Publicidade

Blog do Guifil

por Guilherme Custódio

projeto-social

Projeto social faz a diferença em comunidade carente de Fortaleza

Por guilhermecustodio em Social Esporte Clube

24 de novembro de 2015

DSC07383

Washington dos Santos desenvolve o projeto há 19 anos. Foto: Guilherme Custódio

Uma comunidade centenária, essa é o Poço da Draga, que fica localizada entre o Centro e a Praia de Iracema, em Fortaleza. O local existe há 109 anos, mas também enfrenta problemas sociais contemporâneos da nossa capital. O esporte é o meio que vem mudando a vida de dezenas de crianças nesta área.

“Minha missão nesta vida é essa”. É assim que Washington dos Santos, 45 anos, cabeleireiro nas horas vagas, e treinador de uma escolinha de futsal na quadra da comunidade define a sua vida.

A escolinha, aberta aos interessados, possui as categorias sub-9 masculino e feminino, sub-12 masculino e o sub-20 masculino. Os treinos são das 17 horas às 21 horas e 30 minutos, de segunda a sexta.

Desde 1996 com o projeto, Santos diz que o seu trabalho é formar cidadãos.  “O meu objetivo é a formação de cidadãos e a ocupação dos jovens. Quero botar uma ideia boa na cabeça de quem participa do projeto”, destacou.

O treinador solicita o apoio de empresários e das autoridades  ao projeto. “Estou quase sendo forçado a parar, por que as crianças também querem jogar, e não apenas treinar. Falta material de jogo, como coletes, uniformes e bolas”.

Mesmo com as dificuldades, o projeto é visto com bons olhos pelos moradores da comunidade do Poço da Draga. “Ele (o projeto) tira as crianças do meio da rua, elas não ficam fazendo o que não presta. Dá um suporte melhor na formação deles”, acredita Kilson Gomes, 42 anos, motoboy.

*Escrito pelo jornalista Guilherme Custódio

Aulas são realizadas de segunda a sexta. Foto: Guilherme Custódio
1/2

Aulas são realizadas de segunda a sexta. Foto: Guilherme Custódio

Aulas são realizadas de segunda a sexta. Foto: Guilherme Custódio

“Meu sonho é ser um jogador como um Cristiano Ronaldo, um Messi. Mas meu estilo é igual ao do Neymar”.  Wesley Santos, 8 anos, aluno do projeto.Foto: Guilherme Custódio
2/2

“Meu sonho é ser um jogador como um Cristiano Ronaldo, um Messi. Mas meu estilo é igual ao do Neymar”. Wesley Santos, 8 anos, aluno do projeto.Foto: Guilherme Custódio

“Meu sonho é ser um jogador como um Cristiano Ronaldo, um Messi. Mas meu estilo é igual ao do Neymar”. Wesley Santos, 8 anos, aluno do projeto. Foto: Guilherme Custódio

 

Saiba mais
Ex-jogador utiliza o esporte como forma de inclusão social no interior do Ceará
Jogo beneficente reúne artistas e ídolos do futebol cearense no estádio da Unifor

 

Publicidade

Instituto realiza copa de karatê para discutir o esporte como ferramenta social

Por guilhermecustodio em Karatê

25 de setembro de 2015

Foto: Camila Leite/Divulgação

Projeto Buschi No Te é desenvolvido no Bairro Passaré, em Fortaleza. Foto: Camila Leite/Divulgação

No próximo domingo (27) o Instituto Beatriz e Lauro Fiuza (IBLF) realiza a 1ª Copa Bushi No Te (expressão japonesa que significa Mãos de Guerreiros) de karatê, na unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc-CE), na Rua Clarindo de Queiroz, 1.740, no Bairro Centro, em Fortaleza.

Um dos principais objetivos do evento é discutir com outras entidades que trabalham com o karatê no estado estratégias para trabalhar o esporte como ferramenta de inclusão social. O torneio deve reunir quarenta escolas da modalidade de todo o Ceará.

