Publicidade

Apita o Árbitro

por Carlos Henrique Costa, Thiago Alves e Sávio Manfredini

Racismo no futebol. Um jogo sem vencedores

Por Thiago Alves em Futebol

12 de julho de 2017

Élton, atacante do Ceará, acusa Cuesta, zagueiro do Internacional, de chama-lo de “macaco”. 

Futebol é composto de desafios, limites e superação sim. Entretanto, é talvez, a profissão com maior índice de meritocracia que conhecemos. A igualdade estar nós pés. Mas, lamentavelmente, vira e mexe, a descriminação vem à tona – e da pior maneira possível – através do racismo.

Em um cenário todo preparado, que cativa milhões de apaixonados, atrai todos os holofotes, alguns casos acabam chamando mais atenção do que a própria bola. A pequenez humana, infelizmente, ganha o lance e nem a magia das quatro linhas se torna suficiente para superar o preconceito entre as pessoas.

No episódio mais recente, Elton, atacante do Ceará, acusa o zagueiro Victor Cuesta, do colorado, de chama-lo de “macaco”. A partida, válida pela 13ª rodada da série B, foi paralisada até que os ânimos se acalmassem.  O centroavante alvinegro, após o jogo, falou sobre o caso:  “Trombamos na área, lance normal. Daí ele virou pra mim e me chamou de macaco duas vezes.” comentou.

A equipe Gaúcha se pronunciou através de Roberto Melo, vice de futebol do clube, em defesa do atleta colorado. ” Conversamos com ele no vestiário, houve uma discussão, mas o atleta afirma não ter usado os termos que Elton se refere“. Concluiu o dirigente.

Pelo lado do alvinegro, a direção informou que o caso será repassado para o departamento jurídico do clube para apuração e medidas cabíveis.

 

Relembre alguns casos de racismo no futebol.  

 

Aranha – então goleiro do Santos –  foi hostilizado pela torcida do Grêmio sendo chamado de macaco em jogo pela Copa do Brasil de 2014. A equipe Gaúcha foi excluída da competição.   

Tinga – Também em 2014, pela libertadores o volante cruzeirense foi vítima de racismo generalizado. todo lance que o atleta participava, a torcida do Real Garcilaso-PER, imitava o som de um macaco.

Os laterais Roberto Carlos (2011)  e Daniel Alves (2014) , foram ofendidos com bananas arremessadas à campo. Roberto Carlos, na época atuando no futebol russo, deixou a partida. Já Daniel, comeu a banana. O caso do lateral do barcelona ganhou repercussão mundial, internautas  aderiram a campanha #SomosTodosMacacos.

Arouca – Em 2015, o meio campista, jogando pelo Palmeiras, foi vítima da torcida do Santos, na vila Belmiro. O atleta chegou a sofrer preconceito também em suas redes sociais.

Foto: Djalma Vassão/ Gazeta Press

Treinadores brasileiros também sofrem preconceito. 

Assim como Cristovão Borges e Andrade – que afirmaram ter sofrido preconceito na Gávea – O técnico Lula Pereira, em entrevista à placar 2003, revelou ter ouvido de dirigentes que “mesmo com bom perfil, ele era preto”.

 

 

Em 2014 a CBF lançou campanha de conscientização sobre o problema.

 

Em um País miscigenado, rico em suas diversidades, expressões e culturas, diminuir, excluir e marginalizar,  são atitudes não somente de retrocesso, mas de contradição, acima de tudo. O intuito do esporte que é competir sadiamente, divertir, proporcionar lazer e satisfação, acaba perdendo um pouco de sua essência com tanta intolerância, muitas vezes camuflada, travestida de “humor” e “provocação”, afinal,  #SomosTodosIguais.

 

 

 

 

 

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Marcelo Chamusca é o novo técnico do Ceará

Por Carlos Henrique Costa em Futebol

18 de junho de 2017

O treinador foi desligado do Paysandu na manhã deste domingo após o empate sem gols diante do Juventude – RS neste sábado.

Treinador foi anunciado na tarde deste domingo após ser desligado do Paysandu. Foto: Fernando Torres

Após oficializar seu desligamento do Bicolor paraense, Chamusca já foi anunciado neste domingo como novo técnico do Ceará para o restante da temporada. O treinador chega para substituir Givanildo Oliveira que foi demitido após um empate em casa diante do Luverdense por 1 a 1.

