Arquivos Janeiro 2013 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

Janeiro 2013

Mudanças Ambientais Globais e a IV Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

30 de Janeiro de 2013

     No centro das discussões mundiais, o tema Mudanças Ambientais Globais também faz parte das discussões brasileiras, notadamente da IV Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente.

    O processo da Conferência já iniciou em todo o Brasil. Estados, por meio de suas secretarias de educação, devem realizar as Oficinas Preparatórias. Escolas de nível fundamental (do 6º ao 9º ano), da rede pública e particular, são convidadas a participar do processo realizando, em seu local, as Conferências das Escolas.

     As Mudanças Ambientais Globais estão presentes nas discussões por meio das temáticas: água, terra, fogo e ar. A IV Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente traz ainda a discussão sobre escolas sustentáveis.

     Vocês devem pensar o que cada um de nós a ver com isso? Eu ousaria dizer que cada um de nós tem absolutamente tudo a ver com isso, por exemplo, com a necessária participação no processo de discussão, que tem as conferências um excelente lócus de compartilhamento de informações.

Fonte:MEC

Fonte:MEC

     Somos nós, seres humanos, que vivemos neste Planeta e deveríamos prezar por sua qualidade, para que tivéssemos como consequência a certeza de que teremos estoques ambientais suficientes, em quantidade e qualidade, para nós e para nossos filhos, para provermos nossas necessidades básicas.

     Diria, ainda, que às vezes é fácil apontar responsáveis por algo que, voluntária ou involuntariamente, nos omitimos de realizar, a exemplo de promovermos mudanças no nosso local de trabalho ou de estudo.

     Fica o convite a todos. E o convite é recorrente, pois não é a primeira vez que comentamos aqui sobre a IV Conferência Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente.

    O MEC (Ministério da Educação) tem a expectativa de atingir de 15 mil a 20 mil escolas em todo o país, nesta discussão das escolas sustentáveis e das Mudanças Ambientais Globais.

      Mais informações aqui.

Publicidade

O debate sobre Mudanças Ambientais Globais

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

29 de Janeiro de 2013

    As informações contidas neste texto foram extraídas, na íntegra, do Relatório Global Risks 2013, do Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum), que serviu de base de discussões para a Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial 2013, em Davos, na Suíça, no período de 23 a 27 de janeiro.

    Os esforços de mitigação fizeram progressos significativos em nível dos países nos últimos 15 anos, por meio de regulamentações de emissões e alguns incentivos financeiros.

Foto: Giuliano Maiolini Fonte: www.flickr.com

Foto: Giuliano Maiolini
Fonte: www.flickr.com

     No entanto, na atual geopolítica, tornou-se mais difícil alcançar e implementar, de maneira eficaz, os acordos internacionais de mitigação das mudanças climáticas. As promessas feitas no período de preparação para a Rodada de Negociações, em 2009, em Copenhague, sobre mudanças climáticas, que eram limitar o aquecimento global em 2º graus Celsius, agora aparecem coletivamente insuficientes para atender a esta meta.

     Recentes projeções de cenários baseados em intenções e em políticas governamentais preveem que em longo prazo pode haver aumento de mais do que 3,5º C (graus Celsius).

     O cenário mais pessimista, que assume a não realização de mudança nas políticas e medidas governamentais, além daquelas adotadas ou promulgadas até meados de 2011, fala de um aumento provável de 6º C (graus Celsius) ou superior.

     Se os compromissos de mitigações atuais permanecerem não atendidos, pode significar um aumento global de temperatura de 4º C, que poderia ocorrer por volta da década de 2060.

     Caso este cenário anteriormente descrito aconteça, provavelmente levará a impactos negativos, incluindo aumento na frequência de alta intensidade de ciclones tropicais, inundação de cidades costeiras em virtude da elevação do nível do mar e, ainda, aumento da severidade de seca em várias regiões do mundo.

