Arquivos novembro 2012 - Blog Verde 
Publicidade

Blog Verde

por Nájila Cabral

novembro 2012

Seminário de boas práticas em Educação Ambiental

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Meio Ambiente

30 de novembro de 2012

     O Departamento de Educação Ambiental, da Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente, encerra hoje, 30/11, o Seminário de Boas Práticas em Educação Ambiental na Agricultura Familiar, que teve início no dia 28 de novembro, em Brasília/DF.

    A Programação do Seminário, aberto ao público em geral e gratuito, foi a seguinte:

Dia 28/11 às 18h30 – abertura do evento e lançamento do livro “Boas Práticas em Educação Ambiental na Agricultura Familiar”, com 25 experiências selecionadas, provenientes de todo o país.

Dias 29/11 das 08h30 as 18h00 e 30/11 das 08h30 as 12h00 – realização do seminário que visa apresentar as principais experiências selecionadas, refletindo sobre diretrizes da Educação Ambiental junto à Agricultura Familiar, em diálogo com o Programa de Regularização Ambiental (PRA/MMA), a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO) e a Política Nacional de Juventude Rural (em formulação).

    Estão presentes no evento: Expositores das 25 experiências selecionadas para a publicação; representantes do MMA e suas vinculadas, SEMAS, CIEAs, membros do GT PEAAF, representantes de órgãos governamentais federais (MEC, MDA, INCRA, MAPA, FUNASA, Secretaria Nacionalde Juventude, MDS, Casa Civil, MinC, MCTI, Universidades, Institutos Federais), representantes de Conselhos (CONAMA, CNRH, CGEN, CONAFLOR, CONJUVE, CONSEA, CONDRAF, CNPCT), representantes de movimentos sociais do campo (Sindicais, Trabalhadores(as) Rurais, Camponeses, Quilombolas, Extrativistas, Mulheres Camponesas, etc), movimentos de juventude, Agentes de ATER (Assistência Técnica e Extensão Rural) e REAF (Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul).

 Fonte: MMA

Publicidade

COP 18 – negociações sobre Mudanças Climáticas

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente, Preservação

29 de novembro de 2012

   Desde 26 de novembro até 07 de dezembro, em Doha, Qatar, acontece a 18ª Conferência da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 18/CMP8).

Fonte: UNEP

   O site Portal Brasil noticia que no dia da abertura da Conferência, o chefe da delegação brasileira, o Embaixador André Corrêa do Lago, expressou otimismo em relação à mencionada conferência, acreditando ser esta um marco divisório nas negociações internacionais sobre mudanças climáticas. “Doha vai lidar com o segundo período de metas do Protocolo de Kyoto, encerrar o processo iniciado em 2007 em Bali e abrir novo processo de negociações que começará no próximo ano”, disse o Chefe da Delegação Brasileira.

    O objetivo da Conferência é avançar em acordos e processos de negociação que reduzam as emissões de gases de efeito estufa (GEE), e impedir que a temperatura do Planeta se eleve em mais de 2 ºC, até o fim do século XXI.

Fontes: Portal Brasil e UNEP

Publicidade

Relatório de Déficit de Emissões de GEE – 2012

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

28 de novembro de 2012

O UNEP (United Nations Environmental Programme ou Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) divulgou o 3º Relatório Síntese sobre o Déficit de Emissões de Gases de Efeito Estufa para este ano de 2012 (Emissions Gap Report 2012).

Fonte: UNEP

    O Relatório é realizado desde 2010 e diz respeito à questão da ambição (o que se deseja) aliado aos compromissos de cada país com relação à redução das emissões. O déficit em 2020 é a diferença entre os níveis de emissões concernentes com a meta climática dos 2º C e os níveis de emissões previstos, caso os compromissos de redução dos países forem cumpridos. Se existir um déficit, existem então dúvidas sobre se a ambição dos países é suficientemente importante para cumprir com a meta climática acordada de 2º C.

   O PNUMA (UNEP) reuniu grupo de 55 cientistas e especialistas de 43 grupos científicos oriundos de 22 países para produzir este terceiro relatório sobre o déficit de emissões, que aborda, resumidamente, o seguinte:

– Uma atualização das estimativas das emissões mundiais de gases com efeito de estufa, com base em várias fontes científicas oficiais;

– Uma visão geral dos níveis de emissões nacionais, tanto atuais (2010) como previstas (2020) consistente com os compromissos atuais, entre outros acordos;

– Uma estimativa do nível das emissões mundiais consistente com a meta dos dois graus (º C) em 2020, 2030 e 2050;

– Uma atualização da avaliação do déficit de emissões para 2020;

– Uma análise de exemplos selecionados de progressos rápidos feitos em várias partes do mundo para implementar políticas que já produzem resultados em reduções substanciais das emissões. Estas políticas podem contribuir de forma significativa para reduzir o déficit, se forem implementadas em grande escala e reproduzidas noutros países.