Com boa passagem pelo Fortaleza, Marcelo Chamusca era um dos nomes preferidos da diretoria alvinegra. Apesar de não ter conseguido o acesso à segunda divisão nacional com o tricolor do Pici, o treinador conseguiu o título cearense de 2015. Chamusca também ascendeu o Guarani – SP para a série B em 2016.

Marcelo Chamusca é o terceiro treinador que comanda o vovô na temporada. Gilmar Dal Pozzo deixou o Ceará após a eliminação na Copa do Brasil, onde foi intimidado por torcedores no desembarque no Aeroporto Internacional Pinto Martins. Em seguida veio Givanildo Oliveira, que conseguiu conquistar o título estadual em cima do Ferroviário, mas fez uma campanha mediana na Série B do Campeonato Brasileiro. Chamusca tenta o acesso com o alvinegro para a elite do futebol brasileiro. O fato aconteceu, pela ultima vez em 2009. O vovô volta a campo pela segundona nesta terça, 21:30, no Estádio Serra Dourada, diante do Vila Nova.

 

 

Publicidade

Aos 4 anos, torcedor mirim do tricolor chama a atenção no PV

Por Thiago Alves em Futebol

05 de junho de 2017

O pequeno torcedor chamou a atenção ao incentivar o Leão de forma veemente nas arquibancadas do Estádio Presidente Vargas. Leia mais

Publicidade

Agora no futebol piauiense, Vladimir de Jesus relembra sucesso do Ferroviário em 2017

Por Carlos Henrique Costa em Futebol

22 de Maio de 2017

Treinador deu continuidade ao trabalho de Marcelo Vilar que se transferiu para o Moto Club/MA. No comando do Tubarão da barra, conseguiu o Vice Campeonato Cearense.

Treinador estreou com vitória pelo Brasileiro - Série D. Foto: Didu Massulo

Treinador estreou com vitória pelo Brasileiro – Série D. Foto: Didu Massulo

A vitória em cima do Globo/RN marcaram a estreia vitoriosa de Vladimir de Jesus no comando do Parnahyba. Agora mais vitoriosa foi sua campanha a frente do Ferroviário no Campeonato Cearense 2017. O time que estava na Série B do estadual conseguiu, por meio de uma liminar, participar da elite do certame cearense e, ás pressas, montou um elenco enxuto. Nem a saída de Marcelo Vilar ( que montou o elenco coral) foi um problema para o time que chegou à segunda colocação no fim das contas.

” Atletas se valorizaram, conseguiram voltar e mostrar potencial. Jogadores que há bem pouco tempo atrás ninguém sabia que estavam atuando como profissionais. Grande parte do time se empregou rápido em equipes que estão disputando competições nacionais. O torcedor coral voltou a ter prazer em torcer Ferroviário.” Destaca o treinador.

Após o vice-campeonato, a comissão técnica se transferiu para o Piauí. O Parnahyba é o novo desafio de Vladimir que já “chegou chegando”. 2 a 0 em cima do globo marcou o primeiro jogo sob o comando do técnico. ” Os nossos objetivos são o acesso ( à Série C) e a participação na Copa do Nordeste. São objetivos ousados que a gente precisa tá muito focado pra conseguir. A diretoria quer que a gente qualifique a equipe para que a gente possa alcançá-los.” Reiterou.

 

Treinador enfrenta o América de Pernambuco na próxima rodada da Série D. Foto: Didu Massulo

No Tubarão da Barra, Vladimir recolocou o clube como a terceira força do futebol cearense. Se bem que ele já tem uma certa identificação com o futebol aqui no estado. São quatro campeonatos cearenses com boas participações, a exceção está quando comandou o Tiradentes, permaneceu em 7º( mesmo assim, foi boa). Isso não quer dizer que ele não conhece sua nova casa. ” Eu já estive por aqui, comandei o Flamengo – PI, sei como é aqui, a dificuldade é grande, não é diferente de alguns clubes do interior do Ceará. Espero que dê tudo certo e que aconteça da melhor maneira possível”.

O próximo confronto de Vladimir a frente do Parnahyba é no próximo domingo, ás 4 da tarde, diante do América – PE.

 

Publicidade

Resenha Tricolor: Fortaleza busca escrever uma nova história

Por Thiago Alves em Futebol

18 de Maio de 2017

Amanhã, às 19 horas no PV, o Leão tenta iniciar um novo capítulo junto com sua torcida.

Torcida tricolor promete incentivar o time pela série C.
Foto: Reprodução / Facebook

Pela segunda rodada do Brasileirão série C, o tricolor do Pici joga amanhã contra o Botafogo-PB. Vindo de derrota na estreia ( Remo 1 x 0 Fortaleza ) o time  Leonino só pensa em vitória, diante sua torcida, em busca de um novo momento para o clube.