      Juntos, os efeitos não significam apenas perdas econômicas importantes, mas também o deslocamento em massa de populações e, ainda, a insegurança alimentar crescente.

Fonte: Relatório Global Risks 2013

Publicidade

Ponto de Não Retorno – Alerta do Greenpeace

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

28 de Janeiro de 2013

     O relatório Point of No Return (Ponto de Não Retorno) do Greenpeace publicado esta semana alerta para os níveis de emissões de gases de efeito estufa e suas consequências deletérias para a saúde humana e para o meio ambiente.

     Mencionado Relatório afirma que o mundo está rapidamente chegando a um ponto de não retorno, no sentido de não permitir a prevenção dos piores impactos oriundos das mudanças climáticas. Se continuarmos com o curso atual (no que diz respeito à emissão de gases de efeito estufa e do uso de combustíveis fósseis) ficará difícil, se não impossível, evitar impactos generalizados e catastróficos das mudanças climáticas.

    Alerta o Relatório para os custos, que serão substanciais: bilhões gastos para lidar com a destruição por causa de eventos climáticos extremos. O alerta passa, ainda, pelo sofrimento humano incalculável e as dezenas de milhões de mortes por causa dos impactos, a partir de 2030.

Fonte: Point of No Return Report - Greenpeace

Fonte: Point of No Return Report – Greenpeace

    O relatório Point of No Return destaca a hipocrisia dos governos, pois se comprometeram em manter o aquecimento global abaixo de 2° C. No entanto, muitos países continuam promovendo projetos que irão empurrar o aquecimento global para 3,5° e 4° e, provavelmente, a 6° C. Um futuro assustador!

     Conforme o Relatório, 2010-2020 é a década de tomada de decisões definitivas, no sentido de cumprir metas de aquecimento global para o patamar máximo de 2º C. Na figura ao lado, de cor vermelha, está o cenário que os projetos de energia suja (dirty energy) tendem a crescer.

    Para ter acesso ao Relatório, na íntegra, cliquem aqui.

     E quais são as nossas escolhas? Permanecemos “fingindo” não ver? Ou será que vemos, mas não queremos enxergar? Enxergamos e não optamos por agir (ou optamos por não agir), porque não é de nossa responsabilidade.(!) Será que a responsabilidade não é nossa?

    Sinceramente, não tenho resposta. Mas sei que seremos cobrados em pouco tempo, ou por nós mesmos, ou por nossos filhos.

Fonte: Greenpeace

Publicidade

Frases para refletir… sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

27 de Janeiro de 2013

     Caros leitores do Blog Verde, hoje domingo, dia de parar um pouquinho e refletir sobre vida e meio ambiente. O que é mesmo que queremos? Para onde estão nos levando as opções que fazemos diariamente?

     “Cabe lembrar que o ‘sistema federativo mundial’ hoje implantado expressa um perfil de dominação, e não de liberdade, de competição, e não de cooperação, exigindo rígidos esquemas de organização e produção em todos os espaços do planeta. Se o ambiental não for uniforme, não se pode imaginar um resultado satisfatório par essa estratégia?” (Marcelo Souza, 2000).

     “Se quisermos adotar estratégias de longo prazo que levem em conta o bem-estar de todos os nossos atuais e futuros companheiros de viagem humanos (e, esperamos, geonautas) na espaçonave Terra, temos de nos voltar para a Mão visível e seus cinco dedos: um contrato social renovado, planejamento democrático de longo prazo, segurança alimentar, segurança energética (os dois pilares do desenvolvimento includente e sustentável) e cooperação internacional”. (Ignacy Sachs, 2012)

     “A humanidade encontra-se numa encruzilhada. Se o aquecimento decorrente de causas antropogênicas não for contido a tempo, nossos descendentes poderão enfrentar mudanças climáticas deletérias, ou mesmo catastróficas, que ameaçarão a própria sobrevivência da nossa espécie – sem falar na probabilidade de guerras e terríveis conflitos sociais e políticos”. (Ignacy Sachs, 2012).

