Arquivos Março 2013 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Março 2013

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Meio Ambiente

31 de Março de 2013

Vida! Em plenitude! Hoje, Domingo de Páscoa! Ressurreição de Jesus! Ele vive, Ele Reina!

As frases de hoje são de vida, de alegria, de felicidade, de paz a todos.

 

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a Vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá” (João; 11:25)

“ Ou rei ou aldeão, é feliz aquele que tem paz no lar” (Goethe).

“O tempo é muito lento para os que esperam, muito rápido para os que têm medo, muito longo para os que lamentam, muito curto para os que festejam. Mas, para os que amam, o tempo é eternidade”. (Shakespeare).

 

Publicidade

Apoio financeiro a projetos nas áreas: Educação Ambiental, Água,Sociedade Sustentável, Conservação e Manejo da Biodiversidade

Prezados leitores do Blog Verde, o Fundo Nacional de Meio Ambiente está com edital aberto de apoio financeiro a diversas modalidades de projetos ambientais, para o período 2013 a 2015. O aporte financeiro é variável podendo chegar a R$ 300.000, 00. A data limite para envio de propostas é 26/04/2013.

Existem linhas do edital que auxiliam a gestão ambiental municipal; portanto caríssimos gestores municipais (chefes de poderes executivos municipais), creio eu, ser importante para seu município.

As linhas temáticas do edital são quatro, a saber:

água e florestas, com subtemas em: recursos florestais e hídricos;

conservação e manejo de biodiversidade, com áreas de atuação em: apoio à consolidação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (inclusive elaboração de plano de manejo), conservação e manejo de biodiversidade (incluindo planos de ação para flora e fauna);

sociedades sustentáveis e qualidade ambiental; com subtemas em: cidades sustentáveis e novas ocupações (incluindo gestão integrada de resíduos sólidos);

Educação Ambiental para sustentabilidade (para educação formal e não-formal).

Mais informações, cliquem aqui. Edital completo, cliquem aqui.

Divulguem. Curtam e Compartilhem.

Fonte: FNMA/MMA

Publicidade

Ceará convoca consultores na área ambiental – Projeto Mata Branca

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

27 de Março de 2013

     Caros leitores do Blog Verde, em outros momentos, falei do Projeto Mata Branca aqui neste espaço. Um projeto que tem mudado, para melhor, a realidade de muitos municípios cearenses, no Bioma Caatinga.

Fonte: CONPAM/Mata Branca

Fonte: CONPAM/Mata Branca

    Hoje a notícia é boa para quem tem experiência na área ambiental. Foi prorrogado o prazo de envio de manifestação de interesse para contratação de consultoria individual (até dia 30 de março de 2013) para realizar avaliação final do Projeto de Conservação e Gestão Sustentável do Bioma Caatinga – Projeto Mata Branca nos componentes I e III e componente II, no Ceará.

    Aos interessados no termo de Referência para contratação de consultoria individual nos Componentes I e III, cliquem aqui.

    O documento de Manifestação de Interesse para consultoria individual dos Componentes I e III, pode se acessado aqui.

    Aos interessados no termo de Referência para contratação de consultoria individual no Componente II, cliquem aqui.

    O documento de Manifestação de Interesse para consultoria individual dos Componentes II, pode ser acessado aqui.

 Fonte: CONPAM

Publicidade

Dia Nacional da Caatinga – 2013

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Semiárido

26 de Março de 2013

    Em comemoração ao Dia Nacional da Caatinga de 2013, que é comemorado no dia 28 de abril, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) deve realizar o “Seminário sobre estratégias de divulgação e implementação de experiências bem sucedidas de uso sustentável da biodiversidade da Caatinga”, nos dias 25 e 26 de abril, em Brasília-DF, no auditório MMA.

     O objetivo do seminário é, por meio dos relatos e das discussões do evento, contribuir para uma estratégia de divulgação destas experiências e para a construção de políticas públicas que promovam sua adoção ou adaptação em larga escala.

    Haverá espaço para que os participantes debatam os temas que serão expostos e uma boa oportunidade para que conheçam mais sobre esse bioma, que tem significativo potencial para o desenvolvimento do país.

     Convite feito a todos. Participem! Excelente momento de discutirmos desafios e oportunidades.