Contratações sendo feitas, especulações de outros atletas, Sergio Papelim chamando a responsabilidade-  em estratégia de blindar os atletas – , tudo no intuito de tornar o Fortaleza grande de novo. A pressão é imensa, o peso de anos sendo carregado em um campeonato que, por si só, já é complicado.

Família tricolor deve unir forças em busca do acesso. Foto: Reprodução / Blog do Kelmer.

Dirigentes, jogadores e principalmente a torcida – que tem todo direito de cobrar – precisam unir forças em prol do Leão.  A raiva, o sentimento de repulsa, por parte da torcida, a medida que as vitórias forem acontecendo, precisa dar lugar a apoio e motivação. Aos dirigentes: critério, análise de cenário e  avaliação nas contratações, porque a resposta não deve ser em uma “contratação bilheteria”, mas sim, dentro de campo, com um Fortaleza aguerrido, vibrante e forte.

Em relação a comissão técnica, Bonamigo tem estrada de sobra pra contornar, apaziguar os ânimos e passar tranquilidade para os atletas que hoje fazem o fortaleza. O PV também, pode ser um grande amuleto para equipe tricolor. Acanhado e com torcida muito próxima ao campo, pode incentivar o time da casa a se estabelecer.

Trata-se então, de um conjunto de fatores, e não somente 11, na sonhada/Programada caminhada do leão até a série B.

A hora da união é agora,  pois não há virtude sem vitória sobre si, e nada vale se nada se supera.

 

 

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Ceará volta à campo hoje pela série B

Por Thiago Alves em Futebol

16 de Maio de 2017

O vovô reencontra sua torcida hoje, no PV, para encarar o Boa Esporte/MG. 

 

Ceará x Boa Esporte
Reprodução / Cearasc.com

Às 21h30min o Ceará entra em campo pela segunda rodada da série B, em busca da primeira vitória na competição. O alvinegro mede forças com o time de Varginha que também vem de derrota.( Boa 0 x 1 Vila Nova ).

Para a partida de logo mais, o vovô conta com Magno Alves, que melhorou de um problema no ombro e deve assumir a vaga de Felipe Menezes. Com isso, Givanildo mantêm o esquema tático do Cearense: 442 variando para o 433, com Alex Amado, Robério e Magno Alves formando o trio ofensivo.  O treinador alvinegro ainda não pode contar com o futebol de Lelê, Pedro Ken e Ricardinho.

Do lado Mineiro, os jogadores contratados para serie B não deverão ser titulares ainda. É o caso do volante  ex-Ceará Diones (31), e dos meias  Escobar(28) e Geandro(29).

Provável time 

O time da casa deve ir a campo com: Éverson, Cametá, Rafael Pereira, Luis Otávio e Romário; Raul, Richardson, Wallace Pernambucano e Alex Amado; Robério e Magno Alves.  Téc: Givanildo Oliveira

Os visitantes devem ir à campo com: Luan Polli, Josué, Gilmar, Douglas Assis e Paulinho; Léo Baiano, Eduardinho, Léo Bartholo e Felipe Mateus; Wesley e Rodolfo. Téc: Julinho Camargo 

 

Serviço

Local:  Presidente Vargas.

hora: 2130min

Ingressos: Arquibancadas R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) / Setor social: R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia).

Publicidade

Ceará e Fortaleza começam amargando derrota

Por Thiago Alves em Futebol

15 de Maio de 2017

Pela segunda vez no ano, Ceará e Fortaleza estreiam em um campeonato nacional e não se dão bem. Foi assim pela Copa do Brasil, quando os dois caíram ainda na primeira fase para Boa-Vista/RJ e São Raimundo/AM, respectivamente.

Reprodução / Facebook

No caso da Copa do Brasil rendeu-lhes a eliminação precoce da competição. Prejuízo incalculável. Em relação ao Brasileiro, ( Séries B e C ), ainda estamos falando da primeira rodada da competição, mas é preciso alerta, pois o Cearense não é, nem de longe, parâmetro para competições nacionais.

Bola “jogada”

O que preocupa as torcidas, tanto alvinegra quanto tricolor, não é apenas a derrota propriamente dita, mas o futebol pobre apresentado. A equipe alvinegra, sem Magno Alves, Lelê e o próprio Ricardinho – ainda em transição – fica um time capenga. Existe uma dependência imensa destes atletas, principalmente do primeiro. Já pelo lado do Pici, após desclassificação precoce do certame local, renúncia da diretoria executiva, troca de técnico e saída de alguns atletas, o time estreou apático, sem identidade alguma.