Publicidade

Cursos gratuitos de capacitação em Saneamento Básico

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

26 de Janeiro de 2013

     Governos municipais tem a obrigação legal de erradicar lixões de seus territórios até 2014. São estes, também, os responsáveis por elaborarem, até dezembro de 2013 os planos municipais de saneamento básico, incluindo água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos.

Fonte Por mais Braisl 1999

Fonte Mais Brasil 1999

    E você, meu caro leitor do Blog Verde, tem ideia de como está a situação de seu município? Você, cidadão, que elegeu, por livre arbítrio, os gestores municipais do local onde você optou morar, já se informou se o seu município possui Plano Municipal de Saneamento Básico?

     Não??? Você não sabe responder ou o seu município ainda não iniciou seu “dever de casa”?

    Se eu disser que milhares de municípios brasileiros não possuem Planos Municipais de Saneamento Básico, vocês acreditariam em mim? Digo isso com muito pesar.

    Mas sou uma pessoa otimista, tenham certeza disso. Acredito no potencial de cada cidadão, de cada ser humano, na possibilidade de transformação individual e coletiva para patamares adequados e condizentes com o que entendemos por qualidade ambiental e, consequentemente, qualidade de vida.

     Nesta batalha diária, existem parceiros importantes que são fundamentais para o alcance dos objetivos. A FUNASA (Fundação Nacional de Saúde) ciente da carência de capacitação de recursos humanos, nos municípios brasileiros, para gerenciar os planos de saneamento, dentre outras tarefas concernentes ao trabalho nos setores competentes, está com uma programação, no Brasil inteiro, de capacitação de gestores e técnicos em saneamento básico.

     Serão 4 modalidades de curso, a saber: Política e Plano Municipal de Saneamento Básico; Estruturação e implementação de consórcios públicos de Saneamento; Redução de perdas em sistemas de tratamento; e Gestão econômico-financeira no setor de Saneamento.

    Vejam, abaixo, as datas dos cursos gratuitos oferecidos pela FUNASA em conjunto com a ASSEMAE, para este semestre de 2013 (janeiro a junho). Agendem-se, caríssimos gestores municipais brasileiros, respectivos secretários municipais e técnicos. Vejam que oportunidade ímpar. Divulguem em suas regiões.

 Curso Política e Plano Municipal de Saneamento Básico

data

local

local

28 jan a 01 fev Maceió (AL)  
18 a 22 fev São Luís (MA)  
04 a 08 mar Porto Alegre (RS) João Pessoa (PB)
18 a 22 mar Maringá (PR) Porto velho (RO)
01 a 05 abr Jaboticabal (SP) Belém (PA)
15 a 19 abr Manaus (AM) Santa Maria (RS
06 a 10 mai Recife (PE) Salvador (BA)
03 a 07 jun Vitória (ES) Rio Branco (AC)
17 a 21 jun Fortaleza (CE) Bauru (SP)

 Curso Estruturação e implementação de consórcios públicos de Saneamento

data

local

28 jan a 01 fev Caxias do Sul (RS)
18 a 22 fev Belém (PA)
04 a 08 mar Florianópolis (SC)
18 a 22 mar Belo Horizonte (MG)
01 a 05 abr Fortaleza (CE)
15 a 19 abr Salvador (BA)
06 a 10 mai Ribeirão Preto (SP)
03 a 07 jun Rio de Janeiro (RJ)
17 a 21 jun Teresina (PI)
24 a 28 jun Cuiabá (MT)
01 a 05 jul Porto Velho (RO)

 Curso Redução de perdas em sistemas de tratamento

data

local

18 a 22 fev Brasília (DF)
04 a 08 mar Belém (PA)
18 a 22 mar Fortaleza (CE)

 Curso Gestão econômico-financeira no setor de Saneamento

data

local

18 a 22 fev Manaus (AM))
04 a 08 mar Curitiba (PR)
18 a 22 mar Brasília (DF)

     Lembramos que os cursos são gratuitos e abertos à participação de gestores e técnicos do setor de saneamento básico dos municípios.