Os caratecas disputarão o campeonato em 86 categorias, divididas em idade, peso e sexo. A primeira categoria inicia aos cinco anos de idade e a última é para maiores de 55 anos. O projeto esportivo do IBLF é desenvolvido Bairro Passaré e atende 150 crianças e adolescentes, dos quatro aos 18 anos. A entidade oferece aos alunos e aos familiares acompanhamento psicológico e assistencial. A iniciativa colhe os frutos. Muitos integrantes da ação social conseguiram entrar em universidades e no mercado de trabalho, tendo a disciplina ensinada no esporte como caminho para o sucesso.

O coordenador do projeto, Romilson Mariano, ressalta que os integrantes do Buschi No Te precisam se empenhar também nos estudos para puder seguir nas aulas de karatê. “Pra nós eles são mais que atletas, mais que competidores. Pra participar das competições eles têm que estar bem na escola e no convívio com a família”, destaca Mariano.

Em 2015 os atletas do IBLF conquistaram 21 medalhas (10 ouros, 8 pratas e 3 bronzes) no XXI Campeonato Cearense de Karatê Esportivo; 43 medalhas (23 ouros, 06 pratas e 14 bronzes)  na Copa Brasil de Karatê Esportivo, que aconteceu em João Pessoa/PB. Ficou também em terceiro lugar no número de medalhas (15 ouros, 6 pratas e 11 bronzes) na V Copa Estadual Vale do Acaraú de Karatê Esportivo, que aconteceu no dia 30 de agosto desse ano.  No ano passado foram 2 pratas e 1 bronze, no Mundial de Karatê, que aconteceu em Foz do Iguaçu-PR

Saiba mais
Ex-jogador utiliza o esporte como forma de inclusão social no interior do Ceará

Serviço

I Copa Bushi No Te de Karatê Esportivo
Local: Sesc – Unidade Fortaleza. Rua Clarindo de Queiroz, 1.740 – Centro – Fortaleza
Data: 27 de setembro de 2015
Horário: das 8h às 17h
Informações: (85) 3268-2132 /3114-3984

 

 

 

 

 

Publicidade

Ex-jogador utiliza o esporte como forma de inclusão social no interior do Ceará

Por guilhermecustodio em Futsal

16 de Abril de 2015

11017119_600418566761313_198885117740565356_n

Rivando Gomes desenvolve o projeto social há três anos. Foto: Arquivo Pessoal

O ex-jogador de futebol, Rivando Gomes, 48 anos, desenvolve na cidade de Quixeramobim, na Região Sertão Central do Ceará, um projeto social com crianças e adolescentes do Bairro Maravilha, zona periférica do município.

O treinador diz que o projeto “Escola e esporte, maravilha em ação”, surgiu a partir do momento que ele viu que muitos jovens do bairro encontravam-se ociosos, sem perspectivas de um futuro em alguma modalidade esportiva, vulneráveis a se envolver com alguma prática ilegal.

“Morei aqui nesse bairro um longo período da minha vida. Sempre olhava essa garotada e via que eles necessitavam de um auxílio. Em março de 2012 consegui colocar em prática esse trabalho e assim poder dá a minha contribuição para o futuro desses meninos. O nosso objetivo aqui é primeiro formar o cidadão, depois vem o atleta e, por último, o jogador “, disse.

Cerca de 100 crianças e adolescentes participam do projeto Escola e esporte, maravilha em ação. Foto: Arquivo Pessoal

Cerca de 100 crianças e adolescentes participam do projeto Escola e esporte, maravilha em ação. Foto: Arquivo Pessoal

O trabalho é realizado em parceria com as escolas Tereza Heloísa Saraiva Câmara e Álvaro de Araújo Carneiro. A diretora da primeira unidade escolar, Ana Patrícia de Oliveira, destaca como o projeto vem melhorando o desempenho escolar dos alunos. “Esse projeto com os nossos alunos vem tendo uma ajuda muito importante. Os meninos vão gradativamente se envolvendo com o esporte. Um dos requisitos para participar do projeto é ter um bom rendimento na escola. Esse trabalho trouxe um resgate da valorização na atividade física na escola”, concluiu.