Reprodução / O Povo

Realidade Cearense  

É extremamente difícil fazer futebol, principalmente na região Nordeste, onde as receitas são muito inferiores as do resto do País. Por isso, planejar com coerência é principio fundamental, tanto para Ceará quanto para o Fortaleza. Estrear nas respectivas competições nacionais – objetivo primeiro para as duas equipes – e perceber/comprovar que precisam urgentemente de reformulação, é notar que o trabalho – por algum momento – não foi satisfatório.  Com o bonde andando fica sempre mais complicado de atingir o êxito, de subirem de divisão e, por isso, estes objetivos têm ficado pelo meio do caminho nos últimos anos.

Próximos confrontos 

O vovô recebe amanha, às 21:30 no PV, a equipe do Boa Esporte/MG

Já tricolor, na próxima sexta, encara o Botafogo-PB ( Fortaleza pediu adiamento do jogo para o sábado. Falta confirmação. )

 

 

 

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

A bola começa a rolar hoje para o principal objetivo do Ceará na temporada

Por Thiago Alves em Futebol

12 de Maio de 2017

O vovô bate o centro logo mais, pela série B, em busca da elite 

Reprodução / Facebook

 

A partir das 19h15min, fora de casa, no Rei Pelé, o Ceará mede forças com o CRB pela segundona. A pretensão alvinegra, assim como a regatina, é de voltar à série A de 2018.

Carta no Banco 

O Ceará tem no banco um grande trunfo, o “Rei do Acesso”. Givanildo, ou velho Giva, como é carinhosamente chamado,  é especialista em acessos. Foram 6, sendo 5 da série B para A e 1 da C para a B. Mas, o comandante alvinegro já começa com uma grande dor de cabeça. Os titulares Magno Alves e Lelê estão de fora da partida de estreia de logo mais.  O treinador deverá promover Alex Amado para fazer dupla de ataque com o  recém-contratado Roberto.

Prováveis esquipes

O vovô deve ir à campo com:  Everson, Cametá, Luiz Otávio, Rafael Pereira e Romário; Raul, Richardson, Pedro Ken e Wallace Pernambucano; Alex Amado e Roberto.

Já a equipe Alagoana deve contar com o futebol de: Juliano, Marcos , Flávio Boaventura, Gabriel e Diego; Adriano, Yuri, Edson Ratinho e Chico; Mailson e Neto Baiano.

De olho neles 

Pelo lado do Ceará, o destaque fica por conta de Wallace Pernambucano, que assumiu a titularidade  na reta final do Cearense após lesão de Ricardinho,  e foi decisivo.

Já pelo lado do CRB, as atenções ficam por conta de Neto Baiano, referência do time alagoano e com bom retrospecto quando encara o vovô.

 

 

leia tudo sobre

Publicidade

Ainda na barriga da mãe, Marcelinho, de 8 meses comemorou o título do Ceará

Por Carlos Henrique Costa em Curiosidades, Futebol

04 de Maio de 2017

Filho da assistente administrativa Aline Catunda, 31, e do servidor federal Marcelo Mesquita, 38, o bebê já vai nascer campeão de acordo com os pais.

 

No ensaio fotográfico, Marcelinho aparece na barriga da mãe Aline esperando nascer para torcer das arquibancadas. Foto: Reprodução Facebook

O ensaio fotográfico feito pelo casal durante a gravidez mostra o quanto será difícil a vida de Marcelinho caso ele “invente” de torcer para outro time que não seja o Ceará. “Eu tenho certeza que ele já comemorou o primeiro título ontem (03) na barriga da mãe. Não tem como não ser alvinegro. A primeira palavra que ele vai dizer não vai ser ~ papai~ nem ~mamãe~ e sim ~CEALÁ~.

Guarda Roupas do pequeno já começa a ser montado. Foto: Reprodução/ Facebook

O pequeno torcedor alvinegro ( para a alegria dos pais, esperamos que seja) não acompanhou de perto, na Arena Castelão, o triunfo alvinegro diante do tubarão da barra por precauções médicas, mas mesmo assim, o espírito de campeão nascerá no garotinho. ” Vou tentar fazer o sócio torcedor dele ainda na primeira semana de nascido. Sempre vou zoar ele dizendo que sou sócio nove anos a mais que ele.” Brinca o torcedor relacionando o tempo em que o rival permanece na terceira divisão do Brasileiro.