Publicidade

Repensando atitudes e reciclando ações

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Educação Ambiental, Meio Ambiente

24 de Janeiro de 2013

    Em tempos de discussão da gestão de resíduos sólidos, notadamente do destino final em locais adequados; em tempos de repensar desperdício de alimentos, quando milhares de pessoas estão abaixo da linha da pobreza, o Programa das Nações Unidas pelo Meio Ambiente (PNUMA) lançou a Campanha Think Eat Save, em Gêneva, dia 22 de janeiro.

Fonte: PNUMA

Fonte: PNUMA

     Todos os consumidores, a indústria alimentícia e Governos tem papel importante para reduzir 1,3 bilhão de toneladas de desperdício de comida,  anualmente destinadas a aterros, no mundo.

    Os organizadores falam que simples ações dos consumidores e da indústria alimentícia, em toda a cadeia da produção ao consumo, podem auxiliar na redução deste desperdício. A campanha tem por objetivo acelerar as ações e prover informação e visão global, informação esta que pode ser compartilhada em um portal, de maneira que várias iniciativas possam ser replicadas, concernentes à minimização e redução do desperdício de alimentos. Para saber mais, cliquem aqui.

    E você? Está preparado para fazer a sua parte? Que tal reduzir sua pegada de comida (foodprint). Pense nisso!

Publicidade

Jovem cearense representa o Brasil em Conferência Internacional sobre Meio Ambiente

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Saúde Ambiental

23 de Janeiro de 2013

      A Conferência Internacional TUNZA sobre o Meio Ambiente 2013 será realizada na sede do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (ONU), em Nairóbi, no Quênia, de 10 a 14 de fevereiro de 2013.

     Devem participar 300 jovens de 100 países que tem papel fundamental na elaboração de propostas para temas urgentes e globais, a exemplo de: Saúde e Meio Ambiente, Juventude e Empreendedorismo, Consumo Sustentável/ Estado Ambiental da Água, considerando os documentos adotados da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a chamada Rio+20.

Fonte: Prefututo Photo Sperman

Fonte: Prefututo Photo Sperman

     O jovem cearense Iranildo de Sousa Ferreira é o Representante da Juventude Ambientalista Brasileira nas Nações Unidas e Embaixador Climático do Brasil/ Climate Generation British Council.

     Conforme Iranildo: “na Conferência a juventude mundial terá a oportunidade de ser ouvida e mostrar que esta não é uma época para pessimismo nem para fazer vista grossa diante dos problemas ambientais. É a hora para uma ação construtiva e determinada, porque o sinal de alerta já foi dado”.

 Sobre o Programa TUNZA-PNUMA

      A Estratégia de Juventude TUNZA, adotada em 2003 pelo Conselho de Governamental do Programa das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente – PNUMA, é uma estratégia em longo prazo para envolver crianças e jovens no trabalho ambiental e no trabalho do PNUMA. A palavra “Tunza” significa “tratar com cuidado e afeto” em swahili (idioma da África Oriental). A iniciativa TUNZA visa desenvolver atividades nas áreas da sensibilização ambiental e partilha de informação sobre o meio ambiente para as crianças e os jovens. Para maiores informações, sobre este Programa da ONU, clique aqui.

Publicidade

Estação Antártica – concurso de projeto arquitetônico

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

22 de Janeiro de 2013

    A Marinha do Brasil e o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) seção Rio de Janeiro lançaram hoje concurso para escolher Projeto Arquitetônico da Estação Antártica Comandante Ferraz Vasconcelos, estação científica brasileira localizada na Antártica.