     Um dos dados preocupantes, conforme este 3º Relatório, e que deve ser levado em conta nas políticas públicas de governos locais, estaduais e em nível nacional é que as emissões mundiais atuais são já consideravelmente mais elevadas do que o nível de emissões consistente com a meta dos 2º C em 2020; e continuam a aumentar.

Fonte: UNEP

 

Publicidade

A3P – melhores práticas de sustentabilidade

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

27 de novembro de 2012

O MMA já divulgou o 4º. Prêmio A3P. Parabéns aos vencedores! Confira no Blog Verde as experiências vencedoras de 2013:

Fonte: MMA

 

Categoria Gestão de Resíduos

1. Governo de Pernambuco – Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos: implantação de unidade experimental de valorização energética da Manipueira, em Lajedo (PE).

2. Empresa Brasil de Comunicação (EBC) – Projeto Reciclar

3. Instituto Vital Brazil – Telhados ecológicos: logística reversa de caixas longa vida na promoção da saúde da família

Menção honrosa: Prefeitura Municipal de Ibirarema (SP) – Ibirarema Lixo Mínimo – Adote essa ideia

Categoria Uso Sustentável dos Recursos Naturais

1. Prefeitura Municipal de Vitória – Vitória Sustentável
2. Eletrobrás – Eletronorte – Gerência dos Programas e Projetos de Eficiência Energética – PROCEL Educacional como ferramenta de combate ao desperdício de energia elétrica

3. Caixa Econômica Federal – Programa de Racionalização de Gastos e Eliminação de Desperdícios

Menção honrosa: Tribunal Regional do Trabalho da 9a. Região – Pare e Pense

Categoria Inovação na Gestão Pública

1. Exército brasileiro – Escola de Formação Complementar do Exército – Implantação do centro de produção de mudas de árvores para reflorestamento e compensação de carbono pelo exército no Haiti

2. Câmara dos Deputados – EcoCâmara – Regulamentando as licitações sustentáveis na Câmara dos Deputados – Esverdeando as aquisições

3. Tribunal Regional do Trabalho da 8a. Região – Programa TRT8 Ambiental

Menção Honrosa – Prefeitura Municipal de Guarulhos (SP) – Inserção do uso de concreto permeável no espaço público urbano

Categoria Destaque da Rede A3P

1. Prefeitura Municipal de Ibiporã (PR) – Programa de Separação do Lixo

2. Conselho Superior da Justiça do Trabalho – Guia de Contratações Sustentáveis da Justiça do Trabalho

3. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais – campus Passos – 2RComp – Reciclagem e Reaproveitamento de Computadores Obsoletos

Menção honrosa – Instituto Natureza do Tocantins – Naturatins – Sensibilização e Capacitação dos servidores por meio da oficina Reci-Art

Publicidade

Ações de Sustentabilidade para Copa 2014

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

26 de novembro de 2012

     O que se deseja para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 é que esta seja sustentável, a chamada Copa do Mundo Verde. Para tanto, todos os atores sociais (governamentais e não governamentais) são importantes protagonistas para que o evento contemple o viés da sustentabilidade ambiental.

    Hoje, no Seminário Carbon Footprint, dentro da 5ª Reunião do Núcleo Nacional de Mudanças Climáticas da Câmara Técnica de Meio Ambiente e Sustentabilidade, foram apresentadas as ações de sustentabilidades que três Cidades-Sedes estão desenvolvendo no âmbito dos projetos da Copa 2014.

Fonte: FIFA

    Belo Horizonte, Fortaleza e Curitiba receberam a consultoria da Useful Simple Projects, por meio da Embaixada Britânica no Brasil em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, notadamente na identificação das oportunidades de mitigação e de compensação das emissões de gases de efeito estufa nos eventos e projetos da Copa do Mundo FIFA 2014.

   O Brasil tem feito esforço significativo para viabilizar ações de sustentabilidade que ficaram como legado da Copa do Mundo 2014.

     Importante mencionar também que a mascote Tatu-bola, que é fruto de uma campanha exitosa da Associação Caatinga na luta de preservação desta espécie, recebeu o nome de Fuleco. Segundo a FIFA, Fuleco significa Futebol + Ecologia. Até no nome da mascote, a sustentabilidade ecológica aparece como importante apelo à sociedade.