Primeiro encontro do casal foi no Castelão. Foto: Reprodução Facebook

O amor do casal começou despretencioso. Estavam no local preferido dos dois: a Arena Castelão. “Éramos amigos de amigos e aquele Ceará 1 x 2 Vitória em 2015 ficou marcado pra gente. Nosso primeiro encontro foi no setor central da arquibancada superior.” relembra

Ceará superior

Após vencer o Ferroviário no primeiro jogo da final do campeonato cearense, em sistema de playoffs, por 1 x 0,  o vovô precisaria de uma vitória simples para sagrar campeão, depois de 2 anos. A vitória veio nesta quarta, 03, como gols de Wallace Pernambucano e Raul, os 2 x 0 levantaram os torcedores no Castelão que gritaram ” É campeão” ao apito final.

” O título foi, antes de tudo, imprescindível para solidificar esse começo de trabalho do Givanildo ( Oliveira). Penso que, mesmo se fosse contra o Fortaleza, teríamos sido campeões também. Além do mais, foi nostálgico ( relembra) ver o Ferrim ( Ferroviário) de volta.” ressalta.

Torcedor Fanático

Marcelo também fez parte do grupo que foi a pé de Fortaleza à Canindé após o Ceará se livrar do rebaixamento para a Série C em 2015. Relembre.

 

 

 

Publicidade

Decisão da paz: torcedores de Ceará e Ferroviário quebram paradigmas e assistem clássico lado a lado

Por Thiago Alves em Esporte, Futebol

01 de Maio de 2017

Apesar da vitória do alvinegro que garantiu vantagem para o segundo jogo da série de três que definirá o Campeão estadual, partida serviu como importante passo para a paz entre as torcidas.

Em um setor da Arena Castelão, os torcedores das duas equipes assistiram à partida lado a lado.Foto: Mateus Dantas/ O povo

O campeonato cearense de 2017 vai, cada vez mais, criando capítulos ricos de história e quebras de paradigmas. Ferroviário e Ceará, neste domingo, 30, pela primeira partida da decisão, escreveram (e provaram ) que o esporte pode falar mais alto diante a violência e insultos tão presente nos estádios brasileiros. O jogo acontecia e as torcidas, misturadas, cantavam e incentivavam seus times em um ato de cordialidade, simpatia e alegria.

O brilho da partida se dividia entre gramado e torcedores mistos. Um novo jeito de torcer foi comprovado ontem, 30/04, em um campeonato cheio de surpresas até aqui. Valeu a iniciativa do Peixe e do Vovô, que além da disputa de um título de muita representatividade para as duas equipes, foram promotores da paz.

Possibilidades

Como o alvinegro venceu por 1 x 0 a primeira partida decisiva, se vencer na próxima quarta (3), se sagra campeão. Para equipe coral, é necessário, no mínimo, empatar para forçar a terceira partida. Se o tubarão triunfar no próximo confronto, chega em igualdade para decidir o título no próximo domingo (7).

Publicidade

Decisão da paz: torcedores de Ceará e Ferroviário quebram paradigmas e assistem clássico lado a lado

Por Thiago Alves em Esporte, Futebol

01 de Maio de 2017

Apesar da vitória do alvinegro que garantiu vantagem para o segundo jogo da série de três que definirá o Campeão estadual, partida serviu como importante passo para a paz entre as torcidas.

Em um setor da Arena Castelão, os torcedores das duas equipes assistiram à partida lado a lado.Foto: Mateus Dantas/ O povo

O campeonato cearense de 2017 vai, cada vez mais, criando capítulos ricos de história e quebras de paradigmas. Ferroviário e Ceará, neste domingo, 30, pela primeira partida da decisão, escreveram (e provaram ) que o esporte pode falar mais alto diante a violência e insultos tão presente nos estádios brasileiros. O jogo acontecia e as torcidas, misturadas, cantavam e incentivavam seus times em um ato de cordialidade, simpatia e alegria.

O brilho da partida se dividia entre gramado e torcedores mistos. Um novo jeito de torcer foi comprovado ontem, 30/04, em um campeonato cheio de surpresas até aqui. Valeu a iniciativa do Peixe e do Vovô, que além da disputa de um título de muita representatividade para as duas equipes, foram promotores da paz.

Possibilidades

Como o alvinegro venceu por 1 x 0 a primeira partida decisiva, se vencer na próxima quarta (3), se sagra campeão. Para equipe coral, é necessário, no mínimo, empatar para forçar a terceira partida. Se o tubarão triunfar no próximo confronto, chega em igualdade para decidir o título no próximo domingo (7).