Font: IAB-RJ

Font: IAB-RJ

     O concurso será aberto à participação de arquitetos brasileiros e estrangeiros associados a escritórios brasileiros. O caráter internacional do concurso tem como objetivo promover intercâmbio de conhecimento entre profissionais de diversos países e estimular a inovação tecnológica.

     Para que a estação incorpore todos os requisitos técnicos e ambientais, será exigida a formação de equipe multidisciplinar constituída por diversos especialistas, sob a coordenação do arquiteto responsável pela elaboração do projeto.

     As pesquisas realizadas na estação são voltadas para a compreensão dos fenômenos naturais do ambiente local e sua repercussão em âmbito global, principalmente, no Brasil. Com características ímpares, o continente antártico influencia diretamente o equilíbrio climático de todo o planeta, constituindo-se um laboratório natural, onde é possível estudar e desvendar alguns dos segredos da atmosfera, dos mares e da vida na Terra.

     Colegas Arquitetos, convite feito. As inscrições iniciam-se em 28 de janeiro e seguem até 14 de março de 2013. Boa sorte a todos!

Fonte: IAB-RJ

Publicidade

Biodiversidade e Serviços Ambientais

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Meio Ambiente

21 de Janeiro de 2013

     No período de 21 a 26 de janeiro, em Bonn, Alemanha, acontece o Primeiro Encontro da Plenária da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas (IPBES).

logo_IPBES

O Encontro tem por finalidade chegar ao acordo sobre as regras remanescentes de procedimentos para as demais reuniões da Plataforma, considerando outras regras de procedimento, bem como eleger os membros da Mesa e os peritos do Painel Multidisciplinas. Tem por objetivo, ainda, acordar os próximos passos do trabalho desenvolvido pelo IPBES.

Publicidade

Frases para refletir…sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

20 de Janeiro de 2013

    Existem pessoas que são muito especiais. Ás vezes, a gente desconhece o quanto nos auxiliaram direta ou indiretamente.

    Um dos maiores ambientalistas da História do Brasil, o Professor Paulo Nogueira Neto, é uma dessas pessoas especiais, únicas, extraordinárias. É cidadão honorário de Aiuaba (CE), Brasília (DF), Luziana (GO) e Cosmópolis (SP).

    Hoje trago frases escritas por ele em seu diário. Sua história de vida se confunde com a história da implementação da política ambiental no Brasil. Seu exemplo como profissional é indiscutível. Como ser humano é divino.

             “Cada um de nós tem a sua personalidade e as suas circunstâncias, que podemos melhorar ou agravar no decorrer das nossas vidas, pelo nosso livre arbítrio.” (Paulo Nogueira Neto, 2010)

           “Que Deus ajude o Brasil e o mundo, e que livre todos os povos da tentação de possuírem a bomba. Que os governos futuros sigam a diretriz do presidente Geisel, que só deseja a energia nuclear para fins pacíficos. (…) Enfim, que Deus ilumine a todos, para evitar alguma catástrofe nuclear. E que dê forças ao meu sucessor na SEMA, que terá de enfrentar problemas e dilemas terríveis.” (Paulo Nogueira Neto, 09/04/1977. O projeto Brasil-Alemanha para enriquecer urânio fracassou)

            “Temos que proteger a biodiversidade que Deus nos deu, de modo racional, em benefício das gerações futuras de índios e não índios”. (Paulo Nogueira Neto, 15/10/1996).