    Parabéns a todas as Host Cities que se fazem presentes, por meio de seus representantes, nesses dois dias aqui em Fortaleza, pelo esforço conjunto com Ministério do Meio Ambiente, Ministério do Esporte, Embaixada Britânica no Brasil, Useful Simple Projects e ICLEI (Local Governments for sustainability) para tornar a Copa do Mundo 2014 mais sustentável.

Publicidade

Compras sustentáveis – curso para gestores

    Segundo Letícia Verdi, começou no dia 26/11, o Curso de Contratações Públicas Sustentáveis, uma parceira do Ministério do Meio Ambiente (MMA) com o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), no auditório do Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília. Está sendo transmitido ao vivo para os as seções regionais do órgão espalhadas por todo o território nacional. A expectativa é capacitar pelo menos 600 pessoas até o dia 5 de dezembro.

    Ainda segundo Letícia Verdi, a diretora do Departamento de Produção e Consumo Sustentáveis (DPCS) do MMA, Ana Maria Vieira Neto, destacou a importância da iniciativa. “Em pesquisa realizada no final 2009, gestores públicos apontaram a ausência de capacitação como o principal obstáculo para implementar a política pública“, explicou. Segundo ela, o curso transmitirá mais segurança aos gestores na hora de preparar termos de referência, editais e contratos.

     Destaca Letícia Verdi, que o tema ganhou destaque ao ser regulamentados pelo Decreto nº 7.746, assinado no dia 5 de junho de 2012, Dia Mundial do Meio Ambiente, pela presidente Dilma Rousseff. O decreto estabelece critérios, práticas e diretrizes gerais para a promoção do desenvolvimento nacional sustentável por meio das contratações e institui a Comissão Interministerial de Sustentabilidade na Administração Pública (CISAP). O regulamento visa diminuir o impacto sobre recursos naturais (flora, fauna, ar, solo e água), dar preferência a materiais, tecnologias e matérias-primas de origem local, e optar por inovações tecnológicas que reduzam a pressão sobre os recursos naturais.

Fonte: MMA

Publicidade

Seminário Carbon Footprint

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

24 de novembro de 2012

    Acontece nos dias 26 e 27 de novembro, em Fortaleza, no Palácio de Iracema, no âmbito da Copa do Mundo FIFA 2014, a 5ª Reunião do Núcleo Nacional de Mudanças Climáticas da Câmara Técnica de Meio Ambiente e Sustentabilidade, vinculada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Fonte: Nucleo Clima Copa

    Fortaleza é uma das Cidades-Sede (host city) e vem trabalhando numa parceria importante junto com o Governo do estado do Ceará e outros atores sociais (stakeholders) para viabilizar a inserção de critérios sustentáveis em projetos voltados à Copa do Mundo da FIFA 2014.

   No dia 26, pela manhã, a partir das 08:00h, haverá o Seminário Carbon Footprint onde serão discutidas as oportunidades de mitigação dos gases de efeito estufa da Copa de 2014 e apresentadas as experiências de três Estados/Cidades-Sede contemplados no Projeto Carbon Footprint- Pegada de Carbono da Copa do Mundo de 2014 com a Embaixada Britânica. As três cidades que apresentarão seus resultados são: Belo Horizonte, Fortaleza e Curitiba.

    Este é um momento importante para estarem presentes, além dos atores sociais ligados diretamente ao assunto, os profissionais de comunicação e mídia. A informação, provisão e disseminação, em quantidade e qualidade, é condição necessária para efetivar a participação da sociedade civil no processo de sustentabilidade. Além disso, a divulgação de informações e a conscientização pública são objetivos da Política Nacional de Meio Ambiente, instituída pela Lei n. 6938/1981.

    Caros leitores do Blog Verde, não se esqueçam! Amanhã (25/11) é o 6o. Pedala Fortaleza! Concentração no Lago Jacarey, às 08:ooh! 

Publicidade

Reserva da Biosfera da Caatinga

Por Nájila Cabral em Conservação da Natureza, Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

23 de novembro de 2012

    Hoje, 23/11, no Auditório Luis Esteves, na FIEC, em Fortaleza, houve a Reunião do Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga.

Fonte: Mata Branca – CONPAM

    O Comitê Estadual da Reserva da Biosfera da Caatinga é um órgão colegiado de apoio ao Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Caatinga, de caráter consultivo. Composto, de maneira paritária, por 14 membros, sendo 07 representantes dos órgãos e entidades governamentais e 7 representantes da sociedade civil, composto por Organizações não governamentais, pela Comunidade Científica e pelo setor produtivo.

    Durante a programação, houve apresentação do Projeto de Desenvolvimento de Práticas de manejo florestal sustentável na Região do Baixo Jaguaribe e apresentação do intercâmbio dos estados Ceará e Bahia, no âmbito do Projeto de Conservação e Gestão Sustentável do Bioma Caatinga, denominado Projeto Mata Branca.