Fonte: MMA

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

24 de Março de 2013

Domingo de sol. Poderia chover… Estamos precisando de chuva…

Hoje, o Blog Verde traz frases de Ignacy Sachs, retiradas de uma entrevista concedida a Andrea Wolffenbüttel, para a Revista Desafios do Desenvolvimento, ano 10, número 76, do IPEA, publicada em 25/02/2013.

O problema de sustentabilidade existe e é concreto, mas não adianta discutir os objetivos sociais e a sustentabilidade ecológica sem pensar no terceiro pé do tripé, que é a viabilidade econômica” (Ignacy Sachs, 2013)

“Há pouco saiu um estudo elaborado pela Universidade das Nações Unidas mostrando que 2% dos adultos mais ricos possuem a metade de toda a riqueza das famílias do mundo. Isso prova que estamos caminhando no sentido oposto ao que queremos. E uma das dificuldades para melhorarmos esse quadro é a forma como avaliamos o desempenho dos países”. (Ignacy Sachs, 2013)

“O debate fica centrado apenas no crescimento do PIB. Temos de considerar outras variáveis, como a geração de empregos, o nível de sustentabilidade do desenvolvimento e outros”. (Ignacy Sachs, 2013)

Publicidade

Cenário atual do ODM 8- Todo mundo trabalhando pelo Desenvolvimento

      Finalizando a série sobre o cenário atual dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), este “post” traz o ODM 8 que estabelece uma parceria mundial em favor do desenvolvimento de todos os países.

     Dentre as metas internacionais estão: atender as necessidades especiais dos países menos desenvolvidos e desenvolver um sistema financeiro aberto, baseado em regras, sem tendências discriminatórias.

Fonte: UNEP/IPEA

Fonte: UNEP/IPEA

     Outro ponto importante na parceria mundial pelo desenvolvimento é em cooperação com o setor privado, tornar acessíveis os benefícios das novas tecnologias, notadamente de informação e comunicações.

     Com relação ao Brasil, o Relatório de Acompanhamento (IPEA, 2010) diz que o Brasil atua para melhorar as regras do jogo em prol do desenvolvimento. Em linhas gerais, o Brasil tem atuado em duas frentes. Por um lado, tem colaborado efetivamente, de forma propositiva, para a construção de uma agenda internacional a favor do desenvolvimento e expandido sua participação em organismos e programas internacionais, procurando propor e negociar mudanças nas regras de governança global. Assim, vem contribuindo de forma ativa nos foros internacionais e, por meio de articulações com outros países, para a construção de um mundo menos assimétrico (IPEA, 2010).

 Fonte: UNDP (2012) e IPEA (2010).

Publicidade

Dia Internacional da Água – 22 de março

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

22 de Março de 2013

     Celebrado desde 1993, hoje, 22 de março, Dia Internacional da Água, tem o objetivo principal de focar a atenção da sociedade civil e dos tomadores de decisão da importância da água com qualidade compatível para os seus diversos usos, inclusive o manejo sustentável dos mananciais hídricos.

Fonte: UNEP

Fonte: UNEP

     A data comemorativa foi recomendada pela Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, em 1992, a tão conhecida Rio92, sendo acatada por decisão da Assembleia Geral das Nações Unidas, designando o dia 22 de março de 1993 como o primeiro Dia Internacional das Águas.

     Todo ano, para este dia é especificado um tema de reflexão. Este ano, 2013, a reflexão é Ano Internacional de Cooperação da Água. Em todo o mundo, há eventos comemorativos.

     Ao designar 2013 como o Ano Internacional das Nações Unidas de Cooperação de água, a Assembleia Geral da ONU reconhece que a cooperação é essencial para encontrar um equilíbrio entre as necessidades e prioridades diferentes e compartilhar esse precioso recurso de forma equitativa, utilizando a água como um instrumento de paz. Promover a cooperação água implica uma abordagem interdisciplinar trazendo fatores culturais, educacionais e científicos, bem como religiosos, éticos, sociais, políticos, dimensões jurídicas, institucionais e econômicos.

 Fonte: UNEP

Publicidade

Cenário atual do ODM 7- Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental

21 de Março de 2013

verde05

Fonte:UNEP/IPEA

A meta internacional consiste em integrar os princípios do desenvolvimento sustentável nas políticas e programas nacionais e reverter a perda de recursos ambientais.