               “Fiquei muito contente ao saber, no CONAMA, que agora sou membro do mesmo por nomeação permanente do presidente da República. O Fernando Henrique me nomeou sem estabelecer prazo para o meu mandato, e o pessoal do atual presidente Lula concordou com isso!!! Deus seja louvado, pois poderei assim trabalhar pelo Meio Ambiente durante o tempo que durar minha vida útil”. (Paulo Nogueira Neto, 02/04/2003)

               “Tive ocasião de dizer, também, muito claramente, que nas minhas palestras pelo Brasil afora digo que ‘o problema da erradicação da miséria é o problema ambiental maior’. A tônica geral foi como ajudar os pobres e ao mesmo tempo tratar dos problemas ambientais, como dois assuntos correlatos”. (Paulo Nogueira Neto, 02/05/2002, Rio+10)

               “Finalmente, depois de anos de expectativa e insistência, assinei as duas escrituras que cederam à SEMA a posse das Ilhas Anavilhanas e a maior parte da terra firme da Estação Ecológica. Deus Seja Louvado, para sempre Louvado!! As gerações futuras terão garantida a conservação de um dos lugares mais belos do mundo. Glória a Deus!! E dou graças a Ele por ter vivido este dia. A área se tornou Parque Nacional, por lei”. (Paulo Nogueira Neto, 12/02/1981)

Publicidade

Frases para refletir…sobre vida e meio ambiente

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

20 de Janeiro de 2013

    Existem pessoas que são muito especiais. Ás vezes, a gente desconhece o quanto nos auxiliaram direta ou indiretamente.

    Um dos maiores ambientalistas da História do Brasil, o Professor Paulo Nogueira Neto, é uma dessas pessoas especiais, únicas, extraordinárias. É cidadão honorário de Aiuaba (CE), Brasília (DF), Luziana (GO) e Cosmópolis (SP).

    Hoje trago frases escritas por ele em seu diário. Sua história de vida se confunde com a história da implementação da política ambiental no Brasil. Seu exemplo como profissional é indiscutível. Como ser humano é divino.

             “Cada um de nós tem a sua personalidade e as suas circunstâncias, que podemos melhorar ou agravar no decorrer das nossas vidas, pelo nosso livre arbítrio.” (Paulo Nogueira Neto, 2010)

           “Que Deus ajude o Brasil e o mundo, e que livre todos os povos da tentação de possuírem a bomba. Que os governos futuros sigam a diretriz do presidente Geisel, que só deseja a energia nuclear para fins pacíficos. (…) Enfim, que Deus ilumine a todos, para evitar alguma catástrofe nuclear. E que dê forças ao meu sucessor na SEMA, que terá de enfrentar problemas e dilemas terríveis.” (Paulo Nogueira Neto, 09/04/1977. O projeto Brasil-Alemanha para enriquecer urânio fracassou)

            “Temos que proteger a biodiversidade que Deus nos deu, de modo racional, em benefício das gerações futuras de índios e não índios”. (Paulo Nogueira Neto, 15/10/1996).

               “Fiquei muito contente ao saber, no CONAMA, que agora sou membro do mesmo por nomeação permanente do presidente da República. O Fernando Henrique me nomeou sem estabelecer prazo para o meu mandato, e o pessoal do atual presidente Lula concordou com isso!!! Deus seja louvado, pois poderei assim trabalhar pelo Meio Ambiente durante o tempo que durar minha vida útil”. (Paulo Nogueira Neto, 02/04/2003)

               “Tive ocasião de dizer, também, muito claramente, que nas minhas palestras pelo Brasil afora digo que ‘o problema da erradicação da miséria é o problema ambiental maior’. A tônica geral foi como ajudar os pobres e ao mesmo tempo tratar dos problemas ambientais, como dois assuntos correlatos”. (Paulo Nogueira Neto, 02/05/2002, Rio+10)

               “Finalmente, depois de anos de expectativa e insistência, assinei as duas escrituras que cederam à SEMA a posse das Ilhas Anavilhanas e a maior parte da terra firme da Estação Ecológica. Deus Seja Louvado, para sempre Louvado!! As gerações futuras terão garantida a conservação de um dos lugares mais belos do mundo. Glória a Deus!! E dou graças a Ele por ter vivido este dia. A área se tornou Parque Nacional, por lei”. (Paulo Nogueira Neto, 12/02/1981)