   Encerrando a programação, teve ainda a doação do kit de monitoramento de fauna do Projeto Mata Branca para a Associação Caatinga. Certamente deve auxiliar na preservação do mascote da Copa do Mundo FIFA 2014, nosso querido Tatu-bola.

Publicidade

Pegada de Carbono para Copa 2014

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente

21 de novembro de 2012

  Nos dias 22 e 23 de novembro, no Hotel Gran Marquise, haverá a Oficina Pegada de Carbono da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 em Fortaleza. O objetivo é discutir as possibilidades de inserção de critérios sustentáveis em projetos voltados à Copa do Mundo da FIFA 2014 em Fortaleza.

Fonte: FIFA

   A Oficina será conduzida pela Useful Simple Projects, de Londres, e realizada em inglês e português. A Oficina é um trabalho interno, numa parceria entre Prefeitura de Fortaleza e Governo do estado do Ceará, com entes públicos, Academia, Ministério do Meio Ambiente (MMA), Embaixada Britânica e consultores de Londres.

   Importante mencionar que a Useful Simple Projects já esteve conosco, aqui em Fortaleza, há exatamente um ano, em novembro de 2011, dando início a este trabalho importante e necessário sobre Pegada de Carbono para a Copa do Mundo FIFA 2014 em Fortaleza.

    Na certeza de que será um trabalho profícuo e exitoso, os organizadores da Oficina estão de parabéns! 

Publicidade

Educação Ambiental e as Diretrizes Curriculares Nacionais

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Legislação Ambiental

20 de novembro de 2012

    O Governo Brasileiro instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para a Educação Ambiental, por meio da Resolução CNE/MEC n. 02, de 15/06/2012, publicada no DOU de 18/06/2012. Seu processo de discussão durou cerca de 5 anos e meio, desde 2007, no Conselho Nacional de Educação do MEC.

Foto: Ingrid Castro
Fonte:www.flickr.com.br/Ingrid_castro

    A instituição das DCN para a Educação Ambiental coincidiu com um momento singular no Brasil e no Mundo concernente às questões ambientais que foi a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável  – UNCSD 2012, a chamada Rio+20.

   As DCN relatam que a Educação Ambiental deve ser desenvolvida como prática educativa integrada e interdisciplinar, contínua e permanente em todas as fases, etapas, níveis e modalidades de ensino; respeitando-se a autonomia da dinâmica escolar e acadêmica. Reforçam que a dimensão socioambiental deve constar dos currículos da formação inicial e continuada dos profissionais em educação, sendo que estes devem receber a formação complementar para atender o cumprimento dos princípios e objetivos da Educação Ambiental.

    Acredito que pessoas informadas são mais conscientes dos seus direitos e do direito dos seus semelhantes. A Educação Ambiental faz despertar nos cidadãos posturas mais coerentes e condizentes com as questões sociambientais, propiciando a construção de habilidades importantes na consecução da sustentabilidade ambiental.

Publicidade

Educação Ambiental e as Diretrizes Curriculares Nacionais

Por Nájila Cabral em Desenvolvimento Sustentável, Educação Ambiental, Legislação Ambiental

20 de novembro de 2012

    O Governo Brasileiro instituiu as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para a Educação Ambiental, por meio da Resolução CNE/MEC n. 02, de 15/06/2012, publicada no DOU de 18/06/2012. Seu processo de discussão durou cerca de 5 anos e meio, desde 2007, no Conselho Nacional de Educação do MEC.

Foto: Ingrid Castro
Fonte:www.flickr.com.br/Ingrid_castro

    A instituição das DCN para a Educação Ambiental coincidiu com um momento singular no Brasil e no Mundo concernente às questões ambientais que foi a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável  – UNCSD 2012, a chamada Rio+20.

   As DCN relatam que a Educação Ambiental deve ser desenvolvida como prática educativa integrada e interdisciplinar, contínua e permanente em todas as fases, etapas, níveis e modalidades de ensino; respeitando-se a autonomia da dinâmica escolar e acadêmica. Reforçam que a dimensão socioambiental deve constar dos currículos da formação inicial e continuada dos profissionais em educação, sendo que estes devem receber a formação complementar para atender o cumprimento dos princípios e objetivos da Educação Ambiental.

    Acredito que pessoas informadas são mais conscientes dos seus direitos e do direito dos seus semelhantes. A Educação Ambiental faz despertar nos cidadãos posturas mais coerentes e condizentes com as questões sociambientais, propiciando a construção de habilidades importantes na consecução da sustentabilidade ambiental.