Globalmente, o manejo florestal e a conservação fornecem empregos para cerca de 10 milhões de pessoas, e muitos mais benefícios, direta ou indiretamente. Além da madeira, as florestas fornecem alimentos, caça, plantas medicinais e materiais para utensílios e construção. O relatório The Milennium Development Goals Report 2012 (MDG 2012) sugere que as mulheres nos países em desenvolvimento estão envolvidas na coleta, processamento, comercialização e venda destes produtos.

Com relação à emissão do CFC, o sucesso da implementação do Protocolo de Montreal abre caminho para estender o controle de outras substâncias. Ressalte-se que o Brasil foi o primeiro a alcançar as metas estipuladas no protocolo de Montreal (já comentamos em outro “post”).

O Relatório MDG (2012) informa que os mais importantes sítios para conservação de espécies permanecem desprotegidos. Apesar das ações de conservação, no mundo inteiro, continua aumentando a quantidade de espécies em extinção.

Outra meta importante do ODM7 é reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso sustentável à água potável segura e saneamento básico. A excelente notícia é que esta meta foi atendida, em nível mundial, cinco anos antes da data limite.

Conforme o Relatório, o trabalho ainda não está totalmente feito. Onze por cento da população mundial, ou seja, 783 milhões de pessoas continuam sem acesso a uma fonte segura de água potável.

Quanto ao Brasil, atendeu a meta de acesso à água potável e as metas de redução de CFC. Com relação ao desmatamento, a Amazônia Legal tem sido monitorada regularmente, assim como outros Biomas brasileiros, na intenção de reduzir a perda de biodiversidade (IPEA, 2010).

A criação de Unidades de Conservação está entre os pilares da estratégia brasileira para proteger seus biomas e sua biodiversidade. Esse mecanismo tem, de forma bastante efetiva, ajudado no combate ao desmatamento (IPEA, 2010).

Conforme levantamento feito pelo Grupo de Pesquisas “Áreas Protegidas”, do CNPq/IFCE Campus Fortaleza, o Ceará possui 85 Unidades de Conservação (UCs), entre as criadas em âmbito federal, estadual e municipal. Algumas destas não estão cadastradas no CNUC (Cadastro Nacional de Unidades de Conservação), o que “mascara” os resultados apresentados nos relatórios de acompanhamento.

Ressalta-se, então, que a exemplo do Ceará, outros estados, notadamente pela ausência de um mecanismo legítimo e legal que obrigue os municípios a alimentar o banco de informações ou comunicar a criação das UCs aos órgãos competentes, podem, também, não ter todas as suas Unidades de Conservação cadastradas no CNUC.

 

Fonte: UNDP (2012) e IPEA (2010).

Publicidade

Cenário atual do ODM 6- Combater a AIDS, a malária e outras doenças

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental

20 de Março de 2013

A meta 6, importante, ousada e extremamente necessária, é até 2015, deter e começar a reverter a propagação do verde04HIV / AIDS.

O Relatório The Milennium Development Goals Report 2012 (MDG 2012) identifica que as infecções com o vírus HIV têm diminuído notadamente nas regiões mais críticas. Dos 33 países onde caíram as novas infecções, 22 estão na África Subsaariana, a região mais afetada pela epidemia de AIDS. Das novas infecções em 2010 – 2,7 milhões de pessoas, 390 mil das quais eram crianças – eram 21% mais baixo do que o pico de 1997 e 15% menor do que em 2001.

A Ásia, em termos absolutos tem o segundo maior número de pessoas vivendo com o HIV. Em contraste com outras regiões, novas infecções por HIV continuam a crescer  na Ásia Central, devido, principalmente, às drogas injetáveis (principal causa de transmissão). Nunca foi tão alto o número de pessoas que vivem com o HIV devido ao menor número de mortes relacionadas à AIDS.

Concernente à malária, outra boa notícia, as reduções de casos notificados foram de 50% entre 2000 e 2010 em 43 dos 99 países, com transmissão da malária em curso.

