Arquivos 7 de Janeiro de 2014 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

7 de Janeiro de 2014

Metas brasileiras de biodiversidade para 2020 (parte 4 – final)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Janeiro de 2014

     Considerando as metas nacionais de Biodiversidade para 2020, a construção do Plano de Ação Brasileiro de Conservação e Uso Sustentável da Diversidade Biológica está apoiada em três eixos:

(a) Produção e modelo de consumo incompatíveis com a conservação da biodiversidade;

(b) Perda, degradação e fragmentação dos hábitats; e

(c) reduzida valorização da biodiversidade e dos conhecimentos tradicionais associados

     A estrutura do plano está sendo proposta com objetivos estratégicos relacionados diretamente aos eixos, consoante às causas relacionadas, resultados esperados e, por conseguinte, os indicadores de resultados.

     Os passos seguintes, para 2014, conforme MMA (2013) são: a definição dos indicadores para o monitoramento da consecução das metas de biodiversidade do Brasil; obter o compromisso de todos os setores da sociedade brasileira e, ainda, a fase de conscientização pública.

     A representante do Brasil no Workshop Regional para a América Latina sobre a Preparação do 5º. Relatório Nacional e Indicadores, da CDB, que ocorreu em Cochabamba/Bolívia, no período de 2 a 6 de dezembro/2013, foi Sra. Iona’I Ossami Moura, do MMA, que apresentou as estratégias brasileiras de biodiversidade para 2020.

    No evento, estimulou-se que a proposta dos indicadores de biodiversidade deveria seguir a metodologia desenvolvida pelo Grupo de Especialistas técnicos Ad Hoc (AHTEG – Ad Hoc Technical Expert Group). Este grupo, por meio da Nota da secretaria Executiva, datada de 20/05/2011, emitiu alguns possíveis indicadores para o Plano Estratégico de Biodiversidade 2011-2020, considerando as 20 metas de biodiversidade de Aichi.

     Existem duas possibilidade de construção de indicadores: os de impacto, com a finalidade de monitorar as metas nacionias, e os impactos de implementação, desempenho e gestão, que tem por finalidade monitorar a implementação das ações específicas que constam no Plano Estratégico de Biodiversidade.

     Para finalizar, importante mencionar que os indicadores devem ser de tal modo que integrem dados biológicos e dados sociais, inclusive com a proposta de inidcadores d=baseados em conhecimento tradicional.

Fonte: MMA. La construcción de la estratégia brasileña para 2020. MMA/Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Bolívia: Dez/2013.

           UNEP. Indicators for the strategic plan for biodiversity 2011-2020. Note by the Executive Secretary. High Wycombe/United Kingdom: UNEP/CBD/AHTEG, maio/2013.

Publicidade

Metas brasileiras de biodiversidade para 2020 (parte 4 – final)

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

07 de Janeiro de 2014

     Considerando as metas nacionais de Biodiversidade para 2020, a construção do Plano de Ação Brasileiro de Conservação e Uso Sustentável da Diversidade Biológica está apoiada em três eixos:

(a) Produção e modelo de consumo incompatíveis com a conservação da biodiversidade;

(b) Perda, degradação e fragmentação dos hábitats; e

(c) reduzida valorização da biodiversidade e dos conhecimentos tradicionais associados

     A estrutura do plano está sendo proposta com objetivos estratégicos relacionados diretamente aos eixos, consoante às causas relacionadas, resultados esperados e, por conseguinte, os indicadores de resultados.

     Os passos seguintes, para 2014, conforme MMA (2013) são: a definição dos indicadores para o monitoramento da consecução das metas de biodiversidade do Brasil; obter o compromisso de todos os setores da sociedade brasileira e, ainda, a fase de conscientização pública.

     A representante do Brasil no Workshop Regional para a América Latina sobre a Preparação do 5º. Relatório Nacional e Indicadores, da CDB, que ocorreu em Cochabamba/Bolívia, no período de 2 a 6 de dezembro/2013, foi Sra. Iona’I Ossami Moura, do MMA, que apresentou as estratégias brasileiras de biodiversidade para 2020.

    No evento, estimulou-se que a proposta dos indicadores de biodiversidade deveria seguir a metodologia desenvolvida pelo Grupo de Especialistas técnicos Ad Hoc (AHTEG – Ad Hoc Technical Expert Group). Este grupo, por meio da Nota da secretaria Executiva, datada de 20/05/2011, emitiu alguns possíveis indicadores para o Plano Estratégico de Biodiversidade 2011-2020, considerando as 20 metas de biodiversidade de Aichi.

     Existem duas possibilidade de construção de indicadores: os de impacto, com a finalidade de monitorar as metas nacionias, e os impactos de implementação, desempenho e gestão, que tem por finalidade monitorar a implementação das ações específicas que constam no Plano Estratégico de Biodiversidade.

     Para finalizar, importante mencionar que os indicadores devem ser de tal modo que integrem dados biológicos e dados sociais, inclusive com a proposta de inidcadores d=baseados em conhecimento tradicional.

Fonte: MMA. La construcción de la estratégia brasileña para 2020. MMA/Secretaria de Biodiversidade e Florestas. Bolívia: Dez/2013.

           UNEP. Indicators for the strategic plan for biodiversity 2011-2020. Note by the Executive Secretary. High Wycombe/United Kingdom: UNEP/CBD/AHTEG, maio/2013.