Ainda de acordo com o técnico Rivando Gomes, a iniciativa tem a participação de cerca de 100 jovens, com idade de oito a dezessete anos. Os treinamentos são divididos nas categorias sub-10,13, 15 e 17. Mas nem tudo é maravilha no projeto. O treinador conta que a falta de apoio é uma barreira enfrentada diariamente. Muitas vezes os treinamentos ficam comprometidos pela falta de material. ” Têm muito menino aqui que não possui um par de tênis para jogar. Às vezes ficamos sem bola para realizarmos nossos treinos”. O agora treinador de futsal Rivando Gomes, jogou futebol entre os anos de 1987 a 1997. Atuava no meio-campo. Defendeu os times do Quixadá, Tiradentes, Guarany de Sobral e Iguatu.

saiba mais
Atual técnico do Ceará tem no currículo estágio em gigante do futebol europeu
Cearense tem passagem de sucesso em clube candidato ao título da Liga dos Campeões

 


 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

Ex-jogador utiliza o esporte como forma de inclusão social no interior do Ceará

Por guilhermecustodio em Futsal

16 de Abril de 2015

11017119_600418566761313_198885117740565356_n

Rivando Gomes desenvolve o projeto social há três anos. Foto: Arquivo Pessoal

O ex-jogador de futebol, Rivando Gomes, 48 anos, desenvolve na cidade de Quixeramobim, na Região Sertão Central do Ceará, um projeto social com crianças e adolescentes do Bairro Maravilha, zona periférica do município.

O treinador diz que o projeto “Escola e esporte, maravilha em ação”, surgiu a partir do momento que ele viu que muitos jovens do bairro encontravam-se ociosos, sem perspectivas de um futuro em alguma modalidade esportiva, vulneráveis a se envolver com alguma prática ilegal.

“Morei aqui nesse bairro um longo período da minha vida. Sempre olhava essa garotada e via que eles necessitavam de um auxílio. Em março de 2012 consegui colocar em prática esse trabalho e assim poder dá a minha contribuição para o futuro desses meninos. O nosso objetivo aqui é primeiro formar o cidadão, depois vem o atleta e, por último, o jogador “, disse.

Cerca de 100 crianças e adolescentes participam do projeto Escola e esporte, maravilha em ação. Foto: Arquivo Pessoal

Cerca de 100 crianças e adolescentes participam do projeto Escola e esporte, maravilha em ação. Foto: Arquivo Pessoal

O trabalho é realizado em parceria com as escolas Tereza Heloísa Saraiva Câmara e Álvaro de Araújo Carneiro. A diretora da primeira unidade escolar, Ana Patrícia de Oliveira, destaca como o projeto vem melhorando o desempenho escolar dos alunos. “Esse projeto com os nossos alunos vem tendo uma ajuda muito importante. Os meninos vão gradativamente se envolvendo com o esporte. Um dos requisitos para participar do projeto é ter um bom rendimento na escola. Esse trabalho trouxe um resgate da valorização na atividade física na escola”, concluiu.

Ainda de acordo com o técnico Rivando Gomes, a iniciativa tem a participação de cerca de 100 jovens, com idade de oito a dezessete anos. Os treinamentos são divididos nas categorias sub-10,13, 15 e 17. Mas nem tudo é maravilha no projeto. O treinador conta que a falta de apoio é uma barreira enfrentada diariamente. Muitas vezes os treinamentos ficam comprometidos pela falta de material. ” Têm muito menino aqui que não possui um par de tênis para jogar. Às vezes ficamos sem bola para realizarmos nossos treinos”. O agora treinador de futsal Rivando Gomes, jogou futebol entre os anos de 1987 a 1997. Atuava no meio-campo. Defendeu os times do Quixadá, Tiradentes, Guarany de Sobral e Iguatu.

saiba mais
Atual técnico do Ceará tem no currículo estágio em gigante do futebol europeu
Cearense tem passagem de sucesso em clube candidato ao título da Liga dos Campeões