No Brasil, o IPEA (2010) identifica que o acesso gratuito no tratamento aumenta a sobrevida de pacientes com HIV/AIDS. Estima-se que 630 mil pessoas vivam com HIV/AIDS no País. A taxa de prevalência da infecção na população geral, de 15 a 49 anos, é de 0,61%, sendo 0,41% entre as mulheres e 0,82% entre os homens, mantendo-se estável desde 2000. Desde a identificação do primeiro caso,em 1980, até junho de 2009, foram notificados 544.846 casos de AIDS no Brasil, dos quais, 65,4% entre homens e 34,6% entre mulheres.

O IPEA (2010) relata, ainda, que na faixa etária de 13 a 19 anos, entretanto, o número de casos de AIDS é maior entre as mulheres.

Com relação à malária, a Amazônia Legal concentra 99,8% dos casos de malária no País. Em 2008, foram notificados 314.735 casos. Depois do pico de malária, registrado nos anos de 1999 e 2000, houve uma primeira redução dos casos com a implantação do Plano de Intensificação das Ações de Controle da Malária na Amazônia Legal, no período de 2000 a 2002. Os resultados, entretanto, não foram sustentáveis. Em 2003, observou-se um aumento de casos, atingindo 600 mil casos em 2005 (IPEA, 2010).

Ainda há muito que se fazer, no intuito de reduzir a incidência de doenças como a tuberculose e a hanseníase. A meta tem sido alcançada de maneira lenta.

 

Fonte: UNDP (2012) e IPEA (2010).

Publicidade

Cenário atual do ODM 5- Melhorar a saúde das gestantes

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental

19 de Março de 2013

Reduzir em três quartos, entre 1990 e 2015, a razão de mortalidade maternal é a meta internacional do ODM 5.verde03

No mundo inteiro, a mortalidade materna caiu quase pela metade desde 1990, mas os níveis são muito distantes da meta de 2015, diz o Relatório The Milennium Development Goals Report 2012 (MDG 2012). Um dos aspectos positivos é a constatação do atendimento pré-natal para mulheres grávidas em quase todos os países em desenvolvimento, onde estão as maiores taxas de mortalidade materna.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um mínimo de quatro visitas de pré-natal, incluindo, no mínimo, triagem e tratamento para infecções e identificação de sinais de alerta durante a gravidez. Na maioria das regiões em desenvolvimento, tem havido um progresso constante na tal cobertura, com uma aceleração no Norte da África e Sul da Ásia desde 2000 (MDG, 2012).

No Brasil, a mortalidade materna vem caindo desde 1990. Para atingir a meta do quinto Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), o Brasil deverá apresentar Razão de Mortalidade Materna (RMM) igual ou inferior a 35 óbitos por 100 mil NV (nascidos vivos) até 2015, o que corresponde, então, a uma redução de três quartos em relação ao valor estimado para 1990 (IPEA, 2010).

O Brasil deve alcançar essa meta e vai, de maneira rápida, atingindo o patamar requerido.

 

Fonte: UNDP (2012) e IPEA (2010).

Publicidade

Cenário atual do ODM 5- Melhorar a saúde das gestantes

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental

19 de Março de 2013

Reduzir em três quartos, entre 1990 e 2015, a razão de mortalidade maternal é a meta internacional do ODM 5.verde03

No mundo inteiro, a mortalidade materna caiu quase pela metade desde 1990, mas os níveis são muito distantes da meta de 2015, diz o Relatório The Milennium Development Goals Report 2012 (MDG 2012). Um dos aspectos positivos é a constatação do atendimento pré-natal para mulheres grávidas em quase todos os países em desenvolvimento, onde estão as maiores taxas de mortalidade materna.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda um mínimo de quatro visitas de pré-natal, incluindo, no mínimo, triagem e tratamento para infecções e identificação de sinais de alerta durante a gravidez. Na maioria das regiões em desenvolvimento, tem havido um progresso constante na tal cobertura, com uma aceleração no Norte da África e Sul da Ásia desde 2000 (MDG, 2012).

No Brasil, a mortalidade materna vem caindo desde 1990. Para atingir a meta do quinto Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM), o Brasil deverá apresentar Razão de Mortalidade Materna (RMM) igual ou inferior a 35 óbitos por 100 mil NV (nascidos vivos) até 2015, o que corresponde, então, a uma redução de três quartos em relação ao valor estimado para 1990 (IPEA, 2010).

O Brasil deve alcançar essa meta e vai, de maneira rápida, atingindo o patamar requerido.

 

Fonte: UNDP (2012) e IPEA (2010).