisa, a saber: (a) instrumentos de gestão ambiental – 6 vagas; (b) hidrologia – 7 vagas; (c) Monitoramento e controle da qualidade ambiental – 3 vagas e (d) Tratamento e reuso de efluentes e resíduos.

     As inscrições seguem até 25 de novembro.

    O edital 01/2015 PGTGA/IFCE na íntegra pode ser acessado aqui. 

Fonte: IFCE

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

    As frases de hoje permitem a reflexão sobre a necessidade de se proteger aquilo que nos é caro: o meio ambiente e a vida humana. São de Gro Harlem Brundtland, ex-Primeira Ministra da Noruega, que presidiu, no período de 1983 a 1987, a Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento.

“A saúde é a base do desenvolvimento humano”.

“Eu não acredito que a meta do Milênio de reduzir pela metade a pobreza mundial é abstrata ou impossível. Eu acho que é um objetivo real e alcançável”.

“Não pode alcançar a segurança ambiental e do desenvolvimento humano, sem considerar os princípios básicos de saúde e nutrição”.

Publicidade

Educação para o Desenvolvimento Sustentável

     No período de 10 a 12 de novembro, sob os auspícios da UNESCO, houve a Conferência Mundial de Educação para o Desenvolvimento Sustentável, em Nagoya, no Japão.

     Como resultado final de mencionada Conferência tem-se a Declaração de Nagoya de Educação para o Desenvolvimento Sustentável (ESD), em que os participantes chamam por ações urgentes no sentido de fortalecer e ampliar a Educação para o Desenvolvimento Sustentável.

     A Declaração baseia-se nas realizações da Década das Nações Unidas de ESD (2005-2014), bem como reconhece que “as pessoas são o centro do desenvolvimento sustentável”

     Mencionada Declaração de Nagoya realça “o potencial de ESD para capacitar os alunos a transformarem-se e transformarem a sociedade em que vivem, desenvolvendo conhecimentos, habilidades, atitudes, competências e valores necessários para abordar a cidadania global e os desafios contextuais locais do presente e do futuro, com compreensão da interconectividade dos desafios”.

     Aos interessados em ter acesso a Declaração de Nagoya de Educação para o Desenvolvimento Sustentável na íntegra, cliquem aqui. 

Fonte: ONU

Publicidade

Prorrogação do prazo de inscrições para o curso gratuito de especialização – IFCE/ANA

    O prazo de inscrições para o curso de especialização em Elaboração e Gerenciamento de projetos para a gestão municipal de Recursos Hídricos foi prorrogado até dia 17 de novembro de 2014, conforme Aditivo nº 1 ao edital nº 001/2014/PRPI/DEAD. O curso será ministrado pelo IFCE (Instituto Federal do Ceará) e tem parceria com a ANA (Agência Nacional de Águas).

    As inscrições são feitas on line. Podem se inscrever servidores públicos (federais, estaduais ou municipais) que tenham graduação e que estejam liberados, por suas instituições de origem, para realizar o curso a distância. Durante os 18 meses de curso, terão três encontros presenciais, conforme indica o mencionado edital.

    Aos interessados, cliquem aqui. 

Publicidade

Prorrogação do prazo de inscrições para o curso gratuito de especialização – IFCE/ANA

    O prazo de inscrições para o curso de especialização em Elaboração e Gerenciamento de projetos para a gestão municipal de Recursos Hídricos foi prorrogado até dia 17 de novembro de 2014, conforme Aditivo nº 1 ao edital nº 001/2014/PRPI/DEAD. O curso será ministrado pelo IFCE (Instituto Federal do Ceará) e tem parceria com a ANA (Agência Nacional de Águas).

    As inscrições são feitas on line. Podem se inscrever servidores públicos (federais, estaduais ou municipais) que tenham graduação e que estejam liberados, por suas instituições de origem, para realizar o curso a distância. Durante os 18 meses de curso, terão três encontros presenciais, conforme indica o mencionado edital.

    Aos interessados, cliquem aqui.